Você está na página 1de 6

Cinemática II -- exercícios

CINEMÁTICA II
Exercícios

1. Um avião para combate a incêndios está preparado para lançar água, enquanto voa a
uma velocidade de 315 km/h e a uma altitude de 80 m. Determine a distância d para a
qual o piloto deve lançar a água de modo a atingir as chamas no solo.

2. Um jogador de vólei executa o serviço do jogo imprimindo à bola uma velocidade v0,
cujo módulo é 13,4 m/s e faz um ângulo de 20° com a horizontal. Sabendo que a rede
tem 2,43 m de altura e no momento do serviço o contacto com a bola dá-se a 2,1 m do
solo, determine:
a) se a bola passa a rede
b) a que distância da rede a bola toca o solo.

3. Verte-se leite para um copo com a altura de 140 mm e diâmetro interior de 66 mm. O
pacote do leite está distanciado 80 mm do copo na horizontal. Se a velocidade inicial do
leite for 1,2 m/s e fizer um ângulo de 40° com a horizontal, determine a gama de
valores da altura para os quais o leite entra no copo.

4. Uma bola é atirada verticalmente, no sentido ascendente, a uma velocidade de 10 m/s,


de uma janela a 20m do chão. Determine:
a) As funções para a velocidade e a altura da bola em qualquer instante t.
b) A altura máxima que a bola atinge e o instante ao que ocorre.
c) O instante em que a bola bate no chão, e a velocidade nesse instante.

5. Uma bola é atirada verticalmente no sentido ascendente numa caixa de elevador, a um


nível de 12 m, com uma velocidade inicial de 18 m/s. No mesmo instante uma
plataforma aberta do elevador encontra-se à altura de 5 m, que se move no sentido
ascendente a uma velocidade constante de 2 m/s. Determine:
a) Quando e onde a bola atinge o elevador.
b) A velocidade relativa da bola relativamente ao elevador.

6. Um projéctil é disparado do extremo de uma ravina a uma altura de 150 m, com uma
velocidade inicial de 180 m/s, com um ângulo de 30º com a horizontal. Desprezando a
resistência do ar, determine:
a) A distância atingida pelo projéctil quando atinge o solo.
b) A altura máxima atingida.

7. Um projéctil é disparado com uma velocidade inicial de 240 m/s a um alvo B


localizado 600 m acima do ponto de lançamento e 6000 m à frente. Desprezando a
resistência do ar, determine qual deve ser o ângulo de disparo por forma a atingir o alvo
em B.

Página 1 de 6
Cinemática II -- exercícios

8. Um ponto material move-se ao longo de um eixo, segundo a lei:


s(t) = t3- 12 t2 + 10 (SI).
Determine os intervalos de tempo para os quais:
a) O ponto se move no sentido positivo;
b) O movimento é acelerado;
c) O movimento é retardado;

9. Uma bola de bilhar de massa 500 g desloca-se na mesa de bilhar à velocidade de 1,5
m/s segundo o eixo (yy) do comprimento da mesa. Ao passar por um determinado
ponto, um jogador empurra a bola na direcção (xx) da largura da mesa com uma força
de 1,5 N.
a) Defina as equações x= x(t) e y= y(t) da posição da bola.
b) Defina a equação da trajectória da bola.
c) Defina a velocidade da bola 1 s após a aplicação da força.
d) Defina a aceleração da bola 1 s após a aplicação da força.
e) Determine o valor da aceleração normal e tangencial 1 s após a aplicação da força.

10. Num lançamento oblíquo num jogo de golfe, para que ângulo o alcance será máximo?

11. Uma arma dispara um projéctil a uma velocidade de 100 m/s, fazendo um ângulo de 30º
com a horizontal. Determine:
a) A velocidade do projéctil 10 s após o disparo.
b) A posição do projéctil 5 s após o disparo.
c) O alcance do projéctil.
d) A altura máxima do projéctil

12. Um avião desloca-se numa trajectória rectilínea, com velocidade 300 m/s, a uma altura
de 2000 m do solo. Quando passa na vertical de uma boca de uma peça de artilharia,
esta dispara um projéctil com uma velocidade v0, fazendo um ângulo de 60º com a
horizontal, atingindo o avião. Determine:
a) A velocidade inicial v0 do projéctil.
b) O instante do impacto

13. Um atirador, situado no 1º andar a 10m do solo, faz pontaria, na horizontal, a um alvo
contido num plano vertical distante 15 m. No instante do disparo, o objecto cai.
Verifique qual o valor mínimo da velocidade inicial para que o projéctil atinja o alvo.
Em que instante é que isso acontece?

14. A aceleração de uma partícula é de -4 m/s2. Se tiver uma velocidade inicial de 24 m/s,
determine:
A velocidade, posição e distância percorrida no instante t = 8s

15. A aceleração de uma partícula é directamente proporcional ao tempo. No instante


inicial, a velocidade é de -12 m/s. Sabendo que, para t = 4s, a velocidade é nula e a
partícula encontra-se na posição x = 15 m, escreva as equações do movimento da
partícula.

Página 2 de 6
Cinemática II -- exercícios

16. Uma condutora viaja à velocidade de 54 km/h, quando se apercebe que o semáforo,
240m à sua frente, passou a vermelho. Sabendo que o semáforo fica vermelho durante
24 s, determine:
a) A aceleração que para que ela passe no cruzamento sem parar no semáforo.
b) A velocidade nesse instante.

17. Um automóvel A parte de um sinal vermelho (O), e acelera a uma taxa de 0,75 m/s2.
Pouco tempo depois, cruza com um autocarro (B), que viaja à velocidade de 6 m/s.
Sabendo que o autocarro pára no sinal vermelho (O) 20 s após o instante em que os dois
veículos se cruzaram, determine a distância ao ponto O e o correspondente instante t em
que eles se cruzaram.

18. Dois alunos A e B viajam do Porto para Vila do Conde em dois automóveis A e B,
circulando pela IC1 em faixas adjacentes. Em determinado instante, um carro da BT
passa por eles, registando que o carro A circula a 110 km/h e o carro B a 140 km/h,
estando nesse instante distantes 25 m um do outro. Sabendo que o carro A acelera à
taxa de 0,6 m/s2, e que o carro B desacelera à taxa de 0,4 m/s2, determine:
a) Quando e onde o carro A ultrapassa o carro B.
b) A velocidade dos automóveis nesse instante.

19. Um combóio subterrâneo deixa a estação A, ganhando velocidade à taxa de 1 m/s2,


durante 6 s, e depois à taxa de 1,5 m/s2, até atingir a velocidade de 12 m/s, mantendo
então esta velocidade até se aproximar da estação B. Aplica então os travões, fazendo o
comboio parar em 6 s. Sabendo que a viagem demorou 40 s;
a) Desenhe o gráfico a-t;
b) Desenhe o gráfico v-t;
c) Desenhe o gráfico x-t;
d) Qual a distância entre as estações.

20. A lei das velocidades do movimento de uma partícula material que se desloca no plano
r
XOY é: v = 4t u x + 2u y
a) Determine a lei das acelerações do movimento da partícula;
b) Exprima, para o instante 1s, a aceleração da partícula em função das suas
componentes normal e tangencial;
r r
c) Calcule a medida da amplitude do ângulo definido por v e a , no instante t = 1s.

21. A rotação de um volante é governada pela aceleração angular α, dada pela seguinte
expressão α = 10 t –t2 (SI). Quantas revoluções o volante irá realizar, partindo do
repouso e da origem, antes que ele pare momentaneamente para inverter o seu sentido?

22. Uma roda, partindo do repouso, é acelerada uniformemente de tal modo que a sua
velocidade angular é 200 r.p.m. em 6s. Após girar durante algum tempo com essa
velocidade aplicam-se-lhe os travões e ela pára 5s depois. Sabendo que o número total
de revoluções da roda é 3100, determine o tempo total de rotação.

Página 3 de 6
Cinemática II -- exercícios

23. Um astronauta é submetido a testes de rotina num acelerador de laboratório. Trata-se de


uma cabina ligada a um eixo, e que percorre uma trajectória circular de 15,0 m de raio.
a) Qual a velocidade angular da cabina para que o astronauta seja submetido a uma
aceleração linear de l1g (valor máximo suportado por um astronauta ou piloto de
caça)?
b) Nestas condições, qual a sua velocidade linear?
c) Qual a aceleração tangencial do astronauta se a cabina acelerar uniformemente do
repouso até à velocidade angular obtida em (a) em 120 s?

24. Um satélite desloca-se em volta da Terra descrevendo uma órbita circular 640 km
acima da superfície terrestre. O tempo de uma revolução é de 98,0 min e o raio da Terra
é 6,37x106 m.
a) Qual a velocidade do satélite?
b) Qual o valor da sua aceleração centrípeta (aceleração de queda livre)?

25. Nas figuras abaixo estão representadas as trajectórias circulares de partículas que se
deslocam com velocidades variáveis. Os vectores velocidade em dois instantes
diferentes estão assinalados em todas elas. Calcule, nos três casos, o valor do vector
aceleração média entre esses instantes.

t=0 s t=0 s
v=20 m/s t=0 s v=20 m/s t=1,16 s
v=20 m/s t=1,41 s v=43,2 m/s
v=48,2 m/s 30º
45º
t=2 s
v=60 m/s

26. O nosso Sol está situado a uma distância de 2,3x104 anos-luz do centro da Via Láctea, e
percorre uma trajectória circular em torno desse centro a uma velocidade de 250 km/s.
a) Quanto tempo demora o Sol a completar uma revolução em torno do centro
galáctico?
b) Quantas revoluções completas fez o Sol desde a sua formação, há 4,5x109 anos
atrás?

27. A posição angular de um ponto no aro de uma roda de bicicleta é dada pela expressão
θ= 4,0t – 3,0t2 +t3 (S.I.). No instante t=0, quais os valores da:
a) Posição angular;
b) Velocidade angular.
c) Qual a sua velocidade angular no instante t=4,0 s?
d) Calcule a aceleração angular para t=2,0 s.
e) A aceleração angular é constante?

Página 4 de 6
Cinemática II -- exercícios

28. Uma bola de ténis de mesa de massa 10 g descreve uma trajectória circular de raio 1 m,
sendo a velocidade escalar dada pela expressão: v(t) = 2 + 3 t (m/s).
Determine a intensidade da força a que a bola está sujeita no instante t = 0 s, bem como
a sua direcção e sentido relativamente à velocidade nesse instante.

29. Uma partícula executa um movimento circular, uniformemente variado, em que o raio
da trajectória é de 10 cm, sendo a sua velocidade inicial de 20 rad/s. Ao fim de 10 s a
velocidade angular é de 30 rad/s.
Determine o módulo da aceleração, aceleração tangencial e aceleração normal para
t=10s.

30. Determine o número de rotações que uma roda efectuou em 10 s, se a sua velocidade
angular variou, nesse intervalo de tempo, de 2 rad/s para 6 rad/s.

31. Uma partícula parte do repouso para percorrer, com movimento circular uniformemente
acelerado, uma circunferência de raio 5 cm. Sabendo que demorou 2s a efectuar a
primeira volta, calcule o valor da aceleração da partícula para t = 3 s.

32. Uma partícula parte do repouso e desloca-se sobre uma circunferência de raio 10 cm,
com aceleração angular de 2 rad/s2. Calcule, para t = 5 s;
a) O valor do ângulo descrito;
b) O número de voltas efectuado até este instante;
c) Os valores da aceleração tangencial e normal;
d) O valor da aceleração.

33. Um condutor viaja numa secção curva de uma auto-estrada, de raio de curvatura 750 m,
a uma velocidade de 100 km/h, e aplica os travões, fazendo o automóvel abrandar a
uma taxa constante. Sabendo que 8 s depois a velocidade é de 75 km/h, determine a
aceleração do automóvel no instante em que são aplicados os travões e a sua direcção.

34. Qual é o mínimo raio de curvatura que deve ser usado nos nós de entrada e saída de
uma auto-estrada por forma a que a componente normal da aceleração de uma viatura
viajando a 72 km/h não exceda 0,72 m/s2 ?

35. Uma agulheta de um bombeiro dispara um jacto


de água com uma velocidade inicial de 7,5 m/s.
Determine o raio de curvatura do jacto;
a) À saída da agulheta.
b) Na altura máxima do jacto.
55º

Página 5 de 6
Cinemática II -- exercícios

Soluções
1. d = 353 m 18.
2. a) 700 m ; 19,26 s
a) Sim b)
b) 7,01m 19.
3. hmin = 0,244 m 20.
hmax = 0,386 m a) a = 4 ux
4. b) a = 3,6 ut +1,7 un
a) v = 10 – 9,81 t ; c) θ = 27º
y = 20 + 10 t – 4,9 t2 21. 223,8 revoluções
b) 25,1 m 22. 935,5 s
c) 3,3 s ; -22,34 ms-1 23.
5. a) 2,68 rad/s
a) t = 3,66 s ; y = 12,32 m b) 40,2 m/s
b) 19,81 ms-1 c) 0,33 ms-2
6. 24.
a) 3100 m a) 7,49x103 m/s
b) 563 m b) 8,00 m/s2
7. α = 30º ou α = 70º3,2 s 25.
8. a) 37,2 m/s2
a) t> 8s b) 25,4 m/s2
b) [0-4s] e t> 8s c) 22,6 m/s2
c) [4-8s] 26.
9. a) 5,5x1015 s
a) x = (3t2)/2 ; y = 1,5t b) 26
b) x = y2/1,5 27.
c) 3,35 ms-1 a) 0
d) 3 ms-2 b) 4,0 rad/s
e) c) 28 rad/s
10. θ = 45º d) 6 rad/s2
11. e) Não
a) 99 ms-1 28. F = 0,05 N, θ = 53º
b) x = 433m ; y = 127,5 m 29. aN = 90 m/s2, aT = 0,1 m/s2, a = 90
c) 883,7 m m/s2
d) 127,5 m 30. 6,4 rotações
12. 31. 4,3 m/s2
a) 600 ms-1 32.
b) 42 s ou 102 s a) 25 rad
13. 10,5 ms-1 ; 1,43 s b) 3,98 voltas
14. 8 ms-1 ; 64 m ; 80 m c) aN = 10 m/s2, aT = 0,2 m/s2
15. x = -12 t – 9,2 t2 +1,78 t3 d) a = 10 m/s2
v = -12 –18,4 t +5,35 t2 33. a = 1,351 m/s2, θ = 50º
16. 34. 545 m
a) a = -0,42ms-2 35.
b) v = 5ms-1 a) 10,0 m
17. x = 227,33 m ; t = 17,9 s b) 1,88 m
Os exercícios apresentados foram recolhidos de várias fontes. Se algum autor se sentir lesado, entre em contacto comigo para AntonioPatacho@eseig.ipp.pt

Página 6 de 6