Você está na página 1de 4

Estudando os Orixás

Na doutrina do Santo Daime trabalhamos com diversas culturas , daí seu titulo
de Centro Eclético , com tudo , o que fazemos não passa de um trabalho
espiritual e não podemos fugir e nem ignorar as das diversas linhas que se
apresentam dentro dele, assim os Orixás que são de uma cultura afro-brasileira ,
dentro de nossa Doutrina tem seu espaço .

Pd. Sebastião recomendava o desenvolvimento mediúnico para aqueles


aparelhos que querem se adestrar para a caridade espiritual. Através desses
aparelhos, chegaram vários seres oriundos de outras linhas espirituais e que se
entregaram ao Daime, porque compreenderam que a chave do Mestre Irineu
representava um fundamentos de grande valor na espiritualidade. Foi assim com
a Umbanda e posteriormente com outras linhas que continuaram chegando.

As entidades que se apresentam sob o nome dos orixás (Xangô, Oxum, etc.) são
espíritos de alta evolução que se encaixam nessas vibrações e são chamados de
falangeiros de Orixás.

Essas entidades dificilmente falam, limitando-se a dar passes magnéticos através


de gestos que também as identificam. Demoram pouco tempo incorporadas pois
sua alta vibração cansa demasiadamente o médium, que desgasta grande
quantidade de energia nessas incorporações.

Nosso cérebro, funcionando como um aparelho receptor, é capaz de sintonizar


todas as vibrações. As duas vibrações de Orixás que melhor sintonizamos - uma
masculina e outra feminina - são denominadas Orixás donos-da-coroa ou, mais
popularmente, pais de cabeça.

Normalmente, uma das vibrações dos Orixás de coroa é mais forte que a outra,
atua mais que a outra. Esse Orixá, que atua mais fortemente, é o chamado Orixá
de frente e pode ser o masculino ou o feminino, independentemente do sexo do
médium e determinará algumas características predominantes no médium.

Abaixo as mais diversas características de alguns Orixás:

Oxalá
Data festiva : 25 de dezembro
É o símbolo da pureza e do amor; orixá da criação; Senhor Supremo que vibra
sobre todos os filhos da Terra.
Seu dia é o domingo. Sua morada são as praias e as colinas desertas. Suas cores
são: branco e dourado. É o senhor do ouro e do cristal de rocha e é sincretizado
em Jesus Cristo
Xangô

Data festiva : 30 de Setembro


É um orixá de muito sincretismo, tais como: Abomi (Santo Antônio), Aganjú (São
José), Agodô (São João) Alufam (São Pedro) e Alafim (São Jerônimo).

É o orixá das cores amarelo, roxo, marrom, do estanho, da pedra jaspe.


Saudação: Kaô cabecile!

CABOCLOS DE XANGÔ

Araúna, Caboclo do Sol, Cajá, Caramuru, Cobra Coral, Girassol, Goitacaz, Guará,
Guaraná, Janguar, Juparã, Mirim, Sete Cachoeiras, Sete Caminhos, Sete
Estrelas, Sete Luas, Sete Montanhas, Tupi, Treme Terra, Sultão das Matas,
Cachoeirinha, Urubatão, Urubatão da Guia, Ubiratan, e outros.

Iemanjá

Data festiva : 02 de fevereiro / 15 de agosto.


É o Orixá das águas salgadas, que gosta de flor de laranjeiras, palmas diversas,
platina, água marinha, jasmim nardo, orquídea, cores branco e azul-claro.
Seu dia da semana é a sexta-feira. É sincretizada em Nossa Senhora da Glória,
eis o porquê de na Umbanda , também ser comemorada em 15 de Agosto. Sua
saudação é: Odôyabá!

CABOCLAS DE IEMANJÁ

Diloé, Cabocla da Praia, Estrela d'Alva, Guaraciaba, Janaína, Jandira, Jaci, Sete
Ondas, Sol Nascente, e outros.

Oxóssi
Data festiva : 20 de janeiro É o Orixá das matas virgens e fechadas. Gosta de
água de coco, eucalipto, girassol, latão, sândalo, calcite, e das cores verdes,
vermelho e branco.
É sincretizado em São Sebastião no Rio de Janeiro e São Jorge na Bahia. É
representado pelos seus falangeiros, caboclos bugres e de penas.
Sua saudação é: Okê arô Oxóssi!

CABOCLOS DE OXOSSI
Arruda, Aimoré, Arapuí, Boiadeiro, Caboclo da Lua, Caçador, Flecheiro, Folha
Verde, Guarani, Japiassú, Javarí, Paraguassu, Mata Virgem, Pena Azul, Pena
Branca, Pena Verde, Pena Dourada, Rei da Mata, Rompe Folha, Sete Flechas,
Serra Azul, Tupinambá, Tupaíba, Tupiara, Ubá, Sete Encruzilhadas, Junco Verde,
Tapuia, e outros.

Oxum

Data festiva : 08 de dezembro.


É a Cinda do amor e do ouro, da angélica e da safira, do sábado. Sua moradia
são: a cachoeira e as águas doces.
Suas cores são: branco, azul-claro e amarelo (vibração oriental).
É sincretizada na Virgem da Conceição.

CABOCLAS DE OXUM

Iracema, Yara, Imaiá, Jaceguaia, Juruema, Juruena, Araguaia, Estrela da Manhã,


Tunuê, Mirini, e outros.

Ogum

Data festiva : 23 de abril.


É o Orixá do calor, da força e da energia. Sua flor é a "crista de galo"; sua pedra
é o rubi; sua essência é a violeta; seu metal é o ferro; seu dia da semana é
terça-feira; suas cores são branco, vermelho e prata.
Sua saudação é "Ogum, ê!". É sincretizado em São Jorge.

CABOCLOS DE OGUM

Águia Branca, Águia Dourada, Águia Solitária, Araribóia, Beira-Mar, Caboclo da


Mata, Caiçaras, Guaracy, Icaraí, Ipojucan, Itapoã, Jaguarê, Rompe Aço, Rompe
Ferro, Rompe Mato, Rompe Nuvem, Sete Matas, Sete Ondas, Tabajara, Tamoio,
Tupuruplata, Ubirajara, e outros.

Obaluaê

Data festiva : 16 de Agosto


Significa o dono da Terra, o médico dos pobres, o senhor dos Cemitérios. Na
Umbanda somente cultua-se Abaluayê (o moço) e Omolu ( o velho).
É sincretizado em São Roque e São Lázaro.

CABOCLOS DE OBALUAÊ
Arranca Toco, Acuré, Aimbiré, Bugre, Guiné, Giramundo, Yucatan, Jupurí,
Uiratan, Alho d'Água, Pedra Branca, Pedra Preta, Laçador, Caboclo Roxo,
Grajaúna, Bacuí, Piraí, Surí, Serra Verde, Serra Negra, Tira Teima, Folha Seca,
Sete Águias, Tibiriçá, Viramundo, Ventania, e outros.

Iansã

Data festiva : 04 de dezembro.


É o orixá dos ventos e tempestades, esposa de Xangô, protetora das virgens.
Senhora do cobre, do benjoim e do quartzo rosa, das quartas-feiras.
Sua moradia é no tempo e no bambuzal. Suas cores são: coral e branco.
É sincretizada em Santa Bárbara.

CABOCLAS DE IANSÃ

Bartira, Jussara, Jurema, Japotira, Maíra, Ivotice, Valquíria, Raio de Luz, Palina,
Poti, Talina, Potira, e outros.

Nanã

Data festiva : 26 de Julho


É uma divindade africana tida como mãe de Abaluaiê, a mais antiga das Cindas
das águas, sobressaindo-se nos lagos e pântanos.
É sincretizada em Santa Ana, avó de Jesus Cristo. Dizem ser a enfermeira que
prepara a passagem para a vida espiritual, por essa razão, seu habitat são os
cemitérios.
Suas cores são: preto e roxo, e suas flores são de cor vermelha escuro ou lilás.
Seu dia é segunda-feira. Seu metal é o níquel. Sua essência é limão. Sua pedra
é ametista.
O termo Nanã significa "mãe".

CABOCLAS DE NANÃ

Assucena, Inaíra, Juçanã, Janira, Juraci, Luana, Muiraquitan, Sumarajé, Xista,


Paraguassú, e outros.
www.ceudanovaera.hpg.com.br - Preservação , Consciência e União 2003