http://geografismos.blogspot.

com

CONCEITOS ESTATÍSTICOS VIGENTES ADOPTADOS PELO INSTITUTO NACIONAL DE ESTATÍSTICA FICHA INFORMATIVA

LISTAGEM DOS CONCEITOS ESTATÍSTICOS VIGENTES Instituto Nacional de Estatística - INE
Os Conceitos Estatísticos do INE definem as operações estatísticas realizadas no âmbito do Sistema Estatístico Nacional. Estes conceitos são aprovados pelo Conselho Superior de Estatística e têm valor legal.

Conceitos agrupados por Áreas temáticas
ADMINISTRAÇÕES PÚBLICAS AGRICULTURA, FLORESTA E PESCAS AMBIENTE COMÉRCIO INTERNACIONAL COMÉRCIO INTERNO CONJUNTURA CONSTRUÇÃO E HABITAÇÃO CONTAS NACIONAIS E REGIONAIS CULTURA E LAZER EDUCAÇÃO, FORMAÇÃO E APRENDIZAGEM EMPRESAS INDÚSTRIA E ENERGIA INOVAÇÃO E CONHECIMENTO JUSTIÇA MERCADO DE TRABALHO POPULAÇÃO PREÇOS PROTECÇÃO SOCIAL SAÚDE SERVIÇOS ÀS EMPRESAS E OUTROS SECTOR MONETÁRIO E FINANCEIRO TERMINOLOGIA ESTATÍSTICA TERRITÓRIO TRANSPORTES E COMUNICAÇÕES TURISMO

Número de conceitos vigentes
62 805 205 62 60 37 249 264 230 454 241 313 235 431 281 157 4 320 300 140 295 181 93 728 126

TOTAL: 6273 conceitos estatísticos vigentes em 2012

NOTA: O SISTEMA ESTATÍSTICO NACIONAL é composto, desde 2008 por: SEN= CSE + INE + BdP + Serviços Regionais Estatística das Regiões Autónomas + entidades delegadas (base na delegação de competências do INE) + Sectores da Administração Pública (Min. Finanças, Economia, Justiça, etc). Conselho Superior de Estatística (CSE) é o órgão do Estado que orienta e coordena o SEN. O INE tem como funções a produção e divulgação de estatísticas oficiais, a gestão, manutenção e actualização dos conceitos e nomenclaturas utilizadas oficialmente no SEN, promovendo a coordenação, o desenvolvimento e a divulgação da actividade estatística nacional. O Banco d Portugal (BdP) tem como função essencial a recolha e elaboração das estatísticas monetárias, financeiras, cambiais e da balança de pagamentos, designadamente no âmbito da sua colaboração com o Banco Central Europeu (compromissos assumidos no domínio estatístico).

Página 1 de 176

http://geografismos.blogspot.com

CONCEITOS ESTATÍSTICOS VIGENTES ADOPTADOS PELO INSTITUTO NACIONAL DE ESTATÍSTICA FICHA INFORMATIVA

ADMINISTRAÇÕES PÚBLICAS: 62 REGISTOS

A
ALTURA DA BARRAGEM ALTURA DA QUEDA BRUTA DE UMA BARRAGEM ALTURA DA QUEDA ÚTIL DE UMA BARRAGEM

C
CAPACIDADE INSTALADA DE ENERGIA ELÉTRICA CENTRAL ELÉTRICA DE SERVIÇO PARTICULAR CENTRAL ELÉTRICA DE SERVIÇO PÚBLICO CENTRAL HIDROELÉTRICA CENTRAL TERMOELÉTRICA CLÁSSICA COMPRAS DE BENS E SERVIÇOS CONTRIBUIÇÃO AUTÁRQUICA CONTROL

D
DENIAL OF SERVICE DERRAMA

E
ECLUSA ELETRICIDADE ENERGIA ARMAZENÁVEL DE UM APROVEITAMENTO HIDROELÉTRICO ENERGIA ELÉTRICA EMITIDA PELA CENTRAL ENERGIA HIDROELÉTRICA ENERGIA PRIMÁRIA EXPORTAÇÃO DE ENERGIA

F
FILIAL ESTRANGEIRA FOREIGN CONTROL FUELÓLEO PESADO FUNDOS MUNICIPAIS

Página 2 de 176

http://geografismos.blogspot.com

CONCEITOS ESTATÍSTICOS VIGENTES ADOPTADOS PELO INSTITUTO NACIONAL DE ESTATÍSTICA FICHA INFORMATIVA

G
GÁS NATURAL GASES DE PETRÓLEO LIQUEFEITO GASÓLEO GRUPO ELETROGÉNEO

H
HULHA

I
IMPORTAÇÃO DE ENERGIA IMPOSTO MUNICIPAL SOBRE AS TRANSMISSÕES ONEROSAS DE IMÓVEIS IMPOSTO MUNICIPAL SOBRE IMÓVEIS IMPOSTO MUNICIPAL SOBRE VEÍCULOS IMPOSTO SOBRE O RENDIMENTO DE PESSOAS SINGULARES

J
JOULE

L
LEASING FINANCEIRO LENHITE LINHA DE ALTA TENSÃO LINHA DE BAIXA TENSÃO

M
MISTIFICAÇÃO DA INTERFACE MISTIFICAÇÃO DO DESTINO

N
NEGAÇÃO DE SERVIÇO

O
ORGÃOS DE SOBERANIA OUTWARD STATISTICS ON FOREIGN AFFILIATES

Página 3 de 176

http://geografismos.blogspot.com

CONCEITOS ESTATÍSTICOS VIGENTES ADOPTADOS PELO INSTITUTO NACIONAL DE ESTATÍSTICA FICHA INFORMATIVA

P
PARTIDO POLÍTICO PHARMING PHISHING POSTO DE TRANSFORMAÇÃO POTÊNCIA MÁXIMA LÍQUIDA POSSÍVEL DE UMA CENTRAL PRODUÇÃO BRUTA DE ENERGIA ELÉTRICA PRODUÇÃO LÍQUIDA DE ENERGIA ELÉTRICA PRODUTIBILIDADE DE UM APROVEITAMENTO HIDROELÉTRICO PURCHASES FOR RESALE

Q
QUARTO RECURSO PRÓPRIO COM BASE NO PNB

R
RENTING REPARTIÇÃO DE FINANÇAS

S
STATISTICS ON FOREIGN AFFILIATES SUBESTAÇÃO

T
TENSÃO NOMINAL TENSÃO PRIMÁRIA TONELADA EQUIVALENTE DE PETRÓLEO

U
ULTIMATE CONTROLLING INSTITUTIONAL UNIT OF A FOREIGN AFFILIATE

Página 4 de 176

http://geografismos.blogspot.com

CONCEITOS ESTATÍSTICOS VIGENTES ADOPTADOS PELO INSTITUTO NACIONAL DE ESTATÍSTICA FICHA INFORMATIVA

AGRICULTURA, FLORESTA E PESCAS: 805 REGISTOS

A
ABRIGO ALTO ABRIGO BAIXO ABRIGO DE SOMBRA ACARICIDA ACIDIFICAÇÃO AÇÚCAR AÇUDE HIDROAGRÍCOLA ADITIVO ALIMENTAR ADITIVOS ADUBOS AGREGADO DOMÉSTICO DO PRODUTOR AGRÍCOLA AGRICULTOR AGRICULTOR SEAREIRO AGRICULTURA BIOLÓGICA ÁGUA DE REGA ÁGUA DESSALINIZADA ÁGUA DOCE ÁGUA SALOBRA AGUARDENTE AGUARDENTE PREPARADA AGUARRÁS ÁGUAS DE SUPERFÍCIE FORA DA EXPLORAÇÃO ÁGUAS DE SUPERFÍCIE NA EXPLORAÇÃO ÁGUAS DE TRANSIÇÃO ÁGUAS INTERIORES ÁGUAS PROVENIENTES DE REDES COMUNS DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA ÁGUAS SUBTERRÂNEAS ALBUFEIRA ALCATRUZ ÁLCOOL ALIMENTAÇÃO ANIMAL ALIMENTOS COMPOSTOS COMPLETOS PARA ANIMAIS ALIMENTOS COMPOSTOS PARA ANIMAIS ALIMENTOS COMPOSTOS COMPLEMENTARES PARA ANIMAIS ALIMENTOS PARA ANIMAIS ANÁLISES DE TERRAS ANÁLISES DO SOLO ANÁLISES FOLIARES ANO AGRÍCOLA APARAS E ESTILHAS AQUECIMENTO POR ÁGUA QUENTE ( ESTUFAS ) AQUECIMENTO POR ÁGUA QUENTE A ALTA TEMPERATURA ( ESTUFAS ) AQUECIMENTO POR ÁGUA QUENTE A BAIXA TEMPERATURA ( ESTUFAS )

Página 5 de 176

http://geografismos.blogspot.com

CONCEITOS ESTATÍSTICOS VIGENTES ADOPTADOS PELO INSTITUTO NACIONAL DE ESTATÍSTICA FICHA INFORMATIVA

AQUECIMENTO SOLAR ( ESTUFAS ) AQUICULTURA EM ÁGUA DOCE ( ÁGUAS DE TRANSIÇÃO ) AQUICULTURA EM ÁGUA MARINHA AQUICULTURA EM ÁGUA SALOBRA ( ÁGUAS DE TRANSIÇÃO ) ARBORIZAÇÃO/REARBORIZAÇÃO ÁREA DE PROPAGAÇÃO ÁREA DE PROPAGAÇÃO DE CULTURAS LENHOSAS ÁREA DE PROTEÇÃO DE CAÇA ÁREA DE REFÚGIO DE CAÇA ÁREA GEOGRÁFICA DE PRODUÇÃO ÁREAS DE NÃO CAÇA ÁREAS PERCORRIDAS POR INCÊNDIOS FLORESTAIS ARJOADOS ARJÕES ARMAÇÃO OU ARTE FIXA ARMAZENISTA ( DE PRODUTOS VÍNICOS ) ARROZ BRANQUEADO ARROZ DE GRÃOS LONGOS ARROZ DE GRÃOS REDONDOS ARROZ DE GRÃOS MÉDIOS ARROZ DESCASCADO EM PELÍCULA OU MEIO PREPARO ARROZ EM CASCA ( PADDY ) ARROZ SEMIBRANQUEADO ARTE DE PESCA ÁRVORES OU ARVOREDO DE INTERESSE PÚBLICO ASPERSOR ATIVIDADES LUCRATIVAS NÃO AGRÍCOLAS DA EXPLORAÇÃO AVES DE CAPOEIRA AVES DE CAPOEIRA DE ABATE AVES DE CAPOEIRA DE RENDIMENTO OU PRODUÇÃO AVES DE CAPOEIRA DE REPRODUÇÃO AVES DO DIA AVIÁRIO AVIÁRIO DE MULTIPLICAÇÃO AVIÁRIO DE PRODUÇÃO DE CARNE AVIÁRIO DE PRODUÇÃO DE OVOS AZEITE ( COMPOSTO POR AZEITE REFINADO E VIRGEM ) AZEITE REFINADO AZEITE VIRGEM EXTRA AZEITE VIRGEM LAMPANTE AZEITES VIRGENS AZEITONA DE MESA AZEITONA PRETA NATURAL AZEITONA PRETA OXIDADA AZEITONA VERDE

Página 6 de 176

http://geografismos.blogspot.com

CONCEITOS ESTATÍSTICOS VIGENTES ADOPTADOS PELO INSTITUTO NACIONAL DE ESTATÍSTICA FICHA INFORMATIVA

B
BAGAÇO DE AZEITONA BAGAÇOS BALANÇO DE APROVISIONAMENTO BALANÇO FORRAGEIRO BALDIOS BARRA COM CANHÃO ENROLADOR BARRAGEM BARRAGEM HIDROAGRÍCOLA BATEIRA DE PESCA BEBIDAS À BASE DE LEITE BERBIGOEIRA BIOMASSA AGRÍCOLA BLOCO AGRÍCOLA COM ACESSO A CAMINHOS PÚBLICOS BLOCO DE TERRA AGRÍCOLA BODE BOI BORREGA COBERTA BORREGO BOVINOS BRANDY BRANQUEIRA

C
"COOLING-SYSTEM" CABEÇA NORMAL ( CN ) CABRA CABRA DE REFUGO CABRA LEITEIRA CABRITO CAÇA DE CRIAÇÃO CAÇA SELVAGEM CÂMARA FRIGORÍFICA DE FRIO CONVENCIONAL CÂMARA FRIGORÍFICA DE ATMOSFERA CONTROLADA CAMINHO AGRÍCOLA OU FLORESTAL CAMPANHA DE COMERCIALIZAÇÃO DO AZEITE CAMPANHA DE COMERCIALIZAÇÃO DO AZEITE CAMPANHA DO LAGAR CANHÃO CAPITAÇÃO CAPRINOS CAPTURA ACESSÓRIA CAPTURA BRUTA CAPTURA DEVOLVIDA CAPTURA NOMINAL

Página 7 de 176

http://geografismos.blogspot.com

CONCEITOS ESTATÍSTICOS VIGENTES ADOPTADOS PELO INSTITUTO NACIONAL DE ESTATÍSTICA FICHA INFORMATIVA

CAPTURA RETIDA CARCAÇA CARNE CARNE APROVADA PARA CONSUMO PÚBLICO CARNE FRESCA OU REFRIGERADA CARVÃO VEGETAL CASEÍNA CASEINATOS CASTAS CEIFEIRAS-DEBULHADORAS CENTRO DE INCUBAÇÃO CENTRO DE RECEÇÃO DE RESÍDUOS CEREAIS PARA GRÃO CERTIFICAÇÃO DE PRODUTOS AGRÍCOLAS E DE GÉNEROS ALIMENTÍCIOS CERTIFICADO DE ESPECIFICIDADE ( CE ) CHARCA CHIBA COBERTA CHIBA DE SUBSTITUIÇÃO CHIBA LEITEIRA COBERTA CHINCHORRO CHORUME COAGULAÇÃO COALHADA OU COALHO COELHA REPRODUTORA COLHEDORES DE FORRAGENS COLHEDORES DE FRUTA AUTOMOTRIZES COLMEIA COLOFÓNIA DE GEMA ( PEZ ) COMPASSO COMPOTA COMPRADORES DE LEITE COMPRIMENTO ENTRE PERPENDICULARES ( Cpp ) COMPRIMENTO FORA A FORA ( CFF ) CONCENTRADO CONCENTRADO DE TOMATE CONCENTRADO DE TOMATE X BRIX CONCESSÃO DE MOLUSCOS CONCESSÃO DE PESCA DESPORTIVA CONSERVAÇÃO ATRAVÉS DE ATMOSFERA CONTROLADA CONSERVAÇÃO ATRAVÉS DE FRIO CONVENCIONAL CONSERVAÇÃO DO SOLO CONSERVAS DE FRUTOS CONSERVAS DE HORTÍCOLAS CONSERVAS EM VINAGRE CONSOCIAÇÕES ANUAIS CONSUMO APARENTE DE FERTILIZANTES CONSUMO HUMANO CONTRAPLACADO CONTROLO DE INFESTANTES

Página 8 de 176

http://geografismos.blogspot.com

CONCEITOS ESTATÍSTICOS VIGENTES ADOPTADOS PELO INSTITUTO NACIONAL DE ESTATÍSTICA FICHA INFORMATIVA

CONTROLO OFICIAL CONTROLO VETERINÁRIO COOPERATIVA AGRÍCOLA COOPERATIVA AGRÍCOLA DE PRODUÇÃO COOPERATIVA AGRÍCOLA POLIVALENTE CORRETIVOS CORRETIVOS CÁLCICOS CORRETIVOS CÁLCICOS ACIDIFICANTES CORRETIVOS CÁLCICOS ALCALINIZANTES CORRETIVOS HÚMICOS OU ORGÂNICOS CORTIÇA AMADIA CORTIÇA DE REPRODUÇÃO CORTIÇA SECUNDEIRA CORTIÇA VIRGEM CORTIÇO COVO CREME DE BARRAR CRUZETA CULTIVADORES CULTURA DE COBERTURA OU INTERCALAR CULTURA DE INVERNO CULTURA DE PRIMAVERA CULTURA ENERGÉTICA CULTURA TEMPORÁRIA PRINCIPAL CULTURAS ASSOCIADAS CULTURAS FORRAGEIRAS CULTURAS HORTÍCOLAS EXTENSIVAS CULTURAS HORTÍCOLAS INTENSIVAS CULTURAS INDUSTRIAIS CULTURAS PERMANENTES CULTURAS REGADAS CULTURAS SACHADAS CULTURAS SECUNDÁRIAS CULTURAS SOB COBERTO CULTURAS SOB-COBERTO DE MATAS E FLORESTAS CULTURAS TEMPORÁRIAS CULTURAS TEMPORÁRIAS SUCESSIVAS CUSTOS ESPECIFÍCOS PROPORCIONAIS ( no cálculo da Margem Bruta )

D
DENOMINAÇÃO DE ORIGEM ( DO ) DENOMINAÇÃO DE ORIGEM CONTROLADA ( D.O.C. ) DENOMINAÇÃO DE ORIGEM PROTEGIDA ( D.O.P. ) DEPOSIÇÃO ATMOSFÉRICA DO AZOTO DESINFEÇÃO DO SOLO DESTILADOR ( DE PRODUTOS VÍNICOS ) DIA DE PESCA DIA DE TRABALHO

Página 9 de 176

http://geografismos.blogspot.com

CONCEITOS ESTATÍSTICOS VIGENTES ADOPTADOS PELO INSTITUTO NACIONAL DE ESTATÍSTICA FICHA INFORMATIVA

DIMENSÃO ECONÓMICA ( DE ) DIRIGENTE DA EXPLORAÇÃO DISTRIBUIDOR CENTRIFUGO DE ADUBO DISTRIBUIDORES DE ADUBOS E CORRETIVOS DOENÇAS DE DECLARAÇÃO OBRIGATÓRIA

E
EFETIVO ANIMAL EFETIVO PECUÁRIO EMBARCAÇÃO DE PESCA EMBARCAÇÃO DE PESCA COSTEIRA EMBARCAÇÃO DE PESCA LOCAL EMBARCAÇÃO DE PESCA LONGINQUA ( DO LARGO ) EMPRESA DE TRATAMENTO OU TRANSFORMAÇÃO DE LEITE OU OUTROS PRODUTOS LÁCTEOS EMPRESA FAMILIAR AGRÍCOLA ENFARDADEIRAS ENFORCADO ENGARRAFADOR ( DE VINHOS ) ENRELVAMENTO DA ENTRELINHA ENTIDADE CERTIFICADORA DE VINHOS ENTREAJUDA ENTREGA DE LEITE EQUÍDEOS EQUIPAMENTO FIXO ( NO ESTÁBULO ) DE ORDENHA MECÂNICA EQUIPAMENTO MÓVEL DE ORDENHA MECÂNICA EQUIVALENTES DE CO2 ESCARIFICADORES ESFORÇO DE PESCA ESPAÇOS FLORESTAIS ESPÉCIE ALVO ESPÉCIE BENTÓNICA ESPÉCIE DEMERSAL ESPÉCIE PELÁGICA ESPÉCIES DE RÁPIDO CRESCIMENTO ESTABELECIMENTO DE AQUICULTURA ESTABULAÇÃO ESTABULAÇÃO COM PRODUÇÃO PREDOMINANTE DE CHORUME ESTABULAÇÃO COM PRODUÇÃO PREDOMINANTE DE ESTRUME SÓLIDO ESTABULAÇÃO LIVRE ESTABULAÇÃO PRESA ESTACA ESTADO FENOLÓGICO ESTRUME ESTRUME DE AVES ESTRUME LÍQUIDO ESTUFA ESTUFA COM SOLO ESTUFA DUPLA

Página 10 de 176

http://geografismos.blogspot.com

CONCEITOS ESTATÍSTICOS VIGENTES ADOPTADOS PELO INSTITUTO NACIONAL DE ESTATÍSTICA FICHA INFORMATIVA

ESTUFA MÚLTIPLA ESTUFA PARRAL ESTUFA SEM SOLO ESTUFA SIMPLES ESTUFA TRIPLA ESTUFA TÚNEL EUTROFIZAÇÃO EXCEDENTE LÍQUIDO DE EXPLORAÇÃO OU RENDIMENTO MISTO EXPLORAÇÃO ABANDONADA EXPLORAÇÃO AGRÍCOLA EXPLORAÇÃO AGRÍCOLA DE ARRENDAMENTO EXPLORAÇÃO AGRÍCOLA DE CAMPANHA EXPLORAÇÃO AGRÍCOLA DE PARCERIA EXPLORAÇÃO AGRÍCOLA DO ESTADO EXPLORAÇÃO AGRÍCOLA POR CONTA PRÓPRIA EXPLORAÇÃO DESAPARECIDA EXPORTADOR ( DE PRODUTOS VITÍVINICOLAS )

F
FABRICANTE DE VINAGRE DE VINHO FAINA DA PESCA FERMENTAÇÃO ENTÉRICA FERTILIZANTE FERTIRRIGAÇÃO FILME DE PLÁSTICO FIXAÇÃO BIOLÓGICA DO AZOTO FLORES DE CORTE FLORES E PLANTAS ORNAMENTAIS FLORESTA FLUTUANTE FOGO CONTROLADO FOLHAGENS DE CORTE E COMPLEMENTOS DE FLOR FOLHEADOS FORMA DE ESCOAMENTO FORMA DE EXPLORAÇÃO FORMAÇÃO AGRÍCOLA EXCLUSIVAMENTE PRÁTICA FORMAÇÃO PROFISSIONAL AGRÍCOLA COMPLETA FORMAÇÃO PROFISSIONAL AGRÍCOLA ELEMENTAR FORNECEDORES DE SEMENTES E PROPÁGULOS FRANGO PARA CARNE FRESA FROTA DE ARRASTO FROTA DE CERCO FROTA POLIVALENTE FRUTOS COBERTOS OU CRISTALIZADOS FRUTOS CONFITADOS FRUTOS ESCORRIDOS OU CALDEADOS FRUTOS SECADOS

Página 11 de 176

http://geografismos.blogspot.com

CONCEITOS ESTATÍSTICOS VIGENTES ADOPTADOS PELO INSTITUTO NACIONAL DE ESTATÍSTICA FICHA INFORMATIVA

FUMIGAÇÃO FUNGICIDA FURO ARTESIANO

G
GADANHEIRAS GADO GADO DA EXPLORAÇÃO GAIOLA COM FOSSO GAIOLA COM TAPETE ROLANTE GALINHAS POEDEIRAS E REPRODUTORAS GALRICHO GANCHORRA GELEIA GEMA GÉNERO ALIMENTÍCIO GLUCOSE

H
HERBICIDAS HORTA FAMILIAR

I
IMPORTADOR ( DE PRODUTOS VITÍVINICOLAS ) IMPRODUTIVO INCÊNDIO FLORESTAL INCUBADORA INCULTO INDICAÇÃO GEOGRÁFICA ( IG ) INDICAÇÃO GEOGRÁFICA PROTEGIDA INDICADOR "C" INDICADOR " B" INDICADOR "A" INDUSTRIAIS DE PRODUTOS RESINOSOS INSETICIDA INSPEÇÃO INSPEÇÃO SANITÁRIA INSTALAÇÃO COM PAVIMENTOS COM GRELHAS INSTALAÇÃO COM PAVIMENTOS SEM GRELHA E COM CAMA SOBREPOSTA INSTALAÇÃO ESTANQUE INSTALAÇÃO PARA VINIFICAÇÃO INTRACONSUMO INVESTIMENTO AGRÍCOLA IOGURTE

Página 12 de 176

http://geografismos.blogspot.com

CONCEITOS ESTATÍSTICOS VIGENTES ADOPTADOS PELO INSTITUTO NACIONAL DE ESTATÍSTICA FICHA INFORMATIVA

IOGURTE COM ADITIVOS

J
JUVENIS

L
LACTOSE LAGAR DE AZEITE LAGAR DE AZEITE COOPERATIVO LAGAR DE AZEITE INDUSTRIAL LAGOA DE ESTABILIZAÇÃO DE EFLUENTES PECUÁRIOS LAMEIRO LEGUMINOSAS SECAS PARA GRÃO LEGUMINOSAS SECAS PARA GRÃO EM CULTURA ESTREME PARA GADO LEITE COMPOSTO LEITE CONCENTRADO LEITE CONDENSADO LEITE CRÚ LEITE EM PÓ LEITE EM PÓ GORDO LEITE EM PÓ MAGRO ( OU DESNATADO ) LEITE EM PÓ MEIO GORDO ( OU PARCIALMENTE DESNATADO ) LEITE ESTERILIZADO LEITE EVAPORADO LEITE FERMENTADO ( OU ACIDIFICADO ) LEITE GELIFICADO LEITE GORDO OU INTEIRO LEITE MAGRO ( OU DESNATADO ) LEITE MEIO GORDO ( OU PARCIALMENTE DESNATADO ) LEITE PARA CONSUMO LEITE PASTEURIZADO LEITE TERMIZADO LEITE ULTRAPASTEURIZADO ( UHT ) LEITELHO LEITELHO EM PÓ LEITÕES LENHA LIMPEZA LINHA DE ÁRVORES LINHA DE MÃO LOTA LUTA QUÍMICA ACONSELHADA

Página 13 de 176

http://geografismos.blogspot.com

CONCEITOS ESTATÍSTICOS VIGENTES ADOPTADOS PELO INSTITUTO NACIONAL DE ESTATÍSTICA FICHA INFORMATIVA

M
MADEIRA PARA TRITURAR ( REDONDA E PARTIDA ) MADEIRA SERRADA MALATA COBERTA MALATA DE SUBSTITUIÇÃO MALATA LEITEIRA COBERTA MALTE MANDATÁRIO/COMISSIONISTA MANTEIGA MANTEIGA COM TEOR DE GORDURA REDUZIDO MANTEIGA DE SORO DE LEITE MANTEIGA RECOMBINADA MÃO DE OBRA FAMILIAR MÃO DE OBRA NÃO CONTRATADA DIRETAMENTE PELO PRODUTOR MÃO DE OBRA NÃO FAMILIAR MÃO DE OBRA REMUNERADA MAQUIA MÁQUINA DE VINDIMA MARCA DE CERTIFICAÇÃO MARGARINA MARGEM BRUTA MARGEM BRUTA PADRÃO ( MBP ) ou STANDARD (MBS) MARMELADA MATA NACIONAL MATADOURO MATAS E ESTEVAS MATAS E FLORESTAS MATAS E FLORESTAS SEM CULTURAS SOB-COBERTO MATÉRIAS-PRIMAS PARA ALIMENTAÇÃO ANIMAL MENÇÃO TRADICIONAL MIUDEZAS DAS AVES MIUDEZAS DO GADO ABATIDO MOBILIZAÇÃO DO SOLO MOBILIZAÇÃO DO SOLO CONVENCIONAL MOBILIZAÇÃO DO SOLO MÍNIMA MOBILIZAÇÃO DO SOLO NA LINHA OU NA ZONA MODO DE PRODUÇÃO BIOLÓGICO MOLHO DE TOMATE MONDA DE FRUTOS MONDA MECÂNICA MONDA QUÍMICA MONDA TÉRMICA MONOCULTURA MOSTO DE UVAS MOSTO DE UVAS CONCENTRADO MOSTO DE UVAS CONCENTRADO RETIFICADO

Página 14 de 176

http://geografismos.blogspot.com

CONCEITOS ESTATÍSTICOS VIGENTES ADOPTADOS PELO INSTITUTO NACIONAL DE ESTATÍSTICA FICHA INFORMATIVA

MOSTO DE UVAS FRESCAS AMUADO COM ÁLCOOL MOSTO DE UVAS PARCIALMENTE FERMENTADO MOTOCEIFEIRAS MOTOCULTIVADORES MOTOENXADAS MOTOFRESAS MOTOGADANHEIRAS MURO DE PEDRA

N
NASCENTE NASSA PARA CAMARÃO OU CAMAROEIRA NATA NATA EM PÓ NECTAR DE FRUTOS NEGOCIANTE SEM ESTABELECIMENTO ( DE PRODUTOS VITIVINÍCOLAS ) NITREIRAS NÍVEL ECONÓMICO DE ATAQUE ( N.E.A ) NOVILHA NOVILHO NÚMERO DE DIAS DE PESCA NÚMERO DE DIAS DE PESQUEIRO

O
OCORRÊNCIA ( DE INCÊNCIO FLORESTAL ) OLEAGINOSAS ÓLEO ÓLEO DE BAGAÇO DE AZEITONA ÓLEO DE BAGAÇO DE AZEITONA BRUTO ÓLEO DE BAGAÇO DE AZEITONA REFINADO ÓLEO DE MANTEIGA ( BUTTEROIL ) ÓLEO MINERAL ÓLEO PARA FINS ALIMENTARES OLIVEIRAS PARA AZEITE OLIVEIRAS PARA AZEITONA DE MESA OPERADOR DE GESTÃO DE RESÍDUOS OPERADOR EM AGRICULTURA BIOLÓGICA ORDENAMENTO CINEGÉTICO ORDENHA ORGANISMO PRIVADO DE CONTROLO E CERTIFICAÇÃO ORGANIZAÇÃO DE AGRICULTORES EM MODO DE PRODUÇÃO BIOLÓGICO ORGANIZAÇÃO DE PRODUTORES RECONHECIDA ORIENTAÇÃO TECNICO-ECONÓMICA ( OTE ) ORIGEM DA ÁGUA DE REGA ORIGEM DO PROPÁGULO OUTRA MADEIRA REDONDA INDUSTRIAL

Página 15 de 176

http://geografismos.blogspot.com

CONCEITOS ESTATÍSTICOS VIGENTES ADOPTADOS PELO INSTITUTO NACIONAL DE ESTATÍSTICA FICHA INFORMATIVA

OUTRAS SUPERFÍCIES DA EXPLORAÇÃO OUTRAS VACAS OVELHA OVELHA LEITEIRA OVINOS OVOS DE INCUBAÇÃO

P
PAINEL DE FIBRAS PAINEL DE PARTÍCULAS PALANGRE DE FUNDO PAPÉIS PARA EMBALAGEM PAPÉIS PARA USOS DOMÉSTICOS E SANITÁRIOS PAPÉIS PARA USOS GRÁFICOS PASTA DE PAPEL PASTAGENS PERMANENTES PASTAGENS PERMANENTES EM TERRA LIMPA PASTAGENS PERMANENTES ESPONTÂNEAS POBRES PASTAGENS PERMANENTES ESPONTÂNEAS MELHORADAS E SEMEADAS PASTAGENS PERMANENTES REGADAS PASTAS QUÍMICAS AO SULFATO ( OU KRAFT ) PASTAS QUÍMICAS AO SULFITO PAVIMENTO EM GRELHA PAVIMENTO PARCIALMENTE COM GRELHA PAVIMENTO SÓLIDO PERCENTAGEM DE ACIDEZ DO AZEITE PERDAS PERÍMETRO OU POLÍGONO FLORESTAL PESCA ARTESANAL PESCA COM LINHA DE MÃO PESCA COM REDES DE EMALHAR PESCA COM SALTO E VARA PESCA COSTEIRA PESCA DE CORRICO PESCA DE PALANGRE E ESPINHEL PESCA DESCARREGADA PESCA DESPORTIVA PESCA LOCAL PESCA LONGINQUA ( OU DO LARGO ) PESCA MULTIESPECÍFICA PESCA POLIVALENTE PESCA POR ARRASTO PESCA POR CERCO PESCA PROFISSIONAL PESCADO FRESCO PESCADO FRESCO REJEITADO PESCADOR PESCADOR MATRICULADO

Página 16 de 176

http://geografismos.blogspot.com

CONCEITOS ESTATÍSTICOS VIGENTES ADOPTADOS PELO INSTITUTO NACIONAL DE ESTATÍSTICA FICHA INFORMATIVA

PESO LIMPO DA CARCAÇA DOS BOVINOS PESO LIMPO DA CARCAÇA DOS CAPRINOS PESO LIMPO DA CARCAÇA DOS EQUÍDEOS PESO LIMPO DA CARCAÇA DOS OVINOS PESO LIMPO DA CARCAÇA DOS SUÍNOS PESO LIMPO DE CARCAÇA PESQUEIRO PIMENTÃO PIVÔ OU RAMPA ROTATIVA PLANO DE ERRADICAÇÃO DAS DOENÇAS DOS ANIMAIS PLANO DE VIGILÂNCIA PLANO OFICIAL DE CONTABILIDADE PLANTA TRANSGÉNICA PLANTADORES E TRANSPLANTADORES PLANTAS ORNAMENTAIS PLÁSTICO RÍGIDO POÇO POLICULTURA POLPA DE TOMATE POMAR POMAR ESTREME POPULAÇÃO AGRÍCOLA FAMILIAR PORCAS REPRODUTORAS PORCOS DE ENGORDA PORTA - ENXERTO PORTO DE DESCARGA PORTO DE REGISTO POSTO DE VIGIA FLORESTAL POUSIO POUSIO EM REGIME DE AJUDA POVOAMENTO DE CULTURAS PERMANENTES POVOAMENTO FLORESTAL POVOAMENTO FLORESTAL MISTO POVOAMENTO FLORESTAL PURO OU EXTREME PRADOS TEMPORÁRIOS PREÇO ACORDADO ANTES DA PRODUÇÃO PREÇO DE AQUISIÇÃO DE MEIOS DE PRODUÇÃO PREÇO ESTABELECIDO/AJUSTADO APÓS A ENTREGA DO PRODUTO À COOPERATIVA OU ASSOCIAÇÃO PREÇO ESTABELECIDO/AJUSTADO APÓS A ENTREGA DO PRODUTO A UM MANDATÁRIO OU COMISSIONISTA PREÇO FIRMADO NO ATO DE VENDA DO PRODUTO PREÇO NO PRODUTOR PRÉ-MISTURAS PREPARADOR ( DE PRODUTOS VÍNICOS ) PRODUÇÃO BRUTA ( no cálculo da Margem Bruta ) PRODUÇÃO DE MADEIRA PRODUÇÃO DO RAMO DA PESCA PRODUÇÃO DO RAMO SILVÍCOLA PRODUÇÃO INDÍGENA BRUTA ( CARNES ) PRODUÇÃO INTEGRADA

Página 17 de 176

http://geografismos.blogspot.com

CONCEITOS ESTATÍSTICOS VIGENTES ADOPTADOS PELO INSTITUTO NACIONAL DE ESTATÍSTICA FICHA INFORMATIVA

PRODUÇÃO LÍQUIDA ( CARNES ) PRODUÇÃO UTILIZÁVEL PRODUTO DA AGRICULTURA BIOLÓGICA PRODUTO PRINCIPAL ( no cálculo da Margem Bruta ) PRODUTOR AGRÍCOLA PRODUTOR DE LEITE PRODUTOR DE SEMENTES E PROPÁGULOS PRODUTOR DE VINHO PRODUTOR SINGULAR PRODUTOR SINGULAR AUTÓNOMO PRODUTOR SINGULAR EMPRESÁRIO PRODUTORES DIRETOS OU SEUS HÍBRIDOS PRODUTOS CONGELADOS PRODUTOS DESIDRATADOS PRODUTOS DESIDRATADOS ATOMIZADOS PRODUTOS DESIDRATADOS LIOFILIZADOS PRODUTOS FITOFARMACÊUTICOS PROPÁGULO PRÓPRIO PROTEÇÃO INTEGRADA PROTEÍNA PROTEÍNA DO SORO DE LEITE

Q
QUANTIDADE DE MADEIRA REMOVIDA QUANTIDADE DE PRODUTO EM STOCK QUANTIDADE GLOBAL GARANTIDA DE LEITE QUEIJO QUEIJO FRESCO QUEIJO FUNDIDO QUEIMADAS QUOTA

R
RAÇA AUTÓCTONE RAÇA EXÓTICA RAMO DE PRODUÇÃO RAMPA DE TRANSLAÇÃO OU LATERAL DE REGA MÓVEL RASTREABILIDADE DE UM PRODUTO AGRÍCOLA OU GÉNERO ALIMENTÍCIO REACENDIMENTO REBOQUE UNIFEED REDE DE EMALHAR REDE DE INFORMAÇÃO DE CONTABILIDADE AGRÍCOLA REDE DE REGA REDE DIVISIONAL REDE VIÁRIA FLORESTAL REGA

Página 18 de 176

http://geografismos.blogspot.com

CONCEITOS ESTATÍSTICOS VIGENTES ADOPTADOS PELO INSTITUTO NACIONAL DE ESTATÍSTICA FICHA INFORMATIVA

REGA DE LIMA REGA EM FAIXAS REGA GOTA A GOTA REGA LOCALIZADA REGA POR ALAGAMENTO REGA POR ASPERSÃO REGA POR ASPERSÃO COM RAMAIS FIXOS/MÓVEIS REGA POR CALDEIRAS REGA POR CANTEIROS REGA POR ESCORRIMENTO REGA POR GRAVIDADE REGA POR MICROASPERSÃO REGA POR SULCOS MODERNIZADA REGA POR SULCOS TRADICIONAL REGA TRADICIONAL REGADEIRA DE NÍVEL REGIÃO DETERMINADA REGIME DE PAGAMENTO ÚNICO REGIME DE TALHADIA REGIME EXTENSIVO ( AQUICULTURA ) REGIME FLORESTAL REGIME FLORESTAL PARCIAL DE SIMPLES POLÍCIA REGIME FLORESTAL TOTAL E PARCIAL REGIME INTENSIVO ( AQUICULTURA ) REGIME SEMI-INTENSIVO ( AQUICULTURA ) REMUNERAÇÃO DOS ASSALARIADOS DA PESCA RENDA DE TERRENO AGRÍCOLA RENDIMENTO BRUTO DA ATIVIDADE AGRÍCOLA RENDIMENTO EMPRESARIAL LÍQUIDO DA AGRICULTURA RENDIMENTO EMPRESARIAL LÍQUIDO DA PESCA REPOVOAMENTO AQUÍCOLA REQUEIJÃO RESERVA SEMENTE/INCUBAÇÃO RESES OU ANIMAIS DE TALHO RESÍDUO AGRÍCOLA RESÍDUOS DE MADEIRA RESINA RESINAGEM REVOLUÇÃO ROTAÇÃO ROTAÇÃO CULTURAL

S
SACADA SACAROSE SANEAMENTO ANIMAL SARDINHEIRA SEAREIRO

Página 19 de 176

http://geografismos.blogspot.com

CONCEITOS ESTATÍSTICOS VIGENTES ADOPTADOS PELO INSTITUTO NACIONAL DE ESTATÍSTICA FICHA INFORMATIVA

SEBE VIVA SECADORES DE CEREAIS SEMEADOR DE PRECISÃO SEMEADORES MECÂNICOS SEMENTE CERTIFICADA SEMENTEIRA DIRETA SILOS DE CEREAIS SILOS PARA FORRAGEM SISTEMA ANTI-GEADA PARA AQUECIMENTO SISTEMA ANTI-GEADA POR REGA POR ASPERSÃO SISTEMA DE AQUECIMENTO SISTEMA DE PRODUÇÃO EM GAIOLAS SISTEMA DE PRODUÇÃO NO SOLO COM CAMA (EM PAVILHÕES) SISTEMA DE REGA COLETIVO SISTEMA DE REGA DE DISTRIBUIÇÃO GRAVÍTICA SISTEMA DE REGA DE DISTRIBUIÇÃO SOB PRESSÃO SISTEMA DE REGA INDIVIDUAL SISTEMAS AVÍCOLAS DE PRODUÇÃO AO AR LIVRE SÍTIO DE IMPORTÂNCIA COMUNITÁRIA ( S.I.C. ) SOCALCO OU TERRAÇO SOCIEDADE DE AGRICULTURA DE GRUPO SOLHEIRA SORO DE LEITE SORO DE LEITE CONCENTRADO SORO DE LEITE EM PÓ STOCK ( UNIDADE POPULACIONAL ) SUBPRODUTOS DE ANIMAIS SUBSÍDIO SUBSTÂNCIA ATIVA SUÍNOS SUÍNOS COM MENOS DE 20 KG DE PESO VIVO SUMO DE FRUTOS CONCENTRADO SUMOS DE FRUTOS SUPERFÍCIE AGRÍCOLA NÃO UTILIZADA SUPERFÍCIE AGRÍCOLA UTILIZADA SUPERFÍCIE AGRÍCOLA UTILIZADA EM PARCERIA SUPERFÍCIE AGRÍCOLA UTILIZADA POR ARRENDAMENTO DE CAMPANHA SUPERFÍCIE AGRÍCOLA UTILIZADA POR ARRENDAMENTO FIXO SUPERFÍCIE AGRÍCOLA UTILIZADA POR ARRENDAMENTO VARIÁVEL SUPERFÍCIE AGRÍCOLA UTILIZADA POR CONTA PRÓPRIA SUPERFICIE AGRÍCOLA UTILIZADA POR OUTRAS FORMAS SUPERFÍCIE BENEFICIADA COM DRENAGEM SUPERFÍCIE COLHIDA SUPERFÍCIE COM PROBLEMAS DE ENCHARCAMENTO SUPERFÍCIE DE BASE DA ESTUFA OU ABRIGO ALTO SUPERFÍCIE IRRIGÁVEL SUPERFÍCIE REGADA SUPERFÍCIE TOTAL DA EXPLORAÇÃO SUPERFÍCIE VITÍCOLA

Página 20 de 176

http://geografismos.blogspot.com

CONCEITOS ESTATÍSTICOS VIGENTES ADOPTADOS PELO INSTITUTO NACIONAL DE ESTATÍSTICA FICHA INFORMATIVA

T
TANQUE TANQUE DE ARMAZENAMENTO DE EFLUENTES PECUÁRIOS TEIAS DE COVOS TEMPO COMPLETO DE ATIVIDADE NA EXPLORAÇÃO TEMPO DE ATIVIDADE NA EXPLORAÇÃO AGRÍCOLA TEOR DE HUMIDADE DE UM CEREAL TEOR DE MATÉRIA GORDA TEOR DE PROTEÍNA TERRA ARÁVEL LIMPA TERRAS ARÁVEIS TERRAS COM MATAS E FLORESTAS TERRAS DRENADAS TERRAS EM POUSIO TERRENOS CINEGÉTICOS TOROS PARA SERRAR E FOLHEAR TOTAL AUTORIZADO DE CAPTURA ( TAC ) TOURO TRABALHADOR EVENTUAL TRABALHADOR PERMANENTE TRABALHOS AGRÍCOLAS TRABALHOS PARA-AGRÍCOLAS TRANSFORMAÇÃO INDUSTRIAL TRATAMENTOS FITOSSANITÁRIOS TRESMALHO TRINCAS TRIPULANTE

U
ULTRACONGELAÇÃO UNIDADE DE DIMENSÃO EUROPEIA ( UDE ) UNIDADE DE ENGORDA UNIDADE DE REPRODUÇÃO ( MATERNIDADE ) UNIDADE DE TRABALHO ANO ( UTA ) UTILIZAÇÃO INDUSTRIAL UVAS FRESCAS PARA VINIFICAÇÃO

V
VACA VACA ALEITANTE VACA LEITEIRA VALOR ACRESCENTADO LÍQUIDO VARRASCO

Página 21 de 176

http://geografismos.blogspot.com

CONCEITOS ESTATÍSTICOS VIGENTES ADOPTADOS PELO INSTITUTO NACIONAL DE ESTATÍSTICA FICHA INFORMATIVA

VENDA DIRETA DE LEITE VENDA EM LOTA VIBRADOR E COLHEDOR DE AZEITONA VINAGRE DE VINHO VINHA COM PORTA-ENXERTOS AINDA NÃO ENXERTADOS VINHA PARA PRODUÇÃO DE MATERIAIS DE PROPAGAÇÃO VEGETATIVA DE VIDEIRA VINHA PARA UVA DE MESA VINHA PARA VINHO VINHAS MÃE DE PORTA-ENXERTOS VINHO VINHO COM DENOMINAÇÃO DE ORIGEM PROTEGIDA VINHO COM INDICAÇÃO DE CASTA VINHO COM INDICAÇÃO GEOGRÁFICA PROTEGIDA VINHO DE MESA VINHO DE QUALIDADE PRODUZIDO EM REGIÃO DETERMINADA ( VQPRD ) VINHO ESPUMANTE VINHO ESPUMANTE DE QUALIDADE PRODUZIDO EM REGIÃO DETERMINADA ( V.E.Q.P.R.D. ) VINHO ESPUMOSO GASEIFICADO VINHO FRISANTE VINHO FRISANTE DE QUALIDADE PRODUZIDO EM REGIÃO DETERMINADA ( V.F.Q.P.R.D. ) VINHO FRISANTE GASEIFICADO VINHO LICOROSO VINHO LICOROSO DE QUALIDADE PRODUZIDO EM REGIÃO DETERMINADA ( VLQPRD ) VINHO REGIONAL VINHO SEM CERTIFICAÇÃO VINHO VERMUTE VITELA VITELÃO VITELO VITIVINICULTOR VITIVINICULTOR ENGARRAFADOR VIVEIRO VIVEIRO VITÍCOLA VIVEIROS DE CULTURAS LENHOSAS VOLUME DE EMPREGO DA PESCA VOLUME DE MÃO DE OBRA AGRÍCOLA ( VMOA )

X
XAROPE DE SUMO XÁVEGA

Z
ZONA DE CAÇA ASSOCIATIVA ZONA DE CAÇA MUNICIPAL ZONA DE CAÇA NACIONAL ZONA DE CAÇA TURÍSTICA

Página 22 de 176

http://geografismos.blogspot.com

CONCEITOS ESTATÍSTICOS VIGENTES ADOPTADOS PELO INSTITUTO NACIONAL DE ESTATÍSTICA FICHA INFORMATIVA

ZONA DE DESCARGA ZONA DE INTERVENÇÃO FLORESTAL ( ZIF ) ZONA DE MATRÍCULA ZONA DE MONTANHA ZONA DE PESCA ZONA DE PESCA DESPORTIVA ZONA DE PESCA PROFISSIONAL ZONA DE PESCA RESERVADA ZONA DE PROTEÇÃO ZONA DESFAVORECIDA ZONAGEM DO CONTINENTE SEGUNDO A PROBABILIDADE DE OCORRÊNCIA DE INCÊNDIO ZONAS CRÍTICAS DA FLORESTA ZOONOSE

Página 23 de 176

http://geografismos.blogspot.com

CONCEITOS ESTATÍSTICOS VIGENTES ADOPTADOS PELO INSTITUTO NACIONAL DE ESTATÍSTICA FICHA INFORMATIVA

AMBIENTE: 205 REGISTOS

A
ABASTECIMENTO DE ÁGUA ABASTECIMENTO DE ÁGUA COM ORIGEM SUBTERRÂNEA ABASTECIMENTO DE ÁGUA COM ORIGEM SUPERFICIAL ACRÉSCIMOS LÍQUIDOS ÀS EXISTÊNCIAS DE MATERIAIS AGRUPAMENTO DE ONGA ( ORGANIZAÇÕES NÃO GOVERNAMENTAIS DO AMBIENTE ) ÁGUA DE NASCENTE ÁGUA GASEIFICADA ÁGUA GASOCARBÓNICA ÁGUA LISA ÁGUA MINERAL NATURAL ÁGUA REUTILIZADA ÁGUAS DE ORIGEM SUBTERRÂNEA ÁGUAS DE ORIGEM SUPERFICIAL ÁGUAS LÊNTICAS ÁGUAS LÔTICAS ÁGUAS PLUVIAIS ÁGUAS RESIDUAIS ÁGUAS RESIDUAIS TRATADAS ÁREA GEOGRÁFICA DE INTERVENÇÃO/ÁREA DE ATUAÇÃO ÁREA PROTEGIDA ARMAÇÃO DE TERRENOS E REVESTIMENTO VEGETAL, E CONTROLE DA POLUIÇÃO DOS SOLOS ATERRO ATERRO CONTROLADO ATERRO SANITÁRIO ATIVIDADE CARACTERÍSTICA ATIVIDADE DE PROTEÇÃO DO AMBIENTE ATIVIDADES DE GESTÃO E PROTEÇÃO DO AMBIENTE ATIVIDADES ECONÓMICAS DE AMBIENTE

B
BIOMASSA BOMBEIRO BOMBEIRO PROFISSIONAL BOMBEIRO VOLUNTÁRIO

C
CAPTAÇÃO DE ÁGUAS CAPTAÇÃO, ADUÇÃO, ARMAZENAMENTO E DISTRIBUIÇÃO DE ÁGUA CAUDAIS CAPTADOS

Página 24 de 176

http://geografismos.blogspot.com

CONCEITOS ESTATÍSTICOS VIGENTES ADOPTADOS PELO INSTITUTO NACIONAL DE ESTATÍSTICA FICHA INFORMATIVA

CAUDAIS EFLUENTES PRODUZIDOS CAUDAIS FORNECIDOS CENTRO DE RECEÇÃO DE RESÍDUOS COMERCIANTE DE RESÍDUOS COMPOSIÇÃO FÍSICA MÉDIA ANUAL DOS RESÍDUOS SÓLIDOS URBANOS COMPOSTAGEM CONSERVAÇÃO DE RECURSOS NATURAIS CONSUMO INTERNO DE MATERIAIS CONTROLE DA QUALIDADE DAS ÁGUAS À SUPERFÍCIE CONTROLE DE QUALIDADE DE DESCARGA DAS ÁGUAS RESIDUAIS CONTROLE E PREVENÇÃO DA CAMADA DE OZONO CONTROLE E PREVENÇÃO DA POLUIÇÃO ATMOSFÉRICA CONTROLE E PREVENÇÃO DA POLUIÇÃO SONORA CONTROLO DA QUALIDADE DE ÁGUA CONTROLO DA QUALIDADE DO ESGOTO DOMÉSTICO CONTROLO DA QUALIDADE DO ESGOTO INDUSTRIAL CORPO DE BOMBEIROS CORPO DE BOMBEIROS MISTO CORPO DE BOMBEIROS MUNICIPAL CORPO DE BOMBEIROS PRIVATIVO CORPO DE BOMBEIROS PROFISSIONAIS CORPO DE BOMBEIROS SAPADOR CORPO DE BOMBEIROS VOLUNTÁRIOS CORRETOR DE RESÍDUOS CUSTOS E PERDAS COM AÇÕES DE GESTÃO DO AMBIENTE

D
DESTINO FINAL DOS RESÍDUOS DETENTOR DE RESÍDUOS DRENAGEM DE ÁGUAS RESIDUAIS

E
ECO-EMPRESA EFLUENTE DOMÉSTICO EFLUENTE INDUSTRIAL ELIMINAÇÃO DE RESÍDUOS EMISSÕES ATMOSFÉRICAS ( ANTROPOGÉNICAS ) EMISSÕES INTERNAS DE MATERIAIS ENTIDADE DETENTORA DE CORPO DE BOMBEIROS ENTIDADE GESTORA ENTIDADE GESTORA DE FLUXOS ESPECÍFICOS DE RESÍDUOS ENTRADA DIRETA DE MATERIAIS EQUIPAMENTO E INSTALAÇÕES " FIM-DE-LINHA " ESPAÇOS NATURAIS ESTAÇÃO DE CAPTAÇÃO, ELEVAÇÃO E FILTRAÇÃO DE ÁGUA ESTAÇÃO DE TRANSFERÊNCIA

Página 25 de 176

http://geografismos.blogspot.com

CONCEITOS ESTATÍSTICOS VIGENTES ADOPTADOS PELO INSTITUTO NACIONAL DE ESTATÍSTICA FICHA INFORMATIVA

ESTAÇÃO DE TRATAMENTO DE ÁGUA ESTAÇÃO DE TRATAMENTO DE ÁGUAS RESIDUAIS ESTAÇÃO DE TRIAGEM ESTAÇÕES DE MONITORIZAÇÃO ( AMOSTRAGEM ) EXTRAÇÃO INTERNA DE MATERIAIS

F
FILEIRA DE RESÍDUOS FLUXO DE RESÍDUOS FOSSA SÉPTICA

G
GESTÃO DA ÁGUA GESTÃO DA POLUIÇÃO GESTÃO DE ÁGUAS RESIDUAIS GESTÃO DE RESÍDUOS GESTÃO DE RESÍDUOS SÓLIDOS URBANOS GESTÃO DOS RECURSOS GESTÃO DOS RECURSOS FLORESTAIS GESTÃO E OTIMIZAÇÃO DE ENERGIA

H
HABITAT DE UMA ESPÉCIE HABITAT NATURAL

I
INCINERAÇÃO ÍNDICE DE ACIDIFICAÇÃO INFRAESTRUTURAS PARA TRATAMENTO E DEPOSIÇÃO DE RESÍDUOS INSTALAÇÃO DE INCINERAÇÃO/INCINERADORA INVESTIGAÇÃO E DESENVOLVIMENTO EM AMBIENTE INVESTIMENTO DE SEGURANÇA E CONTROLO DA POLUIÇÃO

J
JARDINS E ESPAÇOS VERDES

L
LIXEIRA LOCAL DE DESCARGA

Página 26 de 176

http://geografismos.blogspot.com

CONCEITOS ESTATÍSTICOS VIGENTES ADOPTADOS PELO INSTITUTO NACIONAL DE ESTATÍSTICA FICHA INFORMATIVA

M
MATERIAIS E PRODUTOS RECICLADOS MATERIAIS PARA RECICLAGEM MATERIAIS PARA RECICLAGEM SELECIONADOS NA ORIGEM MATERIAIS PARA RECICLAGEM SELECIONADOS NO DESTINO MEDIDAS DE PROTEÇÃO DO AMBIENTE NA ÁREA DA ÁGUA MEDIDAS DE PROTEÇÃO DO AMBIENTE NA ÁREA DO AR MEDIDAS DE PROTEÇÃO DO AMBIENTE NA ÁREA DO RUÍDO MEDIDAS DE PROTEÇÃO DO AMBIENTE NA ÁREA DOS RESÍDUOS SÓLIDOS MERCADO VERDE MÉTODOS E/OU EQUIPAMENTO RELACIONADOS COM A PROTEÇÃO DO AMBIENTE MONSTRO MONUMENTO NATURAL

O
ONGA - EQUIPARADA ( ORGANIZAÇÕES NÃO GOVERNAMENTAIS DO AMBIENTE ) OPERAÇÕES DE GESTÃO DE RESÍDUOS OPERADOR DE GESTÃO DE RESÍDUOS OPERADOR DE GESTÃO DE RESÍDUOS ORGANIZAÇÕES NÃO GOVERNAMENTAIS DE AMBIENTE - ONGA OUTRAS ATIVIDADES DE GESTÃO DE RECURSOS OUTRAS ATIVIDADES DE PROTEÇÃO DO AMBIENTE

P
PAISAGEM PROTEGIDA PARQUE NACIONAL PARQUE NATURAL PESO ESPECÍFICO MÉDIO ANUAL DOS SÓLIDOS URBANOS PLANO DE GESTÃO DE RESÍDUOS PLANO DE LAVRA POPULAÇÃO NÃO SERVIDA POPULAÇÃO SERVIDA POTENCIAL DE EFEITO DE ESTUFA PREVENÇÃO PREVENÇÃO E CONTROLE DA POLUIÇÃO DOS LENÇÓIS DE ÁGUAS SUBTERRÂNEAS PRODUTOR DE RESÍDUOS PRODUTOR ESPECIALIZADO E MERCANTIL EM AMBIENTE PRODUTOS ADAPTADOS À PROTEÇÃO DO AMBIENTE PRODUTOS CONEXOS À PROTEÇÃO DO AMBIENTE PRODUTOS VERDES PROTEÇÃO CONTRA AS RADIAÇÕES PROTEÇÃO CONTRA O RUÍDO E VIBRAÇÕES PROTEÇÃO DA BIODIVERSIDADE E DA PAISAGEM

Página 27 de 176

http://geografismos.blogspot.com

CONCEITOS ESTATÍSTICOS VIGENTES ADOPTADOS PELO INSTITUTO NACIONAL DE ESTATÍSTICA FICHA INFORMATIVA

PROTEÇÃO DA QUALIDADE DO AR E CLIMA PROTEÇÃO E RECUPERAÇÃO DOS SOLOS, DE ÁGUAS SUBTERRÂNEAS E SUPERFICIAIS

Q
QUADRO ATIVO QUADRO DE COMANDO QUARTEL DE BOMBEIROS

R
RECICLAGEM RECICLAGEM DE RESÍDUOS RECOLHA DE RESÍDUOS RECOLHA DE RESÍDUOS SÓLIDOS ( EDIFÍCIO ) RECOLHA E TRANSPORTE DE RESÍDUOS SÓLIDOS RECOLHA SELETIVA DE RESÍDUOS REDE DE DRENAGEM REDE NATURA 2000 REGENERAÇÃO RESERVA NATURAL RESERVATÓRIOS RESÍDUO RESÍDUO DE CONSTRUÇÃO E DEMOLIÇÃO RESÍDUO HOSPITALAR RESÍDUO INDUSTRIAL RESÍDUO INERTE RESÍDUO PERIGOSO RESÍDUO SECTORIAL RESÍDUO URBANO RESPONSABILIDADE PELA GESTÃO DOS RESÍDUOS RÓTULO ECOLÓGICO DO ALOJAMENTO TURÍSTICO

S
SEPARAÇÃO NA INSTALAÇÃO DE VALORIZAÇÃO E/OU ELIMINAÇÃO DE RESÍDUOS SETOR DE BENS E SERVIÇOS DE AMBIENTE SISTEMA COMUNITÁRIO DE ECOGESTÃO E AUDITORIA SISTEMA DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA SISTEMA DE DRENAGEM DE ESGOTOS SISTEMA DE GESTÃO DE RESÍDUOS URBANOS SISTEMA DE RECOLHA DE ÁGUAS PLUVIAIS SISTEMA DE RESÍDUOS SÓLIDOS URBANOS SISTEMAS DE DRENAGEM SISTEMAS DE TRATAMENTO DE ÁGUAS RESIDUAIS SÍTIO CLASSIFICADO

Página 28 de 176

http://geografismos.blogspot.com

CONCEITOS ESTATÍSTICOS VIGENTES ADOPTADOS PELO INSTITUTO NACIONAL DE ESTATÍSTICA FICHA INFORMATIVA

T
"TECNOLOGIAS LIMPAS" OU MENOS POLUENTES TAXA DE SANEAMENTO TECNOLOGIA LIMPA TECNOLOGIAS INTEGRADAS TERRENOS COM CONSTRUÇÃO HABITACIONAL E COMERCIAL TERRENOS COM CONSTRUÇÃO, EXPECTANTES E OUTROS TERRENOS EXPECTANTES TERRENOS INDUSTRIAIS TERRENOS UTILIZADOS PARA FINS DE SANEAMENTO BÁSICO TIPO DE TRATAMENTO DE ÁGUAS PARA ABASTECIMENTO TIPO DE TRATAMENTO DE ÁGUAS RESIDUAIS TRABALHOS DE REMODELAÇÃO DE TERRENOS TRANSPORTADOR DE RESÍDUOS TRANSPORTE DE RESÍDUOS TRATAMENTO DE ÁGUA TRATAMENTO DE ÁGUA PARA ABASTECIMENTO TRATAMENTO DE ÁGUAS RESIDUAIS TRATAMENTO DE RESÍDUOS TRATAMENTO E CONTROLE DA QUALIDADE DA ÁGUA PARA ABASTECIMENTO TRIAGEM DE RESÍDUOS

U
UTILIZAÇÃO DO SOLO

V
VALORIZAÇÃO DE RESÍDUOS VALORIZAÇÃO ENERGÉTICA VALORIZAÇÃO INTERNA DE RESÍDUOS

Z
ZONA DE PROTEÇÃO ESPECIAL ZONA ESPECIAL DE CONSERVAÇÃO

Página 29 de 176

http://geografismos.blogspot.com

CONCEITOS ESTATÍSTICOS VIGENTES ADOPTADOS PELO INSTITUTO NACIONAL DE ESTATÍSTICA FICHA INFORMATIVA

COMÉRCIO INTERNACIONAL: 62 REGISTOS

A
AEROPORTO DE CARGA AEROPORTO DE DESCARGA

C
CHEGADA COMÉRCIO ESPECIAL COMÉRCIO EXTRACOMUNITÁRIO COMÉRCIO INTERNACIONAL COMÉRCIO INTRACOMUNITÁRIO CONDIÇÕES DE ENTREGA

E
ENTRADA ESTADO MEMBRO ESTADO-MEMBRO DE EXPORTAÇÃO OU DE IMPORTAÇÃO ESTADO-MEMBRO DE EXPORTAÇÃO REAL EXPEDIÇÃO EXPORTAÇÃO EXPORTAÇÃO APÓS APERFEIÇOAMENTO ATIVO EXPORTAÇÃO EM REGIME NORMAL EXPORTAÇÃO PARA APERFEIÇOAMENTO PASSIVO

I
IMPORTAÇÃO IMPORTAÇÃO APÓS APERFEIÇOAMENTO PASSIVO IMPORTAÇÃO EM REGIME NORMAL IMPORTAÇÃO PARA APERFEIÇOAMENTO ATIVO INTRASTAT

L
LIMIAR DE ASSIMILAÇÃO LIMIAR DE EXCLUSÃO LIMIAR DE SIMPLIFICAÇÃO LIMIAR ESTATÍSTICO NO COMÉRCIO EXTRACOMUNITÁRIO LIMIARES ESTATÍSTICOS NO COMÉRCIO INTRACOMUNITÁRIO

Página 30 de 176

http://geografismos.blogspot.com

CONCEITOS ESTATÍSTICOS VIGENTES ADOPTADOS PELO INSTITUTO NACIONAL DE ESTATÍSTICA FICHA INFORMATIVA

M
MASSA BRUTA MASSA LÍQUIDA MODO DE TRANSPORTE INTERIOR MODO DE TRANSPORTE NA FRONTEIRA EXTERNA MODO DE TRANSPORTE NA FRONTEIRA NACIONAL MONTANTE FATURADO MOVIMENTOS ESPECIAIS DE MERCADORIAS

N
NACIONALIDADE DO MEIO DE TRANSPORTE NA FRONTEIRA EXTERNA NATUREZA DA TRANSAÇÃO

P
PAÍS DE DESTINO PAÍS DE ORIGEM PAÍS DE PROVENIÊNCIA/PROCEDÊNCIA PAÍS TERCEIRO PAÍSES TERCEIROS PERÍODO DE REFERÊNCIA PORTO DE CARGA PORTO DE DESCARGA PREFERÊNCIA

R
REEXPORTAÇÃO REGIÃO DE DESTINO REGIÃO DE ORIGEM REGIME ESTATÍSTICO REIMPORTAÇÃO RESPONSÁVEL PELO FORNECIMENTO DA INFORMAÇÃO

S
SAÍDA

T
TERCEIRO DECLARANTE TERRITÓRIO ESTATÍSTICO NACIONAL

Página 31 de 176

http://geografismos.blogspot.com

CONCEITOS ESTATÍSTICOS VIGENTES ADOPTADOS PELO INSTITUTO NACIONAL DE ESTATÍSTICA FICHA INFORMATIVA

TRANSAÇÃO NO COMÉRCIO INTERNACIONAL

U
UNIDADES SUPLEMENTARES

V
VALOR CIF VALOR ESTATÍSTICO NA CHEGADA VALOR ESTATÍSTICO NA EXPEDIÇÃO VALOR ESTATÍSTICO NA EXPORTAÇÃO VALOR ESTATÍSTICO NA IMPORTAÇÃO VALOR FOB

Página 32 de 176

http://geografismos.blogspot.com

CONCEITOS ESTATÍSTICOS VIGENTES ADOPTADOS PELO INSTITUTO NACIONAL DE ESTATÍSTICA FICHA INFORMATIVA

COMÉRCIO INTERNO: 60 REGISTOS

A
AGENTE DE COMÉRCIO AGRUPAMENTO COMERCIAL ÁREA DE ARMAZENAMENTO ÁREA DE EXPOSIÇÃO E VENDA

C
"CASH AND CARRY" CADEIA VOLUNTÁRIA CENTRAL DE COMPRAS CENTRO COMERCIAL CLIENTE COMÉRCIO A RETALHO COMÉRCIO ASSOCIADO COMÉRCIO BUSINESS TO BUSINESS ( B2B ) COMÉRCIO POR GROSSO CONCESSIONÁRIO COOPERATIVA DE COMERCIALIZAÇÃO COOPERATIVA DE CONSUMO

D
DISTRIBUIÇÃO

E
EMPRESA INDEPENDENTE ASSOCIADA EMPRESA INDEPENDENTE ISOLADA EMPRESA INTEGRADA ESTABELECIMENTO DE AUTOSSERVIÇO ESTABELECIMENTO DE COMÉRCIO ESTABELECIMENTO DE COMÉRCIO A RETALHO ESTABELECIMENTO DE COMÉRCIO EM REGIME DE FRANQUIA "FRANCHISING" ESTABELECIMENTO DE COMÉRCIO MISTO ESTABELECIMENTO DE COMÉRCIO POR GROSSO ESTABELECIMENTO ESPECIALIZADO ESTABELECIMENTO TRADICIONAL

Página 33 de 176

http://geografismos.blogspot.com

CONCEITOS ESTATÍSTICOS VIGENTES ADOPTADOS PELO INSTITUTO NACIONAL DE ESTATÍSTICA FICHA INFORMATIVA

F
FAMÍLIA DE PRODUTOS FEIRA DE EXPOSIÇÃO E AMOSTRA FEIRA TRADICIONAL FEIRANTE

G
GRANDE ARMAZÉM GROSSISTA

H
HIPERMERCADO

I
INSÍGNIA

L
LIVRE SERVIÇO ( AUTOSSERVIÇO ) LOJA DE DESCONTO ( DISCOUNT ) LOJA FRANCA

M
MARCA PRÓPRIA ( MARCA DO DISTRIBUIDOR ) MERCADO ABASTECEDOR MERCADO RETALHISTA ( MUNICIPAL ) MINIMERCADO

O
OUTLET CENTRE

P
PONTO DE VENDA

R
REDE DISTRIBUIDORA

Página 34 de 176

http://geografismos.blogspot.com

CONCEITOS ESTATÍSTICOS VIGENTES ADOPTADOS PELO INSTITUTO NACIONAL DE ESTATÍSTICA FICHA INFORMATIVA

RETAIL PARK RETALHISTA

S
SECÇÃO SUPERMERCADO

T
TELEMERCADO ( TELESHOPING ) TRANSAÇÃO

U
UNIDADE COMERCIAL DE DIMENSÃO RELEVANTE ( UCDR )

V
VENDA AO DOMICÍLIO VENDA AUTOMÁTICA VENDA DIRETA VENDA POR CORRESPONDÊNCIA VENDA POR TELEFONE VENDA TRADICIONAL VENDEDOR AMBULANTE

Página 35 de 176

http://geografismos.blogspot.com

CONCEITOS ESTATÍSTICOS VIGENTES ADOPTADOS PELO INSTITUTO NACIONAL DE ESTATÍSTICA FICHA INFORMATIVA

CONJUNTURA: 37 REGISTOS

A
AGUARDA INÍCIO DE ATIVIDADE ( Situação Perante a Atividade ) ATIVIDADE ECONÓMICA ATIVIDADE PRINCIPAL

C
CAPITAL SOCIAL ( Direito Comercial ) CARTEIRA DE ENCOMENDAS

E
EMPRESA EXISTÊNCIAS

F
FORMAÇÃO BRUTA DE CAPITAL FIXO

I
ÍNDICE DE EMPREGO ÍNDICE DE HORAS TRABALHADAS ÍNDICE DE PRODUÇÃO ÍNDICE DE REMUNERAÇÕES ÍNDICE DE VOLUME DE NEGÓCIOS INVESTIMENTO INVESTIMENTO DE EXPANSÃO INVESTIMENTO DE EXTENSÃO INVESTIMENTO DE RACIONALIZAÇÃO INVESTIMENTO DE RACIONALIZAÇÃO E RESTRUTURAÇÃO INVESTIMENTO DE SUBSTITUIÇÃO

L
LEASING OPERACIONAL

M

Página 36 de 176

http://geografismos.blogspot.com

CONCEITOS ESTATÍSTICOS VIGENTES ADOPTADOS PELO INSTITUTO NACIONAL DE ESTATÍSTICA FICHA INFORMATIVA

MATÉRIAS-PRIMAS E SUBSIDIÁRIAS

N
NÚMERO MÉDIO DE PESSOAS AO SERVIÇO

P
PESSOAL AO SERVIÇO PRÉMIO DE FIM DE ANO/DISTRIBUIÇÃO DE LUCROS PRODUÇÃO PRODUTOS ACABADOS

S
SALDO DE RESPOSTAS EXTREMAS SAZONALIDADE

T
TAXA DE VARIAÇÃO ANUAL TAXA DE VARIAÇÃO DO ANO TERMINADO NO TRIMESTRE TAXA DE VARIAÇÃO HOMÓLOGA TAXA DE VARIAÇÃO MÉDIA DOS ÚLTIMOS DOZE MESES TAXA DE VARIAÇÃO MENSAL/TRIMESTRAL TRANSFERÊNCIAS MONETÁRIAS RECEBIDAS DE OUTROS AGREGADOS

V
VALORES CORRIGIDOS DA SAZONALIDADE VALORES EFETIVOS VOLUME DE NEGÓCIOS

Página 37 de 176

http://geografismos.blogspot.com

CONCEITOS ESTATÍSTICOS VIGENTES ADOPTADOS PELO INSTITUTO NACIONAL DE ESTATÍSTICA FICHA INFORMATIVA

CONSTRUÇÃO E HABITAÇÃO: 249 REGISTOS

A
ADJUDICAÇÃO AJUSTE DIRETO ALOJAMENTO ALOJAMENTO CEDIDO A TÍTULO DE SALÁRIO ALOJAMENTO CEDIDO GRATUITAMENTE ALOJAMENTO COLETIVO ALOJAMENTO DE CONVIVÊNCIA ALOJAMENTO DE HOTELARIA E SIMILAR ALOJAMENTO FAMILIAR ALOJAMENTO FAMILIAR CLÁSSICO ALOJAMENTO FAMILIAR DE RESIDÊNCIA HABITUAL ALOJAMENTO FAMILIAR DE RESIDÊNCIA PRINCIPAL ALOJAMENTO FAMILIAR DE RESIDÊNCIA SECUNDÁRIA ALOJAMENTO FAMILIAR NÃO CLÁSSICO ALOJAMENTO FAMILIAR OCUPADO ALOJAMENTO FAMILIAR OCUPADO COM USO SAZONAL ALOJAMENTO FAMILIAR VAGO ALOJAMENTO IMPROVISADO EM CONSTRUÇÃO NÃO DESTINADA A HABITAÇÃO ALOJAMENTO MÓVEL ALOJAMENTO SOBRELOTADO ALOJAMENTO SUBARRENDADO ALOJAMENTO SUBLOTADO ALTURA DA FACHADA ALTURA DO EDIFÍCIO ALTURA ENTRE PISOS ALTURA TOTAL DO EDIFÍCIO ALVARÁ DE CONSTRUÇÃO ALVARÁ DE LICENÇA DE OPERAÇÕES URBANÍSTICAS ANEXO AQUECIMENTO CENTRAL AR CONDICIONADO ÁREA BRUTA DE CONSTRUÇÃO ÁREA BRUTA DO FOGO ÁREA DE CEDÊNCIA ÁREA DE CONSTRUÇÃO DO EDIFÍCIO ÁREA DE IMPERMEABILIZAÇÃO ÁREA DE IMPLANTAÇÃO DO EDIFÍCIO ÁREA DE REABILITAÇÃO URBANA ÁREA HABITÁVEL DO FOGO ÁREA MÉDIA DO FOGO ÁREA TOTAL DE CONSTRUÇÃO ÁREA URBANA DE GÉNESE ILEGAL

Página 38 de 176

http://geografismos.blogspot.com

CONCEITOS ESTATÍSTICOS VIGENTES ADOPTADOS PELO INSTITUTO NACIONAL DE ESTATÍSTICA FICHA INFORMATIVA

ÁREA ÚTIL DO ALOJAMENTO ÁREA ÚTIL DO FOGO ARRENDATÁRIO DO ALOJAMENTO AUGI

B
BAIRRO SOCIAL BARRACA BARRAGEM HIDROELÉTRICA

C
CADASTRO PREDIAL CANCELAMENTO DE ALVARÁ DE CONSTRUÇÃO CANCELAMENTO DE ALVARÁ DE LICENÇA DE OPERAÇÕES URBANÍSTICAS CARACTERIZAÇÃO DE UM PRÉDIO CASA RUDIMENTAR DE MADEIRA CASSAÇÃO CEDÊNCIA PRECÁRIA CENTRO HISTÓRICO CÉRCEA CÉRCEA MÁXIMA CÉRCEA VOLUMÉTRICA CERTIFICADO ENERGÉTICO COEFICIENTE DE ATUALIZAÇÃO DAS RENDAS COMODATO COMPARTIMENTO COMPARTIMENTO HABITÁVEL COMPARTIMENTOS HABITÁVEIS POR FOGO COMUNICAÇÃO PRÉVIA DE OPERAÇÕES URBANÍSTICAS CONCURSO LIMITADO POR PRÉVIA QUALIFICAÇÃO CONCURSO PÚBLICO CONDIÇÃO DE OCUPAÇÃO DO ALOJAMENTO FAMILIAR CONDOMÍNIO CONDOMÍNIO FECHADO CONFIGURAÇÃO GEOMÉTRICA DE UM PRÉDIO CONSERVAÇÃO DO CADASTRO CONSIGNAÇÃO DA OBRA CONSTRUÇÃO CONTRATO COM PRAZO CERTO CONTRATO DE ARRENDAMENTO URBANO CONTRATO DE CONCESSÃO DE OBRAS PÚBLICAS CONTRATO DE DURAÇÃO INDETERMINADA CONTRATO DE DURAÇÃO LIMITADA DE 3 A 5 ANOS CONTRATO DE EMPREITADA CONTRATO DE RENDA SOCIAL OU APOIADA CONTRATO RENOVÁVEL SEM PRAZO

Página 39 de 176

http://geografismos.blogspot.com

CONCEITOS ESTATÍSTICOS VIGENTES ADOPTADOS PELO INSTITUTO NACIONAL DE ESTATÍSTICA FICHA INFORMATIVA

COPROPRIETÁRIO DO ALOJAMENTO COTA DE SOLEIRA COZINHA

D
DATA DE CONCLUSÃO DA OBRA DE EDIFICAÇÃO DECLARAÇÃO DE EXECUÇÃO DE OBRA DENSIDADE HABITACIONAL DESTINO DA OBRA DIVISÃO DIVISÕES POR FOGO DONO DE OBRA

E
EDIFICAÇÃO EDIFÍCIO EDIFÍCIO CLÁSSICO EDIFÍCIO DE HABITAÇÃO EM CONVIVÊNCIA EDIFÍCIO EM BANDA EDIFÍCIO EM RUÍNAS EDIFÍCIO EXCLUSIVAMENTE NÃO RESIDENCIAL EDIFÍCIO EXCLUSIVAMENTE RESIDENCIAL EDIFÍCIO GEMINADO EDIFÍCIO ISOLADO EDIFÍCIO NÃO RESIDENCIAL EDIFÍCIO PRINCIPALMENTE NÃO RESIDENCIAL EDIFÍCIO PRINCIPALMENTE RESIDENCIAL EDIFÍCIO RESIDENCIAL EDIFÍCIO RESIDENCIAL EM BANDA EDIFÍCIO RESIDENCIAL GEMINADO EDIFÍCIO RESIDENCIAL ISOLADO ELEVAÇÃO DA SOLEIRA EMPREITEIRO ENTIDADE ADJUDICANTE ENTIDADE PROMOTORA ENTIDADE PROPRIETÁRIA ÉPOCA DE CONSTRUÇÃO DO EDIFÍCIO EQUIPAMENTOS PÚBLICOS DE UTILIZAÇÃO COLETIVA ESPAÇOS VERDES E DE UTILIZAÇÃO COLETIVA ESTACIONAMENTO ESTADO DE CONSERVAÇÃO DO EDIFÍCIO EXECUÇÃO DO CADASTRO

Página 40 de 176

http://geografismos.blogspot.com

CONCEITOS ESTATÍSTICOS VIGENTES ADOPTADOS PELO INSTITUTO NACIONAL DE ESTATÍSTICA FICHA INFORMATIVA

F
FACHADA FOGO FOGOS POR MIL HABITANTES FOGOS POR PISO FRAÇÃO AUTÓNOMA

G
GRANDES REPARAÇÕES

H
HABITAÇÃO DE CUSTOS CONTROLADOS HABITAÇÃO SOCIAL

I
IDENTIFICAÇÃO DE UM PRÉDIO IMÓVEL IMPOSTO MUNICIPAL SOBRE AS TRANSMISSÕES ONEROSAS DE IMÓVEIS IMPOSTO MUNICIPAL SOBRE IMÓVEIS ÍNDICE DE IMPERMEABILIZAÇÃO DO SOLO ÍNDICE DE LOTAÇÃO DO ALOJAMENTO ÍNDICE DE OCUPAÇÃO DO SOLO ÍNDICE DE UTILIZAÇÃO DO SOLO ÍNDICE VOLUMÉTRICO INFRAESTRUTURAS TERRITORIAIS INFRAESTRUTURAS URBANAS INFRAESTRUTURAS VIÁRIAS INSTALAÇÃO INSTALAÇÃO DE BANHO OU DUCHE INSTALAÇÃO DE DRENAGEM DE ÁGUAS RESIDUAIS INSTALAÇÃO DE ESGOTOS

L
LICENÇA DE OPERAÇÕES URBANÍSTICAS LICENCIAMENTO DE OPERAÇÕES URBANÍSTICAS LIVRO DE OBRA LOCAL HABITADO NÃO DESTINADO A HABITAÇÃO LOCALIZAÇÃO ADMINISTRATIVA DE UM PRÉDIO LOCALIZAÇÃO GEOGRÁFICA DE UM PRÉDIO LOCATÁRIO DO ALOJAMENTO LOGRADOURO

Página 41 de 176

http://geografismos.blogspot.com

CONCEITOS ESTATÍSTICOS VIGENTES ADOPTADOS PELO INSTITUTO NACIONAL DE ESTATÍSTICA FICHA INFORMATIVA

LOTE LUGAR DE ESTACIONAMENTO

M
MATRIZ PREDIAL

N
NECESSIDADE DE REPARAÇÕES NÚCLEO HABITACIONAL DE ÂMBITO SOCIAL NÚMERO DE PISOS NÚMERO MÉDIO DE PESSOAS POR FOGO

O
OBRA OBRA CONCLUÍDA OBRA DE ALTERAÇÃO OBRA DE AMPLIAÇÃO OBRA DE ARTE OBRA DE CONSERVAÇÃO OBRA DE CONSERVAÇÃO EXTRAORDINÁRIA OBRA DE CONSTRUÇÃO OBRA DE CONSTRUÇÃO NOVA OBRA DE DEMOLIÇÃO OBRA DE EDIFICAÇÃO FASEADA OBRA DE ENGENHARIA CIVIL OBRA DE MANUTENÇÃO OBRA DE RECONSTRUÇÃO COM PRESERVAÇÃO DE FACHADA OBRA DE RECONSTRUÇÃO SEM PRESERVAÇÃO DE FACHADA OBRA DE URBANIZAÇÃO OBRA DE URBANIZAÇÃO FASEADA OBRA MUNICIPAL OBRA PÚBLICA OCUPAÇÃO PARTILHADA DO ALOJAMENTO OCUPANTE DE UM ALOJAMENTO OPERAÇÃO DE LOTEAMENTO OPERAÇÃO URBANÍSTICA

P
PARECER PRÉVIO DE OPERAÇÕES URBANÍSTICAS PARTES DO CONTRATO DE EMPREITADA PAVIMENTO DO EDIFÍCIO PÉ-DIREITO PERÍMETRO EXTERIOR DAS PAREDES EXTERIORES

Página 42 de 176

http://geografismos.blogspot.com

CONCEITOS ESTATÍSTICOS VIGENTES ADOPTADOS PELO INSTITUTO NACIONAL DE ESTATÍSTICA FICHA INFORMATIVA

PERÍMETRO URBANO PISO PLATIBANDA POLÍGONO DE IMPLANTAÇÃO PONTE PRAZO DE EXECUÇÃO EFETIVO PRAZO DE EXECUÇÃO PREVISTO PREÇO DA HABITAÇÃO POR METRO QUADRADO PREÇO DE AVALIAÇÃO IMOBILIÁRIA PRÉDIO PRÉDIO CADASTRADO PRÉDIO MISTO PRÉDIO RÚSTICO PRÉDIO URBANO PRESTAÇÃO MENSAL POR AQUISIÇÃO DE HABITAÇÃO PRÓPRIA PROCEDIMENTO DE NEGOCIAÇÃO PROCESSO INTERNO PROJETO PROPRIEDADE RESOLÚVEL PROPRIETÁRIO DO ALOJAMENTO PROPRIETÁRIO EM PROPRIEDADE COLETIVA DE COOPERATIVA DE HABITAÇÃO

R
REABILITAÇÃO URBANA REESTRUTURAÇÃO URBANA REGIME DE RENDAS PARA HABITAÇÃO RENDA APOIADA RENDA CONDICIONADA RENDA DO ALOJAMENTO RENDA INFERIOR AO PREÇO DE MERCADO RENDA LIVRE RENDA PARA HABITAÇÃO RENDIMENTO PREDIAL RENOVAÇÃO DO CADASTRO RENOVAÇÃO URBANA REPARAÇÕES CORRENTES REPRESENTANTE DO ALOJAMENTO

S
SOCIEDADE DE REABILITAÇÃO URBANA SOLEIRA SOLO URBANO SUBARRENDATÁRIO DO ALOJAMENTO SUBLOCATÁRIO DO ALOJAMENTO SUPERFÍCIE HABITÁVEL MÉDIA DAS DIVISÕES

Página 43 de 176

http://geografismos.blogspot.com

CONCEITOS ESTATÍSTICOS VIGENTES ADOPTADOS PELO INSTITUTO NACIONAL DE ESTATÍSTICA FICHA INFORMATIVA

T
TAXA DE RESIDENCIALIDADE TAXA MÉDIA DE INCUMPRIMENTO TERRENO PARA CONSTRUÇÃO TIPO DE OBRA TIPOLOGIA DO FOGO TITULAR DO ALOJAMENTO TRABALHOS A MAIS TRABALHOS DE CONSTRUÇÃO TRABALHOS DE REMODELAÇÃO DE TERRENOS TRABALHOS EXECUTADOS EM REGIME DE SUBEMPREITADA TRABALHOS QUE CONCORREM PARA A CONSTRUÇÃO TÚNEL

U
UNIDADE DE EXECUÇÃO

V
VALOR DOS TRABALHOS REALIZADOS POR TIPO DE OBRA VIADUTO VOLUME DE CONSTRUÇÃO VOLUMETRIA VOLUMETRIA DO EDIFÍCIO VOLUMETRIA TOTAL

Página 44 de 176

http://geografismos.blogspot.com

CONCEITOS ESTATÍSTICOS VIGENTES ADOPTADOS PELO INSTITUTO NACIONAL DE ESTATÍSTICA FICHA INFORMATIVA

CONTAS NACIONAIS E REGIONAIS: 264 REGISTOS

A
AÇÕES COTADAS, EXCLUINDO AÇÕES DE FUNDOS MÚTUOS AÇÕES DE FUNDOS MÚTUOS AÇÕES E OUTRAS PARTICIPAÇÕES, EXCLUINDO AÇÕES DE FUNDO MÚTUOS ACRÉSCIMOS LÍQUIDOS ÀS EXISTÊNCIAS DE MATERIAIS ADMINISTRAÇÃO CENTRAL ( Subsetor Institucional ) ADMINISTRAÇÃO ESTADUAL ( Subsetor Institucional ) ADMINISTRAÇÃO LOCAL ( Subsetor Institucional ) ADMINISTRAÇÃO REGIONAL ADMINISTRAÇÃO REGIONAL E LOCAL ADMINISTRAÇÕES PRIVADAS ( Setor Institucional ) ADMINISTRAÇÕES PÚBLICAS ( Setor Institucional ) AJUDAS AO INVESTIMENTO AMORTIZAÇÕES E AJUSTAMENTOS DO EXERCÍCIO AQUISIÇÕES LÍQUIDAS DE CESSÕES DE ATIVOS NÃO PRODUZIDOS NÃO FINANCEIROS AQUISIÇÕES LÍQUIDAS DE OBJETOS DE VALOR ATIVIDADE AUXILIAR ATIVIDADE PRINCIPAL ATIVIDADE PRODUTIVA ATIVIDADE SECUNDÁRIA ATIVOS ECONÓMICOS ATIVOS FINANCEIROS ATIVOS FIXOS ATIVOS FIXOS CORPÓREOS ATIVOS FIXOS INCORPÓREOS ATIVOS NÃO FINANCEIROS ATIVOS NÃO PRODUZIDOS ATIVOS NÃO PRODUZIDOS CORPÓREOS ATIVOS NÃO PRODUZIDOS INCORPÓREOS ATIVOS NÃO PRODUZIDOS NÃO FINANCEIROS ATIVOS PRODUZIDOS ATIVOS PRODUZIDOS NÃO FINANCEIROS AUTO - ABASTECIMENTO AUTO - CONSUMO ALIMENTAR AUTO- LOCAÇÃO AUXILIARES FINANCEIROS ( Subsetor Institucional )

B
BANCO CENTRAL ( Subsetor Institucional ) BENEFICIÁRIOS DE OUTRAS TRANSFERÊNCIAS ( Subsetor Institucional ) BENEFICIÁRIOS DE PENSÕES ( Subsetor Institucional )

Página 45 de 176

http://geografismos.blogspot.com

CONCEITOS ESTATÍSTICOS VIGENTES ADOPTADOS PELO INSTITUTO NACIONAL DE ESTATÍSTICA FICHA INFORMATIVA

BENEFICIÁRIOS DE RENDIMENTOS DE PROPRIEDADE ( Subsetor Institucional ) BENS DE CONSUMO DURADOURO BENS E SERVIÇOS INDIVIDUAIS BENS EXISTENTES

C
CAPACIDADE OU NECESSIDADE DE FINANCIAMENTO DO TOTAL DA ECONOMIA CAPITAL AMORTIZADO CAPITAL DE RISCO CAPITAL MÉDIO EM DÍVIDA CATEGORIA " AÇÕES E OUTRAS PARTICIPAÇÕES" CATEGORIA "OUTRAS CONTAS A RECEBER/A PAGAR" CATEGORIA "RESERVAS TÉCNICAS DE SEGUROS" CATEGORIA "TÍTULOS EXCETO AÇÕES" CATEGORIAS "EMPRÉSTIMOS" CATEGORIAS "MOEDA E DEPÓSITOS" CENTRO DE INTERESSE ECONÓMICO CONSERVAÇÃO E REPARAÇÃO CONSUMO DE CAPITAL FIXO CONSUMO ENERGÉTICO CONSUMO FINAL EFETIVO CONSUMO INTERMÉDIO CONSUMO INTERNO DE MATERIAIS CONSUMOS INTERMÉDIOS NAS EMPRESAS DE SEGUROS E RESSEGUROS CONTA DE PATRIMÓNIO CONTRATOS CELEBRADOS NOS ÚLTIMOS MESES CONTRATOS EM VIGOR CONTRIBUIÇÕES SOCIAIS EFETIVAS CONTRIBUIÇÕES SOCIAIS EFETIVAS DOS EMPREGADORES CONTRIBUIÇÕES SOCIAIS IMPUTADAS CONTRIBUIÇÕES SOCIAIS IMPUTADAS DOS EMPREGADORES COOPERAÇÃO INTERNACIONAL CORRENTE CUSTOS E PERDAS

D
DADOS ENCADEADOS EM VOLUME DESEMPREGO DESPESA DE CONSUMO FINAL DIREITOS LÍQUIDOS DAS FAMÍLIAS SOBRE AS RESERVAS DE SEGUROS DE VIDA DIREITOS LÍQUIDOS DAS FAMÍLIAS SOBRE AS RESERVAS DOS FUNDOS DE PENSÕES DIREITOS LÍQUIDOS DAS FAMÍLIAS SOBRE RESERVAS DE SEGUROS DE VIDA E DOS FUNDOS DE PENSÕES DIVIDENDOS

Página 46 de 176

http://geografismos.blogspot.com

CONCEITOS ESTATÍSTICOS VIGENTES ADOPTADOS PELO INSTITUTO NACIONAL DE ESTATÍSTICA FICHA INFORMATIVA

E
EMISSÕES ATMOSFÉRICAS ( ANTROPOGÉNICAS ) EMISSÕES INTERNAS DE MATERIAIS EMPREGADORES INCLUINDO TRABALHADORES POR CONTA PRÓPRIA ( Subsetor Institucional ) EMPREGADOS ( Subsetor Institucional ) EMPREGO EMPREGO ( UM ) EMPREGO EQUIVALENTE A TEMPO COMPLETO EMPRÉSTIMOS DE CURTO PRAZO EMPRÉSTIMOS DE LONGO PRAZO ENTRADA DIRETA DE MATERIAIS ESTADO EXCEDENTE DE EXPLORAÇÃO DO TOTAL DA ECONOMIA EXISTÊNCIAS EXPORTAÇÕES DE BENS E SERVIÇOS EXPORTAÇÕES DE SERVIÇOS EXTRAÇÃO INTERNA DE MATERIAIS

F
FAMÍLIAS ( Setor Institucional ) FORMAÇÃO BRUTA DE CAPITAL FIXO FORMAÇÃO BRUTA DE CAPITAL FIXO FORNECIMENTOS E SERVIÇOS FUNDOS DE SEGURANÇA SOCIAL

G
GANHOS DE DETENÇÃO EFETIVO GANHOS DE DETENÇÃO NEUTRO GRAU DE AUTO-APROVISIONAMENTO

I
IMOBILIZAÇÕES IMPORTAÇÕES DE BENS E SERVIÇOS IMPORTAÇÕES DE SERVIÇOS IMPOSTO MUNICIPAL SOBRE AS TRANSMISSÕES ONEROSAS DE IMÓVEIS IMPOSTO MUNICIPAL SOBRE IMÓVEIS IMPOSTOS CORRENTES SOBRE O RENDIMENTO, PATRIMÓNIO, ETC. IMPOSTOS DO TIPO VALOR ACRESCENTADO IMPOSTOS E DIREITOS SOBRE A IMPORTAÇÃO, EXCETO O IVA IMPOSTOS SOBRE A PRODUÇÃO E IMPORTAÇÃO IMPOSTOS SOBRE O CAPITAL IMPOSTOS SOBRE O RENDIMENTO IMPOSTOS SOBRE OS PRODUTOS

Página 47 de 176

http://geografismos.blogspot.com

CONCEITOS ESTATÍSTICOS VIGENTES ADOPTADOS PELO INSTITUTO NACIONAL DE ESTATÍSTICA FICHA INFORMATIVA

IMPOSTOS SOBRE OS PRODUTOS, EXCETO O IVA E IMPOSTOS SOBRE A IMPORTAÇÃO INDEMNIZAÇÕES COMPENSATÓRIAS INDEMNIZAÇÕES DE SEGUROS NÃO VIDA ÍNDICE DE ACIDIFICAÇÃO INSTITUIÇÕES SEM FINS LUCRATIVOS AO SERVIÇO DAS FAMÍLIAS INSTITUIÇÕES SEM FINS LUCRATIVOS DA ADMINISTRAÇÃO CENTRAL INSTITUIÇÕES SEM FINS LUCRATIVOS DA ADMINISTRAÇÃO LOCAL INSTITUIÇÕES SEM FINS LUCRATIVOS DA ADMINISTRAÇÃO REGIONAL INWARD STATISTICS ON FOREIGN AFFILIATES

J
JUROS JUROS DOS CONTRATOS EM VIGOR JUROS SUPORTADOS PELO ESTADO JUROS SUPORTADOS PELO MUTUÁRIO

L
LEVANTAMENTOS DE RENDIMENTOS DAS QUASE-SOCIEDADES LUCROS DE INVESTIMENTO ESTRANGEIRO DIRETO REINVESTIDOS

M
MÃO DE OBRA ASSALARIADA A REMUNERAÇÕES CONSTANTES MARGEM COMERCIAL MATÉRIA SUBSIDIÁRIA MATÉRIA-PRIMA MATÉRIAS-PRIMAS E SUBSIDIÁRIAS MULTAS E OUTRAS SANÇÕES PECUNIÁRIAS

O
OBRAS EM CURSO ORDENADOS E SALÁRIOS EM DINHEIRO ORDENADOS E SALÁRIOS EM ESPÉCIE ORGANIZAÇÃO NÃO GOVERNAMENTAL ÓRGÃOS DOS GOVERNOS REGIONAIS OUTRA PRODUÇÃO NÃO MERCANTIL ( TIPO DE PRODUÇÃO ) OUTRAS FAMÍLIAS ( Subsetor Institucional ) OUTRAS INSTITUIÇÕES FINANCEIRAS MONETÁRIAS ( Subsetor Institucional ) OUTRAS TRANSFERÊNCIAS DE CAPITAL OUTRAS VARIAÇÕES DE ATIVOS OUTRAS VARIAÇÕES DE VOLUME OUTROS EMPREGADOS OUTROS IMPOSTOS SOBRE A PRODUÇÃO ( CATEGORIA DE IMPOSTOS SOBRE A PRODUÇÃO )

Página 48 de 176

http://geografismos.blogspot.com

CONCEITOS ESTATÍSTICOS VIGENTES ADOPTADOS PELO INSTITUTO NACIONAL DE ESTATÍSTICA FICHA INFORMATIVA

OUTROS INTERMEDIÁRIOS FINANC., EXPTO SOC DE SEGUROS E FUNDOS DE PENSÕES ( Subsetor Institucional ) OUTROS PRODUTORES NÃO MERCANTIS ( TIPO DE PRODUTORES ) OUTROS SUBSÍDIOS À PRODUÇÃO ( CATEGORIA DE SUBSÍDIOS À PRODUÇÃO )

P
PATRIMÓNIO LÍQUIDO DO TOTAL DA ECONOMIA PLANO OFICIAL DE CONTABILIDADE POPULAÇÃO ECONOMICAMENTE ATIVA POPULAÇÃO TOTAL POTENCIAL DE EFEITO DE ESTUFA POUPANÇA PREÇO DE AQUISIÇÃO PREÇO DE PRODUÇÃO PREÇO DO CUSTO SEGURO E FRETE PREÇO ECONOMICAMENTE SIGNIFICATIVO PRÉMIO DE FIM DE ANO/DISTRIBUIÇÃO DE LUCROS PRÉMIOS LÍQUIDOS DE SEGUROS NÃO VIDA PRESTAÇÃO MÉDIA VENCIDA PRESTAÇÕES SOCIAIS PROCURA INTERNA PRODUÇÃO PRODUÇÃO DESTINADA A AUTOEMPREGO FINAL PRODUÇÃO MERCANTIL PRODUTO INTERNO BRUTO A PREÇOS DE MERCADO PRODUTO INTERNO BRUTO REGIONAL PRODUTORES MERCANTIS PRODUTORES PARA AUTOCONSUMO FINAL PRODUTOS PRODUTOS ACABADOS PRODUTOS E TRABALHOS EM CURSO PROPRIETÁRIOS QUE EFETIVAMENTE TRABALHAM NA EMPRESA PROVEITOS E GANHOS PROVEITOS SUPLEMENTARES PROVISÕES DO EXERCÍCIO

Q
QUARTO RECURSO PRÓPRIO COM BASE NO PNB QUASE-SOCIEDADES NÃO FINANCEIRAS PÚBLICAS ( Subsetor Institucional )

R
RAMO DE ATIVIDADE RAMO HOMOGÉNEO RECEBIMENTO EM GÉNEROS REMUNERAÇÕES DOS EMPREGADOS

Página 49 de 176

http://geografismos.blogspot.com

CONCEITOS ESTATÍSTICOS VIGENTES ADOPTADOS PELO INSTITUTO NACIONAL DE ESTATÍSTICA FICHA INFORMATIVA

RENDIMENTO DISPONÍVEL RENDIMENTO EMPRESARIAL DO TOTAL DA ECONOMIA RENDIMENTO MISTO DO TOTAL DA ECONOMIA RENDIMENTO NACIONAL ( A PREÇOS DE MERCADO ) RENDIMENTO NACIONAL DISPONÍVEL RENDIMENTOS DE PROPRIEDADE RENDIMENTOS DE PROPRIEDADE ATRIBUÍDOS AOS DETENTORES DE APÓLICES DE SEGUROS RENDIMENTOS PRIMÁRIOS RESERVAS TÉCNICAS DE SEGUROS RESERVAS-PRÉMIOS E RESERVAS-SINISTROS RESIDENTE/UNIDADE RESIDENTE RESTO DO MUNDO ( Setor Institucional ) RESULTADO RUBRICA "INVESTIMENTO ESTRANGEIRO DIRETO"

S
SALDO CORRENTE COM O EXTERIOR SALDO EXTERNO DE BENS E SERVIÇOS SEGURANÇA SOCIAL ( Subsetor Institucional ) SERVIÇOS AUTÓNOMOS DA ADMINISTRAÇÃO LOCAL SERVIÇOS COLETIVOS SERVIÇOS E FUNDOS AUTÓNOMO SERVIÇOS E FUNDOS AUTÓNOMOS DA ADMINISTRAÇÃO REGIONAL SETOR INSTITUCIONAL SOC. NÃO FINANCEIRAS PÚBLICAS E PARTICIPADAS MAIORITARIAMENTE PELO SETOR PÚBLICO ( S.Institucional) SOCIEDADES DE SEGUROS E FUNDOS DE PENSÕES ( Subsetor Institucional ) SOCIEDADES FINANCEIRAS ( Setor Institucional ) SOCIEDADES NÃO FINANCEIRAS ( Subsetor Institucional ) SOCIEDADES NÃO FINANCEIRAS PRIVADAS NACIONAIS ( Subsetor Institucional ) SOCIEDADES NÃO FINANCEIRAS PÚBLICAS ( Subsetor Institucional ) SOCIEDADES NÃO FINANCEIRAS SOB CONTROLO ESTRANGEIRO ( Subsetor Institucional ) SUBCATEGORIA "AÇÕES DE FUNDOS MÚTUOS" SUBCATEGORIA "AÇÕES E OUTRAS PARTICIPAÇÕES, EXCLUINDO AÇÕES DE FUNDOS MÚTUOS" SUBCATEGORIA "CRÉDITOS COMERCIAIS E ADIANTAMENTOS" SUBCATEGORIA "DEPÓSITOS TRANSFERÍVEIS" SUBCATEGORIA "DERIVADOS FINANCEIROS" SUBCATEGORIA "DIREITOS DE SAQUE ESPECIAIS" SUBCATEGORIA "DIREITOS LÍQUIDOS DAS FAMÍLIAS S/AS RESERVAS DE SEGUROS VIDA E DOS FUNDOS DE PENSÕES" SUBCATEGORIA "EMPRÉSTIMOS DE CURTO PRAZO" SUBCATEGORIA "EMPRÉSTIMOS DE LONGO PRAZO" SUBCATEGORIA "MOEDA" SUBCATEGORIA "OURO MONETÁRIO" SUBCATEGORIA "RESERVAS-PRÉMIOS E RESERVAS-SINISTROS" SUBCATEGORIA "TÍTULOS EXCETO AÇÕES, EXCLUINDO DERIVADOS FINANCEIROS" SUBCATEGORIAS "OUTRAS CONTAS A RECEBER/A PAGAR, EXCLUINDO CRÉDITOS COMERCIAIS E ADIANTAMENTOS" SUBCATEGORIAS "OUTROS DEPÓSITOS"

Página 50 de 176

http://geografismos.blogspot.com

CONCEITOS ESTATÍSTICOS VIGENTES ADOPTADOS PELO INSTITUTO NACIONAL DE ESTATÍSTICA FICHA INFORMATIVA

SUBPOSIÇÃO "AÇÕES COTADAS E AÇÕES NÃO COTADAS, EXCLUINDO AÇÕES DE FUNDOS MÚTUOS" SUBPOSIÇÃO "OUTRAS PARTICIPAÇÕES" SUBPOSIÇÃO "TÍTULOS EXCETO AÇÕES, EXCLUINDO DERIVADOS FINANCEIROS, DE CURTO PRAZO" SUBPOSIÇÃO "TÍTULOS EXCETO AÇÕES, EXCLUINDO DERIVADOS FINANCEIROS, DE LONGO PRAZO" SUBPOSIÇÃO ( DIREITOS LÍQUIDOS DAS FAMÍLIAS SOBRE AS RESERVAS DE SEGUROS DE VIDA ) SUBPOSIÇÃO ( DIREITOS LÍQUIDOS DAS FAMÍLIAS SOBRE AS RESERVAS DOS FUNDOS DE PENSÕES ) SUBSÍDIO À EXPLORAÇÃO SUBSÍDIOS SUBSÍDIOS À IMPORTAÇÃO SUBSÍDIOS AOS PRODUTOS

T
TAXA DE JURO IMPLÍCITA NO CRÉDITO À HABITAÇÃO TAXA DE JURO SUPORTADA PELO ESTADO TAXA DE JURO SUPORTADA PELO MUTUÁRIO TAXA DE VARIAÇÃO ANUAL TERRITÓRIO ECONÓMICO TERRITÓRIO EXTRA-REGIONAL TÍTULOS EXCETO AÇÕES, EXCLUINDO DERIVADOS FINANCEIROS, DE CURTO PRAZO TÍTULOS EXCETO AÇÕES, EXCLUINDO DERIVADOS FINANCEIROS, DE LONGO PRAZO TÍTULOS, EXCETO AÇÕES TÍTULOS, EXCETO AÇÕES, EXCLUINDO DERIVADOS FINANCEIROS TOTAL DE HORAS TRABALHADAS TRABALHADORES POR CONTA DE OUTREM TRABALHADORES POR CONTA PRÓPRIA TRANSFERÊNCIAS CORRENTES ENTRE FAMÍLIAS TRANSFERÊNCIAS CORRENTES NO SEIO DAS ADMINISTRAÇÕES PÚBLICAS TRANSFERÊNCIAS DE BENS E SERVIÇOS NÃO MERCANTIS INDIVIDUAIS TRANSFERÊNCIAS SOCIAIS EM ESPÉCIE

U
UNIDADE DE ATIVIDADE ECONÓMICA AO NÍVEL LOCAL UNIDADE DE PRODUÇÃO HOMOGÉNEA UNIDADE INSTITUCIONAL UNIDADES RESIDENTES FICTÍCIAS

V
VALOR ACRESCENTADO BRUTO/AVALIAÇÃO DO VAB VALOR DAPRODUÇÃO DAS EMPRESAS DE SEGUROS E RESSEGUROS VALOR FRANCO A BORDO VARIAÇÃO DE EXISTÊNCIAS VENDAS

Página 51 de 176

http://geografismos.blogspot.com

CONCEITOS ESTATÍSTICOS VIGENTES ADOPTADOS PELO INSTITUTO NACIONAL DE ESTATÍSTICA FICHA INFORMATIVA

CULTURA E LAZER: 230 REGISTOS

A
ACERVO ALFARRABISTA ALOJAMENTO CABLADO ALTA COMPETIÇÃO/ALTO RENDIMENTO ANFITEATRO ANIMAÇÃO SOCIOCULTURAL ANIMADOR ANUÁRIO AQUISIÇÃO DE DOCUMENTOS ARBITRO/JUÍZ ARBITRO/JUÍZ INTERNACIONAL ÁREA OCUPADA DE UMA BIBLIOTECA ARQUIVO ASSINANTE ASSOCIAÇÕES CULTURAIS ASSOCIAÇÕES CULTURAIS E RECREATIVAS ATELIER ATIVIDADE CINEMATOGRÁFICA E AUDIOVISUAL ATLETA ATLETA PROFISSIONAL AUDITÓRIO

B
BENS ARQUEOLÓGICOS BENS ARTÍSTICOS E HISTÓRICOS BENS BIBLIOGRÁFICOS E ARQUIVÍSTICOS BENS ETNOGRÁFICOS BENS IMÓVEIS DO PATRIMÓNIO CULTURAL BENS NATURAIS NÃO VIVOS BENS NATURAIS VIVOS BENS TÉCNICO CIENTÍFICOS E INDUSTRIAIS BIBLIOTECA BIBLIOTECA DE ENSINO SUPERIOR BIBLIOTECA ESCOLAR BIBLIOTECA ESPECIAL BIBLIOTECA ESPECIALIZADA BIBLIOTECA ITINERANTE BIBLIOTECA NACIONAL BIBLIOTECA NÃO ESPECIALIZADA BIBLIOTECA PÚBLICA BOLETIM

Página 52 de 176

http://geografismos.blogspot.com

CONCEITOS ESTATÍSTICOS VIGENTES ADOPTADOS PELO INSTITUTO NACIONAL DE ESTATÍSTICA FICHA INFORMATIVA

BROCHURA BUNKER BURACO

C
CAMPO DE GOLFE CAPACIDADE DE ARMAZENAGEM EM ESTANTES CINETEATRO CIRCO CIRCULAÇÃO COLEÇÃO COLEÇÃO COLISEU COMPETIÇÃO DESPORTIVA CONJUNTO CONSERVADOR CONSULTA COOPERATIVAS CULTURAIS CRONOMETRISTA

D
DESPORTO RECREAÇÃO DESPORTO RENDIMENTO/FEDERADO DISTRIBUIÇÃO DE TELEVISÃO POR CABO DISTRIBUIÇÃO DE TELEVISÃO POR DTH (Direct to Home) DISTRIBUIDOR DOCUMENTÁRIO CINEMATOGRÁFICO DE CRIAÇÃO DOCUMENTO DOCUMENTOS AUDIOVISUAIS DOCUMENTOS CARTOGRÁFICOS DOCUMENTOS GRÁFICOS DOCUMENTOS ICONOGRÁFICOS

E
ECRÃ EDIÇÃO EDITOR ELENCO EMISSOR DE RADIODIFUSÃO EQUIPA ESPAÇO DE EXPOSIÇÃO ESPECTADOR ESPETÁCULO ESPETÁCULO DE DANÇA

Página 53 de 176

http://geografismos.blogspot.com

CONCEITOS ESTATÍSTICOS VIGENTES ADOPTADOS PELO INSTITUTO NACIONAL DE ESTATÍSTICA FICHA INFORMATIVA

ESPETÁCULO DE ÓPERA ESPETÁCULO MULTIDISCIPLINAR ESPETÁCULO MUSICAL ESPETÁCULO MUSICO/TEATRAL ESPETÁCULO TEATRAL ESTAÇÃO DE RADIOCOMUNICAÇÃO ESTAÇÃO LICENCIADA EXIBIDOR EXPOSIÇÃO COLETIVA EXPOSIÇÃO INDIVIDUAL EXPOSIÇÃO PERMANENTE EXPOSIÇÃO TEMPORÁRIA

F
FAIRWAY FILME DE CURTA METRAGEM FILME DE LONGA METRAGEM FILMES DIDÁTICOS FILMES FICCIONAIS FILMES PUBLICITÁRIOS FOLCLORE FONOGRAMA

G
GALERIA DE ARTE GINÁSIO GRANDE CAMPO DE JOGOS GREEN GREEN-FEE

I
IMÓVEIS CLASSIFICADOS IMÓVEIS DE ARQUITETURA CIVIL IMÓVEIS DE ARQUITETURA MILITAR IMÓVEIS DE ARQUITETURA RELIGIOSA IMÓVEIS PROTEGIDOS/NÃO PROTEGIDOS IMPRENSA REGIONAL IMPRESSO INSTALAÇÃO DESPORTIVA INSTALAÇÕES PRÓPRIAS INVENTÁRIO MUSEOLÓGICO INVENTÁRIO MUSEOLÓGICO DESENVOLVIDO INVENTÁRIO MUSEOLÓGICO SUMÁRIO

Página 54 de 176

http://geografismos.blogspot.com

CONCEITOS ESTATÍSTICOS VIGENTES ADOPTADOS PELO INSTITUTO NACIONAL DE ESTATÍSTICA FICHA INFORMATIVA

J
JARDIM BOTÂNICO JARDIM ZOOLÓGICO JARDIM ZOOLÓGICO, BOTÂNICO E AQUÁRIO JORNAL

L
LIVREIRO LIVRO LOTAÇÃO LUGARES NAS SALAS DE LEITURA E INVESTIGAÇÃO

M
MARINA MATUTINO MICROCÓPIAS MONITOR MONOGRAFIA MONUMENTO MUSEALIZADO MUSEU MUSEU DE ARQUEOLOGIA MUSEU DE ARQUEOLOGIA E HISTÓRIA MUSEU DE ARTE MUSEU DE CIÊNCIA E DE TÉCNICA MUSEU DE CIÊNCIAS NATURAIS E DE HISTÓRIA NATURAL MUSEU DE ETNOGRAFIA E DE ANTROPOLOGIA MUSEU DE ETNOLOGIA MUSEU DE HISTÓRIA MUSEU DE TERRITÓRIO MUSEU ESPECIALIZADO MUSEU GERAL MUSEU LOCAL MUSEU MISTO OU PLURIDISCIPLINAR MUSEU NACIONAL MUSEU POLINUCLEADO MUSEU PRIVADO MUSEU REGIONAL

N
NEWSLETTER NÚCLEO DE APOIO À BIBLIOTECA NÚCLEO MUSEOLÓGICO NÚMERO INTERNACIONAL NORMALIZADO DAS PUBLICAÇÕES EM SÉRIE ( ISSN )

Página 55 de 176

http://geografismos.blogspot.com

CONCEITOS ESTATÍSTICOS VIGENTES ADOPTADOS PELO INSTITUTO NACIONAL DE ESTATÍSTICA FICHA INFORMATIVA

O
OBRA OBRA AUDIOVISUAL OBRA CINEMATOGRÁFICA OBRA CINEMATOGRÁFICA E AUDIOVISUAL NACIONAL OBRA DE ANIMAÇÃO OBRA MUSICAL OBSTÁCULO OFICIAL OFICINA OPERADORES DE RADIODIFUSÃO SONORA OPERADORES DE RADIODIFUSÃO TELEVISIVA OUT - OF - BOUNDS OUTRO PESSOAL TÉCNICO

P
PAISAGEM PARCERIA PARQUE DE DIVERSÃO AQUÁTICA PASSAPORTE DE GOLFE PATRIMÓNIO MUNDIAL, CULTURAL E NATURAL PAVILHÃO DESPORTIVO PAVILHÃO MULTIUSO PEQUENO CAMPO DE JOGOS PERIODICIDADE IRREGULAR PERIODICIDADE REGULAR PERIÓDICO PISCINA PRATICANTE PRIMEIRA EDIÇÃO PROFISSIONAIS DE ANIMAÇÃO SOCIOCULTURAL PROFISSIONAIS DE BIBLIOTECA PUBLICAÇÃO EDITADA NO PAÍS PUBLICAÇÃO EM SÉRIE PUBLICAÇÃO OFICIAL PUBLICAÇÃO PERIÓDICA PÚBLICO ESCOLAR PUTTER

Q
QUADROS DIRETIVOS

Página 56 de 176

http://geografismos.blogspot.com

CONCEITOS ESTATÍSTICOS VIGENTES ADOPTADOS PELO INSTITUTO NACIONAL DE ESTATÍSTICA FICHA INFORMATIVA

R
RADIODIFUSÃO SONORA RADIODIFUSÃO VISUAL RECEITA DE BILHETEIRA RECEITAS EXTERNAS RECEITAS PRÓPRIAS RECINTO DE CINEMA RECINTO DE ESPETÁCULOS RECINTO DE ESPETÁCULOS ( FIXO ) RECINTO DE ESPETÁCULOS ( IMPROVISADO ) RECINTO DE ESPETÁCULOS ( ITINERANTE ) REEDIÇÃO REGISTO DE OBRAS DE RADIODIFUSÃO REIMPRESSÃO REPRODUÇÃO DE DOCUMENTOS RESTAURO REVISTA ROUGH

S
SALA DE CINEMA SALA DE ESPETÁCULOS, CONFERÊNCIAS E CONGRESSOS SALA MULTIUSOS SALA POLIVALENTE SEDE DO MUSEU SÉRIE MONOGRÁFICA SERVIÇO EDUCATIVO SESSÃO SESSÃO DIURNA SESSÃO NOTURNA SÍTIOS ARQUEOLÓGICOS

T
TEATRO TEATRO TEE OU TEEING GROUND ( PONTO DE PARTIDA ) TELEVISÃO TIRAGEM TÍTULO TREINADOR TREINADOR PROFISSIONAL

U

Página 57 de 176

http://geografismos.blogspot.com

CONCEITOS ESTATÍSTICOS VIGENTES ADOPTADOS PELO INSTITUTO NACIONAL DE ESTATÍSTICA FICHA INFORMATIVA

UTILIZADOR INSCRITO DE BIBLIOTECA

V
VESPERTINO VIDEOGRAMA VISITA ORIENTADA VISITANTE DO MUSEU VOLTA VOLUME

W
WORKSHOP

Página 58 de 176

http://geografismos.blogspot.com

CONCEITOS ESTATÍSTICOS VIGENTES ADOPTADOS PELO INSTITUTO NACIONAL DE ESTATÍSTICA FICHA INFORMATIVA

EDUCAÇÃO, FORMAÇÃO E APRENDIZAGEM: 454 REGISTOS

A
ABANDONO DE FORMAÇÃO ABANDONO ESCOLAR AÇÃO DE FORMAÇÃO PROFISSIONAL AÇÃO SOCIAL ACONSELHAMENTO PROFISSIONAL ACORDO DE FORMAÇÃO ACREDITAÇÃO DE ENTIDADES FORMADORAS ACREDITAÇÃO DE ESTABELECIMENTO DE ENSINO SUPERIOR ACREDITAÇÃO DE UM CICLO DE ESTUDOS AGREGAÇÃO AGRUPAMENTO DE DISCIPLINAS AGRUPAMENTO DE ESCOLAS ALUNO ALUNO A TEMPO INTEIRO ALUNO A TEMPO PARCIAL ALUNO CARENCIADO ALUNO EQUIVALENTE A TEMPO INTEIRO ALUNO INSCRITO ALUNO INSCRITO PELA 1.ª VEZ NO 1.º ANO ALUNO MATRICULADO ANALFABETO ANO CURRICULAR ANO DE ESCOLARIDADE ANO ESCOLAR ANO LETIVO APERFEIÇOAMENTO PROFISSIONAL APRENDIZAGEM APRENDIZAGEM A DISTÂNCIA APRENDIZAGEM AO LONGO DA VIDA APRENDIZAGEM FORMAL APRENDIZAGEM INFORMAL APRENDIZAGEM INTENCIONAL APRENDIZAGEM LECIONADA OU MONITORIZADA APRENDIZAGEM NÃO-FORMAL APRENDIZAGEM ORGANIZADA APROVAÇÃO APROVEITAMENTO ESCOLAR ÁREA CURRICULAR DISCIPLINAR ÁREA CURRICULAR NÃO DISCIPLINAR ÁREA DE EDUCAÇÃO E FORMAÇÃO ÁREA DE FORMAÇÃO PESSOAL E SOCIAL ASSISTENTE

Página 59 de 176

http://geografismos.blogspot.com

CONCEITOS ESTATÍSTICOS VIGENTES ADOPTADOS PELO INSTITUTO NACIONAL DE ESTATÍSTICA FICHA INFORMATIVA

ASSISTENTE DE 1º TRIÉNIO ASSISTENTE DE 2º TRIÉNIO ASSISTENTE DE INVESTIGAÇÃO ASSISTENTE ESTAGIÁRIO ATIVIDADES DE ENRIQUECIMENTO/COMPLEMENTO CURRICULAR ATUALIZAÇÃO PROFISSIONAL AUTO APRENDIZAGEM AUXÍLIO DE EMERGÊNCIA AVALIAÇÃO DE COMPETÊNCIAS AVALIADOR ( RVCC PROFISSIONAL ) AVALIADOR EXTERNO

B
BACHAREL BACHARELATO BOLETIM DE REGISTO ACADÉMICO BOLSA DE ESTUDO DE AÇÃO SOCIAL BOLSA DE ESTUDO POR MÉRITO BOLSA DE FORMAÇÃO BOLSEIRO DE AÇÃO SOCIAL BOLSEIRO DE INVESTIGAÇÃO

C
CANDIDATO AO ENSINO SUPERIOR CANDIDATO AOS PROCESSOS DE RVCC CARGA HORÁRIA DA FORMAÇÃO PROFISSIONAL CARTA DE CURSO CARTA DOUTORAL CARTA EDUCATIVA CARTEIRA PESSOAL DE COMPETÊNCIAS-CHAVE CENTRO DE EMPREGO CENTRO DE FORMAÇÃO CENTRO DE FORMAÇÃO PROFISSIONAL DE GESTÃO DIRETA CENTRO DE FORMAÇÃO PROFISSIONAL DE GESTÃO PARTICIPADA CENTRO DE FORMAÇÃO PROFISSIONAL DO IEFP CENTRO DE REABILITAÇÃO PROFISSIONAL CENTRO DE REABILITAÇÃO PROFISSIONAL DE GESTÃO DIRETA CENTRO DE RECURSOS CENTRO MISTO DE EMPREGO E FORMAÇÃO DO IEFP CENTRO NOVAS OPORTUNIDADES CERTIFICAÇÃO CERTIFICAÇÃO PROFISSIONAL CERTIFICADO CERTIFICADO DE APTIDÃO PROFISSIONAL CERTIFICADO DE FORMAÇÃO PROFISSIONAL CERTIFICADO DE FORMAÇÃO PROFISSIONAL +

Página 60 de 176

http://geografismos.blogspot.com

CONCEITOS ESTATÍSTICOS VIGENTES ADOPTADOS PELO INSTITUTO NACIONAL DE ESTATÍSTICA FICHA INFORMATIVA

CICLO DE ESTUDOS CICLO DE ESTUDOS DO ENSINO SUPERIOR CLASSIFICAÇÃO FINAL DA DISCIPLINA CLASSIFICAÇÃO INTERNA CLASSIFICAÇÃO OU QUALIFICAÇÃO FINAL DE CURSO DE ENSINO SUPERIOR CLÁUSULA DE FORMAÇÃO COLOCADO NO ENSINO SUPERIOR COMPARABILIDADE DE QUALIFICAÇÕES COMPETÊNCIA PROFISSIONAL COMPETÊNCIAS COMPETÊNCIAS BASE COMPETÊNCIAS CHAVE COMPLEMENTO DE FORMAÇÃO COMPONENTE DE FORMAÇÃO COMPONENTE DE FORMAÇÃO CIENTÍFICA COMPONENTE DE FORMAÇÃO CIENTÍFICO-TECNOLÓGICA COMPONENTE DE FORMAÇÃO ESPECÍFICA COMPONENTE DE FORMAÇÃO GERAL ( vertente educação ) COMPONENTE DE FORMAÇÃO GERAL ( vertente formação profissional ) COMPONENTE DE FORMAÇÃO PRÁTICA ( vertente formação profissional ) COMPONENTE DE FORMAÇÃO SOCIO-CULTURAL ( vertente educação ) COMPONENTE DE FORMAÇÃO SOCIO-CULTURAL ( vertente formação ) COMPONENTE DE FORMAÇÃO TECNOLÓGICA, TÉCNICO-ARTÍSTICA E TÉCNICA COMPONENTE LETIVA COMPONENTE NÃO LETIVA CONCLUSÃO CONCLUSÃO DE CURSO DE ENSINO SUPERIOR CONCURSO INSTITUCIONAL DE ACESSO CONCURSO LOCAL DE ACESSO CONCURSO NACIONAL DE ACESSO CONCURSOS ESPECIAIS DE ACESSO AO ENSINO SUPERIOR CONDIÇÕES DE ACESSO CONDIÇÕES DE INGRESSO CONFERÊNCIA CONSELHEIRO DE ORIENTAÇÃO PROFISSIONAL CONSELHO CIENTÍFICO CONSELHO DIRETIVO CONSELHO EXECUTIVO CONSELHO PEDAGÓGICO CONSELHO PEDAGÓGICO-CIENTÍFICO CONSULTOR DE FORMAÇÃO CONTRATO DE APRENDIZAGEM CONTRATO DE ESTUDOS CONTRATO DE FORMAÇÃO COORDENADOR DE FORMAÇÃO CRÉDITO CRÉDITO DE HORAS PARA FORMAÇÃO CRÉDITOS DE UMA UNIDADE CURRICULAR CRÉDITOS NO SISTEMA EUROPEU DE TRANSFERÊNCIA DE CRÉDITOS

Página 61 de 176

http://geografismos.blogspot.com

CONCEITOS ESTATÍSTICOS VIGENTES ADOPTADOS PELO INSTITUTO NACIONAL DE ESTATÍSTICA FICHA INFORMATIVA

CURRÍCULO ALTERNATIVO CURRÍCULO REGULAR CURRÍCULO REGULAR COM ADAPTAÇÕES AO NÍVEL DOS MEIOS DE ACESSO AO CURRÍCULO CURSO CURSO ARTÍSTICO ESPECIALIZADO CURSO AVALIADO DO ENSINO SUPERIOR CURSO CIENTÍFICO-HUMANÍSTICO CURSO DE APRENDIZAGEM CURSO DE EDUCAÇÃO E FORMAÇÃO CURSO DE EDUCAÇÃO E FORMAÇÃO DE ADULTOS CURSO DE EDUCAÇÃO E FORMAÇÃO PROFISSIONAL INICIAL CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO TECNOLÓGICA CURSO DE ESTUDOS SUPERIORES ESPECIALIZADOS CURSO DE FORMAÇÃO DE ATIVOS QUALIFICADOS CURSO DE FORMAÇÃO PROFISSIONAL CURSO DE QUALIFICAÇÃO INICIAL CURSO DO 10º ANO PROFISSIONALIZANTE CURSO DO ENSINO SUPERIOR CURSO GERAL DO ENSINO SECUNDÁRIO CURSO POR CORRESPONDÊNCIA CURSO PROFISSIONAL CURSO TÉCNICO DO ENSINO RECORRENTE CURSO TECNOLÓGICO CUSTOS DE FORMAÇÃO PROFISSIONAL

D
DEPARTAMENTO DESISTÊNCIA DESISTÊNCIA DA FORMAÇÃO DIPLOMA DIPLOMA DE ENSINO SUPERIOR DIPLOMA DE ESTUDOS SUPERIORES ESPECIALIZADOS DIPLOMADO DISCIPLINA DISCIPLINA DE OPÇÃO DOCENTE A TEMPO COMPLETO DOCENTE A TEMPO PARCIAL DOCENTE COM FUNÇÕES LETIVAS DOCENTE COM FUNÇÕES NÃO LETIVAS DOCENTE CONTRATADO DOCENTE CONVIDADO DOCENTE DE APOIO EDUCATIVO DOCENTE DESTACADO DOCENTE DO ENSINO SUPERIOR EM REGIME DE DEDICAÇÃO EXCLUSIVA DOCENTE DO ENSINO SUPERIOR EM REGIME DE TEMPO INTEGRAL DOCENTE DO ENSINO SUPERIOR EM REGIME DE TEMPO PARCIAL DOCENTE REQUISITADO DOCENTE VISITANTE

Página 62 de 176

http://geografismos.blogspot.com

CONCEITOS ESTATÍSTICOS VIGENTES ADOPTADOS PELO INSTITUTO NACIONAL DE ESTATÍSTICA FICHA INFORMATIVA

DOMÍNIO DE FORMAÇÃO DOUTOR DOUTORAMENTO DOUTORANDO DURAÇÃO DE REFERÊNCIA DA FORMAÇÃO PROFISSIONAL DURAÇÃO NORMAL DE UM CICLO DURAÇÃO NORMAL DO CURSO DE ENSINO SUPERIOR

E
EDUCAÇÃO E FORMAÇÃO DE ADULTOS EDUCAÇÃO E FORMAÇÃO PROFISSIONAL EDUCAÇÃO ESPECIAL EDUCAÇÃO FORMAL EDUCAÇÃO NÃO-FORMAL EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR EDUCADOR DE INFÂNCIA ENCARREGADO DE TRABALHOS ENSINO A DISTÂNCIA ENSINO ARTÍSTICO ESPECIALIZADO ENSINO BÁSICO ENSINO PARTICULAR E COOPERATIVO ENSINO PÓS-SECUNDÁRIO ENSINO PRESENCIAL ENSINO PRIVADO ENSINO PROFISSIONAL ENSINO PÚBLICO ENSINO RECORRENTE ENSINO REGULAR ENSINO SECUNDÁRIO ENSINO SUPERIOR ENSINO SUPERIOR NÃO PÚBLICO ENSINO SUPERIOR PARTICULAR E COOPERATIVO ENSINO SUPERIOR POLITÉCNICO ENSINO SUPERIOR PÚBLICO ENSINO SUPERIOR UNIVERSITÁRIO ENTIDADE CERTIFICADORA ENTIDADE FORMADORA ENTIDADE FORMADORA ACREDITADA ENTIDADE INSTITUIDORA ENTIDADE PARCEIRA ENTIDADE PROMOTORA EQUIVALÊNCIA DE HABILITAÇÃO ESTRANGEIRA DE NÍVEL NÃO SUPERIOR EQUIVALÊNCIA DE HABILITAÇÃO ESTRANGEIRA DE NÍVEL SUPERIOR ESCOLA ESCOLA DE ENSINO ESPECIAL ESCOLA SEDE DE AGRUPAMENTO ESCOLARIDADE COM EQUIVALÊNCIA ESCOLARIDADE FUNCIONAL

Página 63 de 176

http://geografismos.blogspot.com

CONCEITOS ESTATÍSTICOS VIGENTES ADOPTADOS PELO INSTITUTO NACIONAL DE ESTATÍSTICA FICHA INFORMATIVA

ESPECIALIZAÇÃO DE PÓS-LICENCIATURA ESPECIALIZAÇÃO PROFISSIONAL ESTABELECIMENTO DE ACOLHIMENTO ESTABELECIMENTO DE EDUCAÇÃO ESTABELECIMENTO DE ENSINO NÃO SUPERIOR ESTABELECIMENTO DE ENSINO SUPERIOR ESTABELECIMENTO DE ORIGEM ESTAGIÁRIO ESTAGIÁRIO INVESTIGADOR ESTÁGIO COMPLEMENTAR PÓS-FORMAÇÃO ESTÁGIO DE NATUREZA PROFISSIONAL NO ÂMBITO DO ENSINO SUPERIOR ESTÁGIO PROFISSIONAL ESTRUTURA CURRICULAR DE UM CURSO ESTRUTURA DE NÍVEIS DE FORMAÇÃO ESTUDANTE ESTUDANTE DESLOCADO ESTUDANTE ECONOMICAMENTE CARENCIADO ESTUDANTE EM MOBILIDADE ESTUDOS PÓS-GRADUADOS EXCLUSÃO EXPERIÊNCIA PROFISSIONAL

F
FACULDADE FLEXIBILIZAÇÃO DE HORÁRIO CURRICULAR FORMAÇÃO À DISTÂNCIA FORMAÇÃO CERTIFICADA FORMAÇÃO DE FORMADORES FORMAÇÃO EM ALTERNÂNCIA FORMAÇÃO ITINERANTE FORMAÇÃO MODULAR FORMAÇÃO NO POSTO DE TRABALHO FORMAÇÃO PÓS-LABORAL FORMAÇÃO PRÁTICA FORMAÇÃO PRÁTICA SIMULADA FORMAÇÃO PRESENCIAL FORMAÇÃO PROFISSIONAL FORMAÇÃO PROFISSIONAL CONTÍNUA FORMAÇÃO PROFISSIONAL DE BASE FORMAÇÃO PROFISSIONAL EXTERNA FORMAÇÃO PROFISSIONAL INICIAL FORMAÇÃO PROFISSIONAL INTERNA FORMAÇÃO TEÓRICA FORMAÇÃO VOCACIONAL FORMADOR FORMADOR ( RVCC ESCOLAR ) FORMADOR CERTIFICADO FORMADOR EVENTUAL

Página 64 de 176

http://geografismos.blogspot.com

CONCEITOS ESTATÍSTICOS VIGENTES ADOPTADOS PELO INSTITUTO NACIONAL DE ESTATÍSTICA FICHA INFORMATIVA

FORMADOR PERMANENTE FORMANDO FORMANDO ABRANGIDO FORMANDO EXTERNO FORMANDO INTERNO

G
GRAU ACADÉMICO GRUPO CULTURAL GRUPO DE RECRUTAMENTO

H
HABILITAÇÃO ACADÉMICA HOMOLOGAÇÃO HOMOLOGAÇÃO DE CURSO DE FORMAÇÃO HORAS DE CONTACTO NO ENSINO SUPERIOR

I
INFORMAÇÃO PROFISSIONAL INSCRIÇÃO INSCRIÇÃO EM UNIDADES CURRICULARES INSERÇÃO NA VIDA ATIVA INSERÇÃO PROFISSIONAL INSTITUIÇÃO DE ENSINO SUPERIOR INSTITUTO POLITÉCNICO INTERCÂMBIO DE ESTAGIÁRIOS INVESTIGADOR AUXILIAR INVESTIGADOR COORDENADOR INVESTIGADOR PRINCIPAL ITINERÁRIO DE QUALIFICAÇÃO

J
JARDIM DE INFÂNCIA

L
LABORATÓRIO LEITOR LICENÇA DE FORMAÇÃO LICENCIADO LICENCIATURA LICENCIATURA BIETÁPICA

Página 65 de 176

http://geografismos.blogspot.com

CONCEITOS ESTATÍSTICOS VIGENTES ADOPTADOS PELO INSTITUTO NACIONAL DE ESTATÍSTICA FICHA INFORMATIVA

LICENCIATURA TERMINAL LÍNGUA ESTRANGEIRA 1 LÍNGUA ESTRANGEIRA 2 LÍNGUA ESTRANGEIRA 3 LÍNGUA MATERNA LÍNGUA VEICULAR

M
MATRÍCULA MESTRADO MESTRADO INTEGRADO MESTRANDO MESTRE MOBILIDADE DE ESTUDANTES ENTRE ESTABELECIMENTOS DE ENSINO SUPERIOR MODALIDADE DE FORMAÇÃO MÓDULO MÓDULO DE FORMAÇÃO MONITOR MONITOR DE FORMAÇÃO MUDANÇA DE CURSO

N
NECESSIDADES DE FORMAÇÃO NECESSIDADES EDUCATIVAS ESPECIAIS NÍVEL 1 DE FORMAÇÃO NÍVEL 2 DE FORMAÇÃO NÍVEL 3 DE FORMAÇÃO NÍVEL 4 DE FORMAÇÃO NÍVEL 5 DE FORMAÇÃO NÍVEL DE ENSINO NÍVEL DE ESCOLARIDADE NÍVEL DE INSTRUÇÃO NOTA DE CANDIDATURA DE INGRESSO E ACESSO AO ENSINO SUPERIOR NOVAS COMPETÊNCIAS DE BASE

O
ÓRGÃO CIENTÍFICO ORIENTAÇÃO ESCOLAR E PROFISSIONAL ORIENTADOR DE ESTÁGIO

P
PALESTRA PARTE CURRICULAR

Página 66 de 176

http://geografismos.blogspot.com

CONCEITOS ESTATÍSTICOS VIGENTES ADOPTADOS PELO INSTITUTO NACIONAL DE ESTATÍSTICA FICHA INFORMATIVA

PARTE DE UM CURSO SUPERIOR PARTICIPANTE PERCURSO FORMATIVO PERCURSO PROFISSIONAL PERFIL PROFISSIONAL PESSOAL DOCENTE PESSOAL DOCENTE EM EXERCÍCIO DE FUNÇÕES PESSOAL NÃO DOCENTE PESSOAL NÃO DOCENTE DE APOIO SOCIOEDUCATIVO PESSOAL NÃO DOCENTE DE GESTÃO E ADMINISTRAÇÃO PESSOAL NÃO DOCENTE DE MANUTENÇÃO E SERVIÇO PLANO DE ESTUDOS DE UM CURSO PLANO DE FORMAÇÃO POPULAÇÃO ESCOLAR PREPARATÓRIOS DE LICENCIATURA PRÉ-REQUISITOS PRESTAÇÃO COMPLEMENTAR PROFESSOR ADJUNTO PROFESSOR ASSOCIADO PROFESSOR AUXILIAR PROFESSOR CATEDRÁTICO PROFESSOR COOPERANTE PROFESSOR COORDENADOR PROFESSOR DO ENSINO BÁSICO - 1º CICLO PROFESSOR DO ENSINO BÁSICO - 2º CICLO PROFESSOR DO ENSINO BÁSICO - 3º CICLO E SECUNDÁRIO PROFESSOR PROFISSIONALIZADO PROFISSÃO REGULAMENTADA PROFISSIONAL DE RVCC PROGRAMA DE EDUCAÇÃO OU FORMAÇÃO PROMOTOR DE FORMAÇÃO PROPINA PROVA DE APTIDÃO PEDAGÓGICA E CAPACIDADE CIENTÍFICA PROVAS DE INGRESSO

Q
QUADRO DE ESCOLA QUADRO DE ZONA PEDAGÓGICA QUALIFICAÇÃO ACADÉMICA QUALIFICAÇÃO CERTIFICADA QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL DE BASE

R
REABILITAÇÃO PROFISSIONAL RECICLAGEM PROFISSIONAL

Página 67 de 176

http://geografismos.blogspot.com

CONCEITOS ESTATÍSTICOS VIGENTES ADOPTADOS PELO INSTITUTO NACIONAL DE ESTATÍSTICA FICHA INFORMATIVA

RECONHECIMENTO DE GRAUS ACADÉMICOS CONFERIDOS POR UMA INSTITUIÇÃO DE ENSINO SUPERIOR ESTRANGEIRA RECONHECIMENTO DE HABILITAÇÕES ESTRANGEIRAS DE NÍVEL SUPERIOR RECONHECIMENTO, VALIDAÇÃO E CERTIFICAÇÃO DE COMPETÊNCIAS RECONHECIMENTO, VALIDAÇÃO E CERTIFICAÇÃO DE COMPETÊNCIAS - RVCC PRO ( vertente profissional ) RECONVERSÃO PROFISSIONAL RECURSOS DE FORMAÇÃO RECURSOS FÍSICOS DE EDUCAÇÃO E FORMAÇÃO RECURSOS FORMATIVOS RECURSOS HUMANOS DE EDUCAÇÃO E FORMAÇÃO RECURSOS TÉCNICO-PEDAGÓGICOS REDE DE ESTABELECIMENTOS DE ENSINO SUPERIOR REDE EDUCATIVA REDE ESCOLAR REDE NACIONAL DE EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR REDE PRIVADA DE EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR REDE PÚBLICA DE EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR REFERENCIAL DE COMPETÊNCIAS REFERENCIAL DE COMPETÊNCIASCHAVE PARA A EDUCAÇÃO E FORMAÇÃO DE ADULTOS REFERENCIAL DE FORMAÇÃO REGIME DE DEDICAÇÃO EXCLUSIVA DO PESSOAL DOCENTE DO ENSINO SUPERIOR REGIME DE MATRÍCULA NO ENSINO ARTÍSTICO ESPECIALIZADO REGIME DE TEMPO INTEGRAL DO PESSOAL DOCENTE DO ENSINO SUPERIOR REGIME DE TEMPO PARCIAL DO ESTUDANTE DO ENSINO SUPERIOR REGIME DE TEMPO PARCIAL DO PESSOAL DOCENTE DO ENSINO SUPERIOR REGIME DE UNIDADES DE CRÉDITO REGIMES ESPECIAIS DE ACESSO AO ENSINO SUPERIOR REGISTO DE ADEQUAÇÃO DE CICLOS DE ESTUDO REGISTO DE GRAU DE DOUTOR OBTIDO NO ESTRANGEIRO REGISTO DO GRAU ACADÉMICO CONFERIDO REINGRESSO REPROVAÇÃO RESULTADO DA APRENDIZAGEM RESULTADOS ESCOLARES RETENÇÃO

S
SAÍDA ANTECIPADA SAÍDA PRECOCE SAÍDA PROFISSIONAL SEDE DE AGRUPAMENTO SEMINÁRIO SIMULAÇÃO SISTEMA DE APRENDIZAGEM SISTEMA DE EDUCAÇÃO E FORMAÇÃO SISTEMA DE ENSINO SISTEMA DE ENSINO SUPERIOR SISTEMA DE TRANSFERÊNCIA DE CRÉDITOS

Página 68 de 176

http://geografismos.blogspot.com

CONCEITOS ESTATÍSTICOS VIGENTES ADOPTADOS PELO INSTITUTO NACIONAL DE ESTATÍSTICA FICHA INFORMATIVA

SISTEMA EDUCATIVO SISTEMA EUROPEU DE TRANSFERÊNCIA DE CRÉDITOS SISTEMA NACIONAL DE CERTIFICAÇÃO PROFISSIONAL SUBSÍDIO À FORMAÇÃO SUPLEMENTO AO DIPLOMA

T
TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO E DE COMUNICAÇÃO TESE DE DISSERTAÇÃO DE NATUREZA CIENTÍFICA TIPOS DE CURSO TRABALHADOR ESTUDANTE TRABALHO DE PROJETO TRAJETÓRIAS PROFISSIONAIS TRANSFERÊNCIA DE CURSO TRANSIÇÃO PARA A VIDA ATIVA TRANSIÇÃO/PROGRESSÃO TRANSPARÊNCIA DAS HABILITAÇÕES/QUALIFICAÇÕES TURMA TUTOR TUTOR ( RVCC PROFISSIONAL )

U
UNIDADE CAPITALIZÁVEL UNIDADE CURRICULAR UNIDADE DE COMPETÊNCIA UNIDADE DE CRÉDITO UNIDADE DE FORMAÇÃO UNIDADE ORGÂNICA DO ESTABELECIMENTO DE ENSINO UNIVERSIDADE

V
VAGAS VALORIZAÇÃO DA APRENDIZAGEM VEZ DE MATRÍCULA VIA DE FORMAÇÃO VOLUME DE FORMAÇÃO

Página 69 de 176

http://geografismos.blogspot.com

CONCEITOS ESTATÍSTICOS VIGENTES ADOPTADOS PELO INSTITUTO NACIONAL DE ESTATÍSTICA FICHA INFORMATIVA

EMPRESAS: 241 REGISTOS

A
AGENTE RESIDENTE NA ECONOMIA PORTUGUESA AGUARDA INÍCIO DE ATIVIDADE ( Situação Perante a Atividade ) ALIANÇA ESTRATÉGICA AMORTIZAÇÃO DE EMPRÉSTIMO AQUISIÇÕES EM PRIMEIRA MÃO DE BENS DE CAPITAL ATIVIDADE CONTRATADA ATIVIDADE ECONÓMICA ATIVIDADE PRINCIPAL ATIVIDADE SAZONAL ATIVIDADE SUSPENSA ATIVIDADES DE DISTRIBUIÇÃO E LOGÍSTICA ATIVIDADES DE ENGENHARIA E SERVIÇOS TÉCNICOS RELACIONADOS ATIVIDADES DE MARKETING, VENDAS E SERVIÇO PÓS-VENDA ATIVO LÍQUIDO AUMENTOS DE IMOBILIZADO DO EXERCÍCIO AUTOFINANCIAMENTO AUTONOMIA FINANCEIRA

B
BEM BENS DE CAPITAL FIXO BENS DURADOUROS BIDDING CONSORTIA

C
CABEÇA DE GRUPO CAPITAÇÃO EDÍVEL CARTEIRA DE ENCOMENDAS CISÃO CISÃO - DISSOLUÇÃO CISÃO - FUSÃO CISÃO SIMPLES CLUSTERS COBERTURA DO IMOBILIZADO COEFICIENTE CAPITAL EMPREGO COEFICIENTE DE INTENSIDADE CAPITALISTA CONJUNTURA ECONÓMICA CONSOLIDAÇÃO DE CONTAS CONSTITUIÇÃO DE SOCIEDADES

Página 70 de 176

http://geografismos.blogspot.com

CONCEITOS ESTATÍSTICOS VIGENTES ADOPTADOS PELO INSTITUTO NACIONAL DE ESTATÍSTICA FICHA INFORMATIVA

CONSUMOS INTERMÉDIOS NAS EMPRESAS DE SEGUROS E RESSEGUROS CONTA DE EXPLORAÇÃO CONTA DE FINANCIAMENTO CONTA DE PRODUÇÃO CONTA DE RENDIMENTO CONTRATO ESTRATÉGICO CORE BUSINESS CUSTOS COM O PESSOAL CUSTOS COM O PESSOAL PER CAPITA CUSTOS CORRENTES CUSTOS DAS MERCADORIAS VENDIDAS E MATÉRIAS CONSUMIDAS CUSTOS E PERDAS EXTRAORDINÁRIOS CUSTOS E PERDAS FINANCEIROS CUSTOS OPERACIONAIS CUSTOS TOTAIS DO EXERCÍCIO

D
DATA DE CESSAÇÃO DE CABEÇA DE GRUPO DATA DE CONSTITUIÇÃO DATA DE INÍCIO DE ATIVIDADE DATA DE INÍCIO DE CABEÇA DE GRUPO DEBT TO EQUITY RATIO DESIGNAÇÃO SOCIAL DA EMPRESAS/ENTIDADE DISPONÍVEL PARA ABASTECIMENTO DURAÇÃO MÉDIA DO STOCK DE PRODUTOS DURAÇÃO MÉDIA DOS STOCKS DE MATÉRIAS E DE MERCADORIAS

E
EM ATIVIDADE (Situação Perante a Atividade) EMPRESA EMPRESA FAMILIAR EMPRESÁRIO FUNDADOR EMPRESAS ASSOCIADAS DIRETAS - ESTRANGEIRAS EMPRESAS ASSOCIADAS DIRETAS - NACIONAIS ( NO ÂMBITO DO GUPO DE EMPRESAS ) ENCOMENDA ENDIVIDAMENTO ENDIVIDAMENTO A MÉDIO E LONGO PRAZO ENTIDADES NÃO RESIDENTES NO PAÍS ENTRADA DE FUNÇÕES DE NEGÓCIO EM PORTUGAL PARA ALÉM DO RETORNO DO SOURCING INTERNACIONAL ESTABELECIMENTO ESTRUTURA DO ENDIVIDAMENTO ESTRUTURA DO FINANCIAMENTO EXCEDENTE BRUTO DE EXPLORAÇÃO EXCEDENTE LÍQUIDO DE EXPLORAÇÃO

Página 71 de 176

http://geografismos.blogspot.com

CONCEITOS ESTATÍSTICOS VIGENTES ADOPTADOS PELO INSTITUTO NACIONAL DE ESTATÍSTICA FICHA INFORMATIVA

F
FALÊNCIA/DISSOLUÇÃO/LIQUIDAÇÃO FORNECIMENTOS E SERVIÇOS EXTERNOS FRANCHISING FUNÇÃO FUNÇÃO DE NEGÓCIO FUSÃO - DISSOLUÇÃO FUSÃO - INCORPORAÇÃO

G
GRUPO DE EMPRESAS

I
IMOBILIZADO BRUTO IMPOSTOS INDEPENDÊNCIA FINANCEIRA INVESTIMENTO INVESTIMENTO BRUTO EM BENS CORPÓREOS INVESTIMENTO DE EXPANSÃO INVESTIMENTO DE EXTENSÃO INVESTIMENTO DE RACIONALIZAÇÃO INVESTIMENTO DE RACIONALIZAÇÃO E RESTRUTURAÇÃO INVESTIMENTO DE SUBSTITUIÇÃO INVESTIMENTO EM ATIVOS CORPÓREOS INVESTIMENTO EM ATIVOS INCORPÓREOS

J
JOINT VENTURE

L
LEASING OPERACIONAL LICENSING IN LICENSING OUT LIQUIDEZ GERAL LIQUIDEZ IMEDIATA LIQUIDEZ REDUZIDA LUCRO BRUTO CORRENTE ANTES DE IMPOSTOS LUCROS DISTRIBUÍDOS

M

Página 72 de 176

http://geografismos.blogspot.com

CONCEITOS ESTATÍSTICOS VIGENTES ADOPTADOS PELO INSTITUTO NACIONAL DE ESTATÍSTICA FICHA INFORMATIVA

MARGEM DE SEGURANÇA MATÉRIAS PRIMAS, SUBSIDIÁRIAS E DE CONSUMO MERCADORIAS MÉTODO DE CONSOLIDAÇÃO DE CONTAS MORTE REAL DE EMPRESAS

N
NACIONALIDADE DO GRUPO DE EMPRESAS NASCIMENTO REAL DE EMPRESAS NEGÓCIO NETWORKING NÚMERO DE IDENTIFICAÇÃO DE PESSOA COLETIVA OU ENTIDADE EQUIPARADA NÚMERO DE IDENTIFICAÇÃO DE PESSOA COLETIVA OU ENTIDADE EQUIPARADA DEFINITIVO NÚMERO DE IDENTIFICAÇÃO DE PESSOA COLETIVA OU ENTIDADE EQUIPARADA PROVISÓRIO NÚMERO DE IDENTIFICAÇÃO FISCAL NÚMERO MÉDIO PESSOAS AO SERVIÇO CONSOLIDADO

O
OUTROS CUSTOS COM PESSOAL OUTROS EMPREGADOS

P
PARTE EDÍVEL DE UM PRODUTO PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS PERCENTAGEM DE CONTROLO PERCENTAGEM DE INTERESSE PERCENTAGEM PARTICIPAÇÃO DIRETA PERÍODO DE EXERCÍCIO PERÍODO DE RECUPERAÇÃO DA DÍVIDA PESO DAS DESPESAS COM PESSOAL NO VAB PESO DO EXCEDENTE BRUTO DE EXPLORAÇÃO NO VALOR ACRESCENTADO BRUTO PESO DOS CUSTOS COM O PESSOAL NO VALOR CRESCENTADO BRUTO POSTO DE TRABALHO DE ELEVADA QUALIFICAÇÃO PRAZO MÉDIO DE PAGAMENTOS PRAZO MÉDIO DE RECEBIMENTOS PREÇO COM DESCONTO PREÇO DE TABELA PREÇO NO CONSUMIDOR PRÉMIO DE FIM DE ANO/DISTRIBUIÇÃO DE LUCROS PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS PRODUÇÃO CAPITALIZADA PRODUÇÃO POR CONTA DE OUTREM ( À TAREFA OU SOB CONTRATO ) PRODUTIVIDADE APARENTE DO TRABALHO PRODUTIVIDADE DO CAPITAL FIXO

Página 73 de 176

http://geografismos.blogspot.com

CONCEITOS ESTATÍSTICOS VIGENTES ADOPTADOS PELO INSTITUTO NACIONAL DE ESTATÍSTICA FICHA INFORMATIVA

PRODUTIVIDADE DO TRABALHO PRODUTIVIDADE DO TRABALHO AJUSTADA AO SALÁRIO PRODUTO PRODUTO SECUNDÁRIO COMUM PRODUTO SECUNDÁRIO EXCLUSIVO PRODUTO SEMI-ACABADO PRODUTOS PARA REVENDA PROPRIETÁRIOS QUE EFETIVAMENTE TRABALHAM NA EMPRESA PROVEITOS E GANHOS EXTRAORDINÁRIOS PROVEITOS E GANHOS FINANCEIROS PROVEITOS E GANHOS TOTAIS

Q
QUANTIDADE DE PRODUTOS VENDIDOS QUANTIDADES PRODUZIDAS DOS PRODUTOS FABRICADOS QUANTIDADES PRODUZIDAS PARA INTRACONSUMO QUOTA DE MERCADO

R
RÁCIOS ECONÓMICO-FINANCEIROS REATIVAÇÃO REESTRUTURAÇÃO RELAÇÕES ENTRE EMPRESAS RENDIBILIDADE DO ATIVO LÍQUIDO RENDIBILIDADE DOS CAPITAIS PRÓPRIOS RENDIBILIDADE OPERACIONAL DAS VENDAS RENDIMENTOS DE SUBCONTRATAÇÃO RESULTADO LÍQUIDO DO EXERCÍCIO RESULTADOS OPERACIONAIS RETORNO DO SOURCING INTERNACIONAL ROTAÇÃO DO ATIVO LÍQUIDO ROTAÇÃO DOS CAPITAIS PRÓPRIOS

S
SAZONALIDADE SHARED FACILITIES SISTEMA DE INVENTÁRIO SOBREVIVÊNCIA DA EMPRESA SOCIEDADE ANÓNIMA SOCIEDADE ANÓNIMA DESPORTIVA SOCIEDADE ANÓNIMA EUROPEIA ( SE ) SOCIEDADE CIVIL SOCIEDADE CIVIL ESTRANGEIRA SOCIEDADE CIVIL SOB FORMA COMERCIAL

Página 74 de 176

http://geografismos.blogspot.com

CONCEITOS ESTATÍSTICOS VIGENTES ADOPTADOS PELO INSTITUTO NACIONAL DE ESTATÍSTICA FICHA INFORMATIVA

SOCIEDADE CIVIL SOB FORMA COMERCIAL ESTRANGEIRA SOCIEDADE COMERCIAL SOCIEDADE COMERCIAL ESTRANGEIRA SOCIEDADE DE RESPONSABILIDADE LIMITADA SOCIEDADE EM COMANDITA SOCIEDADE EM COMANDITA POR AÇÕES SOCIEDADE EM COMANDITA SIMPLES SOCIEDADE EM NOME COLETIVO SOCIEDADE IRREGULAR SOCIEDADE POR QUOTAS SOCIEDADE UNIPESSOAL POR QUOTAS SOLVABILIDADE SOURCING SOURCING INTERNACIONAL SOURCING NACIONAL STOCK DE PRODUTOS ACABADOS STOCK MÉDIO DE MATÉRIAS E MERCADORIAS STOCK MÉDIO DE PRODUTOS SUBCONTRATOS SUBSÍDIO SUCURSAL

T
TAXA DE ACUMULAÇÃO TAXA DE CAPACIDADE DE REEMBOLSO A MÉDIO E LONGO PRAZO TAXA DE ENCARGOS FINANCEIROS TAXA DE INVESTIMENTO TAXA DE MARGEM BRUTA DE EXPLORAÇÃO TAXA DE MORTALIDADE DE EMPRESAS TAXA DE NATALIDADE DE EMPRESAS TAXA DE VALOR ACRESCENTADO BRUTO TAXA DE VARIAÇÃO ANUAL TAXA DE VARIAÇÃO HOMÓLOGA TAXA DE VARIAÇÃO MENSAL/TRIMESTRAL TRABALHO POR ENCOMENDA TRABALHOS PARA A PRÓPRIA EMPRESA TRANSFORMAÇÃO ( SOCIEDADES )

U
UNIDADE DE ATIVIDADE ECONÓMICA UNIDADE DE PRODUÇÃO HOMOGÉNEA AO NÍVEL LOCAL UNIDADE JURÍDICA UNIDADE LOCAL

Página 75 de 176

http://geografismos.blogspot.com

CONCEITOS ESTATÍSTICOS VIGENTES ADOPTADOS PELO INSTITUTO NACIONAL DE ESTATÍSTICA FICHA INFORMATIVA

V
VALOR ACRESCENTADO BRUTO VALOR ACRESCENTADO BRUTO A PREÇOS DE MERCADO VALOR ACRESCENTADO BRUTO AO CUSTO DE FATORES - VAB cf VALOR ACRESCENTADO BRUTO PER CAPITA - VAB per capita VALOR ACRESCENTADO LÍQUIDO A CUSTO DE FATORES VALOR BRUTO DA PRODUÇÃO VALOR DA PRODUÇÃO VALOR DAPRODUÇÃO DAS EMPRESAS DE SEGUROS E RESSEGUROS VALOR DAS VENDAS VALOR DAS VENDAS DE ÁGUA VALOR DOS TRABALHOS REALIZADOS PARA A PRÓPRIA EMPRESA VALORES CORRIGIDOS DA SAZONALIDADE VALORES EFETIVOS VARIAÇÃO DA PRODUÇÃO VARIAÇÃO DAS EXISTÊNCIAS VARIAÇÃO DE IMOBILIZADO CORPÓREO VARIAÇÃO HOMÓLOGA VARIAÇÃO HOMÓLOGA ACUMULADA VARIÁVEL AUXILIAR AO VOLUME DE NEGÓCIOS VOLUME DE NEGÓCIOS VOLUME DE NEGÓCIOS CONSOLIDADO VOLUME DE NEGÓCIOS PER CAPITA

Página 76 de 176

http://geografismos.blogspot.com

CONCEITOS ESTATÍSTICOS VIGENTES ADOPTADOS PELO INSTITUTO NACIONAL DE ESTATÍSTICA FICHA INFORMATIVA

INDÚSTRIA E ENERGIA: 313 REGISTOS

A
ADITIVOS AGLOMERADO DE CARVÃO AGLOMERADOS ÁLCOOL METÍLICO ALTA PRESSÃO ALTA TENSÃO ALTURA DA BARRAGEM ALTURA DA QUEDA BRUTA DE UMA BARRAGEM ALTURA DA QUEDA ÚTIL DE UMA BARRAGEM ANO GÁS ANO HIDROLÓGICO ANTRACITE APROVEITAMENTO HIDROELÉTRICO DE ACUMULAÇÃO POR BOMBAGEM ARMAZENAMENTO SUBTERRÂNEO DE GÁS NATURAL AUTOCONSUMO DE GÁS NATURAL

B
BAIXA PRESSÃO BAIXA TENSÃO BALANÇO ENERGÉTICO ELÉTRICO BALANÇO HIDRÁULICO BETUME BIOCOMBUSTÍVEL BIODIESEL BIOGÁS BIOMASSA BIOMASSA FLORESTAL BOMBA DE CALOR BOMBAGEM HIDROELÉTRICA BRIQUETES DE CARVÃO

C
CALDEIRA CANALIZAÇÃO DE GÁS CAPACIDADE DAS INFRAESTRUTURAS DE GÁS NATURAL CAPACIDADE DE REGASIFICAÇÃO UTILIZADA CAPACIDADE INSTALADA DE ENERGIA ELÉTRICA CAPACIDADE MÁXIMA DA LIGAÇÃO DE GÁS NATURAL CAPACIDADE ÚTIL DA ALBUFEIRA CAPACIDADE UTILIZADA DE GÁS NATURAL

Página 77 de 176

http://geografismos.blogspot.com

CONCEITOS ESTATÍSTICOS VIGENTES ADOPTADOS PELO INSTITUTO NACIONAL DE ESTATÍSTICA FICHA INFORMATIVA

CARBOREACTORES DE TIPO GASOLINA CARBURANTE CARVÃO CARVÃO BETUMINOSO CARVÃO MINERAL CARVÃO VEGETAL CENTRAL DE CICLO COMBINADO CENTRAL DE COGERAÇÃO CENTRAL ELÉTRICA DE SERVIÇO PARTICULAR CENTRAL ELÉTRICA DE SERVIÇO PÚBLICO CENTRAL EÓLICA CENTRAL GEOTÉRMICA CENTRAL HIDROELÉTRICA CENTRAL HIDROELÉTRICA DE ACUMULAÇÃO POR BOMBAGEM CENTRAL MULTICOMBUSTÍVEL CENTRAL SOLAR CENTRAL TERMOELÉTRICA CLÁSSICA CERTIFICADO ENERGÉTICO CLIENTE DE ENERGIA ELÉTRICA CLIENTE ELEGÍVEL DE ENERGIA ELÉTRICA CLIENTE FINAL DE ENERGIA ELÉTRICA CLIENTE GROSSISTA DE ENERGIA ELÉTRICA COEFICIENTE DE PRODUTIBILIDADE HIDROELÉTRICA COGERAÇÃO COLETOR SOLAR FOTOVOLTAICO COLETOR SOLAR TÉRMICO COMBUSTÍVEL DERIVADO DE RESÍDUO INDUSTRIAL COMBUSTÍVEL FÓSSIL COMERCIALIZAÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA COMERCIALIZAÇÃO DE GÁS NATURAL COMERCIALIZADOR DE ENERGIA ELÉTRICA COMERCIALIZADOR DE ENERGIA ELÉTRICA DE ÚLTIMO RECURSO COMERCIALIZADOR DE GÁS NATURAL COMERCIALIZADOR DE GÁS NATURAL DE ÚLTIMO RECURSO GROSSISTA COMERCIALIZADOR DE GÁS NATURAL DE ÚLTIMO RECURSO RETALHISTA COMPENSAÇÃO SÍNCRONA CONDIÇÕES DE REFERÊNCIA DE GÁS NATURAL CONSUMIDOR DE ENERGIA ELÉTRICA CONSUMO DE ENERGIA ELÉTRICA EM BOMBAGEM NUMA CENTRAL HIDROELÉTRICA CONSUMO DE ENERGIA ELÉTRICA EM COMPENSAÇÃO SÍNCRONA NUMA CENTRAL CONSUMO DE ENERGIA ELÉTRICA NÃO AFETO À PRODUÇÃO NUMA CENTRAL CONSUMO DE ENERGIA ELÉTRICA TOTAL DE UMA CENTRAL CONSUMO ENERGÉTICO CONSUMO PRÓPRIO DE UMA CENTRAL COQUE COQUE DE PETRÓLEO CRACKING

Página 78 de 176

http://geografismos.blogspot.com

CONCEITOS ESTATÍSTICOS VIGENTES ADOPTADOS PELO INSTITUTO NACIONAL DE ESTATÍSTICA FICHA INFORMATIVA

D
DIA GÁS DISPAROS POR 7000 HORAS DE FUNCIONAMENTO COMO GERADOR NUMA CENTRAL HIDROELÉTRICA DISPAROS POR 7000 HORAS DE FUNCIONAMENTO NUMA CENTRAL TÉRMICA DISPONIBILIDADE DE GÁS NATURAL DISPONIBILIDADE DE UMA CENTRAL DISTRIBUIÇÃO DE GÁS NATURAL DURAÇÃO MÉDIA DAS INTERRUPÇÕES DURAÇÃO MÉDIA DAS INTERRUPÇÕES DO SISTEMA DURAÇÃO MÉDIA DAS INTERRUPÇÕES POR CLIENTE DURAÇÃO MÉDIA DAS INTERRUPÇÕES POR PONTO DE SAÍDA DURAÇÃO MÉDIA DE INTERRUPÇÃO

E
ECLUSA EFEITO DE ESTUFA EFICIÊNCIA ENERGÉTICA ELETRICIDADE ENERGIA AFLUENTE TURBINÁVEL ENERGIA ARMAZENADA NA INFRAESTRUTURA DE ARMAZENAMENTO SUBTERRÂNEO ENERGIA ARMAZENÁVEL DE UM APROVEITAMENTO HIDROELÉTRICO ENERGIA DAS MARÉS, ONDAS E OCEANOS ENERGIA ELÉTRICA ENERGIA ELÉTRICA ADQUIRIDA POR UMA CENTRAL ENERGIA ELÉTRICA EMITIDA PELA CENTRAL ENERGIA ENTREGUE PELO TERMINAL DE GÁS NATURAL ENERGIA EÓLICA ENERGIA EXTRAÍDA NA INFRAESTRUTURA DE ARMAZENAMENTO SUBTERRÂNEO DE GÁS NATURAL ENERGIA GEOTÉRMICA ENERGIA HÍDRICA ENERGIA HIDROELÉTRICA ENERGIA INJETADA NA INFRAESTRUTURA DE ARMAZENAMENTO SUBTERRÂNEO ENERGIA NÃO DISTRIBUÍDA ENERGIA PRIMÁRIA ENERGIA PRIMÁRIA TOTAL FORNECIDA ENERGIA RENOVÁVEL ENERGIA SOLAR ENERGIA SOLAR FOTOVOLTAICA ENERGIA SOLAR TÉRMICA ENERGIA ÚTIL TOTAL ARMAZENADA NAS ALBUFEIRAS ENTREGA DE ELETRICIDADE ESQUENTADOR ESTABELECIMENTO INDUSTRIAL ETANOL EXPLORAÇÃO DE SAL MECANIZADA

Página 79 de 176

http://geografismos.blogspot.com

CONCEITOS ESTATÍSTICOS VIGENTES ADOPTADOS PELO INSTITUTO NACIONAL DE ESTATÍSTICA FICHA INFORMATIVA

EXPLORAÇÃO DE SAL SEMI-MECANIZADA EXPLORAÇÃO DE SAL TRADICIONAL EXPORTAÇÃO DE ENERGIA

F
FATURA DE ENERGIA ELÉTRICA FLÔR DE SAL FONTE DE ENERGIA FONTE DE ENERGIA RENOVÁVEL FREQUÊNCIA MÉDIA DE INTERRUPÇÕES DO SISTEMA FUELÓLEO FUELÓLEO PESADO

G
GÁS BUTANO GÁS DE FÁBRICA GÁS DE REFINARIA GÁS DE REFINARIA NÃO LIQUEFEITO GÁS NATURAL GÁS NATURAL COMPRIMIDO GÁS NATURAL DE SUBSTITUIÇÃO GÁS NATURAL LIQUEFEITO GÁS PROPANO GASES COM EFEITO DE ESTUFA GASES DE PETRÓLEO LIQUEFEITO GASODUTO GASÓLEO GASÓLEO DE AQUECIMENTO GASOLINA 95 GASOLINA 98 GASOLINAS ESPECIAIS GERADOR GESTÃO TÉCNICA GLOBAL DO SISTEMA DE GÁS NATURAL GRUPO ELETROGÉNEO GRUPO GERADOR

H
HULHA

I
IMPORTAÇÃO DE ENERGIA INDICADOR DE EFICIÊNCIA ENERGÉTICA DOS EDIFÍCIOS ÍNDICE DE PRODUTIBILIDADE HIDROELÉTRICA

Página 80 de 176

http://geografismos.blogspot.com

CONCEITOS ESTATÍSTICOS VIGENTES ADOPTADOS PELO INSTITUTO NACIONAL DE ESTATÍSTICA FICHA INFORMATIVA

ÍNDICE DE WOBBE INDISPONIBILIDADE NÃO PLANEADA DE UMA CENTRAL INDISPONIBILIDADE PLANEADA DE UMA CENTRAL INFRAESTRUTURAS DE GÁS NATURAL INSTALAÇÃO DE GÁS NATURAL INTENSIDADE ENERGÉTICA INTERLIGAÇÃO DAS REDES DE TRANSPORTE DO GÁS NATURAL INTERRUPÇÃO ACIDENTAL DE GÁS NATURAL INTERRUPÇÃO BREVE DE ENERGIA ELÉTRICA INTERRUPÇÃO CONTROLÁVEL DE GÁS NATURAL INTERRUPÇÃO LONGA DE ENERGIA ELÉTRICA INTERRUPÇÃO NÃO CONTROLÁVEL DE GÁS NATURAL INTERRUPÇÃO PREVISTA DE GÁS NATURAL INTERRUPTIBILIDADE DE ENERGIA ELÉTRICA ISOLAMENTO TÉRMICO

J
JOULE

K
kcal

L
LÂMPADA DE HALOGÉNEO LÂMPADA ECONOMIZADORA LÂMPADA FLUORESCENTE LÂMPADA INCANDESCENTE LÂMPADA LED LENHITE LINHA DE ALTA TENSÃO LINHA DE BAIXA TENSÃO LINHA DE MÉDIA TENSÃO LINHA DE TRANSPORTE DE ENERGIA ELÉTRICA LIQUEFAÇÃO DE GÁS NATURAL LÍQUIDOS DE GÁS NATURAL LUBRIFICANTES

M
MADEIRA, RESÍDUOS DE MADEIRA E OUTROS RESÍDUOS SÓLIDOS MATÉRIA SUBSIDIÁRIA MATÉRIA VOLÁTIL MATÉRIA-PRIMA MÉDIA PRESSÃO

Página 81 de 176

http://geografismos.blogspot.com

CONCEITOS ESTATÍSTICOS VIGENTES ADOPTADOS PELO INSTITUTO NACIONAL DE ESTATÍSTICA FICHA INFORMATIVA

MÉDIA TENSÃO METANO METANOL MICROGERAÇÃO MICROPRODUÇÃO MICROPRODUTOR EÓLICO MICRO-TURBINA A GÁS MUITO ALTA TENSÃO

N
NAFTA Nm3 NÚMERO MÉDIO DE INTERRUPÇÕES DE GÁS NATURAL POR CLIENTE NÚMERO MÉDIO DE INTERRUPÇÕES DE GÁS NATURAL POR PONTO DE SAÍDA

O
OLEODUTO OPERADOR DA REDE DE DISTRIBUIÇÃO DE GÁS NATURAL OPERADOR DA REDE DE TRANSPORTE DE GÁS NATURAL OPERADOR DE ARMAZENAMENTO SUBTERRÂNEO DE GÁS NATURAL OPERADOR LOGÍSTICO DE MUDANÇA DE COMERCIALIZADOR DE ENERGIA ELÉTRICA OUTROS PRODUTOS PETROLÍFEROS

P
PAINEL SOLAR FOTOVOLTAICO PAINEL SOLAR TÉRMICO PARAFINA PARQUE EÓLICO PELLETS PERDA DE GÁS NATURAL PERDA DE TRANSPORTE E DISTRIBUIÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA PERÍODOS HORO-SAZONAIS DE ENERGIA ELÉTRICA PETRÓLEO BRUTO PODER CALORÍFICO PODER CALORÍFICO INFERIOR PODER CALORÍFICO SUPERIOR PONTA POSTO DE ENCHIMENTO DE GÁS NATURAL POSTO DE REDUÇÃO E MEDIDA DE GÁS NATURAL POSTO DE TRANSFORMAÇÃO POTÊNCIA APARENTE POTÊNCIA CONTRATADA POTÊNCIA GARANTIDA POTÊNCIA INSTALADA

Página 82 de 176

http://geografismos.blogspot.com

CONCEITOS ESTATÍSTICOS VIGENTES ADOPTADOS PELO INSTITUTO NACIONAL DE ESTATÍSTICA FICHA INFORMATIVA

POTÊNCIA MÁXIMA LÍQUIDA POSSÍVEL DE UMA CENTRAL POTÊNCIA NOMINAL PREÇOS A APLICAR PELOS COMERCIALIZADORES DE ENERGIA ELÉTRICA PROCESSO INDUSTRIAL PRODUÇÃO BRUTA DE ENERGIA ELÉTRICA PRODUÇÃO EM REGIME ESPECIAL PRODUÇÃO LÍQUIDA DE ENERGIA ELÉTRICA PRODUTIBILIDADE ANUAL DE UM PARQUE EÓLICO PRODUTIBILIDADE DE UM APROVEITAMENTO HIDROELÉTRICO PRODUTIBILIDADE HIDROELÉTRICA PRODUTO SECUNDÁRIO COMUM PRODUTO SECUNDÁRIO EXCLUSIVO PRODUTO SEMI-ACABADO

Q
QUANTIDADE DE PRODUTOS VENDIDOS QUANTIDADES PRODUZIDAS DOS PRODUTOS FABRICADOS QUANTIDADES PRODUZIDAS PARA INTRACONSUMO

R
RAMAIS DE DISTRIBUIÇÃO DE GÁS NATURAL REDE DE DISTRIBUIÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA REDE DE DISTRIBUIÇÃO DE GÁS NATURAL REDE DE DISTRIBUIÇÃO LOCAL DE GÁS NATURAL REDE DE DISTRIBUIÇÃO REGIONAL DE GÁS NATURAL REDE DE GÁS NATURAL REDE DE TRANSPORTE DE ENERGIA ELÉTRICA REDE DE TRANSPORTE DE GÁS NATURAL REDE ELÉTRICA REDE NACIONAL DE DISTRIBUIÇÃO DE GÁS NATURAL REDE NACIONAL DE TRANSPORTE DE GÁS NATURAL REDE NACIONAL DE TRANSPORTE, INFRAESTRUTURAS DE ARMAZENAMENTO E TERMINAIS DE GÁS NATURAL REDE PÚBLICA DE GÁS NATURAL RENDIMENTO ELÉTRICO EQUIVALENTE RENDIMENTO ENERGÉTICO RENDIMENTO TÉRMICO LÍQUIDO RENDIMENTOS DE SUBCONTRATAÇÃO RESERVA GEOLÓGICA RESERVATÓRIO DE GÁS RESÍDUOS SÓLIDOS RESÍDUOS SÓLIDOS URBANOS NÃO RENOVÁVEIS RESÍDUOS SÓLIDOS URBANOS RENOVÁVEIS ROTULAGEM DE ENERGIA ELÉTRICA

Página 83 de 176

http://geografismos.blogspot.com

CONCEITOS ESTATÍSTICOS VIGENTES ADOPTADOS PELO INSTITUTO NACIONAL DE ESTATÍSTICA FICHA INFORMATIVA

S
SAIDI SAIFI SAL MARINHO ( OUTRO ) SAL MARINHO TRADICIONAL SALGADO SALINA SERVIÇOS DE SISTEMA SERVIÇOS INDUSTRIAIS SISTEMA DE DISTRIBUIÇÃO DE GÁS NATURAL SISTEMA DE TRANSPORTE DE GÁS NATURAL SUBESTAÇÃO SUBESTAÇÃO AT/MT SUBESTAÇÃO MT/MT SUCESSO NOS ARRANQUES NUMA CENTRAL TÉRMICA

T
TARIFA BI-HORÁRIA DE ELETRICIDADE TARIFA SIMPLES DE ELETRICIDADE TARIFA SOCIAL DE ELETRICIDADE TARIFA TRI-HORÁRIA DE ELETRICIDADE TARIFAS A APLICAR PELOS COMERCIALIZADORES DE ÚLTIMO RECURSO TEMPO DE INTERRUPÇÃO EQUIVALENTE DE POTÊNCIA INSTALADA TENSÃO NOMINAL TENSÃO PRIMÁRIA TENSÃO SECUNDÁRIA TERMINAL DE GÁS NATURAL TERMINAL METANEIRO TERMINAL OCEÂNICO TERMINAL PETROLÍFERO TERMOACUMULADOR TERMÓSTATO TONELADA EQUIVALENTE DE PETRÓLEO TRANSFORMAÇÃO ( PRODUÇÃO ) TRANSFORMADOR TRANSPORTE DE GÁS NATURAL TRATAMENTO TURBINA

U
UNIDADE AUTÓNOMA DE GÁS NATURAL UTILIZAÇÃO DA POTÊNCIA LÍQUIDA DISPONÍVEL

Página 84 de 176

http://geografismos.blogspot.com

CONCEITOS ESTATÍSTICOS VIGENTES ADOPTADOS PELO INSTITUTO NACIONAL DE ESTATÍSTICA FICHA INFORMATIVA

V
VARIÁVEIS DE FATURAÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA VOLUME AFLUENTE TOTAL A UM APROVEITAMENTO HIDROELÉTRICO

W
WATT WHITE SPIRIT

Página 85 de 176

http://geografismos.blogspot.com

CONCEITOS ESTATÍSTICOS VIGENTES ADOPTADOS PELO INSTITUTO NACIONAL DE ESTATÍSTICA FICHA INFORMATIVA

INOVAÇÃO E CONHECIMENTO: 235 REGISTOS

A
ACESSO À REDE DIGITAL COM INTEGRAÇÃO DE SERVIÇOS ACESSO DEDICADO ACREDITAÇÃO DE ESTABELECIMENTO DE ENSINO SUPERIOR ACREDITAÇÃO DE UM CICLO DE ESTUDOS ADSL AGREGAÇÃO ASSINANTES DO SERVIÇO DE CHAMADA DE PESSOAS ( PAGING ) ASSINANTES DO SERVIÇO DE COMUTAÇÃO POR PACOTES ASSINANTES DO SERVIÇO MÓVEL TERRESTRE ASSINATURA ELETRÓNICA ASYNCHRONOUS TRANSFER MODE ATIVIDADES CIENTÍFICAS E TECNOLÓGICAS ATIVIDADES DE INOVAÇÃO AUTENTICAÇÃO DE IDENTIDADE

B
BACKUP BANDA ESTREITA BANDA LARGA BENS E SERVIÇOS EM TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E DA COMUNICAÇÃO BLOG BROWSER

C
CARREIRA INFORMÁTICA CARTÃO SIM CERTIFICADO DE CONFIANÇA CHAT CIBERCAFÉ CIRCUITO DEDICADO CIRCUITOS ALUGADOS PARA USO PRIVATIVO CLIENTE COMÉRCIO BUSINESS TO BUSINESS ( B2B ) COMÉRCIO ELETRÓNICO COMPACT DISC COMPRESSÃO DE FICHEIROS COMPUTADOR ADAPTADO A CIDADÃOS COM NECESSIDADES ESPECIAIS COMPUTADOR OU POSTO COM LIGAÇÃO INDIVIDUAL COMPUTADOR PESSOAL

Página 86 de 176

http://geografismos.blogspot.com

CONCEITOS ESTATÍSTICOS VIGENTES ADOPTADOS PELO INSTITUTO NACIONAL DE ESTATÍSTICA FICHA INFORMATIVA

COMPUTADOR PORTÁTIL COMPUTADORES OU POSTOS PARTILHANDO UMA LIGAÇÃO COMUNICAÇÕES WIRELESS COMUNIDADES VIRTUAIS CONFORMIDADE COM O NÍVEL A CONFORMIDADE COM O NÍVEL AA CONFORMIDADE COM O NÍVEL AAA CONSULTA PÚBLICA ONLINE COOPERAÇÃO PARA A INOVAÇÃO CORREIO ELETRÓNICO CUSTOMER RELATIONSHIP MANAGEMENT

D
DENIAL OF SERVICE DESENVOLVIMENTO EXPERIMENTAL ( DE ) DESPESA COM AQUISIÇÃO DE HARDWARE DESPESA COM AQUISIÇÃO DE SERVIÇOS DE INFORMÁTICA DESPESA COM AQUISIÇÃO DE SOFTWARE INFORMÁTICO DESPESA COM COMUNICAÇÕES DESPESA COM FORMAÇÃO EM TIC DESPESA EM INOVAÇÃO DESPESA EXTRAMUROS COM AS ATIVIDADES DE INVESTIGAÇÃO E DESENVOLVIMENTO DESPESA INTRAMUROS COM AS ATIVIDADES DE INVESTIGAÇÃO E DESENVOLVIMENTO DESPESAS INTRAMUROS CORRENTES COM AS ATIVIDADES DE INVESTIGAÇÃO E DESENVOLVIMENTO DESPESAS INTRAMUROS DE CAPITAL COM ATIVIDADES DE INVESTIGAÇÃO E DESENVOLVIMENTO DIGITAL SUBSCRIBER LINE DIGITAL VIDEO DISC DOWNLOAD

E
E-book e-LEARNING ELECTRONIC DATA INTERCHANGE ELECTRONIC DATA INTERCHANGE FOR ADMINISTRATION, COMMERCE AND TRANSPORT e-MARKETPLACES ENCRIPTAÇÃO ENHANCED DATA RATES FOR GSM/DCS EVOLUTION ENTERPRISE RESOURSE PLANNING e-Procurement EQUIVALENTE A TEMPO INTEGRAL ESPAÇO INTERNET ESTABELECIMENTO DE ENSINO NÃO SUPERIOR ESTAÇÃO METEOROLÓGICA ETHERNET EXTRANET

Página 87 de 176

http://geografismos.blogspot.com

CONCEITOS ESTATÍSTICOS VIGENTES ADOPTADOS PELO INSTITUTO NACIONAL DE ESTATÍSTICA FICHA INFORMATIVA

F
FATURA ELETRÓNICA FIBRA ÓTICA FICHEIRO FILTRO ANTI-SPAM FILTRO DE SEGURANÇA FIREWALL FOLHA DE CÁLCULO FORMULÁRIO PARA DOWNLOAD FORMULÁRIO PARA PREENCHIMENTO ONLINE FRAME- RELAY

G
GENERAL PACKET RADIO SERVICE GLOBAL SYSTEM FOR MOBILE COMMUNICATIONS ( GSM ) GPS

H
HARDWARE HIGH-SPEED DOWNLINK PACKET ACCESS HOMEPAGE HOTSPOT

I
IMAGIOLOGIA INCUBADORA INOVAÇÃO INOVAÇÃO DE MARKETING INOVAÇÃO DE PROCESSO INOVAÇÃO DE PRODUTO INOVAÇÃO ORGANIZACIONAL INTERNET INTERNET BANKING INTRANET INVESTIGAÇÃO APLICADA ( IA ) INVESTIGAÇÃO E DESENVOLVIMENTO INVESTIGAÇÃO FUNDAMENTAL ( IF ) INVESTIGADORES

K
KBPS OU KBITS/S

Página 88 de 176

http://geografismos.blogspot.com

CONCEITOS ESTATÍSTICOS VIGENTES ADOPTADOS PELO INSTITUTO NACIONAL DE ESTATÍSTICA FICHA INFORMATIVA

L
LABORATÓRIO DE INVESTIGAÇÃO CIENTÍFICA LEASING FINANCEIRO LEITOR PORTÁTIL DE ÁUDIO DIGITAL LIGAÇÃO ANALÓGICA LIGAÇÃO POR CABO LIGAÇÃO POR SATÉLITE LINGUAGEM DE 4ª GERAÇÃO LINGUAGEM DE PROGRAMAÇÃO LINGUAGEM XML LOCAL AREA NETWORK LOCAL DE ACESSO À INTERNET- NÃO GRATUITO LOCAL DE ACESSO GRATUITO À INTERNET

M
MARCA REGISTADA MEGABITS MERCADO TECNOLÓGICO NA INTERNET MESSENGER MINI-COMPUTADOR MINITEL MISTIFICAÇÃO DA INTERFACE MISTIFICAÇÃO DO DESTINO MMS MODELO DE UTILIDADE MODEM MOTOR DE BUSCA MP3 MULTIBANCO MULTIMÉDIA

N
NEGAÇÃO DE SERVIÇO NEGÓCIO ELETRÓNICO NEWSGROUPS NÚMERO DE IDENTIFICAÇÃO PESSOAL

O
OFFLINE ONLINE OUTRAS ATIVIDADES CIENTÍFICAS E TÉCNICAS ( OAC&T ) OUTRO PESSOAL DE APOIO ÀS ATIVIDADES DE I&D

Página 89 de 176

http://geografismos.blogspot.com

CONCEITOS ESTATÍSTICOS VIGENTES ADOPTADOS PELO INSTITUTO NACIONAL DE ESTATÍSTICA FICHA INFORMATIVA

P
PAGAMENTO ONLINE PAGER PAGING PARQUE TECNOLÓGICO PASSWORD PASTA PATENTE PEER - TO - PEER PEN DRIVE PERSONAL DIGITAL ASSISTANT PESSOAL EM ATIVIDADES DE INVESTIGAÇÃO E DESENVOLVIMENTO PESSOAL EM TEMPO INTEGRAL EM ATIVIDADES DE I&D PESSOAL EM TEMPO PARCIAL EM ATIVIDADES DE I&D PESSOAL TÉCNICO EM ATIVIDADES DE I&D PESSOAL TIC PHARMING PHISHING Podcast PORTAL POWER LINE COMMUNICATIONS PRESCRIÇÃO ELETRÓNICA PRESENÇA NA INTERNET PROCESSADOR DE TEXTO PROGRAMA INFORMÁTICO PROJETO DE INVESTIGAÇÃO E DESENVOLVIMENTO PROTOCOLO TCP/IP PROTOCOLO FTP PROTOCOLO HTTP PROTOCOLO WAP

R
REDE DE INFORMAÇÃO DA SAÚDE REDE DIGITAL COM INTEGRAÇÃO DE SERVIÇOS REDE ELETRÓNICA QUE NÃO A INTERNET REDE PRÓPRIA EXCLUSIVA REDE SOCIAL REDE VIRTUAL PRIVADA REGISTO DE DESENHO INDUSTRIAL RENTING RESERVA ONLINE ROAMING

Página 90 de 176

http://geografismos.blogspot.com

CONCEITOS ESTATÍSTICOS VIGENTES ADOPTADOS PELO INSTITUTO NACIONAL DE ESTATÍSTICA FICHA INFORMATIVA

S
SATÉLITE Secure HTTP SECURE SOCKET LAYER/TRANSPORT LAYER SECURITY ( SSL/TLS ) SERVIÇOS DE SALVAMENTO SERVIDOR SERVIDOR SEGURO SETOR DE EXECUÇÃO DAS EMPRESAS SETOR DE EXECUÇÃO DAS INSTITUIÇÕES PRIVADAS SEM FINS LUCRATIVOS SETOR DE EXECUÇÃO DO ENSINO SUPERIOR SETOR DE EXECUÇÃO DO ESTADO SETOR DO ESTRANGEIRO SET-TOP BOX SHAREWARE SHORT MESSAGE SERVICE SIMPLE MAIL TRANSFER PROTOCOL SISTEMA OPERATIVO SITE NA INTERNET DAS AUTORIDADES/SERVIÇOS PÚBLICOS SOFTWARE SOFTWARE ALERT SOFTWARE ANTIVÍRUS SOFTWARE DE CONTROLO PARENTAL SOFTWARE DE FONTE ABERTA SOFTWARE DE PUBLICIDADE NÃO SOLICITADA ( ADWARE ) SPAM SPYWARE

T
TECNOLOGIA RSS TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO TECNOLOGIAS DE IDENTIFICAÇÃO POR RADIOFREQUÊNCIA TELECARDIOLOGIA TELECIRURGIA TELECONSULTA TELECUIDADOS AO DOMICÍLIO TELEDIAGNÓSTICO TELEMEDICINA TELEMONITORIZAÇÃO TELEMÓVEL COM LIGAÇÃO À INTERNET TELEVISÃO TERMINAL TERMINAL INTERNET

U
UNIDADE ESTATÍSTICA ( EM ATIVIDADES CIENTÍFICAS E TECNOLÓGICAS )

Página 91 de 176

http://geografismos.blogspot.com

CONCEITOS ESTATÍSTICOS VIGENTES ADOPTADOS PELO INSTITUTO NACIONAL DE ESTATÍSTICA FICHA INFORMATIVA

UNIVERSAL MOBILE TELECOMMUNICATIONS SYSTEM UNIVERSAL SERIAL BUS

V
VALORIZAÇÃO DE RESULTADOS DE I&D VIDEOCONFERÊNCIA VÍRUS

W
WEBCAM WEBSITE WIDE AREA NETWORK WIKI WIRELESS FIDELITY WIRELESS LAN WORLD WIDE WEB WORLDWIDE INTEROPERABILITY FOR MICROWAVE ACCESS

Página 92 de 176

http://geografismos.blogspot.com

CONCEITOS ESTATÍSTICOS VIGENTES ADOPTADOS PELO INSTITUTO NACIONAL DE ESTATÍSTICA FICHA INFORMATIVA

JUSTIÇA: 431 REGISTOS

A
ABSOLVIÇÃO ABSOLVIÇÃO DA INSTÂNCIA ABSOLVIÇÃO DO PEDIDO ABSOLVIÇÃO DO RÉU DA INSTÂNCIA ABUSO DE CONFIANÇA AÇÃO AÇÃO ORDINÁRIA AÇÃO ADMINISTRATIVA COMUM AÇÃO ADMINISTRATIVA ESPECIAL AÇÃO DECLARATIVA AÇÃO EXECUTIVA AÇÃO EXECUTIVA COMUM AÇÃO EXECUTIVA ESPECIAL AÇÃO PARA RECONHECIMENTO DE DIREITO OU INTERESSE LEGÍTIMO AÇÃO PENAL AÇÃO POPULAR AÇÃO SUMÁRIA AÇÃO SUMARÍSSIMA AÇÃO/PROCESSO ESPECIAL ( CÍVEL E CRIME ) ACIDENTE DE TRABALHO ( AÇÃO DE ) ACONSELHAMENTO JURÍDICO ACORDÃO ACORDO DE CREDORES ACORDO EXTRAORDINÁRIO ACUSAÇÃO ADMOESTAÇÃO ADOÇÃO ADOÇÃO PLENA ADOÇÃO RESTRITA ADOPÇAO ADVOGADO ADVOGADO ESTAGIÁRIO AGENTE DE EXECUÇÃO AGRAVO AGRESSÃO AGRUPAMENTO COMPLEMENTAR DE EMPRESAS AGRUPAMENTO EUROPEU DE INTERESSE ECONÓMICO ALIENAÇÃO ALIMENTOS ALTERAÇÃO DO CAPITAL SOCIAL ALUGUER AMEAÇA

Página 93 de 176

http://geografismos.blogspot.com

CONCEITOS ESTATÍSTICOS VIGENTES ADOPTADOS PELO INSTITUTO NACIONAL DE ESTATÍSTICA FICHA INFORMATIVA

AMNISTIA ANATOMIA PATOLÓGICA FORENSE ANULAÇÃO DA PERFILHAÇÃO APELAÇÃO APOIO À VÍTIMA APOIO JUDICIÁRIO APOIO PSICOLÓGICO (EM CONTEXTO DE APOIO À VÍTIMA) APOLOGIA PÚBLICA DO CRIME ARBITRAGEM ARGUIDO ARMA ARMA BRANCA ARMA DE FOGO ARQUIVAMENTO ARRENDAMENTO ARRESTO ASSALTANTE ASSALTO ASSENTOS ( REGISTO CIVIL ) ASSESSOR DE JUSTIÇA ASSISTÊNCIA JUDICIÁRIA ASSISTENTE ASSOCIAÇÃO ASSOCIAÇÃO CRIMINOSA ASSOCIAÇÃO DE REGANTES E BENEFICIÁRIOS ASSOCIAÇÃO ESTRANGEIRA ATAQUE TERRORISTA ATO ADMINISTRATIVO ATO CRIMINOSO ATO DE LIQUIDAÇÃO AUDIÊNCIA DE DISCUSSÃO E JULGAMENTO AUDITOR DE JUSTIÇA AUSENTE AUTO DE NOTÍCIA AUTODEFESA AUTOR AUTOR DO CRIME AUTORIDADE POLICIAL AUTORIZAÇÃO AVERBAMENTOS AVERIGUAÇÃO OFICIOSA DA MATERNIDADE/PATERNIDADE

B
BENS COMUNS

Página 94 de 176

http://geografismos.blogspot.com

CONCEITOS ESTATÍSTICOS VIGENTES ADOPTADOS PELO INSTITUTO NACIONAL DE ESTATÍSTICA FICHA INFORMATIVA

C
CAPITAL SOCIAL ( Direito Comercial ) CARTÓRIO NOTARIAL CERTIDÃO CERTIDÃO NARRATIVA CERTIFICADO DE ADMISSIBILIDADE DE FIRMA OU DENOMINAÇÃO CHEQUE CIRCULO CLÍNICA MÉDICO-LEGAL COIMA COMARCA COMERCIANTE INDIVIDUAL COMPANHEIRA/O COMPENSAÇÃO FINANCEIRA COMPETÊNCIA POR CONEXÃO ( EM PROCESSO TUTELAR CÍVEL ) COMPORTAMENTO ABUSIVO CONCESSIONÁRIO CONCILIAÇÃO CONCORDATA CONCORDATA PARTICULAR CONDENAÇÃO DO RÉU NO PEDIDO CONDENADO CONDUÇÃO PERIGOSA DE VEÍCULO RODOVIÁRIO CONFEDERAÇÃO DE COOPERATIVAS CONFIANÇA JUDICIAL DE MENOR CONFIRMAÇÃO DE ATOS CONFLITOS DE COMPETÊNCIA CONFLITOS DE JURISDIÇÃO CONSERVATÓRIA CONSULTA JURÍDICA CONTRAORDENAÇÃO CONTRATO CONTRATO ADMINISTRATIVO CONTRATO DE COMPRA E VENDA CONTRATO DE SEGURO CONTRAVENÇÃO CONTUMÁCIA COOPERATIVA COOPERATIVA DE RESPONSABILIDADE ILIMITADA COOPERATIVA DE RESPONSABILIDADE LIMITADA COOPERATIVA EM COMANDITA CREDOR CRIME CRIME REGISTADO CUMULAÇÃO DE PEDIDOS ( NO CONTENCIOSO ADMINISTRATIVO ) CURA COM DESVALORIZAÇÃO CURA SEM DESVALORIZAÇÃO CURADOR DE MENORES

Página 95 de 176

http://geografismos.blogspot.com

CONCEITOS ESTATÍSTICOS VIGENTES ADOPTADOS PELO INSTITUTO NACIONAL DE ESTATÍSTICA FICHA INFORMATIVA

CURADOR ESPECIAL CURADORIA CUSTAS JUDICIAIS

D
DAÇÃO EM CUMPRIMENTO DANO DANO CAUSADO À PROPRIEDADE DANO CONTRA A NATUREZA DEPRECADA DESERÇÃO DA INSTÂNCIA DESERÇÃO MILITAR DESISTÊNCIA DA INSTÂNCIA DESISTÊNCIA DA QUEIXA DESISTÊNCIA DO PEDIDO DESOBEDIÊNCIA DESPACHO DESPEJO DEVEDOR DIREITO DE AUTOR DIREITOS DE PERSONALIDADE DISTRIBUIÇÃO DIVÓRCIO DOAÇÃO DOENÇA PROFISSIONAL ( AÇÃO DE ) DOMÍNIO PÚBLICO ( ACEÇÃO INSTITUCIONAL ) DOMÍNIO PÚBLICO ( ACEÇÃO OBJETIVA ) DROGA

E
EMBARGO DE EXECUTADO EMBARGO DE TERCEIRO EMPREITADA EMPRESA INTERMUNICIPAL EMPRESA METROPOLITANA ( EMT ) EMPRESA MUNICIPAL EMPRESA PÚBLICA EMPRESA PÚBLICA ESTRANGEIRA EMPRESÁRIO EM NOME INDIVIDUAL ENRIQUECIMENTO SEM CAUSA ENTIDADE EMPRESARIAL INTERMUNICIPAL ( EEIM ) ENTIDADE EMPRESARIAL METROPOLITANA ( EEMT ) ENTIDADE EMPRESARIAL MUNICIPAL ( EEM ) ENTIDADE EQUIPARADA A PESSOA COLETIVA ENTIDADE EQUIPARADA A PESSOA COLETIVA ESTRANGEIRA ESCRITURA PÚBLICA

Página 96 de 176

http://geografismos.blogspot.com

CONCEITOS ESTATÍSTICOS VIGENTES ADOPTADOS PELO INSTITUTO NACIONAL DE ESTATÍSTICA FICHA INFORMATIVA

ESTABELECIMENTO INDIVIDUAL DE RESPONSABILIDADE LIMITADA ETIOLOGIA MÉDICO-LEGAL ( da morte ) EVASÃO DE PRESO EXECUÇÃO EXECUÇÃO ( EM CONTENCIOSO ADMINISTRATIVO ) EXECUÇÃO COMUM EXECUÇÃO DE JULGADOS EXECUÇÃO ESPECIAL EXECUÇÃO ORDINÁRIA EXECUTADO EXEQUENTE EXPULSÃO JUDICIAL EXTORSÃO EXTRATO DE FATURA

F
FALÊNCIA FEDERAÇÃO DE COOPERATIVAS FILIAÇÃO FISCALIZAÇÃO PREVENTIVA FISCALIZAÇÃO SUCESSIVA FORMA JURÍDICA FUNDAÇÃO FUNDAÇÃO ESTRANGEIRA FURTO FURTO QUALIFICADO FURTO SIMPLES

G
GENÉTICA E BIOLOGIA FORENSE GESTÃO CONTROLADA GESTÃO DE NEGÓCIOS ALHEIOS

H
HABEAS CORPUS HABILITAÇÃO ( DIREITO CIVIL; PROCESSO CIVIL; NOTARIADO ) HEMATOMA HERANÇA HERDEIRO HIPOTECA

I
IMPOSSIBILIDADE/INUTILIDADE E SUPERVENIENTE DA LIDE

Página 97 de 176

http://geografismos.blogspot.com

CONCEITOS ESTATÍSTICOS VIGENTES ADOPTADOS PELO INSTITUTO NACIONAL DE ESTATÍSTICA FICHA INFORMATIVA

IMPUGNAÇÃO DE ATO ADMINISTRATIVO INCAPAZ INCOMPETÊNCIA DO TRIBUNAL INCONSTITUCIONALIDADE POR OMISSÃO INDEFERIMENTO LIMINAR INDEMNIZAÇÃO INDULTO INIMPUTABILIDADE INQUÉRITO ( EM PROCESSO CRIME ) INSCRIÇÃO INSOLVÊNCIA INSTÂNCIA INSTIGAÇÃO PÚBLICA DO CRIME INSTITUIÇÕES SEM FINS LUCRATIVOS INSTRUÇÃO ( EM PROCESSO CRIME ) INTIMAÇÃO PARA UM COMPORTAMENTO INVENTÁRIO

J
JULGAMENTO JULGAMENTO EM FORMAÇÃO ALARGADA JUSTIFICAÇÃO ADMINISTRATIVA JUSTIFICAÇÃO JUDICIAL JUSTIFICAÇÃO NOTARIAL

L
LEASING FINANCEIRO LEGATÁRIO LEGÍTIMA DEFESA LESADO LESÃO FÍSICA LETRA LIBERALIDADE LIBERDADE CONDICIONAL LIVRANÇA LOCAÇÃO FINANCEIRA ( LEASING )

M
MAGISTRATURA ( ORGANIZAÇÃO JUDICIÁRIA ) MAGISTRATURA DO MINISTÉRIO PÚBLICO ( ORGANIZAÇÃO JUDICIÁRIA ) MAGISTRATURA JUDICIAL ( ORGANIZAÇÃO JUDICIÁRIA ) MANDADO ( NOS TRIBUNAIS TRIBUTÁRIOS ) MANDADO ( SUPREMO TRIBUNAL ADMINISTRATIVO ) MEDIDA DE SEGURANÇA

Página 98 de 176

http://geografismos.blogspot.com

CONCEITOS ESTATÍSTICOS VIGENTES ADOPTADOS PELO INSTITUTO NACIONAL DE ESTATÍSTICA FICHA INFORMATIVA

MEIOS ALTERNATIVOS DE RESOLUÇÃO DE CONFLITOS MEIOS PROCESSUAIS ACESSÓRIOS MINISTÉRIO PÚBLICO MOTIM MOTIM DE PRESOS MULTA MÚTUO

N
NOTIFICAÇÃO NULIDADE

O
OBJETO CONTUNDENTE OBJETO DA AÇÃO OBJETO DO PROCESSO OFENDIDO ONERAÇÃO OPOSIÇÃO À EXECUÇÃO OPOSIÇÃO À PENHORA OPOSIÇÃO DE TERCEIRO OPOSIÇÃO E IMPUGNAÇÃO ( AO INVENTÁRIO ) ORGANISMO DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA ORGANISMO SEM FIM LUCRATIVO ORGANIZAÇÃO TERRORISTA ( NACIONAL )

P
PÂNICO PARTILHA PATROCÍNIO JUDICIÁRIO PATROCÍNIO OFICIOSO PECULATO PENA RELATIVAMENTE INDETERMINADA PENHORA PERIGO RELATIVO A ANIMAIS PESSOA COLETIVA PESSOA COLETIVA DE DIREITO PÚBLICO PESSOA COLETIVA EM FORMAÇÃO PESSOA COLETIVA INTERNACIONAL PESSOA COLETIVA RELIGIOSA PODER PATERNAL POSSE DE ESTADO ( DECLARAÇÃO DE INEXISTÊNCIA ) PRAZO INTERNUPCIAL PRÉDIO RÚSTICO ( Código Civil )

Página 99 de 176

http://geografismos.blogspot.com

CONCEITOS ESTATÍSTICOS VIGENTES ADOPTADOS PELO INSTITUTO NACIONAL DE ESTATÍSTICA FICHA INFORMATIVA

PRÉDIO URBANO PRESCRIÇÃO PRESTAÇÃO DE FACTO PRISÃO PRISÃO POR DIAS LIVRES PRISÃO PREVENTIVA PRISÃO SUBSTITUÍDA PRISÃO SUSPENSA PROCEDÊNCIA/IMPRODÊNCIA DA AÇÃO PROCESSO PROCESSO ABREVIADO PROCESSO CAUTELAR PROCESSO CAUTELAR DE INIBIÇÃO PROCESSO COMPLEMENTAR PROCESSO CRIME COMUM PROCESSO DE AÇÃO CAUTELAR PROCESSO DE IMPUGNAÇÃO DE NORMAS PROCESSO DE IMPUGNAÇÃO FISCAL PROCESSO DE PROMOÇÃO E PROTEÇÃO PROCESSO DE SEGURANÇA PROCESSO ESPECIAL DE DERROGAÇÃO DO SIGILO BANCÁRIO PROCESSO EXECUTIVO COMUM PROCESSO EXECUTIVO ESPECIAL PROCESSO FINDO PROCESSO GRACIOSO PROCESSO ORDINÁRIO PROCESSO SUMÁRIO PROCESSO SUMARÍSSIMO PROCESSO SUPLETIVO PROCESSO TUTELAR PROCESSO TUTELAR CÍVEL PROCESSO TUTELAR EDUCATIVO PROCESSO URGENTE ( NO CONTENCIOSO ADMINISTRATIVO ) PROCESSO-CRIME PRONÚNCIA PROPRIEDADE HORIZONTAL PROPRIEDADE INTELECTUAL PROTESTO PROVIDÊNCIA CAUTELAR/PROCEDIMENTO CAUTELAR PSIQUIATRIA FORENSE PÚBLICA-FORMA

Q
QUITAÇÃO

Página 100 de 176

http://geografismos.blogspot.com

CONCEITOS ESTATÍSTICOS VIGENTES ADOPTADOS PELO INSTITUTO NACIONAL DE ESTATÍSTICA FICHA INFORMATIVA

R
REABILITAÇÃO JUDICIAL RECETAÇÃO RECLAMAÇÃO RECONCILIAÇÃO DOS CÔNJUGES SEPARADOS RECORRENTE RECORRIDO RECUPERAÇÃO DE EMPRESA RECURSO RECURSO " PER SALTUM " RECURSO CONTENCIOSO RECURSO DE DECISÕES OU RECURSO DE DECISÕES JURISDICIONAIS RECURSO EXTRAORDINÁRIO RECURSO HIERÁRQUICO RECURSO JURISDICIONAL RECURSO ORDINÁRIO RECURSO PARA FIXAÇÃO DE JURISPRUDÊNCIA RECURSO PARA O TRIBUNAL PLENO RECURSO PARA UNIFORMIZAÇÃO DE JURISPRUDÊNCIA REENVIO PREJUDICIAL PARA O SUPREMO TRIBUNAL ADMINISTRATIVO REESTRUTURAÇÃO FINANCEIRA REGISTO REGISTO AUTOMÓVEL REGISTO CIVIL REGISTO COMERCIAL REGISTO PREDIAL REINCIDÊNCIA RELAÇÃO SEXUAL FORÇADA RELATÓRIO SOCIAL REMIÇÃO DE PENSÕES RENDA RENTING REPRESENTAÇÃO DE PESSOA COLETIVA INTERNACIONAL REPRESENTANTE LEGAL RESPONSABILIDADE CIVIL RESPONSABILIDADE CRIMINAL RETIFICAÇÃO DO REGISTO RÉU REVISÃO REVISÃO DA INCAPACIDADE OU PENSÃO REVISTA ROUBO

S
SEMIDETENÇÃO SENTENÇA SEPARAÇÃO DE PESSOAS E BENS

Página 101 de 176

http://geografismos.blogspot.com

CONCEITOS ESTATÍSTICOS VIGENTES ADOPTADOS PELO INSTITUTO NACIONAL DE ESTATÍSTICA FICHA INFORMATIVA

SEPARAÇÃO JUDICIAL DE BENS SERVIÇO DE SEGURANÇA SOCIAL SERVIÇOS DE APOIO À VÍTIMA SINGULARIZAÇÃO DO JULGAMENTO SOCIEDADE ANÓNIMA SOCIEDADE ANÓNIMA DESPORTIVA SOCIEDADE ANÓNIMA EUROPEIA ( SE ) SOCIEDADE CIVIL SOCIEDADE CIVIL ESTRANGEIRA SOCIEDADE CIVIL SOB FORMA COMERCIAL SOCIEDADE CIVIL SOB FORMA COMERCIAL ESTRANGEIRA SOCIEDADE COMERCIAL SOCIEDADE COMERCIAL ESTRANGEIRA SOCIEDADE EM COMANDITA SOCIEDADE EM COMANDITA POR AÇÕES SOCIEDADE EM COMANDITA SIMPLES SOCIEDADE EM NOME COLETIVO SOCIEDADE IRREGULAR SOCIEDADE MÚTUA DE SEGUROS SOCIEDADE POR QUOTAS SOCIEDADE UNIPESSOAL POR QUOTAS SOLICITADOR SOLTEIRO SUBORNO SUBTRAÇÃO DE MENORES SUPRIMENTO DE NULIDADES SUPRIMENTO DO CONSENTIMENTO DE INCAPAZ OU AUSENTE SUSPEITO SUSPENSÃO PROVISÓRIA DO PROCESSO

T
TANATOLOGIA FORENSE TESTAMENTO TESTAMENTO CERRADO TESTAMENTO PÚBLICO TIRADA DE PRESO TÍTULO EXECUTIVO TOXICOLOGIA FORENSE TRÁFICO DE INFLUÊNCIAS TRANSAÇÃO TRANSGRESSÃO TRÂNSITO EM JULGADO TRIBUNAL TRIBUNAL COLETIVO ( PROCESSO CRIME ) TRIBUNAL DO JÚRI TRIBUNAL SINGULAR ( PROCESSO CRIME ) TUTELA TUTOR

Página 102 de 176

http://geografismos.blogspot.com

CONCEITOS ESTATÍSTICOS VIGENTES ADOPTADOS PELO INSTITUTO NACIONAL DE ESTATÍSTICA FICHA INFORMATIVA

U
UNIÃO DE COOPERATIVAS UNIÃO DE FACTO USUFRUTO USURPAÇÃO DE IDENTIDADE

V
VALOR DA CAUSA VALOR DOS BENS INVENTARIADOS VANDALISMO VERIFICAÇÃO E GRADUAÇÃO DE CRÉDITOS ( NO PROCESSO CIVIL ) VIOLAÇÃO VIOLAÇÃO DO SEGREDO DE JUSTIÇA VIOLÊNCIA DOMÉSTICA VIOLÊNCIA FÍSICA VIOLÊNCIA SEXUAL VÍTIMA VITIMAÇÃO

Página 103 de 176

http://geografismos.blogspot.com

CONCEITOS ESTATÍSTICOS VIGENTES ADOPTADOS PELO INSTITUTO NACIONAL DE ESTATÍSTICA FICHA INFORMATIVA

MERCADO DE TRABALHO: 157 REGISTOS

A
ABSENTISMO ACIDENTE DE TRABALHO ACIDENTE DE TRAJETO ACORDO COLETIVO DE TRABALHO ( ACT ) ACORDO DA EMPRESA ( AE ) AGENTE BIOLÓGICO ( PRESENTE EM COMPONENTES MATERIAIS DO TRABALHO ) AGENTE FÍSICO ( PRESENTE EM COMPONENTES MATERIAIS DO TRABALHO ) AGENTE QUÍMICO APRENDIZES APRENDIZES E PRATICANTES ARBITRAGEM ( EMPREGO E SALÁRIOS ) ASSÉDIO PSICOLÓGICO ASSÉDIO SEXUAL ASSOCIAÇÃO SINDICAL ASSOCIAÇÃO SINDICAL HORIZONTAL ASSOCIAÇÃO SINDICAL VERTICAL ASSOCIAÇÕES PROFISSIONAIS ATIVIDADE INDEPENDENTE ATIVIDADE PRINCIPAL DO INDIVÍDUO ATIVIDADE SECUNDÁRIA DO INDIVÍDUO

C
CADUCIDADE CANDIDATOS À COLOCAÇÃO EXTERNA CATEGORIA PATRONAL CESSAÇÃO DO CONTRATO DE TRABALHO CLASSIFICAÇÃO SÓCIO-ECONÓMICA COLOCAÇÕES COMISSÃO DE HIGIENE E SEGURANÇA NO TRABALHO COMISSÃO INTERSINDICAL COMISSÃO SINDICAL CONCILIAÇÃO CONDIÇÃO PERANTE O TRABALHO CONDIÇÃO PERANTE O TRABALHO MAIS FREQUENTE CONFEDERAÇÃO PATRONAL CONTRATO COLETIVO DE TRABALHO ( CCT ) CONTRATO DE TRABALHO TEMPORÁRIO CONTRATO DE UTILIZAÇÃO DE TRABALHO TEMPORÁRIO CONTRATO INDIVIDUAL DE TRABALHO CONTRIBUIÇÕES PATRONAIS PARA A SEGURANÇA SOCIAL E REGIMES ANÁLOGOS

Página 104 de 176

http://geografismos.blogspot.com

CONCEITOS ESTATÍSTICOS VIGENTES ADOPTADOS PELO INSTITUTO NACIONAL DE ESTATÍSTICA FICHA INFORMATIVA

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO CUSTO DA MÃO DE OBRA CUSTO DIRETO DA MÃO DE OBRA CUSTO INDIRETO DA MÃO DE OBRA CUSTOS COM SERVIÇOS DE CARÁTER SOCIAL CUSTOS DE FORMAÇÃO PROFISSIONAL

D
DELEGADO SINDICAL DESCANSO COMPENSATÓRIO DESEMPREGADO DESEMPREGADO À PROCURA DE NOVO EMPREGO DESEMPREGADO À PROCURA DO PRIMEIRO EMPREGO DESEMPREGADO COM DECLARAÇÃO PARA SUBSÍDIO DE DESEMPREGO DESEMPREGADO DE LONGA DURAÇÃO DESEMPREGADO DE LONGA DURAÇÃO DESEMPREGO INTERNO DESEMPREGO INVOLUNTÁRIO DESEMPREGO REGISTADO DESENCORAJADOS DESPEDIMENTO DESPEDIMENTO COLETIVO DIAS DE TRABALHO PERDIDOS DIRIGENTES DISPONIBILIDADE PARA TRABALHAR DIUTURNIDADE DOENÇA PROFISSIONAL DOMÉSTICO DURAÇÃO EFETIVA DE TRABALHO DURAÇÃO HABITUAL DE TRABALHO DURAÇÃO NORMAL DE TRABALHO DURAÇÃO TOTAL DO TRABALHO

E
EMPREGADO EMPREGADO INSCRITO NUM CENTRO DE EMPREGO EMPREGADOS EMPREGADOS ADMINISTRATIVOS, COMERCIAIS E DE SERVIÇOS EMPREGO VAGO EMPREGOS POR CONTA DE OUTRÉM EMPREGOS POR CONTA PRÓPRIA EMPRESA DE TRABALHO TEMPORÁRIO EMPRESA UTILIZADORA ENCARGOS CONVENCIONAIS, CONTRATUAIS E FACULTATIVOS C/SEG. SOC. E REG. ANÁLOGOS A CARGO ENTID. PATR. ENCARGOS LEGAIS PARA A SEGURANÇA SOCIAL E REGIMES ANÁLOGOS A CARGO DA ENTIDADE PATRONAL ENCARGOS SOBRE REMUNERAÇÕES

Página 105 de 176

http://geografismos.blogspot.com

CONCEITOS ESTATÍSTICOS VIGENTES ADOPTADOS PELO INSTITUTO NACIONAL DE ESTATÍSTICA FICHA INFORMATIVA

ENCARREGADOS, CONTRAMESTRES, MESTRES E CHEFES DE EQUIPA ENTIDADE EMPREGADORA ENTIDADE PATRONAL ENTRADAS DE PESSOAL POR CRIAÇÃO DE EMPREGOS ENTRADAS DE PESSOAL POR REINGRESSO DE SUSPENSÕES TEMPORÁRIAS ENTRADAS DE PESSOAL POR SUBSTITUIÇÃO DE TRABALHADORES EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO ESTAGIÁRIOS EXTENSÃO DA CONVENÇÃO EXTINÇÃO DO POSTO DE TRABALHO ( NA ÓTICA DA CONTRATAÇÃO )

F
FALTA PARA ASSISTÊNCIA A FILHO FALTA PARA ASSISTÊNCIA A NETO FEDERAÇÃO PATRONAL FEDERAÇÃO SINDICAL FUNDO DE GREVE

G
GANHO GREVE GREVE ATÍPICA GREVE CLÁSSICA GREVE COM OBJETIVOS NÃO ESTRITAMENTE PROFISSIONAIS GREVE COM OBJETIVOS PROFISSIONAIS GREVE CONTÍNUA GREVE DE EMPRESA GREVE DE SETOR OU DE PLURIEMPRESA GREVE DE SOLIDARIEDADE GREVE GERAL GREVE INTERMITENTE GREVE NÃO CONCRETIZADA

H
HIGIENE NO TRABALHO HORÁRIO DE TRABALHO HORÁRIO DE TRABALHO COM TURNOS ( FIXOS/ROTATIVOS ) HORÁRIO DE TRABALHO FIXO HORÁRIO DE TRABALHO FLEXÍVEL HORÁRIO DE TRABALHO REDUZIDO HORÁRIO IRREGULAR HORÁRIO MÓVEL HORAS DE AUSÊNCIA NÃO REMUNERADAS HORAS DE AUSÊNCIA REMUNERADAS

Página 106 de 176

http://geografismos.blogspot.com

CONCEITOS ESTATÍSTICOS VIGENTES ADOPTADOS PELO INSTITUTO NACIONAL DE ESTATÍSTICA FICHA INFORMATIVA

HORAS EFETIVAMENTE TRABALHADAS HORAS EXTRAORDINÁRIAS HORAS EXTRAORDINÁRIAS NÃO REMUNERADAS HORAS EXTRAORDINÁRIAS REMUNERADAS HORAS REMUNERADAS NORMAIS

I
INATIVIDADE TEMPORÁRIA INATIVO INATIVO À PROCURA DE EMPREGO INATIVO DISPONÍVEL INCAPACIDADE PARA TRABALHAR INDEMNIZAÇÃO POR DESPEDIMENTO INDISPONÍVEL TEMPORARIAMENTE INSTRUMENTO DE REGULAMENTAÇÃO COLETIVA DE TRABALHO ( IRCT ) INTENSIDADE LABORAL ISENÇÃO DE HORÁRIO

L
LESÃO PROFISSIONAL LICENÇA PARA ASSISTÊNCIA A FILHO COM DEFICIÊNCIA OU DOENÇA CRÓNICA LICENÇA PARENTAL LICENÇA PARENTAL ALARGADA LICENÇA PARENTAL INICIAL LICENÇA PARENTAL INICIAL DE UM PROGENITOR EM CASO DE IMPOSSIBILIDADE DO OUTRO LICENÇA PARENTAL INICIAL EXCLUSIVA DA MÃE LICENÇA PARENTAL INICIAL EXCLUSIVA DO PAI LICENÇA POR ADOÇÃO LICENÇA POR ADOÇÃO EM CASO DE LICENÇA PARENTAL ALARGADA LICENÇA POR INTERRUPÇÃO DA GRAVIDEZ LICENÇA POR RISCO CLÍNICO DURANTE A GRAVIDEZ LICENÇA POR RISCOS ESPECÍFICOS

M
MÃO DE OBRA MEDIAÇÃO MEDICINA DO TRABALHO MEMBRO DE COOPERATIVA DE PRODUÇÃO

N
NÚMERO DE PESSOAS ADMITIDAS NÚMERO MÉDIO DE PESSOAS AO SERVIÇO

Página 107 de 176

http://geografismos.blogspot.com

CONCEITOS ESTATÍSTICOS VIGENTES ADOPTADOS PELO INSTITUTO NACIONAL DE ESTATÍSTICA FICHA INFORMATIVA

O
OCUPADO OFERTAS DE EMPREGO OPERÁRIOS OPERÁRIOS NÃO QUALIFICADOS OPERÁRIOS QUALIFICADOS OUTROS EMPREGADOS

P
PAGAMENTOS EM GÉNEROS PATRÃO PEDIDOS DE EMPREGO PERÍODO NORMAL DE TRABALHO PESSOAL À TAREFA NO DOMICÍLIO PESSOAL AO SERVIÇO PESSOAL AO SERVIÇO PESSOAL NÃO REMUNERADO PESSOAL REMUNERADO PESSOAL TÉCNICO SUPERIOR POPULAÇÃO ATIVA POPULAÇÃO INATIVA PORTARIA DE EXTENSÃO ( PE ) PORTARIA DE REGULAMENTAÇÃO DE TRABALHO ( PRT ) POSTO DE TRABALHO POSTOS DE TRABALHO ( NA ÓTICA DA CONTRATAÇÃO ) POR OCUPAR POTENCIAL MÁXIMO ANUAL PRÉ-AVISO DE GREVE PRÉMIO PRÉMIO DE FIM DE ANO/DISTRIBUIÇÃO DE LUCROS PRÉMIOS E SUBSÍDIOS IRREGULARES PRÉMIOS E SUBSÍDIOS REGULARES PRESTAÇÃO COMPLEMENTAR DE REFORMA/INVALIDEZ ( ENCARGOS CONVENCIONAIS, CONTRATUAIS E FACULTATIVOS ) PRESTAÇÕES SOCIAIS PAGAS DIRETAMENTE AO TRABALHADOR PRESTADOR DE SERVIÇOS PRINCIPAL MEIO DE VIDA PROFISSÃO PROFISSÃO PRINCIPAL PROFISSIONAIS SEMI-QUALIFICADOS PROFISSIONAL ALTAMENTE QUALIFICADO PROFISSIONAL NÃO QUALIFICADO PROFISSIONAL QUALIFICADO PROMOÇÃO PROMOÇÃO POR ANTIGUIDADE PROMOÇAO POR MÉRITO PROPRIETÁRIOS QUE EFETIVAMENTE TRABALHAM NA EMPRESA

Página 108 de 176

http://geografismos.blogspot.com

CONCEITOS ESTATÍSTICOS VIGENTES ADOPTADOS PELO INSTITUTO NACIONAL DE ESTATÍSTICA FICHA INFORMATIVA

Q
QUADROS E TÉCNICOS MÉDIOS QUADROS E TÉCNICOS SUPERIORES

R
REFORMADO REINGRESSOS REIVINDICAÇÕES COM CARÁTER DEFENSIVO REIVINDICAÇÕES COM CARÁTER OFENSIVO REMUNERAÇÃO BRUTA REMUNERAÇÃO DE BASE REMUNERAÇÃO DIRETA ( SALÁRIO E ORDENADO DIRETO ) REMUNERAÇÃO DO TRABALHO POR CONTA DE OUTRÉM REMUNERAÇÕES DAS HORAS NÃO EFETUADAS RENDIMENTO BRUTO RENDIMENTO DO TRABALHADOR ( DO EMPREGO POR CONTA DE OUTRÉM ) RENDIMENTO LÍQUIDO RESCISÃO DO CONTRATO DE TRABALHO RESCISÃO NO PERÍODO EXPERIMENTAL REVOGAÇÃO POR ACORDO DAS PARTES RISCO PROFISSIONAL ROTATIVIDADE

S
SAÍDAS DE PESSOAL POR ANTECIPAÇÃO DA CESSAÇÃO DO CONTRATO A TERMO CERTO SAÍDAS DE PESSOAL POR ANTECIPAÇÃO DA CESSAÇÃO DO CONTRATO A TERMO INCERTO SAÍDAS DE PESSOAL POR CESSAÇÃO DO CONTRATO A TERMO CERTO SAÍDAS DE PESSOAL POR CESSAÇÃO DO CONTRATO A TERMO INCERTO SAÍDAS DE PESSOAL POR EXTINÇÃO DE EMPREGOS SAÍDAS DE PESSOAL POR MÚTUO ACORDO SAÍDAS DE PESSOAL POR REFORMA , REFORMA ANTECIPADA , PRÉ-REFORMA SAÍDAS DE PESSOAL POR SUBSTITUIÇÃO DE POSTOS DE TRABALHO SAÍDAS DE PESSOAL POR SUBSTITUIÇÃO DE TRABALHADORES SAÍDAS DE PESSOAL POR SUSPENSÕES TEMPORÁRIAS SAÍDAS POR INICIATIVA DA EMPRESA SAÍDAS POR INICIATIVA DO TRABALHADOR SALÁRIO BASE SEGURANÇA NO TRABALHO SEGURO DE ACIDENTES DE TRABALHO SEGURO DE ACIDENTES DE TRABALHO E DOENÇAS PROFISSIONAIS SEGURO DE SAÚDE ( ENCARGOS CONVENCIONAIS, CONTRATUAIS E FACULTATIVOS ) SEGURO DE VIDA/ACIDENTES PESSOAIS ( ENCARGOS CONVENCIONAIS, CONTRATUAIS E FACULTATIVOS ) SINDICATO

Página 109 de 176

http://geografismos.blogspot.com

CONCEITOS ESTATÍSTICOS VIGENTES ADOPTADOS PELO INSTITUTO NACIONAL DE ESTATÍSTICA FICHA INFORMATIVA

SINDICATO INDEPENDENTE SITUAÇÃO NA PROFISSÃO SITUAÇÕES DE EMPREGO INADEQUADO SUBCONTRATAÇÃO DIRETA SUBEMPREGO LIGADO À DURAÇÃO DO TRABALHO SUBEMPREGO VISÍVEL SUBSÍDIO DE ALIMENTAÇÃO SUBSÍDIO E PRÉMIO REGULAR RELACIONADO COM O POSTO DE TRABALHO

T
TAXA DE ATIVIDADE TAXA DE ATIVIDADE ( 15 e mais anos ) TAXA DE DESEMPREGO TAXA DE DESEMPREGO DE LONGA DURAÇÃO TAXA DE EMPREGO ( 15 e mais anos ) TAXA DE INATIVIDADE ( 15 e mais anos ) TAXA DE SALÁRIO TAXA DE VARIAÇÃO ANUAL TAXA DE VARIAÇÃO HOMÓLOGA TAXA DE VARIAÇÃO MENSAL/TRIMESTRAL TELETRABALHO TRABALHADOR A TEMPO COMPLETO TRABALHADOR A TEMPO INTEIRO TRABALHADOR A TEMPO PARCIAL TRABALHADOR COM CONTRATO A TERMO TRABALHADOR COM CONTRATO PERMANENTE TRABALHADOR DESLOCADO/REQUISITADO TRABALHADOR DESTACADO TRABALHADOR DOMICILIÁRIO TRABALHADOR DOMICILIÁRIO TRABALHADOR EXTERNO TRABALHADOR FAMILIAR NÃO REMUNERADO TRABALHADOR INDEPENDENTE TRABALHADOR NÃO PERMANENTE TRABALHADOR OCASIONAL TRABALHADOR PERMANENTE TRABALHADOR POR CONTA DE OUTRÉM TRABALHADOR POR CONTA PRÓPRIA TRABALHADOR POR CONTA PRÓPRIA COMO EMPREGADOR TRABALHADOR POR CONTA PRÓPRIA COMO ISOLADO TRABALHADOR QUE SE DEDICA A ATIVIDADES DE SUBSISTÊNCIA TRABALHADOR SAZONAL TRABALHADOR TEMPORÁRIO TRABALHADORES EM HORÁRIO NOTURNO TRABALHO REGULAR TRABALHO SUPLEMENTAR

Página 110 de 176

http://geografismos.blogspot.com

CONCEITOS ESTATÍSTICOS VIGENTES ADOPTADOS PELO INSTITUTO NACIONAL DE ESTATÍSTICA FICHA INFORMATIVA

U
UNIÃO PATRONAL UNIÃO SINDICAL

V
VENDEDOR/DISTRIBUIDOR DE PRODUTOS DE MARCA EM REGIME DE FRANQUIA ( FRANCHISING ) VOLUME DE SUBEMPREGO LIGADO À DURAÇÃO DO TRABALHO VOLUME DE SUBEMPREGO VISÍVEL

Página 111 de 176

http://geografismos.blogspot.com

CONCEITOS ESTATÍSTICOS VIGENTES ADOPTADOS PELO INSTITUTO NACIONAL DE ESTATÍSTICA FICHA INFORMATIVA

POPULAÇÃO: 157 REGISTOS

A
AFINIDADE AGREGADO DOMÉSTICO PRIVADO AGREGADO TEMPORARIAMENTE AUSENTE ALOJAMENTO FAMILIAR DE RESIDÊNCIA HABITUAL ANOS COMPLETOS VIVIDOS APÓS A IDADE X ANOS COMPLETOS VIVIDOS ENTRE AS IDADES EXATAS X E (X + N) ANTERIORES MEMBROS DO AGREGADO APÁTRIDA AQUISIÇÃO DE NACIONALIDADE AUTORIZAÇÃO DE PERMANÊNCIA AUTORIZAÇÃO DE RESIDÊNCIA PERMANENTE AUTORIZAÇÃO DE RESIDÊNCIA TEMPORÁRIA

C
CARTÃO DE RESIDÊNCIA CASADO CASADO "DE FACTO" CASADO COM REGISTO CASADO SEM REGISTO CASAMENTO CESSAÇÃO DO ESTATUTO DE RESIDENTE CO-RESIDENTE CRESCIMENTO EFETIVO DA POPULAÇÃO CRIANÇA

D
DENSIDADE POPULACIONAL DIMENSÃO MÉDIA DA FAMÍLIA DIVORCIADO DIVÓRCIO DURAÇÃO DO CASAMENTO

E
EMANCIPAÇÃO EMIGRANTE EMIGRANTE PERMANENTE EMIGRANTE TEMPORÁRIO

Página 112 de 176

http://geografismos.blogspot.com

CONCEITOS ESTATÍSTICOS VIGENTES ADOPTADOS PELO INSTITUTO NACIONAL DE ESTATÍSTICA FICHA INFORMATIVA

ESPERANÇA DE VIDA ESPERANÇA DE VIDA À NASCENÇA ( e0 ) ESPERANÇA DE VIDA NUMA DETERMINADA IDADE ( ex ) ESTADO CIVIL ESTADO CIVIL DE FACTO EXPULSÃO JUDICIAL

F
FAMÍLIA CLÁSSICA FAMÍLIA INSTITUCIONAL FETO-MORTO FILHO NO NÚCLEO FAMILIAR

G
GRUPO CULTURAL GRUPO ETÁRIO GRUPO ÉTNICO-CULTURAL

I
IDADE IDADE GESTACIONAL IDADE MÉDIA AO CASAMENTO IDADE MÉDIA AO NASCIMENTO DE UM FILHO IDADE MÉDIA AO NASCIMENTO DO PRIMEIRO FILHO IDADE MÉDIA AO PRIMEIRO CASAMENTO IDOSO IMIGRANTE IMIGRANTE PERMANENTE IMIGRANTE TEMPORÁRIO ÍNDICE DE DEPENDÊNCIA DE IDOSOS ÍNDICE DE DEPENDÊNCIA DE JOVENS ÍNDICE DE DEPENDÊNCIA TOTAL ÍNDICE DE ENVELHECIMENTO ÍNDICE DE JUVENTUDE ÍNDICE DE JUVENTUDE DA POPULAÇÃO EM IDADE ATIVA ÍNDICE DE LONGEVIDADE INDICE DE POTENCIALIDADE FEMININA ÍNDICE DE RENOVAÇÃO DA POPULAÇÃO EM IDADE ATIVA ÍNDICE DE SUSTENTABILIDADE POTENCIAL ÍNDICE SINTÉTICO DE FECUNDIDADE ( ISF ) INDIVÍDUO TEMPORARIAMENTE AUSENTE

L

Página 113 de 176

http://geografismos.blogspot.com

CONCEITOS ESTATÍSTICOS VIGENTES ADOPTADOS PELO INSTITUTO NACIONAL DE ESTATÍSTICA FICHA INFORMATIVA

LOCAL DE REGISTO

M
MAIOR DE IDADE ( MAIORIDADE ) MEMBRO DO AGREGADO DOMÉSTICO PRIVADO MENOR DE IDADE ( MENORIDADE ) MIGRAÇÃO MIGRAÇÃO PERMANENTE MIGRAÇÃO TEMPORÁRIA MORTALIDADE FETAL INTERMÉDIA MORTALIDADE FETAL PRECOCE MORTALIDADE FETAL TARDIA MORTALIDADE INFANTIL MORTALIDADE MATERNA MORTALIDADE NEONATAL MORTALIDADE NEONATAL PRECOCE MORTALIDADE PERINATAL MORTALIDADE POST- NEONATAL

N
NACIONALIDADE NADO-VIVO NASCIMENTO VIVO NASCIMENTOS TOTAIS NATURALIDADE NÚCLEO FAMILIAR NÚCLEO FAMILIAR MONOPARENTAL NÚCLEO FAMILIAR RECONSTITUÍDO

O
ÓBITO ÓBITO FETAL ÓBITOS ENTRE AS IDADES EXATAS X E (X + N) OCUPAÇÃO DO TEMPO ORDEM DE NASCIMENTO

P
PAÍSES TERCEIROS PARENTESCO PESO À NASCENÇA POPULAÇÃO A MEIO DO ANO ( 30-06 ) POPULAÇÃO EMBARCADA POPULAÇÃO ESTRANGEIRA COM AUTORIZAÇÃO DE PERMANÊNCIA

Página 114 de 176

http://geografismos.blogspot.com

CONCEITOS ESTATÍSTICOS VIGENTES ADOPTADOS PELO INSTITUTO NACIONAL DE ESTATÍSTICA FICHA INFORMATIVA

POPULAÇÃO ESTRANGEIRA COM ESTATUTO LEGAL DE RESIDENTE POPULAÇÃO ESTRANGEIRA QUE SOLICITOU ESTATUTO DE RESIDENTE POPULAÇÃO ESTRANGEIRA RESIDENTE POPULAÇÃO MÉDIA POPULAÇÃO PRESENTE POPULAÇÃO RESIDENTE POPULAÇÃO URBANA PRESENTE NÃO RESIDENTE

Q
QUOCIENTE DE MORTALIDADE ENTRE AS IDADES EXATAS X E (X + N)

R
REAGRUPAMENTO FAMILIAR REGULARIZAÇÃO EXTRAORDINÁRIA RELAÇÃO DE MASCULINIDADE RELAÇÃO DE MASCULINIDADE À NASCENÇA RELAÇÃO DE PARENTESCO REPRESENTANTE DA FAMÍLIA CLÁSSICA REPRESENTANTE DO AGREGADO DOMÉSTICO PRIVADO RESIDÊNCIA PRINCIPAL/HABITUAL RESIDENTE AUSENTE RESIDENTE NO ALOJAMENTO RESIDENTE PRESENTE RESPONDENTE RETORNO VOLUNTÁRIO ( DE ESTRANGEIRO )

S
SAÍDA VOLUNTÁRIA ( DE ESTRANGEIRO ) SALDO FISIOLÓGICO SALDO MIGRATÓRIO SALDO NATURAL SEPARAÇÃO LEGAL DE PESSOAS E BENS SEPARADO DE FACTO SEPARADO LEGALMENTE DE PESSOAS E BENS SERVIÇO CÍVICO SERVIÇO COMUNITÁRIO SOBREVIVENTES À IDADE EXATA X STOCK DE POPULAÇÃO ESTRANGEIRA ( COM ESTATUTO LEGAL DE RESIDENTE )

T
TAXA BRUTA DE DIVORCIALIDADE TAXA BRUTA DE DIVÓRCIO

Página 115 de 176

http://geografismos.blogspot.com

CONCEITOS ESTATÍSTICOS VIGENTES ADOPTADOS PELO INSTITUTO NACIONAL DE ESTATÍSTICA FICHA INFORMATIVA

TAXA BRUTA DE EMIGRAÇÃO TAXA BRUTA DE EMIGRAÇÃO PERMANENTE TAXA BRUTA DE EMIGRAÇÃO TEMPORÁRIA TAXA BRUTA DE IMIGRAÇÃO TAXA BRUTA DE IMIGRAÇÃO PERMANENTE TAXA BRUTA DE IMIGRAÇÃO TEMPORÁRIA TAXA BRUTA DE MORTALIDADE TAXA BRUTA DE NATALIDADE TAXA BRUTA DE NUPCIALIDADE TAXA BRUTA DE VIUVEZ TAXA DE CRESCIMENTO EFETIVO TAXA DE CRESCIMENTO MIGRATÓRIO TAXA DE CRESCIMENTO NATURAL TAXA DE FECUNDIDADE GERAL TAXA DE MORTALIDADE FETAL TARDIA TAXA DE MORTALIDADE INFANTIL TAXA DE MORTALIDADE MATERNA TAXA DE MORTALIDADE NEONATAL TAXA DE MORTALIDADE PERINATAL

U
UNIÃO DE FACTO

V
VARIAÇÃO POPULACIONAL

Página 116 de 176

http://geografismos.blogspot.com

CONCEITOS ESTATÍSTICOS VIGENTES ADOPTADOS PELO INSTITUTO NACIONAL DE ESTATÍSTICA FICHA INFORMATIVA

PREÇOS: 4 REGISTOS

P
PREÇO DE AQUISIÇÃO DE MEIOS DE PRODUÇÃO PREÇO DE PRODUÇÃO PREÇO NO CONSUMIDOR PREÇO NO PRODUTOR

Página 117 de 176

http://geografismos.blogspot.com

CONCEITOS ESTATÍSTICOS VIGENTES ADOPTADOS PELO INSTITUTO NACIONAL DE ESTATÍSTICA FICHA INFORMATIVA

PROTECÇÃO SOCIAL: 320 REGISTOS

A
ABONO DE FAMÍLIA PARA CRIANÇAS E JOVENS ABONO DE FAMÍLIA PRÉ-NATAL AÇÃO SOCIAL ACOLHIMENTO FAMILIAR ACORDOS P/REGULARIZAÇÃO DE DÍVIDAS CONTRIBUINTES PARTICIPADAS AOS SERV. DE JUSTIÇA FISCAL (TRIBUNAL) ACORDOS PARA REGULARIZAÇÃO DE DÍVIDAS DE CONTRIBUINTES ADOÇÃO ADOPÇAO AGREGADO FAMILIAR AJUDANTES FAMILIARES ALBERGUE NOTURNO ALTA DE DOENÇA AMA APARTAMENTOS DE REINSERÇÃO SOCIAL APOIO À CRIAÇÃO DE ATIVIDADES INDEPENDENTES APOIO DOMICILIARIO INTEGRADO APOIO EM REGIME AMBULATÓRIO ASSOCIAÇÕES MUTUALISTAS ASSOCIADOS ADERENTES ASSOCIADOS EFETIVOS ATENDIMENTO/ACOMPANHAMENTO SOCIAL ATOS DE FISCALIZAÇÃO

B
BAIXA POR DOENÇA BAIXA SUBSIDIADA BASE DE INCIDÊNCIA CONTRIBUTIVA BENEFICIÁRIO BENEFICIÁRIOS BENEFICIÁRIOS ATIVOS BENEFICIÁRIOS SUBSIDIADOS INDEPENDENTEMENTE DA NATUREZA DO SUBSÍDIO BENEFÍCIO DA SEGURANÇA SOCIAL BONIFICAÇÃO POR DEFICIÊNCIA

C
CAIXA GERAL DE APOSENTAÇÕES CASA DE ABRIGO CENTRO COMUNITÁRIO CENTRO DE ACOLHIMENTO TEMPORÁRIO

Página 118 de 176

http://geografismos.blogspot.com

CONCEITOS ESTATÍSTICOS VIGENTES ADOPTADOS PELO INSTITUTO NACIONAL DE ESTATÍSTICA FICHA INFORMATIVA

CENTRO DE ACOLHIMENTO TEMPORÁRIO DE EMERGÊNCIA PARA IDOSOS CENTRO DE ALOJAMENTO TEMPORARIO CENTRO DE APOIO FAMILIAR E ACONSELHAMENTO PARENTAL CENTRO DE ATENDIMENTO E ACOMPANHAMENTO PSICOSSOAL CENTRO DE ATENDIMENTO/ACOMPANHAMENTO E ANIMAÇAO PARA PESSOAS COM DEFICIÊNCIA CENTRO DE ATIVIDADES DE TEMPOS LIVRES CENTRO DE ATIVIDADES OCUPACIONAIS CENTRO DE CONVÍVIO CENTRO DE DIA CENTRO DE NOITE CENTRO DE REABILITAÇAO DE PESSOAS COM CEGUEIRA COEFICIENTE DE GINI COLÓNIA DE FÉRIAS COMPARTICIPAÇÃO ESCOLAR ESPECIAL COMPARTICIPAÇÃO ESCOLAR NORMALIZADA ( SUBSÍDIO ESCOLAR ) COMPARTICIPAÇÃO ESCOLAR PARA REEDUCAÇÃO COMPENSAÇÃO SALARIAL POR SUSPENSÃO OU REDUÇÃO DA PRESTAÇÃO DE TRABALHO ( LAY-OFF ) COMPLEMENTO DE PENSÃO POR CÔNJUGE A CARGO COMPLEMENTO EXTRAORDINÁRIO DE SOLIDARIEDADE COMPLEMENTO POR DEPENDÊNCIA COMPLEMENTO SOCIAL COMPLEMENTO SOLIDÁRIO PARA IDOSOS COMUNIDADE DE INSERÇAO CONDIÇÃO DE RECURSOS CONTRIBUIÇÕES PARA A SEGURANÇA SOCIAL CONTRIBUIÇÕES PÚBLICAS CONTRIBUINTE DA SEGURANÇA SOCIAL CONTRIBUINTE DEVEDOR CRECHE CRECHE FAMILIAR

D
DESAJUSTAMENTO PSICO-SOCIAL DESCENDENTES DESEMPREGO SUBSIDIADO DESPESAS DE PROTEÇÃO SOCIAL DIAS SUBSIDIADOS MÊS/ANO E EM MESES/ANOS ANTERIOR. POR BAIXAS C/ALTA REGISTADA NO MÊS/ANO REFERÊNCIA DISPENSA DE PAGAMENTO DE CONTRIBUIÇÕES DÍVIDA EM TRIBUNAL OU DÍVIDA PARTICIPADA AOS SERVIÇOS DE EXECUÇÕES FISCAIS DOENÇA DE LONGA DURAÇÃO DOENÇA PROFISSIONAL

E
EDUCAÇÃO ESPECIAL EQUIPAMENTO ( DE AÇÃO SOCIAL ) EQUIPARADOS A ASCENDENTES

Página 119 de 176

http://geografismos.blogspot.com

CONCEITOS ESTATÍSTICOS VIGENTES ADOPTADOS PELO INSTITUTO NACIONAL DE ESTATÍSTICA FICHA INFORMATIVA

EQUIPARADOS A DESCENDENTES EQUIPAS DE INTERVENÇAO DIRETA OU EQUIPAS DE RUA EX-PENSIONISTA DE INVALIDEZ

F
FALTA PARA ASSISTÊNCIA A FILHO FALTA PARA ASSISTÊNCIA A NETO FOLHA DE REMUNERAÇÕES FÓRUM SÓCIO-OCUPACIONAL FREQUÊNCIA MÉDIA DIÁRIA ( DE UTENTES DE EQUIPAMENTOS SOCIAIS ) FREQUÊNCIA NO ANO ( DE UTENTES DE EQUIPAMENTOS SOCIAIS ) FUNÇÃO DE PROTEÇÃO SOCIAL FUNDO DE PENSÕES

G
GARANTIA SALARIAL

I
INCAPACIDADE PARA O TRABALHO INCAPACIDADE PERMANENTE INCAPACIDADE PERMANENTE ABSOLUTA INCAPACIDADE TEMPORÁRIA INCAPAZ DEFINITIVAMENTE PARA A SUA PROFISSÃO/TRABALHO INCAPAZ DEFINITIVAMENTE PARA TODA E QUALQUER PROFISSÃO/TRABALHO INDEMNIZAÇÃO COMPENSATÓRIA POR SALÁRIOS EM ATRASO INDEMNIZAÇÃO POR INCAPACIDADE TEMPORÁRIA POR DOENÇA PROFISSIONAL INSTITUIÇÕES DE SEGURANÇA SOCIAL INSTITUIÇÕES PARTICULARES DE SOLIDARIEDADE SOCIAL INTERVENÇÃO PRECOCE INVALIDEZ PRESUMÍVEL INVÁLIDO ISENÇÃO DO PAGAMENTO DE CONTRIBUIÇÕES

J
JARDIM DE INFÂNCIA

L
LAR DE CRIANÇAS E JOVENS LAR PARA IDOSOS LAR RESIDÊNCIAL LICENÇA PARA ASSISTÊNCIA A FILHO COM DEFICIÊNCIA OU DOENÇA CRÓNICA

Página 120 de 176

http://geografismos.blogspot.com

CONCEITOS ESTATÍSTICOS VIGENTES ADOPTADOS PELO INSTITUTO NACIONAL DE ESTATÍSTICA FICHA INFORMATIVA

LICENÇA PARENTAL LICENÇA PARENTAL ALARGADA LICENÇA PARENTAL INICIAL LICENÇA PARENTAL INICIAL DE UM PROGENITOR EM CASO DE IMPOSSIBILIDADE DO OUTRO LICENÇA PARENTAL INICIAL EXCLUSIVA DA MÃE LICENÇA PARENTAL INICIAL EXCLUSIVA DO PAI LICENÇA POR ADOÇÃO LICENÇA POR ADOÇÃO EM CASO DE LICENÇA PARENTAL ALARGADA LICENÇA POR INTERRUPÇÃO DA GRAVIDEZ LICENÇA POR RISCO CLÍNICO DURANTE A GRAVIDEZ LICENÇA POR RISCOS ESPECÍFICOS LINHA DE POBREZA

M
MOBILIDADE GEOGRÁFICA DOS DESEMPREGADOS MODALIDADES MONTANTE GLOBAL DO SUBSÍDIO DE DESEMPREGO OU SUBSÍDIO SOCIAL DE DESEMPREGO

P
PAGAMENTO RETROATIVO DE CONTRIBUIÇÕES PARTICIPANTES PENSÃO PENSÃO COM APLICAÇÃO DE INSTRUMENTOS INTERNACIONAIS PENSÃO DE APOSENTAÇÃO PENSÃO DE INVALIDEZ PENSÃO DE INVALIDEZ PENSÃO DE INVALIDEZ PENSÃO DE ORFANDADE PENSÃO DE REFORMA PENSÃO DE REFORMA PENSÃO DE SOBREVIVÊNCIA PENSÃO DE SOBREVIVÊNCIA PENSÃO DE SOBREVIVÊNCIA PENSÃO DE VELHICE PENSÃO DE VIUVEZ PENSÃO ESTATUTÁRIA PENSÃO POR INCAPACIDADE PERMANENTE ( Por Doença Profissional ) PENSÃO POR MORTE ( Por Doença Profissional ) PENSÃO REGULAMENTAR PENSÃO SOCIAL PENSÃO TOTAL PENSÃO UNIFICADA PENSIONISTA PERÍODO DE PRÉ-ADOÇÃO PERÍODOS DE AUSÊNCIA POR DOENÇA COM ALTAS REGISTADAS NO PERÍODO DE REFERÊNCIA PERMANÊNCIA EM FAMÍLIA NATURAL

Página 121 de 176

http://geografismos.blogspot.com

CONCEITOS ESTATÍSTICOS VIGENTES ADOPTADOS PELO INSTITUTO NACIONAL DE ESTATÍSTICA FICHA INFORMATIVA

PLANOS DE POUPANÇA REFORMA ( PPR"S ) POUPANÇA FAMILIAR ( PARA CÁLCULO DO SUBSÍDIO DE EDUCAÇÃO ESPECIAL ) PRÉMIO PREPARAÇÃO PRÉ-PROFISSIONAL PRÉ-REFORMA PRESTAÇÃO DE ASSISTÊNCIA HOSPITALAR PRESTAÇÃO DE ASSISTÊNCIA MATERNO INFANTIL PRESTAÇÃO DE ASSISTÊNCIA MÉDICA PRESTAÇÃO DE ASSISTÊNCIA MEDICAMENTOSA PRESTAÇÃO DE ASSISTÊNCIA MEDICAMENTOSA PRESTAÇÃO DE ASSISTÊNCIA NA EDUCAÇÃO ESPECIAL PRESTAÇÃO DE ATIVIDADE DE TEMPOS LIVRES PRESTAÇÃO DE AUXÍLIO PARA ESTUDO A ÓRFÃOS PRESTAÇÃO DE COLÓNIAS DE FÉRIAS PRESTAÇÃO DE CONSULTAS PRESTAÇÃO DE CUIDADOS HOSPITALARES PRESTAÇÃO DE CUIDADOS MÉDICOS PRESTAÇÃO DE DESLOCAÇÕES PRESTAÇÃO DE ELEMENTOS AUXILIARES DE DIAGNÓSTICO PRESTAÇÃO DE ENFERMAGEM E TERMAS PRESTAÇÃO DE INTERNAMENTO HOSPITALAR PRESTAÇÃO DE INTERNAMENTOS EM LARES DE IDOSOS PRESTAÇÃO DE MATERIAL ORTOPÉDICO E PRÓTESES PRESTAÇÃO DE MEIOS AUXILIARES DE DIAGNÓSTICO E DE TERAPÊUTICA PRESTAÇÃO DE MEIOS DE CORREÇÃO E COMPENSAÇÃO PRESTAÇÃO DE PASSEIOS E CONVÍVIOS DE TERCEIRA IDADE PRESTAÇÃO DE PRODUTOS MEDICAMENTOSOS PRESTAÇÃO DE SUBSÍDIO DE INVALIDEZ PRESTAÇÃO DE TRATAMENTOS ESPECIALIZADOS PRESTAÇÕES ( SOCIAIS ) EM ESPÉCIE PRESTAÇÕES ( SOCIAIS ) PECUNIÁRIAS PRESTAÇÕES DA SEGURANÇA SOCIAL PRESTAÇÕES EM ESPÉCIE PRESTAÇÕES EVENTUAIS DE APOIO SOCIAL PRESTAÇÕES FAMILIARES PRESTAÇÕES PECUNIÁRIAS PRESTAÇÕES PERIÓDICAS COMPLEMENTARES PRESTAÇÕES SOCIAIS PRESTAÇÕES SOCIAIS PRESTAÇÕES SOCIAIS DEPENDENTES DA VERIFICAÇÃO DA CONDIÇÃO DE RECURSOS PRESTAÇÕES SOCIAIS EM ESPÉCIE ATRAVÉS DE FORNECIMENTO DIRETO PRESTAÇÕES SOCIAIS EM ESPÉCIE ATRAVÉS DO REEMBOLSO PRESTAÇÕES SOCIAIS PAGAS DIRETAMENTE PELA ENTIDADE EMPREGADORA PRIMEIRO EMPREGO ( SITUAÇÃO DE ) PROCESSAMENTO PROCESSOS ( REQUERIMENTOS ) DE PENSÃO DE INVALIDEZ DEFERIDOS PROCESSOS ( REQUERIMENTOS ) DEFERIDOS PROCESSOS ENTRADOS POR VIA OFICIOSA ( SISTEMA DE VERIFICAÇÃO DE INCAPACIDADES PERMANENTES ) PROCESSOS VERIFICADOS

Página 122 de 176

http://geografismos.blogspot.com

CONCEITOS ESTATÍSTICOS VIGENTES ADOPTADOS PELO INSTITUTO NACIONAL DE ESTATÍSTICA FICHA INFORMATIVA

PRODUTORES AGRÍCOLAS ( SEGURANÇA SOCIAL ) PROTEÇÃO SOCIAL

Q
QUOTAS QUOTIZAÇÕES DA PESSOA PROTEGIDA QUOTIZAÇÕES SOCIAIS QUOTIZAÇÕES SOCIAIS EFETIVAS A CARGO DA ENTIDADE PATRONAL QUOTIZAÇÕES SOCIAIS IMPUTADAS A CARGO DA ENTIDADE PATRONAL

R
RÁCIO S80/S20 RÁCIO S90/S10 RECEITAS DE PROTEÇÃO SOCIAL RECEITAS FISCAIS AFETADAS RECEITAS FISCAIS GERAIS RECUPERAÇÃO DO VENCIMENTO DO EXERCÍCIO PERDIDO ( DIREÇÃO GERAL DA CONTABILIDADE PÚBLICA ) REDUÇÃO DE CONTRIBUIÇÕES REEMBOLSO DO VENCIMENTO PERDIDO POR MOTIVO DE DOENÇA ( COFRE DE PREVIDÊNCIA DO MINISTÉRIO FINANÇAS ) REFEITÓRIO ( SOCIAL ) REFEITÓRIO/CANTINA SOCIAL REFORMA ANTECIPADA REGIME REGIME DE CONTRAORDENAÇÕES REGIME DE SEGURANÇA SOCIAL DA FUNÇÃO PÚBLICA REGIME DE SEGURO SOCIAL VOLUNTÁRIO REGIME ESPECIAL DE SEGURANÇA SOCIAL DAS ATIVIDADES AGRÍCOLAS REGIME GERAL DA SEGURANÇA SOCIAL REGIME NÃO CONTRIBUTIVO E EQUIPARADOS REGIME TRANSITÓRIO DOS RURAIS REGIMES DE PROFISSIONAIS COMPLEMENTARES REGIMES DE SEGURANÇA SOCIAL REGULARIZAÇÕES RENDIMENTO DE REFERÊNCIA RENDIMENTO EQUIVALENTE RENDIMENTO MONETÁRIO LÍQUIDO RENDIMENTO NÃO-MONETÁRIO RENDIMENTO PER CAPITA DO AGREGADO FAMILIAR RENDIMENTO SOCIAL DE INSERÇÃO RENDIMENTO TOTAL REQUERIMENTO RESIDËNCIA RESIDÊNCIA PARA IDOSOS RESIDÊNCIA PARA JOVENS E ADULTOS COM DEFICIÊNCIA REVISÃO DE INVALIDEZ

Página 123 de 176

http://geografismos.blogspot.com

CONCEITOS ESTATÍSTICOS VIGENTES ADOPTADOS PELO INSTITUTO NACIONAL DE ESTATÍSTICA FICHA INFORMATIVA

S
SEGURANÇA SOCIAL SEGURO DE ACIDENTES DE TRABALHO SERVIÇO DE APOIO DOMICILIÁRIO SISTEMA DE VERIFICAÇÃO DE INCAPACIDADES PERMANENTES SISTEMA DE VERIFICAÇÃO DE INCAPACIDADES TEMPORÁRIAS SITUAÇÃO EQUIVALENTE À ENTRADA DE CONTRIBUIÇÕES SUBSÍDIO A DEFICIENTES SUBSÍDIO COMPLEMENTAR DE APOIO FAMILIAR SUBSÍDIO COMPLEMENTAR NORMAL DE PENSÕES SUBSÍDIO DE ACOMPANHAMENTO ( PARAMILOIDOSE ) SUBSÍDIO DE DESEMPREGO SUBSÍDIO DE DOENÇA SUBSÍDIO DE EDUCAÇÃO ESPECIAL SUBSÍDIO DE ESTUDO SUBSÍDIO DE FUNERAL SUBSÍDIO DE INSERÇÃO DE JOVENS NA VIDA ATIVA SUBSÍDIO DE LAR SUBSÍDIO DE RENDA ( COMPENSAÇÃO DE RENDA DE CASA ) SUBSÍDIO DE RENDA DE CASA ESPECIAL DE CARÊNCIA SUBSÍDIO DE RENDA DE CASA ESPECIAL PARA INQUILINOS DEFICIENTES SUBSÍDIO DE RENDA DE CASA GERAL SUBSÍDIO ESPECIAL DE 1ª INFÂNCIA SUBSÍDIO ESPECIAL DE ACAMADOS SUBSÍDIO ESPECIAL DE IDOSOS SUBSÍDIO ESPECIAL DE IRRECUPERÁVEIS OU INCAPACITADOS SUBSÍDIO ESPECIAL PARA LARES SUBSÍDIO INFANTIL SUBSÍDIO MENSAL VITALÍCIO SUBSÍDIO MÍNIMO ( DE DOENÇA E MATERNIDADE ) SUBSÍDIO PARA ASSISTÊNCIA A FILHO SUBSÍDIO PARA ASSISTÊNCIA A FILHO COM DEFICIÊNCIA OU DOENÇA CRÓNICA SUBSÍDIO PARA ASSISTÊNCIA A NETO SUBSÍDIO PARENTAL SUBSIDIO PARENTAL ALARGADO SUBSÍDIO PARENTAL INICIAL SUBSÍDIO PARENTAL INICIAL DE UM PROGENITOR EM CASO DE IMPOSSIBILIDADE DO OUTRO SUBSÍDIO PARENTAL INICIAL EXCLUSIVO DA MÃE SUBSÍDIO PARENTAL INICIAL EXCLUSIVO DO PAI SUBSÍDIO POR ADOÇÃO SUBSÍDIO POR ADOÇÃO EM CASO DE LICENÇA ALARGADA SUBSÍDIO POR ASSISTÊNCIA DE TERCEIRA PESSOA SUBSÍDIO POR DOENÇA ( COM EXCLUSÃO DA TUBERCULOSE ) SUBSÍDIO POR FREQUÊNCIA DE ESTABELECIMENTO DE EDUCAÇÃO ESPECIAL SUBSÍDIO POR INTERRUPÇÃO DA GRAVIDEZ SUBSÍDIO POR MORTE SUBSÍDIO POR MORTE

Página 124 de 176

http://geografismos.blogspot.com

CONCEITOS ESTATÍSTICOS VIGENTES ADOPTADOS PELO INSTITUTO NACIONAL DE ESTATÍSTICA FICHA INFORMATIVA

SUBSÍDIO POR MORTE SUBSÍDIO POR RISCO CLÍNICO DURANTE A GRAVIDEZ SUBSÍDIO POR RISCOS ESPECÍFICOS SUBSÍDIO POR TUBERCULOSE SUBSÍDIO SOCIAL DE DESEMPREGO SUBSÍDIO SOCIAL PARENTAL SUBSÍDIO SOCIAL PARENTAL INICIAL SUBSÍDIO SOCIAL PARENTAL INICIAL DE UM PROGENITOR EM CASO DE IMPOSSIBILIDADE DO OUTRO SUBSÍDIO SOCIAL PARENTAL INICIAL EXCLUSIVO DA MÃE SUBSÍDIO SOCIAL PARENTAL INICIAL EXCLUSIVO DO PAI SUBSÍDIO SOCIAL POR ADOÇÃO SUBSÍDIO SOCIAL POR INTERRUPÇÃO DA GRAVIDEZ SUBSÍDIO SOCIAL POR RISCO CLÍNICO DURANTE A GRAVIDEZ SUBSÍDIO SOCIAL POR RISCOS ESPECÍFICOS SUPLEMENTO DE GRANDE INVALIDEZ ( OU DE PENSÃO A GRANDE INVÁLIDO ) SUPORTE JURÍDICO ( OU ENQUADRAMENTO LEGAL DAS ENTIDADES QUE DESENVOLVEM ATIVIDADES DE AÇÃO SOCIAL)

T
TAXA CONTRIBUTIVA TAXA DE RISCO DE POBREZA TAXA DE RISCO DE POBREZA ANTES DE TRANSFERÊNCIAS SOCIAIS TAXA DE RISCO DE POBREZA APÓS TRANSFERÊNCIAS SOCIAIS TAXA SOCIAL ÚNICA TERCEIRA PESSOA TRANSFERÊNCIA PÚBLICA REGULAR TRANSFERÊNCIAS ENTRE REGIMES TRANSFERÊNCIAS MONETÁRIAS PAGAS A OUTROS AGREGADOS TRANSFERÊNCIAS SOCIAIS EM SENTIDO LATO TRANSFERÊNCIAS SOCIAIS, EXCLUINDO PENSÕES

U
UNIDADE DE APOIO INTEGRADO UNIDADE DE EMERGÊNCIA UNIDADE DE VIDA APOIADA UNIDADE DE VIDA AUTÓNOMA UNIDADE DE VIDA PROTEGIDA UTENTE DA SEGURANÇA SOCIAL

V
VALÊNCIA/RESPOSTA SOCIAL

Página 125 de 176

http://geografismos.blogspot.com

CONCEITOS ESTATÍSTICOS VIGENTES ADOPTADOS PELO INSTITUTO NACIONAL DE ESTATÍSTICA FICHA INFORMATIVA

SAÚDE: 300 REGISTOS

A
ACESSIBILIDADE ADMISSÃO ADMISSÃO POR TRANSFERÊNCIA EXTERNA DE UM DOENTE ADMISSÃO POR TRANSFERÊNCIA INTERNA DE UM DOENTE NUM HOSPITAL ADMISSÃO PROGRAMADA ADMISSÃO URGENTE AGRUPAMENTO DE CENTROS DE SAÚDE ALTA DE INTERNAMENTO DE UM ESTABELECIMENTO DE SAÚDE ALTA DE INTERNAMENTO NUM SERVIÇO DE ESPECIALIDADE/VALÊNCIA DO INTERNAMENTO DE UM HOSPITAL ALTA DE NADO-VIVO ALTA POR TRANSFERÊNCIA EXTERNA DE UM DOENTE ALTA POR TRANSFERÊNCIA INTERNA DE UM DOENTE AMBULATÓRIO ANÁLISE CLÍNICA ANATOMIA PATOLÓGICA ANOS POTENCIAIS DE VIDA PERDIDOS APARELHO COMPLEMENTAR DE TERAPÊUTICA APRESENTAÇÃO DE UM MEDICAMENTO ÁREA DE DIA ( PSIQUIATRIA ) ATENDIMENTO EM URGÊNCIA ATITUDE INDIVIDUAL ATITUDE PESSOAL ATITUDES ATITUDES SOCIAIS ATIVIDADE ATO COMPLEMENTAR DE DIAGNÓSTICO ATO COMPLEMENTAR DE TERAPÊUTICA ATO DE ENFERMAGEM ATO EM SAÚDE ( Âmbito da Prestação de Cuidados de Saúde ) ATO MÉDICO AUTO DE VERIFICAÇÃO DE ÓBITO

B
BARREIRAS BERÇÁRIO BLOCO OPERATÓRIO

C

Página 126 de 176

http://geografismos.blogspot.com

CONCEITOS ESTATÍSTICOS VIGENTES ADOPTADOS PELO INSTITUTO NACIONAL DE ESTATÍSTICA FICHA INFORMATIVA

CAMA CAPACIDADE CAPACIDADE DE UM ESTABELECIMENTO DE SAÚDE CAUSA BÁSICA DE MORTE CAUSA DE MORTE ANTECEDENTE INTERCORRENTE CAUSA DE MORTE DIRETA CAUSA DE MORTE EXTERNA ( MORTE NÃO NATURAL ) CENSO DIÁRIO CENSO DIÁRIO DE NADOS-VIVOS CENSO DIÁRIO DE UM SERVIÇO DE ESPECIALIDADE/VALÊNCIA DO INTERNAMENTO DE UM HOSPITAL CENTRO DE ATENDIMENTO DE TOXICODEPENDENTES CENTRO DE ATENDIMENTO, ACOMPANHAMENTO E ANIMAÇÃO PARA PESSOAS COM DEFICIÊNCIA CENTRO DE DIAGNÓSTICO OU DE TERAPÊUTICA CENTRO DE SAÚDE CENTRO HOSPITALAR CENTRO PSIQUIÁTRICO DE RECUPERAÇÃO CENTRO REGIONAL DE ALCOOLOGIA CERTIFICADO DE ÓBITO CESARIANA CIDADÃO COM NECESSIDADES ESPECIAIS CIRURGIA CIRURGIA DE AMBULATÓRIO CIRURGIA PROGRAMADA OU ELETIVA CIRURGIA URGENTE COMPETÊNCIA COMPUTADOR ADAPTADO A CIDADÃOS COM NECESSIDADES ESPECIAIS COMUNIDADE TERAPÊUTICA COMUNIDADES VIRTUAIS CONDIÇÃO DE SAÚDE CONSULTA A DOENTES INTERNADOS CONSULTA COMPLEMENTAR CONSULTA DE ADULTOS CONSULTA DE ENFERMAGEM CONSULTA DE ESPECIALIDADE CONSULTA DE MEDICINA GERAL E FAMILIAR CONSULTA DE OUTROS PROFISSIONAIS DE SAÚDE CONSULTA DE PLANEAMENTO FAMILIAR CONSULTA DE SAÚDE DA MULHER CONSULTA DE SAÚDE INFANTIL E JUVENIL CONSULTA DE SAÚDE MATERNA CONSULTA DE SAÚDE PÚBLICA CONSULTA DE VIGILÂNCIA CONSULTA EXTERNA CONSULTA MÉDICA CONSULTA NO DOMICÍLIO CONSULTA POR DOENÇA CONSULTA SEGUINTE NO ANO CONSULTA SEM A PRESENÇA DO UTENTE CONSULTA SUBSEQUENTE

Página 127 de 176

http://geografismos.blogspot.com

CONCEITOS ESTATÍSTICOS VIGENTES ADOPTADOS PELO INSTITUTO NACIONAL DE ESTATÍSTICA FICHA INFORMATIVA

CONSULTÓRIO MÉDICO PRIVADO CUIDADO DE SAÚDE CUIDADOS CONTINUADOS INTEGRADOS

D
DEFICIÊNCIA DEFICIÊNCIA AUDITIVA DEFICIÊNCIA MENTAL DEFICIÊNCIA MOTORA DEFICIÊNCIA PSIQUIÁTRICA DEFICIÊNCIA VISUAL DEMORA ( DURAÇÃO ) MÉDIA DE INTERNAMENTO NUM PERÍODO DEPARTAMENTO ( Hospitais ) DIAS DE INTERNAMENTO/TEMPO DE INTERNAMENTO NUM PERÍODO DIETISTA DOENÇA DOENÇA CRÓNICA ( OU PROBLEMA DE DOENÇA PROLONGADO ) DOENÇA DE DECLARAÇÃO OBRIGATÓRIA DOENTE ENTRADO NUM ESTABELECIMENTO DE SAÚDE NUM PERÍODO DOENTE ENTRADO NUM SERVIÇO DE ESPECIALIDADE/VALÊNCIA DE UM ESTABELECIMENTO DE SAÚDE NUM PERÍODO DOENTE INTERNADO NUM ESTABELECIMENTO DE SAÚDE NUM PERÍODO DOENTES SAÍDOS DE UM ESTABELECIMENTO DE SAÚDE NUM PERÍODO DOENTES SAÍDOS DE UM SERVIÇO DE ESPECIALIDADE/VALÊNCIA DE UM ESTABELECIMENTO DE SAÚDE NUM PERÍOD DOENTES TRATADOS NUM ESTABELECIMENTO DE SAÚDE NUM PERÍODO DOENTES TRATADOS NUM SERVIÇO DE ESPECIALIDADE/VALÊNCIA DE UM ESTABELECIMENTO DE SAÚDE NUM PERÍODO DOMICÍLIO DO UTILIZADOR DA REDE DE CUIDADOS CONTINUADOS DE SAÚDE DURAÇÃO DA GRAVIDEZ/IDADE GESTACIONAL

E
ENFERMARIA ENFERMEIRO ENTIDADE CONVENCIONADA ENTIDADE DE UM ESTABELECIMENTO DE SAÚDE EPISÓDIO ESPECIALIDADE FARMACÊUTICA ESPECIALIDADE MÉDICA ESTABELECIMENTO DE SAÚDE ESTABELECIMENTO OFICIAL DE SAÚDE ESTABELECIMENTO PRIVADO DE SAÚDE ESTABELECIMENTO TERMAL DE SAÚDE ESTADO DE SAÚDE ESTRUTURAS DO CORPO EXAME GLOBAL DE SAÚDE INFANTIL E JUVENIL EXISTÊNCIA FINAL DE DOENTES NUM ESTABELECIMENTO DE SAÚDE NUM PERÍODO EXISTÊNCIA FINAL DE NADOS-VIVOS NUM ESTABELECIMENTO DE SAÚDE NUM PERÍODO

Página 128 de 176

http://geografismos.blogspot.com

CONCEITOS ESTATÍSTICOS VIGENTES ADOPTADOS PELO INSTITUTO NACIONAL DE ESTATÍSTICA FICHA INFORMATIVA

EXISTÊNCIA INICIAL DE DOENTES NUM ESTABELECIMENTO DE SAÚDE NUM PERÍODO EXISTÊNCIA INICIAL DE NADOS-VIVOS NUM ESTABELECIMENTO DE SAÚDE NUM PERÍODO EXTENSÃO DE CENTRO DE SAÚDE

F
FACILITADORES FARMÁCIA FATORES AMBIENTAIS FATORES CONTEXTUAIS FATORES PESSOAIS FISIOTERAPEUTA FORMA FARMACÊUTICA FUNÇÃO AUDITIVA FUNÇÃO DA VISÃO FUNCIONALIDADE FUNÇÕES DO CORPO

G
GRANDE CIRURGIA GRUPO HOSPITALAR

H
HIDRATOS DE CARBONO HIGIENISTA ORAL HOSPITAL HOSPITAL CENTRAL HOSPITAL DE AGUDOS HOSPITAL DE CRÓNICOS HOSPITAL DE DIA HOSPITAL DE NÍVEL 1 HOSPITAL DISTRITAL HOSPITAL ESPECIALIZADO HOSPITAL GERAL HOSPITAL OFICIAL HOSPITAL PRIVADO HOSPITAL PRIVADO COM FINS LUCRATIVOS HOSPITAL PRIVADO SEM FINS LUCRATIVOS HOSPITAL UNIVERSITÁRIO

I
IMAGIOLOGIA INCAPACIDADE ÍNDICE DE MASSA CORPORAL

Página 129 de 176

http://geografismos.blogspot.com

CONCEITOS ESTATÍSTICOS VIGENTES ADOPTADOS PELO INSTITUTO NACIONAL DE ESTATÍSTICA FICHA INFORMATIVA

INSCRITO NO SERVIÇO NACIONAL DE SAÚDE ( SNS ) INSTITUÇÃO PRESTADORA DE CUIDADOS DE SAÚDE INTERNAMENTO INTERRUPÇÃO VOLUNTÁRIA DA GRAVIDEZ LEGALMENTE EFETUADA INTERVENÇÃO CIRÚRGICA INTERVENÇÃO CIRURGICA PROGRAMADA INTERVENÇÃO CIRURGICA PROGRAMADA CONVENCIONAL INTERVENÇÃO PRECOCE

K
K

L
LAR DE APOIO LAR RESIDENCIAL LESÃO AUTOPROVOCADA INTENCIONALMENTE LESÃO PROVOCADAPOR AGRESSÃO DE TERCEIROS LIMITAÇÃO DE ATIVIDADE LISTA DE ESPERA LOTAÇÃO OFICIAL LOTAÇÃO PRATICADA

M
MÉDIA CIRURGIA MEDICAMENTO MEDICAMENTO GENÉRICO MÉDICO MÉDICO ESPECIALISTA MOBILIDADE MODALIDADE DE UM HOSPITAL MULTIDEFICIÊNCIA

N
NATUREZA DO PARTO NOTIFICAÇÃO DE RETRATAMENTOS DE TUBERCULOSE

O
ODONTOLOGISTA OPERAÇÃO CIRÚRGICA

Página 130 de 176

http://geografismos.blogspot.com

CONCEITOS ESTATÍSTICOS VIGENTES ADOPTADOS PELO INSTITUTO NACIONAL DE ESTATÍSTICA FICHA INFORMATIVA

P
PARTICIPAÇÃO PARTO PARTO COM ASSISTÊNCIA PARTO DISTÓCICO PARTO EUTÓCICO PARTO SEM ASSISTÊNCIA PEQUENA CIRURGIA PESSOA COM DEFICIÊNCIA PESSOAL AO SERVIÇO DE UM ESTABELECIMENTO DE SAÚDE POSTO DE ENFERMAGEM POSTO FARMACÊUTICO MOVEL POSTO MÉDICO POSTO MÉDICO OFICIAL POSTO MÉDICO PARTICULAR PRESCRIÇÃO ELETRÓNICA PRESTADOR DE CUIDADOS DE SAÚDE PRIMEIRA CONSULTA ( HOSPITAIS ) PRIMEIRA CONSULTA DE SAÚDE MATERNA PRIMEIRA CONSULTA NO ANO ( CENTROS DE SAÚDE ) PRIMEIRA CONSULTA NUM SERVIÇO DE ESPECIALIDADE/VALÊNCIA NO ANO ( HOSPITAIS ) PROFISSIONAL DE CUIDADOS DE SAÚDE PROGRAMA DE SAÚDE PSICOTERAPIA

Q
QUARTO PRIVADO QUARTO SEMIPRIVADO QUOTA DE MERCADO DO MEDICAMENTO GENÉRICO

R
RADIOTERAPIA RECÉM-NASCIDO REDE DE CUIDADOS CONTINUADOS DE SAÚDE REDE DE INFORMAÇÃO DA SAÚDE RESTRIÇÕES DE PARTICIPAÇÃO

S
SAÍDA COM PARECER MÉDICO FAVORÁVEL SAÍDA CONTRA PARECER MÉDICO SALA DE CIRURGIA SALA DE INTERVENÇÃO CIRÚRGICA SALA DE OPERAÇÕES

Página 131 de 176

http://geografismos.blogspot.com

CONCEITOS ESTATÍSTICOS VIGENTES ADOPTADOS PELO INSTITUTO NACIONAL DE ESTATÍSTICA FICHA INFORMATIVA

SALA DE PARTOS SALA DE RECOBRO SALA OPERATÓRIA SALA PARA TRABALHO DE PARTO SALA/GABINETE DE CONSULTA SAÚDE PÚBLICA SERVIÇO ( Em Estabelecimento de Saúde ) SERVIÇO COMPLEMENTAR DE DIAGNÓSTICO SERVIÇO COMPLEMENTAR DE TERAPÊUTICA SERVIÇO DE ATENDIMENTO PERMANENTE OU PROLONGADO ( SAP ) SERVIÇO DE OBSERVAÇÃO SERVIÇO DE URGÊNCIA SERVIÇO DE URGÊNCIA BÁSICA SERVIÇO DOMICILIÁRIO SERVIÇO NACIONAL DE SAÚDE - SNS SERVIÇOS DE SALVAMENTO SESSÕES DE PSICOTERAPIA SESSÕES EM HOSPITAL DE DIA SISTEMA DE SAÚDE SISTEMA LOCAL DE SAÚDE SOFTWARE ALERT SUBESPECIALIDADE

T
TANATOLOGIA FORENSE TAXA DE OCUPAÇÃO NO ANO TÉCNICO DE ANÁLISES CLÍNICAS E DE SAÚDE PÚBLICA TÉCNICO DE ANATOMIA PATOLÓGICA, CITOLÓGICA E TANATOLÓGICA TÉCNICO DE FARMÁCIA TÉCNICO DE RADIOLOGIA TÉCNICO DE SAÚDE AMBIENTAL TÉCNICO SUPERIOR DE SAÚDE DO RAMO DE ENGENHARIA SANITÁRIA TÉCNICO SUPERIOR DE SAÚDE DO RAMO DE FARMÁCIA TÉCNICO SUPERIOR DE SAÚDE DO RAMO DE LABORATÓRIO TÉCNICO SUPERIOR DE SAÚDE DO RAMO DE NUTRIÇÃO TELECARDIOLOGIA TELECIRURGIA TELECONSULTA TELECUIDADOS AO DOMICÍLIO TELEDERMATOLOGIA TELEDIAGNÓSTICO TELEDIÁLISE TELE-EMERGÊNCIA TELEFORMAÇÃO TELEMEDICINA TELEMONITORIZAÇÃO TELEPATOLOGIA TELEPSIQUIATRIA

Página 132 de 176

http://geografismos.blogspot.com

CONCEITOS ESTATÍSTICOS VIGENTES ADOPTADOS PELO INSTITUTO NACIONAL DE ESTATÍSTICA FICHA INFORMATIVA

TELERADIOLOGIA TEMPO DE ESPERA TEMPO DE INTERVENÇÃO CIRÚRGICA TOTAL DE CONSULTAS NO ANO TOTAL DE INTERNAMENTOS NUM ESTABELECIMENTO DE SAÚDE NUM PERÍODO TOTAL DE INTERNAMENTOS POR SERVIÇO DE ESPECIALIDADE/VALÊNCIA DE UM HOSPITAL NUM PERÍODO TRABALHADOR COM DEFICIÊNCIA TRANSFUSÃO DE SANGUE TRATAMENTO

U
UNIDADE BÁSICA DE URGÊNCIA UNIDADE DE CUIDADOS DE SAÚDE PERSONALIZADOS UNIDADE DE CUIDADOS ESPECIAIS - UCE UNIDADE DE CUIDADOS ESPECIAIS NEONATAIS UNIDADE DE CUIDADOS INTENSIVOS - UCI UNIDADE DE CUIDADOS INTENSIVOS NEONATAIS UNIDADE DE CUIDADOS INTERMÉDIOS - UCM UNIDADE DE CUIDADOS NA COMUNIDADE UNIDADE DE DESABITUAÇÃO UNIDADE DE INTERNAMENTO UNIDADE DE INTERNAMENTO DE CUIDADOS CONTINUADOS DE SAÚDE UNIDADE DE QUEIMADOS UNIDADE DE RECURSOS ASSISTENCIAIS PARTILHADOS UNIDADE DE SAÚDE FAMILIAR UNIDADE DE SAÚDE PÚBLICA UNIDADE FUNCIONAL DE PRESTAÇÃO DE CUIDADOS DE SAÚDE UNIDADE LOCAL DE SAÚDE (ULS) UNIDADE MÓVEL DOMICILIÁRIA UTENTE INSCRITO EM ESTABELECIMENTO DE SAÚDE UTILIZADOR DA REDE DE CUIDADOS CONTINUADOS DE SAÚDE

V
VALÊNCIA/SERVIÇO DE ESPECIALIDADE

Página 133 de 176

http://geografismos.blogspot.com

CONCEITOS ESTATÍSTICOS VIGENTES ADOPTADOS PELO INSTITUTO NACIONAL DE ESTATÍSTICA FICHA INFORMATIVA

SERVIÇOS ÀS EMPRESAS E OUTROS: 140 REGISTOS

A
AGÊNCIA BANCÁRIA AGÊNCIA DE PUBLICIDADE ANUNCIANTE AQUISIÇÃO DE DIREITOS DE DISTRIBUIÇÃO E TRANSMISSÃO ASSOCIAÇÕES DE TELEMARKETING

C
CLÍNICA VETERINÁRIA COMISSÃO DO PRODUTOR SOBRE RECEITAS GERADAS POR OBRAS TELEVISIVAS DE STOCK E VÍDEOS COMISSÃO PRODUTOR SOBRE RECEITAS GERADAS POR FILMES CINEMATOGRÁFICOS COMISSÕES SOBRE TELEVENDAS

D
DISTRIBUIÇÃO DE FILMES, VÍDEOS E PROGRAMAS TELEVISIVOS DISTRIBUIDORES RESIDENTES DE VÍDEO

E
EDIÇÃO DE GRAVAÇÕES DE SOM ENTIDADES NÃO RESIDENTES ESTUDOS TÉCNICOS ESPECIALIZADOS PARA INSTALAÇÕES MECÂNICAS E ELÉTRICAS EM EDIFÍCIOS

F
FILMES CINEMATOGRÁFICOS

I
INQUÉRITOS QUALITATIVOS INQUÉRITOS QUANTITATIVOS AD-HOC INQUÉRITOS QUANTITATIVOS PERMANENTES E REGULARES

M
MARKETING

Página 134 de 176

http://geografismos.blogspot.com

CONCEITOS ESTATÍSTICOS VIGENTES ADOPTADOS PELO INSTITUTO NACIONAL DE ESTATÍSTICA FICHA INFORMATIVA

O
OBRAS TELEVISIVAS DE STOCK E VÍDEOS OPERADORES DE EXIBIÇÃO CINEMATOGRÁFICA RESIDENTES OPERADORES DE RADIODIFUSÃO TELIVISIVA RESIDENTES OUTRAS RECEITAS ( AUDIOVISUAL ) OUTSOURCING ( PARA OUTROS ) OUTSOURCING ( POR OUTROS )

P
PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS PRESTADOR DE SERVIÇOS PRODUÇÃO DE FILMES ORGANIZACIONAIS PARA ENTIDADES EXTERNAS E PARTICULARES PRODUÇÃO DE FILMES PUBLICITÁRIOS PARA ENTIDADES EXTERNAS E PARTICULARES PRODUÇÃO DE OBRAS CINEMATOGRÁFICOS PRODUÇÃO DE OBRAS TELEVISIVAS DE STOCK E DE VÍDEOS PRODUÇÃO E EMISSÃO TELEVISIVA PRODUÇÃO RADIOFÓNICA PARA ENTIDADES EXTERNAS E PARTICULARES PRODUÇÃO TELEVISIVA CORRENTE PARA ENTIDADES EXTERNAS E PARTICULARES PRODUÇÃO TELEVISIVA INTERNA PROFISSIONAL DE PUBLICIDADE PROJEÇÃO DE FILMES E VÍDEOS

R
RECEITAS DE BILHETEIRA RECEITAS PROVENIENTES DE CANAIS DE TELEVISÃO OU ESTAÇÕES DE RÁDIO POR ASSINATURA RECEITAS PROVENIENTES DE PATROCÍNIOS RECEITAS PROVENIENTES DE PUBLICIDADE RESEARCH ( MEDIA ) REVISÃO LEGAL DE CONTAS

S
SÉRIE DE TELEVISÃO SERVIÇO SERVIÇOS COMPLETOS DE PUBLICIDADE SERVIÇOS DAS EMPRESAS DE TRABALHO TEMPORÁRIO SERVIÇOS DE ALUGUER DE EQUIPAMENTO INFORMÁTICO SEM OPERADOR SERVIÇOS DE ARBITRAGEM E CONCILIAÇÃO SERVIÇOS DE ARQUITETURA SERVIÇOS DE ARQUITETURA DE RESTAURO HISTÓRICO SERVIÇOS DE ARQUITETURA PAISAGISTA SERVIÇOS DE ARQUITETURA PAISAGÍSTICA SERVIÇOS DE ARQUITETURA PARA EDIFÍCIOS

Página 135 de 176

http://geografismos.blogspot.com

CONCEITOS ESTATÍSTICOS VIGENTES ADOPTADOS PELO INSTITUTO NACIONAL DE ESTATÍSTICA FICHA INFORMATIVA

SERVIÇOS DE ASSESSORIA EM ARQUITETURA SERVIÇOS DE ATIVIDADES TÉCNICAS DE PÓS PRODUÇÃO DE FILMES E DE VÍDEOS SERVIÇOS DE AUDITORIA FINANCEIRA SERVIÇOS DE CERTIFICAÇÃO NO ÂMBITO DOS ENSAIOS E ANÁLISES TÉCNICAS SERVIÇOS DE CONCEÇÃO E DESENVOLVIMENTO DE TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO PARA APLICAÇÕES SERVIÇOS DE CONCEÇÃO E DESENVOLVIMENTO DE TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO PARA REDES E SISTEMAS SERVIÇOS DE CONSULTORIA E PROSPEÇÃO GEOLÓGICA, GEOFÍSICA E SIMILARES SERVIÇOS DE CONSULTORIA EM CONFIGURAÇÃO DE EQUIPAMENTOS INFORMÁTICOS SERVIÇOS DE CONSULTORIA EM ENGENHARIA SERVIÇOS DE CONSULTORIA EM GESTÃO COMERCIAL SERVIÇOS DE CONSULTORIA EM GESTÃO DA PRODUÇÃO SERVIÇOS DE CONSULTORIA EM GESTÃO DE CADEIAS DE FORNECIMENTO E OUTRA CONSULTORIA DE GESTÃO SERVIÇOS DE CONSULTORIA EM GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS SERVIÇOS DE CONSULTORIA EM GESTÃO ESTRATÉGICA SERVIÇOS DE CONSULTORIA EM GESTÃO FINANCEIRA, EXCETO CONSULTORIA FISCAL SERVIÇOS DE CONSULTORIA EM NEGÓCIOS E GESTÃO SERVIÇOS DE CONSULTORIA EM RELAÇÕES PÚBLICAS E COMUNICAÇÃO SERVIÇOS DE CONSULTORIA FISCAL SERVIÇOS DE CONSULTORIA TÉCNICA E DE SISTEMAS SERVIÇOS DE CONTABILIDADE SERVIÇOS DE DESIGN PUBLICITÁRIO E DESENVOLVIMENTO DE CONCEITOS SERVIÇOS DE DISPONIBILIZAÇÃO DE PROGRAMAS INFORMÁTICOS DE BASE E DE APLICAÇÕES EM PACOTES SERVIÇOS DE DISPONIBILIZAÇÃO DE PROGRAMAS INFORMÁTICOS ONLINE E PARA DOWNLOAD SERVIÇOS DE EDIÇÃO DE JOGOS DE COMPUTADOR SERVIÇOS DE ENGENHARIA SERVIÇOS DE ENGENHARIA PARA PROJETOS DE ABASTECIMENTO, SANEAMENTO E ESCOAMENTO DE ÁGUA SERVIÇOS DE ENGENHARIA PARA PROJETOS DE CONSTRUÇÃO SERVIÇOS DE ENGENHARIA PARA PROJETOS DE ENERGIA SERVIÇOS DE ENGENHARIA PARA PROJETOS DE GESTÃO DE RESÍDUOS PERIGOSOS E NÃO PERIGOSOS SERVIÇOS DE ENGENHARIA PARA PROJETOS DE TELECOMUNICAÇÕES E RADIODIFUSÃO SERVIÇOS DE ENGENHARIA PARA PROJETOS INDUSTRIAIS SERVIÇOS DE ENGENHARIA PARA PROJETOS RELACIONADOS COM OS TRANSPORTES SERVIÇOS DE ENSAIOS E ANÁLISES DE SISTEMAS MECÂNICOS E ELÉTRICOS INTEGRADOS SERVIÇOS DE ENSAIOS E ANÁLISES FÍSICAS SERVIÇOS DE ENSAIOS E ANÁLISES QUÍMICAS E BIOLÓGICAS SERVIÇOS DE ESTUDOS DE MERCADO SERVIÇOS DE FORNECIMENTO DE CONTEÚDOS DE PORTAIS WEB SERVIÇOS DE GESTÃO DE EQUIPAMENTOS INFORMÁTICOS SERVIÇOS DE GESTÃO DE MARCAS REGISTADAS E FRANQUIAS SERVIÇOS DE GESTÃO DE PROCESSOS EMPRESARIAIS SERVIÇOS DE GESTÃO DE VENDA DE ESPAÇO OU TEMPO PUBLICITÁRIO POR CONTA DE TERCEIROS SERVIÇOS DE GESTÃO DOS PROCESSOS EMPRESARIAIS SERVIÇOS DE INFORMÁTICA SERVIÇOS DE INSOLVÊNCIA E ADMINISTRAÇÃO JUDICIAL SERVIÇOS DE LICENCIAMENTO PARA UTILIZAÇÃO DE PROGRAMAS INFORMÁTICOS SERVIÇOS DE MANUTENÇÃO DE SISTEMAS SERVIÇOS DE MARKETING DIRETO E PUBLICIDADE POSTAL SERVIÇOS DE PLANEAMENTO DE PROJETOS ARQUITETÓNICOS

Página 136 de 176

http://geografismos.blogspot.com

CONCEITOS ESTATÍSTICOS VIGENTES ADOPTADOS PELO INSTITUTO NACIONAL DE ESTATÍSTICA FICHA INFORMATIVA

SERVIÇOS DE PLANEAMENTO RURAL SERVIÇOS DE PLANEAMENTO URBANÍSTICO SERVIÇOS DE PREPARAÇÃO DE PLANOS E DESENHOS DE ARQUITETURA SERVIÇOS DE PROCESSAMENTO DE DADOS, DOMICILIAÇÃO DE INFORMAÇÃO E SERVIÇOS RELACIONADOS SERVIÇOS DE PRODUÇÃO DE PROGRAMAS INFORMÁTICOS ORIGINAIS SERVIÇOS DE PRODUÇÃO RADIOFÓNICA INTERNA SERVIÇOS DE PROGRAMAS TELEVISIVOS SERVIÇOS DE PROGRAMAS TELEVISIVOS E RADIOFÓNICOS POR CABO, LINHA TELEFÓNICA, SATÉLITE OU INTERNET SERVIÇOS DE PUBLICIDADE SERVIÇOS DE RECRUTAMENTO DE TRABALHO POR TEMPO INDETERMINADO SERVIÇOS DE RECRUTAMENTO E SELEÇÃO DE QUADROS SERVIÇOS DE REPARAÇÃO DE COMPUTADORES E EQUIPAMENTO PERIFÉRICO SERVIÇOS DE REVISÃO DE CONTAS SERVIÇOS DE SONDAGENS DE OPINIÃO SERVIÇOS DE URBANISMO SERVIÇOS EFETUADOS POR ESTAÇÕES DE RÁDIO SERVIÇOS JURÍDICOS SERVIÇOS JURÍDICOS EM DIREITO CIVIL SERVIÇOS JURÍDICOS EM DIREITO COMERCIAL SERVIÇOS JURÍDICOS EM DIREITO CRIMINAL SERVIÇOS JURÍDICOS EM DIREITO DO TRABALHO SERVIÇOS JURÍDICOS EM MATÉRIA DE LEILÕES SERVIÇOS JURÍDICOS SOBRE MARCAS, PATENTES E PROPRIEDADE INTELECTUAL SERVIÇOS NOTARIAIS SERVIÇOS PRESTADOS POR ESTÚDIOS DE GRAVAÇÃO DE SOM SERVIÇOS TÉCNICOS ASSOCIADOS À PRODUÇÃO RADIOFÓNICA SERVIÇOS TÉCNICOS DE INSPEÇÃO AUTOMÓVEL SUBCONTRATAÇÃO PARA OUTROS SUBCONTRATAÇÃO POR OUTROS SUPORTE PUBLICITÁRIO

T
TELEFILME TELENOVELA TELEVISÃO

V
VENDA DE DIREITOS DE DISTRIBUIÇÃO/TRANSMISSÃO DE FILMES CINEMATOGRÁFICOS VENDA DE DIREITOS DE DISTRIBUIÇÃO/TRANSMISSÃO DE OBRAS TELEVISIVAS DE STOCK E VÍDEOS VENDA DE DIREITOS DE MERCHANDISING ( Audiovisual ) VENDA DE EQUIPAMENTO INFORMÁTICO VENDA DE PROGRAMAS INFORMÁTICOS DESENVOLVIDOS POR TERCEIROS

Página 137 de 176

http://geografismos.blogspot.com

CONCEITOS ESTATÍSTICOS VIGENTES ADOPTADOS PELO INSTITUTO NACIONAL DE ESTATÍSTICA FICHA INFORMATIVA

SECTOR MONETÁRIO E FINANCEIRO: 295 REGISTOS

A
AÇÕES AÇÕES PREFERENCIAIS AÇÕES REMÍVEIS ACORDO DE RECOMPRA AGÊNCIA AGÊNCIAS DE CÂMBIO AGENTE DE SEGUROS AGREGADOS MONETÁRIOS E DE LIQUIDEZ ANGARIADOR DE SEGUROS APÓLICE DE SEGURO ASSOCIAÇÕES DE BOLSA ASSOCIADOS ( DOS FUNDOS PENSÕES ) ATIVOS ( PASSIVOS ) DE CURTO PRAZO ATIVOS ( PASSIVOS ) DE MÉDIO E LONGO PRAZOS ATIVOS ( PASSIVOS ) EM MOEDA ESTRANGEIRA ATIVOS ( PASSIVOS ) EM MOEDA NACIONAL ATIVOS REPRESENTATIVOS DAS PROVISÕES TÉCNICAS ATUÁRIO AVALISTA

B
BANCO CENTRAL BANCO CENTRAL EUROPEU BANCOS BEAR MARKET BENEFICIÁRIOS ( DE CONTRATOS DE SEGUROS OU DE UMA OPERAÇÃO DE CAPITALIZAÇÃO ) BILHETES DE TESOURO BOLSA DE DERIVADOS DO PORTO BOLSA DE VALORES DE LISBOA BOLSAS DE VALORES BULL MARKET

C
CAIXA AUTOMÁTICO CAIXA CENTRAL DE CRÉDITO AGRÍCOLA MÚTUO CAIXA GERAL DE DEPÓSITOS, SA CAIXA MULTIBANCO CAIXAS DE CRÉDITO AGRÍCOLA MÚTUO CAIXAS ECONÓMICAS

Página 138 de 176

http://geografismos.blogspot.com

CONCEITOS ESTATÍSTICOS VIGENTES ADOPTADOS PELO INSTITUTO NACIONAL DE ESTATÍSTICA FICHA INFORMATIVA

CAP CAPITAL AMORTIZADO CAPITAL MÉDIO EM DÍVIDA CAPITALIZAÇÃO BOLSISTA CARTÃO DE COMPRAS CARTÃO DE CRÉDITO CARTEIRA DE TÍTULOS CARTÕES DE DÉBITO CAUTELA CENTRAL DE CLEARING CENTRAL DE VALORES MOBILIÁRIOS CERTIFICADOS DE AFORRO CERTIFICADOS DE CONSIGNAÇÃO CERTIFICADOS DE DEPÓSITO COMISSÃO DO MERCADO DE VALORES MOBILIÁRIOS COMISSÕES DE MEDIAÇÃO DE SEGUROS CONDIÇÕES ESPECIAIS DAS APÓLICES DE SEGUROS CONDIÇÕES GERAIS DAS APÓLICES DE SEGURO CONDIÇÕES PARTICULARES DAS APÓLICES DE SEGURO CONTA BANCÁRIA À ORDEM CONTA DE DEPÓSITO A PRAZO CONTA DE POUPANÇA CONTA EMIGRANTE CONTA MARGEM ( DOS CONTRATOS DE FUTUROS FINANCEIROS ) CONTRATOS CELEBRADOS NOS ÚLTIMOS MESES CONTRATOS EM VIGOR CORRETOR DE SEGUROS CO-SEGURO COTAÇÃO ( DE VALORES MOBILIÁRIOS ) CRÉDITOS CRÉDITOS COMERCIAIS E ADIANTAMENTOS CRÉDITOS DE COBRANÇA DUVIDOSA CRÉDITOS DE SISTEMA DE LEILÃO AO INVESTIMENTO PÚBLICO CUSTOS COM SINISTROS

D
DEPOSITARY RECEIPT DEPÓSITOS DEPÓSITOS TRANSFERÍVEIS DERIVADOS FINANCEIROS DESCOBERTO NA CONTA BANCÁRIA DESCONTO DIREITO DE SUBSCRIÇÃO DIREITOS DE SAQUE ESPECIAIS ( DSE ) DISPONIBILIDADES MÍNIMAS DE CAIXA DIVIDENDO

Página 139 de 176

http://geografismos.blogspot.com

CONCEITOS ESTATÍSTICOS VIGENTES ADOPTADOS PELO INSTITUTO NACIONAL DE ESTATÍSTICA FICHA INFORMATIVA

E
EMPRESA ASSOCIADA ( DE SEGUROS ) EMPRESA FILIAL ( DE SEGUROS ) EMPRESA MÃE EMPRESAS DE ELEVADO CRESCIMENTO EMPRESAS DE MÉDIO CRESCIMENTO EMPRESAS DE SEGUROS EMPRESAS DE SEGUROS MISTAS EMPRESAS JOVENS DE ELEVADO CRESCIMENTO EMPRESAS JOVENS DE MÉDIO CRESCIMENTO EMPRÉSTIMO COM GARANTIA HIPOTECÁRIA EMPRÉSTIMOS EMPRÉSTIMOS DE VALORES MOBILIÁRIOS EMPRÉSTIMOS SINDICADOS ENDIVIDAMENTO EURIBOR EURO EUROBOND EUROPEAN CURRENCY UNIT ( ECU ) EUROSISTEMA

F
"FUTUROS" FINANCEIROS FACILIDADES PERMANENTES ( NO MERCADO DE OPERAÇÕES DE INTERVENÇÃO ) FIADOR FILIAL FILIAL ( DE SEGUROS ) FLOATING RATE NOTE ( FRN ) FORWARD RATE AGREEMENTS ( FRA ) FUNDO DE GARANTIA DA ASSOCIAÇÃO DA BOLSA DE VALORES DE LISBOA FUNDO DE GARANTIA DE CRÉDITO AGRÍCOLA MÚTUO FUNDO DE GARANTIA DE DEPÓSITOS FUNDO PARA DOTAÇÕES FUTURAS FUNDOS DE AÇÕES FUNDOS DE FUNDOS FUNDOS DE GESTÃO DE PATRIMÓNIO IMOBILIÁRIO FUNDOS DE INVESTIMENTO FUNDOS DE INVESTIMENTO IMOBILIÁRIO FUNDOS DE INVESTIMENTO MOBILIÁRIO FUNDOS DE OBRIGAÇÕES FUNDOS DE PENSÕES FUNDOS DE PENSÕES ABERTOS FUNDOS DE PENSÕES FECHADOS FUNDOS DE POUPANÇA EM AÇÕES FUNDOS DE POUPANÇA REFORMA/EDUCAÇÃO FUNDOS DE TESOURARIA FUNDOS DE TITULARIZAÇÃO DE CRÉDITO

Página 140 de 176

http://geografismos.blogspot.com

CONCEITOS ESTATÍSTICOS VIGENTES ADOPTADOS PELO INSTITUTO NACIONAL DE ESTATÍSTICA FICHA INFORMATIVA

FUNDOS DO MERCADO MONETÁRIO FUNDOS ESPECIAIS DE INVESTIMENTO FUNDOS FECHADOS FUNDOS FLEXÍVEIS FUNDOS GARANTIDOS FUNDOS IMOBILIÁRIOS FUNDOS MISTOS

G
GANHOS/PERDAS DE DETENÇÃO NOMINAIS GAZELLES

H
HEDGE FUND HIGH-GROWTH ENTERPRISES

I
INSTITUIÇÃO DE CUSTÓDIA DE TÍTULOS ( CUSTODIAN ) INSTITUIÇÕES DE CRÉDITO INSTITUIÇÕES DE INVESTIMENTO COLETIVO INSTITUIÇÕES FINANCEIRAS MONETÁRIAS INSTITUTO DE SEGUROS DE PORTUGAL INSTITUTO MONETÁRIO EUROPEU ( IME ) INTERBOLSA - ASSOCIAÇÃO PARA A PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS ÀS BOLSAS DE VALORES INVESTIMENTO DE CARTEIRA INVESTIMENTO DIRETO ESTRANGEIRO

J
JURO JUROS DOS CONTRATOS EM VIGOR JUROS SUPORTADOS PELO ESTADO JUROS SUPORTADOS PELO MUTUÁRIO

L
LEILÃO CRISTAL LINHA DE CRÉDITO LISBOR ( LISBON INTERBANK OFFERED RATE ) LIVRE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS ( LPS )

Página 141 de 176

http://geografismos.blogspot.com

CONCEITOS ESTATÍSTICOS VIGENTES ADOPTADOS PELO INSTITUTO NACIONAL DE ESTATÍSTICA FICHA INFORMATIVA

M
MARGEM DE SOLVÊNCIA DAS EMPRESAS DE SEGUROS MARKET-MAKER MEDIAÇÃO DE SEGUROS MEDIADOR DE SEGUROS MEDIUM-GROWTH ENTERPRISES MERCADO CAMBIAL MERCADO CARAVELA MERCADO DE CRÉDITO INTRADIÁRIO ( MCI ) MERCADO DE OPERAÇÕES DE INTERVENÇÃO ( MOI ) MERCADO MONETÁRIO INTERBANCÁRIO ( MMI ) MERCADO PRIMÁRIO DE TÍTULOS MERCADO SECUNDÁRIO DE TÍTULOS MULTIBANCO MÚTUAS DE SEGUROS

N
NOTAS E MOEDAS EM CIRCULAÇÃO NOTE ISSUANCE FACILITY

O
OBRIGAÇÕES OBRIGAÇÕES CLÁSSICAS OBRIGAÇÕES COM SINKING FUND OBRIGAÇÕES COM WARRANT OBRIGAÇÕES CONVERTÍVEIS OBRIGAÇÕES CUPÃO ZERO OBRIGAÇÕES DE CAIXA OBRIGAÇÕES DE CAPITALIZAÇÃO AUTOMÁTICA ( OCA ) OBRIGAÇÕES DE TESOURO FAMILIAR OBRIGAÇÕES DO TESOURO OBRIGAÇÕES GRUPADAS OBRIGAÇÕES HIPOTECÁRIAS OBRIGAÇÕES PARTICIPANTES OBRIGAÇÕES SUBORDINADAS OFERTA PÚBLICA DE AQUISIÇÃO ( OPA ) OFERTA PÚBLICA DE VENDA ( OPV ) OPÇÕES OPERAÇÃO À VISTA OPERAÇÕES A PRAZO OPERAÇÕES BANCÁRIAS ATIVAS OPERAÇÕES BANCÁRIAS PASSIVAS OPERAÇÕES DE CAPITALIZAÇÃO OPERAÇÕES DE CONTRAPARTIDA OPERAÇÕES DE MERCADO ABERTO ( NO MERCADO DE OPERAÇÕES DE INTERVENÇÃO )

Página 142 de 176

http://geografismos.blogspot.com

CONCEITOS ESTATÍSTICOS VIGENTES ADOPTADOS PELO INSTITUTO NACIONAL DE ESTATÍSTICA FICHA INFORMATIVA

OPERAÇÕES EM CONTA MARGEM ( SHORT-SALE ) OPERAÇÕES FINANCEIRAS OPERADORES ESPECIALIZADOS EM VALORES DO TESOURO ( OEVT ) ORGANISMOS DE INVESTIMENTO COLETIVO EM VALORES MOBILIÁRIOS OURO MONETÁRIO OUTRAS PARTICIPAÇÕES ( EXCETO AÇÕES )

P
PAPEL COMERCIAL PAR PARTICIPANTES ( EM PLANOS DE PENSÕES ) PESSOA SEGURA PLANO CONTRIBUTIVO PLANO DE BENEFÍCIO DEFINIDO PLANO DE CONTRIBUIÇÕES DEFINIDO PLANO DE PENSÕES DE CONTRIBUIÇÃO DEFINIDA PLANO MISTO PLANO NÃO CONTRIBUTIVO PLANO VOLUNTÁRIO DE PENSÕES PLANOS DE PENSÕES PLANOS POUPANÇA - REFORMA ( PPR ) PLANOS POUPANÇA EM AÇÕES ( PPA ) PORTA MOEDAS AUTOMÁTICO POSIÇÃO CURTA/LONGA PREÇO DE IMPORTAÇÃO PRÉMIO DE SEGURO PRÉMIOS ADQUIRIDOS PRÉMIOS EMITIDOS PRESTAÇÃO ( DE UMA OPERAÇÃO DE CAPITALIZAÇÃO ) PRESTAÇÃO MÉDIA VENCIDA PRICE EARNING RATIO PRIME RATE PROCESSO INDUSTRIAL PROVISÕES TÉCN. RELT. A SEGUROS DE VIDA EM Q/O RISCO DE INVESTM. É SUPORTADO PELO TOMADOR DE SEGURO PROVISÕES TÉCNICAS ( DE SEGURO )

R
RAMO VIDA RAMOS NÃO VIDA RATING REDESCONTO REGIME VOLUNTÁRIO DE PENSÕES RENDIMENTO TOTAL DE CAPITAL REPORTE ( REPO ) RESSEGURO

Página 143 de 176

http://geografismos.blogspot.com

CONCEITOS ESTATÍSTICOS VIGENTES ADOPTADOS PELO INSTITUTO NACIONAL DE ESTATÍSTICA FICHA INFORMATIVA

S
SEGURADO SEGURO DE GRUPO SEGURO DE GRUPO CONTRIBUTIVO SEGURO DE GRUPO NÃO CONTRIBUTIVO SEGURO DIRETO SEGURO INDIVIDUAL SEGUROS COM PARTICIPAÇÃO NOS RESULTADOS SEGUROS LIGADOS A FUNDOS DE INVESTIMENTO SEGUROS NÃO LIGADOS A FUNDOS DE INVESTIMENTO SEGUROS SEM PARTICIPAÇÃO NOS RESULTADOS SISTEMA EUROPEU DE BANCOS CENTRAIS SOCIEDADE INTERBANCÁRIA DE SERVIÇOS, SA SOCIEDADES ADMINISTRADORAS DE COMPRAS EM GRUPO SOCIEDADES CORRETORAS SOCIEDADES DE CAPITAL DE RISCO ( SCR ) SOCIEDADES DE DESENVOLVIMENTO REGIONAL ( SDR ) SOCIEDADES DE FACTORING SOCIEDADES DE INVESTIMENTO SOCIEDADES DE LOCAÇÃO FINANCEIRA SOCIEDADES DE SERVIÇOS AUXILIARES SOCIEDADES EMITENTES OU GESTORAS DE CARTÕES DE CRÉDITO SOCIEDADES FINANCEIRAS SOCIEDADES FINANCEIRAS DE CORRETAGEM SOCIEDADES FINANCEIRAS PARA AQUISIÇÕES A CRÉDITO ( SFAC ) SOCIEDADES GESTORAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO SOCIEDADES GESTORAS DE FUNDOS DE PENSÕES SOCIEDADES GESTORAS DE PARTICIPAÇÕES SOCIAIS ( SGPS ) SOCIEDADES GESTORAS DE PATRIMÓNIO SOCIEDADES MEDIADORAS DO MERCADOS MONETÁRIO E DO MERCADO DE CÂMBIOS SUBSCRIÇÃO ( DE TÍTULOS ) SUBSCRITOR ( DE UMA OPERAÇÃO DE CAPITALIZAÇÃO ) SUCURSAL DE SEGUROS SUCURSAL FINANCEIRA EXTERIOR ( OFF-SHORE BANCÁRIO ) SUCURSAL FINANCEIRA INTERNACIONAL SWAPS

T
TAXA DE FREQUÊNCIA DE SINISTROS TAXA DE JURO BONIFICADA TAXA DE JURO IMPLÍCITA NO CRÉDITO À HABITAÇÃO TAXA DE JURO SUPORTADA PELO ESTADO TAXA DE JURO SUPORTADA PELO MUTUÁRIO TAXA DE SINISTRALIDADE TAXA DE SOBREVIVÊNCIA

Página 144 de 176

http://geografismos.blogspot.com

CONCEITOS ESTATÍSTICOS VIGENTES ADOPTADOS PELO INSTITUTO NACIONAL DE ESTATÍSTICA FICHA INFORMATIVA

TAXA VARIÁVEL TERMINAL DE PAGAMENTO AUTOMÁTICO TICK TÍTULO DE DÍVIDA TÍTULOS DE DEPÓSITO ( TD ) TÍTULOS DE INTERVENÇÃO MONETÁRIA ( TIM ) TÍTULOS DE PARTICIPAÇÃO TÍTULOS DE REGULARIZAÇÃO MONETÁRIA ( TRM ) TÍTULOS/OBRIGAÇÕES FUNGÍVEIS TOMADOR DE SEGURO TRANSFERÊNCIA PRIVADA REGULAR TRANSFERÊNCIAS MONETÁRIAS RECEBIDAS DE OUTROS AGREGADOS TURNOVER ( BOLSISTA )

U
UNIDADES DE PARTICIPAÇÃO EM FUNDOS DE INVESTIMENTO

V
VALOR DE REDUÇÃO ( EM SEGUROS ) VALOR DE REFERÊNCIA ( EM SEGUROS ) VALOR DE RESGATE ( EM SEGUROS ) VALOR LIQUIDO GLOBAL DO FUNDO VALORES MOBILIÁRIOS ESCRITURAIS

W
WARRANTS

Y
YOUNG MEDIUM-GROWTH ENTERPRISES

Página 145 de 176

http://geografismos.blogspot.com

CONCEITOS ESTATÍSTICOS VIGENTES ADOPTADOS PELO INSTITUTO NACIONAL DE ESTATÍSTICA FICHA INFORMATIVA

TERMINOLOGIA ESTATÍSTICA: 181 REGISTOS

A
ABRANGÊNCIA ABREVIATURA ACESSIBILIDADE E CLAREZA ACRÓNIMO ALOJAMENTO INEXISTENTE ÂMBITO GEOGRÁFICO AMOSTRA AMOSTRA NÃO PROBABILÍSTICA AMOSTRA PROBABILÍSTICA ANONIMIZAÇÃO APROVAÇÃO TÉCNICA ÁREA AMOSTRA MÃE ÁREA DE ATIVIDADE ÁREA ESTATÍSTICA ATIVIDADE ATIVIDADE ESTATÍSTICA ATIVIDADE NÃO ESTATÍSTICA ATRIBUTO ATUALIDADE E PONTUALIDADE AVALIAÇÃO DA QUALIDADE

B
BASE DE AMOSTRAGEM

C
CAPTURA DE DADOS CATEGORIA DA CLASSIFICAÇÃO CATEGORIA PAI CLASSE CLASSE DE OBJETOS CLASSE DE REPRESENTAÇÃO CLASSIFICAÇÃO CLASSIFICAÇÃO HIERÁRQUICA CLASSIFICAÇÃO LINEAR ( Não hierárquica ) CODIFICAÇÃO COEFICIENTE DE VARIAÇÃO COERÊNCIA COMPARABILIDADE CONCEITO CONFIDENCIALIDADE

Página 146 de 176

http://geografismos.blogspot.com

CONCEITOS ESTATÍSTICOS VIGENTES ADOPTADOS PELO INSTITUTO NACIONAL DE ESTATÍSTICA FICHA INFORMATIVA

CONGLOMERADO CORRESPONDÊNCIA ( Classificações ) CROSS-SECTIONAL ( Amostra )

D
DADOS ADMINISTRATIVOS DEPARTAMENTO GESTOR DE FLUXO DESENHO DA AMOSTRAGEM DESVIO PADRÃO DIFUSÃO DISPONIBILIDADE DE UM PRODUTO DOCUMENTO METODOLÓGICO DEFINITIVO DOCUMENTO METODOLÓGICO PRELIMINAR DOMÍNIO DE VALORES DOMÍNIOS DE ESTUDO

E
ENTIDADE CERTIFICADORA ENTIDADE RESPONSÁVEL ERRO AMOSTRAL ERRO DE AMOSTRAGEM ERRO DE COBERTURA ERRO DE CODIFICAÇÃO ERRO DE MEDIDA ERRO DE NÃO RESPOSTA ERRO DE PROCESSAMENTO ERRO DO ENTREVISTADOR ( de recolha da informação ) ERRO NÃO AMOSTRAL ERRO NÃO DEVIDO À AMOSTRAGEM ESTIMAÇÃO ESTIMADOR CENTRADO ESTIMADOR DE UMA CARACTERÍSTICA ESTRATIFICAÇÃO ESTRATO ESTUDO ANALÍTICO ESTUDO DE VIABILIDADE ( Documento ) ESTUDO DE VIABILIDADE ( Fase ) ESTUDO ESTATÍSTICO ESTUDO METODOLÓGICO ( Fase ) EXPEDIÇÃO

F
FICHEIRO DE UNIDADES ESTATÍSTICAS FLUXO FONTE FONTE ADMINISTRATIVA

Página 147 de 176

http://geografismos.blogspot.com

CONCEITOS ESTATÍSTICOS VIGENTES ADOPTADOS PELO INSTITUTO NACIONAL DE ESTATÍSTICA FICHA INFORMATIVA

FONTE DIRETA DE DADOS FONTE NÃO DIRETA DE DADOS

G
GESTOR DE FLUXO

I
IMPUTAÇÃO INDICADOR ÍNDICE ( Classificações ) INFORMAÇÃO ESTATÍSTICA DERIVADA INFORMAÇÃO ESTATÍSTICA PRIMÁRIA INFORMAÇÃO SENSÍVEL INQUÉRITO INQUÉRITO AMOSTRAL INQUÉRITO DE CONTROLO DE QUALIDADE INSISTÊNCIA INSTRUMENTO DE NOTAÇÃO INTERVALO DE CONFIANÇA

J
JURISPRUDÊNCIA

L
LONGITUDINAL ( Amostra )

M
MÁ CLASSIFICAÇÃO MACRODADOS MEDIDA ESTATÍSTICA METAINFORMAÇÃO ESTATÍSTICA METODOLOGIA METODOLOGIA ESTATÍSTICA MICRODADOS MODELO CONCEPTUAL

N
NÃO RESPOSTA ( sentido estrito ) NÃO RESPOSTA ( sentido lato ) NÍVEL DA CLASSIFICAÇÃO

Página 148 de 176

http://geografismos.blogspot.com

CONCEITOS ESTATÍSTICOS VIGENTES ADOPTADOS PELO INSTITUTO NACIONAL DE ESTATÍSTICA FICHA INFORMATIVA

NOMENCLATURA NÚMERO - ÍNDICE

O
OBJETO CLASSIFICADO OCORRÊNCIA ( Operação Estatística ) OPERAÇÃO DE RECOLHA OPERAÇÃO ESTATÍSTICA

P
PADRÃO DE QUALIDADE PADRÃO DE QUALIDADE ( prazo de disponibilização ) PAINEL PARÂMETRO ESTATÍSTICO PERIODICIDADE PERÍODO DE RECOLHA PERÍODO DE REFERÊNCIA PERTINÊNCIA PONDERADOR ( Peso ) POPULAÇÃO POPULAÇÃO ALVO PRAZO DE DISPONIBILIZAÇÃO ( de um produto ) PRECISÃO PROCESSO ( ESTATÍSTICO ) PRODUÇÃO ESTATÍSTICA PRODUTO PROPRIEDADE PROTOCOLO PROXY

Q
QUALIDADE ESTATÍSTICA QUEBRA DE SÉRIE TEMPORAL QUESTÃO QUESTIONÁRIO

R
REALIZAÇÃO RECENSEAMENTO RECOLHA DE DADOS RECOLHA DE DADOS ADMINISTRATIVOS RECOLHA DIRETA DE DADOS RECOLHA NÃO DIRETA DE DADOS REGRA DE VALIDAÇÃO

Página 149 de 176

http://geografismos.blogspot.com

CONCEITOS ESTATÍSTICOS VIGENTES ADOPTADOS PELO INSTITUTO NACIONAL DE ESTATÍSTICA FICHA INFORMATIVA

REINQUIRIÇÃO REPONDERAÇÃO RESPONDENTE

S
SALDO DE RESPOSTAS EXTREMAS SAZONALIDADE ( Tratamento da ) SÉRIE TEMPORAL SIGLA SISTEMA DE INFORMAÇÃO ESTATÍSTICA SISTEMA DE INFORMAÇÃO SISTEMA DE METAINFORMAÇÃO ESTATÍSTICA SOBRE - COBERTURA SOFTWARE SUB - COBERTURA SUPORTE DE RECOLHA

T
TAREFA TAXA DE FALHA TAXA DE NÃO-RESPOSTA TAXA DE RECUSA TAXA DE RESPOSTA TAXA DE RESPOSTA EFETIVA TAXA DE RESPOSTA POR ITEM ( questão ) TRANSFERÊNCIA ELETRÓNICA DE DADOS TRANSVERSAL ( Amostra )

U
UNIDADE AMOSTRAL UNIDADE DE OBSERVAÇÃO UNIDADE ELEGÍVEL UNIDADE ESTATÍSTICA UNIDADE FORA DE ÂMBITO UNIDADE INQUIRIDA UNIDADE NÃO ELEGÍVEL UNIVERSO UNIVERSO DE REFERÊNCIA

V
VALIDAÇÃO VARIÂNCIA DE UM ESTIMADOR VARIANTE ( Versão de Classificação ) VARIÁVEL

Página 150 de 176

http://geografismos.blogspot.com

CONCEITOS ESTATÍSTICOS VIGENTES ADOPTADOS PELO INSTITUTO NACIONAL DE ESTATÍSTICA FICHA INFORMATIVA

VARIÁVEL CONCEPTUAL VARIÁVEL DE OBSERVAÇÃO VARIÁVEL DERIVADA VERDADEIRO VALOR VERSÃO ( de uma Classificação )

Página 151 de 176

http://geografismos.blogspot.com

CONCEITOS ESTATÍSTICOS VIGENTES ADOPTADOS PELO INSTITUTO NACIONAL DE ESTATÍSTICA FICHA INFORMATIVA

TERRITÓRIO: 93 REGISTOS

A
ALTITUDE ÁREA INFRAESTRUTURADA PARA LOCALIZAÇÃO EMPRESARIAL ÁREA CRÍTICA DE RECUPERAÇÃO E RECONVERSÃO URBANÍSTICA ÁREA DE DESENVOLVIMENTO URBANO PRIORITÁRIO ÁREA MEDIAMENTE URBANA ÁREA METROPOLITANA ÁREA PREDOMINANTEMENTE RURAL ÁREA PREDOMINANTEMENTE URBANA ÁREA PROTEGIDA AUTARQUIAS LOCAIS

B
BASE DE GEOREFERENCIAÇÃO DE EDIFÍCIOS - BGE BASE GEOGRÁFICA DE REFERENCIAÇÃO DE INFORMAÇÃO BASE GEOGRÁFICA DE REFERENCIAÇÃO ESPACIAL ( BGRE )

C
CÂMARA MUNICIPAL CARTA ADMINISTRATIVA OFICIAL DE PORTUGAL CARTOGRAFIA DE PORMENOR CARTOGRAFIA PANORÂMICA CIDADE CIDADE ESTATÍSTICA CLASSES DE ESPAÇOS CONCELHO ( MUNICIPIO )

D
DIGITALIZAÇÃO DA BASE GEOGRÁFICA DE REFERENCIAÇÃO ESPACIAL DIREITO À EXPROPRIAÇÃO DIREITO DE SUPERFÍCIE DISTRITO DIVISÃO ADMINISTRATIVA

E
ESCALA

Página 152 de 176

http://geografismos.blogspot.com

CONCEITOS ESTATÍSTICOS VIGENTES ADOPTADOS PELO INSTITUTO NACIONAL DE ESTATÍSTICA FICHA INFORMATIVA

ESPAÇO DE OCUPAÇÃO PREDOMINANTEMENTE RURAL ESPAÇO SEMI-URBANO ESPAÇO URBANO EXPROPRIAÇÃO

F
FREGUESIA

G
GEOREFERENCIAÇÃO

I
INDICADOR ( TERRITORIAL ) INSTRUMENTOS DE DESENVOLVIMENTO TERRITORIAL INSTRUMENTOS DE EXECUÇÃO DOS PLANOS INSTRUMENTOS DE PLANEAMENTO TERRITORIAL INTRUSÃO VISUAL ISOLADO

L
LATITUDE LEI DOS SOLOS LIMITE ADMINISTRATIVO LONGITUDE LUGAR

M
MAPA TOPOGRÁFICO MATRIZ CARTOGRÁFICA DA BASE GEOGRÁFICA DE REFERENCIAÇÃO ESPACIAL MEDIDAS PREVENTIVAS ( SOLOS URBANOS ) MONUMENTO NATURAL

N
NOMENCLATURA DAS UNIDADES TERRITORIAIS PARA FINS ESTATÍSTICO

O
ORDENAMENTO DO TERRITÓRIO ORDENAMENTO FLORESTAL

Página 153 de 176

http://geografismos.blogspot.com

CONCEITOS ESTATÍSTICOS VIGENTES ADOPTADOS PELO INSTITUTO NACIONAL DE ESTATÍSTICA FICHA INFORMATIVA

P
PAISAGEM PROTEGIDA PAÍSES TERCEIROS PARQUE NACIONAL PARQUE NATURAL PERÍMETRO LUGAR ( URBANO ) PERÍMETRO URBANO PLANO DE ALINHAMENTO PLANO DE DESENVOLVIMENTO REGIONAL PLANO DE GESTÃO FLORESTAL ( PGF ) PLANO DE PORMENOR PLANO DE URBANIZAÇÃO PLANO DIRETOR MUNICIPAL PLANO ESPECIAL DE ORDENAMENTO DO TERRITÓRIO ( PEOT ) PLANO MUNICIPAL DE ORDENAMENTO DO TERRITÓRIO PLANO REGIONAL DE ORDENAMENTO DO TERRITÓRIO PLANOS DE GESTÃO FLORESTAL PLANOS REGIONAIS DE ORDENAMENTO FLORESTAL POPULAÇÃO URBANA PROCEDIMENTO ADMINISTRATIVO PROCESSO ADMINISTRATIVO

Q
QUARTEIRÃO

R
REESTRUTURAÇÃO DA PROPRIEDADE REPARCELAMENTO DO SOLO URBANO RESERVA AGRÍCOLA NACIONAL ( RAN ) RESERVA ECOLÓGICA NACIONAL ( REN ) RESERVA NATURAL

S
SECÇÃO ESTATÍSTICA SEGMENTO DE ARRUAMENTO SISTEMA DE INFORMAÇÃO GEOGRÁFICA ( SIG ) SÍTIO CLASSIFICADO SUBSECÇÃO ESTATÍSTICA

T
TERRAPLENO

Página 154 de 176

http://geografismos.blogspot.com

CONCEITOS ESTATÍSTICOS VIGENTES ADOPTADOS PELO INSTITUTO NACIONAL DE ESTATÍSTICA FICHA INFORMATIVA

U
USO DO SOLO NA INDÚSTRIA USO DO SOLO NO TURISMO USO DO SOLO URBANO USO DO SOLO, EQUIPAMENTOS E PARQUES URBANOS

V
VILA

Z
ZONA DE DEFESA E CONTROLE URBANOS ( SOLOS URBANOS ) ZONA DE PROTEÇÃO TIPO - ZPT ZONA DIFERENCIADA DO AGLOMERADO URBANO ZONA ESPECIAL DE PROTEÇÃO - ZEP ZONA NON AEDIFICANDI

Página 155 de 176

http://geografismos.blogspot.com

CONCEITOS ESTATÍSTICOS VIGENTES ADOPTADOS PELO INSTITUTO NACIONAL DE ESTATÍSTICA FICHA INFORMATIVA

TRANSPORTES E COMUNICAÇÕES: 728 REGISTOS

A
ACESSO À REDE DIGITAL COM INTEGRAÇÃO DE SERVIÇOS ACESSO DEDICADO ACIDENTE COM VÍTIMAS ACIDENTE DE VIAÇÃO ACIDENTE MORTAL ADSL AERONAVE AERONAVE FRETADA AERONAVE GRANDE AERONAVE PEQUENA AERONAVE-QUILÓMETRO OPERADO AEROPORTO AEROPORTO INTERNACIONAL AGÊNCIAS POSTAIS ABERTAS AO PÚBLICO ALUGUERES, OCUPAÇÕES E OUTRAS CONCESSÕES ANO DE CONSTRUÇÃO DA EMBARCAÇÃO ANO DE MATRÍCULA APARTADO DE CORRESPONDÊNCIA ÁREA DE CIRCULAÇÃO E APOIO DO CAIS ÁREA ÚTIL DE ARMAZENAGEM DO CAIS ARQUEAÇÃO BRUTA ( GT ) ARQUEAÇÃO LÍQUIDA ASSINANTES DO SERVIÇO DE CHAMADA DE PESSOAS ( PAGING ) ASSINANTES DO SERVIÇO DE COMUTAÇÃO POR PACOTES ASSINANTES DO SERVIÇO MÓVEL TERRESTRE AUTOESTRADA AUTOMOTORA AUTOMOTORA A SISTEMA ESPECIAL AUTOMÓVEL LIGEIRO AUTOMÓVEL LIGEIRO DE PASSAGEIROS AVIAÇÃO COMERCIAL AVIAÇÃO NÃO COMERCIAL

B
BAGAGEM BANDA LARGA BANDEIRA DA EMBARCAÇÃO BANDEIRA DE CONVENIÊNCIA BATELÃO BATELÃO BATELÃO EMPURRADO BATELÃO EMPURRADO-REBOCADO

Página 156 de 176

http://geografismos.blogspot.com

CONCEITOS ESTATÍSTICOS VIGENTES ADOPTADOS PELO INSTITUTO NACIONAL DE ESTATÍSTICA FICHA INFORMATIVA

BATELÃO MOTORIZADO BATELÃO MOTORIZADO EMPURRADOR BATELÃO-CISTERNA BATELÃO-CISTERNA EMPURRADO BATELÃO-CISTERNA EMPURRADOR BATELÃO-CISTERNA EMPURRADO-REBOCADO BATELÃO-CISTERNA MOTORIZADO BILHETE DE VOO BILHETE POSTAL BITOLA

C
CÁBREA FLUTUANTE CAIS CALADO MÁXIMO DE EMBARCAÇÃO CAMIÃO CAMINHO DE CIRCULAÇÃO CAMINHO DE FERRO CAMINHO MUNICIPAL CAMPO DE ATERRAGEM CANAL NAVEGÁVEL CAPACIDADE DAS CENTRAIS PÚBLICAS LOCAIS DE COMUTAÇÃO CAPACIDADE DE CARGA DE UM VAGÃO CAPACIDADE DE TRANSPORTE DE UM OLEODUTO CAPACIDADE DE TRANSPORTE DE UM VEÍCULO DE PASSAGEIROS CAPACIDADE DE TRANSPORTE DE UMA AERONAVE CAPACIDADE DE UMA EMBARCAÇÃO DE TRANSPORTE DE PASSAGEIROS POR VIAS NAVEGÁVEIS INTERIORES CAPACIDADE DECLARADA DE TRANSPORTE DE PASSAGEIROS DE UMA AERONAVE CARAVANA CARGA AÉREA CARGA CONTENTORIZADA CARGA EXPEDIDA CARGA EXPRESSO CARGA MÉDIA DOS VAGÕES CARGA PAGANTE CARGA RECEBIDA CARGA TRANSPORTADA CARGA ÚTIL CARREIRA CARREIRA DE ALTA QUALIDADE CARREIRA INTERURBANA CARREIRA URBANA CARRUAGEM CARRUAGEM - QUILÓMETRO CARTA CATEGORIA DE ESTRADA CATEGORIA DE VEÍCULO CATEGORIA DOS VEÍCULOS PESADOS DE PASSAGEIROS CATEGORIAS DAS MERCADORIAS TRANSPORTADAS POR VIA MARÍTIMA

Página 157 de 176

http://geografismos.blogspot.com

CONCEITOS ESTATÍSTICOS VIGENTES ADOPTADOS PELO INSTITUTO NACIONAL DE ESTATÍSTICA FICHA INFORMATIVA

CATEGORIAS DE VIAS NAVEGÁVEIS INTERIORES CENTRO DE TRATAMENTO DE CORREIO CERTIFICADO DE OPERADOR AÉREO CHEGADA DE AERONAVE CICLOMOTOR CILINDRADA CIRCUITO DEDICADO CIRCUITOS ALUGADOS PARA USO PRIVATIVO COEFICIENTE DE OCUPAÇÃO DE CAPACIDADE DE CARGA GERAL OFERECIDA COEFICIENTE DE OCUPAÇÃO DE LUGARES OFERECIDOS COEFICIENTE DE UTILIZAÇÃO COEFICIENTE DE UTILIZAÇÃO COMBOIO COMBOIO DE EMBARCAÇÕES DE TRANSPORTE POR VIAS NAVEGÁVEIS INTERIORES COMBOIO DE SERVIÇO COMBOIO RODOVIÁRIO COMBOIO-QUILÓMETRO COMPRIMENTO DA EMBARCAÇÃO ( FORA A FORA ) COMPRIMENTO ÚTIL DO CAIS CONCESSIONÁRIO PRIVADO DE TRANSPORTE CONCESSIONÁRIO PÚBLICO DE TRANSPORTE CONCESSÕES PORTUÁRIAS CONDUTOR CONSUMO DE ENERGIA DO TRANSPORTE POR VIAS NAVEGÁVEIS INTERIORES CONSUMO DE ENERGIA PELO TRANSPORTE FERROVIÁRIO CONTENTOR CONTENTOR CORFAX CORREIO AÉREO CORREIO AZUL CORREIO EDITORIAL CORREIO ELETRÓNICO CORREIO NORMAL CORRESPONDÊNCIA À COBRANÇA CORRESPONDÊNCIA COM VALOR DECLARADO CORRESPONDÊNCIA REGISTADA CUPÃO DE VOO CUSTOS ( TRANSPORTES )

D
"DEADWEIGHT" "DERRICK" DESPESA COM COMUNICAÇÕES DESPESAS DE CONSERVAÇÃO E MANUTENÇÃO DO MATERIAL CIRCULANTE ( TRANSPORTE FERROVIÁRIOS ) DESPESAS DE CONSERVAÇÃO DAS ESTRADAS ( TRANSPORTES RODOVIÁRIOS ) DESPESAS DE CONSERVAÇÃO DAS INFRAESTRUTURAS ( TRANSPORTE FERROVIÁRIOS ) DESPESAS DE CONSERVAÇÃO DAS INFRAESTRUTURAS ( TRANSPORTES POR OLEODUTOS ) DESPESAS DE CONSERVAÇÃO DAS INFRAESTRUTURAS ( TRANSPORTES POR VIAS NAVEGÁVEIS INTERIORES ) DESPESAS DE INVESTIMENTO EM EMBARCAÇÕES ( TRANSPORTES POR VIAS NAVEGÁVEIS INTERIORES )

Página 158 de 176

http://geografismos.blogspot.com

CONCEITOS ESTATÍSTICOS VIGENTES ADOPTADOS PELO INSTITUTO NACIONAL DE ESTATÍSTICA FICHA INFORMATIVA

DESPESAS DE INVESTIMENTO EM ESTRADAS DESPESAS DE INVESTIMENTO EM INFRAESTRUTURAS ( TRANSPORTE FERROVIÁRIOS ) DESPESAS DE INVESTIMENTO EM INFRAESTRUTURAS ( TRANSPORTES POR OLEODUTOS ) DESPESAS DE INVESTIMENTO EM INFRAESTRUTURAS ( TRANSPORTES POR VIAS NAVEGÁVEIS INTERIORES ) DESPESAS DE INVESTIMENTO EM MATERIAL CIRCULANTE ( TRANSPORTE FERROVIÁRIOS ) DESPESAS DE INVESTIMENTO EM VEÍCULOS RODOVIÁRIOS DESPESAS DE MANUTENÇÃO DAS EMBARCAÇÕES ( TRANSPORTES POR VIAS NAVEGÁVEIS INTERIORES ) DESPESAS DE MANUTENÇÃO DOS VEÍCULOS RODOVIÁRIOS DESPESAS DOS SERVIÇOS POSTAIS DESPESAS PARA O CONJUNTO DOS SERVIÇOS DE TELECOMUNICAÇÕES DIGITAL SUBSCRIBER LINE DIREÇÃO ( Transportes Marítimos ) DIRECT MAIL DISTÂNCIA ENTRE DUAS INFRAESTRUTURAS AEROPORTUÁRIAS DISTÂNCIA TOTAL PERCORRIDA DISTRIBUIDORES AUTOMÁTICOS DE SELOS DOCA DOCA FLUTUANTE DRAGA DURAÇÃO DO VOO DURAÇÃO MÉDIA DE ROTAÇÃO DE UM VAGÃO

E
ELECTRONIC DATA INTERCHANGE ELÉTRICO ( TRAMWAY ) EMBARCAÇÃO ARRIBADA EMBARCAÇÃO AUXILIAR EMBARCAÇÃO DE CABOTAGEM EMBARCAÇÃO DE CARGA EMBARCAÇÃO DE COMÉRCIO EMBARCAÇÃO DE LONGO CURSO EMBARCAÇÃO DE NAVEGAÇÃO COSTEIRA EMBARCAÇÃO DE PASSAGEIROS EMBARCAÇÃO DE TRÁFEGO LOCAL EMBARCAÇÃO DE TRANSPORTE DE MERCADORIAS POR VIAS NAVEGÁVEIS INTERIORES EMBARCAÇÃO DE TRANSPORTE DE PASSAGEIROS POR VIAS NAVEGÁVEIS INTERIORES EMBARCAÇÃO DE TRANSPORTE POR VIAS NAVEGÁVEIS INTERIORES EMBARCAÇÃO DE TRANSPORTE POR VIAS NAVEGÁVEIS INTERIORES EM TRÂNSITO EMBARCAÇÃO DE TRANSPORTE POR VIAS NAVEGÁVEIS INTERIORES ENTRADA EMBARCAÇÃO DE TRANSPORTE POR VIAS NAVEGÁVEIS INTERIORES SAÍDA EMBARCAÇÃO ENTRADA PARA ABASTECIMENTO EMBARCAÇÃO ESTRANGEIRA DE TRANSPORTE POR VIAS NAVEGÁVEIS INTERIORES EMBARCAÇÃO MOTORIZADA DE NAVEGAÇÃO FLUVIAL E MARÍTIMA EMBARCAÇÃO NACIONAL DE TRANSPORTE POR VIAS NAVEGÁVEIS INTERIORES EMBARCAÇÃO-QUILÓMETRO EMPRESA DE TRANSPORTE POR OLEODUTOS EMPRESA DE TRANSPORTE POR VIAS NAVEGÁVEIS INTERIORES EMPRESA DE TRANSPORTE RODOVIÁRIO EMPRESA DE TRANSPORTE RODOVIÁRIO DE MERCADORIAS

Página 159 de 176

http://geografismos.blogspot.com

CONCEITOS ESTATÍSTICOS VIGENTES ADOPTADOS PELO INSTITUTO NACIONAL DE ESTATÍSTICA FICHA INFORMATIVA

EMPRESA DE TRANSPORTE RODOVIÁRIO DE PASSAGEIROS EMPRESA DE TRANSPORTE RODOVIÁRIO URBANO DE PASSAGEIROS EMPRESA FERROVIÁRIA DE TRANSPORTE URBANO EMPRESA FERROVIÁRIA PRINCIPAL EMPRESA FERROVIÁRIA SECUNDÁRIA EMPRESA PÚBLICA DE TRANSPORTE POR OLEODUTOS EMPRESA PÚBLICA DE TRANSPORTE POR VIAS NAVEGÁVEIS INTERIORES EMPRESA PÚBLICA DE TRANSPORTE RODOVIÁRIO EMPURRADOR ENCOMENDA POSTAL ENDEREÇO POSTAL ESCALA COMERCIAL ESCALA TÉCNICA ESTAÇÃO CENTRAL DE CAMIONAGEM ESTAÇÃO DE BOMBAGEM PARA O TRANSPORTE POR OLEODUTO ESTACIONAMENTO ESTAÇÕES DE CORREIO FIXAS ESTAÇÕES DE CORREIO MÓVEIS ESTALEIRO NAVAL ESTRADA ESTRADA ( E ) ESTRADA EM BETUMINOSO ESTRADA EM CALÇADA ESTRADA EM MACADAME ESTRADA EM TERRAPLANAGEM ESTRADA MUNICIPAL RURAL ESTRADA NACIONAL ESTRADA PAVIMENTADA ESTRADA REGIONAL ESTRADA URBANA ETAPA DE VOO ETAPA DE VOO DOMÉSTICA PELO OPERADOR DE TRANSPORTE AÉREO ETAPA DE VOO DOMÉSTICO NA INFRAESTRUTURA AEROPORTUÁRIA ETAPA DE VOO INTERNACIONAL NA INFRAESTRUTURA AEROPORTUÁRIA ETAPA DE VOO INTERNACIONAL PELO OPERADOR DE TRANSPORTE AÉREO ETAPAS DE VOO VOADAS EXCURSÃO AO ESTRANGEIRO/EXCURSÃO NO PAÍS EXCURSÃO DE PASSAGEIROS DE NAVIO DE CRUZEIRO EXPLORAÇÃO DA NÁUTICA DE RECREIO EXPRESS MAIL EXTENSÃO MÉDIA DAS LINHAS EXPLORADAS DURANTE O ANO EXTENSÃO TOTAL DAS LINHAS AÉREAS DE TRANSPORTE REGULAR EXTENSÃO TOTAL DAS LINHAS AÉREAS OFERECIDAS DE TRANSPORTE

F
FAIXA DE RODAGEM FERIDO FERIDO GRAVE FERIDO LIGEIRO

Página 160 de 176

http://geografismos.blogspot.com

CONCEITOS ESTATÍSTICOS VIGENTES ADOPTADOS PELO INSTITUTO NACIONAL DE ESTATÍSTICA FICHA INFORMATIVA

FIBRA ÓTICA FIREWALL FORÇA MOTRIZ FRAME- RELAY FREQUÊNCIA FROTA DE NAVEGAÇÃO INTERIOR FUNDO DO CAIS FURGÃO

G
GABARI DE CARGA GLOBAL SYSTEM FOR MOBILE COMMUNICATIONS ( GSM ) GUINDASTE AUTOMÓVEL GUINDASTE DE LANÇA GUINDASTE FLUTUANTE GUINDASTE TIPO CANGURU COM COLHER

H
HANGAR HELIPORTO

I
IDADE DE UMA AERONAVE IDADE DO VEÍCULO RODOVIÁRIO INFRAESTRUTURA AEROPORTUÁRIA INFRAESTRUTURA AEROPORTUÁRIA COMERCIAL INFRAESTRUTURA AEROPORTUÁRIA COMUNITÁRIA INFRAESTRUTURA AEROPORTUÁRIA DOMÉSTICA INFRAESTRUTURA AEROPORTUÁRIA INTERNACIONAL INFRAESTRUTURA AEROPORTUÁRIA PRIVADA INFRAESTRUTURA AEROPORTUÁRIA REGIONAL INSCRITO MARÍTIMO INTERFACE INVESTIMENTO BRUTO ( COMUNICAÇÕES ) INVESTIMENTO CORPÓREO ( TRANSPORTES ) INVESTIMENTOS EM SERVIÇOS POSTAIS ( INVESTIMENTOS BRUTOS ) ITINERÁRIO COMPLEMENTAR ITINERÁRIO PRINCIPAL

K
KBPS OU KBITS/S

Página 161 de 176

http://geografismos.blogspot.com

CONCEITOS ESTATÍSTICOS VIGENTES ADOPTADOS PELO INSTITUTO NACIONAL DE ESTATÍSTICA FICHA INFORMATIVA

L
LAGO NAVEGÁVEL LICENCIAMENTO ( RODOVIÁRIO ) LIGAÇÃO ANALÓGICA LIGAÇÃO POR CABO LIGAÇÃO POR SATÉLITE LINHA LINHA AÉREA LINHA ELETRIFICADA LINHA EXPLORADA PARA O TRANSPORTE DE MERCADORIAS LINHA EXPLORADA PARA O TRANSPORTE DE PASSAGEIROS LISTA DE ESPERA DE POSTOS TELEFÓNICOS PRINCIPAIS LOCAL AREA NETWORK LOCAL DE CARGA LOCAL DE CARGA LOCAL DE CARGA LOCAL DE CARGA LOCAL DE DESCARGA LOCAL DE DESCARGA LOCAL DE DESCARGA LOCAL DE DESCARGA LOCAL DE DESEMBARQUE LOCAL DE DESEMBARQUE LOCAL DE DESEMBARQUE LOCAL DE DESEMBARQUE DO VEÍCULO RODOVIÁRIO DE MERCADORIAS LOCAL DE EMBARQUE LOCAL DE EMBARQUE LOCAL DE EMBARQUE LOCAL DE EMBARQUE DO VEÍCULO RODOVIÁRIO DE MERCADORIAS LOCOMOTIVA LOCOMOTIVA A VAPOR LOCOMOTIVA DIESEL LOCOMOTIVA ELÉTRICA LOTAÇÃO DO VEÍCULO LUGAR SENTADO/EM PÉ-QUILÓMETRO OFERECIDO LUGARES OFERECIDOS LUGARES-QUILÓMETRO OFERECIDOS LUGAR-QUILÓMETRO OFERECIDO LUGAR-QUILÓMETRO OFERECIDO LUGAR-QUILÓMETRO OFERECIDO

M
MALA DIPLOMÁTICA MARCOS E CAIXAS DE CORREIO MASSA MÁXIMA À DESCOLAGEM MATRÍCULA MEGABITS MERCADORIA PERIGOSA

Página 162 de 176

http://geografismos.blogspot.com

CONCEITOS ESTATÍSTICOS VIGENTES ADOPTADOS PELO INSTITUTO NACIONAL DE ESTATÍSTICA FICHA INFORMATIVA

MERCADORIA TRANSPORTADA POR CAMINHO DE FERRO MERCADORIA TRANSPORTADA POR ESTRADA MERCADORIA TRANSPORTADA POR VIA MARÍTIMA MERCADORIA TRANSPORTADA POR VIAS NAVEGÁVEIS INTERIORES MERCADORIAS CARREGADAS MERCADORIAS CARREGADAS MERCADORIAS CARREGADAS MERCADORIAS CARREGADAS MERCADORIAS DESCARREGADAS MERCADORIAS DESCARREGADAS MERCADORIAS DESCARREGADAS MERCADORIAS DESCARREGADAS MERCADORIAS EM TRÂNSITO POR CAMINHO DE FERRO MERCADORIAS EM TRÂNSITO POR ESTRADA MERCADORIAS EM TRÂNSITO POR OLEODUTO MERCADORIAS EM TRÂNSITO POR VIAS NAVEGÁVEIS INTERIORES

MERCADORIAS ENTRADAS NO PAÍS P/VIAS NAVEGÁVEIS INTERIORES ( EXCEP. MERC.TRÂNSITO P/VIAS NAV. I MERCADORIAS ENTRADAS NO PAÍS POR CAMINHO DE FERRO (EXCETO MERCAD. EM TRÂNSITO POR CAMINHO MERCADORIAS ENTRADAS NO PAÍS POR ESTRADA ( EXCETO MERCADORIAS EM TRÂNSITO POR ESTRADA )

MERCADORIAS ENTRADAS NO PAÍS POR OLEODUTO ( EXCETO MERCADORIAS EM TRÂNSITO POR OLEODUTO ) MERCADORIAS PERIGOSAS MERCADORIAS PERIGOSAS MERCADORIAS PERIGOSAS

MERCADORIAS SAÍDAS DO PAÍS P/VIAS NAVEGÁVEIS INTERIORES ( EXCEP. MERC. TRÂNSITO P/VIAS NAV. INT

MERCADORIAS SAÍDAS DO PAÍS POR CAMINHO DE FERRO ( EXCETO MERCAD. EM TRÂNSITO POR CAMINHO DE MERCADORIAS SAÍDAS DO PAÍS POR ESTRADA ( EXCETO MERCADORIAS EM TRÂNSITO POR ESTRADA ) MERCADORIAS SAÍDAS DO PAÍS POR OLEODUTO ( EXCETO MERCADORIAS EM TRÂNSITO POR OLEODUTO ) MERCADORIAS TRANSPORTADAS POR OLEODUTO MOLHE OU QUEBRA-MARES MORTO EM ACIDENTE DE VIAÇÃO MORTO EM ACIDENTE FERROVIÁRIO MOTIVO DAS VIAGENS EFETUADAS POR UM PASSAGEIRO POR VIAS NAVEGÁVEIS INTERIORES MOTIVO DAS VIAGENS EFETUADAS POR UM PASSAGEIRO RODOVIÁRIO MOTIVOS DAS VIAGENS EFETUADAS POR UM PASSAGEIRO FERROVIÁRIO MOTOCICLO MOVIMENTO DE AERONAVE

N
NACIONALIDADE DO OPERADOR DE TRANSPORTE MARÍTIMO NAVEGAÇÃO COSTEIRA INTERNACIONAL NAVEGAÇÃO COSTEIRA NACIONAL NAVIO DE CRUZEIROS NAVIO DE MAR NAVIO MERCANTE NAVIO TANQUE NÚMERO DE EIXOS NÚMERO DE LUGARES SENTADOS/CAMAS EM AUTOCARROS E TROLEICARROS NÚMERO DE PERCURSOS

Página 163 de 176

http://geografismos.blogspot.com

CONCEITOS ESTATÍSTICOS VIGENTES ADOPTADOS PELO INSTITUTO NACIONAL DE ESTATÍSTICA FICHA INFORMATIVA

O
OFFLINE OLEODUTO ONLINE OPERAÇÃO ELEMENTAR DE TRANSPORTE OPERAÇÕES DE AVIAÇÃO GERAL OPERADOR DE AVIAÇÃO NÃO COMERCIAL OPERADOR DE TRANSPORTE AÉREO OPERADOR DE TRANSPORTE MARÍTIMO ORIGEM/DESTINO DO TRANSPORTE DE CARGA POR VIA MARÍTIMA ORIGEM/DESTINO DO TRANSPORTE DE MERCADORIAS POR CAMINHO DE FERRO ORIGEM/DESTINO DO TRANSPORTE DE MERCADORIAS POR ESTRADA ORIGEM/DESTINO DO TRANSPORTE DE MERCADORIAS POR OLEODUTOS ORIGEM/DESTINO DO TRANSPORTE DE MERCADORIAS POR VIAS NAVEGÁVEIS INTERIORES ORIGEM/DESTINO DO TRANSPORTE DE PASSAGEIROS POR VIA MARÍTIMA ORIGEM/DESTINO DO TRANSPORTE DE PASSAGEIROS POR VIAS NAVEGÁVEIS INTERIORES ORIGEM/DESTINO DO TRANSPORTE FERROVIÁRIO DE PASSAGEIROS ORIGEM/DESTINO DO TRANSPORTE RODOVIÁRIO DE PASSAGEIROS

P
PAR DE CIDADES PAR DE INFRAESTRUTURAS AEROPORTUÁRIAS PARQUE DE ESTACIONAMENTO PARQUE DE VEÍCULOS RODOVIÁRIOS PARQUE FORA DE SERVIÇO PARTIDA DE AERONAVE PASSAGEIRO PASSAGEIRO - QUILÓMETRO RODOVIÁRIO PASSAGEIRO COMERCIAL PASSAGEIRO DE NAVIO DE CRUZEIROS PASSAGEIRO DESEMBARCADO PASSAGEIRO EM TERMINAL AÉREO PASSAGEIRO EM TRÂNSITO DIRETO PASSAGEIRO EM TRÂNSITO INDIRETO OU EM TRANSFERÊNCIA PASSAGEIRO EMBARCADO PASSAGEIRO FERROVIÁRIO PASSAGEIRO FERROVIÁRIO COM BILHETE PASSAGEIRO FERROVIÁRIO DESEMBARCADO PASSAGEIRO FERROVIÁRIO EMBARCADO PASSAGEIRO PAGANTE PASSAGEIRO POR ORIGEM/DESTINO PASSAGEIRO POR VIA MARÍTIMA DESEMBARCADO PASSAGEIRO POR VIA MARÍTIMA EMBARCADO PASSAGEIRO POR VIAS NAVEGÁVEIS INTERIORES PASSAGEIRO POR VIAS NAVEGÁVEIS INTERIORES DESEMBARCADO PASSAGEIRO POR VIAS NAVEGÁVEIS INTERIORES EMBARCADO PASSAGEIRO RODOVIÁRIO PASSAGEIRO RODOVIÁRIO DESEMBARCADO

Página 164 de 176

http://geografismos.blogspot.com

CONCEITOS ESTATÍSTICOS VIGENTES ADOPTADOS PELO INSTITUTO NACIONAL DE ESTATÍSTICA FICHA INFORMATIVA

PASSAGEIRO RODOVIÁRIO EMBARCADO PASSAGEIRO TONELADA-QUILÓMETRO PASSAGEIRO TRANSPORTADO PASSAGEIRO TRANSPORTADO POR VIA MARÍTIMA PASSAGEIRO-QUILÓMETRO PASSAGEIRO-QUILÓMETRO FERROVIÁRIO PASSAGEIRO-QUILÓMETRO POR VIAS NAVEGÁVEIS INTERIORES PASSAGEIROS A BORDO À CHEGADA PASSAGEIROS A BORDO À PARTIDA PASSAGEIROS-QUILÓMETRO POR ETAPA DE VOO PEÃO PERCURSO DO MATERIAL DE TRAÇÃO PERCURSO EM CARGA PERCURSO EM VAZIO PERCURSO FERROVIÁRIO PERCURSO MÉDIO DE UM PASSAGEIRO PERCURSO MÉDIO DE UMA TONELADA PERCURSO POR VIAS NAVEGÁVEIS INTERIORES PERCURSO RODOVIÁRIO PERCURSO SIMPLES PESO PESO PESO BRUTO DAS MERCADORIAS PESO BRUTO REBOCÁVEL PESO BRUTO-BRUTO PESO DAS MERCADORIAS PESO MÁXIMO AUTORIZADO PESO MÉDIO DE UM VAGÃO COMPLETO PISTA DE ATERRAGEM PLATAFORMA DE ESTACIONAMENTO PARA AERONAVES PONTÃO FLUTUANTE PORTE BRUTO PORTE BRUTO ( TDW ) PÓRTICO COM COLHER/DESCARREGADOR PÓRTICO PARA CONTENTORES PORTO COMERCIAL PORTO DE CARGA PORTO DE DESCARGA PORTO DE DESEMBARQUE PORTO DE DESTINO DO NAVIO PORTO DE EMBARQUE PORTO DE ORIGEM DO NAVIO PORTO DECLARANTE PORTO ESTATÍSTICO PORTO PRINCIPAL POSIÇÃO DE ESTACIONAMENTO DE AERONAVES POST-EXPRESS POSTO DE ACOSTAGEM DO CAIS POSTO DE CORREIO POSTO DE TELEX POSTO DE VENDA DE SELOS

Página 165 de 176

http://geografismos.blogspot.com

CONCEITOS ESTATÍSTICOS VIGENTES ADOPTADOS PELO INSTITUTO NACIONAL DE ESTATÍSTICA FICHA INFORMATIVA

POSTO TELEFÓNICO PÚBLICO POSTOS TELEFÓNICOS PRINCIPAIS POSTOS TELEFÓNICOS PRINCIPAIS RESIDENCIAIS POTÊNCIA ( KW ) PRAÇA DE TÁXIS PROCURA DE POSTOS TELEFÓNICOS PRINCIPAIS PRODUTIVIDADE ECONÓMICA PROFUNDIDADE DO CAIS PROTOCOLO TCP/IP PROTOCOLO WAP

R
RAIO DE AÇÃO RAMAL RAMAL PARTICULAR REBOCADOR REBOCADOR REBOCADOR-EMPURRADOR REBOQUE REBOQUE AGRÍCOLA REBOQUE DE AUTOMOTORA RECEITAS ( TRANSPORTES ) RECEITAS DOS SERVIÇOS DE TELECOMUNICAÇÕES RECEITAS DOS SERVIÇOS POSTAIS REDE DE ESTRADAS REDE DE OLEODUTOS REDE DE TRANSPORTES LOCAL REDE DE TRANSPORTES REGIONAL/NACIONAL REDE DE VIAS NAVEGÁVEIS INTERIORES REDE DIGITAL COM INTEGRAÇÃO DE SERVIÇOS REDE ELETRÓNICA QUE NÃO A INTERNET REDE FERROVIÁRIA REDE NACIONAL REDE NACIONAL COMPLEMENTAR REDE NACIONAL FUNDAMENTAL REDE PRÓPRIA EXCLUSIVA REMESSA REQUISIÇÕES ENTRADAS DE POSTOS TELEFÓNICOS PRINCIPAIS RIO/RIBEIRA NAVEGÁVEL RIV ROLL-ON/ROLL-OFF RSF ( RESPOSTA SEM FRANQUIA )

S
SATÉLITE SEMIRREBOQUE SERVIÇO AÉREO NÃO REGULAR

Página 166 de 176

http://geografismos.blogspot.com

CONCEITOS ESTATÍSTICOS VIGENTES ADOPTADOS PELO INSTITUTO NACIONAL DE ESTATÍSTICA FICHA INFORMATIVA

SERVIÇO AÉREO REGULAR SERVIÇO COMERCIAL DE TRANSPORTE AÉREO SERVIÇO DE MANOBRAS SERVIÇO DE TRANSPORTE DE PASSAGEIROS SERVIÇO EXPRESSO SERVIÇO MUNICIPALIZADO DE TRANSPORTE SERVIÇO OCASIONAL SERVIÇO REGULAR SERVIÇO REGULAR INTERNACIONAL SERVIÇOS PRESTADOS A EMBARCAÇÕES SERVIÇOS PRESTADOS A MERCADORIAS SET-TOP BOX

T
TARA TARA TAXA AEROPORTUÁRIA TAXA DE ROTA TÁXI AÉREO TELEGRAMAS TELEMÓVEL COM LIGAÇÃO À INTERNET TERMINAL DE CARGA GERAL TERMINAL DE CONTENTORES TERMINAL DE GRANEIS LÍQUIDOS - ESPECIALIZADO TERMINAL DE GRANEIS LÍQUIDOS - POLIVALENTE TERMINAL DE GRANEIS SÓLIDOS - ESPECIALIZADO TERMINAL DE GRANEIS SÓLIDOS - POLIVALENTE TERMINAL MISTO CONTENTORES - RO/RO TERMINAL POLIVALENTE - LO/LO TERMINAL POLIVALENTE - LO/LO - RO/RO TERMINAL PORTUÁRIO TERMINAL RO/RO TERRAPLENO AFETO AO CAIS TEU ( EQUIVALENTE VINTE PÉS ) TIPO DE COMBUSTÍVEL TIPO DE PARQUE TIPO DE PROPRIETÁRIO DOS VEÍCULOS PESADOS DE PASSAGEIROS TIPO DE VEÍCULO TIPOS DE CARROÇARIA DOS VEÍCULOS RODOVIÁRIOS DE TRANSPORTE DE MERCADORIAS TIPOS DE COMBOIO TIPOS DE CORRENTE ELÉTRICA TIPOS DE CUSTOS ( TRANSPORTES ) TIPOS DE EMPREGO ( TRANSPORTE FERROVIÁRIOS ) TIPOS DE MERCADORIAS TRANSPORTADAS POR CAMINHO DE FERRO TIPOS DE MERCADORIAS TRANSPORTADAS POR ESTRADA TIPOS DE MERCADORIAS TRANSPORTADAS POR OLEODUTO TIPOS DE MERCADORIAS TRANSPORTADAS POR VIAS NAVEGÁVEIS INTERIORES TIPOS DE RECEITAS ( TRANSPORTES ) TIPOS DE REMESSA

Página 167 de 176

http://geografismos.blogspot.com

CONCEITOS ESTATÍSTICOS VIGENTES ADOPTADOS PELO INSTITUTO NACIONAL DE ESTATÍSTICA FICHA INFORMATIVA

TIPOS DE TRANSPORTE FERROVIÁRIO TIRAGENS DIÁRIAS NAS ESTAÇÕES DE CORREIO TIRAGENS SEMANAIS FORA DAS ESTAÇÕES DE CORREIO TONELADA-QUILÓMETRO BRUTA COMPLETA ( BRUTA-BRUTA ) REBOCADA TONELADA-QUILÓMETRO BRUTA REBOCADA TONELADA-QUILÓMETRO DE CORREIO TRANSPORTADA TONELADA-QUILÓMETRO OFERECIDA TONELADA-QUILÓMETRO OFERECIDA TONELADA-QUILÓMETRO OFERECIDA TONELADA-QUILÓMETRO OFERECIDA TONELADA-QUILÓMETRO OFERECIDA TONELADA-QUILÓMETRO POR CAMINHO DE FERRO TONELADA-QUILÓMETRO POR ESTRADA TONELADA-QUILÓMETRO POR OLEODUTO TONELADA-QUILÓMETRO POR VIAS NAVEGÁVEIS INTERIORES TONELADA-QUILÓMETRO TRANSPORTADA TONELAGEM DE ARQUEAÇÃO BRUTA ( TAB ) TONELAGEM DE ARQUEAÇÃO LÍQUIDA ( TAL ) TOTAL DE MOVIMENTOS DE AERONAVES CONTROLADAS TOTAL DE MOVIMENTOS DE AERONAVES NAS INFRAESTRUTURAS AEROPORTUÁRIAS TRABALHO AÉREO TRÁFEGO AÉREO COMERCIAL TRÁFEGO AÉREO DOMÉSTICO TRÁFEGO AÉREO INTERIOR TRÁFEGO AÉREO INTERNACIONAL TRÁFEGO AÉREO INTERNACIONAL NO ESPAÇO SCHENGEN TRÁFEGO AÉREO TERRITORIAL TRÁFEGO DOMÉSTICO MOVIMENTADO PELO OPERADOR DE TRASNPORTE AÉREO TRÁFEGO DOMÉSTICO NA INFRAESTRUTURA AÉROPORTUÁRIA TRÁFEGO FERROVIÁRIO TRÁFEGO FERROVIÁRIO EM TERRITÓRIO NACIONAL TRÁFEGO INTERNACIONAL MOVIMENTADO PELO OPERADOR DE TRANSPORTE AÉREO TRÁFEGO INTERNACIONAL NA INFRAESTRUTURA AÉROPORTUÁRIA TRÁFEGO INTRA UE NA INFRAESTRUTURA AÉROPORTUÁRIA TRÁFEGO MOVIMENTADO PELO OPERADOR DE TRANSPORTE AÉREO TRÁFEGO NA INFRAESTRUTURA AÉROPORTUÁRIA TRÁFEGO POR VIAS NAVEGÁVEIS INTERIORES TRÁFEGO POR VIAS NAVEGÁVEIS INTERIORES EM TERRITÓRIO NACIONAL TRÁFEGO POR VIAS NAVEGÁVEIS INTERIORES EM VAZIO TRÁFEGO RODOVIÁRIO TRÁFEGO RODOVIÁRIO EM TERRITÓRIO NACIONAL TRÁFEGO RODOVIÁRIO EM VAZIO TRÁFEGO RODOVIÁRIO URBANO TRÁFEGO TELEFÓNICO TRÁFEGO TELEX TRANSPORTE DE CABOTAGEM POR VIAS NAVEGÁVEIS INTERIORES TRANSPORTE DE DISTRIBUIÇÃO TRANSPORTE DE RECOLHA TRANSPORTE DE TRABALHADORES TRANSPORTE ESCOLAR TRANSPORTE FERROVIÁRIO

Página 168 de 176

http://geografismos.blogspot.com

CONCEITOS ESTATÍSTICOS VIGENTES ADOPTADOS PELO INSTITUTO NACIONAL DE ESTATÍSTICA FICHA INFORMATIVA

TRANSPORTE FERROVIÁRIO EM TRÂNSITO TRANSPORTE FERROVIÁRIO INTERNACIONAL TRANSPORTE FERROVIÁRIO NACIONAL TRANSPORTE INTERNACIONAL POR OLEODUTO TRANSPORTE INTERNACIONAL POR VIAS NAVEGÁVEIS INTERIORES TRANSPORTE INTERNACIONAL POR VIAS NAVEGÁVEIS INTERIORES EFETUADO POR TERCEIROS TRANSPORTE LANÇADEIRA ( DE MERCADORIAS ) TRANSPORTE LANÇADEIRA ( DE PASSAGEIROS ) TRANSPORTE MARÍTIMO TRANSPORTE MARÍTIMO DE MERCADORIAS E DE PASSAGEIROS TRANSPORTE MARÍTIMO INTERNACIONAL TRANSPORTE MARÍTIMO NACIONAL TRANSPORTE NACIONAL POR OLEODUTO TRANSPORTE NACIONAL POR VIAS NAVEGÁVEIS INTERIORES TRANSPORTE POR CONTA DE OUTREM TRANSPORTE POR CONTA DE OUTREM ( TRANSPORTES POR VIAS NAVEGÁVEIS INTERIORES ) TRANSPORTE POR CONTA PRÓPRIA TRANSPORTE POR CONTA PRÓPRIA ( TRANSPORTES POR VIAS NAVEGÁVEIS INTERIORES ) TRANSPORTE POR OLEODUTO TRANSPORTE POR VIAS NAVEGÁVEIS INTERIORES TRANSPORTE POR VIAS NAVEGÁVEIS INTERIORES EM TRÂNSITO TRANSPORTE RODOVIÁRIO DE CABOTAGEM TRANSPORTE RODOVIÁRIO DE MERCADORIAS TRANSPORTE RODOVIÁRIO DE PASSAGEIROS TRANSPORTE RODOVIÁRIO EM TRÂNSITO TRANSPORTE RODOVIÁRIO INTERNACIONAL TRANSPORTE RODOVIÁRIO INTERNACIONAL EFETUADO POR TERCEIROS TRANSPORTE RODOVIÁRIO NACIONAL TRANSPORTE RODOVIÁRIO URBANO TRANSPORTE URBANO POR VIAS NAVEGÁVEIS INTERIORES TRANSPORTES COLETIVOS TRANSPORTES DE ALUGUER TRATOR AGRÍCOLA TRATOR RODOVIÁRIO TRIPULAÇÃO TROLEICARRO

U
UNIDADE AUTOMOTORA UNIDADE DE PASSAGEIRO UNIDADE RO-RO UNIDADE RO-RO COM AUTO-PROPULSÃO UNIDADE RO-RO SEM AUTO-PROPULSÃO USUÁRIO DO VEÍCULO RODOVIÁRIO PESADO DE MERCADORIAS UTILIZAÇÃO PRINCIPAL DO VEÍCULO

Página 169 de 176

http://geografismos.blogspot.com

CONCEITOS ESTATÍSTICOS VIGENTES ADOPTADOS PELO INSTITUTO NACIONAL DE ESTATÍSTICA FICHA INFORMATIVA

V
VAGÃO VAGÃO ABERTO DE BORDOS ALTOS VAGÃO BASCULANTE VAGÃO CALORÍFICO VAGÃO CARREGADO VAGÃO COMPLETO VAGÃO DIA VAGÃO ESPECIAL VAGÃO FECHADO VAGÃO FRIGORÍFICO VAGÃO ISOTÉRMICO VAGÃO PARA TRANSPORTE COMBINADO VAGÃO PARTICULAR VAGÃO REFRIGERADO VAGÃO-CISTERNA VAGÃO-PLATAFORMA VAGÃO-QUILÓMETRO VAGÃO-SILO VALE VALOR ACRESCENTADO ( TRANSPORTES ) VEÍCULO ARTICULADO VEÍCULO AUTOMÓVEL RODOVIÁRIO VEÍCULO AUTOMÓVEL RODOVIÁRIO PARA TRANSPORTE DE MERCADORIAS VEÍCULO CISTERNA VEÍCULO COMERCIAL LIGEIRO VEÍCULO COMERCIAL PESADO VEÍCULO DE CAIXA ABERTA VEÍCULO DE CAIXA FECHADA VEÍCULO DE MERCADORIAS CARREGADO VEÍCULO DE MERCADORIAS VAZIO VEÍCULO ESPECIAL VEÍCULO ESPECIALIZADO DE MANOBRAS EM TERRA NUMA INFRAESTRUTURA AEROPORTUÁRIA VEÍCULO FERROVIÁRIO VEÍCULO FERROVIÁRIO DE PASSAGEIROS VEÍCULO FRIGORÍFICO VEÍCULO IMOBILIZADO VEÍCULO ISOTÉRMICO VEÍCULO LIGEIRO VEÍCULO MATRICULADO VEÍCULO MOTOR VEÍCULO MOTOR-QUILÓMETRO VEÍCULO PESADO VEÍCULO PESADO DE MERCADORIAS VEÍCULO PESADO DE PASSAGEIROS ( AUTOCARRO ) VEÍCULO REBOCADO-QUILÓMETRO VEÍCULO REFRIGERADO VEÍCULO RODOVIÁRIO VEÍCULO RODOVIÁRIO DE MERCADORIAS VEÍCULO RODOVIÁRIO DE TRANSPORTE DE PASSAGEIROS

Página 170 de 176

http://geografismos.blogspot.com

CONCEITOS ESTATÍSTICOS VIGENTES ADOPTADOS PELO INSTITUTO NACIONAL DE ESTATÍSTICA FICHA INFORMATIVA

VEÍCULO RODOVIÁRIO EM TRÂNSITO VEÍCULO RODOVIÁRIO ENTRADO VEÍCULO RODOVIÁRIO ESPECIAL VEÍCULO RODOVIÁRIO ESTRANGEIRO VEÍCULO RODOVIÁRIO MOTORIZADO DE TRANSPORTE DE PASSAGEIROS VEÍCULO RODOVIÁRIO NACIONAL VEÍCULO RODOVIÁRIO PARA TRANSPORTE DE MERCADORIAS VEÍCULO RODOVIÁRIO SAÍDO VEÍCULO UTILIZADO VEÍCULO-QUILÓMETRO VEÍCULO-QUILÓMETRO VELOCIDADE MÁXIMA DE EXPLORAÇÃO VELOCÍPEDE VIA VIA VIA DE ELÉTRICO VIA ELETRIFICADA VIA NAVEGÁVEL VIA NAVEGÁVEL INTERIOR VIA PRINCIPAL VIA RÁPIDA VIA URBANA VIAS NAVEGÁVEIS INTERIORES UTILIZADAS REGULARMENTE PARA OS TRANSPORTES VIDEOCONFERÊNCIA VOO VOO COMERCIAL VOO COMERCIAL DE TRANSPORTE AÉREO VOO DE BUSCA E SALVAMENTO VOO DE CARGA OU CORREIO VOO DE DESDOBRAMENTO VOO DE ENSAIO VOO DE EXAME VOO DE INSTRUÇÃO VOO DE POSIÇÃO VOO DE TESTE VOO DE TREINO VOO DEMONSTRAÇÃO VOO DOMÉSTICO VOO EM CODE-SHARE VOO FERRY VOO INTERNACIONAL VOO MILITAR VOO PARTICULAR

W
WIDE AREA NETWORK WIRELESS FIDELITY WIRELESS LAN

Página 171 de 176

http://geografismos.blogspot.com

CONCEITOS ESTATÍSTICOS VIGENTES ADOPTADOS PELO INSTITUTO NACIONAL DE ESTATÍSTICA FICHA INFORMATIVA

Z
ZONA COSTEIRA MARÍTIMA

Página 172 de 176

http://geografismos.blogspot.com

CONCEITOS ESTATÍSTICOS VIGENTES ADOPTADOS PELO INSTITUTO NACIONAL DE ESTATÍSTICA FICHA INFORMATIVA

TURISMO: 126 REGISTOS

A
AGÊNCIA DE ALUGUER DE AUTOMÓVEIS E OUTROS VEÍCULOS AGÊNCIA DE VIAGENS AGROTURISMO ALDEAMENTO TURÍSTICO ALOJAMENTO EM CAMPOS DE TRABALHO E DE FÉRIAS ALOJAMENTO EM CENTROS DE CONFERÊNCIAS ALOJAMENTO EM ESTABELECIMENTOS DE SAÚDE ALOJAMENTO EM MEIOS DE TRANSPORTE COLETIVO ALOJAMENTO ESPECIALIZADO ALOJAMENTO FORNECIDO GRATUITAMENTE POR FAMILIARES E AMIGOS ALOJAMENTO TURÍSTICO ALOJAMENTO TURÍSTICO COLETIVO ALOJAMENTO TURÍSTICO PRIVADO AMBIENTE HABITUAL ANIMAÇÃO TURÍSTICA APARTAMENTO TURÍSTICO AQUISTA ATIVIDADES CARACTERÍSTICAS DO TURISMO ATIVIDADES CONEXAS DO TURISMO ATIVIDADES DE TRANSPORTE DE PASSAGEIROS ATIVIDADES ESPECÍFICAS DO TURISMO ATIVIDADES NÃO ESPECÍFICAS DO TURISMO

C
CAMPISMO CAMPISTA CANTINA CAPACIADADE DE ALOJAMENTO NOS PARQUES DE CAMPISMO CAPACIDADE DE ALOJAMENTO NOS ESTABELECIMENTOS DE ALOJAMENTO TURÍSTICO COLETIVO CARAVANISMO CASA DE CAMPO CASA DE FÉRIAS CIRCUITO TURÍSTICO COLÓNIA DE FÉRIAS COLONO CONSUMO DO TURISMO EMISSOR CONSUMO DO TURISMO INTERIOR CONSUMO DO TURISMO INTERNO CONSUMO DO TURISMO RECETOR

Página 173 de 176

http://geografismos.blogspot.com

CONCEITOS ESTATÍSTICOS VIGENTES ADOPTADOS PELO INSTITUTO NACIONAL DE ESTATÍSTICA FICHA INFORMATIVA

D
DENSIDADE TURÍSTICA DESLOCAÇÃO TURÍSTICA DE UM SÓ DIA DESPESA TURÍSTICA DESTINO TURÍSTICO DESTINO TURÍSTICO PRINCIPAL DORMIDA DURAÇÃO DA VIAGEM TURÍSTICA

E
EMPREENDIMENTO DE TURISMO DE HABITAÇÃO EMPREENDIMENTO DE TURISMO DE NATUREZA EMPREENDIMENTO DE TURISMO NO ESPAÇO RURAL ESTABELECIMENTO HOTELEIRO ESTABELECIMENTO TERMAL ESTADA MÉDIA NO ESTABELECIMENTO ESTALAGEM ESTÂNCIA TERMAL EXCURSÃO AO ESTRANGEIRO/EXCURSÃO NO PAÍS EXCURSÃO DE PASSAGEIROS DE NAVIO DE CRUZEIRO EXCURSÃO OU CIRCUITO EM PORTA FECHADA EXCURSIONISTA

F
FÉRIAS

G
GASTO MÉDIO DIÁRIO GASTO MÉDIO POR VISITANTE

H
HABITAÇÃO ARRENDADA PARA FINS TURÍSTICOS HÓSPEDE HOTEL HOTEL RESIDENCIAL HOTEL RURAL HOTEL-APARTAMENTO

I
INTENSIDADE TURÍSTICA

Página 174 de 176

http://geografismos.blogspot.com

CONCEITOS ESTATÍSTICOS VIGENTES ADOPTADOS PELO INSTITUTO NACIONAL DE ESTATÍSTICA FICHA INFORMATIVA

L
LOCAL DE ORIGEM

M
MEIO COMPLEMENTAR DE ALOJAMENTO TURÍSTICO MORADIA TURÍSTICA MOTEL MOTIVO PRINCIPAL DA VIAGEM TURÍSTICA

O
OUTROS ESTABELECIMENTOS DE ALOJAMENTO COLETIVO

P
PAÍS DE ORIGEM PAÍS DE RESIDÊNCIA PARQUE DE CAMPISMO E CARAVANISMO PENSÃO PENSÃO RESIDENCIAL PERMANÊNCIA MÉDIA POUSADA POUSADA DA JUVENTUDE PRINCIPAL MEIO DE TRANSPORTE UTILIZADO PRINCIPAL MODO DE ALOJAMENTO UTILIZADO PARA EFEITOS DE TURISMO PRODUTOS CARACTERÍSTICOS DO TURISMO PRODUTOS CONEXOS DO TURISMO PRODUTOS ESPECÍFICOS DO TURISMO PRODUTOS NÃO ESPECÍFICOS DO TURISMO PROVEITOS DE APOSENTO PROVEITOS TOTAIS DOS MEIOS DE ALOJAMENTO TURÍSTICO

Q
QUARTO ARRENDADO EM CASAS PARTICULARES

R
REGIÃO DE TURISMO RENT-A-CAR RESIDÊNCIA SECUNDÁRIA UTILIZADA PARA FINS TURÍSTICOS RESIDÊNCIA TURÍSTICA RESTAURAÇÃO

Página 175 de 176

http://geografismos.blogspot.com

CONCEITOS ESTATÍSTICOS VIGENTES ADOPTADOS PELO INSTITUTO NACIONAL DE ESTATÍSTICA FICHA INFORMATIVA

RESTAURANTE RESTAURANTE TÍPICO REVENUE PER AVAILABLE ROOM REVPAR RÓTULO ECOLÓGICO DO ALOJAMENTO TURÍSTICO

S
SISTEMA COMUNITÁRIO DE ECOGESTÃO E AUDITORIA

T
TAXA BRUTA DE OCUPAÇÃO-CAMA TAXA BRUTA DE OCUPAÇÃO-QUARTO TAXA DE SAZONALIDADE TAXA LÍQUIDA DE OCUPAÇÃO-CAMA TAXA LÍQUIDA DE OCUPAÇÃO-QUARTO TERMALISMO TERMALISTA TERMAS TURISMO TURISMO DE ALDEIA TURISMO EMISSOR TURISMO INTERIOR TURISMO INTERNACIONAL TURISMO INTERNO TURISMO NACIONAL TURISMO RECETOR TURISMO REGIONAL TURISTA

U
UNIDADE DE ALOJAMENTO DOS ESTABELECIMENTOS DE ALOJAMENTO TURÍSTICO UNIDADE DE TURISMO RURAL

V
VIAGEM ORGANIZADA VIAGEM TURÍSTICA VIAGENS E TURISMO VIAJANTE VIAJANTE EM TRÂNSITO VISITANTE

Página 176 de 176

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful