Você está na página 1de 32

Licitação

Todas as compras de bens ou serviços realizadas pelos órgãos públicos deverão ser feitos em
conformidade com a Lei 8.666/93 e, atualmente, também, com a Lei 10.520 de julho de 2002.(Pregão)

Modalidades de licitação
Concorrência , tomada de preços , convite , leilão e concurso.

Prazos para abertura das propostas


Concorrência: 45 dias corridos, no mínimo, contados à partir da data da sua divulgação.
Tomada de preços: 30 dias corridos, no mínimo, contados à partir da data da sua divulgação.
Convite : 5 dias úteis, contados à partir da data da sua divulgação.

Dispensa de licitação
Em casos de :
 Calamidade pública ou guerra
 Comprometimento da segurança nacional
 Comprometimento de segurança física de pessoas.
 Compras com valores inferiores a R$16.000,00

Inexigibilidade
Em casos de fornecedores únicos.

Obrigatoriedade de divulgação
 Convite : Deverá ser afixado o edital em quadro de aviso em local de livre e fácil acesso aos
interessados.
 Tomada de preços: jornais de grande circulação ou qualquer outro meio de divulgação oficial.
 Concorrência: Diário oficial e jornais de grande circulação a âmbito nacional.

Pregão
Tipo presencial
Internet

Tipo presencial: após a abertura dos preços os fornecedores poderão fazer propostas verbais reduzindo o
preço.
No final do processo, ou seja, quando for declarado o vencedor, o pregoeiro ainda poderá negociar com o
fornecedor na tentativa de obter preços menores.

Internet: ainda muito pouco usado.

1
SICAF : SISTEMA UNIFICADO DE CADASTRO DE FORNECEDORES

Inspeção de Material

Os materiais ao ingressarem nas empresas são inspecionados através de duas formas:

 100%
 amostragem

100% : é a inspeção feita analisando unidade por unidade. Esta forma é aplicada a número pequeno de
unidades adquiridas e a itens que não se pode correr o risco de uma decisão errada ao aceitá-lo.
EX.: medicamentos , equipamentos de segurança, etc.

Amostragem: consiste em tomar uma amostra de um lote do produto e inspecioná-lo para fazer uma
estimativa da qualidade do lote como um todo. Com base nos resultados obtidos aceitamos ou reprovamos
o lote.

Razões para Inspeções por amostragem


 testar o produto é destrutivo
A doçura de uma maçã só pode ser decidida se o produto for destruído.
 Não existe tempo suficiente para fazer a inspeção a 100%.
 É muito caro testar todo o lote.
 Estima-se que o erro humano corresponda a 3% quando se faz um teste repetitivo a longo prazo.
Portanto, há bons motivos para ter uma amostra representativa de um lote, em vez de arriscar
tanto assim.

1o exemplo
O hospital CPMF encomendou 20.000 seringas descartáveis. Ficou estabelecido no contrato de
compra que a qualidade do produto seria inspecionada por amostragem a um padrão de 3%.
Durante a inspeção foram coletadas, aleatoriamente, 50 seringas para inspeção e, duas delas
apresentaram não-conformidade com as especificações do pedido de compra.
Que atitude deverá ser tomada pelo inspetor. Justifique.

2o exemplo
Determinada empresa adquiriu 8.000 unidades de um certo material. Foi estabelecido que a
inspeção seria por amostragem com um índice de 2%. Foram coletadas 50 unidades para inspeção, dentre
as quais, duas apresentaram não-conformidades às especificações.
Nesse caso reprova-se ou aceita-se o material? Justifique.

2
Alavancagem de Lucros

Primeiro exemplo:Determinada empresa teve uma receita com vendas de R$ 100.000,00.


Os custos desta empresa estão assim distribuídos:
 Custo de material direto: 60% das vendas
 Custo de mão-de-obra: 10% das vendas
 Custos indiretos:25% das vendas
Questiona-se:
1. Qual seria o lucro em valores monetários se o custo de material direto for reduzido para
55% das vendas?
2. Que percentual de aumento no lucro esse valor representa?

Segundo exemplo: Determinada empresa apresenta uma receita com vendas no valor de R$100.000,00 e
para apurar o seu lucro bruto informa os custos abaixo:
 Custo de material direto: R$60.000,00
 Custo de mão-de-obra: R$10.000,00
 Custos indiretos: R$25.000,00

a) Qual seria o lucro em valores monetários se o custo de material direto fosse


reduzido em 5% ?
b) Que percentual de aumento no lucro esse valor representa ?

EXERCÍCIOS

1- A fábrica de brinquedos “ Esperança Ltda Me.”, durante o mês de julho, apresentou um valor de vendas
de R$ 8.000,00 , para um valor de compras de R$ 3.200,00 .
Os custos referentes as operações de produção, armazenamento e distribuição atingem a ordem de
R$2.800, 00.
Analise todas as condições da empresa e responda:
a) Qual o lucro bruto mensal.
b) Que percentual de redução deve ser aplicado no custo de compras para se aumentar o lucro em
10% .
c) Que percentual de aumento poderá ser alcançado no lucro se houver uma redução de 10% nos
custos que compreendem produção, armazenamento e distribuição.

2- Analise a situação da empresa representada no sistema abaixo e responda:

Custo de Custo de Custo de Vendas


Custo de
Produção Armazenagem Distribuição R$13.000,00
Compras R$600,00
R$2.500,00 R$500,00
R$7.000,00

a)Que percentual de aumento será possível alcançar no lucro, antes da taxação, se reduzirmos o custo de
compras para R$ 6.000,00?

b) Se houver uma redução de 5% no custo de produção, qual será o índice de aumento no lucro?

3
3- O custo das mercadorias vendidas da Amalgamated Fendenter é de $ 10 milhões. A empresa investe $ 4
milhões em compra de material direto e $ 2 milhões em mão-de-obra direta; os custos indiretos são de $ 3,5
milhões e o lucro é de $ 500 mil. A empresa quer aumentar seus lucros para $ 1 milhão. Para atingir este
objetivo,

a) Qual deveria ser o percentual de aumento no custo das mercadorias vendidas?


b) Qual deveria ser o percentual de redução no custo de materiais?
c) Qual deveria ser o percentual de redução nos custos de mão-de-Obra?

Fonte : adaptação – livro Administração de materiais – J.R.Tony Arnold – ed. Átlas

Respostas
a) 5%
b) 12,5%
c) 25%

Métodos de Avaliação dos Estoques

Nas empresas todos os estoques são avaliados ao final do exercício financeiro.


São três os métodos utilizados, entretanto, em se tratando de economia inflacionária a legislação
fiscal admite apenas o CUSTO MÉDIO e PEPS.
Vejamos os três métodos:
PEPS = primeiro a entrar primeiro a sair
UEPS= último a entrar primeiro a sair
Custo Médio = média encontrada a cada entrada de um material no estoque. Fazendo-se a relação entre o
valor e o quantitativo do saldo existente.
Seja o exemplo:
Informe o valor do estoque final em 10/10 através dos métodos PEPS, UEPS e Custo Médio para um
material que teve os movimentos abaixo:
02/01 = estoque inicial de 100 unidades a 10,00
04/03 = entrada de 150 unidades a 14,00
07/06 = saída de 50 unidades
08/09 = entrada de 100 unidades a 15,00
10/10 = saída de 150 unidades

PEPS
QUANTIDADE VALOR
DATA ENTRADA SAIDA SALDO UNITÁRIO ENTRADA SAIDA SALDO
02/01 100 10,00 1000,00
04/03 150 250 14,00 2100,00 3100,00
07/06 50 200 10,00 500,00 2600,00
08/09 100 300 15,00 1500,00 4100,00
10/10 50 250 10,00 500,00 3600,00
100 150 14,00 1400,00 2200,00

UEPS
QUANTIDADE VALOR
DATA ENTRADA SAIDA SALDO UNITÁRIO ENTRADA SAIDA SALDO
02/01 100 10,00 1000,00
04/03 150 250 14,00 2100,00 3100,00
07/06 50 200 14,00 700,00 2400,00
08/09 100 300 15,00 1500,00 3900,00
10/10 100 200 15,00 1500,00 2400,00
50 150 14,00 700,00 1700,00

4
CUSTO MÉDIO
QUANTIDADE VALOR
DATA ENTRADA SAIDA SALDO UNITÁRIO ENTRADA SAIDA SALDO
02/01 100 10,00 1000,00
04/03 150 250 14,00 2100,00 3100,00
07/06 50 200 12,40 620,00 2480,00
08/09 100 300 15,00 1500,00 3980,00
10/10 150 150 13,27 1990,50 1989,50

Exercício 1

Observe o histórico abaixo e faça a avaliação dos estoques aplicando os métodos UEPS, PEPS e CUSTO
MÉDIO.

Movimentação:

02/01: Estoque inicial de 20 unidades a $5,00.


10/01: entrada de 50 unidades a $8,00.
15/01: saída de 10 unidades.
20/01: saída de 20 unidades.

UEPS
QUANTIDADE VALOR
DATA ENTRADA SAIDA SALDO PREÇO ENTRADA SAIDA SALDO

PEPS
QUANTIDADE VALOR
DATA ENTRADA SAIDA SALDO PREÇO ENTRADA SAIDA SALDO

5
CUSTO MÉDIO
QUANTIDADE VALOR
DATA ENTRADA SAIDA SALDO PREÇO ENTRADA SAIDA SALDO

Exercício 2

A movimentação dos estoques das Organizações Hipotética Ltda no ano de 2008 estão registradas abaixo.
Utilizando os métodos PEPS , UEPS e Custo Médio, respectivamente, apresente o valor do estoque final,
em reais, até 10/07 . Considere o estoque inicial igual a (0) zero.
21/01 – entrada de 500 unidades a R$5,00
03/03 – saída de 200 unidades
05/04 - entrada de 400 unidades a R$8,00
08/06 – saída de 400 unidades
10/07 – entrada de 500 unidades a R$10,00

Exercício 3

O modelo de ficha abaixo apresenta um controle de entradas e saídas do estoque de uma fábrica que
deseja fazer uma avaliação do custo de seus estoques.
Utilize os métodos PEPS, UEPS e CUSTO MÉDIO e preencha os campos de acordo com os movimentos
de entrada e saída até chegar ao estoque final em 30/06.

PEPS
QUANTIDADE VALOR
DATA ENTRADA SAIDA SALDO PREÇO ENTRADA SAIDA SALDO
02/06
50 30,00
08/06
60 50,00
17/06 (80)

30/06
80 52,00

UEPS
QUANTIDADE VALOR
DATA ENTRADA SAIDA SALDO PREÇO ENTRADA SAIDA SALDO
02/06
50 30,00
08/06
60 50,00
17/06 (80)

30/06
80 52,00

6
CUSTO MÉDIO
QUANTIDADE VALOR
DATA ENTRADA SAIDA SALDO PREÇO ENTRADA SAIDA SALDO
02/06
50 30,00
08/06
60 50,00
17/06 (80)
30/06
80 52,00

Exercício 4

O quadro abaixo apresenta um controle de entradas e saídas do estoque de uma fábrica de móveis que
deseja fazer uma avaliação do custo de seus estoques.

ENTRADAS NO SAÍDAS DO
ESTOQUE ESTOQUE
DATA QUANTI PREÇO QUANTI PREÇO
DADE UNITÁRIO DADE UNITÁRI
O
01/ 02 5 120,00
08 / 02 20 140,00
28 / 02 15

Utilizando os métodos de custo médio, PEPS(primeiro a entrar primeiro a sair) e UEPS(último a entrar
primeiro a sair), qual será o valor do estoque final da movimentação em reais, respectivamente?

Exercício 5

Através dos métodos UEPS e Custo Médio, informe o valor do estoque final até 20/03, de um item que teve
os seguintes movimentos:
02/01 : saldo de 100 unidades a R$2,00
03/02 : entrada de 400 unidades a R$3,00
20/02 : saída de 450 unidades

Giro de estoque

O giro de estoque mede quantas vezes, por unidade de tempo, o estoque se renovou ou girou.

GIRO DE ESTOQUE = VALOR CONSUMIDO NO PERÍODO


VALOR DO ESTOQUE MÉDIO NO PERÍODO

ESTOQUE MÉDIO = EI + EF
2

Cobertura de estoque

Cobertura indica o número de unidades de tempo; por exemplo, dias que o estoque médio será suficiente
para cobrir a demanda média.

7
COBERTURA DO ESTOQUE = NO DE DIAS DO PERÍODO EM ESTUDO
GIRO
MC = EI + MA – EF

MC = MATERIAL CONSUMIDO (ou custo de material vendido) (saídas)


EI = ESTOQUE INICIAL( ou custo de estoque inicial)
EF = ESTOQUE FINAL (custo do estoque final)
MA = MATERIAL ADQUIRIDO( ou custo de material adquirido) (entradas)

O grande mérito do índice de rotatividade é que ele representa um parâmetro fácil para a
comparação de estoques entre empresas do mesmo ramo de atividade e entre classes de material do
estoque.. Portanto, devemos determinar a taxa de rotatividade adequada à empresa e então compara-la
com a taxa real. É bastante recomendável que ao determinar o padrão de rotatividade se estabeleça um
índice para cada grupo de materiais que corresponda a uma mesma faixa de preço ou consumo.
O critério de avaliação será determinado pela política de estoques da empresa, não esquecendo de
considerar que:
 A disponibilidade de capital para investir em estoque é que vai determinar a taxa de rotatividade
padrão;
 Não se devem utilizar taxas de rotatividade iguais para materiais de preços bastante diferenciados.
Nesse caso use sempre uma classificação ABC;
 Estabeleça uma periodicidade para comparação entre a rotatividade-padrão e a rotatividade real.

Exemplo:
Calcule a cobertura de estoque de um item que apresenta a movimentação no quando abaixo:

ESTOQUE INICIAL ENTRADAS SAIDAS ESTOQUE FINAL


MÊS ( MATERIAL ADQUIRIDO) (MATERIAL CONSUMIDO)
JAN 857 1300 1280 877
FEV 877 1585 1610 852
MAR 852 1650 1595 907
ABR 907 1295 1320 882
MAI 882 1430 1392 920
JUN 920 1270 1290 900
TOTAL 5.295 8.487 5.338
Resolução:

E. médio = 5.295 + 5.338 = 5.316,6


2

Portanto, O estoque médio no período de 6 meses será 886,88 , ou seja, 5.316,6 dividido por 6 , pelo fato
de estarmos trabalhando com 6 peíodos.

GIRO = 8.487 = 9,57


886,88

COBERTURA = 180 = 18,88 dias


9,57

Exercício

1- No período de janeiro a junho, o estoque da empresa Stok Rápido apresentou a seguinte movimentação:

Mês Estoque inicial Entradas Saídas Estoque final


(EI) (MA) (MC) (EF)
Janeiro 280 1560 1620
Fevereiro 1760 1680
Março 2200 2210
Abril 2450 2380
Total

8
Calcule o Giro e a cobertura de estoque dentro desse período.

2- Um item de material que apresenta as movimentações contidas no quadro abaixo:


MÊS EI MA MC EF
Jan 280 2740 2690
Fev 2500 2480
Mar 2600 2630
Abr 2850 2600

a) Qual o giro de estoque dentro quadrimestre?


b) Qual o estoque médio a ser mantido para que seja alcançado um giro = 35.

Previsão de Demanda
Prever qual a quantidade de produto que os clientes deverão comprar é assunto vital para todo o
planejamento empresarial. Por isso, grande esforço tem sido dedicado ao desenvolvimento de métodos de
previsão. Vamos considerar apenas alguns daqueles que são úteis no controle de estoques.
Dentre os vários métodos existentes destacaremos os seguintes:

Método do Último Período


É o mais simples e empírico. baseia-se na estimativa do consumo futuro com base no consumo do período
anterior.
exemplo

CONSUMO DO ÚLTIMO ANO CONSUMO DO PRÓXIMO ANO


2008 - - - - - - - - - 100 UNID. 2009- - - - - - - - - 100 UNID.

Método da Média Simples


Exemplo:
Seja um item que nos últimos 6 meses teve o seguinte consumo:
Jan = 100 unidades
Fev = 120
Mar = 90
Abr = 140
Mar = 130
Jun = 110
A previsão para julho será 115 unidades

Método da Média Móvel Simples

É melhor que o anterior no aspecto de considerar médias de consumos de períodos anteriores. Se a


tendência for de consumo crescente, a média futura será menor. Se a tendência for de consumo
decrescente, a média futura será maior. O Método da Média Móvel é usado para prever demanda de
produtos com demanda estável pois flutuações positivas em um período podem ser compensadas por
flutuações negativas em períodos próximos. São úteis para filtrar flutuações aleatórias.

Utilizando os valores do exemplo anterior, aplicando N=3 teremos:

9
Previsão para julho = 140 + 130 + 110 = 126,66 ≈ 127
3
Suponha agora que a demanda de julho acabou sendo 123, em vez de 127, a previsão para agosto seria
calculada desta forma:
Previsão para agosto = 130 + 110 + 123 = 121
3

Método da Média Móvel Ponderada

É uma variação do método anterior. É mais significativo porque os valores dos períodos mais recentes
recebem peso maior do que os valores dos períodos mais antigos.
Exemplo: para aplicação com N=4

Seja um item que nos últimos 5 meses teve o seguinte consumo:


Jan = 120 unidades
Fev = 140
Mar = 130
Abr = 170
Mai = 150
Neste caso, a previsão para junho será

(140 x 1 ) + ( 130 x 2) + (170 x 3 ) + ( 150 x 4 ) = 151


10

Método da Média Móvel Ponderada usando-se percentuais

De uma forma geral é mais significativo porque os valores dos períodos mais recentes recebem peso maior
do que os valores dos períodos mais antigos. A determinação dos pesos deve ser de tal ordem que a soma
seja 100%.

exemplo
PERÍODO CONSUMO PESO Peso ou fator de importância em % CONSUMO PONDERADO
2004 - - - - - 100 - - - - 7% - - - 7% de 100 - - - - - - - - - - - - - - - - - 7
2005 - - - - - 200. - - - 13% - - - - 13% de 200 - - - - - - - - - - - - - - - - - 26
2006 - - - - - 300- - - - 20% - - - - 20% de 300 - - - - - - - - - - - - - - - - - 60
2007 - - - - - 400 - - - 27% - - - - 27% de 400 - - - - - - - - - - - - - - - - 108
2008 - - - - - 500 - - - 33% - - - - 33% de 500 - - - - - - - - - - - - - - - - 165

ACUMULADO 100% consumo previsto p/ 2009= 366 unidades

Método dos mínimos quadrados


Este método, também conhecido como método dos mínimos quadrados, é utilizado para determinar a
melhor linha de ajuste que passa mais perto de todos os dados coletados, ou seja, é a linha de melhor
ajuste que minimiza diferenças entre a linha reta e cada ponto de consumo levantado.

∑ (Y .Yp)2 = mínimo onde Y = Valor real e Yp = Valor dos mínimos quadrados

Uma linha reta está definida pela equação Y = a + bx. Nas séries temporais, Y é o valor previsto em um
tempo x medido em incrementos, tais como anos, a partir do ano-base. O objetivo é determinar o valor de a
(coeficiente linear) e de b (coeficiente angular).

Usam-se duas equações para determinar a e b. Obtemos a primeira multiplicando-se a equação da


reta pelo coeficiente a e somando-se os termos. Sendo o coeficiente a = 1 e sabendo-se que N é o número
de pontos, a equação se modifica para :

10
∑Y = N a + b ∑X

A segunda equação é desenvolvida de maneira semelhante. O coeficiente de b é X. Ao multiplicarmos os


termos por X e somá-los, teremos :

∑XY = a∑X + b∑X²

Estas duas equações são denominadas de equações normais. As quatro somas necessárias à
resolução das equações ∑Y, ∑X, ∑XY, e ∑X² são obtidas de forma tabular, tendo em vista que X
representa o número de períodos a partir do ano-base. Depois da obtenção das quatro somas,
estas são substituídas nas equações normais, onde os valores de a e b são calculados e substituídos na
equação da linha reta para obtenção da fórmula de previsão : yp = a + bx

Exemplo :

Determinada empresa quer calcular qual seria a previsão de vendas de seu produto W para o ano de 2006
A vendas dos 5 anos anteriores foram : 2001=108 , 2002 = 119 ; 2003 = 110 ; 2004= 122 ; 2005 = 130
unidades.

Fazendo a tabulação :

dispor os dados(eventos) na tabela do período mais antigo para o mais recente.


ano Y X X2 X.Y
2001 108 0 0 0
2002 119 1 1 119
2003 110 2 4 220
2004 122 3 9 366
2005 130 4 16 520
∑ 589 10 30 1225

De onde resultam as equações normais : 589 = 5 a + 10 b e


1225 = 10 a + 30 b

Resolvendo as duas equações simultaneamente, obteremos : a = 108.4 e b = 4.7

Portanto aplicando Yp = a + b x , teremos :


Yp = 108,4 + 4,7 x 5
A previsão para 2006 será 131,9 unidades

EXERCÍCIO

1- Uma loja tem a seguinte tabulação de vendas : 2004 = 171, 2005 =189, 2006 = 153, 2007 = 180 e
2008=207 . Estabeleça uma previsão para 2009 utilizando os seguintes métodos:
a)Média móvel ponderada com n=4;
b)Média móvel ponderada com pesos percentuais com N=5
c) Equação da reta.

2- Considerando a série histórica de consumo de um item demonstrado abaixo, calcule a previsão de

11
demanda aplicando os seguintes métodos:
a) Último período.
b) Média móvel simples com N=4
c) Média móvel ponderada com N=4
d) Média móvel ponderada usando-se percentuais com N=5
Jan = 780 unidades
Fev = 900 unidades
Mar = 790 unidades
Abr = 890 unidades
Mai = 730 unidades
Jun = 690 unidades

CONTROLE DE ESTOQUE

Modelo de Reposição Contínua

PARÂMETROS DE CONTROLE DE ESTOQUE

A gerência de estoque considera vários parâmetros necessários ao dimensionamento dos estoques. Entre
eles os mais importantes são:
Demanda ou Consumo - ( D) - Elemento gerador da administração de material. É o consumo de
material na unidade de tempo analisada.

Quantidade de Ressuprimento - (Q) - É a quantidade de material necessária para recompletar um


nível de estoque estabelecido.

Intervalo de Ressuprimento - (IR) - É o tempo decorrido entre duas datas consecutivas de


suprimento. É predeterminado pela gerência de estoque.

Ponto de Ressuprimento - (PR) - É a quantidade de material em estoque, que ao ser atingida


provoca a emissão de um pedido de ressuprimento.

Tempo de Ressuprimento - (TR) - É o tempo decorrido entre a data de uma solicitação de compra e a
data em que esse material esta disponível no almoxarifado.

Estoque Médio (EM) - É a média aritmética dos valores assumidos pelo estoque durante um
determinado período. Entretanto, o estoque médio dado apenas em relação ao estoque máximo seria:
EM = QR/2 + ES

Estoque Máximo ou Nível Operacional(E.Máx. ou NO) – É a quantidade normalmente disponível para


atender à demanda, atingindo seu ponto máximo à cada ressuprimento.

Nível de Ressuprimento (NR) - É o estoque potencial, isto é, corresponde a soma do material


existente com aquele a ser recebido. O NR atinge o seu valor máximo no ponto de ressuprimento,
decrescendo a partir daí até novo PR.

Estoque de Segurança - (ES) - É a quantidade predeterminada de material destinada a evitar ou


minimizar os efeitos pelas variações da demanda ou do tempo de ressuprimento. Este parâmetro é de
grande importância, pois na prática, tanto D como TR não se comportam como o esperado,
havendo em muitas situações, incremento não previsto de demanda e atrasos no fornecimento.
A ruptura de estoque é a situação em que material existente chega a zero, após consumido todo o
estoque de segurança, a partir deste ponto de ruptura, a ação continuada da demanda irá provocar a
falta de material e seu conseqüente custo.
GRÁFICO DENTE DE SERRA

12
Q

NR

NO

PR

ES

J F M A M J J A TEMPO / MÊS

Exercícios

1- A seção de controle de estoque de certa empresa, ao analisar o comportamento de um item de


material, teve as seguintes informações:

• Demanda média mensal: 240 unidades


• Tempo de ressuprimento: 15 dias
• Estoque de segurança: 80 unidades
• Intervalo de ressuprimento: 1 mês

Com essas informações calcule:


a) A quantidade de ressuprimento
b) O nível de ressuprimento
c) A quantidade que deveria ser adquirida, caso o nível do estoque chegasse a 120 unidades.
d) O ponto de ressuprimento

2- Ao analisar a ficha de estoque do material “X”” obtivemos as seguintes informações:

• Demanda média mensal: 3.300 unidades


• Tempo de ressuprimento: 15 dias
• Estoque de segurança = 1.100 unidades
• Intervalo de ressuprimento = 1 mês

Diante desses dados, calcule:


a) A quantidade de ressuprimento
b) O Nível de Ressuprimento
c) Uma nova quantidade a ser adquirida, se o pedido fosse na ocasião em que o nível do estoque
estivesse em 1.900 unidades.

3- Determinado material é consumido em base mensal de 5.400 unidades. O nível de ressuprimento é de


20.700 unidades e a gerência de estoques realiza 6 ressuprimentos por ano. Para evitar o risco de
faltas, é mantido, a título de estoque de segurança, uma quantidade para atender 10 dias de consumo.
Calcule o tempo de ressuprimento desse item.

4- O consumo mensal de determinado item de material é 1.500 unidades. O intervalo médio entre 2
chegadas sucessivas de material é de 60 dias, sendo mantido um estoque de segurança para 15 dias.

13
O ponto de ressuprimento é de 3.000 unidades. No entanto, em consequência de uma requisição
extraordinária, o saldo em estoque passou de 3.200 para 2.300 unidades, sendo nesta ocasião
emitido um pedido de material.
Determine a quantidade que deveria constar neste pedido.

5 - Calcule e marque as respostas certas:

O consumo médio mensal de um item de material é 10.800 unidades. São feitos 4 ressuprimentos por ano.
O estoque de segurança deverá garantir 10 dias de consumo. O nível de ressuprimento para esse item é de
52.200 unidades.

Podemos afirmar que:

a) O TR para esse item é:

1,5 mês 2 meses 1 mês 3 meses 0,5 mês

b) O PR:

23.400 36.000 19.800 48.600 16.210

c) O estoque médio é:
36.000 19.800 9.000 5.410 16.210

6- Certo item de material é consumido em base mensal de 750 Kg. O nível de ressuprimento é 4.125 Kg.
Considerando-se que a gerência de estoque deseja fazer 4 ressuprimentos por ano e manter 750 Kg como
estoque de segurança.

Com essas informações, calcule qual o tempo de ressuprimento deste item.

7- marque a resposta certa


Analisando a ficha de estoque de certo item de material, obtivemos os seguintes dados:

♦ Demanda média mensal: 800 unidade


♦ Estoque de segurança: quantidade para atender 15 dias de consumo
♦ Intervalo de ressuprimento: 4 meses
♦ Tempo de ressuprimento: 2 meses

No ponto de ressuprimento, não foi emitido o pedido de material, só ocorrendo quando o estoque físico
chegou a 1.700 unidades.

Com essas informações podemos afirmar que:

a) A quantidade de ressuprimento é:

1.600 3.200 2.000 800 3.600

b) A quantidade a ser pedida na situação atual de forma a alcançar o NR é:

2.000 4.300 3.200 5.200 3.500

c) Considerando-se os ressuprimentos feitos, normalmente o estoque médio é:

1.200 2.000 2.550 2.150 850


8- Uma empresa utiliza a metodologia ilustrada no diagrama abaixo para determinar a quantidade a ser
periodicamente a adquirida de um componente que utiliza em sua linha de produção. Sendo 1.200
unidades por mês o consumo desse componente, calcule o seu Ponto de Reposição

14
Fonte : provão do MEC ano 99
Q

PONTO DE REPOSIÇÃO: X UNIDADES


d) 2.000

Est. de Segurança P/ 20
dias de consumo

TR
45 DIAS T

CONSIDERE AS INFORMAÇÕES ABAIXO PARA RESPONDER AS QUESTÕES 9 e 10.

O diagrama a seguir ilustra esquematicamente um modelo de gestão de estoques denominado “Máximos


Mínimos, que é usado para dimensionamento do lote econômico. A lógica deste modelo é a seguinte: a
empresa especifica, para cada item de material, peça ou componente, três parâmetros: (1) o menor estoque
que deseja manter; (2) o ponto de nova encomenda; (3) a quantidade da nova encomenda ( ou tamanho do
lote) fonte: provão do MEC ano 98

QUANTIDADE
MÁXIMA

PONTO DE NOVA
ENCOMENDA QUANTIDADE
ENCOMENDADA

QUANTIDADE
MÍNIMA
TEMPO DE
AQUISIÇÃO
(espera)

Para resolver as questões 10 e 11 considere que foram fixados os seguintes parâmetros em


função da política de estoques de uma empresa que utiliza este modelo: (1) estoque Mínimo: 100(cem)
unidades; (2) Ponto de Encomenda: é função do Tempo de Espera, que, atualmente, é de 1 (um) mês, do
consumo mensal e do estoque mínimo; (3) Quantidade de nova encomenda: equivalente a 2,5 (dois e
meio) meses de consumo. Considere, ainda, que o consumo mensal é de 200 unidades.

QUESTÃO 9
Nas condições acima, no Ponto de nova encomenda, o nível de estoque, em unidades, será:

a) 100
b) 200
c) 300
d) 400
e) 500

QUESTÃO 10
Se o fornecedor antecipar em 15 (quinze) dias a entrega do lote encomendado, quantas unidades haverá no Estoque
nesse dia?

15
(a) 500
(b) 600
(c) 700
(d) 800
(e) 900

11- O Gráfico abaixo representa o controle de estoque de um item que tem um estoque de segurança de
200 unidades e um estoque máximo de 1.400 unidades.
Analise-o e informe:

a) o ponto de ressuprimento
NR
b) o nível de ressuprimento

c) o tempo de ressuprimento E.MAX

d) estoque médio
PR

e) a quantidade de ressuprimento
ES

J F M A
T/MÊS

12- Uma empresa trabalha ininterruptamente (360 dias/ano) e um de seus itens tem um consumo médio
mensal de 2.100 unidades. A reposição de estoques é feita de forma contínua obedecendo ao lote
que é de 2.100 unidades e cada remessa leva 5 dias, após o pedido, para estar disponível na
empresa. Utilizando o gráfico abaixo e as fórmulas de parâmetros de controle de estoque,
determine:
a) O estoque de segurança
b) O estoque médio
c) O ponto de reposição

Quantidade

2350 E. max.

E. Médio

Est. Segurança

30 60 dias

LOTE ECONÔMICO DE COMPRAS

16
É uma determinada quantidade de material que ao ser encomendada propiciará o menor custo
operacional anual de se adquirir e manter estoques.
Este custo operacional(COP), por alguns autores, também denominado CUSTO TOTAL, equivale
ao somatório do custo anual de estocagem + o custo anual de aquisição.

Portanto,
COP = CE + CA
ONDE:
CE= custo anual de estocagem
CA= custo anual de aquisição
COP= custo operacional anual

CUSTO ANUAL DE ESTOCAGEM (CE)

O custo anual de estocagem é determinado pelas despesas com seguros, impostos e taxas, prejuízos com
avarias, aluguéis e depreciação, rateio de equipamentos, preservação dos materiais, pessoal,
obsolescência, e outros.
Para casos em que não se adota estoque de segurança, aplica-se:
CE = Q . i . c
2

Para casos em que se adota estoque de segurança, aplica-se :

CE = ( Q + ES ) i . c
2

ONDE:
Q = quantidade ou lote
i = taxa anual de estocagem
c = custo unitário do item

CUSTO ANUAL DE AQUISIÇÃO (CA)

É o somatório dos custos necessários à aquisição dos materiais, exceto o custo do material
propriamente dito.

Exemplo:
• Pessoal
• Telefone, fax
• Cartas, editais
• Diligenciamento de compras

Enfim, todas as despesas que se tem para formalizar um processo de aquisição.


Portanto,
CA = D. a
Q
Onde:
D = demanda ou consumo
a = custo de aquisição
Q = quantidade ou lote
Para se calcular o Lote econômico de compras aplicamos a fórmula

LEC= 2.D.a
i.c

17
FUNDAMENTAÇÃO DA FÓRMULA

Uma das maneiras de determinar Q mínimo é substituir na equação vários valores de Q até achar o
COP mínimo. Outro método é derivar a equação em relação a Q e igualar a derivada a (0) zero. Mas ,
vejamos, o objetivo é tornar custo operacional o menor possível, o termo(c.D) é uma constante, ele não irá
variar em função do valor de Q; logo:

Sem estoque de segurança ⇒ COP = Q . i . c + D . a


2 Q

Com estoque de segurança ⇒ COP = ( Q + ES ) i . c + D . a


2 Q

A matemática diz-nos que “ o mínimo da soma de duas variáveis, cujo produto é , constante, ocorre para
valores de variáveis”. Então:
a.D + i.c.Q 2 a . D = i. c . Q 2
Q 2 Q2 = 2 . D . a
i.c

Portanto,

LEC= 2.D.a
i.c

TAXA ANUAL DE ESTOCAGEM (i)

Como é encontrada ?

Apura-se todas as despesas que se tem para manter um item em estoque ao longo do ano e depois divide-
se pelo custo do material.

Portanto,

i = quanto você gasta(paga) por ano para manter um item em estoque


custo do produto

Exemplo:
Foi constatado que para manter um determinado item em estoque, cujo valor está na ordem R$850,00 a
unidade, a empresa vinha assumindo os seguintes custos:
Mão-de –obra : R$ 1,30
Rateio de equipamentos : R$ 0,85
Depreciação/avarias : R$ 1,20
Espaço/energia : R$ 1,40
Custo de capital : 11,5% a.a.

• Qual será a taxa anual de estocagem desse item?

18
Exercícios

1- Determinada empresa consome em média, 15.000 unidades de certo material por ano, a um custo
unitário de R$ 143,36. Cada processo de aquisição custa a empresa R$ 4.200,00, sendo a taxa anual de
estocagem calculada em 25%.

Com esses dados, calcule:


a) O LEC

b) o COP

c) Qual seria a quantidade ideal para se adquirir, caso o fornecedor somente forneça o material em
embalagens fechadas com 200 unidades?

2- Uma indústria mecânica consome por ano, em média, 1.800 unidades de um tipo de retentor, e o gerente
de material está preocupado em adquirir Lotes Econômicos de forma a proporcionar um menor Custo
Operacional Anual para a empresa.

Para solucionar a questão foram levantados os seguintes dados:


• Custo unitário do item = R$ 8,90
• Custo de aquisição = R$ 40,00
• Taxa anual de estocagem = 8%
• Tempo de ressuprimento = 20 dias
• Estoque de segurança = não há

De posse dessas informações, calcule:


a) O Lote Econômico de compras
b) O número de aquisições por ano
c) O custo operacional anual mínimo
d) O ponto de ressuprimento

3- O gerente de material de uma empresa de transporte resolveu calcular com critério os lotes de compras
de “PNEUS”, que anteriormente, de forma aleatória, vinha sendo adquirido em lotes de 200 unidades, para
atender a um consumo médio anual de 2.400 unidades.

Foram levantadas as seguintes informações sobre o item:


• Custo unitário = R$ 240,00
• Custo de aquisição = R$ 50,00
• Taxa anual de estocagem = 10%
• Estoque de segurança = não há
• Tempo de ressuprimento = 6 dias

Diante desses dados, calcule:


a) O Lote Econômico de compras
b) O custo operacional que as aquisições aleatórias proporcionam
c) O custo operacional anual proporcionado pelo lote econômico de compras
d) O Nível de Ressuprimento

19
4- Uma empresa do ramo frigorífico, consome anualmente 240 toneladas de um determinado produto, e
vem adquirindo, de forma aleatória, lotes de 8 toneladas, o que proporciona um alto custo operacional
anual.
Para analisar a questão a Gerência de Estoque levantou os seguintes dados:
♦ Custo do item/tonelada = R$ 2.000,00
♦ Custo de aquisição = R$ 30,00
♦ Taxa anual de estocagem = 20%
♦ Tempo de ressuprimento = 3 dias
♦ Estoque de segurança : 5 toneladas

De acordo com essas informações, calcule:


a) O Lote Econômico de compras
b) O custo operacional anual mínimo
c) O custo operacional anual, adquirindo lotes de 8 toneladas
d) O Ponto de Ressuprimento

5- Determinada empresa consome, anualmente, 1.260 unidades de um item de material a um custo


unitário de 232,85. O custo de cada processo de aquisição fica em 308,00, sendo taxa anual de
estocagem calculada em 21%.
Calcule:
a) O lote econômico de compras
b) O custo operacional anual adquirindo-se lotes de 600 unidades.
c) O custo anual de estocagem adquirindo-se toda a quantidade de uma só vez.
d) O número ideal de aquisições por ano.

6- Um atacadista de materiais de construção obtém seu cimento de um fornecedor único para atender a
uma demanda anual de 18.000 sacos. A ficha de controle de estoque desse item apresenta as seguintes
informações:
Taxa anual de estocagem : 18%
Custo por saco : R$ 11,00
Custo de aquisição : R$ 495,00
Tempo de reposição : 5 dias
Estoque de segurança : 100 sacos
Utilize essas informações e calcule:
a) o custo operacional anual mínimo
b) o ponto de reposição

7- As Organizações CRA utiliza um material que tem uma demanda média anual de 4.800 unidades. Os
custos para obter e manter este material, bem como as condições de fornecimento proposta pelo fornecedor
estão disponíveis a seguir:
♦ Taxa anual de estocagem = 15%
♦ Custo unitário do item = R$ 25,00
♦ Custo de aquisição = R$ 80,00
♦ Condições de fornecimento: embalagens fechadas com 200 unidades.
Diante das condições acima, qual será o lote ideal de compras?

20
CASO

A direção da empresa de Transporte Sudeste Ltda designou um profissional de logística interna para
analisar e apresentar soluções para a determinação dos níveis dos estoques a serem mantidos de um dos
seus itens mais críticos no desempenho de suas atividades “ PNEU REFORÇADO 295/80R – LISO”
No primeiro momento foi constatado que para manter cada unidade deste item armazenado durante
o ano, a empresa vinha assumindo os seguintes custos:
Mão-de –obra : R$ 1,30
Rateio de equipamentos : R$ 0,85
Depreciação/avarias : R$ 1,20
Espaço/energia : R$ 1,40
Custo de capital : 11,5% a.a.

Verificando todos os custos para a realização de um processo de aquisição , independentemente da


quantidade a ser adquirida, foi contabilizado um valor de R$780,00.

Na seção de controle de estoque constam os seguintes registros:


Custo unitário : R$ 950,00
Demanda média mensal : 1500 unidades
Tempo de ressuprimento : 5 dias
Não se adota estoque de segurança

Observamos que, para facilitar as operações de carregamento,, transporte e descarga, o fornecedor


somente entrega este produto em paletes fechados com 20 unidades.

Na qualidade de gestor de estoque desta empresa, apresente as seguintes soluções:

1- O lote econômico de compras considerando a condição imposta pelo fornecedor.


2- O custo operacional anual mínimo, considerando a condição imposta pelo fornecedor, ou seja,
paletes com 20 unidades.
3- O Ponto de ressuprimento deste item?
4- A que nível o estoque atingirá se o fornecedor antecipar a entrega do material em 2 dias?

21
SISTEMA ABC DE CONTROLE DE ESTOQUES

O sistema de classificação ABC de estoques é utilizado para identificar o grau de importância de cada item
dentro da empresa. Geralmente, essa classificação é feita baseada em valores de consumo anual, ou seja,
multiplicando-se o custo unitário do item pela quantidade consumida durante o ano, mas outros critérios
também podem ser utilizados.
Na maioria das organizações, os estoques apresentam, em média, a seguinte
distribuição, em termos de quantidade e valor;

CLASSE % DE ITENS % DE VALORES


A 10 75
B 25 20
C 65 5

Para classificar os materiais dentro desse método, devemos, também, considerar os seguintes fatores:
 Tempo de fornecimento

 Volume do material

 Perecibilidade

 Lote econômico

 Riscos de obsolescência

Importância da Aplicação
Vejamos o exemplo:

Uma empresa apresentava um consumo anual de 9.000 itens de materiais diferentes. Devido a
grande dificuldade de administrar todo o universo de itens, a direção da empresa decidiu aplicar uma
classificação ABC, determinando que 70% dos valores consumidos deveriam ser enquadrados como A e
20% dos valores consumidos como B. Na conclusão deste trabalho apenas 720 itens, aproximadamente,
foram enquadrados como classe A e 1.800 itens enquadrados como B, proporcionando maior facilidade em
exercer um controle mais eficaz aos itens mais significativos em termos de valores monetários.

Nesse caso, podemos observar que apenas 8% dos itens foram enquadrados como classe A e 20%
dos itens foram enquadrados como classe B, obviamente, os demais itens, ou seja, 72% do total foram
enquadrados como C.

Nesse exemplo, vimos que ficou concentrado nas mãos da direção da empresa, apenas um
pequeno número de itens, mas com uma grande parcela do valor a ser administrado.

A classificação ABC é adotada para estabelecer


• As prioridades nas compras
• Nível das autoridades que determinam as compras
• Rotinas de inventários
• Tamanho dos lotes a serem adquiridos

22
EXERCÍCIOS

1- As demandas anuais dos itens de estoque de uma empresa e seus respectivos preços médios estão
disponibilizados na tabela abaixo:
N0 de Código Demanda Preços médio Valor da
itens do item anual unitário demanda
01 2581 80 4,00 320,00 Implemente uma classificação
02 2690 30 8,60 258,00 ABC quanto ao valor de
03 2574 21 80,00 1680,00 consumo, considerando A= 10 %
04 3225 04 40,00 160,00 e B=20% dos itens e trace uma
05 1489 02 56,00 112,00 curva ABC.
06 2560 30 44,00 1320,00
07 itens
2589 80 0,80 valores
64,00
no 08 % % acum
3324 codigo
26 demanda
2,00 % % 52,00
acum classe
1 09 2121 20 0,40 8,00
2 10 2698 15 0,80 12,00
3 11 2597 03 16,00 48,00
4 12 2540 07 4,00 28,00
5 13 2566 04 6,00 24,00
6 14 2548 10 1,50 15,00
7 15 9878 35 2,00 70,00
8 16 9958 10 2,00 20,00
9 17 5456 10 4,40 44,00
1018 5596 17 2,00 34,00
1119 9654 03 6,00 18,00
1220 6654 07 2,00 14,00
13
14
15
16
17
18
19
20

2- O diretor de logística da empresa LCJ Ltda, deseja exercer um controle mais rígido sobre 20% do total
dos seus itens movimentados, que tenham maior valor de consumo, estes serão denominados classe “A” e,
desta forma, somente a direção da empresa poderá autorizar as suas compras e, posteriormente, 30% dos
itens, ou seja, os que possuam valor de consumo intermediário, terão suas compras autorizadas pelo
próprio gerente de estoque , estes itens serão denominados classe “B”. Os demais serão classificados como
“C”. Na tabela abaixo estão registradas as demandas anuais dos itens e seus respectivos preços médios
unitários.
Faça essa classificação e demonstre uma curva ABC.

itens Consumo Preço Valor de


anual unitário consumo
C10 150 12,00 1800,00
C11 100 2,50 250,00
C12 50 4,00 200,00

23
C13 320 20,00 6400,00
C14 90 3,00 270,00
C15 70 3,50 245,00
C16 20 38,00 760,00
C17 120 2,50 300,00
C18 240 30,00 7200,00
C19 30 40,00 1200,00
18.625,00

3- O quadro abaixo mostra as movimentações dos itens de estoque de uma empresa.


Utilize o critério de ordenação quanto ao valor de consumo e calcule o percentual acumulado de valores dos
itens A e B, considerando A=20%, B=20% e C=60% dos itens.

ITENS DO PREÇO CONSUMO


ESTOQUE UNITÁRIO ANUAL
01 80,00 99
02 12,00 150
03 20,00 100
04 15,00 300
05 70,00 50
06 10,00 114
07 8,00 150
08 5,00 200
09 30,00 198
10 60,00 150

Nível de serviço

Nível de serviço ou nível de atendimento é o indicador de quão eficaz foi o estoque para atender às
solicitações dos usuários. Assim, quanto mais requisições forem atendidas, nas quantidades e
especificações solicitadas, tanto maior será o nível de atendimento.
Portanto, NÍVEL DE ATENDIMENTO é o indicador que mostra a eficácia do estoque em atender o usuário.

Nível de serviço = Número de requisições atendidas


Exemplo: Número de requisições efetuadas
No almoxarifado da empresa Vitória Capri, durante um período de 6 meses, foram apresentadas
3.100 requisições de materiais, com um número médio de 1,45 item por requisição. Foram entregues 4.400
itens, exatamente como solicitado. Qual foi o nível de atendimento do almoxarifado?
Solução:
Nível de serviço = 4.400 = 97,88%
4.495

Inventário Físico
São as operações da contagem física dos itens de estoque.
O inventário físico é geralmente efetuado de dois modos: Periódico e Rotativo.

24
Periódicos quando em determinados períodos – normalmente no encerramento dos exercícios fiscais, ou
duas vezes por ano – faz-se a contagem física de todos os itens do estoque.

Rotativo quando permanentemente se contam os itens em estoque. Nesse caso faz-se um programa de
trabalho de tal forma que todos os itens sejam contados pelo menos uma vez dentro do período
fiscal(normalmente de um ano).
Um critério usual é contar a cada três meses 100% dos itens da classe A(33,3% ao mês,
aproximadamente), 50% dos itens da classe B(16,6% ao mês) e 5% dos itens da classe C(1,6% ao mês)

Acurácia dos Controles


Uma vez terminado o inventário, pode-se calcular a acurácia dos controles, que mede a porcentagem de
itens corretos, tanto em quantidade quanto em valor, ou seja:

Acurácia = Número de itens corretos


Número total de itens

ou

Acurácia = Valor de itens corretos


Valor total de itens

Exemplo
A empresa “CPMI Ltda” dispõe de 50.000 itens em estoque, sendo 6.000 itens da classe A , 14.000 da
classe B e 30.000 itens da classe C.
Para exercer um maior controle adota-se o inventário do tipo rotativo em que a cada três meses ela conta
100% dos itens classe A, 50% dos itens classe B e apenas 10% dos itens classe C.
No último trimestre foi detectado as seguintes divergências em cada classe:

Classe A 180
Classe B 430
Classe C 52

Analise o caso e apresente a acurácia de controle

Desenvolvimento:

Classe Número de itens Números de itens Número de itens Acurácia


contados contados em % com divergências
A 6.000 6.000 = 0,375 % (6.000 –180) = 0,97 %
16.000 180 6.000

25
B 7.000 7.000 = 0,4375 % 430 (7.000 – 430) = 0,9385 %
16.000 7.000
C 3.000 3.000 = 0,1875% 52 (3.000 – 52) = 0,9826 %
16.000 3.000
Total 16.000

Solução:
(0,375 X 0,97) + (0,4375 X 0,9385) + (0,1875 X 0,9826) = 0,9577

Portanto,
acurácia = 95,77%

ARMAZENAMENTO DE MATERIAL
Utilização cúbica e acessibilidade
Os produtos não são apenas estocados no chão, mas no espaço cúbico do depósito. Embora o tamanho de
um depósito possa ser descrito em um determinado número de metros quadrados, a capacidade do
depósito depende da altura em que as mercadorias podem ser estocadas.

aproximadamente 1,22 m

CORREDOR

aproximadamente 1, 22 m
UTILIZAÇÃO CÚBICA

Também é exigido espaço para corredores, balcões de recebimento e entrega, escritórios e áreas para a
escolha e montagem dos pedidos. Para o cálculo do espaço necessário para armazenamento, precisa-se de
uma estimativa para o estoque máximo.
Suponha-se que um máximo de 90.000 caixas devam ser estocadas, sendo que 30 caixas cabem em cada
palete. É necessário um espaço para 3.000 paletes. Se os paletes forem empilhados em número de três,
serão necessárias 1.000 posições de paletes. Um palete é uma plataforma que, geralmente, tem
aproximadamente as seguintes dimensões: 1,22 m X 1,02 m X 0,1 m.
Posições de Paletes.
Suponha-se uma seção de depósito como a ilustrada na figura 33 Como a área de armazenamento tem
1,22 m de profundidade, as laterais dos paletes que medem 1,02 m são colocadas junto à parede.
Entretanto, os paletes não devem ser colocados muito rentes uns aos outros; recomenda-se deixar um
espaço de 5 cm entre eles, para que possam ser movimentados. Portanto, resta espaço para,
aproximadamente, 36,58 m : 1,07 m = 34,2 ou 34 posições de paletes ao longo de cada lado do corredor.
Como os paletes são empilhados no número de 3, há espaço para 34 X 3 X 2 = 204 paletes.

26
Localização do Estoque (endereçamento)
A localização do estoque, ou arranjo físico do depósito, relaciona-se com a localização de itens
individuais no depósito. Não existe um único sistema universal de localização de estoque que seja
adequado para todas as ocasiões, ou para qualquer tipo de organização, mas há vários sistemas básicos
que podem ser utilizados. Qualquer que seja o sistema utilizado a administração de vê oferecer o nível
exigido pelos clientes, ou seja, manter um controle eficaz dos itens de modo que possam ser encontrados
facilmente e reduzir o esforço total necessário para receber, armazenar e retirar os produtos para remessa.
Um dos sistemas mais empregado é o de coordenadas alfanuméricas, cuja composição alterna
número e letras, iniciando o código de localização com um número que identifica a instalação(almoxarifado,
depósito, pátio), e terminando com um número ou letra indicativo da menor unidade de estocagem para
aquela instalação(escaninho, gaveta, coluna etc)
Exemplo:
Almoxarifado 2

2 B 6 D 5
Zona de estoque B (primeira à direita, no sentido frente/fundo)

Estante 6 (terceira à direita no sentido frente/fundo)

Prateleira D (quarta, de baixo para cima da estante.

Escaninho 5 (quinto, da Circulação Principal para a


parede lateral

Uma vez conhecendo este sistema, torna-se mais fácil entender ou implantar ou um outro sistema
que seja composto apenas de números, para isto, basta apenas que seja convencionado o que cada
número ou conjunto de números irá representar dentro do arranjo físico.

LOGÍSTICA EMPRESARIAL

Vencer o tempo e distância na movimentação de bens ou na entrega de serviços de forma eficaz e eficiente
é a tarefa do profissional de Logística.
Dentre várias definições de Logística Empresarial a que, para mim, traduz maior simplicidade e clareza é:

“ A Logística empresarial trata de todas atividades


de movimentação e armazenagem, que facilitam o
fluxo de produtos desde o ponto de aquisição da
matéria-prima até o ponto de consumo final, assim
como fluxos de informação que colocam os
produtos em movimento, com propósito de
providenciar níveis de serviços adequados aos
clientes a custo razoável.”
BALLOU
27
Origem e importância

Antes da estabilidade econômica as empresas estavam acostumadas a trabalharem com estoque altos,
com o advento do Plano Real, quando passamos a ter uma estabilidade econômica, os verdadeiros custos
apareceram e os mais significativos eram os custos logísticos. Desde então, as empresa passaram a dar
mais importância às competências logísticas para ter como sobreviver.

DIVISÃO DA LOGÍSTICA EMPRESARIAL

Divide-se em 4 partes:

Logística de Suprimentos : trata da recepção dos produtos, desde a sua origem até a entrada na
empresa. Nela está incluída a compra.

Logística Interna : responsável pela armazenagem e movimentação interna dos produtos, ou seja, tudo
que com eles ocorrem dentro das 4 paredes, tais como manuseio, abastecimento da produção, etc.

Logística de Distribuição : Responsável pela movimentação dos produtos da porta da empresa para fora
até o contato com o consumidor. Dentro dessa logística está a atividade de transporte.

Logística Reversa : responsável por todo o fluxo de informações ou de produtos que voltam do
consumidor.

Termos e expressões empregadas nas atividades logísticas

Supply Chain

Termo em inglês que significa “cadeia de abastecimento ou cadeia de suprimento”.


Chain = corrente
No Brasil chamamos de cadeia. É um conjunto de entidades de todos os segmentos possíveis e
imagináveis que estão entre uma determinada empresa e o consumidor. Exemplo: bancos, transportadores,
supermercados. Enfim, toda e qualquer entidade envolvida nesta atividade.

Centros de Distribuição
Instalações físicas por onde transitam os estoques de uma ou várias empresas localizadas entre os locais
onde foram produzidos e os mercados consumidores, além de poderem estocar os produtos em trânsito por
períodos curtos.

Item de demanda dependente


Itens ou componentes cuja demanda depende da demanda de outros produtos.

Item de demanda independente


Produtos acabados cuja demanda depende do consumidor externo.

Just-in-time
Método de produção que tem como objetivo disponibilizar os materiais requeridos pela manufatura apenas
quando necessários.

28
Modal de transporte
Meio de transporte usado para a movimentação física dos produtos, por exemplo, marítimos(navios
oceânicos ou de cabotagem), fluviais (navios de pequeno porte ou barcaças), rodoviários(caminhões e
carretas), ferroviários (trem de carga), aeroviários(aviões de carga) e dutoviários(por meio de dutos).

Produção puxada
Consiste em produzir à medida em que os clientes pedem.

Produção empurrada
Consiste em produzir independentemente do pedido do cliente, ou seja, com base em dados estatísticos de
demanda.

Código de barras
É uma representação gráfica de dados que podem ser numéricos ou alfanuméricos, dependendo do tipo de
barras empregado.

Vendor Managed Inventory (VMI)


É estoque gerenciado pelo fornecedor.

SKU (Stock – Keeping – Unit) ou unidade de manutenção de estoque


Significa cada tipo de material existente em estoque.

ECR – Efficient Consumer Response ( resposta eficiente ao consumidor)


É uma estratégia na qual o varejista, o distribuidor e o fornecedor trabalham muito próximos para eliminar
custos excedentes da cadeia de suprimentos e melhor servir ao consumidor

Cross Docking
São sistemas de distribuição nos quais os produtos recebidos no centro de distribuição não são
armazenados, mas sim preparados para serem enviados aos pontos de vendas ou de destino.

Endereçamento de materiais
Técnica utilizada para identificar os locais em que se encontram os materiais armazenados

Atividades Logísticas

São classificadas em duas atividades-chave: atividades primárias e atividades de apoio.

Atividades Primárias
Compreendem :
• Transporte
• Manutenção de estoques
• Processamento de pedidos
Essas atividades são consideradas primárias porque ou elas contribuem com a maior parcela do custo total
da logística ou elas são essenciais para a coordenação e o cumprimento da tarefa logística.

Transporte

29
Para a maioria das organizações , o transporte é a atividade logística mais importante simplesmente porque
ela absorve, em média, de um a dois terços dos custos logísticos.

Manutenção dos estoques


Geralmente, não é viável providenciar produção instantânea de certos componentes, portanto, para se
atingir um grau razoável de disponibilidade de produto, é necessário manter estoques, que agem como
“amortecedores” entre a oferta e a demanda. São responsáveis por um a dois terços dos custos logísticos.

Processamento de pedidos
Os custos de processamento de pedidos tendem a ser pequenos quando comparados aos custos de
transportes ou de manutenção de estoques, contudo, processamento de pedidos é uma atividade logística
primária.
Desta forma, estas três atividades logísticas podem ser colocadas em perspectiva notando-se sua
importância naquilo que pode ser chamado de “ciclo crítico de atividades logísticas”. Por isso, elas são
chamadas atividades primárias.

Atividades de Apoio
Apesar de transportes, manutenção de estoques e processamento de pedidos serem os principais
ingredientes que contribuem para a disponibilidade e a condição física de bens e serviços, há uma série de
atividades adicionais que apóia estas atividades primárias. Elas são:
• Armazenagem
• Manuseio de materiais
• Embalagem de proteção
• Obtenção
• Programação de produtos
• Manutenção da informação

Armazenagem
Refere-se à administração do espaço necessário para manter estoques. Envolve problemas como
localização, dimensionamento da área, arranjo físico, recuperação do estoque, projeto de docas ou baias de
atracação e configuração do armazém.
Manuseio de materiais
Está associada com a armazenagem e também apóia a manutenção de estoques. É uma atividade que diz
respeito à movimentação do produto no local de estocagem.

Embalagem de proteção
Um dos objetivos da logística é movimentar bens sem danifica-los além do economicamente razoável. Bom
projeto de embalagem do produto auxilia a garantir movimentação sem quebras.

Obtenção

30
É a atividade que deixa o produto disponível para o sistema logístico. Trata da seleção das fontes de
suprimento, das quantidades a serem adquiridas, da programação das compras e da forma pela qual o
produto é comprado.

Programação do produto
Enquanto a obtenção trata do suprimento(fluxo de entrada) de firmas der manufatura, a programação de
produto lida com a distribuição(fluxo de saída).

Manutenção de informação
Nenhuma função logística dentro de uma firma poderia operar eficientemente sem as necessárias
informações de custo de desempenho. Tais informações são essenciais para o correto planejamento e
controle logístico. Manter uma base de dados com informações importantes, como por exemplo, localização
dos clientes, volume de vendas, padrões de entregas e níveis dos estoques.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS
ARNOLD, J.R. Tony. Administração de Materiais: uma introdução. São Paulo – Atlas –
1999.
DIAS, Marco Aurélio P. Administração de Materiais: uma abordagem logística. 5a edição –
São Paulo – Atlas – 2005.
SILVA, Renaud B. da. Administração de Material: teoria e prática. . 2a edição - Rio de
Janeiro – ABAM –1981.
BERTAGLIA, Paulo Roberto. Logística e o Gerenciamento da Cadeia de Abastecimento.
São Paulo – Saraiva – 2003.
BALLOU, Ronald H. Logística Empresarial. São Paulo – Atlas – 1993.
MARTINS, Petrônio G. & Alt, Paulo Renato C. Administração de Materiais e Recursos
Patrimoniais. 2a edição - São Paulo – Saraiva – 2006.

31
NOVAES, Antonio Galvão. Logística e Gerenciamento da Cadeia de Distribuição. Rio de
Janeiro – Campus – 2001.
SITES:
www.ibralog.org.br
www.guiadelogistica.com.br
www.aslog.org.brn
www.cvlog.net

32