Você está na página 1de 3

JURISDIÇÃO CONSTITUCIONAL

REMÉDIOS CONSTITUCIONAIS:
- MANDADO DEINJUNÇÃO – ART.5º, LXXXO E LEI 8038/90, ART.24.
- MANDADO DE SEGURANÇA – ART.5º, LXIX E LEI 12016/2009.
- HABEAS CORPUS – ART.5, LXVIII, CF/88.
- HABEAS DATA – ART.5º, LXXII E LEI 9507/97, CF/88.
- AÇÃO POPULAR – ART.5º, LXXIII, CF/88.

1 - INTRODUÇÃO:
- É um mecanismo de proteção da constituição, dos indivíduos e dos direitos e
deveres ali estabelecidos.

1.1 – CONSTITUCIONALIDADE E INCONSTITUCIONALIDADE.


XVIII – LIMITE

Parametricidade: (O controle de constitucionalidade é um mecanismo de


compatibilidade vertical de normas materialmente primárias em face da
Constituição Federal, da qual a norma retira seu fundamento de validade-
Parametricidade)
- drogas (está em aberto), aborto e pena de morte (não pode por via de regra,
porém em caso de guerra, PODE).
- Os critérios nunca são claros.
- Há um conflito entre democracia e jurisdição constitucional
- Análise sobre a constitucionalidade ou a inconstitucionalidade de um ato estatal
não é um debate político e nem filosófico sobre o que é bom ou justo para
sociedade. O debate deve recair sobre a validade ou invalidade material ou forma
do ato estatal.
O critério para tal decisão depende de uma análise de PARAMETRICIDADE do
ato analisado.
1.2 – HIERARQUIA E RIGIDEZ CONSTITUCIONAL
Jurisdição constitucional: controle de constitucionalidade.
- A validade dos atos estatais é mensurada por um controle da constitucionalidade
deste ato. Só é possível tal controle se houver reconhecimento da hierarquia
constitucional, bem com da sua rigidez.
2 – TEORIA GERAL DO CONTROLE DE CONSTITUCIONALIDEADE.
- ATO ESTATAL (válido, vigente, eficaz)
* admissibilidade de lei
*norma – lei
* jurisdicional – recurso

2.1 – ASPECTOS HISTÓRICOS:


- O controle de constitucionalidade nasce com as Constituições modernas, mas
não acontece de forma igual no mundo todo. Nos EUA a CF nasce hierarquicamente
superior a todos os demais atos do Estado. Na Europa o controle de
constitucionalidade iniciará em 192, mas ganhará alcance maior após a 2ª guerra
mundial.
2.2 – CARACTERÍSTICAS:

A – QUANTO AO MOMENTO (PRÉ-PÓS):


- O controle de constitucionalidade pode ser feito antes ou depois da existência do ato
estatal. O controle posterior é o mais comum, mas pela sanção presidencial se faz o
referido controle preventivamente.

B – QUANTO AO NÚMERO DE ÓRGÃOS:


- Quem e quantos fazem o controle de constitucionalidade
* Europa: STF.
* Americano: Judiciário.
* Brasileiro: os 2 (STF e Judiciários), vários órgãos.
- Há dois grandes modelos de controle de constitucionalidade, o americano e o
europeu. No modelo americano o controle é jurisdicional e é feito por vários órgãos.
No modelo europeu o controle é jurisdicional e é feito por um único órgão.

C – QUANTO A NATUREZA (TOTAL OU PARCIAL).


- TOTAL: tudo é inconstitucional.
- PARCIAL: Parte do projeto é inconstitucional.
- O controle de constitucionalidade pode se dar em toda norma jurídica ou apenas
parte dela.

D – QAUNTO AO TIPO (AÇÃO OU OMISSÃO).


- Há contrariedade na CF/88 quando o Estado age ou quando deixa de agir tendo
estabelecido a CF/88 que a ação era obrigatória.

E – INCONSTITUCIONALDIADE FORMAL E/OU MATERIAL.


- A inconstitucionalidade pode se por uma ofensa de conteúdo da norma ao texto
CF/88 ou pelo desrespeito procedimental na elaboração da norma em relação ao
procedimento estabelecido na CF/88. São exemplos de inconstitucionalidade
FORMAL: Vício de iniciativa, quórum para aprovação, momento temporal da
aprovação, vício de titularidade para o ato.
- art.60, CF/88.

F – CONTROLE POLÍTICO OU JURÍDICO.


- No Brasil o controle de constitucionalidade é jurisdicional, mas é possível um controle
político (órgão político) por meio do congresso e do executivo.

G – INCONSTITUCIONALIDADE ORIGINÁRIA OU SUPERVENIENTE.


- Art.226, § - texto “A”/ porém em 2010, texto “B”: Posteriormente art.1580, CC – Texto
“A” – se tornou um TEXTO SUPERVENIENTE, um texto se tornou
INCONSTITUCIONAL. Originária, o texto já nasce INCONSTITUCIONAL.
A inconstitucionalidade pode viciar a norma desde o seu nascimento, mas também
pode decorrer de uma alteração constitucional por meio de emenda ou interpretação.
- a constitucionalidade se PRESUME, A inconstitucionalidade se DECLARA.
3 – JURISDIÇÃO CONSTITUCIONAL E DEMOCRACIA.

- Constituição Federal: O ESTADO (EXECUTIVO, LEGISLATIVO, JUDICIÁRIO).


* Direitos fundamentais.
* Organizar o Estado.
* Políticas de justiça social.

- Aspecto formal e substancial.

- Teoria PROCEDIMNETALISTA: democracia


- Teoria SUBSTANCIALISTA: jurisdição constitucional.

- A democracia pode ser concebida no ponto de vista formal ou material/substância.


Sob aquele aspecto democracia é um mecanismo de tomada de decisão, a maioria
vence, Sob o ponto de vista substancial democracia implica reconhecimento de
determinados direitos fundamentais, sem os quais, mesmo com a vontade da maioria
formal, não a democracia.