Você está na página 1de 4

Sujeito

O sujeito é um dos termos essenciais da oração e, normalmente, está


localizado antes do predicado. Para identificar o sujeito, é necessário buscar o
termo sobre o qual se diz alguma coisa, verificar se ele pode ser substituído
por um pronome pessoal do caso reto e se ele concorda com o verbo. Esse
termo pode praticar ou sofrer a ação expressa na oração. Entretanto, existem
também orações sem sujeito.
Portanto, o sujeito é classificado em:
 determinado
 simples
 composto
 implicito
 indeterminado
 inexistente
Sobre o sujeito é possível afirmar:
 É o termo da oração sobre o qual se declara alguma coisa.|1|
 Pode ser substituído por pronome pessoal do caso reto.
 Concorda com o verbo.
Vamos analisar a seguinte frase:
Glauber Rocha é o cineasta brasileiro mais famoso.
Para identificar o sujeito, devemos fazer o seguinte:
1. Determinar o termo sobre o qual se declara alguma coisa. Para isso,
é preciso identificar a declaração, que, no caso, é: “é o cineasta
brasileiro mais famoso”.
2. Fazer a pergunta: Quem é o cineasta brasileiro mais famoso?
A resposta é o sujeito: Glauber Rocha.
3. Verificar se o sujeito “Glauber Rocha” pode ser substituído por
um pronome pessoal do caso reto. Assim: Ele é o cineasta mais
famoso.
4. Conferir se o sujeito concorda com o verbo “é”, flexionado na
terceira pessoa do singular, ou seja, “ele”, pronome que, nesse
exemplo, pode substituir o sujeito.
Depois dessa análise, podemos afirmar, com toda a certeza, que
o sujeito dessa oração é: Glauber Rocha.
Além disso, todo sujeito possui um núcleo, que é a palavra central, aquela que
é indispensável e, portanto, mais importante na constituição do sujeito da
oração. Por exemplo:
Esta sala de cinema tem capacidade para mais de 100 pessoas.
Assim, temos:
Sujeito: Esta sala de cinema.
Núcleo do sujeito: sala.
Atenção! Pode haver mais de um núcleo. Por exemplo:
O bilheteiro e a projecionista do cinema recusaram-se a trabalhar.
Nessa frase, temos:
Sujeito: O bilheteiro e a projecionista do cinema.
Núcleo do sujeito: bilheteiro, projecionista.

Tipos de sujeito

Os sujeitos podem ser determinados ou indeterminados.

 Sujeito simples
Apresenta um único núcleo e pode ser determinado facilmente.
O filme brasileiro Tatuagem foi premiado no Festival de Gramado.
Pergunta: O que foi premiado no Festival de Gramado?
Resposta (ou sujeito simples): O filme brasileiro Tatuagem.
Atenção! Além dos substantivos comuns e próprios, os pronomes
indefinidos também podem exercer a função de sujeito na oração:
Ninguém sabia o que fazer naquela situação.
Pergunta: Quem (não) sabia o que fazer naquela situação?
Resposta (ou sujeito simples): Ninguém.

 Sujeito composto
Apresenta dois ou mais núcleos facilmente determináveis.
A pintura e a fotografia podem eternizar um momento.
Pergunta: O que pode eternizar um momento?
Resposta (ou sujeito composto): A pintura e a fotografia.
 Sujeito implícito, elíptico, desinencial ou oculto
É identificado pela desinência do verbo.
Comprei uma tela falsificada de Gustave Courbet.
Pergunta: Quem comprou uma tela falsificada de Gustave Courbet?
Resposta (ou sujeito implícito): Eu.

 Sujeito indeterminado
Não pode ser identificado.
Casos de sujeito indeterminado:
→ Verbo flexionado na terceira pessoa do plural, sem referência a nenhum
sujeito expresso anteriormente:
Falavam mal do meu vizinho.
Pergunta: Quem falava mal do meu vizinho?
Resposta: Não é possível determinar.
→ Verbos intransitivos, transitivos indiretos ou verbos de ligação flexionados
na terceira pessoa do singular, acompanhados da partícula “se”:
Chegou-se a cogitar a ideia.
Pergunta: Quem cogitou a ideia?
Resposta: Não é possível determinar.
Precisa-se de roteirista.
Pergunta: Quem precisa de roteirista?
Resposta: Não é possível determinar.
Fica-se bem em Curitiba.
Pergunta: Quem fica bem em Curitiba?
Resposta: Não é possível determinar.
Atenção! No caso de verbo transitivo direto flexionado na terceira pessoa do
singular e acompanhado da palavra “se”, o sujeito é determinado:
Compra-se ouro.
Pergunta: O que é comprado?
Resposta (ou sujeito simples): Ouro.
Leia mais: Vozes verbais – relação de sentido estabelecida entre o sujeito e o
predicado

Oração sem sujeito ou sujeito inexistente

Oração com verbo que indica fenômeno da natureza não tem sujeito.
Oração com verbo que indica fenômeno da natureza não tem sujeito.
Os casos em que o sujeito é inexistente são:
→ Verbos que indicam fenômenos da natureza:
Choveu muito na quinta-feira.
→ Verbo “haver” no sentido de existir ou indicador de tempo decorrido:
Há 10 anos que tento viajar para a Suécia.
Havia duas camisas neste guarda-roupa.
Atenção! O uso coloquial do verbo “ter”, com o sentido de “existir”, segue a
mesma regra do verbo “haver”, ou seja, é conjugado na terceira pessoa do
singular:
Tinha muitas pessoas na loja.
→ Verbo “fazer”, indicador de tempo cronológico ou temperatura:
Faz três anos que me formei.
Faz muito calor naquele teatro.
→ Verbo “ir”, indicador de tempo cronológico:
Já vão cinco anos que não vejo o meu pai.
→ Verbo “estar”, indicador de temperatura:
Estava muito frio no parque municipal.
→ Os verbos “bastar” e “chegar”, no sentido de ser suficiente:
Chega de história, faça a sua tarefa.
Basta de mentiras, você não me engana mais.

Posição do sujeito na oração


A posição mais comum do sujeito, em uma oração, é antes do predicado:
Jesse Owens participou das Olimpíadas de 1936.
Sujeito: Jesse Owens.
Predicado: participou das Olimpíadas de 1936.
No entanto, essa posição não é obrigatória. Assim, o sujeito pode
vir anteposto ao verbo, como no exemplo anterior, mas também pode
vir posposto ao verbo:
Participou Jesse Owens das Olimpíadas de 1936.

Sujeito e predicado
O predicado pode depender ou não da existência de um sujeito. Assim, ele
pode ser aquilo que se declara sobre o sujeito:
O verão brasileiro é inclemente.
Sujeito: O verão brasileiro.
Predicado (declaração): é inclemente.
No entanto, uma oração, mesmo sem sujeito, é um predicado:
Havia muitos pássaros no céu.
Sujeito: inexistente.
Predicado (declaração): Havia muitos pássaros no céu.
O sujeito é um termo muito importante da oração, porém é possível
encontrarmos orações sem sujeito.