Você está na página 1de 53

Exercícios de Direcionais Resolvidos

1) Com as coordenadas UTM das sondas e do objetivo calcule a distância e a direção


entre eles.

X Y
(m) (m)
Sonda 8.783.845,04 726.725,46

Objetivo 8.783.190,56 726.700,40

Sonda 7.485.774,67 348.263,56

Objetivo 7.486.192,45 348.899,29

Sonda 138.563,38 560.198,87

Objetivo 137.624,66 560.230,34

Sonda 7.201.248,45 601.234,43

Objetivo 7..201.784,78 600.897,20

∆X = 654 ,48 m
a) ∆Y = 25 ,06 m ⇒ Af = ∆X + ∆Y = 654 ,48 + 25 ,06 = 654 ,96 m
2 2 2 2

S
25 ,02 ∆X
tan (θ ) = ⇒θ = 2,2 o ⇒ S 2,8 0 W ∨ N 182 ,2 0
654 ,48
O ∆Y
∆X = −417 ,78 m
b) ∆Y = −635 ,73 m ⇒ Af = ∆X + ∆Y = 417 ,78 + 635 ,73 = 760 ,72 m
2 2 2 2 ∆Y O

635 ,73
∆X
tan (θ ) = ⇒θ = 56 ,7 o ⇒ N 56 ,7 0 E
417 ,78
S
∆X = 938 ,72 m
c) ∆Y = −31,47 m ⇒ Af = ∆X + ∆Y = 938 ,72 + 31,47 = 939 ,25 m
2 2 2 2
S

31,47 ∆X
tan (θ ) = ⇒θ = 1,9 o ⇒ S 1,9 0 E ∨ N 178 ,10 O
938 ,72
∆Y
∆X = −536 ,33 m ∆Y
d) ∆Y = 337 ,23 m ⇒ Af = ∆X + ∆Y = 536 ,33 + 337 ,23 = 633 ,54 m
2 2 2 2

O
337 ,23 ∆X
tan (θ ) = ⇒θ = 32 ,2 o ⇒ N 32 ,2 0 W
536 ,33
S
2) Calcule a distância entre os seguintes alvos.

X Y Profundidade

1
(m) (m) (m)
8.349.876,50 498.345,21 1.253,59
8.349.958,34 498.298,72 1.874,38
8.350.012,56 498.234,44 2.023,34

d a ,b = ∆X 2 + ∆Y 2 + ∆Z 2 = 81,84 2 + 46 ,49 2 + 620 ,79 2 = 627 ,88 m

d b ,c = ∆X 2 + ∆Y 2 + ∆Z 2 = 54 ,22 2 + 64 ,28 2 +148 ,96 2 = 171 ,06 m

d a ,c = ∆X 2 + ∆Y 2 + ∆Z 2 = 136 ,06 2 +110 ,77 2 + 769 ,75 2 = 789 ,49 m

3) Com os seguintes dados onde você colocaria a sonda para com um único poço
atingir os seguintes objetivos.

Objetivo 1
X 7.858.745,38 m
Y 655.247,23 m
Prof. 2.801,45 m
Objetivo 2
X 7.858.967,22 m
Y 655.580,97 m
Prof. 3.489,67

Direção O2
∆ X = 221,84
m
O1 ∆ Y = 333,74
m
221 ,84
tan (θ ) = ⇒θ = 33,6 o
333 ,74

af = 221 ,84 2
+333 ,74 2
= 400 ,74 m

Direção N 56,4o E ao sul do Objetivo 1

Equação:
X = 7.858 .745 ,38 − t × cos ( 56 ,4 )
, t ≥0
Y = 655 .247 ,23 − t × sen ( 56 ,4 )

b) Sendo o término do trecho em Build-Up a 1.200 metros e com afastamento da sonda


aaté o término Término
do Build-Up de 300 metros, onde você poria a sonda?
do BuilUP
Trecho em Slant

∆ Z2
Obj1
t
∆ Z1 2
Obj2
Af = 400,74 m
Obj2
Af

Obj1
t
∆Z 1 = 3.489 ,67 − 2.801 ,45 = 688 ,22 m
Término do BuilUp
∆Z 2 = 2.801 ,45 −1.200 =1.601 ,45 m

Por semelhança de triângulos

688 ,22 1.601 ,45


= ⇒t = 932 ,50 m
400 ,74 t

Do objetivo 1 até a sonda: 932,50 + 300 = 1.232,50 metros, logo:

X = 7.858 .745 ,38 − t × cos ( 56 ,4 ) X = 7.858 .063 ,32 m


, t ≥ 1.232 ,50 ⇒
Y = 655 .247 ,23 − t × sen ( 56 ,4 ) Y = 654 .220 ,65 m

c) Se a sonda tem coordenadas UTM


X 7.859.291,66 m
Y 654.994,29 m

O que você proporia?

Um projeto 3-D ou Multi-lateral

4) Calcular o DL e DLS entre os seguintes pontos:

Ponto 1: Inclinação 63,5o


Direção N 32,25o E
Ponto 2: Inclinação 62,75o
Direção N 32,50o E

3
Sabendo que entre as estações foi perfurado 200 metros.

Método exato.
cos (γ ) = cos ( 63 ,5) × cos ( 62 ,75 ) + sen ( 63 ,5) × sen ( 62 ,75 ) × cos ( 0,25 ) = 0,78 o

0,78 0 → 200
⇒ DLS = 0,12 o / 30 m
DLS → 30

Método aproximado
γ 2 = 63 ,5 2 + 62 ,75 2 − 2 × 63 ,5 × 62 ,75 × cos ( 0,25 ) = 0,80 0

0,80 0 → 200
⇒ DLS = 0,12 o / 30 m
DLS → 30

5) Qual é a maior mudança de direção que se pode conseguir em 200 pés, se o DLS
máximo é de 2o/100 pés do Ponto 1

Ponto1: Inclinação 63,5o


Direção N 32,25o E

2 o / 100 ' , em 200 ' ⇒γ = 4 o

a) Mantendo a inclinação.

Método exato.
cos ( 4 ) = cos ( 63,5) × cos ( 63,5) + sen ( 63,5) × sen ( 63,5) × cos ( ∆θ ) ⇒ cos ( ∆θ ) = 0,997 ⇒ ∆θ = 4,47 o
Para Direita: N 36,75o E
Para Esquerda: N 27,75o E

Método Aproximado

4 2 = 63,5 2 + 63,5 2 − 2 × 63,5 × 63,5 × cos ( ∆θ ) ⇒ cos ( ∆θ ) = 3,61 0 ⇒ ∆θ = 3,61 0

Para Direita: N 35,75o E


Para Esquerda: N 28,75o E

b) Sem manter a inclinação

Solução Aproximada

 φ 12 + φ − γ 2 
γ = φ + φ − 2 × φ 1 × φ × cos( ∆ θ ) ⇒ ∆ θ = arccos
2
1
2 2

 2 × φ1 × φ 

4
d ∆θ
O máximo ocorre em: dφ = 0

d arccos ( u ) 1 du du
Como: =− × =0⇒ =0
dx 1 − u 2 dx dx

′ u = φ12 + φ − γ 2
u ′v − uv ′
E   =
u
= 0 ⇒ u ′v − uv ′ = 0 , onde:
v v2 v = 2 × φ1 × φ

Temos:
2 × φ × 2 × φ 1 × φ − (φ 12 + φ − γ 2 ) × 2 × φ 1 = 0 ⇒ 2 × φ 2 − (φ 12 + φ − γ 2 ) = 0
Então:
φ 2 − φ12 + γ 2 = 0 ⇒ φ = φ12 − γ 2

A mesma solução pode ser encontrada graficamente pelo triângulo, pois o maior ângulo
é conseguido com o triângulo retângulo.

φ γ

φ 1

Aplicando Pitágoras se tem: φ 2 + γ 2 = φ12 ⇒ φ = φ12 − γ 2

Logo: φ = 63 ,5 2 −4 2 = 63 ,37 o

Para se achar o desvio se tem:


4 2 = 63,5 2 + 63,37 2 − 2 × 63,5 × 63,37 × cos ( ∆θ ) ⇒ ∆θ = 3,6 o

Solução Exata

 cos( γ ) − cos( φ 1 ) × cos( φ ) 


cos( γ ) = cos( φ 1 ) × cos( φ ) + sen( φ 1 ) × sen( φ ) × cos( ∆ θ ) ⇒ ∆ θ = arccos 
 sen ( φ 1 ) × sen( φ ) 
d ∆θ
O máximo ocorre em: dφ = 0

d arccos ( u ) 1 du du
Como: =− × =0⇒ =0
dx 1− u 2 dx dx


u ′v − uv ′ u = cos( γ ) − cos( φ1 ) × cos( φ )
E   =
u
= 0 ⇒ u ′v − uv ′ = 0 , onde:
v
2
v v = sen( φ1 ) × sen( φ )

Temos:
cos( φ 1 ) × sen( φ ) × sen( φ 1 ) × sen( φ ) − ( cos( γ ) − cos( φ 1 ) × cos( φ ) ) × sen( φ 1 ) × cos( φ ) = 0

5
Logo: cos( φ 1 ) × sen 2 ( φ ) − ( cos( γ ) − cos( φ 1 ) × cos( φ ) ) × cos( φ ) = 0

Então: cos( φ1 ) × sen 2 ( φ ) − cos( γ ) × cos( φ ) + cos( φ1 ) × cos 2 ( φ ) = 0

Por tanto: ( )
cos( φ 1 ) × sen 2 ( φ ) + cos2 ( φ ) − cos( γ ) × cos( φ ) = 0

 cos( φ1 ) 
Logo: cos( φ1 ) − cos( γ ) × cos( φ ) = 0 ⇒ φ = arccos 
 cos( γ ) 

 cos ( 63,5) 
Substituindo: φ = arccos   = 63,43 o
 cos ( 4 ) 

Então o desvio será de:


cos ( 4 ) = cos ( 63 ,5) × cos ( 63 ,43 ) + sen ( 63 ,5) ×sen ( 63 ,43 ) × cos ( ∆θ )

Logo:
∆θ = 4,47 o

6) Projete um poço tipo I, sabendo que as coordenadas são:

Coordenadas da Sonda Y = 327.238,33 m


X = 7.639.288,34 m
Coordenadas do Objetivo Y = 325.673,35 m
X = 7.640.277,88 m
Z = 3.265,5 m

O KOP deve ser a 800 metros, e o posicionamento das sapatas na vertical são:
900 m, 1.200 m, 2.600 m e 3.265,5 m.
∆Y
O
∆X
6
S
∆X = 7.640 .277 ,88 −7.639 .288 ,34 = 989 ,54
∆Y = 327 .238 ,33 −325 .673 ,35 =1.564 ,98

Afastamento: Af = 989 ,54 2


+1564 ,98 2 =1.851 ,58

1.564 ,98
Direção: tan (θ ) = ⇒θ = 57 ,7 o N 57,7o W
989 ,54

Como o KOP esta definido podemos escolher uma entre as variáveis, taxa de Build Up,
ângulo máximo e comprimento do trecho Slant, para arbitrar. Como o comprimento do
trecho Slant não é limitante vamos arbitrar ou a taxa (raio) ou ângulo.

Arbitrando a taxa: 1o/20 metros.

π
(1 )
0
rd × R = 20 ⇒
180
× R = 20 ⇒ R = 1.145 ,9 m

 Af − R  1.851 ,58 −1.145 ,9 


β = arctan   = arctan   = 15 ,97 o
 V − KOP   3.265 ,5 − 800 

 1.145 ,9 
× cos (15 ,97 o )  = 26 ,54 o
 R 
δ = arcsen  × cos ( β )  = arcsen 
 V − KOP   3.265 ,5 − 800 

α = β + δ = 15 ,97 + 26 ,54 = 42 ,5 o

Calculo do trecho Slant pelo afastamento

Af = R × (1 − cos (α ) ) + L × sen (α ) ⇒ 1.851,58 = 1.145 ,9 × (1 − cos ( 42,5) ) + L × sen ( 42,5)

1.851 ,58 = 301 ,05 + 0,6756 × L ⇒ L = 2.295 ,06 m

Verificação pela profundidade.

V = KOP + R ×sen (α) + L × cos (α) ⇒ 3.265 ,5 = 800 +1.145 ,9 ×sen ( 42 ,5) + 2.295 ,06 × cos ( 42 ,5)
3.265 ,5 =3.266 ,3

Arbitrando a inclinação de 45o.

Af = R × (1 − cos (α ) ) + L × sen (α ) ⇒ 1.851,58 = R × (1 − cos ( 45 ) ) + L × sen ( 45 )

V = KOP + R × sen (α ) + L × cos (α ) ⇒ 3.265 ,5 = 800 + R × sen ( 45 ) + L × cos ( 45 )

1.851 ,58 = R ×0,29289 + L ×0,70711

2.465 ,5,5 = R ×0,70711 + L ×0,70711

Subtraindo dois de um temos:


613 ,92 = R ×0,41422 ⇒ R =1.482 ,11 m
Logo:
R =1.482 ,11 ⇒1o / 25 ,9 m
Substituindo em um temos:

7
1.851 ,58 =1.482 ,11 ×0,29289 + L ×0,70711 ⇒L = 2.004 ,62 m

Verificando.
Af = R × (1 − cos (α ) ) + L × sen (α ) ⇒ 1.851,58 = 1.482 ,11 × (1 − cos ( 45 ) ) + 2.004 ,62 × sen ( 45 )
1.851 ,58 =1.851 ,58

V = KOP + R × sen (α) + L × cos (α ) ⇒3.265 ,5 = 800 +1.482 ,11 × sen ( 45 ) + 2.004 ,62 × cos ( 45 )

3.265 ,5 =3.265 ,49

Determinar o comprimento dos revestimentos nesse projeto.

Término do Buil Up: KOP + R ×sen (α) = 800 +1.482 ,11 ×sen ( 45 ) = 1.848 ,0 m
45
Comprimento do arco: =1.165 ,5 m
1 / 25 .9

Os 900 metros de vertical vai ter 100 metros no trecho em arco, logo o comprimento do
revestimento será 800 + o arco correspondente a 100 metros.

100
O ângulo correspondente ao 100 metros será: sen (α) = 1.482 ,11 ⇒α = 3,87
o

Logo o arco será de:


3,87
= 100 ,2 m
1 / 25 .9
Então o comprimento do revestimento será de 800 + 100,2 = 900,2 metros.

Os 1.200 metros de vertical também caem no trecho curvo, logo o comprimento do


revestimento será de 800 + o arco correspondente a 400 metros.

400
O ângulo correspondente aos 400 metros será: sen (α) = 1.482 ,11 ⇒α = 15 ,66
o

Logo o arco será de:


15 ,66
= 405 ,6 m
1 / 25 .9

Então o comprimento do revestimento será de 800 + 405,6 = 1.205,5 metros.

Os 2.600 metros na vertical caem no trecho Slant, logo o trecho em slant será de 2.600
menos o fim do Buil Up (1.848,0), assim há 752 metros na vertical do trecho em slant.

Como: H = L × cos ( 45 ) ⇒ 752 = L × 0,7071 ⇒ L = 1.063 ,49 m

Então o comprimento total será de 800 (KOP) + 1.165,5 (trecho curvo) + 1.063,49
(Slant) o que perfaz 3.029,0 metros.

O comprimento do último revestimento será de:


800 + 1.165,5 +2.004,6 = 3.970,1 metros.

8
7) Projete um poço, sabendo que as coordenadas são:

Coordenadas da Sonda Y = 325.238,33 m


X = 7.640.368,34 m
Coordenadas do Objetivo Y = 325.673,35 m
X = 7.640.277,88 m
Z = 3.265,5 m

O KOP deve ser a 800 metros, e o posicionamento das sapatas na vertical são:
900 m, 1.200 m, 2.600 m e 3.265,5 m.
∆X = 7.640 .368 ,34 −7.640 .277 ,88 = 90 ,46 S
∆Y = 325 .673 ,35 −325 .238 ,33 = 435 ,02
∆X
O
Afastamento: Af = 90 ,46 2
+435 ,02 2
= 444 ,33
∆Y
435 ,02
Direção: tan (θ ) = ⇒θ = 78 ,3 o S 78,3o E
90 ,46

9
Como o afastamento é pequeno vamos tentar 15o de inclinação no poço tipo I

Af = R × (1 − cos (α ) ) + L × sen (α ) ⇒ 444 ,33 = R × (1 − cos (15 ) ) + L × sen (15 )

V = KOP + R × sen (α ) + L × cos (α ) ⇒ 3.265 ,5 = 800 + R × sen (15 ) + L × cos (15 )

444 ,33 = R ×0,03407 + L ×0,25882 x 0,96593


2.465 ,5 = R × 0,25882 + L × 0,96593 x 0,25882

429 ,19 = R ×0,03291 + L ×0,25000

638 ,1 = R ×0,06698 + L ×0,25000

Subtraindo dois de um temos:


208 ,9 = R ×0,03407 ⇒ R = 6.131 ,5 m
Logo:
R = 6.131 ,5 ⇒1o / 107 ,0 m
Um raio muito longo, vamos tentar um projeto tipo II

O poço voltará para a vertical e o raio de drop off será o dobro do build up.

Como só teremos duas incógnitas, vamos deixar que elas sejam o trecho em slant e o
comprimento na vertical.

V = KOP + R1 ⋅ sen(α ) + L1 ⋅ cos(α ) + R2 ⋅ ( sen( β + δ ) − sen( δ ) ) + L2 ⋅ cos( δ )

Af = R1 ⋅ (1 − cos( α ) ) + L1 ⋅ sen(α ) + R2 ⋅ ( cos( δ ) − cos( β + δ ) ) + L2 sen( δ )

Vamos arbitrar o raio de build up de 1o a cada 20 metros então o do drop off terá 1o a
cada 40 metros.

10 / 20 m ⇒ R1 = 1.145,9 m ⇒ R 2 = 2.291,8 m

Vamos arbitrar um ângulo máximo de 30o e verificar o resultado

3.265 ,5 = 800 + 1.145 ,9 ⋅ sen( 30 ) + L1 ⋅ cos( 30 ) + 2.291,8 ⋅ sen ( 30 ) + L2

444,33 = 1.145,9 ⋅ (1 − cos( 30 ) ) + L1 ⋅ sen(30) + 2.291,8 ⋅ (1 − cos( 30 ) )

746 ,6 = L1 ⋅ 0,86603 + L2

− 16 ,2 = +L1 ⋅ 0,5

O que não é viável, vamos então diminuir a inclinação para 20o.

3.265 ,5 = 800 + 1.145 ,9 ⋅ sen( 20) + L1 ⋅ cos( 20 ) + 2.291,8 ⋅ sen ( 20 ) + L2

444,33 = 1.145,9 ⋅ (1 − cos( 20 ) ) + L1 ⋅ sen( 20) + 2.291,8 ⋅ (1 − cos( 20 ) )

10
1.289 ,7 = L1 ⋅ 0,93969 + L2

237 ,0 = +L1 ⋅ 0,34202 ⇒ L1 = 692 ,9 m

Logo:
1.289 ,7 = 692 ,9 ⋅ 0,93969 + L2 ⇒ L2 = 638 ,6 m

Verificação:
V = KOP + R1 ⋅ sen(α ) + L1 ⋅ cos(α ) + R2 ⋅ ( sen( β + δ ) − sen( δ ) ) + L2 ⋅ cos( δ )

Af = R1 ⋅ (1 − cos( α ) ) + L1 ⋅ sen(α ) + R 2 ⋅ ( cos( δ ) − cos( β + δ ) ) + L2 sen( δ )

3.265 ,5 = 800 +1.145 ,9 ⋅ sen( 20 ) + 692 ,9 ⋅ cos( 20 ) + 2.291 ,8 ⋅ sen ( 20 ) + 638 ,6

3.265 ,5 =3.265 ,48

444 ,33 = 1.145 ,9 ⋅ (1 − cos ( 20 ) ) + 692 ,9 ⋅ sen( 20 ) + 2.291,8 ⋅ (1 − cos ( 20 ) )

444 ,33 = 444 ,30

Determinar o comprimento dos revestimentos nesse projeto.

Término do Buil Up: KOP + R × sen ( 20 ) = 800 +1.145 ,9 × sen ( 20 ) =1.191 ,9 m


20
Comprimento do arco: = 400 ,0 m
1 / 20

Termino do trecho em Slant, ou início do trecho em Drop off:


KOP + R1 × sen ( 20 ) + L1 × cos ( 20 ) = 1.191,9 + 692 ,9 × 0,93969 = 1.843,0 m

Término do trecho em drop off:


KOP + R1 × sen ( 20 ) + L1 × cos ( 20 ) + R 2 × sen ( 20 ) = 1.843,0 + 2.291,8 × 0,34202 = 2.626 ,8 m
ou
3.265 ,5 − L2 = 3.265 ,5 − 638 ,6 = 2.626 ,9 m

Os 900 metros de vertical vai ter 100 metros no trecho em arco, logo o comprimento do
revestimento será 800 + o arco correspondente a 100 metros.

100
O ângulo correspondente ao 100 metros será: sen (α) = 1.145 ,9 ⇒α = 5,01
o

Logo o arco será de:


5,01
=100 ,1 m
1 / 20
Então o comprimento do revestimento será de 800 + 100,1 = 900,1 metros.

Os 1.200 metros de vertical estarão no trecho em slant, logo o comprimento do


revestimento será de 800 + 400 + o trecho em slant correspondente a 1.200 – 1.191,9 ou
seja 8,1 metros.

11
Como: H = L × cos ( 20 ) ⇒ 8,1 = L × 0,93969 ⇒ L = 8,6 m

Então o comprimento do revestimento será de 800 + 400 + 8,6 = 1.208,6 metros.

Os 2.600 metros na vertical caem no trecho em drop off, logo o trecho em curva será de
2.600 menos o fim do Drop off (2.626,8), assim há 26,8 metros faltando na vertical para
terminar o drop off, assim.

26 ,8
O ângulo correspondente ao 26,8 metros será: sen (α ) = 2.291 ,8 ⇒α = 0,67
o

Logo o arco será de:


0,67
= 26 ,8 m
1 / 40
Então o comprimento do arco será 800 – 26,8 = 773,2 metros.

Por tanto o comprimento total será de 800 (KOP) + 400 (trecho em build up) + 692,9
(Slant) + 773,2 (trecho em drop off) o que perfaz 2.666,1 metros.

O comprimento do último revestimento será de:


800 + 400 +692,9+800 +638,6 = 3.331,5 metros.

8) Projete dois poços horizontais, sabendo que as coordenadas são:

Coordenadas da Sonda Y = 327.238,33 m


X = 7.639.288,34 m
Coordenadas do Objetivo Y = 325.673,35 m
X = 7.640.277,88 m
Z = 3.265,5 m

É necessário haver 1.200 metros na horizontal após ter atingido o objetivo.

Projete um com apenas um trecho em Build-Up e outro com dois trechos em Build-Up,
nesse deve haver pelo menos 100 metros no trecho em Slant.

∆X = 7.640 .277 ,88 − 7.639 .288 ,34 =989 ,54 ∆Y


∆Y =327 .238 ,33 −325 .673 ,35 =1.564 ,98 O
∆X
Afastamento: Af = 1.564 ,98 2
+989 ,54 2
=1.851 ,58
S
1.564 ,98
Direção: tan (θ ) = ⇒θ = 57 ,7 o N 57,7o W
989 ,54

Projeto com um trecho em build up:

12
Temos que o raio mais o trecho horizontal é o afastamento e o KOP mais o raio é a
profundidade, para não ter um trecho horizontal muito grande, alem dos 1.200 metros
necessários, vamos colocar como o raio sendo igual ao afastamento.

Raio = 1.851,58 metros, logo a taxa de ganho será 1o a cada 32,3 metros.

O KOP será a profundidade menos o raio.

KOP = 3.265,5 – 1.851,58 = 1.413,9 metros.

Projeto com dois trechos em Buil Up

Na mesma maneira para minimizar o trecho horizontal vamos assumir que o poço atinja
o objetivo no fim do último build up.

V = KOP + R1 × sen( α ) + L × cos(α ) + R2 × (1 − cos( 90 − α ) )

Af = R1 × (1 − cos(α ) ) + L × sen( α ) + R 2 × sen( 90 − α )

Assim temos 5 variáveis, vamos assumir os dois raios iguais e com taxa de 1o a cada 20
metros (R= 1.145,9 metros).

Logo as equações serão:

3.265 ,5 = KOP + 1.145 ,9 × sen (α ) + L × cos (α ) + 1.145 ,9 × (1 − cos ( 90 − α ) )

1.851,6 = 1.145 ,9 × (1 − cos (α ) ) + L × sen (α ) + 1.145 ,9 × sen ( 90 − α )

Olhando para a última equação, como queremos L de pelo menos de 100 metros
podemos estimar o ângulo

1.851 ,6 =1.145 ,9 −1.145 ,9 × cos (α) + L × sen (α) +1.145 ,9 × cos (α) ⇒705 ,7 = L × sen (α)
Logo o menor comprimento será de 705,7 metros. (OK)

Olhando a primeira equação temos:


3.265 ,5 = KOP +1.145 ,9 × sen (α) + L × cos (α) +1.145 ,9 −1.145 ,9 × sen (α)
ou
2.119 ,6 = KOP + L × cos (α)

Substituindo temos:
705 ,7 705 ,7
2.119 ,6 = KOP + × cos (α ) ⇒ 2.119 ,6 = KOP +
sen (α ) tan (α )

Assim quanto menor o ângulo mais raso será o KOP.

Atribuindo o ângulo de 30o temos:

3.265 ,5 = KOP + 1.145 ,9 × sen ( 30 ) + L × cos ( 30 ) + 1.145 ,9 × (1 − cos ( 60 ) )

13
1.851,6 = 1.145,9 × (1 − cos( 30 ) ) + L × sen ( 30 ) + 1.145,9 × sen ( 60 )

2.119 ,6 = KOP + L × cos ( 30 )

705 ,7 = L × sen ( 30 ) ⇒ L =1.411 ,4 m

Logo o KOP será á: 2.119 ,6 = KOP +1.411 ,4 ×cos ( 30 ) ⇒ KOP = 897 ,3 m

Verificação:
V = KOP + R1 × sen( α ) + L × cos(α ) + R2 × (1 − cos( 90 − α ) )

Af = R1 × (1 − cos(α ) ) + L × sen( α ) + R 2 × sen( 90 − α )

3.265 ,5 = 897 ,3 + 1.145 ,9 × sen ( 30 ) + 1.411,4 × cos ( 30 ) + 1.145 ,9 × (1 − cos ( 60 ) )

3.265 ,5 =3.265 ,51

1.851 ,6 = 1.145 ,9 × (1 − cos ( 30 ) ) + 1.411 ,4 × sen ( 30 ) + 1.145 ,9 × sen ( 60 )

1.851 ,6 =1.851 ,6

9) As coordendadas UTM da locação da Sonda por motivos ambientais são:

X = 324.598,50 metros e Y = 7.245.948,50 metros, caso seja necessário, a sonda pode


se mover dentro da região de um circulo de raio 100 metros com centro nas coordenadas
acima.

As coordenadas do objetivo determinada pela geologia são:


X = 325.018,51 metros e Y = 7.246.109,77 metros

A profundidade do Alvo é 2.426,50 metros

O meridiano central é 39 W no hemisfério sul

Os dados de litologia e dos poços de correlação mostram que a melhor profundidade


para se iniciar o KOP está entre 300 metros e 650 metros, e que entre 900 metros e 1100
metros se encontra uma soleira de diabásio, ou seja, não devemos utilizar este intervalo
para mudança de orientação.(Todas as medidas na vertical)

Você é o responsável por toda a parte de direcional da região e vai levar para a reunião
para decidir o projeto do poço as seguintes alternativas:

a) Um poço tipo I

b) Um poço tipo II

c) Um poço tipo III

14
d) Um poço horizontal com dois build-up e 500 metros de trecho horizontal após entrar
no alvo

Determinação do afastamento e direção entre a sonda e o objetivo.

∆X =161 ,27 m
⇒ Af = ∆X 2
+ ∆Y 2 = 161 ,27 2 + 420 ,01 2 = 449 ,91 m
∆Y = 420 ,01 m ∆Y O
420 ,01
tan (θ ) = ⇒θ = 69 ,0 o ⇒ N 69 ,0 0 E ∆X
161 ,27
S
Projeto Tipo I

449 ,19
O afastamento em relação a profundidade ( tan (α ) = 2.426 ,5 ⇒α ≈10 ) é pequeno,
o

então vamos colocar o KOP o mais baixo possível e a taxa de Build-Up o mais suave
1o/30 metros

Com taxa: 1o/30 metros.

π
(1 )
0
rd × R = 30 ⇒
180
× R = 30 ⇒ R = 1.718 ,9 m

 Af − R   449 ,12 −1.718 ,9 


β = arctan   = arctan   = −35 ,56 o
 V − KOP   2.426 ,5 − 650 

 
× cos ( − 35 ,56 o )  = 51,92 o
 R  1.718 ,9
δ = arcsen  × cos ( β )  = arcsen 
 V − KOP   2.426 ,5 − 650 

α = β + δ = −35 ,56 + 51,92 =16 ,4 o

Como o ângulo é pequeno vamos aumentar o afastamento da sonda em 100 metros


movendo a sonda 100 metros na direção N 111o W (direção oposta a direção do
objetivo)

Com o novo afastamento de 449,12 + 100 = 549,12 teremos:

 Af − R   549 ,12 −1.718 ,9 


β = arctan   = arctan   = −33 ,36 o
 V − KOP   2 .426 ,5 − 650 

 
δ = arcsen 


R 
× cos ( β )  = arcsen 
1.718 ,9

( )
× cos − 33,36 o  = 53,91 o
 V KOP   2 .426 ,5 650 

α = β + δ = −33 ,35 + 53 ,91 = 20 ,6 o

Calculo do trecho Slant pelo afastamento

Af = R × (1 − cos (α ) ) + L × sen (α ) ⇒ 549 ,12 = 1.718 ,9 × (1 − cos ( 20,6 ) ) + L × sen ( 20,6 )

15
549 ,12 =109 ,9 + 0,3518 × L ⇒L =1.248 ,5 m

Verificação pela profundidade.

V = KOP + R × sen (α) + L × cos (α) ⇒ 2.426 ,5 = 650 +1.718 ,9 × sen ( 20 ,6 ) + 1.248 ,5 × cos ( 20 ,6 )
2.426 ,5 =2.423 ,5

Tipo II

V = KOP + R1 ⋅ sen(α ) + L1 ⋅ cos(α ) + R2 ⋅ ( sen( β + δ ) − sen( δ ) ) + L2 ⋅ cos( δ )

Af = R1 ⋅ (1 − cos( α ) ) + L1 ⋅ sen(α ) + R2 ⋅ ( cos( δ ) − cos( β + δ ) ) + L2 sen( δ )

Como não deve haver mudança de direção no diabásio, a melhor opção é colocar o
trecho slant nele, assim o build up deve terminar antes de 900 metros. Assim a equação
deve ser:

V BU = KOP + R1 ⋅ sen( α ) < 900

Logo deve-se utilizar o KOP menor possível para deixar uma boa parcela para o raio e o
ângulo

KOP assumido de 300 metros logo: R1 ⋅ sen(α ) < 600 , logo quanto maior o raio menor,
e o afastamento nesse ponto será de: Af BU = R1 ⋅ (1 − cos (α ) ) , como: L = 200 / cos( α)
então o afastamento depois do slant mínimo será: Af TS = R1 ⋅ (1 − cos(α ) ) + 200 ⋅ tg (α )

Calculando alguns valores se tem:

Taxa de BuildUp Raio Ângulo Afast BU Afast TS


1o / 15 m 859,44 m 44,3o 244,11 m 439,12 m
1o / 20 m 1.145,92 m 31,6o 169,64 m 292,55 m
1o / 25 m 1.432,39 m 24,8o 131,72 m 223,98 m
1o / 30 m 1.718,35 m 20,4o 108,12 m 182,62 m
1o / 35 m 2.005,35 m 17,4o 91,83 m 154,58 m

Assim vamos assumir que o poço volta para a vertical, assim δ será zero e o raio do
buildup de 1o a cada 20 metros, assim o ângulo máximo será de 31,6o, assim só falta
determinar a raio de dropoff, o trecho em slant e o trecho na vertical, esse com restrição
de comprimento (mínimo de 234,82 m).

V = 300 + 1145 ,92 ⋅ sen( 31,6) + L1 ⋅ cos( 31,6) + R2 ⋅ sen ( 31,6 ) + L2 = 2426 ,5

Af = 1145,92 ⋅ (1 − cos( 31,6) ) + L1 ⋅ sen(31,6) + R 2 ⋅ (1 − cos( 31,6) ) = 449,91 ± 100

Utilizando o raio dois com 1o a cada 30 metros se tem:

V = 300 + 1145 ,92 ⋅ sen( 31,6) + L1 ⋅ cos( 31,6) + 1718 ,87 ⋅ sen ( 31,6) + L2 = 2426 ,5

16
V = 1801 ,11 + L1 ⋅ cos( 31,6) + L2 = 2426 ,5

Af = 1145,92 ⋅ (1 − cos( 31,6) ) + L1 ⋅ sen(31,6) + 1718,87 ⋅ (1 − cos( 31,6 ) ) = 449,91 ± 100

Af = 424 ,77 + L1 ⋅ sen( 31,6) = 449 ,91 ± 100

Logo: 0 ≤ L1 ≤ 238 ,82 , assim deveriamos usar o afastamento de 100 metros, outra
possibilidade seria diminuir os ângulos BuildUp e de DropOff.

Vamos colocar a sonda com o afastamento máximo, KOP a 300 metros, ângulo máximo
de 31,6o taxa de BuildUp e de DropOff de 1o a cada 20 metros, poço voltando para a
vertical, calcular L1 e L2 e verificar se o trecho slant esta no diabásio.

V = 300 + 1145 ,92 ⋅ sen( 31,6) + L1 ⋅ cos( 31,6) + 1145 ,92,87 ⋅ sen ( 31,6 ) + L2 = 2426 ,5

V = 1500 ,89 + L1 ⋅ cos( 31,6) + L2 = 2426 ,5

Af = 1145,92 ⋅ (1 − cos ( 31,6) ) + L1 ⋅ sen( 31,6) + 1145,92 ⋅ (1 − cos( 31,6 ) ) = 549,91

Af = 339 ,82 + L1 ⋅ sen( 31,6) = 549 ,91 ⇒ L1 = 400 ,95 > 234 ,82

Logo:

V = 1500 ,89 + 400 ,95 ⋅ cos( 31,6) + L2 = 2426 ,5 ⇒ L2 = 584 ,112

Verificação:

2426 ,50 = 300 +1145 ,92 ⋅ sen( 31,6) + 400 ,95 ⋅ cos( 31,6) +1145 ,92 ⋅ sen ( 31,6 ) + 584 ,11 = 2426 ,5
549 ,91 = 1145 ,92 ⋅ (1 − cos ( 31,6) ) + 400 ,95 ⋅ sen( 31,6) + 1145 ,92 ⋅ (1 − cos ( 31,6) ) = 549 ,91

OK.

Termino do BuildUp:
V = 300 +1145 ,92 ⋅ sen( 31,6) = 900 ,45

Inicio do DropOff
V = 300 +1145 ,92 ⋅ sen( 31,6) + 400 ,95 ⋅ cos( 31,6) =1241 ,95

OK.

Tipo III

Para o poço tipo III, o KOP deve ficar abaixo da zona com diabásio, já que não
queremos ter mudança de direção nesse intervalo.

Vamos posicionar o KOP abaixo de 1.100 metros e calcular as outras variáveis.

17
Af = R × (1 − cos (α ) ) ⇒ 449,12 = R × (1 − cos (α ) )

V = KOP + R × sen (α ) ⇒ 2.426 ,5 =1.150 + R × sen (α ) ⇒1.276 ,5 = R × sen (α )

Dividindo a segunda pela primeira equação temos:

sen (α )
2,8422 = ⇒ 2,8422 × (1 − cos (α ) ) = sen (α ) = 1 − cos 2 (α )
1 − cos(α )

Elevando ambos os lados ao quadrado vêm:

( )
8,0782 × 1 − 2 × cos(α ) + cos 2 (α ) = 1 − cos 2 (α )

Então:
9,0782 × cos 2 (α ) − 16 ,1565 × cos (α ) + 7,0782 = 0

Soluções:
α = 38,8 o ⇒ R = 2.036 m ⇒ BUR = 1o / 35,5 m
α = 7,5 o ⇒ ∃
/R

Assim para essa distância o poço teria ângulo máximo de 38,8o e BUR de 1o/35,5
metros. Caso a sonda seja afastada de 100 metros teríamos.

Af = R × (1 − cos (α ) ) ⇒ 549,12 = R × (1 − cos (α ) )

V = KOP + R × sen (α ) ⇒ 2.426 ,5 =1.150 + R × sen (α ) ⇒1.276 ,5 = R × sen (α )

Dividindo a segunda pela primeira equação temos:

sen (α )
2,3246 = ⇒ 2,3246 × (1 − cos (α ) ) = sen (α ) = 1 − cos 2 (α )
1 − cos (α )

Elevando ambos os lados ao quadrado vêm:

( )
5,4039 × 1 − 2 × cos (α ) + cos 2 (α ) = 1 − cos 2 (α )

Então:
6,4039 × cos 2 (α ) − 10 ,8078 × cos (α ) + 4,4039 = 0

Soluções:
α = 46 ,1o ⇒ R = 2.036 m ⇒ BUR = 1o / 35,5 m
α = 7,5 o ⇒ ∃
/R

18
Horizontal com Dois Build Up

Fazer

10) Você deve fazer o projeto direcional dos poços 7-EX-89-CN. Os poços de
correlação são os poços 7-EX-87-CN e 7-EX-88-CN

Dados para o poço 7-EX-87-CN

Coordenada do Poço X 7.859.873,44 m


Y 654.181,64 m

Formação Profundidade Inicial Final


Argilas 0 340,33
Arenito I 340,33 788,33
Calcarenito 788,33 1.066,83
Folhelho I 1.066,83 1.544,33
Arenito II 1.544,33 2.105,95
Folhelho II 2.105,95 2.976,40
Arenito (Objetivo) 2.976,40 3.105,45
Folhelho III 3.105,45 3.779,22

Dados do poço 7-EX-88-CN

Coordenada do Poço X 7.859.373,44 m


Y 654.881,64 m

Formação Profundidade Inicial Final


Argilas 0 355,78
Arenito I 355,78 778,29
Calcarenito 778,29 1.033,63
Folhelho I 1.033,63 1.568,93
Arenito II 1.568,93 2.225,05
Folhelho II 2.225,05 2.955,69
Arenito (Objetivo) 2.955,69 3.128,85
Folhelho III 3.128,85 3.813,26

Dados do Poço 7-EX-89-CN

19
Coordenadas UTM
Sonda: X 7.859.188,65 m
Y 654.998,58 m

Objetivo: X 7.859.789,45 m
Y 654.914,39 m

Considere que no arenito I é muito difícil se fazer um build up, por essa formação ser
muito friável, e seria interessante descer um revestimento quando se termina um trecho
de ganho ou de perda de ângulo.

11) No poço 7-CHI-43D-RS do campo de Chimarão o revestimento de 9 5/8" foi


descido e depois de corrido o giroscópio foi determinado o seguinte Tie-On :

Norte :> 342,45 metros


Este :> - 76,39 metros
Prof :> 2.474,59 metros

As coordenadas do Objetivo em relação a sonda são:

Norte :> 693,50 metros


Este :> - 45,00 metros
Prof :> 3.179,35 metros

Depois de começar a perfurar são tiradas as seguintes fotos :

Metros Inclinação Direção


Perfurados
27,78 16,5º N12ºW
27,48 17,0º N12ºW
27,63 17,5º N11ºW
27,77 17,5º N10ºW
27,28 17,0º N10ºW
27,98 17,5º N11ºW
27,32 17,0º N11ºW
27,37 17,0º N10ºW
27,23 17,0º N09ºW
27,32 17,0º N09ºW
27,45 17,5º N10ºW
26,99 17,5º N09ºW
28,01 17,5º N09ºW

Nesta foto, você acaba de detectar a entrada do poço na zona de interesse.

Qual é a profundidade vertical do topo da zona de interesse?

20
Sendo que o pessoal do direcional e o engenheiro de perfuração estão em dúvida se o
poço vai ou não atingir o objetivo, qual é sua posição?

Qual é o raio de tolerância para o poço atingir o objetivo?

Inclin. Direc.
∆M Inclin. Direc. Direc. Med. Med. ∆Z ∆N ∆W
27,78 16,5 N12ºW 12 16,25 11,75 26,67019 7,610757 1,58304
27,48 17 N12ºW 12 16,75 12 26,31406 7,74657 1,646584
27,63 17,5 N11ºW 11 17,25 11,5 26,3872 8,028958 1,63351
27,77 17,5 N10ºW 10 17,5 10,5 26,48472 8,210768 1,521776
27,28 17 N10ºW 10 17,25 10 26,05294 7,966754 1,404754
27,98 17,5 N11ºW 11 17,25 10,5 26,72146 8,158295 1,512051
27,32 17 N11ºW 11 17,25 11 26,09114 7,952668 1,545842
27,37 17 N10ºW 10 17 10,5 26,17406 7,868216 1,458288
27,23 17 N09ºW 9 17 9,5 26,04018 7,852097 1,31399
27,32 17 N09ºW 9 17 9 26,12625 7,889254 1,249535
27,45 17,5 N10ºW 10 17,25 9,5 26,2153 8,02843 1,343498
26,99 17,5 N09ºW 9 17,5 9,5 25,74082 8,004743 1,339535
28,01 17,5 N09ºW 9 17,5 9 26,71361 8,319071 1,317611
357,61 1 -3 Soma -> 341,7319 103,6366 18,87001
Início -> 2474,59 342,45 76,39
estou -> 2816,322 446,0866 95,26001
obj -> 3179,35 693,5 45
381,7103 18,5 6 18 7,5 363,0281 116,9458 15,39621
Chegar -> 3179,35 563,0324 110,6562
0,999665 178,815 342,2102 -130,468 65,65623
0,02588 2816,8 17021,79 4310,74
1,482833 Raio -> 146,0566

Qual a correção que você proporia se o raio fosse de 30 metros?

21
12) Dado o ponto 1 em relação a sonda, 341,66 m ao norte, 326,23 m a este e
profundidade vertical 2533,33 m, calcule o ponto 2.

Profundidade Medida Inclinação Direção


2.856,22 (ponto 1) 32,5o N 45o E
2.911,67 33,75o N 46o E
2.982,22 34,25o N 47o E
3.078,66 36,5o N 48o E
3.298,33 38,25o N 49o E
3.318,35 (ponto 2) 39,75o N 50o E

Método das Médias


Profundidade
Perf. Inc Med Dir Med Inclinação Direção Z N E
Medida
2.856,22 32,5 45 2.533,33 341,66 326,23
55,45 33,13 45,5 2.911,67 33,75 46 2.579,77 362,90 347,84
70,55 34 46,5 2.982,22 34,25 47 2.638,26 390,06 376,46
96,44 35,38 47,5 3.078,66 36,5 48 2.716,89 427,77 417,62
219,67 37,38 48,5 3.298,33 38,25 49 2.891,46 516,13 517,49
20,02 39 49,5 3.318,35 39,75 50 2.907,02 524,31 527,07

Método das Duas Curvaturas


Perf. Inc Rad Dir Rad Profundidade Inclinação Direção Z N E
0,567 0,785 2.856,22 32,5 45 2.533,33 341,66 326,23
55,45 0,589 0,803 2.911,67 33,75 46 2.579,77 362,90 347,84
70,55 0,598 0,82 2.982,22 34,25 47 2.638,26 390,05 376,46
96,44 0,637 0,838 3.078,66 36,5 48 2.716,89 427,77 417,62
219,67 0,668 0,855 3.298,33 38,25 49 2.891,45 516,12 517,48
20,02 0,694 0,873 3.318,35 39,75 50 2.907,00 524,31 527,06

Método das Curvatura Espacial


Perf. Inc Rad Dir Rad Profundidade Inclinação Direção Z N E

22
0,567 0,785 2.856,22 32,5 45 2.533,33 341,66 326,23
55,45 0,589 0,803 2.911,67 33,75 46 2.579,77 362,89 347,84
70,55 0,598 0,82 2.982,22 34,25 47 2.638,26 390,05 376,46
96,44 0,637 0,838 3.078,66 36,5 48 2.716,89 427,75 417,63
219,67 0,668 0,855 3.298,33 38,25 49 2.891,45 516,09 517,51
20,02 0,694 0,873 3.318,35 39,75 50 2.907,01 524,27 527,09

13) Após a descida do revestimento se correu um giroscópio e se obteve o seguinte


tie-on (posição do fim do revestimento e início da nova fase)

Prof. Medida 1190 metros


Prof. Vertical 1172 metros
Norte 68 metros
Este 134 metros

Com as seguintes fotos determine a posição do poço na última estação

Prof. Medida Inclinação Direção


Estação 1 1190 24o N 58o E
Estação 2 1220 22o N 58o E
Estação 3 1250 25o N 59o E
Estação 4 1280 25o N 59o E

Método das Médias


Perf. Profundidade
Inc Med Dir Med Inclinação Direção Z N E
1.190 24 58 1.172,00 68,00 134,00
30,00 0,4014 1,0123 1.220 22 58 1.199,62 74,21 143,94
30,00 0,4102 1,021 1.250 25 59 1.227,13 80,46 154,14
30,00 0,4363 1,0297 1.280 25 59 1.254,32 86,99 165,01

Método das Duas Curvaturas


Perf. Inc Rad Dir Rad Profundidade Inclinação Direção Z N E
0,4189 1,0123 1.190 24 58 1.172,00 68,00 134,00
30,00 0,384 1,0123 1.220 22 58 1.199,61 74,21 143,94
30,00 0,4363 1,0297 1.250 25 59 1.227,12 80,46 154,14
30,00 0,4363 1,0297 1.280 25 59 1.254,31 86,99 165,01

Método das Curvatura Espacial


Perf. Inc Rad Profundidade
Dir Rad Inclinação Direção Z N E
0,4189 1,0123 1.190,00 24 58 1.172,00 68,00 134,00
30,00 0,384 1,0123 1.220,00 22 58 1.199,61 74,21 143,94

23
30,00 0,4363 1,0297 1.250,00 25 59 1.227,12 80,46 154,14
30,00 0,4363 1,0297 1.280,00 25 59 1.254,31 86,99 165,01

14) Num poço com Inclinação de 30 graus e Direção N 250 W, deve-se fazer uma
correção para se atingir o objetivo. A correção necessária é girar o poço 10 graus a
direita..
a)Qual a correção que você proporia mantendo a inclinação?

b)Qual a inclinação que o poço teria no caso de você fazer a correção o mais
rápido possível?
Resolução Usando as Equações

tan γ ⋅ sen ( β )
tan (10 ) =
sen ( 30 ) + tan ( γ ) ⋅ cos ( β ) ⋅ cos ( 30 )

cos ( 30 ) = cos ( γ ) ⋅ cos ( 30 ) − sen ( 30 ) ⋅ sen ( γ ) ⋅ cos ( β )

Fhi1 30 0,5236
Fhi2 30 0,5236
Deltateta 10 0,174533
Dog-Leg 4,995251 0,087183778
Giro 94,33253 1,646417125

0,176327 0,176327 4,71E-08 2,21741E-15


0,866025 0,866025 -9,9E-08 9,75159E-15
1,1969E-14

Ou calculando o Dog-Leg exato:


cos( γ ) = cos( φ1 ) × cos( φ 2 ) + sen( φ 1 ) × sen( φ 2 ) × cos( ∆θ )

cos (γ ) = cos ( 30 ) × cos ( 30 ) + sen ( 30 ) × sen ( 30 ) × cos (10 ) ⇒ γ = 4,995 o

Substituindo na segunda equação temos.


cos ( 30 ) = cos ( γ ) ⋅ cos ( 30 ) − sen ( 30 ) ⋅ sen ( γ ) ⋅ cos ( β )

cos ( 5) ⋅ cos ( 30 ) − cos ( 30 )


⋅ cos ( β ) = ⇒ β = 94,333 o
sen ( 30 ) ⋅ sen ( 5)

Usando a aproximação

30 γ

10 β
30

24
Dog Leg pela lei dos cossenos:
γ 2 = 30 2 + 30 2 − 2 × 30 × 30 × cos (10 ) ⇒ γ = 5,23 0

Calculo do giro pela lei dos senos. (vamos calcular o ângulo suplementar)

30 5,23
= ⇒ x = 85 0 ⇒ β = 95 0
sen ( x ) sen (10 )

b) A correção mais rápida é o Dog-Leg menor.

Usando a aproximação. .
φ γ

10 β
30
Logo o giro será de 100o

γ
sen (10 ) = ⇒ γ = 5,21 o
30

φ
cos (10 ) = ⇒ φ = 29 ,54 o
30

Solução Exata

Como vimos o Dog Leg mínimo ocorre quando:


 cos( φ1 )  cos( φ1 )
φ 2 = arccos  ⇒ cos(φ 2 ) =
 cos( γ )  cos( γ )

Substituindo em:
cos( γ ) = cos( φ1 ) × cos( φ 2 ) + sen( φ 1 ) × sen( φ 2 ) × cos( ∆θ )

Temos:
cos( φ1 )  cos( φ1 ) 
2

cos( γ ) = cos( φ1 ) × + sen ( φ1 ) × 1 −   × cos( ∆θ )


cos( γ )  cos( γ ) 

cos ( 30 )  cos ( 30 ) 
2

cos ( γ ) = cos ( 30 ) × + sen ( 30 ) × 1 −   × cos (10 )


cos ( γ )  cos ( γ ) 

cos 2
(γ ) = cos 2 ( 30 ) + sen ( 30 ) × cos 2
(γ ) − cos 2 (30 ) × cos (10 )

Chamando cos 2 (γ ) = x

25
x = cos 2
(30 ) + sen ( 30 ) × cos (10 ) × x − cos 2
(30 )

Logo
x − cos 2
(30 ) = sen (30 ) × cos (10 ) × x − cos 2
( 30 )

Elevando ambos os lados ao quadrado.


x 2 − 2 × x × cos 2 ( 30) + cos 4 ( 30) = sen 2 ( 30) × cos 2 (10 ) × ( x − cos 2 ( 30 ) )

Por tanto:
x 2 − ( 2 × cos 2 ( 30) + sen 2 ( 30) × cos 2 (10) ) × x + cos 4 ( 30 ) + sen 2 ( 30) × cos 2 (10) × cos 2 ( 30) = 0
ou
x 2 −1,74246 × x + 0,744346 = 0

Então:
 0,75  30 o
x= ⇒γ =
0,99246 4,981
o

Desprezando o primeiro teremos:


 cos ( 30 ) 
φ 2 = arccos   ⇒ φ 2 = 29,6 o
 cos ( 4,981 ) 

E o giro da ferramenta é conseguido por qualquer das duas equações:


cos ( 30 ) = cos ( 4,981 ) ⋅ cos ( 30 ) − sen ( 30 ) ⋅ sen ( 4,981 ) ⋅ cos ( β )

Então:
cos ( 4,981) ⋅ cos ( 30 ) − cos ( 29,6 )
⋅ cos ( β ) = ⇒ β = 98,9 o
sen ( 30 ) ⋅ sen ( 4,981)

15) As coordenadas da sonda são:


Y = 324.598,50 metros e X = 7.245.948,50 metros.

As coordenadas do objetivo determinadas pela geologia são:


Y = 325.118,51 metros e X = 7.246.209,77 metros

26
A profundidade do Alvo é 2.226,50 metros

O meridiano central é 39 W no hemisfério sul

Faltando aproximadamente 1.000 metros medidos de poço para terminar o poço se tem:

Prof Vertical 1300 metros


Norte 93 metros
Este 161 metros
Inclinação 25o e direção N 65o E

A ferramenta a ser utilizada tem um DLS esperado de 3o/100 pés.

Qual a correção que você proporia: Giro da Ferramenta (Tool Face) e metros a serem
perfurados pela ferramenta.

Calculo do afastamento e direção do objetivo.

∆X = 261 ,27 m
⇒ Af = ∆X 2
+ ∆Y 2 = 261 ,27 2 + 520 ,01 2 = 581 ,96 m
∆Y = 520 ,01 m
∆Y O
520 ,01
tan (θ ) = ⇒θ = 63,3 o ⇒ N 63 ,3 0 E ∆X
261 ,27

S
Calculo do afastamento e direção do ponto onde o poço se encontra e o objetivo

∆X = 261 ,27 − 93 =168 ,27 m


⇒ Af = ∆X 2
+ ∆Y 2 = 168 ,27 2 + 359 ,01 2 = 396 ,49 m
∆Y = 520 ,01 −161 = 359 ,01 m

359 ,01
tan (θ ) = ⇒θ = 64 ,9 o ⇒ N 64 ,9 0 E
168 ,27

Inclinação do poço até o alvo:

Af 396 ,49
tan (φ) = = ⇒φ = 23 ,2 0
Pv 2.226 ,5 −1.300

Distância desse ponto ao objetivo:

+ ∆Y 2 + ∆Z 2 = 168 ,27 2 + 359 ,01 2 + ( 2.226 ,5 −1.300 )


2
d = ∆X 2
=1.007 ,8 m

Logo do ponto onde o poço esta até o objetivo a direção a seguir é de N 65o E e a
inclinação deve ser de 23o sendo perfurados 1.007,8 metros, como nesse instante a
inclinação é de 25o e a direção é de N 65o E temos:

a) Sem considerar o giro do poço.

27
Sem considerar o giro no poço devemos perder 2o de inclinação somente. Interessante
seria tentar perder inclinação só com a coluna, seja utilizando uma coluna pêndulo, ou
diminuindo os parâmetros mecâncos.

Caso queira fazer a correção o Dog leg será de 2o, já que não há mudança de direção,
então como a ferramenta dá 3o a cada 100 pés perfurados, deve-se perfurar 66 pés, como
é só perder inclinação o giro da ferramenta será de 180o do lado alto do poço.

b) Considerando que o poço gire para direita 1o/100 metros perfurados

Como o poço gira 1o/100 metros, o giro esperado até o término do poço é de:
1o
×1.007 ,8 =10 0
100
Assim o poço deve girar 10o à direita, logo o lead deve ser 5o à esquerda.

Correção pelo método exato.

O dog-leg será de:


cos ( γ ) = cos ( 25 ) × cos ( 23 ) + sen ( 23 ) × sen ( 25 ) × cos ( 5) ⇒ γ = 2,9 o

Como o DLS é de 3o/100 pés devemos perfurar 95 pés

E o giro da ferramenta é conseguido por qualquer das duas equações:


cos ( 23 ) = cos ( 2,851 ) ⋅ cos ( 25 ) − sen ( 25 ) ⋅ sen ( 2,851 ) ⋅ cos ( β )

Então:
cos ( 2,851) ⋅ cos ( 25 ) − cos ( 23 )
⋅ cos ( β ) = ⇒ β = 136 ,8 o
sen ( 25 ) ⋅ sen ( 2,851)

Usando o método aproximado


23 γ
Calculo do Dog leg
5 β
Lei dos Cossenos. 25
γ = 25 + 23 − 2 × 25 × 23 × cos ( 5) ⇒ γ = 2,9
2 2 2 o

Como o DLS é de 3o/100 pés devemos perfurar 95 pés

Calculo do giro pela lei dos senos. (vamos calcular o ângulo suplementar)

23 2,89
= ⇒ x = 43,9 0 ⇒ β = 136 ,10
sen ( x ) sen ( 5)

16) Um poço tinha inclinação de 26o e direção de N 65o E.

a) Deseja-se fazer a seguinte correção: Inclinação 20o e direção N 70o E. Sabendo que a
feramente tem DLS esperado de 3,4o por 100’ e o torque reativo da ferramenta é de 40o.
Determine a correção.

28
b)Para fazer essa correção a ferramenta foi posicionada com o giro do lado alto do poço
(tool face) de 170o a direita e após 2 tubos serem perfurados (18,2 metros) foi tirado
uma foto que mostrou a nova inclinação de 24,5o e direção de N 70o E. Estime o torque
reativo e o DLS (dog leg severity) da ferramenta defletora.

Método Exato:

Dog-Leg.
cos (γ ) = cos ( 26 ) × cos ( 24 ,5) + sen ( 26 ) × sen ( 24 ,5) × cos ( 5) ⇒γ = 2,606 o

Substituindo na equação
cos( γ ) ⋅ cos( φ 1 ) − cos( φ 2 )
⋅ cos( β ) =
sen( φ 1 ) ⋅ sen( γ )

temos
cos ( 2,606 ) ⋅ cos ( 26 ) − cos ( 24,5)
⋅ cos ( β ) = ⇒ β = 127 ,4 o
sen ( 26 ) ⋅ sen ( 2,606 )

Logo o DLS será de:


2,602 →18 ,2
⇒ x ≈ 4,3 o
x →30

DLS é de 4,3o/30 metros

Como a ferramenta estava apontada para 170o e na realidade ela trabalho apontada para
127o o torque é de 43o a esquerda.

Método Aproximado. γ
24,5

5 β
26
Pela lei dos co-senos:
γ 2 = 26 2 + 24 ,5 2 − 2 × 26 × 24 ,5 × cos ( 5) ⇒ γ = 2,66 o

Pela lei dos senos podemos calcular o ângulo suplementa do giro.


2,66 24,5
= ⇒ x = 53,3 0 ⇒ β = 126 ,7 o
sen ( 5) sen ( x )

Logo o DLS será de:


2,66 →18 ,2
⇒ x ≈ 4,4 o
x →30

DLS é de 4,4o/30 metros

Como a ferramenta estava apontada para 170o e na realidade ela trabalho apontada para
127o o torque é de 43o a esquerda.

29
c) Com base na foto anterior refaça a correção.

17) As coordenadas da sonda são:

Y = 324.598,50 metros e X = 7.245.948,50 metros.

As coordenadas do objetivo determinadas pela geologia são:


Y = 325.118,51 metros e X = 7.246.209,77 metros

A profundidade do Alvo é 2.226,50 metros

O meridiano central é 39 W no hemisfério sul

Os dados de litologia e dos poços de correlação mostram que a melhor profundidade


para se iniciar o KOP está é a 500 metros e a taxa de ganho é de 1o/30 metros, e a
tendência de giro da formação é de 2o/100 metros a direita.

Projete um poço Tipo I e determine o lead.

Calculo do afastamento e direção do objetivo.

∆X = 261 ,27 m
⇒ Af = ∆X 2
+ ∆Y 2 = 261 ,27 2 + 520 ,01 2 = 581 ,96 m
∆Y = 520 ,01 m

∆Y O

∆X

tan (θ ) =
520 ,01
⇒θ = 63,3 o ⇒ N 63 ,3 0 E S
261 ,27

Como o KOP e a taxa de Buld UP estão definidos devemos calcular o ângulo máximo e
comprimento do trecho Slant.

Com taxa: 1o/30 metros.

π
(1 )
0
rd × R = 30 ⇒
180
× R = 30 ⇒ R = 1.718 ,9 m

 Af − R   581 ,96 −1.718 ,9 


β = arctan   = arctan   = −33 ,37 o
 V − KOP   2.226 ,5 − 500 

 
δ = arcsen 
 R 
× cos ( β )  = arcsen 
1.718 ,9
( )
× cos − 33 ,37 o  = 56 ,25 o
 V − KOP   2.226 ,5 − 500 

α = β + δ = −33 ,37 + 56 ,25 = 22 ,9 o

30
Calculo do trecho Slant pelo afastamento

Af = R × (1 − cos (α ) ) + L × sen (α ) ⇒ 581,96 = 1.718 ,9 × (1 − cos ( 22,9 ) ) + L × sen ( 22,9 )

581 ,96 =135 ,5 + 0,3891 × L ⇒L =1.147 ,41 m

Verificação pela profundidade.

V = KOP + R × sen (α) + L × cos (α) ⇒ 2.226 ,5 = 500 + 1.718 ,9 × sen ( 22 ,9 ) +1.147 ,41 × cos ( 22 ,9 )
2.226 ,5 =2.225 ,8

Giro será no trecho em Build Up e no trecho em Slant

Trecho em Build Up.


1o a cada 30 metros, para ângulo de 22,9 o que perfaz 687 metros.

Trecho depois do KOP é de 687 + 1.147,7 = 1.834,7 metros

Como o giro é de 2o a cada 100 metros a direita, então o giro total será de
aproximadamente 37o, logo o lead será de18o a esquerda.

Apontar a ferramenta para N 63,3o E – 18,3 = N 45o E

18) Seja as coordenadas UTM da sonda:


X = 9.881.751,32 m
Y = 419.312,33 m

31
E as coordenadas UTM do objetivo:
X = 9.881.332,12 m
Y = 418.697,12 m
Z = 2.450 m

a) Qual a direção e o afastamento do objetivo em relação a sonda?


S

∆X = 9881751 ,32 − 9881332 ,12 = 419 ,20 m ∆X

∆Y = 419312 ,33 − 418697 ,12 = 615 ,21 m O ∆Y

Logo o afastamento é:
Af = 419 ,20 2
+615 ,21 2 =744 ,45 m

615 ,21
tan (θ ) = ⇒θ = 55 ,72 0
419 ,20

Logo a direção é:
S 55,7o W

b) Sendo o KOP colocado a 800 metros e o ângulo máximo de 30o, projeto um


poço tipo I

Como temos 4 variáveis de projeto e duas equações, mas foram fixadas duas variáveis o
problema está determinado.

∆V = KOP + Rc × sen( α ) + L × cos( α )

2450 = 800 + Rc × sen( 30 ) + L × cos( 30 ) ⇒ R c × sen( 30 ) + L × cos( 30 ) = 1650

2450 = 800 + Rc × sen( 30 ) + L × cos( 30 ) ⇒ R c × sen( 30 ) + L × cos( 30 ) = 1650

744 ,45 = R c (1 − cos( 30 ) ) + L × sen ( 30 )

Logo:
Rc =1.345 ,68 m ∧ L =1.128 ,33 m

Verificação:
2450 = 800 +1345 ,68 × sen( 30 ) +1128 ,33 × cos( 30 ) = 2450 ,00
744 ,45 =1345 ,68 (1 − cos( 30 ) ) + 1128 ,33 × sen ( 30 ) = 744 ,45

Como:
10 → 1
TBU
360 → 2 × π × 1345,88

Então:

32
TBU = 23 ,49 m

Projeto:
KOP = 800 metros
Rc = 1.345,68 m
TBU = 1o a cada 23,5 metros
α = 30o
L = 1.128,33 metros

c) Sabendo que devem ser utilizadas 3 revestimentos. O primeiro depois de


terminar o trecho em buildup, o segundo a 1.630 metros de profundidade vertical
e o terceiro quando terminar o poço. Determine a comprimento do revestimento
e sua respectiva profundidade vertical.

Logo após o BuildUp:

Profundidade vertical:
PV KOP = KOP + Rc × sen( α ) = 800 + 1345 ,68 × sen ( 30 ) = 1472 ,84 m
Profundidade Medida
π
PM KOP = KOP + α rd × Rc = 800 + 30 × × 1345 ,68 = 1504 ,60 m
180
ou
PM KOP = KOP + α × TBU = 800 + 30 × 23 ,49 = 1504 ,70 m

a 1.630 metros da vertical a profundidade medida será a do termino do BuildUp mais o


comprimento referente a distância abaixo da profundidade vertical do BuildUp

∆V =1630 − Pv , FBU =1630 −1472 ,84 =157 ,16 m

∆L = ∆V = 157,16 = 181,47 m
cos(α ) cos(30)
Então
Profundidade medida:
PM 1630 =1504 ,6 +181 ,47 =1.686 ,07 m

Final do Poço:

Profundidade Vertical = 2.450 metros

Profundidade Medida será a do termino do BuildUp mais o comprimento em Slant:


PM FP = 1504 ,6 + 1128 ,33 = 2632 ,93 m

Prof. Vertical Prof. Medida


o
1 Revestimento 1.472,84 m 1.504,60 m
2o Revestimento 1.630,00 m 1.686,07 m

33
3o Revestimento 2.450,00 m 2.632,93 m

d) Sabendo que o giro estimado na área é de 1o para cada 180 metros perfurados
à direita, qual será o lead?

Perfurados com direção = 2632,93 – 800 = 1832,93 metros


1o →180
⇒Giro =10 ,2 o
Giro →1832 ,93
Logo Lead
β = 10,2 2 = 5,1o
Direção no KOP: S 50,6o W

e) Sabendo que na fase de 17 ½”, na profundidade medida de 802 metros, vai se


iniciar o KOP, e a foto tirada nessa profundidade revelou: inclinação de 5o,
direção de N 12o W, vai ser utilizado para isso um motor de fundo de 9 5/8” e
bent sub de 2o até o poço atingir 10o de inclinação, quando vai ser utlizada uma
coluna alavanca para se terminar o buildup. Determine a melhor maneira de se
fazer isso.

Inclinação inicial 5o, Inclinação final 10o, Poço na direção N 12o W quero S 50,6o W
logo mudança de direção de 117,4 a esquerda.

Método Exato:

Calculo do Dog-Leg:
Cos (γ ) = cos( 5) × cos( 10 ) + sen( 5) × sen( 10 ) × cos( 117 ,4) ⇒γ =13 ,1o

Calculo do Giro
cos (10 ) = cos (13 ,1) × cos ( 5) − sen ( 5) × sen (13 ,1) × cos ( β )

cos( 13 ,1) × cos( 5) − cos( 10 )


cos( β ) = ⇒ β =137 ,0 0
sen( 5) × sen( 13 ,1)

Método Aproximado
γ
10
117,4 β
5
Calculo do Dog Leg pela lei dos cossenos
γ 2 = 5 2 +10 2 − 2 × 5 ×10 × cos( 117 ,4) ⇒ γ = 13,10

Calculo do suplemento de β pela lei dos senos:


13 ,1 10
= ⇒ β = 137 ,2 o
sen( 117 ,4) sen( 180 − β )

34
A ferramenta fornece um DogLegSeverity de 3o a cada 100 pés, com queremos
umDogLeg de 13o então:

3 →100
⇒ x ≈ 435 pés
13 → X

Sabendo que para perfurar a 95o do lado esquerdo do poço o fabricante fala que se deve
posicionar a ferramenta a 15o a esquerda, como queremos 137o vamos posicionar a
ferramenta aproximadamente a 60o a esquerda do poço.

f) Sabendo que a ferramenta foi posicionada a 60o à esquerda do poço e após


perfurar 28,2 metros uma foto foi tirada e revelou inclinação de 5o e direção N
39o W, refaça os cálculos.

Primeiro iremos ver o DogLegSeverity e o torque reativo real, depois com essas novas
estimativas programar o resto da correção.

Variação da direção N 12o W para N 39o W, logo 27o a esquerda.

Calculo do DogLegSeverity e do Torque reativo real.

Método Exato

Dog Leg real:

Cos (γ ) = cos( 5) × cos( 5) + sen( 5) × sen( 5) × cos( 27 ) ⇒γ = 2,3o

Logo o DogLegSeverity será de:


2,3 → 28 ,2
⇒ DLS = 2,5 0 / 30 m
DLS → 30

Calculo do Giro
cos( 5) = cos ( 2,3) × cos ( 5) − sen ( 5) × sen ( 2,3) × cos ( β )

cos( 2,3) × cos( 5) − cos( 5)


cos( β ) = ⇒ β = 103 ,5 0
sen( 5) × sen( 2,3)

Como a ferramenta estava a 60o a esquerda o torque reativo será de 43,5o a esquerda

Método Aproximando

Calculo do Dog Leg pela lei dos cossenos


γ 2 = 5 2 + 5 2 − 2 × 5 × 5 × cos( 27 ) ⇒ γ = 2,3 0

5 γ
Logo o DogLegSeverity será de:
2,3 → 28 ,2 β
⇒ DLS = 2,5 0 / 30 m 27
DLS → 30
5

35
Calculo do suplemento de β pela lei dos senos:
2,3 5
= ⇒ β = 103 ,2 o
sen( 27 ) sen( 180 − β )

Como a ferramenta estava a 60o a esquerda o torque reativo será de 43,2o a esquerda

Temos Inclinação inicial 5o, Inclinação final 10o, Poço na direção N 39o W quero S
50,6o W logo mudança de direção de 90,4 a esquerda.

Método Exato:

Calculo do Dog-Leg:
Cos (γ ) = cos( 5) × cos( 10 ) + sen( 5) ×sen( 10 ) × cos( 90 ,4) ⇒γ = 11,2 o

Calculo do Giro
cos (10 ) = cos (11,2 ) × cos ( 5) − sen ( 5) ×sen (11,2 ) × cos ( β )

cos( 11,2) × cos( 5) − cos( 10 )


cos( β ) = ⇒ β = 116 ,6 0
sen( 5) × sen( 11,2)

Método Aproximado
γ
10
90,4 β
5
Calculo do Dog Leg pela lei dos cossenos
γ 2 = 5 2 +10 2 − 2 × 5 ×10 × cos( 90 ,4) ⇒ γ = 11,2 0

Calculo do suplemento de β pela lei dos senos:


11,2 10
= ⇒ β = 116 ,9 o
sen( 90 ,4) sen( 180 − β )

A ferramenta fornece um DogLegSeverity de 2,5o a cada 30 metros, com queremos um


DogLeg de 11,2o então:

2,5 →30
⇒ x ≈ 135 metros
11,2 → X

Sabendo que o torque reativo é de aproximadamente de 43,2o para esquerda do poço,


então como queremos 116,6o devemos colocar a tool face a 73,4o do lado esquerdo do
poço.

g) Na profundidade medida de 1.900 metros se tem a seguinte posição do poço:


N = -198,37 m
E = -353,41 m
V = 1.805,32 m
E a foto revelou que a inclinação nesse instante é de 32o e a direção de S 62o W,
depois disso se perfurou 150 metros e a nova foto revelou inclinação de 33o e

36
direção de S 63o W, com base nesse dados qual é a posição do poço nesse
instante.

Utilizando o ângulo médio se tem:


∆M =150 m
φ = 32 ,5 0
θ = N 242 ,5 o E ∨ S 62 ,5 o W

∆V = ∆M × cos (φ ) = 150 × cos( 32 ,5) = 126 ,51 m


∆N = ∆M × sen (φ ) × cos (θ ) = 150 × sen( 32 ,5) × cos( 242 ,5) = −37 ,21 m
∆E = ∆M × sen (φ ) ×sen (θ ) = 150 × sen( 32 ,5) ×sen( 242 ,5) = −71,49 m
ou
∆V =150 ×cos( 32 ,5) =126 ,51 m
∆N =150 ×sen( 32 ,5) ×cos( 62 ,5) =37 ,21 m
∆E =150 ×sen( 32 ,5) ×sen( 62 ,5) = 71 ,49 m
Logo:
V =V + ∆V =1805 ,32 +126 ,51 =1931 ,83 m
N = N + ∆N = −198 ,37 −37 ,21 = −235 ,58 m
E = E + ∆E = −353 ,41 −71 ,49 = −424 ,90 m

cos ( γ ) = cos ( 32 ) × cos ( 33 ) + sin ( 32 ) × sin ( 33 ) × cos (1) ⇒ γ = 1,135 o

150 tan ( 0,5676 )


∆V = ⋅ ⋅ ( cos ( 32 ) + cos ( 33 ) ) = 126 ,51 m
2 ( 0,5676 ) rad

150 tan ( 0,5676 )


∆N = ⋅ ⋅ ( sin ( 32 ) cos ( 62 ) + sin ( 33 ) cos ( 63 ) ) = 37 ,20 m
2 ( 0,5676 ) rad

150 tan ( 0,5676 )


∆N = ⋅ ⋅ ( sin ( 32 ) cos ( 242 ) + sin ( 33 ) cos ( 243 ) ) = −37 ,20 m
2 ( 0,5676 ) rad

150 tan ( 0,5676 )


∆E = ⋅ ⋅ ( sin ( 32 ) sin ( 62 ) + sin ( 33 ) sin ( 63) ) = 71,49 m
2 ( 0,5676 ) ad

150 tan ( 0,5676 )


∆E = ⋅ ⋅ ( sin ( 32 ) sin ( 242 ) + sin ( 33) sin ( 243 ) ) = −71,49 m
2 ( 0,5676 ) ad

h) Caso o poço permaneça com a tendência acima, qual será a posição do poço
na profundidade do objetivo?

Calculo da direção e inclinação entre a posição atual e o Objetivo.

Atual: N -235,58 m
E -424,90 m
V 1.931,83 m

37
Objetivo N -419,20 m
E -615,21 m
V 2.450 m

∆N =183 .62 m
190 ,31
e tan (θ ) = 183 ,62 ⇒θ = 46
o
∆E =190 ,31 m logo ∆D = ∆N 2 + ∆E 2 = 264 ,45 m
∆V = 518 ,17 m

Direção S 46o W, então a direção do poço está se afastando do necessário.

∆D 264 ,45
tan (φ ) = = ⇒ φ = 27 o
∆V 518 ,17

Inclinação do poço 27o, logo o poço também esta se afastando da inclinação desejada.

Hipótese Otimista: O poço mantém a direção e inclinação da última foto.

Inclinação 33o e direção S 63o W.

Cálculo do comprimento a perfurar:


∆V = 518 ,17 = ∆M × cos( 33 ) ⇒ ∆M = 617 ,85 m

Cálculo da posição:
∆D = 617 ,85 ×sen( 33 ) = 336 ,50 m
Logo:
∆N = 336 ,50 × cos( 63 ) =152 ,77 m
∆E = 336 ,50 ×sin( 63 ) = 299 ,83 m
Então:
N = −235 ,58 −152 ,77 = −388 ,35 m
E = −424 ,90 −299 ,83 = −724 ,73 m
V =1931 ,83 +518 ,17 = 2450 ,00 m

Distância até o alvo: F = ( 419 ,20 −388 ,35 ) + ( 615 ,21 −724 ,73 )
2 2
=113 ,78 m

Hipótese Realista: Consigo manter a inclinação, mas não consigo mudar a tendência da
direção.

Inclinação 33o e direção S 63o W, com giro de 1o a cada 150 metros perfurados a direita.

Cálculo do comprimento a perfurar:


∆V = 518 ,17 = ∆M × cos( 33 ) ⇒ ∆M = 617 ,85 m

Cálculo do giro:
1o →150
⇒ X = 4o
X → 617 ,85

Cálculo da Inclinação é o mesmo logo ângulo médio = 35º.

Novo Comprimento a perfurar:

38
∆V = 518 ,17 = ∆M × cos( 35 ) ⇒ ∆M = 632 ,57 m (mesmo giro)

Direção final N 67o W, logo direção média de 65o.

Cálculo da posição:
∆D = 632 ,57 × sen (35 ) = 362 ,83 m
Logo:
∆N = 362 ,83 ×cos( 65 ) =153 ,54 m
∆E = 362 ,83 ×sin( 65 ) = 328 ,84 m
Então:
N = −235 ,58 −153 ,54 = −389 ,12 m
E = −424 ,90 −328 ,84 = −753 ,74 m
V =1931 ,83 +518 ,17 = 2450 ,00 m

Distância até o alvo: F = ( 419 ,20 −389 ,12 ) + ( 615 ,21 −753 ,74 )
2 2
=141 ,76 m

Hipótese Sala de Aula: Tendência...

1º a cada 150 metros de giro e de inclinação

Distância a perfurar..

∆N =183 .62 m
∆E =190 ,31 m logo: ∆M = ∆N 2 + ∆E 2 + ∆Z 2 = 581 ,55 m
∆V = 518 ,17 m

Logo 4 graus de variação – Inclinação final = 37º e direção S 67º W

cos ( γ ) = cos ( 33 ) × cos ( 37 ) + sin ( 33 ) × sin ( 37 ) × cos ( 4 ) ⇒ γ = 4,6 o

tan γ 
∆M 2 ∆ M tan( 2,3)
∆V = ⋅   ⋅ ( cos( φ 1 ) + cos( φ 2 ) ) = 518,17 = × ( cos( 33) + cos( 37) ) ⇒ ∆ M = 632,6
2 γ ( rad ) 2 ( 2,3) rad
2
Mesmo 4º ..

632 ,6 tan ( 2,3)


∆N = ⋅ ⋅ ( sin ( 33 ) cos ( 63 ) + sin ( 37 ) cos ( 67 ) ) = 152 ,67 m
2 ( 2,3) rad

632 ,6 tan ( 2,3)


∆E = ⋅ ⋅ ( sin ( 33 ) sin ( 63 ) + sin ( 37 ) sin ( 67 ) ) = 382 ,89 m
2 ( 2,3) ad

i) Caso o raio de tolerância seja de 30 metros o poço vai atingir o objetivo? Caso
não atinja qual a correção que você proporia nesse instante?

39
Não irá atingir o alvo.

Inclinação do poço: 33o, inclinação desejada 27o.


Direção do poço S 63o W, direção desejada sem ocorrência de giro S 44o W, como há
um giro de 4o a direita, o lead será de 2o a esquerda, então a direção será de N 42o W,
logo a variação de direção é de 21o.

Cálculo do DogLeg:
Cos (γ ) = cos( 33 ) × cos( 27 ) + sen( 33 ) × sen( 27 ) × cos( 21) ⇒γ = 12 ,0 o

Calculo do Giro
cos ( 27 ) = cos (12 ,0 ) × cos ( 33 ) − sen ( 33 ) ×sen (12 ,0 ) × cos ( β )

cos( 12 ,0) × cos( 33 ) − cos( 27 )


cos( β ) = ⇒ β = 128 ,6 0
sen( 33 ) × sen( 12 ,0)

Método Aproximado

27 γ

21 β
33

Calculo do Dog Leg pela lei dos cossenos


γ 2 = 33 2 + 27 2 − 2 × 33 × 27 × cos( 21) ⇒ γ = 12 ,4 0

Calculo do suplemento de β pela lei dos senos:


12 ,4 27
= ⇒ β = 128 ,8 o
sen( 21) sen( 180 − β )

DLS = 2,5º /100’ logo perfurar 480 pés.


TReativo = 105º.

Posição = 25º p/ esquerda.

18) Dados os seguintes poços:

Poço I (X = 7.324.345,50 m. Y = 659.345,00 m.)

Profundidade Vertical Norte Este


(M) (M) (M)
50 2,0 1,0
70 3,0 1,0
90 3,5 1,5
110 4,0 2,0

40
130 5,0 3,0
150 6,0 3,0
200 7,5 4,0
300 9,0 5,0
400 12,0 6,0
500 14,0 7,0
700 17,0 8,0
900 20,0 10,0
1.100 25,0 13,0
1.500 50,0 20,0

Poço II (X = 7.324.398,00 m. Y = 659.423,00 m.)

Profundidade Vertical Norte Este


(M) (M) (M)
50 0,0 - 1,0
70 - 1,0 1,0
90 0,5 1,5
110 1,0 - 0,5
130 - 0,5 1,0
150 1,0 - 1,0
200 - 0,5 - 1,0
300 - 1,0 - 2,0
400 - 1,0 - 3,0
500 0,0 - 3,0
700 0,5 - 4,0
900 3,0 - 9,0
1.100 8,0 -13,0
1.500 10,0 -20,0

Sendo o diâmetro do poço de 26" qual é a distância entre os poços ?

Calculo da Posição do Poço I

Local 7.324.345,50 659.345,00


Profundidade
Vertical Norte Este Norte Este
(M) (M) (M) (M) (M)
50,00 2,00 1,00 7.324.347,50 659.346,00
70,00 3,00 1,00 7.324.348,50 659.346,00
90,00 3,50 1,50 7.324.349,00 659.346,50
110,00 4,00 2,00 7.324.349,50 659.347,00
130,00 5,00 3,00 7.324.350,50 659.348,00
150,00 6,00 3,00 7.324.351,50 659.348,00
200,00 7,50 4,00 7.324.353,00 659.349,00

41
300,00 9,00 5,00 7.324.354,50 659.350,00
400,00 12,00 6,00 7.324.357,50 659.351,00
500,00 14,00 7,00 7.324.359,50 659.352,00
700,00 17,00 8,00 7.324.362,50 659.353,00
900,00 20,00 10,00 7.324.365,50 659.355,00
1.100,00 25,00 13,00 7.324.370,50 659.358,00
1.500,00 50,00 20,00 7.324.395,50 659.365,00

Calculo da Posição do Poço II

Local 7.324.398,00 659.423,00


Profundidade
Vertical Norte Este Norte Este
(M) (M) (M) (M) (M)
50,00 0,00 -1,00 7.324.398,00 659.422,00
70,00 -1,00 1,00 7.324.397,00 659.424,00
90,00 0,50 1,50 7.324.398,50 659.424,50
110,00 1,00 -0,50 7.324.399,00 659.422,50
130,00 -0,50 1,00 7.324.397,50 659.424,00
150,00 1,00 -1,00 7.324.399,00 659.422,00
200,00 -0,50 -1,00 7.324.397,50 659.422,00
300,00 -1,00 -2,00 7.324.397,00 659.421,00
400,00 -1,00 -3,00 7.324.397,00 659.420,00
500,00 0,00 -3,00 7.324.398,00 659.420,00
700,00 0,50 -4,00 7.324.398,50 659.419,00
900,00 3,00 -9,00 7.324.401,00 659.414,00
1.100,00 8,00 -13,00 7.324.406,00 659.410,00
1.500,00 10,00 -20,00 7.324.408,00 659.403,00

Calculo da distância entre os poços a mesma profunidade.

Profundidade Vertical
(M)
50,00 91,25
70,00 91,85
90,00 92,38
110,00 90,28
130,00 89,36
150,00 87,93
200,00 85,49
300,00 82,75
400,00 79,51
500,00 78,14

42
700,00 75,18
900,00 68,86
1.100,00 62,96
1.500,00 40,00

Logo a menor distância acontece em 1.500 metros sendo 40 – 26*2,54/100 = 39.34


metros

20) Seja o seguinte poço Off-set:


Revestimento de 7”
Prof Vert Norte Este
(m) (m) (m)
1250 200 50
1300 205 50
1350 210 55
1400 215 55
1450 220 60
1500 225 60

E o poço sendo perfurado tem o seguinte Tie-on: (Fase 8,5”)


N = 125,0 m
E = 28,3 m
V = 1252,3 m
φ = 35o
θ = N 23o E

A perfuração segue com:


50 m φ = 34,5o θ = N 24 o E
50 m φ = 34 o θ = N 25 o E
50 m φ = 33,5 o θ = N 26 o E
50 m φ = 33 o θ = N 27 o E
50 m φ = 32,5 o θ = N 28 o E

a) Calcule a distância entre os poços usando o método do plano horizontal.

Calculo da posição do poço usando o método das médias.

35 23 ∆V ∆H ∆N ∆E
34,5 24 50 41,08235 28,49984 26,13606 11,36428
34 25 50 41,32949 28,14025 25,60653 11,66957
33,5 26 50 41,57348 27,77851 25,07248 11,95896
33 27 50 41,81431 27,41466 24,53432 12,23236
32,5 28 50 42,05195 27,04872 23,99251 12,48971

V N E
1252,3 125 28,3
1293,382 151,1361 39,66428
1334,712 176,7426 51,33385
1376,285 201,8151 63,29281
1418,1 226,3494 75,52517

43
1460,152 250,3419 88,01488

Estimativas do poço off set nas pofundidas verticas do poço.

V N E N E
1252,3 125 28,3 200,23 50
1293,382 151,1361 39,66428 204,3382 50
1334,712 176,7426 51,33385 208,4712 53,47118
1376,285 201,8151 63,29281 212,6285 55
1418,1 226,3494 75,52517 216,81 56,80996
1460,152 250,3419 88,01488 221,0152 60

Calculo das distâncias

N E N E
125 28,3 200,23 50 78,29714
151,1361 39,66428 204,3382 50 54,19685
176,7426 51,33385 208,4712 53,47118 31,80049
201,8151 63,29281 212,6285 55 13,62724
226,3494 75,52517 216,81 56,80996 21,00619
250,3419 88,01488 221,0152 60 40,55727

Sabendo que o poço é de 8,5” e o revestimento de 7” devemos subtrair 0,197 m.

1252,3 78,10029
1293,382 54
1334,712 31,60364
1376,285 13,43039
1418,1 20,80934
1460,152 40,36042

Calculo da elipse de incerteza de cada poço e do SF

Prof Dist Elipse SF


1252,3 78,10029 15,0276 5,197124
1293,382 54 15,52059 3,479249
1334,712 31,60364 16,01654 1,973188
1376,285 13,43039 16,51542 0,813203
1418,1 20,80934 17,0172 1,222842
1460,152 40,36042 17,52182 2,303438

b) Sabendo que o Raio de Incerteza é assumido como: 0,012*ProfVert. Calcule o SF.

19) O que é incerteza?

44
20) Uma medida é dada por 12,412 ± 0,023 com quantos algarismos significativos
essa medida deve ser escrita? Como ficaria?

21) Uma medida é de 3.250, estime o erro padrão considerando a medida confiável e
não confiável.

22) Qual a diferença entre o erro sistemático e o aleatório?

23) Qual a diferença entre precisão e exatidão?

24) Comente a frase: “O erro sistemático é sempre maior que o erro aleatório, isso
implica que a elipse de incerteza utilizando o erro sistemático será maior que quando se
utiliza o outro modelo.”

25) Estime o erro lateral para um poço


com 3.500 metros de profundidade medida e
com 50o de inclinação. (figura ao lado)

26) Estime o erro sistemático de um poço com


2.500 metros sabendo que a inclinação é de
30o ± 0,5o e o azimute é de 90o ± 1o .

27) O projeto de um poço é :

KOP 800 metros


Build Up 1º/15 metros

45
Slant 1.500 metros
Ang max 30º

Determine qual é a elipse de incerteza no final do poço se for tirado uma foto a cada 50
metros ? (Erro sistemático e aleatório)

Determine o programa para as fotos em que o erro de modelo seja menor que 1 metro ?
(Modelo dos ângulos médios)

Um poço tem inclinação de 15º e direção de N 76º W. Deseja-se que q nova inclinação
seja 13º e a nova direção N 73º W após a perfuração de 20 metros. Determine
analiticamente o ângulo na qual a tool face deve ser posicionada e o dogleg severity
em gruas/30 m para essa mudança.

cos ( γ ) = cos (15 ) × cos (13 ) + sin (15 ) × sin (13 ) × cos ( 3) ⇒ γ = 2,13 0

20 → 2,13
⇒ DLS = 3,2 0 / 30 m
30 → DLS

cos (13 ) = cos (15 ) × cos ( 2,13 ) − sin (15 ) × sin ( 2,13 ) × cos ( β ) ⇒ β = 161 ,5 0

Na Profundidade medida de 2005,00 m tem-se as seguintes informações:

Profundidade vertical 1950,15m


Inclinação do poço 15º
Direção do Poço S 30º W
Coordenada Norte -325,20 m
Coordenada Leste -120,00 m

Uma foto foi tomada na profundidade medida de 2030,05 m e as seguintes informações


foram obtidas:
Inclinação do poço: 17º
Direção do poço S 33º W

Utilizando o método dos ângulos médios determine a nova profunidade vertical e as


novas coordenadas Norte e Leste e o Dogleg severity em (graus/30 m) entre as duas
estações.

∆M = 2030 ,05 − 2005 = 25 ,05 e φ = 16 0 ∧θ = 31,5 0

∆V = 25,05 × cos(16 ) = 24,08


∆S = 25,05 × sin (16 ) × cos( 31,5) = 5,89
∆W = 25,05 × sin (16 ) × sin ( 31,5) = 3,61

46
V = 24 ,08 +1950 ,15 = 1974 ,23 m
N = −5,89 − 325 ,20 = −331 ,09 m
E = −3,61 −120 ,00 = −123 ,61 m

cos ( γ ) = cos (15 ) × cos (17 ) + sin (15 ) × sin (17 ) × cos ( 3) ⇒ γ = 2,16 0

25,05 → 2,16
⇒ DLS = 3,2 0 / 30 m
30 → DLS

As coordenadas do objetivo de um poço direcional são N = -500 m e E = 100 m. As


coordenadas da última estação perfurada são N = -50 m e E = 500 metros, e a direção
nesse ponto é de S 36º W. Determine (a) O giro da broca (em graus) necessários para
atingir o objetivo e (b) a direção do alvo em relação a esse ponto.
P
400
Direção do Poço ao Objetivo O
450
400
tan (θ ) = → θ = 41,6 0 → S 41,6 0 W
450 O
S
Como a direção do poço nesse instante é de S 36º W a diferença entre eles deve ser o
Lead = 5,6º logo o giro é de 11,3º.

Um poço tem dois objetivos, côas as seguintes coordenadas em relação à sonda em


metros:

Objetivo N E V
Primário 500,0 200,0 2.500,0
Secundário 610,0 150,0 3.000,0

Qual seria o giro necessário para se atingir os dois Obj2


alvos sem utilizar ferramentas defletoras.
α
β
Direção da Sonda para o Obj1
Obj1
200
tan (θ ) = → θ = 21,8 0 → N 21,8 0 E
500

Distância para o Obj1

M = 500 2
+ 200 2
+ 2500 2
= 2557 ,3 m Direção do
α Poço
Direção do Obj1 pra Obj2 Sonda

− 50
tan (θ ) = → θ = −24,4 0 → N 24 ,4 0 W
110

47
Distância para o Obj2

M = 110 2
+ 50 2 + 500 2
= 514 ,4 m

A mudança de direção no obj1 para o obj2 (α + β ) é de 21,8º +24,4º = 46,2º

Seja x o/100 m o giro normal da área.

Para Sonda-Obj1 temos:


O giro da sonda para o obj1 é de 5,1x , então o lead (β ) será de 12,8xº então quando o
poço chegar no obj1 a direção do poço será de 21,8 – 12,8x e o valor do lead do obj1
pra obj2 (β ) é de 46,2 – 12,8x.

Para Obj1-Obj2 temos:


O giro do onj1 para o obj1 é de 25 ,6 x , então o lead (β ) será de 2,6xº então quando o
poço chegar no obj1 a direção do poço será de 21,8 – 12,8x e o valor do lead do obj1
pra obj2 (β ) é de 46,2 – 12,8x

Como esses valores tem de ser iguais.

46 ,2 −12 ,8 x = 2,6 x → x = 30 / 100 m para esquerda

Durante o acompanhamento de um poço direcional tem-se:

Profundidade medida 2.540,50 m


Profundidade vertical 1.975,32 m
Norte 325,33 m
Este 548,86 m
Inclinação 62º
Direção N 76º E

Após se perfurar 350 metros se tem:

Profundidade medida 2.890,50 m


Profundidade vertical 2.134,32 m
Norte 395,33 m
Este 852,86 m
Inclinação 62º
Direção N 79º E

Estime a posição do poço depois de se perfurar mais 1.000 metros, supondo que o poço
mantenha a mesma tendência.

48
Tendência em 350 metros
∆φ = 0 ∆θ = 3 0

Foto depois de 1.000 metros com a mesma tendência


φ = 62 0 N 87 ,57 E

Dog-Leg
cos ( γ ) = cos ( 62 ) × cos ( 62 ) + sin ( 62 ) × sin ( 62 ) × cos ( 8,57 ) → γ = 7,565 0 = 0,13204 rad

tan 7,565 
1000 2
∆V = × ( cos( 62) + cos( 62) ) ×  = 470,13 m
2 0,13204
2

tan 7,565 
1000 2
∆N = × ( sin( 62) cos( 79) + sin( 62) cos( 87,57) ) ×  = 103,60 m
2 0,13204
2

tan 7,565 
1000 2
∆E = × ( sin( 62) sin( 79) + sin( 62) sin( 87,57) ) ×  = 875,67 m
2 0,13204
2

Logo:

V = 2.134,32 + 470,13 = 2.604,45 m

N = 395,33 +103,60 = 498,93 m

E = 852,86 + 857,67 = 1.728,53 m

Estime o erro sistemático (posição final) de um poço com 2.500 metros sabendo que a
inclinação é de 30º com erro de 0,5º e o azimute é de 90º com erro 1º.

Combinações Menor Inclinação com Menor Azimute

∆V = 2500 ×cos ( 29 ,5) = 2.175 ,89


∆N = 2500 ×sin ( 29 ,5) × cos (89 ) = 21,48
∆E = 2500 ×sin ( 29 ,5) ×sin (89 ) = 1.230 ,87

Combinações Menor Inclinação com Maior Azimute

49
∆V = 2500 ×cos ( 29 ,5) = 2.175 ,89
∆N = 2500 ×sin ( 29 ,5) ×cos ( 91 ) = −21,48
∆E = 2500 ×sin ( 29 ,5) ×sin ( 91 ) = 1.230 ,87

Combinações Maior Inclinação com Menor Azimute

∆V = 2500 × cos ( 30 ,5) = 2.154 ,07


∆N = 2500 ×sin ( 30 ,5) × cos (89 ) = 22 ,14
∆E = 2500 ×sin ( 30 ,5) ×sin (89 ) =1.268 ,65

Combinações Maior Inclinação com Maior Azimute

∆V = 2500 × cos ( 30 ,5) = 2.154 ,07


∆N = 2500 ×sin ( 30 ,5) ×cos ( 91 ) = −22 ,14
∆E = 2500 ×sin ( 30 ,5) ×sin ( 91 ) =1.268 ,65

Num trecho slant foi perfurado 500 metros, com uma foto a cada 100 metros. Sabendo
que em todas as fotos se obteve inclinação de 30º e direção N 30º E. Considere que há
apenas erro aleatório de 1º na medida de direção (as medidas de comprimento e
inclinação são exatas). Qual o erro na direção Norte?

O modelo para o calculo em cada estação é:


∆N = ∆M × sin ( φ 2 ) × cos( φ 2 )

O calculo da medida será:


N = ∑100 × sin ( 30 ) × cos (φi ) = 50 × ∑cos (φi )
5 5

Calculo do valor mais provável

N = 50 × ∑cos ( 30 ) = 216 ,50635


5

Propagação do erro (vamos separa por partes)

Erro no cosseno
2
 π 
σ = ( − sin (θi ) ) × σ θ = ( sin ( 30 ) )
2 2 −5
2
cos
2
× 1 ×  = 7,6154 ×10
 180 

Erro na soma dos cosseno (soma de 5 parcelas iguais)

50
(
σ Σ2 cos = 5 × (1) × σ cos
2 2
)= 5 × 7,6154 × 10 −5 = 3,8077177 × 10 −4

Erro na função 50 vezes a somatória

σ 2func = ( 50 ) 2 × σ Σ2 cos = ( 50 ) 2 × (3,80771 ×10 −4 ) → σ func = 50 × 3,80771 ×10 −4 = 0,98


2

Erros normalmente são dado com dois algarismos quando o primeiro é um ou dois.
Logo : σ =1,0

Assim se tem:

N = 216 ,5 ±1,0 m

Numa coluna de Drill Pipe de 4 1/2” 16,6 lb/pé grau E, qual a taxa de BuildUp que
causará escoamento do Drill Pipe? (Grau E = 75.000 psi, Di = 3,826” E = 30 x 106 psi)

E×D 30 × 10 6 × 4,5
σb = → 75000 = → R = 900 pol
2× R 2× R

Raio = 22,86 metros ou seja 1º a cada 40 cm

Um poço de 7” já perfurado tem as seguintes fotos:

Prof(m) N(m) E(m)


1250 200 50
1260 202 51
1270 204 52
1280 205 53
1290 207 55
1300 210 57

Você está perfurando um poço de 8,5” que começou no seguinte tie-on

N = 125,0 m
E = 28,3 m
V = 1252,3 m
φ = 35º
θ = N 23º E

depois de perfurado 50 metros se tem: φ = 34,5º e θ = N 24º E

Sabendo que a elipse de incerteza de cada poço é de 15 metros, calcule o SF (Separation


Factor)

51
Distância no tie-on

Regra de 3
N do poço 2,3 de 2 em 10 metros N = 200,46 m
E do poço 2,3 de 1 em 10 metros E = 50,23 m

Distância dos poços


∆D = ( 200 ,46 −125 ,0 ) + (50 ,23 − 28 ,3)
2 2
= 78 ,14 m

descontando o poço (8,5/2 e o revestimento 7/2 = 0,20 m) se tem:

Distância de 78,14 – 0,20 = 77,94 m

A soma dos raios é de 30 metros logo o SF = 77,94/30 = 2,6

Depois da Foto (usando o ângulo médio)

∆V = 50 × cos ( 34 ,75 ) = 41,08


∆N = 50 ×sin ( 34 ,75 ) ×cos ( 23 ,5) = 26 ,14
∆E = 50 ×sin ( 34 ,75 ) ×sin ( 23 ,5) =11,64

N = 151,14 m
E = 39,94 m
V = 1293,38 m

Regra de 3
N do poço -6,62 de 3 em 10 metros N = 208,01 m
E do poço 6,62 de 2 em 10 metros E = 55,68 m

Distância dos poços


∆D = ( 208 ,01 −151 ,14 ) 2 + ( 55 ,68 −39 ,94 )
2
= 59 ,01 m

descontando o poço (8,5/2 e o revestimento 7/2 = 0,20 m) se tem:

Distância de 59,01 – 0,20 = 58,81 m

A soma dos raios é de 30 metros logo o SF = 58,81/30 = 2,0

Um poço de comprimento total 3.000 metros, tem KOP a 800 metros e inclinação do
trecho slant de 30º. Desprezando o Dog-Leg a 800 metros determine os esforços de uma
coluna 4 1/2” 16,6 lb/pé nas seguintes condições: (Assuma m = 0,3 e o fluido no poço
de 10 lb/gal)

 ρ 
α = 1 − l  = 0,847 → 16,6 × 0,847 = 14,07 lb / pé
 65,5 

52
80 metros na vertical (sem atrito sempre) 2200 com 30º de inclinação

Atrito na parte inclinada

2200
N = ×14 ,07 ×sin ( 30 ) ≈ 50 .780 lb
0,3048

Fat = µ × N = 0,3 × 50780 ≈ 15 .230 lb

a) A carga no gancho, com a coluna girando fora do fundo

Só Peso sem atrito


800 2200
HL = ×14 ,07 + ×14 ,07 × cos ( 30 ) ≈124 .880 lb
0,3048 0,3048

b) A carga no gancho, descendo a coluna (RIH)

Atrito ajuda Total = Peso – atrito

HL =124 .880 −15230 =109650 lb

c) A carga no gancho, Puxando a coluna (POH)

Atrito atrapalha Total = Peso + atrito

HL =124 .880 +15230 =140110 lb

d) Torque na coluna quando girando fora do fundo

Primeira Aproximação (Errada)

4,5  1 
To = Fat × R = 15230 × ×   ≈ 2.860 lb pé
2  12 

Valor exato

α = arctan ( µ ) = arctan ( 0,3) = 16 ,7 0

Fat = µ × N × cos (α ) = 0,3 × 50780 × cos (16 ,7 ) ≈ 14 .590 lb

4,5  1 
To = Fat × R = 14590 × ×   ≈ 2.740 lb pé
2  12 

53