Você está na página 1de 3

EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR JUIZ DE DIREITO DA____ª VARA

CÍVEL DO FORO CENTRAL DA COMARCA DE PORTO ALEGRE

BANCO NACIONAL S/A, Instituição Financeira, inscrita no CNPJ


nº 818.784/0001-95, estabelecida na Rua dos Andradas, 1001, Porto Alegre, por
intermédio de seu procurador constituído (“ut” instrumento de procuração),
OAB/RS-20612632, com escritório profissional na Rua Umbu, 72, Porto Alegre,
onde recebe intimações, vem respeitosamente, à presença de Vossa
Excelência, com amparo no artigo 585, VIII e art. 26, 27 e 28 da Lei 10.931/2004
propor a presente

AÇÃO DE EXECUÇÃO DE TÍTULO EXTRA JUDICIAL


CONTRA DEVEDOR SOLVENTE

em face de CELSO EDUARDO AMARAL FÉLIX brasileiro,


casado, empresário, inscrito no CPF sob nº 062.870.009-20, RG nº 781491651
-SSP/RS, residente e domiciliado na Rua Ecoville 624/302, Bairro Humaitá, Porto
Alegre, pelos fundamentos de fato e direito expostos:

1- Autor e Executado, em 13/05/2009, firmaram contrato de mútuo,


no valor de R$82.000,00 (oitenta e dois mil reais), representado pela inclusa
cópia autenticada da Cédula de Crédito Bancário;

2- Os juros remuneratórios foram pactuados em 2,20% ao mês,


dentro dos parâmetros fixados pelo art. 28, § 1º da Lei 10.931/2004;

3- O pagamento foi convencionado em 18 (dezoito) prestações


mensais, fixas, no valor de R$5.676,95 (cinco mil seiscentos e setenta e seis
reais com noventa e cinco centavos) vencendo-se a primeira em 15/06/2009 e a
última em 15/11/2010;

4- O negócio foi realizado sem oferecimento de garantia real ou


pessoal tendo a Autora efetivado o depósito do valor pactuado, R$82.000,00
(oitenta e dois mil reais) na conta corrente do Executado, conforme comprovante
incluso.

5- O Executado não pagou nem sequer a primeira encontrando-se


a dívida totalmente vencida e impaga;

6- O protesto das parcelas vencidas foi consignado por indicação,


na forma do art. 41 da Lei 10.931/2004 e artigos 1º e 12 da Lei 9492/1997
(doc. incluso);

7- Aplicados os encargos contratados, inclusive juros de mora de


1% ao mês e multa de 2%, o valor a atualizado do débito é de R$95.756,34
(noventa e cinco mil setecentos e cinquenta e seis reais com trinta e quatro
centavos), conforme planilha de cálculo anexa;

8- Diversas foram as tentativas de receber amigavelmente, além


do protesto, não restando alternativa senão a propositura da presente ação.

DO DIREITO

Conforme dicção expressa do art. 28 da Lei 10.931/2004, “a


Cédula de Crédito Bancário é título executivo extrajudicial e representa dívida
em dinheiro, certa, líquida e exigível, seja pela soma nela indicada, seja pelo
saldo devedor demonstrado em planilha de cálculo, ou nos extratos da conta
corrente, elaborados conforme previsto no § 2º ” sendo o Demandante credor
do Executado da quantia de R$95.756,34 (noventa e cinco mil setecentos e
cinquenta e seis reais com trinta e quatro centavos)

A cártula extrajudicial preenche todos os requisitos exigidos pela


Lei, sendo título líquido, certo e exigível, apta a autorizar o procedimento para
execução por quantia certa contra devedor solvente, nos termos do art. 585 e
646 do CPC.

Diante do exposto, REQUER:


a) a citação do EXECUTADO para quitar o débito no prazo de três
dias, com redução da verba honorária, sob pena de penhora, assegurando-se
ao devedor o direito de oferecer embargos ou parcelar o débito na forma do art.
745-A, no prazo de quinze dias;

b) caso o devedor não efetive o pagamento recaia a penhora,


preferencialmente, em dinheiro, com realização da penhora on line, através do
sistema Bacen- Jud;

c) se inexitosa a penhora on line, recaia a penhora em bens livres


e desembargados indicando desde já o veículo Volvo, Caminhão FHC2380,
6X4, modelo 2005/2006, diesel, cor branca, placas MAO1347, chassi
9BWHJ21J514075828, Renavam 1234530856, de propriedade do Executado
(doc incluso);

d) a fixação de honorários sucumbenciais, os quais deverão ser


reduzidos pela metade em caso de pronto pagamento;

e) expedição de certidão comprobatória do ajuizamento da


execução, com identificação das partes e valor da causa, para fins de
averbação no registro de imóveis, registro de veículos ou registro de outros
bens sujeitos à constrição.

Dá-se à causa o valor de R$95.756,34 (noventa e cinco mil


setecentos e cinquenta e seis reais com trinta e quatro centavos).

Nestes termos,

Pede deferimento.

Porto Alegre, 04/11/2010.

MARIO GASPARONI
OAB/RS- 20612632