Você está na página 1de 5

Associação de Pais e Encarregados de Educação

Do agrupamento de Escolas de Válega


Estatutos
Capítulo 1

Da natureza, sede e fins da Associação

Artigo 1º

1- A Associação de Pais e Encarregados do Agrupamento de Escolas de Válega, concelho de


Ovar designada nestes estatutos apenas por Associação, é constituída pelos pais e encarregados
de educação dos alunos que dela quiserem fazer parte.
2- A Associação não tem fins lucrativos, terá duração indeterminada e reger-se-á pelos presentes
estatutos e pelas leis aplicáveis.
3- A Associação tema sua sede nas instalações na Escola E.B.2 3 Monsenhor Miguel de Oliveira,
Válega, no concelho de Ovar.

Artigo 2º
A Associação tem como finalidade fomentar uma cooperação permanente com o corpo docente,
órgãos de gestão do agrupamento e alunos e criar e manter condições para a efectiva participação de
todos na tarefa educativa que em comum lhes compete.

Artigo 3º
1- A Associação exercerá as suas actividades sem subordinação a qualquer ideologia política ou
religiosa, procurando assegurar que a educação dos seus filhos e educandos se processe sempre
segundo as normas contidas na Declaração Universal dos Direitos do Homem.
2- A Associação cumprirá os seus fins, salvaguardando sempre a sua independência de quaisquer
organizações oficiais ou privadas.

Artigo 4º
Para a realização dos seus fins, compete à Associação, entre outras, as seguintes atribuições:
a) Interessar as famílias no processo educativo, procurando a sua colaboração no
desenvolvimento e transformação do Agrupamento, de molde a inseri-la na vida e no
trabalho do País;
b) Estimular a criatividade dos alunos, com vista à sua inserção numa sociedade futura em
igualdade de oportunidades;
c) Analisar as situações prejudiciais aos interesses dos filhos ou educandos dos associados,
chamando a atenção para elas e fazendo todos os esforços para a sua resolução;
d) Prestar ao Agrupamento a colaboração possível no âmbito das finalidades mútuas;
e) Colaborar com o Agrupamento em actividades circum-escolares ou de natureza social;
f) Colaborar com associações congéneres, desde que haja manifesto interesse, em ordem à
consecução dos fins comuns.

Página nº 1 de 5
Capítulo II

Dos associados

Artigo 5º
São associados da Associação, por direito próprio, desde que se inscrevam:
a) O pai ou mãe.
b) O encarregado de educação.

Artigo 6º
Constituem direitos dos associados:
a) Participar nas assembleias gerais, eleger e ser eleito para os órgãos da Associação;
b) Utilizar os serviços da Associação para todos os problemas relativos aos seus filhos ou
educandos, no âmbito dos artigos 2º,3º e 4º destes estatutos;
c) Propor à direcção iniciativas que entendam contribuir para o objectivo da Associação e
participar em grupos de trabalho para a actuação em casos específicos.

Artigo 7º
Constituem deveres dos associados:
a) Colaborar por todos os meios ao seu alcance nas tarefas da Associação;
b) Exercer com zelo e diligência os cargos para que foram eleitos;
c) Cumprir as disposições estatutárias e os regulamentos internos;
d) Pagar, nos termos destes estatutos, as cotas que foram fixadas pela assembleia geral.

Artigo 8º
Perdem a qualidade de associados:
a) Os que apresentem à direcção, por escrito, o seu pedido de demissão;
b) Os que deixem de pagar as suas cotas;
c) Os que cometerem qualquer infracção aos estatutos, reconhecida em assembleia geral;
d) Os deixem de ter filhos ou educandos nas escolas do Agrupamento.
Único. Os associados abrangidos pelas alíneas a), b) e c) poderão requerer a continuidade de
membros da Associação, mas sujeitos à sua aprovação na primeira assembleia geral que se
realizar imediatamente a seguir.

Capítulo III

Órgãos da Associação

Artigo 9º
1- São órgãos da Associação:
a) A Assembleia Geral;
b) A direcção;
c) O Concelho Fiscal
2- Nenhum dos cargos dos órgãos da Associação terá a duração de mais um ano.
3- Nenhum cargo de órgãos da Associação será remunerado.

Página nº 2 de 5
Da assembleia Geral

Artigo 10º
1- A Assembleia geral é constituída por todos os associados no pleno gozo dos seus direitos.
2- A mesa da Assembleia Geral é constituída por um presidente e dois secretários.
3- Compete à Assembleia Geral:
a) Apreciar e votar as propostas de alteração dos estatutos;
b) Eleger os membros dos órgãos da Associação;
c) Discutir e dar parecer sobre as actividades da Associação;
d) Manter ou aumentar a cota mínima anual fixada nos estatutos;
e) Discutir e aprovar o relatório de contas anuais e, bem assim, o parecer do concelho fiscal.
4- A Assembleia Geral reunirá:
a) Ordinariamente, pelo menos uma vez por ano, no máximo 30 dias após o inicio de cada
ano lectivo, para dar cumprimento ao disposto nas alíneas b), d) e e) do nº3 do presente
artigo;
b) Extraordinariamente, por iniciativa do seu presidente, a pedido da Direcção ou do concelho
fiscal, ou ainda por pedido subscrito por um mínimo de um quinto dos associados.
5- Cada associado tem o direito a um voto, qualquer que seja o numero de alunos seus filhos ou
educandos.
6- A assembleias gerais consideram-se validamente constituídas estando presentes, pelo menos
mais de metade dos seus associados, se á hora marcada não se verificar a presença daquele
numero, reunira meia hora depois com os associados presentes, qualquer que seja o número:
a) As deliberações das assembleias gerais para alteração dos estatutos exigem o voto favorável
de três quartos do número de todos os associados inscritos e no pleno poder dos seus
direitos, na 1ª convocatória,
Único: Se na primeira convocatória não estiver presente o número necessário de associados, será
feita nova convocatória no prazo de 15 dias e aí bastará o voto favorável de três quartos dos
associados presentes nesta assembleia.
b) As deliberações da Assembleia geral sobre a dissolução da Associação requerem o voto
favorável do número de todos os Associados inscritos e no pleno poder dos seus direitos;
c) Todas as decisões, salvo o disposto na alínea b) do prescrito número, serão tomadas por
maioria simples de votos dos associados presentes.
7- Quanto a assembleia geral assim o determinar, a deliberação de qualquer assunto pode ser
obtida por votação secreta.

Da Direcção

Artigo 11º
1- A Direcção é composta por nove elementos eleitos por assembleia geral.
2- Os membros da Direcção distribuídos entre si, na primeira reunião após a eleição, os respectivos
cargos: um Presidente, quatro Vice-Presidentes, um Secretário, um Tesoureiro e dois Vogais.
3- À direcção compete fazer o necessário para que as finalidades da Associação sejam cumpridas,
nomeadamente:
a) Gerir correctamente os bens da Associação;
b) Submeter à Assembleia Geral o relatório e contas anuais para discussão e aprovação;
c) Representar a Associação e em seu nome defende os seus interesses e assumir as suas
responsabilidades;
d) Facultar ao Conselho Fiscal todos os livros e mais documentos que este possa requerer para
desempenho das suas funções;
e) Deliberar sobre a possível perda de direitos dos associados.
Página nº 3 de 5
4- A Direcção reunirá pelo menos uma vez por mês e, extraordinariamente, sempre que o seu
Presidente ou a maioria o solicite.
5- A Direcção deliberará quando estiver presente a maioria dos seus membros, sendo as
deliberações tomadas por maioria simples, tendo o Presidente o voto de qualidade, devendo
lavrar-se uma acta de cada reunião.
6- A Direcção, sempre que for conveniente, promoverá reuniões com pais e encarregados de
educação.

Do Conselho Fiscal

Artigo 12º
1- O Conselho Fiscal será Eleito pela Assembleia Geral e terá de ser constituído por um
Presidente, um relator e um vogal.
2- Compete ao Conselho fiscal:
a) Fiscalizar a escrituração e exigir que ela esteja sempre em ordem legal, de modo a reflectir
permanentemente a situação da Associação;
b) Dar parecer sobre o relatório e contas anuais e sobre qualquer assunto da sua competência,
mediante pedido da Assembleia Geral ou da Direcção.
3- O conselho Fiscal reunirá ordinariamente a pedido do seu presidente e extraordinariamente
sempre que a direcção o requeira.

Capítulo IV

Do regime financeiro

Artigo 13º
1- As receitas da Associação compreendem
a) As quotas cobradas dos seus associados,
b) As subvenções ou donativos que eventualmente lhe sejam atribuídos.
2- A quota mínima anual é de CINCO EUROS (5 €); todavia a assembleia geral, nos termos da
alínea a) do nº3 do artigo 10º destes estatutos, poderá deliberar a sua alteração.
3- A quota mínima anual estatutária ou fixada pela assembleia geral será paga até ao dia 15 de
Outubro de cada ano lectivo ou no acto da inscrição se esta se verificar ao longo do ano.
4- Os associados que já estiverem inscritos no momento em que a assembleia geral deliberar o
aumento da quota deverão liquidar a respectiva diferença no prazo estipulado pela própria
assembleia geral.
5- A Direcção poderá considerar a isenção de quota para os casos de comprovada debilidade
económica.

Capítulo V

Do sistema eleitoral

Artigo 14º
1- A eleição dos membros efectivos dos órgãos da Associação é feita por escrutínio secreto.
2- As candidaturas constarão de listas a apresentar ao presidente da mesa da assembleia geral até
dois dias antes da data da assembleia geral ordinária a realizar nos termos da alínea a) do artigo
10º destes estatutos:
Página nº 4 de 5
3- Poderão concorrer uma ou mais listas, que terão de ser subscritas, pelo menos por 5 eleitores

4- Consideram-se eleitos os elementos constantes da lista mais votada, efectuando-se a contagem


perante a assembleia geral.
5-
6- A convocatória para a assembleia eleitoral será feita por escrito, a cargo do presidente da
assembleia geral , com a antecedência de 10 dias. A convocatória será afixada na escola, em
locais públicos da freguesia, devendo ser enviada cópia para cada Encarregado de Educação
pelo respectivo Educando.
6- Os Membros eleitos dos Órgão da associação tomam posse o Presidente da assembleia geral, no
prazo máximo de cinco dias, após a eleição.

CAPÍTULO VI

Disposições gerais

Artigo 15º
A Associação obriga-se:
a) Em documento de mero expediente, por uma assinatura de qualquer dos membros da
Direcção;
b) Em documentos que envolvam responsabilidades, pelas assinaturas conjuntas de dois
directores, sendo uma delas, obrigatoriamente, a do tesoureiro ou do presidente.

Artigo 16º
Poderá a Associação agrupar-se ou filiar-se em Uniões, Federações ou Confederações, de
âmbito local, regional, nacional ou internacional, com fins idênticos ou similares aos seus.

Artigo 17º
Em caso de dissolução da Associação, salvo determinação em contrário da assembleia
geral, todo o seu património reverterá a favor do Agrupamento.

Artigo 18º
Nos casos omissos dos presentes estatutos, observar-se-á o disposto na lei geral ou serão
apresentados e aprovados em assembleia geral.

Página nº 5 de 6