Você está na página 1de 3

A Arte Mutável

Capítulo 1 – O que é Transfiguração?


A Transfiguração é a magia mais constante que se conhece, ela está
presente em tudo e todos, até os trouxas reconhecem. Tudo se
transforma: o seu corpo se modifica constantemente, sua voz
engrossa, os ossos crescem, etc; uma lagarta se transforma em
borboleta; o girino se transforma em sapo; enfim, Transfiguração é o
ato de mudar de forma (trans = mudar; figura = forma).

E para que serve a Transfiguração?


Ora, serve pra tudo: camuflagem, se transformar em animais, serve
para dar habilidades especiais, modificar objetos, mudar a cor do seu
cabelo, virar um meio animal, transforma-se em elementos da
natureza, etc.

Quem inventou a Transfiguração?


Na verdade a história da Transfiguração é muito obscura; como eu já
disse, tudo se transforma, porém, provavelmente um dos primeiros
povos a adotar a transfiguração como prática mágica foram os celtas.
Os celtas eram povos guerreiros e extremamente religiosos, porém,
era uma religião diferente do cristianismo, na verdade, cinco fatores
diferenciam a religião deles: o culto a Deusa e ao Deus; ausência de
proselitismo; reverência à Terra; aceitação da reencarnação; e
principalmente a aceitação a magia.
Os celtas encaravam a magia como uma religião e não como uma
prática, os pagãos ou os camponeses, faziam alguns tipos de
sortilégio, geralmente relacionados com a fertilidade dos campos,
entre outras coisas. No entanto, existiam ainda os sacerdotes pagãos,
que aprendiam durante um tempo de aproximadamente 20 anos, as
mais diversas formas de magia, entre elas: Astronomia, Astrologia;
Poesia, Filosofia, Adivinhação, etc. eles eram extremamente
poderosos, mas também eram modestos e moralistas; eles cuidavam
também da parte jurídica e poética do seu povo. Enfim, uma das
habilidades desses magos era, justamente, animagia. Eles se
transformavam nos animais com quem sentiam mais afinidade (não
se sabe se para eles se transformarem em animais havia o uso da
varinha, no entanto, eu acredito que seja algo mais interior do
exterior).
Uma coisa que dificulta o estudo histórico dos celtas é que eles não
deixaram nada escrito; os seus ensinamentos eram passados
oralmente, para impedir gente inescrupulosa (como os romanos, por
exemplo) de ter acesso a esse conhecimento.
OBS 1: É, provavelmente, por isso que não existiam bruxos das trevas
naquele tempo.
OBS 2: Procurem saber do seu professor de História da Magia.
Antes, ou ao mesmo tempo, os egípcios já cultuavam deuses
antropozomarficos (metade animais), e seus cultos, caro, que
precisavam de sacerdotes, que eram os bruxos da época. Com
freqüência, eles transformavam madeira e pedra em animais como
serpente e escaravelhos, entre outras coisas.
Com o tempo a transfiguração, assim como a magia, evoluíram, e
agora alguns usam para o mal. No tempo dos saxões, por exemplo,
vivia um bruxo muito poderoso que seguia os ensinamentos celtas, o
nome dele era Merlim; Merlim devia providenciar que Arthur
derrotasse os saxões e os retirassem da ilha. Nesse meio tempo, às
vezes aparecia alguém para desafiá-lo. Eram os chamados os duelos
de animagos (eles eram mais poderosos que nós, por isso a animagia
não era tão rara quanto hoje), o objetivo era se transformar em
animal, vegetal ou mineral e derrotar o animal, vegetal ou mineral
que o adversário se transformar e é claro que eles mudavam
constantemente de formar (sem varinhas!); o duelo poderia durar
horas. Um dos duelos de Merlim está descrito no livro A Espada era a
Lei, onde Merlim duela com Madame Mim.
Apesar da animagia ser algo natural na Idade Média, nesse mesmo
tempo pintou um grande adversário: a Igreja Católica. Como todos
sabem, ela torturou, matou, proibiu e deportou os bruxos. Depois
disso tudo, eles apreenderam dezenas de livros de magia. Num
destes livros eles encontraram um artefato mágico raríssimo: A pedra
preta; dentro desta pedra existia um encantamento que acabava com
todos os encantamentos e feitiços pela pessoa que o lê, no entanto,
eles adaptaram a pedra e ela acabou destruindo toda a magia
européia.
Porém alguns lugares permaneceram quase intactos e eram
justamente os lugares sagrados dos celtas. De lá pra cá, a magia
mudou muito, contudo conseguimos revitalizá-la, só com o poder e
simplicidade que possuíamos, mas ainda assim, somos poderosos…

Capítulo 2 – Tipos de Transfiguração


A Transfiguração se divide da seguinte forma:
Transfiguração Evolutiva: É toda transfiguração usada para dar
habilidades especiais ou peculiares a seres vivos, principalmente
humanos. Ex: mudar de cor, ficar “desiludido”, se transformar em
líquido; o desenvolvimento corporal é uma forma de Tranfiguração
Evolutiva.
Transfiguração Mutante: É toda transfiguração em que se transforma
animais em seres de outra espécie ou família, ou, quando se
misturam partes dos corpos de mais de um animal. Ex: animagia,
Transfiguração Total, Parcial ou Complexa do corpo, trocas cruzadas,
etc.
Transfiguração Conjurada: É quando transformamos objetos em
outros objetos ou damos a eles habilidades específicas. (deve-se
tomar cuidado com objetos transfigurados, pois se eles caírem nas
mãos dos trouxas, o Departamento do Mau Uso dos Artefatos dos
Trouxas não vai gostar nem um pouco!). Ex: xícara em colher, botão
em dedal, etc.
Transfiguração Alternada: É quando transformamos animais e
vegetais em objetos e vice-versa. Ex: botão em besouro, corja em
cálice, etc.
Transfiguração Inata: Como o nome já diz, é a Transfiguração Natural,
ou seja, sem o auxílio de varinha ou palavras mágicas, na verdade as
pessoas que conseguem realizá-la, geralmente já nasce com esse
poder, são os metamorfomagos, metamorfoanimagos, magicinesistas,
a única exceção, os animagos.

Capítulo 3 – Transfiguração Básica para o 1º ano


Antes de mais nada, vamos aprender a desfazer as Transfigurações;
90% das Transfigurações são neutralizados através desse feitiço.
Logicamente, deve-se apontar a varinha para o objeto ou o ser vivo
enfeitiçado e dizer: Feito Desfeito. Porém, não é obrigatório que o
bruxo que realizou a transfiguração desfaça o encanto, outra pessoa
pode fazê-lo.

Feitiços Simples de Objetos


Esses são os feitiços padrões que usamos para transfigurar objetos
em outros objetos ou em casos não tão simples, em animais, a única
regra é que os objetos tem de ter formas semelhantes, por exemplo:
fósforo em agulha, vela em caneta, etc. a seguir exemplifico as mais
simples e comuns, mas basicamente, é só bater com a varinha
levemente duas vezes no objeto.

*Fósforo em agulha: Transfigurus agulha


*Moeda em botão: Transformas budus
*Sino em pedra: Transfigurus petrus
*Vela em galho: Transformus bellus
*Parafina em cera: Transfigurus waxum
*Botão em besouro: Transmorficus dumdore
*Garrafa em pena: Transfiguratus plumus