Você está na página 1de 196

Técnicas odontologias

Prof. Dasney Machado


PROCESSAMENTO DA
IMAGEM-CÂMARA ESCURA
MÉTODOS DE LOCALIZAÇÃO RADIOGRÁFICA EM
ODONTOLOGIA
O exame radiográfico apresenta limitações, como determinar a localização radiográfica
nos diversos planos
Imagem bidimensional (altura e largura)
Sobreposição radiográfica de estruturas
MÉTODO DE CLARK , 1909

Princípio de Paralaxe , deslocamento horizontal do tubo


Melhores resultados na maxila, porém pode ser usado para a mandíbula
Paralaxe

Ao examinarmos dois objetos semelhantes que se encontram em linha reta ,


sobrepostos, o objeto mais próximo , encobrirá o mais distante
Paralaxe

Ao examinarmos estes dois objetos sobrepostos em linha reta, se o observador se


deslocar para a direita ou para a esquerda, notará que um dos objetos deslocar-se-á
em direção contrária a do observador , e o outro, no mesmo sentido do observador
L V
V L
CLARK , TOMADAS

Orto-radial
Mesio-radial
Disto-radial
Orto-radial

23
Mesio-radial
23
23 Disto-radial
13
13
13
Orto-radial Disto-radial
Orto
Disto
Mésio
AcomPanha o feixe - Palatina (lingual)

Contrário ao feixe - Vestibular


Orto-radial
Mésio-radial
Disto-radial
M

D
orto
mésio
Disto
Mésio Orto Disto
Orto
Mésio
Disto
M O D
Indicações

Dentes não irrompidos, supranumerários


Localização de anomalias e processos patológicos
Fraturas de dentes e corpos estranhos
Localização de condutos radiculares em tratamento endodôntico
TÉCNICA DE RICHARDS, 1952
Inclinação vertical do tubo de raios X
A imagem do objeto localizado por vestibular se movimenta na mesma direção do
feixe de raios x.
Deslocamento vertical
do tubo
Deslocamento vertical do
tubo
(inclinação positiva)
Deslocamento vertical do
tubo
(inclinação negativa)
MÉTODO DE MILLER-WINTER, 1914

Técnica da dupla incidência


Melhor indicado para 3º molares inferiores retidos
Tomada periapical mais tomada oclusal (com filme periapical)
MÉTODO DE DONOVAN (MODIFICAÇÃO DA TÉCNICA
DE MILLER-WINTER)

3º molares com localização mais posterior , em que a técnica oclusal convencional não
alcança
Também dupla incidência
MÉTODO DE PARMA , 1936

Sugere uma modificação no posicionamento do filme para a região de 3º molar inferior.


LOCALIZAÇÃO COM TOMADAS INTRA E EXTRA-
ORAIS
RADIOGRAFIAS EXTRAORAIS

Em odontologia , situações existem nas quais o exame radiográfico intrabucal é


insuficiente não só pelo tamanho dos filmes mas também por dificuldades
eventuais : trismos, reflexos de náuseas, politraumatismos, pacientes de tenra
idade.
Quando necessitamos de uma exploração radiológica mais ampla, que inclua regiões
anatômicas maiores, usamos as técnicas radiográficas extrabucais, embora
saibamos que não existe substituto para o exame radiográfico intrabucal no que diz
respeito à riqueza de detalhes e precisão das informações.
Ao planejarmos a execução de um determinado
exame radiográfico extrabucal, devemos fazê-lo
levando em conta propósitos bem definidos,
para evitarmos exames desnecessários e
insuficientes, considerando os efeitos biológicos
dos raios x e os danos que poderemos causar
aos pacientes com exposições em áreas mais
nobres e extensas.
FATORES DE PADRONIZAÇÃO DAS TOMADAS

Distância focal : 60 – 90 cm
Quilovoltagem : por volta de 65 kVp
Miliamperagem : 10 podendo chegar a 20
Tempo de exposição : 1 a 1,5 s (3)
Colimação: cilindros abertos com lâmina de chumbo
Filtração : alumínio, 2mm
Filmes radiográficos screen : 13x18, 18x24 , 24x30
Uso de écrans
Ausência de grades antidifusoras
CLASSIFICAÇÃO DAS TÉCNICAS EXTRABUCAIS

A) Laterais :
1. Da mandíbula (ângulo e ramo)
2. Da mandíbula (corpo)
3. Da cabeça (tec. Moles e duras)
4. Telerradiografia Lateral (Cefalométricas)
B) Póstero-Anteriores (P.A.):
1. P. A. de mandíbula e Towne
2. P. A. do seio maxilar (Waters-Waldron)
3. P. A. do seio frontal
4. P. A. da cabeça (face)
5. Telerradiografia Frontal
C) Axiais : para base do crânio
LATERAL DE MANDÍBULA (ÂNGULO E RAMO)

Posição do paciente : PSM paralelo ao chassi e inclinado 60 graus.


Área de incidência: região de gônio oposta ao lado examinado.
Direção do feixe : H – 90 / V – 0
50 cm, 65 kVp e 10 mA
Ramo e Ângulo
Ramo e Ângulo
LATERAL DA MANDÍBULA (CORPO)

Aproxima o ápice nasal do chassi


LATERAL DA CABEÇA

Posição : PSM paralelo ao chassi e perpendicular ao plano horizontal; plano de


Frankfurt paralelo ao solo
Incidência : trágus do lado oposto ao examinado
Ângulo V = 0º e H= 90º
Fatores de exposição :
Distância focal : 60 cm
65 kVp e 10 mA
Tempo de exposição: 1,0 s dependendo do filme e écran
RADIOGRAFIA CEFALOMÉTRICA OU
TELERRADIOGRAFIA LATERAL

Broadbent, 1931
Utilizada para fazer mensurações lineares e angulares em Ortodontia.
Presença de cefalostato (posicionamento , épocas diferentes).
Posicionamento, área de incidência , angulação são as mesmas da lateral da cabeça.
Fatores de exposição :
Distância focal : 1,50 m
90 kVp e 15 mA
Tempo de exposição : 1,0 s dependendo do tipo de filme e écran
LATERAL PARA TECIDOS MOLES
TOMADAS PÓSTERO-ANTERIORES (P.AS.)

P.A. de face
Posicionamento : PSM perpendicular ao chassi ; Frankfurt paralelo ao plano horizontal.
Incidência : protuberância occipital externa
Angulação : V – 0º ; H – 0 º
Fatores de exposição:
Distância focal : 80 cm
65 kVp e 10 mA
Tempo de exposição: 1,0 s dependendo do filme e écran
TELERRADIOGRAFIA FRONTAL

Posicionamento, área de incidência , angulação são as mesmas da lateral da cabeça.


Fatores de exposição :
Distância focal : 1,50 m
90 kVp e 15 mA
Tempo de exposição : 1,0 s dependendo do tipo de filme e écran
P.A. DOS SEIOS FRONTAIS

Posição do paciente: PSM perpendicular ao plano horizontal, posicionamento fronto-


násio.
Incidência do feixe : 3 cm acima da protuberância occipital externa
Angulação : V = +20º ; H – 0º
P.A. DE MANDÍBULA

Posicionamento : PSM perpendicular ao chassi, posição fronto-násio


Área de incidência : 2 cm abaixo da protuberância occipital externa
Angulação do feixe : V – 0º ; H – 0º
P.A. DE MANDÍBULA

Fatores de exposição:
Distância focal : 80 cm
65 kVp , 10 mA
Tempo de exposição: 1 s, dependendo do tipo de filme e écran
P.A. DE MANDÍBULA MODIFICADA (TOWNE)

Posicionamento : PSM perpendicular ao chassi, posição fronto-násio , boca aberta


Área de incidência : 2 cm abaixo da protuberância occipital externa
Angulação do feixe : V – 0º ; H – 0º
Fatores de exposição : idem P.A. de mandíbula
P. A. DE SEIOS DA FACE

Posicionamento : PSM perpendicular ao chassi, mantendo o mento apoiado no chassi,


e o ápice nasal afastado do chassi aprox. 2 cm.
Área de Incidência : determinada pela passagem de uma linha imaginária tangente à
órbita
Angulação : V = 0º ; H = 0º
Fatores de exposição:
Distância focal : 80 cm
65 kVp , 10 mA
Tempo de exposição: 1 s, dependendo do tipo de filme e écran
AXIAL , BASAL, HIRTZ, SUBMENTOVÉRTICE

Posição do paciente : em pé , com hiperextensão


do pescoço, PF quase perpendicular ao solo.
Incidência : 2 cm abaixo da sínfise
Fatores de exposição:
Distância focal : 60 a 75 cm
65 kVp , 10 mA
Tempo de exposição: 3 a 4 s, dependendo do tipo
de filme e écran
CONTROLE DE INFECÇÃO - FILMES

ANTES DA EXPOSIÇÃO DEPOIS DA EXPOSIÇÃO


Método Automático

Revelador Fixador Água

Soluções enérgicas e em alta temperatura


Processadoras Automáticas

Rapidez da operação
• Vantagens
Uniformidade dos
resultados
Câmara escura - Portátil
Cuidados
• Longe das fontes
de luz e calor

 Controlar entrada de
luz
 A troca e os
recipientes das
soluções
Limpeza
TÉCNICAS RADIOGRÁFICAS
ODONTOLÓGICAS INTRA-
ORAIS
TÉCNICA
PERIAPICAL(BISSETRÍZ E
PARALELISMO)
Plano Sagital Mediano
Plano de Camper
Trágus – comissura labial
Plano de Frankfurt:
Plano oclusal
• FRATURAS
• NÚMERO DE RAÍZES
• PESQUISA DE CÁRIES
• PESQUISA DE
NÓDULOS,CISTOS,TUMORES
E CALCIFICAÇÕES
ÂNGULOS VERTICAIS-
POSITIVOS E NEGATIVOS
SERIOGRAFIA
TÉCNICA INTERPROXIMAL
• PESQUISAS DE CÁRIES E SUAS
REINCIDÊNCIAS
• PESQUISAS DE ADAPTAÇÃO DE
COROAS PROTÉTICAS
• ESTUDOS DA COROA E CRISTA
ÓSSEA ALVEOLAR
INTERPROXIMAL PARA DENTES
ANTERIORES
RADIOGRAFIAS OCLUSAIS
• EXAMES EM PACIENTES
EDÊNTULOS
• DIAGNOSTICAR GRANDES
LESÕES NA MAXILA(DENTES
INCLUSOS E CORPOS
ESTRANHOS)
OCLUSAL PARCIAL DA MANDÍBULA
OCLUSAL DE MANDÍBULA
TÉCNICA OCLUSAL EM
ODONTOPEDIATRIA
"Os grandes espíritos sempre tiveram que lutar contra a oposição feroz de mentes
medíocres."

Albert Einstein