Você está na página 1de 7

Livro do Aluno

3ª Lição
Meditação Bíblica
Inspiração:
“Bem-aventurado o homem que não anda no conselho dos ímpios, não se detém no caminho dos pecadores, nem se assenta na roda
dos escarnecedores. Antes, o seu prazer está na lei do SENHOR, e na sua lei medita de dia e de noite. Ele é como árvore plantada
junto a corrente de águas, que, no devido tempo, dá o seu fruto, e cuja folhagem não murcha; e tudo quanto ele faz será bem
sucedido”.
Salmo 1:1-3.

INTRODUÇÃO

O Senhor nosso Deus, após criar o homem, vinha diariamente na viração do dia, encontrar-se com
Sua criação. Podemos imaginar como esses encontros deveriam ser prazerosos – homem e Deus –
numa conversa de dia-a-dia, compartilhando grandes descobertas, pequenas experiências, gerando
relacionamento. Mas um dia essa interação foi quebrada, devido à entrada do pecado. Adão
certamente deve ter carregado, ao longo do resto dos seus 930 anos, a saudade daqueles momentos
tão especiais e, muitas vezes, deve ter sentido um imenso vazio ao olhar o pôr-do-sol.
Para nós, porém, nasceu o “Sol da justiça”, a resplandecente “Estrela da manhã”, e podemos, por
causa dEle, Jesus Cristo, nos encontrar novamente, todos os dias, com o nosso Criador. A
MEDITAÇÃO BÍBLICA é um dos modos que podemos utilizar para fazer com que esse encontro
aconteça. Não deixemos Deus esperando por nós, nem o entristeçamos pela nossa ausência.
Compareçamos pontualmente, pela MEDITAÇÃO BÍBLICA, para dividirmos com Ele o nosso dia,
renovarmo-nos e nos alegrarmos diante da Sua presença maravilhosa.

1. O QUE É MEDITAÇÃO BÍBLICA?

“Antes, tem o seu prazer na lei do Senhor, e na sua lei medita de dia e de noite” (Sl. 1:2). Meditar
vem da palavra hebraica hagah, que significa ler em silêncio ou falar consigo mesmo, à medida que
se pensa; refletir; resmungar; ponderar; meditar ou contemplar algo repetindo palavras. Hagah
representa algo tranqüilo, diferente, porém, do sentido de “meditação” enquanto exercício mental.
No sentido hebraico, meditar nas Escrituras é repeti-las calmamente em som suave e baixo,
abandonando interiormente as distrações exteriores.
Meditar é o ato ou efeito de ponderar, pensar, refletir, estudar, considerar, matutar sobre. Nota-se
que o conceito diz: ato ou efeito, subentendendo ação e reação, ou seja, a meditação é uma atitude
da qual se colhe um resultado.
Meditação Bíblica, portanto, é uma atividade que envolve leitura e repetição da Palavra, refletindo-
se sobre os caminhos de Deus para aplicá-los em cada aspecto de nossas vidas.

Ministério Vida 1
Livro do Aluno
A Meditação Bíblica não é um ato voluntário, é uma ordenança. “Não se aparte da tua boca o
livro desta LEI; antes, medita nele dia e noite, para que tenhas cuidado de fazer tudo quanto nele
está escrito; porque, então, farás prosperar o teu caminho, e, então, prudentemente te conduzirás.”
(Js 1:8); Examinai as Escrituras, porque vós cuidais ter nelas a vida eterna, e são elas que de mim
testificam.” (Jo 5:39)
Aqueles que procuram viver na bênção de Deus meditam na sua Palavra a fim de moldarem seus
pensamentos, atitudes e ações. Lêem as palavras das Escrituras, meditam nelas e as comparam com
outros trechos bíblicos.
Fazer meditação bíblica é uma decisão de obedecer a Deus, refletindo sobre Sua Palavra, expondo-
se a ela para receber seus benefícios.
“Em teus preceitos meditarei e olharei para os teus caminhos. Alegrarme-ei nos teus estatutos; não
me esquecerei da tua palavra”. (Sl 119:15,16)
“Sejam agradáveis as palavras da minha boca e a meditação do meu coração perante a tua face,
Senhor, rocha minha e libertador meu!” (Sl 19:14)

2. PARA QUE MEDITAR NA BÍBLIA

Em Js 1:8 encontramos esta resposta: “... para que tenhas cuidado de fazer conforme tudo quanto
está escrito; porque, então, farás prosperar o teu caminho e, então, prudentemente te conduzirás.”
2.1 Para a Prática da Palavra
“E sede cumpridores da palavra e não somente ouvintes, enganando-vos com falsos discursos.” (Tg
1:22). A obediência à Palavra de Deus realiza a obra de Deus. Devemos ouvir a Palavra e realizar a
obra. O objetivo de Deus é que experimentemos a Palavra para que haja uma transformação de vida
que resulte no ministério.
2.2 Para que haja Prosperidade
“Cantem e alegrem-se os que amam a minha justiça, e digam continuamente: o Senhor que ama a
prosperidade do seu servo, seja engrandecido.” (Sl 35:27). Deus se alegra quando os seus servos
prosperam! A palavra hebraica traduzida aqui por “prosperidade” está carregada de significado:
“segurança, bem-estar, felicidade, saúde, paz”. Na verdade, essa palavra é normalmente traduzida
por “paz”; quando suas necessidades estão satisfeitas, você está em paz. Ademais, se Deus se
agrada com a prosperidade de servos, como ele fica então em relação à prosperidade de seus
próprios filhos - aqueles que foram comprados pelo sangue de Jesus e adotados por Ele? Pense em
quão emocionado Deus fica quando nós - Seus próprios filhos - prosperamos em todos os aspectos
de nossas vidas.
2.3 Para que haja Prudência
Não existe prudência sem sabedoria; e a sabedoria é adquirida no temor ao Senhor: “O temor do
Senhor é o princípio da sabedoria, e o conhecimento do Santo é prudência.”; “Eu, a sabedoria,
habito com a prudência, e disponho de conhecimento e de conselhos.” (Respectivamente: Pv. 9:10 e
8:12). Sabedoria é conhecer a verdade e saber como aplicar esta verdade em qualquer situação;
Prudência é conhecimento temperado e modificado pela sabedoria e pelo discernimento.

Ministério Vida 2
Livro do Aluno
3. A IMPORTÂNCIA DA MEDITAÇÃO BÍBLICA

Deus, na Sua soberana vontade, tem muitas formas de falar com o homem (Jó 33:14-17) , e uma
delas é através da Sua palavra revelada, a Bíblia. Neste tipo de comunicação, a meditação bíblica é
um instrumento de grande importância:
3.1 Para sermos regenerados
“... sendo de novo gerados, não de semente corruptível, mas da incorruptível, pela Palavra e Deus,
viva e que permanece para sempre.” (I Pe 1:23). Como o pecado produziu a morte espiritual nas
pessoas, a salvação em Cristo Jesus forneceu a vida espiritual. Esse texto nos fala da semente, que é
a Palavra e Deus, que produziu a nova vida em nós e que nos gerou novamente através do poder do
Espírito Santo, tomando-nos membros da nova criação de Deus. (Ef 2:1-3 / Tg 3:5 / II Co 5:17).
3.2 Para olharmos para a Palavra de Deus e nela vermo-nos a nós mesmos, como num espelho
“E sede cumpridores da palavra e não somente ouvintes, enganando-vos com falsos discursos.
Porque se alguém é ouvinte da palavra e não cumpridor, é semelhante ao varão que contempla no
espelho o seu rosto natural; porque se contempla a si mesmo, e foi- e, e logo se esqueceu de como
era. Aquele, porém que atenta bem para a lei perfeita da liberdade e nisso persevera, não sendo
ouvinte esquecido, mas fazedor da obra, esse tal será bem-aventurado no seu feito.” (Tg 1:22-25).
Aqui há uma lição. Devemos evitar a tentação de ver e julgar s outros, analisando o que eles devem
fazer em vez do que nós precisamos fazer.
3.3 Para reconhecermos a autoridade da Palavra de Deus sobre as nossas vidas
“Para sempre, ó Senhor, a tua palavra permanece no céu. A tua fidelidade estende-se de geração à
geração; tu firmaste a terra, e firme permanece. Conforme o que tu ordenaste, tudo se é até hoje;
porque todas as coisas te obedecem.” (Sl 119:89-91). Deus é fiel em aplicar o poder, a promessa e a
bênção de Sua Palavra, juntamente com as suas exigências de justiça e julgamento sobre as nossas
vidas. Como povo “espiritual”, devemos recusar as inclinações naturais do em perdido, estando
prontos para ouvir e aceitar a autoridade da Palavra do próprio Deus.
3.4 Para fortalecermos a nossa alma
“Ele, porém, respondendo, disse: Está escrito:”Nem só de pão viverá o homem, mas de toda a
palavra que sai da boca de Deus.” (Mt 4:4). A mensagem evidente desta passagem é de que não há
sobrevivência da alma sem a Palavra de Deus – diariamente. Não se trata de uma questão de dever
legal, definindo a salvação de alguém, mas de uma responsabilidade pessoal, definindo a obediência
de alguém no caminho do discipulado. Ninguém suponha que a sobrevivência espiritual seja
possível por muito tempo sem se alimentar da Palavra de Deus. O texto de I Pedro 2:2 (leia) declara
que a Palavra e Deus é tão essencial para o crente quanto o leite para um recém-nascido. Tal qual o
maná no deserto (Dt 8:3), uma porção regular e diária da Palavra de Deus deve ser procurada e
usada como alimento pelo crente.
3.5 Para sermos guiados pela Palavra de Deus
“Lâmpada para os meus pés é tua palavra e luz para os meus caminhos.” (SI 119:105). A Palavra de
Deus ilumina o caminho dando direção para cada passo e sabedoria para os planos de curto, médio e
longo prazo. Já vimos nesta lição que Josué considera a aplicação regular da Palavra de Deus, na
vida, como o caminho mais seguro para o sucesso e a prosperidade, (Is 1:8). Deixe Deus guiar,
corrigir, instruir, liderar, ensinar e confirmar. Não se apresse em ir adiante sem isso - jamais. É

Ministério Vida 3
Livro do Aluno
através da Palavra que sabemos qual a vontade de Deus para nossa vida e assim nos envolvermos
no seu propósito.
3.6 Para crescermos espiritualmente
“Eu, irmãos, não vos pude falar como a espirituais, mas como a carnais, como a meninos em Cristo.
Com leite vos criei, e não com alimento sólido, pois ainda não estáveis prontos para isso. Com
efeito, ainda não estais prontos. Ainda sóis carnais. Pois havendo entre vós inveja, contendas, e
dissensões (divergências), não sois, porventura, carnais e não andais segundo os homens?” (I Co
3:1-5) A verdade exigente desta passagem é que nenhuma quantidade de discernimento ou visão
espiritual supostos, reflete um verdadeiro crescimento espiritual, se for separado de nosso
crescimento básico no conhecimento da Palavra de Deus na BÍBLIA.
Sem esse enraizamento na Palavra, podemos ser iludidos a respeito de nosso crescimento. Tal
“enraizamento” é, na verdade e no amor, não simplesmente em apreender conhecimento ou estudo
perfeito. Para experimentar o verdadeiro crescimento espiritual, devemos gastar um tempo com a
Palavra e nos separarmos dos obstáculos da insensibilidade, competitividade e rivalidade.
3.7 Para amarmos a Palavra de Deus como discípulos de Jesus
“Aquele que tem os meus mandamentos e os guarda, este é o que me ama; e aquele que me ama
será amado de meu Pai, e eu o amarei e me manifestarei nele.” (Jo 14:22). O nosso amor por Jesus
está relacionado à vontade de guardar os seus mandamentos. Se o amamos, também guardaremos a
Palavra de seu Pai.
3.8 Para conhecermos as Suas promessas
Para cada promessa há urna condição. Esse é o princípio de semeadura - semear e colher.
3.9 Para gerarmos comunhão com Espírito Santo
Princípio de união.
3.10 Para aprendermos a respeito de Deus e de Seu Reino
Princípio de soberania.
3.11 Para crescermos espiritualmente
Devemos crescer espiritualmente sabendo quem somos e qual a nossa missão neste Reino.
Princípios de individualidade e mordomia.
3.12 Para sermos transformados à semelhança de Cristo Jesus
“Mas todos nós, com cara descoberta, refletindo, como um espelho, a glória do Senhor, somos
transformados de glória em glória, na mesma imagem, como pelo Espírito do Senhor.” (II Co 3:18).
A Bíblia nos mostra a imagem de Cristo para que possamos medir nossa conduta e caráter em
relação a ele e permitir que Deus nos molde de acordo com a imagem de Cristo. Na presente era,
essa transformação é progressiva e parcial. Quando, porém, Cristo voltar, nós o contemplaremos
face a face, e a nossa transformação será completa.
À medida que nos expomos a Palavra de Deus recebemos cura, consolo, restauração e direção (S1
19:7; Tg 1:21)

Ministério Vida 4
Livro do Aluno

4. PREPARE-SE PARA A MEDITAÇÃO BÍBLICA

A meditação bíblica não deve ser realizada de qualquer jeito, pois as coisas pertinentes ao Reino de
Deus devem ser realizadas com decência e ordem (I Co 14:40). Portanto, apresentamos a seguir
princípios a serem cumpridos na preparação de urna mediação de êxito (Am 4:12b).
- Orar pedindo a Deus um coração limpo, para sermos santificados e para mantermos uma
comunhão verdadeira com Ele. “Cria em mim, Ó Deus, um coração puro...” (Sl 51:10) “Bem
aventurados os limpos de coração porque eles verão a Deus.” (Mt 5:8)
- Depender da orientação do Espírito Santo “... esse vos ensinará todas as coisas, e vos fará lembrar
de tudo quanto eu vos tenho dito.” (Jo 14:26)
- Calar a nossa vontade. “... seja feita a tua vontade...” (Mt 6:10)
- Calar a voz de Satanás. “... o espírito imundo bradou... mas Jesus o repreendeu dizendo: Cala-te”
(Mc 1: 23,25)
- Ouvir a voz de Deus. “Hoje se ouvirdes a Sua voz, não endureçais os vossos corações” (Hb 3:7)
“Quem tem ouvido para ouvir, ouça o que Espírito diz...” (Ap 2:29; 3:6,13,22)
- Render-se a Deus para que Ele abra o entendimento. “Desvenda os meus olhos para que eu veja as
maravilhas da tua lei.” (Sl 119:18). “Então lhes abriu o entendimento para compreenderem as
escrituras.” (Lc 24:45)
- Orar agradecendo a Deus. “... Graças te dou, Ó Pai... porque revelastes estas coisas aos
pequeninos.” (Mt 11:25)

5. PASSOS PARA A MEDITAÇÃO BÍBLICA

Ao se meditar num texto bíblico, devem vir à mente, perguntas como estas:
- O Espírito de Deus está aplicando este versículo à minha condição no momento?
- Há aqui uma promessa para eu buscar?
- Este texto revela um pecado específico que devo empenhar-me em evitar?
- Deus está dando uma ordem para eu obedecer?
- Meu espírito está em harmonia com o que o Espírito Santo está dizendo aqui?
- Este texto revela uma verdade a respeito de Deus, da salvação, do mundo, ou da minha obediência
pessoal a Deus, a respeito da qual preciso receber a iluminação do Espírito Santo?
E mais, você deve:
- Memorizar o texto chave.
- Extrair do texto a promessa de Deus para si, usando os pronomes sempre na 1ª pessoa do singular
– eu – para auxiliar na tornada de posse do que Deus estiver prometendo.
- Extrair a condição para o cumprimento da promessa.

Ministério Vida 5
Livro do Aluno
- Ver qual a aplicação prática da promessa para a própria vida.
- Agradecer, louvar, adorar a Deus e glorificar o Seu Nome.

6. HÁBITOS A SEREM CULTIVADOS NA MEDITAÇÃO BÍBLICA

- Manter um caderno para anotação diária sobre o que foi meditado.


- Procurar se possível, meditar no mesmo horário todos os dias.
- Ter um local apropriado para a meditação, observando a comodidade e o silêncio.
- Rever as anotações, assinalando as promessas alcançadas.
- Considerar a meditação como o momento de um encontro marcado com Deus.

CONCLUSÃO

- Meditação bíblica é pensar, refletir, estudar a Palavra de Deus;


- A meditação é uma decisão diária com local e hora marca da;
- Através da meditação compreendemos quais as condições estabelecidas por Deus para recebermos
os seus benefícios ou bênçãos.

Ministério Vida 6
Livro do Aluno

EXERCÍCIO DE FIXAÇÃO

1. O que é Meditação Bíblica?

2. Qual a importância a Meditação Bíblica?

3. Como devemos nos preparar para meditar biblicamente?

4. Cite e explique quais os hábitos que devem ser conservados na Meditação Bíblica.

5. Inicie o seu diário de meditação bíblica e apresente ao seu mestre.

Ministério Vida 7