Você está na página 1de 14

COMO ORGANIZAR UM MINISTÉRIO DE TEATRO

EM SUA IGREJA

A PRÉ-PRODUÇÃO

O Líder do Teatro

O Líder do Grupo de Teatro deve ser capaz de unir os componentes num


propósito comum, inspirá-los e conduzi-los. Certamente um líder de Grupo
de Teatro sabe que vai enfrentar muitas dificuldades da pré-produção até
a Apresentação de Estréia. Dificuldades de Reunir o grupo todo para o
ensaio, entrosar o grupo, tirar a timidez, dar estímulos, mostrar o valor
desse tipo de trabalho para o Reino de Deus.

É preciso ter personalidade firme e influência sobre os demais de seu


grupo, reconhecendo sempre que você foi chamado por Deus para o
propósito especifico da utilização do teatro como forma de evangelização.
Confiando sempre em Deus, sendo humilde, aceitando sugestões,
“fazendo parte” do grupo e entrosando o grupo. Deve orientar e dirigir o
ensaio com seriedade e sinceridade. Prestando auxilio maior aos que tem
mais dificuldade nas cenas. Valorizar o potencial de cada componente,
esclarecer acerca da responsabilidade do trabalho. Estabelecer regras a
serem cumpridas. Ser sempre o primeiro a dar exemplo, viver o que prega,
cobrar o máximo dos componentes.

A Escolha do Texto

O texto deve ser escolhido de acordo com a necessidade da Igreja. Com a


orientação do pastor, escolha o tema que quer abordar e o texto poderá
ser escolhido de forma mais objetiva.

A Escolha do Elenco e da Produção

São dois processos: O convite para integrar o Grupo de teatro e a escolha


do elenco e da Produção. Faça o seguinte convite PARA PESSOAS:

- Que sejam pessoas batizadas

- Gostem de teatro (atuar ou participar da produção)

- Tenham tempo para se dedicar aos dias de ensaios.

Depois de feito o convite, divida em 2 Grupos:

A Produção (sonorização, iluminação, cenário, figurino, maquilagem) e o


Elenco.

A Produção é geralmente composta de pessoas que gostam de teatro,


mas não de interpretar. Então, elas desejam ajudar na parte de
iluminação, sonorização, maquilagem, cenário e figurino. Estabeleça as
tarefas para essas pessoas, pois elas serão assistentes diretos do líder.
Para escolher o elenco da peça, devem-se levar em consideração os
requisitos abaixo, nesta mesma ordem:

Aparência – É extremamente necessária que a aparência da pessoa


identifique juntamente ao publico, a imagem que se pretende passar do
personagem. Uma pessoa mal escolhida para interpretar um papel pode
acabar estragando a montagem por sua aparência não convencer o
publico. Ex. Colocar um rapaz muito alto e extremamente magro para
fazer um papel de Deus. Vai ironizar o personagem.

Voz – Imagine um jovem que está mudando de voz, fazendo papel de um


homem de 50 anos. Nem pensar. Uma atriz jovem com voz de criança, traz
certa desconfiança para o publico. Um rapaz de voz forte pode
desempenhar um personagem que tenha que passar credibilidade.

Interpretação – Porque interpretação em ultimo lugar? Pois bem. De que


adiantaria ser um excelente ator/atriz se não possui a aparência ou a voz
adequada ao personagem.

Cabe ao líder, definir os papeis de acordo com a aparência e a voz de cada


componente. A aparência é tão importante na cena, que o ator pode fazer
uma cena sem dizer uma única palavra. Lembre-se: O que aparece no
teatro é o “corpo” e a “fala”. Como já dito, a aparência e a voz.

Começando a Ensaiar

Antes do início do ensaio, orem. Depois do ensaio, também. Estabeleça


regras quanto a datas de ensaios e horário e seja rígido. Ensaio serve para
elaborar a apresentação da peça, marcar as cenas, entrosar o grupo.

Primeira etapa de ensaio

- Distribua os textos e dê um prazo para estar decorado

- Comece ensaiando somente a voz, a entonação das falas. Sente-se em


circulo com o grupo e leiam

o texto do início ao fim. Isso fará com que conheçam a historia a ser
apresentada.

- Ensaie cenas isoladas, não precisa ser na ordem em que aparecem no


texto.

- Faça os exercícios da Oficina de Dramatização

Segunda etapa de ensaio

- Comece a cobrar o texto decorado

- Os componentes que tiverem seus textos decorados, podem começar a


terem suas cenas marcadas (movimento e voz).

- A cada erro em cena, faça com que se comece do inicio da cena. Isso fará
com que os atores decorem suas falas mais rápido.
Terceira etapa de ensaio

- Comece a ensaiar as cenas em ordem cronológica. Se houver cenas ainda


não prontas, faça os atores repetirem várias vezes depois do ensaio
cronológico.

- Não permita que os componentes segurem o texto durante suas cenas


nos ensaios. Se for preciso dite as palavras e eles repitam. Se isso não for
feito eles vão se prender ao texto e dificultar a marcação das cenas e o
bom andamento do companheiro de cena.

- Comece a incluir nos ensaios, cenário, iluminação e sonorização. Isso


serve para adaptar os atores a realidade da cena.

Quarta etapa de ensaio

- Verificar o figurino e o tempo necessário para troca de roupa (caso haja).

- Organizar todo o equipamento necessário para a apresentação.

- Fazer o ensaio geral.

Marcar as cenas de movimentos é estabelecer: locais de entrada e saída


de personagens, posição na cena, movimentos feitos durante a cena.
Sentar-se, levantar-se, andar pra frente/trás etc. É expressamente
proibido ficar de costas para o publico, a não ser que a marcação de cena
exija isso. Quanto mais marcada a cena, mais bonito fica o efeito visto
pelo público.

Marcação de voz - É proibido falar com a cabeça baixa, falar pro chão ou
falar rápido demais o texto.

Treinador – Técnico. Na TV, alguns atores possuem um diretor somente


pra ele. Este se dedica a auxiliá-lo para melhorar seu desempenho nas
cenas. Coloque um componente como Treinador de cena de outro
componente. Assim ele poderá auxiliar o companheiro em cena e trará
novas idéias para a direção.

Oficina de Dramatização

Apesar de você dispor de um elenco disposto a servir, certamente eles


enfrentarão diversos “temores”, principalmente se forem iniciantes. Os
exercícios da Oficina de Dramatização são extremamente importantes
durante os ensaios. Através deles, a timidez, a sensação de incapacidade,
a vergonha, o nervosismo, podem ser facilmente eliminados. É muito
importante a participação de todo o elenco, (incluindo a equipe de
produção) desses exercícios. Os exercícios contribuem inclusive para o
entrosamento de todo Grupo de Teatro. Abaixo seguem alguns desses
exercícios:

EXERCÍCIOS PARA A VOZ


Lembre-se: Falar alto e gritar são posturas totalmente diferentes. Ensine
seu grupo a falar alto. Gritar só se houver necessidade em cena.

CONTAGEM de 1 a 10

Contar de 1 à 10, a cada número, aumentar gradativamente o volume da


voz e na seqüência, contar de 10 à 1, a cada número diminuir
gradativamente o volume da voz.

OBJETIVO: Conhecer a capacidade de voz de cada componente e


desenvolver em cada um controle do volume da voz.

DICÇÃO

Cada componente deve ler em voz alta o texto de seu personagem na


trama, destacando todas as silabas, pontuação e entonação.

OBJETIVO: Trabalhar as dificuldades encontradas pelos componentes ao


pronunciar o texto de modo a tornar mais claro para o público as falas dos
personagens.

VIBRAÇÃO DAS CORDAS VOCAIS

Molhar os lábios (inferior e superior) com a própria saliva, juntar os lábios


formando um bico, respirar profundamente e soltar o ar pela boca de
maneira a fazer com que os lábios vibrem. Fazer três series de 10
repetições cada.

OBJETIVO: Exercitar as cordas vocais.

EXERCÍCIOS PARA A INTERPRETAÇÃO

IMPROVISO

Divida o elenco em grupos de 3 ou 4 pessoas. (Preferencialmente coloque


os que têm menos intimidade entre si). O líder dirá a cada grupo um tema
bíblico e que personagens cada um fará. Tudo por mímica. Tipo: Daniel na
cova dos Leões: Coloque uma mulher para fazer Daniel. Cada grupo fará
sua apresentação e ao termino, todos devem sentar-se em círculos e de
forma franca e sincera se avaliarem.

OBJETIVO: Esse exercício é saber se os atores estão conseguindo passar a


mensagem escolhida pelo líder.

PEGADINHA

Algumas cenas exigem da pessoa a necessidade de chorar ou de fazer uma


cena de agressividade. Algumas pessoas, às vezes não conseguem devido
à timidez ou a vergonha, ou por não querer se expor. Se você percebe que
há necessidade que a pessoa chore, faça o seguinte: Discretamente,
durante o ensaio, combine com todo o elenco para que na cena que essa
pessoa tem de chorar, todos comecem a reclamar do mau desempenho
dela e que ela não corresponde às expectativas do grupo, peça a todos
para reclamarem muito dela na frente dela. Até que ela chore e liberte
suas emoções. No final do exercício, revele a pessoa que a brincadeira
tem por objetivo liberar as emoções. Se for o caso da pessoa precisar
demonstrar agressividade em cena e não esteja atingindo o objetivo, o
líder do grupo deverá ser “curto e grosso” e chamar a atenção dessa
pessoa na frente de todo o grupo de maneira que só pare na hora que
conseguir “tirar do sério” a pessoa em questão. Depois revele que foi um
exercício.

OBJETIVO: Libertar as emoções.

ORDEM EXECUTADA

O líder deverá pedir para o grupo ficar andando, o grupo não pode falar,
tudo deverá ser feito através de mímica. No ouvido de cada um, o líder
dará uma ordem que deverá ser executada. Exemplo: Clara, leva a Maria
para aquela parede. Maria, não faça o que a Clara quer que você faça.
Ana, não deixe o Pedro imitar um macaco. Pedro imite um macaco. Manoel
imite um louco. João imite o Manoel. O líder pode aproveitar esse exercício
para aproximar pessoas do grupo que tem pouca afinidade.

OBJETIVO: Despertar a criatividade e o improviso nos atores. Também tirar


a vergonha e a timidez uma vez que todos estarão se expondo ao mesmo
tempo.

Exercícios para Expressão Facial

A PESSOA E O ESPELHO

Coloque um componente de frente para o outro. Um que seja extrovertido,


este será a “pessoa” e outro mais tímido, que será o “espelho”. A pessoa
fará os movimentos faciais (sorriso, tristeza, espanto, risada, caretas
diversas) e o espelho terá que imitar. Depois inverta os papeis de pessoa
e espelho.

OBJETIVO: Desenvolver expressão facial nos componentes, tirar a timidez


e a vergonha.

EXERCÍCIOS PARA EXPRESSÃO CORPORAL

IMAGINAÇÃO
Os componentes estarão espalhados pelo local de ensaio, então o líder
lhes dirá como devem se comportar. Os componentes têm liberdade para
falar, se quiserem. Eles esquecerão que estão numa sala fechada e se
transportarão para outros lugares. Exemplo: Numa guerra, num temporal,
numa floresta sombria, andando sobre o fogo, a neve, na água, na beira
de um abismo etc.

OBJETIVO: Desenvolver a capacidade de externar para o corpo sensações


que precisem ser mostradas em cena.

CRIAÇÃO DE OBJETOS

Os componentes devem estar um ao lado do outro numa fila reta. Em


silencio total, eles devem criar objetos nas mãos e passar para o
componente ao lado que deverá receber o objeto e transformá-lo em outro
e passar adiante até o ultimo componente. Deve-se levar em conta o peso,
consistência e tamanho do objeto. Quem receber uma agulha deverá
recebê-la com cuidado para “não escapar de suas mãos”, porem quem
receber uma televisão fará muito esforço para segurá-la.

OBJETIVO: Desenvolver a criatividade e o improviso em cena. Tornar as


mãos e o corpo ágeis.

A Produção

Iluminação

Assistente de Iluminação. Ele é essencial numa apresentação teatral. É ele


quem vai apagar e acender as luzes e criar efeitos visuais com luzes. A
iluminação deve ser testada durante os ensaios. A iluminação tem que
necessariamente vir do alto para não projetar “sombras” na parede de
fundo do palco de apresentação.

Sonorização

Selecione as musicas e fundos musicais a serem utilizados de acordo com


o tema ou a cena a ser desenrolada. Organize tudo de maneira prática.
Fica por conta do Assistente de Som o bom andamento da trilha sonora
durante a apresentação da peça.

Figurino

Se houver necessidade de recriar roupas de época, haverá a necessidade


de fazer vestimentas específicas. Porém, se o texto abordar tema
contemporâneo, converse com o Grupo para cada um cuidar de seu
próprio figurino. Caso haja troca de figurino de um mesmo personagem, é
necessário ter um Assistente de Figurino, para orientar a pessoa a
respeito dessa mudança.
Cenário

Pode ser simples, ou muito bem estruturado. Isso vai depender da


condição financeira do Grupo. De qualquer maneira o uso do cenário pode
ser dispensável, dependendo do assunto a ser abordado. Claro que um
cenário numa montagem teatral, produz um efeito visual muito bonito e
realista.

Maquilagem

Peça ajuda de alguém que tenha conhecimento de maquilagem. Disfarce


os atores. O ideal é que o publico não identifique, nem reconheça o
componente do grupo, mas apenas visualize o personagem na cena.

MAIS ALGUNS EXERCÍCIOS PARA ATORES

Exercício 01 - ATIVIDADES COMPLEMENTARES


Um ator inicia um movimento qualquer e outros procuram descobrir qual é
essa atividade, para então realizarem as atividades complementares.

Exemplo: os movimentos de um árbitro durante um jogo, complementado


pelos jogadores defensores e atacantes; um chofer de táxi complementado
pelo passageiro; um Pastor realizando um culto complementado por seus
membros e pela congregação, etc.
Exercício 02 - CONTAR A MÍMICA FEITA POR OUTRO
Um ator vai ao palco e conta, em mímica, uma pequena história. Um
segundo ator observa enquanto que os outros três não podem ver. O
segundo ator vai ao palco e reproduz o que viu, enquanto os outros dois
não vêm: só o terceiro. Vai o terceiro e o quarto o observa, mas não o
quinto. Vai o quaro e o quinto o observa. Finalmente vai o quinto ator e
reproduz o que viu fazer ao quarto.

Compara-se depois o que fez o primeiro: em geral, o quinto já não tem


nada mais a ver com o primeiro. Depois, pede-se a cada um que diga em
voz alta o que foi que pretendeu mostrar com a sua mímica. Este exercício
é divertidíssimo.

Variante: cada ator que observa tenta corrigir aquilo que viu. Por exemplo:
imagina que o ator anterior estava tentando mostrar tal coisa, porém que
o fazia mal - dispõe-se então a fazer a mesma coisa, porém bem -
eliminando os detalhes inúteis e acentuando os mais importantes.
Exercício 03 - ILUSTRAR UM TEMA
Dá-se um tema: prisão, por exemplo. Cada ator avança e sem que outros
quatro o vejam faz com o corpo a ilustração desse tema. Depois, cada um
dos quatros vem, cada um da sua vez, e faz a sua própria ilustração,
diante dos companheiros que observam.

Por exemplo: o primeiro pode ilustrar o tema "prisão" ficando deitado,


lendo; outro, olhando por uma janela imaginária; um terceiro jogando
cartas; um quarto cozinhando; um quinto olhando com raiva para fora.
Outro tema: Igreja. Pode um fazer-se de Pastor, outro de obreiro, outro de
noivo, outro de turista, etc.
Exercício 04 - INTER-RELAÇÃO DE PERSONAGENS
Este exercício pode ou não ser mudo. Um ator inicia uma ação. Um
segundo ator aproxima-se e, através de ações físicas visíveis, relaciona-se
com o primeiro de acordo com o papel que escolhe: irmão, pai, tio, filho
etc... O primeiro ator deve procurar descobrir qual o papel e estabelecer a
inter-relação. Seguidamente, entra um terceiro ator que se relaciona com
os dois primeiros, depois um quarto e assim sucessivamente.

Exercício 05 - JOGO DAS PROFISSÕES


Os atores escrevem num papelzinho uma profissão, ofício ou ocupação:
operário metalúrgico, dentista, Pastor, sargento, motorista, pugilista etc...
Misturam-se os papéis e cada ator tira um. Começam a improvisar a
profissão que lhes calhou sem falar dela, apenas mostrando a versão que
têm dela. Após uns 15 minutos de improvisação (a cena passa-se na prisão
depois de operação policial de rua ou numa fila de ônibus, ou em qualquer
outra parte) cada ator procura descobrir a profissão dos demais: se
acertar, sai do jogo aquele que foi descoberto e ganham pontos os dois; se
não, sai do jogo o que não acertou e perde pontos o que não foi
descoberto. Divirtam-se.
Exercício 06 - O NAVIO QUE PARTE
Procedimento: Peça a seu parceiro que o observe realizar este exercício de
mímica. Use a máscara alternadamente.
Você precisa ir ao porto despedir-se de um amigo ou parente, que está de
partida em um transatlântico. Seja específico quanto a sua relação com o
viajante. Há uma grande multidão no cais em frente ao navio. Examine o
navio e a multidão. Pouco a pouco, mistura-se à multidão, abrindo
caminho por entre as pessoas imaginárias. Caminhe para o cais e observe
a fila de passageiros no navio acima de você. Procure por seu amigo.
Acene vagarosamente enquanto procura. De repente, você o encontra. A
presença de seu amigo é confortadora. Acene mais rapidamente.

Tente desesperadamente atrair sua atenção. Continue acenando mesmo


ao perceber que você se enganou de pessoa. Continue a acenar, mas mude
o ritmo a cada transição. Inclina-se e examine a pessoa para quem você
acenava. Em seguida, endireite-se para obter uma distância visual dela.
Admita que não se trata da pessoa certa. Continue acenando, embora
esteja envergonhado e com menos esperança de encontrar seu amigo.
Perceba que todos ao seu redor continuam acenando. Tente manter as
aparências acenando para qualquer um no navio, embora ainda esteja
procurando seu amigo.

De repente, o navio entra em movimento. Por um momento, você entra em


pânico ao perceber que talvez não mais faça contato com seu amigo.
Continue a acenar enquanto o transatlântico zarpa vagarosamente e, por
fim, desaparece no horizonte.
Tente usar o corpo inteiro para demonstrar cada transição que fizer.

Decisões: Discuta as perguntas a seguir com seu parceiro.

a) Todo o seu corpo indicou quem era seu amigo?


Era um parente, sua mãe ou um amigo íntimo.

b) Você planejou bem a tarefa principal antes de iniciar o exercício ou seu


parceiro ficou frustrado?

c) Você criou as pessoas na multidão com diferentes características de


estatura, aparência e personalidade, com qualidades reais humanas? Os
seus gestos exprimiram que você estava tentando passar pela multidão à
força ou foi como se tivesse apenas passeando? Lembre-se de manter os
braços perto de si ou contra o corpo, assim como faria no meio de uma
multidão de verdade; não abra muito o braço, mesmo quando estiver
acenando. Uma atriz deve lembrar-se de proteger os seios ao irromper-se
pela multidão.

d) Você lembrou-se de manter uma distância coerente do convés do navio?


Aparentou estar procurando seu amigo? Uma procura é sempre uniforme,
nunca flexível ou staccato.

e) Seu parceiro acreditou que você pensou ter visto o amigo?

f) A postura de seu corpo mudou ao perceber que você havia cometido um


erro?

g) O que aconteceu à sua linha pélvica ao tentar manter as aparências?


Seu parceiro notou alguma mudança orgânica em sua linha pélvica quando
viu o navio desatracar e quando, por fim, você desistiu da chance de
despedir-se?

Sugestões: Faça uma experiência com uma multidão de verdade. Vá a um


cruzamento cheio de pessoas e tente abrir caminho até a frente da
multidão enquanto ela espera o sinal abrir.
No caso de ser mulher, faça a seguinte mudança no exercício: represente
uma jovem grávida de seis meses despedindo-se de seu marido
marinheiro. Não esqueça de abrir espaço suficiente à medida que andar
por entre a multidão.
Exercício 07 - PERSONAGEM EM TRÂNSITO
Um ou mais atores entram em cena e realizam certas ações para mostrar
de onde vêm, o que fazem e para onde vão. Os outros devem descobrir
tudo isso apenas através das ações físicas.

As ações físicas podem ser: vêm da rua, estão numa sala de espera de um
dentista e vão tirar um dente; vêm do bar, estão no hall do hotel e vão
subir ao quarto; saem de suas casas pela manhã, estão no elevador e vão
começar o seu trabalho num escritório, etc.
Exercício 08 - TRÊS TAREFAS
Faça uma lista de atividades simples de executar, como: subir numa
cadeira, deitar-se no chão, bater com o livro no chão etc... Após fazer uma
lista, você, ou seu parceiro, deve posicionar-se no centro da área de
trabalho. Em seguida, o observador escolhe três atividades para que o
ator represente como tarefa inicial, central e final.

Tente encontrar uma forma lógica de realizar as três tarefas. Você pode
encadear todos os três segmentos do exercício em uma única seqüência
motivada, mas, ainda assim, estará realizando três atividades distintas.
Por exemplo, suponha que você receba as três atividades citadas acima,
na mesma ordem. Você pode sentir-se atraído pelo objeto (livro) logo no
início. Tente ler o livro. Perceba que está muito escuro e acenda a luz. A
luz não acende. Suba em uma cadeira para verificar se a lâmpada esta
frouxa. Atarraxe a lâmpada. A luz acende! Deite-se no chão, embaixo da
lâmpada. Perceba que ainda não esta claro o suficiente e que você está
forçando a vista. Fique nervoso e bata com o livro no chão.

Todo o objetivo do exercício passa por cinco etapas bem definidas, que
podem ser seu superobjetivo, seu objetivo comum, uma unidade ou um
objetivo antigo. As cinco etapas são: Enfoque; Determinação; Preparação;
Ataque e Liberação. No caso de unidades ou batidas, a liberação final
geralmente o levará ao próximo enfoque. Um indivíduo é atraído por um
estímulo (Enfoque); decide fazer algo a respeito (Determinação); reúne
tudo o que precisa, incluindo coragem para lidar com o problema
(Preparação); faz aquilo que precisa fazer (Ataque); e relaxa para ver o
efeito de suas ações (Liberação), com a descrição dessas cinco etapas,
acabamos de resumir a chamada ação gestáltica.

Podemos dizer que o enfoque complementa a Etapa da Atenção, na qual o


locutor atrai o público com seu material; a Determinação complementa a
Etapa da necessidade, na qual o locutor explica porque as pessoas com
que fala devem participar da ação; a Preparação complementa a Etapa dos
Critérios, na qual o locutor define possíveis soluções para o problema; o
Ataque complementa a Etapa da Solução, onde o locutor demonstra ao
público que uma certa resposta conhecida por ele é adequada às
exigências de todos os critérios e resolverá o problema com o mínimo de
repercussão; e a liberação complementa o Impulso à atividade, no qual o
locutor instiga o público o máximo que pode e observa-o a fim de
comprovar a eficácia de suas incitações. Este sistema pode ser uma
ferramenta útil para o entendimento de uma cena complexa ou de uma
atividade mais problemática. Se alguém tentar aplicar este sistema
cientificamente, pode acabar destruindo a espontaneidade da ilusão
criada pela primeira encenação de uma obra. Contudo, se você utilizar o
sistema com discrição, a etapa do enfoque pode ajudá-lo a encontrar
descobertas no decorrer do texto.

MAIS ALGUMAS NOÇÕES SIMPLIFICADAS


PARA MONTAGEM DE PEÇAS

PREPARATÓRIO 1
Para começarmos o nosso projeto de montagem, precisamos ter uma visão
do que iremos fazer, pois temos que nos preparar para uma grande
batalha espiritual e com isso vencermos as dificuldades e obstáculos que
iremos enfrentar, o nosso adversário não dorme e não se dá por vencido,
enganando a muitos. Mas temos um Castelo forte ao nosso lado, um Deus
Poderoso e único, que está todo tempo ao nosso serviço e como diz a
palavra do Senhor "Sujeita-vos à Deus, resistir ao diabo e ele fugirá de
vós". Saibamos que a obra é do Senhor e nada foge a seu conhecimento,
nada! Que Deus nos abençoe e nos dê sabedoria e entendimento para tal
tarefa.

NOÇÕES BÁSICAS

Para nosso conhecimento básico, precisamos entender sobre:

Bambolina = faixa de pano, normalmente preta que fica no palco,, em


cima, para não vazar o que está atrás, como refletores, rudimentos, etc.

Bastidor = Armação feita de madeira, forrada de pano, que se coloca nas

laterais do palco, para junto com as bambolinas completarem o espaço


cênico.

Camarim = recinto onde os atores se maquiam e se vestem.

Cenário = conjunto de materiais e efeitos cênicos como: móveis, adereços,


luzes, bambolinas, bastidores, etc. Servindo para criar um ambiente ou
lugar e enriquecer a representação.

Cenógrafo = O que faz cenários, criando e idealizando, acompanha e


orienta a montagem do projeto cenográfico.

Cenotécnico = Aquele que executa e faz funcionar cenários e demais


dispositivos cênicos para espetáculos teatrais ou em outros locais como
ginásios e até mesmo em igrejas.

Coxia = Espaço situado atrás dos bastidores e mais perto do palco. Lugar
improvisado para todos os que participam do espetáculo como técnicos e
atores.

Figurinista = Aquele que cria, orienta e acompanha a feitura dos trajes


para um espetáculo teatral, em tv, cinema e comerciais. Deve ter
conhecimento básico de desenho, moda estilo e costura.

Iluminador = Aquele que "faz a luz" para espetáculos e shows. Diferente


do eletricista. O iluminador cria efeitos de luz para climatização do
espetáculo, trabalhando próximo do cenógrafo, e na maioria das vezes
opera a mesa de luz.

EXERCÍCIOS

Iniciaremos com uma oração, seguido de conversa para conhecimento de


cada componente do ministério.
1 = Conscientização.
2 = Objetivo.
3 = Alvo.
AQUECIMENTO BÁSICO

Em pé e coluna reta, com os braços ao lado do corpo, iniciaremos:


1 - Girando a cabeça 4 vezes para cada lado.
2 - Segurando a cabeça com uma das mãos e puxando para os dois lados,
frente e atrás.
3 - Girando os ombros 8 vezes para frente e para atrás.
4 - Girando os cotovelos 8 vezes para frente e para atrás.
5 - Girando os braços 8 vezes para frente e para atrás.
6 - Abraçando-se e girando 8 vezes para a esquerda e direita.
7 - Dobrando o corpo, começando pela cabeça até a cintura.
8 - Repete o item 7 e vai até os pés e sobe novamente.

RELAXAMENTO BÁSICO

Deitam-se todos em posição para cima.


Fecham-se os olhos.
Música de fundo.
O professor vai narrando as partes do corpo.
Um por vez vai se movendo, alongando até sentar.

PREPARAÇÃO VOCAL

Ressonância... soltando o ar...


Trabalhando as vogais: A,e,i,o,u... e ao contrário... U,o,i,e,a.
Aberto e fechado.

DICÇÃO

Pssa, pssé, pssi, pssó, pssú.


Sra, sré, srí, sró, srú.
Pssacrá, pssacré, pssacrí, pssacró, pssacrú.
Pra, pre, pri, pro, pru.
Cra... Blá...
Rosra, rosre, rosri...
Tropracrá, tropracré, tropracrí, tropracró, tropracrú.
Sapra, sapré, saprí...
Paralelepá, paralelepé, paralelepí, paralelepó, paralelepú.
Consfracrá, consfracré, consfracrí, consfracró, consfracrú.
Alflabraçogra, alflabraçogré, alflabraçogrí, alflabraçogró, alflabraçogrú.
Missantropocrá, missantropocré, missantropocrí, missantropocró,
missantropocrú.

ESPELHO

1 - Em dupla de frente um para o outro, olhando em suas testas, andem


pelo espaço sem desviar os olhos ; explore todo espaço usando o corpo em
vários sentidos.
2 - Repitam o exercício fitando um ponto na sala ou espaço, andem por ele
da mesma do exercício anterior em ritmos, lento, rápido e correndo para
frente, lado e atrás.
3 - Agora de costas um para o outro, andem da mesma forma que os
exercícios anteriores.

CONCENTRAÇÃO

O ESPAÇO
Ao acordar de um sono, imagine-se preso em um quadrado, ( sala, caixa,
prisão ) sua vida está presa neste espaço e você não tem como sair dele.
Busca respostas e só encontra silêncio, começando aos poucos se
inquietar. Como prisioneiro de si mesmo, vai usando sua criatividade para
viver.

O DESESPERO
Aos poucos você vai mostrando desconforto, impaciência, desânimo e
refletindo sobre sua vida, por onde andou e o que fez em todos esses
anos... andando de um lado para o outro a procura de uma saída,
chegando ao desespero total.

A ESPERANÇA
A esperança renasce quando de repente um terremoto abala o lugar e
abre-se uma fresta no quadrado, um sinal de vida, a esperança de viver
livre bate à sua porta, a luz do sol invade seu pequeno espaço, uma nova
vida poderá nascer e verdadeiramente ser livre.

A SAÍDA
Se o Filho vos libertar, verdadeiramente sereis livre. Quando andávamos
no mundo, éramos escravizados pelo inimigo e vivíamos no pecado e longe
do Senhor nosso Deus... mas quando vimos uma luz raiar, vindo em nossa
direção e uma doce voz que nos chamava pelo nome, abrimos os nossos
olhos, e sentimos a graça e o poder de Deus em nossas vidas... o maior
presente que o ser - humano pode ter é o SENHOR JESUS.

LIVRE
1 - Andando livremente pela sala com a planta dos pés no chão, na meia
ponta, nos calcanhares, na borda interna e na borda externa... agora
andem intercalando a ponta, lado, calcanhar para frente, para trás e para
os lados, sem esbarrar no companheiro.
2 - Em roda, todos em uma só vogal aberta, entoarão fechando a roda e
abrindo-a ; misturando de olhos fechados e com a mesma vogal.

IMPROVISAÇÃO
Livre escolha para conhecimento de cada um. Tema livre, Bíblico e
testemunho de vida.

MONTAGEM
Primeiro item: Reunião com pessoas realmente compromissadas na obra
do Senhor e fazer antes de qualquer coisa uma oração e pedir a Deus que
venha se agradar e aprovar.

SEGUNDO ITEM: Objetivo maior: Conscientizar e buscar as almas perdidas,


pois sem esse objetivo é melhor nem começar.

TERCEIRO ITEM: Fazer aquecimento físico e vocal antes do ensaio.


Escolher o texto e em ministério fazer uma leitura para conhecimento do
mesmo.

QUARTO ITEM: Dividir entre o ministério as personagens do texto e os


cargos que cada um irá assumir.
( ex: Direção, assist. direção, ator, sonoplasta, iluminador (se for o
caso),figurinista, contra-regra, aderecista, cenógrafo, diretor (a) de
marketing para conseguir apoio financeiro ou em permuta e uma equipe
de divulgação para a estréia, etc. Não precisa usar todos, ex: o diretor
precisa entender de teatro e ter visão de cena, podendo ter ou não o
assistente, assim como o iluminador pode operar a sonoplastia, o
marketing pode fazer a divulgação, etc.

QUINTO ITEM: Corrigir as intenções e frases dos atores para uma melhor
colocação em cena e fazer as marcações.
SEXTO ITEM: No decorrer dos ensaios, o figurinista, aderecista, cenógrafo,
sonoplasta, e iluminador terão que fazer as suas partes com o auxílio do
diretor na supervisão geral.

SÉTIMO ITEM: Marcar um ensaio com todos os envolvidos e consertar os


erros que com certeza aparecerão.

OITAVO ITEM: Marcar estréia para no mínimo 15 dias antes, acionar a


equipe de divulgação e mandar release para jornais, revistas seculares e
evangélicas, colar cartazes, distribuir panfletos em escolas, mercados,
shoppings, casas, prédios, etc.

NONO ITEM: Marcar ensaio geral com todos os envolvidos, inclusive a


equipe de divulgação, Pastores, convidados e esperar que Deus venha
abençoar todo esforço na Sua obra, pois é tão maravilhoso e gratificante
quando o Senhor aprova e colher os frutos com vidas salvas e edificadas.

DÉCIMO ITEM: Orar sempre e não se importar com as perseguições que


irão ter, críticas construtivas, e críticas destrutivas, porque o inimigo
estará furioso e mandará seus assessores para assuntos desanimadores,
por isso o ministério deve ser de pessoas espirituais e convertidas, que
possam passar JESUS sem hipocrisia. Um pastor da Assembléia de Deus
me ligou e disse que estava muito feliz por existir um ministério como os
"Atores de Cristo" e perguntou por que muitos aparecem e somem? E eu
respondi: por causa da vaidade! Muitos tem deixado subir ao coração o
"eu", querendo aparecer mais do que o Senhor, e Deus não dá a sua glória
a ninguém ; esses que somem, querem recompensa do homem, e acabam
desanimando, pecam e ficam apagados e caídos até mesmo dentro da
igreja... quantos líderes caíram! despertemos irmãos!! Faça para o Senhor
dos céus e da terra! Ele te recompensará sem você se preocupar com o dia
de amanhã, fique em Lucas 6. 25-34 e meditem. Se o Senhor mandou,
vamos fazer sem preocupações, pois a mesma tira das mãos de Deus as
bênçãos, ou cremos ou definitivamente não cremos. Vamos ficar "olhando
para Jesus, autor a consumador da nossa fé" e veremos o seu agir em tudo
o que fizermos. Que Deus abençoe à todos em nome de JESUS.

*****