Você está na página 1de 8

Como podemos recriar o 

passado?
Algumas reflexões sobre o ensino de história para alunos com aprendizagem lenta em especial
as escolas são expressas por Nicholas Tate, professor de história, Moray House
Faculdade de Educação, Edimburgo

O Relatório Warnock recentemente chamou a atenção para a educação


valor nacional de um currículo amplo em escolas especiais. O
objetivo do presente artigo é estimular o pensamento e
discussão sobre o possível lugar dos estudos históricos em
a escola especial, com particular referência à educação
de crianças com dificuldades moderadas de aprendizagem.
A história tem uma série de reivindicações de admissão ao
currículo escolar especial. Em primeiro lugar, o passado é tal
um elemento importante na vida humana que ele seria difi-
culto para justificar a ausência de qualquer tentativa de examinar e
estruturá- lo dentro da escola. Isso é particularmente verdade em uma sociedade
em que a mudança é muito rápida e em que as crianças são
rodeado pelos vestígios visíveis de modos de vida anteriores. A maioria
os alunos aprendem algo do passado com seus pais e
avós e dos meios de comunicação de massa. Não é muito infor-
informações sobre as quais construir e muitos equívocos básicos
que se poderia tentar a corrigir. O estudo da história
portanto, e especialmente talvez da história recente, poderia
dar uma contribuição para a compreensão dos alunos sobre o
mundo em que vivem e das mudanças que no
curso de uma vida pode afetá-los.
Em segundo lugar, o estudo da história não é de forma alguma
incompatível com alguns dos objetivos mais básicos de especial
educação: o desenvolvimento da alfabetização e numeramento,
aprender a lidar com deficiências de diferentes tipos,
preparação para os aspectos práticos da vida diária, moral, afetiva
educação ativa ou social. Tudo isso pode ser ensinado, em
parte, através do estudo do passado. Não há razão,
por exemplo, por que os programas de escrita e leitura de
filhos individuais, seu número de trabalho, seu trabalho dentro do prazo,
pode não se beneficiar muito da integração com um histórico
projeto que, por meio de seu apelo intrínseco, despertou o
interesse dos alunos. Esta é em si a terceira justificativa: que
história, bem ensinada, pode ser um assunto muito interessante, um
que pode encorajar os alunos a enfrentar novos e mais difíceis
tarefas e reforçar as atitudes positivas em relação à escolaridade
que está tentando promover.
Dois problemas no ensino de história são freqüentemente
mencionado por professores em escolas especiais e em corretivas
departamentos de escolas regulares: tempo e imaginação.
Desenvolvendo um senso de tempo
A falta de um senso adulto de tempo e as dificuldades
experientes no desenvolvimento de tal sentido são frequentemente vistos como
principais obstáculos ao ensino de história. Muitas crianças fazem
não acho fácil classificar os adultos em termos de idade, para apreciar
que alguém no início da meia-idade não tinha cerca de 85 anos
atrás, para ter muito sentido do que se entende por 'cem
anos atrás ' ou ' muito, muito tempo atrás 'ou, de fato, pela maioria dos
expressões de tempo que os historiadores e a maioria dos adultos usam (Jahoda,
1963).
Tais problemas, no entanto, não negam o valor da história
estudo cal. É bem possível desenvolver um forte senso de que
as coisas ao mesmo tempo eram muito diferentes do que são
agora, sem alcançar nem mesmo um senso rudimentar de histórico
Tempo. Esses problemas também não são insuperáveis.
O senso de tempo das crianças pode ser desenvolvido por meio de um detalhado
exame das mudanças que ocorreram dentro de seus
própria vida, para si mesmos, suas famílias e seu ambiente
mento. Isso pode então ser usado como um ponto de partida para o ensino
história para trás. Usando gráficos de tempo simples, um
pode voltar para uma discussão sobre a vida na Grã-Bretanha durante
a Segunda Guerra Mundial ou em uma grande casa há 80 anos,
encorajando assim um senso de duração que está relacionado
ao tempo de vida dos próprios alunos (Blyth, 1978). Isto é
também é possível conceber exercícios simples em que os alunos combinam
fotos de pessoas de diferentes idades para cartões nos quais estes
as idades são indicadas. Estes podem ser organizados em ordem cronológica
pedido. Da mesma forma, os alunos podem ser solicitados a traçar em um gráfico
dando - a título de exemplo - os anos de 1901 a 1979 a
história de vida pictórica de um determinado indivíduo, desde o pequeno
bebê de 1901 ao velho de hoje.
Estimulando a imaginação das crianças
'Falta de imaginação', o segundo problema, também não é
intransponível. Algumas vezes foi dito ao escritor que
há pouco valor no ensino de história para crianças com
habilidades e realizações limitadas, com base no fato de que eles
parecem incapazes de conceber um mundo sem ônibus, super
mercados, televisão e bingo. Duas observações sugerem
-se aqui. Em primeiro lugar, essa imaginação é algo que
tem que ser estimulado de forma muito cuidadosa e precisa.
Em segundo lugar, que se deve contentar-se com um modesto desempenho
mentos, que um esquema de história foi bem sucedido se alguém tiver
transmitiu uma sensação de um modo de vida diferente, mesmo que, entre os
fechamentos sombrios, estalagens e liteiras do século 18
Edimburgo, alguém se depara com um ônibus ou supermercado ímpar.
Não é incomum para historiadores ilustres
projetar suas próprias suposições do século 20 de volta ao
passado. Adultos bem educados e produtores de televisão fazem isso
o tempo todo.
Muitos dos comentários anacrônicos que as crianças fazem
aparecem na reflexão para serem evitáveis, dados mais detalhados
discussão. A referência aos supermercados - um dos
falhas do próprio escritor - foi o resultado de uma observação passageira
sobre os mercados de frutas e carnes - desacompanhados de qualquer
tentativa de transmitir o conceito de um "mercado" por meio de
fotos e discussão. O resultado inevitável, para alguns alunos,
foi a vinculação do termo a algo com o qual eles
já eram familiares em seu próprio ambiente. Imaginação
precisa ser estimulado por meio dos sentidos, por meio de uma
recriação específica de imagens, sons, cheiros, pensamentos e
sentimentos do passado, usando material pictórico, efeito sonoro
fitas, objetos para tocar e cheirar, e uma discussão detalhada sobre
tudo isso.
O tipo de história, portanto, que, na experiência de
o escritor, é mais bem sucedido em alcançar o objetivo de
transmitir uma sensação de um modo de vida diferente é o que se pode
22

Página 2
chamar reconstrução imaginativa (Duckworth, 197 1 ; Grieve,
1968). Isso é mais útil, talvez, aplicado ao dia a dia
vidas de pessoas comuns - em oposição ao estudo de grandes
S
\
/'
EU.
2
c
~
Uma receita de sopa de urtiga ilustrada por um menino de 16 anos .
homens e mulheres e grandes eventos - com o fundamento de que
muitas vezes são mais fáceis de entender, evite cronologias complexas
e conceitos abstratos difíceis, lançar mais luz sobre o
presente por contraste e comparação e constitui, afinal,
a experiência da grande maioria da humanidade. Recente
história, e especialmente a história recente de sua própria
país, também tem muitas vantagens sobre o estudo do
passado remoto ou a história de lugares distantes. É mais
diretamente relevante para a própria experiência dos alunos e é mais fácil
para se encaixar em um esquema de ensino de história ao contrário. O
estudo da história antiga e da história de outros países
não precisa, no entanto, ser excluída. Uma recriação do cotidiano
de pessoas na Palestina no tempo de Cristo - comendo figos,
estudar os usos da uva e da azeitona, olhando para
fotos de viagens sem carros, ônibus e aviões - seria
se encaixam muito bem com um estudo da história do Natal. Local
a história, finalmente, tem muito a recomendá-lo. Relacionando-se com o passado
modos de vida aos vestígios do passado dentro do local
ambiente deve ajudar tanto a torná-los mais tangíveis
e em aumentar a consciência dos alunos de seu próprio ambiente.
O restante deste artigo fornece três exemplos de
esquemas de história que o escritor ensinou às classes de alunos
com idade entre 11 e 15 anos em uma escola especial de Edimburgo para os moderados
deficiente mental. Espera-se que estes ilustrem
algumas das observações anteriores.
(1) A frente interna. . . 19391945
O objetivo específico deste esquema era introduzir
alunos a um período importante da história nacional recente.
Alguns deles já estavam cientes de certos aspectos da
vida durante a guerra, de programas de televisão e os
reminiscências de parentes. Como uma introdução ao esquema,
a fim de relacionar a guerra com sua própria vida e a de
seus parentes, algumas lições foram gastas na discussão do
mudanças ocorridas durante suas próprias vidas. Estes levaram
o seguinte formulário:
(1) Introdução à ideia de 'história'.
(2) Quantos anos você tem? Quando você nasceu?
(3) Como a vida foi diferente no ano em que você estava
nascido? Seus pais moravam na mesma casa? Foram seus
irmãos e irmãs vivos? Se sim, quantos anos eles tinham? Nós estamos
seus pais trabalhando / fazendo o mesmo trabalho que eles
agora? Tínhamos a mesma moeda então? Teve esta escola
foi construído? As pessoas estavam ouvindo a mesma música pop?
O Pool da Commonwealth foi construído? etc.
Um resumo de gráfico de parede com legendas e fotos foi
gradualmente construída, mostrando as muitas mudanças que
ocorreu durante este tempo.
1979 hoje
1978
1977 O Jubileu de Prata da Rainha
1976
1973
1972
1970 a irmã de Peter nasceu
1969
1968 Commonwealth Pool and Meadowbank
1967 Shona, Mary, etc. nascidas
1966
1964
1945
1939
Senhorita .. . . . deixou a escola Kingsinch
João veio a Kingsinch escola .. .
Robert veio morar em Edimburgo
Inch House tornou-se um Centro Comunitário .. .
Primeiro homem na lua. Escola Kingsinch aberta
Estádio inaugurado
Gary, Lesley, etc. nascidos . . .
A ponte Forth Road foi aberta . . .
Fim da Segunda Guerra Mundial. . .
Começa a Segunda Guerra Mundial. A mãe de Andrew nasceu
Exercícios relacionados a isso foram definidos: correspondência de imagens com
idades,
decidir quais pessoas de determinadas idades estavam vivas em diferentes
23
Página 3
datas, escrevendo e desenhando com base nas mudanças que tiveram
ocorreram em suas próprias vidas.
O gráfico foi então levado de volta a 1939. Isso introduziu
a Frente Interna na Segunda Guerra Mundial. Ênfase aqui
estava:
(1) introdução ao conceito de 'guerra';
(2) evacuação de crianças;
(3) um ataque aéreo;
(4) racionamento.
A reconstrução imaginativa assumiu a forma de:
(a) discussão detalhada de fotos de evacuados, bombardeados
edifícios, etc .;
(b) dramatização simples: broca de máscara de gás, uma discussão entre
pais quanto a enviar ou não seus filhos para o país,
uma sala de aula na manhã da evacuação, um ataque aéreo (com
.pupils assumindo funções diferentes, como ARP e AFS men,
Senhoras da WVS, responsáveis pelos postos de primeiros socorros);
(c) fitas de efeitos sonoros, avisos de ataque aéreo, armas antiaéreas,
o primeiro-ministro no rádio anunciando que estávamos
na guerra;
(d) escrever e desenhar: como gastar as rações de roupas,
encomendar materiais para um centro de descanso, desenhar cartazes para
crianças pequenas informando-os sobre as coisas de que precisam para
evacuação.
(2) Casa Polegada em 1891
Inch House é a casa de um laird do século 17 com
extensões do século, situadas a algumas centenas de metros do
escola. A escola foi construída em 1969 dentro do recinto de
a casa, que agora é um centro comunitário. O limite
paredes, calçada, jardim murado, casas de hospedaria e jardineiros
todas as casas permanecem. O objetivo específico do esquema era
para recriar a vida desta grande família em 189 1, usando o
informações obtidas a partir dos resultados do recenseador
para aquele ano listando todos os habitantes da casa - principalmente
empregadas domésticas - seus nomes, idades e ocupações.
Os resultados dos recenseadores do censo podem ser consultados no Gabinete
do RegistrarCeneral for Scotland, New Register House,
Edimburgo (para a Escócia 1841-91) e no Registro Público
Escritório, Prédio do Registro de Imóveis, Portugal Street, Londres
WC2 (para Inglaterra e País de Gales 1841-1871). Algum condado
cartórios e bibliotecas de referência do condado e da cidade também
ter cópias de alguns dos resultados do censo.
O tópico foi apresentado de três maneiras:
(1) tomando o gráfico de tempo de volta a 1891, relacionando que
ano, e anos subsequentes, às vidas das pessoas hoje,
enfatizando em particular que as pessoas nascidas em 1891
agora seja 'muito velho';
(2) classificando slides de aspectos da vida na década de 1890 e
década de 1970 - transporte, vestimenta, moradia, mobiliário, esportes
e entretenimentos, cenas locais - em 'então' e 'agora',
enfatizando as diferenças e tentando construir LO
uma imagem da vida 'então';
(3) introduzindo a ideia de um 'censo' por meio de uma simulação
de um censo moderno simplificado em sala de aula.
A classe viu então uma versão muito simplificada do
Os resultados do censo de 1891 e os papéis foram atribuídos a todos os alunos
na aula. Cada aluno obteve um contrato imaginário de
trabalho, em seu próprio envelope etiquetado, da forma:
'Sir James e Lady Baird concordaram em contratá-lo
como um . . . . . . . na Inch House, com um salário de . . . . . . . um ano.
Suas funções incluirão: 1 . . . . . . . 2 . . . . . . . etc. Tempo
Desligado . . . . . . . Perceber. . . . . . . ' Este contrato, junto com
fotos de empregadas domésticas e diferentes aspectos da tarde
Vida vitoriana, foi então usada como base para trabalhos escritos e
desenho, como 'Esta é a minha aparência'; 'Meu diário: um dia
na vida de a . . . . , . . na Inch House '(com entradas contra
mostradores de relógio para diferentes horas do dia); 'Você pode ter
vi estes na Inch House em 189 1. O que você acha de cada um
deles foi usado para? ' Seguiu-se uma visita ao
casa e uma dramatização cuidadosamente preparada de uma tarde
na vida da família, usando acessórios simples como papel
guardanapos para gorros de empregada, gravatas-borboleta brancas para lacaios, prata
polonês, uma cópia antiga de 1890 do Edinburgh Evening News
para Sir James ler, um pente de caril e uma escova de cavalo para o
noivo.
(3) Vida na Cidade Velha de Edimburgo
200 anos atrás
A abordagem aqui era muito semelhante em alguns aspectos àquela
usado no estudo de Inch House.
(1) Classificação dos edifícios de Edimburgo (em slides) em 'antigos'
e 'novo' foi feito.
(2) Alguns nomes básicos foram introduzidos em relação ao centro
de Edimburgo, como Old Town, New Town, Royal Mile,
o Canongate, e um simples exercício escrito foi dado.
(3) Um grande número de slides relacionados ao vestido, transporte,
entretenimento, iluminação, etc., foram classificados em 'hoje' e
'200 anos atrás'. O trabalho escrito foi feito em 'então' e 'agora'.
(4) Acordar na Cidade Velha, 200 anos atrás, era imaginação
reconstruída ativamente, usando fitas e slides de efeitos sonoros.
A discussão sobre imagens, sons e cheiros levou a um simples
dramatização de uma cena de rua, seguida de um trabalho escrito sobre
'sons da rua'.
(5) Uma visita de duas horas foi feita à metade inferior do
Canongate, quando os alunos responderam a um questionário e
discutiram o que viram.
(6) Os alunos foram apresentados a duas famílias imaginárias que
morou 200 anos atrás em White House Close, um dos
locais estudados durante a visita. Um papel dentro dessas famílias
foi atribuído a cada aluno da turma. Trabalho escrito simples
e o desenho foi feito para familiarizar cada aluno com seu ou
seu papel.
(7) Uma reconstrução imaginativa de uma manhã na vida
das duas famílias foi planejado, dramatizando o acordar,
tomando café da manhã e indo para o trabalho, e escrevendo um diário de
os eventos do dia.
(8) Os alunos discutiram dieta e culinária há 200 anos; em parte
cular como fazer sopa de urtiga e bannocks. Acompanhamento
o trabalho consistia em uma receita de fotos e uma conta semanal imaginária
de tarifa em uma pousada.
(9) Um museu de classe foi projetado (os alunos tendo sido
levado para um museu durante a visita à Cidade Velha). Um visor
de objetos rotulados e imagens relacionadas a diferentes aspectos de
vida há 200 anos.
Todos esses projetos foram avaliados apenas subjetivamente. O
impressão do escritor, no entanto, foi que muitos alunos mostraram
considerável interesse, e mesmo às vezes entusiasmo, no
tópicos escolhidos. Isso nem sempre foi sustentado, mas houve
um alto nível de interesse por toda parte. A resposta oral, o
dramatização e parte da obra escrita e do desenho
também sugeriu que o objetivo principal - para desenvolver um senso
que antes a vida tinha sido muito diferente e para dar
alunos mais compreensivos com o passar do tempo - foram
24

Página 4
noite e o galo cantando eu levantei de manhã e coloquei
minhas roupas novas e desci para a cruz mercat eu ouvi o
mulher dizendo 'gardy loo' Eu corro para a estrada e quase me bateu
a cabeça. (13 anos).
A abordagem que parecia mais eficaz para despertar o interesse
e a imaginação estimulante era a de re- individualizada
criação - a atribuição específica de funções dentro de um diferente
modo de vida e o exame sustentado destes pelo
crianças em causa.
As conclusões do escritor sobre o ensino de história na
escolas especiais, obviamente, em nenhuma maneira constitui pesquisa
descobertas. Uma avaliação mais rigorosa e controlada de tais
um esquema, como o de Rogers e Aston (1977) com nove a
Crianças de 11 anos em uma escola primária, seriam de grande interesse
em apoiar ou minar os pontos de vista do escritor. Se
essas observações, no entanto, encorajam o pensamento e a experiência
tação em este aspecto do currículo, este artigo
serviram ao seu propósito.
RECONHECIMENTO
O escritor é muito grato  à diretora, equipe e
alunos de Kingsinch School, Edimburgo,  para permitir que ele  para
experimente as suas ideias e pela sua hospitalidade infalível.
Visita das crianças ao Canongate.
alcançado por algumas, ou talvez a maioria, das crianças. Alguns dos
trabalho escrito citado abaixo (mas corrigido para ortografia) foi
muito evocativo de um modo de vida diferente.
Na Cidade Velha, há 200 anos, havia pessoas vendendo sal e
uma senhora vendendo sal e um fazendeiro levando frutas da fazenda para o
estrela do mercado indo em pedras, alguns deles gritando
'qualquer um quer um caddie' perto do mercat cruze alguns dos cavalos
estavam relinchando, bufando pela manhã, as galinhas estavam cacarejando e
os cães estão latindo e o galo cantando. (12 anos).
Ontem à noite fui para a minha cama ouvi os cachorros latindo e a carroça
rodas girando na estrada da rua e ouvi o vendedor de sal
diga 'alguém quer sal?' Eu ouvi os cavalos relinchando e bufando
à noite e os homens gritando 'alguém quer um caddie?' O carrinho
descendo a estrada para o mercado e as galinhas cacarejando no
REFERÊNCIAS
Blyth, J. E. (1978) Crianças pequenas e o passado. História do Ensino,
21, 15-19. (Um experimento com crianças de seis anos, com úteis
ideias sobre linhas de vida, tabelas de idades de objetos antigos e relações familiares
navios).
Duckworth, J. (1971) Imagination in Teach History. Ensino
History,  11, (5), 49-52.
Grieve, G. (1966) Revolução copernicana na sala de história. Educa-
ção no Norte, 4,52-70.
Jahoda, G. (1963) Children'sconcepts of time and history. Educacional
Review,  19, (2). (Uma introdução útil e legível para crianças
conceitos de tempo).
Rogers, P. J. e Aston, F. (1977) Play, representação enativa
e aprendizagem. História do Ensino,  19, 18-21. (Um cuidadosamente controlado
experimento que demonstra a superioridade do representante enativo
sentação no estudo das defesas do castelo)