Você está na página 1de 2

DOENÇA CICLO QUADRO CLINICO DIAGNOSTICO TRATAMENTO

TRANSMISSAO ORAL-FECAL. 90%Assintomáticos. assintomatico: TECLOSAN


AMEBIASE Agua e alimentos contaminados. se sintomas: Pesquisa de trofozoitas ou cistos (agente intra-luminal)
Dor abdominal baixa ( pouca quantidade, e alta nas fezes
Entamoeba LOCAL DE INFECÇÃO:Colon geralmente freqüência) Colite aguda: METRONIDAZOL
hystolytica Diarréia com sangue e muco (disenteria) aspirado e raspado pela + Teclosan
Alguns trofozoitas (moveis) Intercalar constipação com diarréia. colonoscopia
invadem mucosa intestinal = COLITE SINTOMATICA Perda de peso Abcesso: METRONIDAZOL ou
Sanguinea Figado = ABCESSO HEPATIGO aspirado de abcesso. TINIDAZOL + agente intra-
cavidade Abd = AMEBOMA AMEBOMA = massa abdominal luminal
PULMÃO OU CEREBRO ( raramente ABCESSO HEPATICO: único, a direita (70%)
Quadro agudofebre alta, dor em HCD, sudorese Controle de cura – parasitológico
noturna e sinal de torres-homem + ( percussão de fezes ( 1, 14,21,28dias. Após
dolorosa do gradil costal Direito). o tratamento)

GIARDÍASE TRANSMISSÃO: Oral-fecal ingesta de água e alimentos contaminados QUADRO CLÍNICO: DIAGNÓSTICO: TRATAMENTO:
. maioria assintomáticos ELIMINAÇÃO DE CISTOS 1a escolha = Tinidazol dose
a giárdia é resistente a cloração habitualmente utilizada para tto de Se sintomas: QUADRO DE NATUREZA CRONICA INTERMITENTES – muito falso única.
Giardia Lamblia água. E RECIDIVANTE negativo. Metronidazol (taxa de cura
ou Giardia LOCAL DE INFEÇCAO: intestino delgado (duodeno e jejuno proximal) -Diarréia Por isso é necessário a coleta de 90%.)
intestinalis -Dor abdominal tipo cólica ou desconforto varias amostras (3) em 1 semana. Minist saúde – 1aescolha=
Ingesta de cistosdesencistamento trofozoita colonização do abdominal Secnidazol
delgadoentapetamento delgado alteração da absorção -Fezes amolecidas, com aspecto gorduroso Pesquisas de cistos nas fezes
(esteatorreia) Controle de cura =
ENTAPETA O DELGADO BARREIRA MECANICA MÁ -Fadiga, anorexia, distensão abdominal parasitológico de fezes com
ABSORÇÃO. 7,14, 21dias após o tratamento
NÃO HÁ INVASÃO INTESTINAL OU EOSINOFILIA Má absorção (atapetamento) – Esteatorreia, perda
de peso, anemia, deficiência vitamínicas

TRANSMISSÃO: Oral-fecalovos contaminando água, frutas, verduras. Maioria é assintomáticos Identificar a presença de ovos de -Albendazol
ASCARIDÍASE – LOCAL DA INFEÇÇÃO: Jejuno ascaris nas fezes – método de Lutz -Mebendazol
Ascaris Se sintomas:
Lumbricoides Macho e fêmea (vivem juntos (jejuno)Eliminação dos ovos nas fezes Dor abdominal RX-baritado = falha de enchimentos Formas complicadas
ingestão dos ovos  passam pelo estomago eclosao dos ovos no Diarréia = patognomonicos de ascaris SUB OCLUSAO INTESTINAL –
intestino penetra mucosa intestinalcorrente sanguinea atraidas Nauseas e vômitos OBSTRUÇÃO ASCARIS – imagem em piperazina + óleo mineral
pelo O2,ciclo pulmonar (CICLO DE LOOSS) Após maturação durante Anorexia, insônia ... miolo de pão .
10dias larva é deglutida chegam no intestino delagado VERME NÃO PODE VER UM BURACO QUE ENTRA. !!!
“INSTINTO MIGRADOR”
amadurecidas até chegar a fase adulta, completando o ciclo.
 OBSTRUÇÃO
APENDICE - VESICULA BILIAR
CICLO PULMONAR processo inflamatório transitório do parênquima
SUBOCLUSAO INTESTINAL
pulmonmar = ciclo de Loester.
CLINICA: Tosse seca irritante, sibilancia, febre (as vezes), ausculta
estertores migratórios .
RX – infiltrado migratório = helmintos.

TRANSMISSÂO: penetração das larvas filarioide na pele Maioria dos pacientes são assintomáticos. Exame do material fecal – método
ANCILOSTOMÍASE Faz o ciclo pulmonar – síndrome de loeffer. de Wills Ovos ALBENDAZOL OU MEBENDAZOL
– LOCAL DA INFECÇÃO: duodeno-jejuno – fixado na parede intestinal se sintomas: OU PAMOATO DE PIRANTEL
Na contaminação (entrada pela pele) – dermatite Alt laboratoriais = ANEMIA
Necatur CICLO: Vermes adultos parasitam o duodeno e jejuno proximal ovos maculopapulosa prurigionosa FERROPRIVA + HIPOALBUMINEMIA + Controle de cura após 7,14,21
americanus e são eliminados nas fezeslarvas rabdtidoides no solo --> maturação Dor abdominal, epigástrica, com acentuação pos EOSINOFILIA. após o termino do tratamento
duodenalis larval larva filarioide Penetração da larva através do pes humanos prandial.
atingem as vênulas e os vasos linfáticoscirculação sanguinea Diarreia
coração pulmãorompem os capilares ciclo pulmonar Fixação – sucção sanguineas = ANEMIA
migração larvária pela arvore traqueao-bronquica, sendo deglutidas FERROPRIVA.
resistem a passagem gástricachegam no duodeno-jejuno !!!! então
as larvas se fixam através da ventosas na parede para realizar a
sucção sanguinea..