Você está na página 1de 3

PALANCA NEGRA GIGANTE Kangandala ANGOLA

PALANCA NEGRA GIGANTE Kangandala – ANGOLA
PALANCA NEGRA GIGANTE Kangandala – ANGOLA
PALANCA NEGRA GIGANTE Kangandala – ANGOLA
NUMA “SEXTA, 31 JULHO 2009 - 09:39 - VANDA DE CARVALHO”, DAVA ESTA NOTÍCIA: Novo

NUMA “SEXTA, 31 JULHO 2009 - 09:39 - VANDA DE CARVALHO”, DAVA ESTA NOTÍCIA:

Novo santuário para as Palancas Negras Os machos de palanca negra vistos no parque da Kangandala em Malange vão ser conduzidos a um santuário, criado nessa reserva nacional.

Essa informação foi dada por Waldemiro Russo, Director Nacional do Ambiente. Para ser realizada a tarefa de captura, uma equipa do ministério está em Malange.

A expedição do ministério do Ambiente termina em Agosto e o responsável garante que toda a informação será

passada aos angolanos. Director Nacional do Ambiente anunciou que foram encontrados mais dois machos da palanca Negra.

Os pesquisadores que ao longo de vários meses trabalham na localização da palanca negra no Parque de Kangandala em Malanje, anunciaram ter encontrado mais dois machos puros do antílope, o que representa um passo importante para a preservação desta espécie rara… A equipa de pesquisa havia encontrado apenas fêmeas da palanca.

*

A Palanca Negra Gigante faz parte do imaginário colectivo de todos os angolanos. A selecção nacional de futebol

intitula-se “Palancas Negras” e o animal foi usado como inspiração para o logotipo do CAN 2010 e da companhia de aviação TAAG. Foi desenhado um selo de correio, da autoria de Horácio da Mesquita, em sua homenagem. No final dos anos 80, os cientistas estavam muito preocupados com a palanca negra gigante, uma espécie protegida desde 1933 e um dos antílopes mais belos do mundo, cujos últimos exemplares viviam na província de Malanje. “Temia-se que a espécie tivesse desaparecido”, recorda Pedro Vaz Pinto, o biólogo angolano que fez do salvamento deste animal a sua missão de vida. Recorde-se que há duas grandes espécies de palancas. A “vermelha” (roan, em inglês). E a “preta” (sable) que tem quatro subespécies. A mais vulgar é a palanca “comum”, que pode ser avistada na África do Sul e Moçambique. Existe também as espécies “kirk” (Zâmbia), a “shimba” (Quénia) e a “gigante” (Angola). Esta última só pode ser vista em dois locais o Parque de Cangandala e a Reserva Natural do Luando ambos na província de Malanje. “A designação em português não é muito feliz. Embora o macho da palanca negra gigante tenha cor preta, a fêmea possui um tom castanho avermelhado”, diz Pedro Vaz Pinto. A palanca negra gigante é, sobretudo, reconhecida pelo tamanho dos seus chifres (o recorde do mundo é de 64 polegadas).

dos seus chifres (o recorde do mundo é de 64 polegadas). 1 O que é a

1 O que é a Palanca Negra Gigante? A palanca negra gigante (Hippotragus Niger Variani) é uma subespécie endémica

de Angola que só existe na província de Malanje.

2 Existem outras espécies de palancas? A vermelha (roan), que tem apenas uma raça, ou subespécie. E a preta (sable)

tem quatro raças: a palanca comum, a kirk, a shimba e a gigante (Angola).

3 Como pode ser reconhecida? A Palanca Negra Gigante mede de 1,90 a 2,50 metros e pesa entre 200 e 270 quilos. É

reconhecida pelo tamanho dos seus belos chifres (o recorde do mundo é de 1,62 metros) que são a sua melhor arma

de defesa e de ataque, longos e paralelos, curvados para trás. Há outros sinais visíveis tais como não ter uma faixa branca no focinho.

4 Quem a descobriu? Frank Varian, em 1909, um engenheiro belga que trabalhava nos Caminhos-de-ferro de Benguela. Graças aos seus cornos distintivos, é considerado como o mais belo e nobre de todos os antílopes.

5 Onde pode ser encontrada? É dos grandes mamíferos mais raros do mundo, com uma distribuição geográfica muito

restrita. Em Angola só pode ser vista em dois locais: o parque de Cangandala e a Reserva do Luando, ambos na província de Malanje. Nunca foi confirmada a sua presença fora destes locais. E nunca foram exportados quaisquer exemplares vivos de palancas negras gigantes para outras reservas, centros de reprodução ou jardins zoológicos.

6 Desde quando foi considerada uma espécie protegida? A palanca negra gigante está incluída na lista de espécies sob protecção absoluta (Classe A) pela Convenção para a

Protecção da Fauna e Flora Africana. Está também listada pela CITES (Convenção Internacional para o Intercâmbio de Espécies Selvagens de Fauna e Flora) e na Lista Vermelha da IUCN como uma espécie “criticamente ameaçada”.

7 O que se está a fazer em Angola para a proteger? Foi criado o Santuário da Palanca Real em 1938, depois elevado à

categoria de Reserva Natural Integral do Luando em 1955. Dois anos depois, para protecção adicional contra a caça furtiva, foi estabelecida uma multa de cem mil dólares pelo abate de cada animal. Após a descoberta de manadas de palancas na área da Cangandala criou-se, em 1963, a Reserva Natural da Cangandala que, em 1970, foi declarada como um Parque Nacional.

8 Quais são os principais hábitos da espécie? A palanca negra gigante vive em terrenos arborizados, em “haréns” de 10

a 30 animais, com um macho dominante ou em grupos celibatários de machos, sempre junto a cursos de água

permanentes. O seu período activo ocorre durante o início da manhã e ao cair da tarde. Alimenta-se de ervas e folhas.

9 Quem são os seus inimigos? Os seus principais predadores são a hiena, o leão e o leopardo.

Mas o pior de todos é, sem dúvida, o homem. Por ter sido caçada até à exaustão chegou a julgar-se que a espécie já estava extinta. 10 Quando é que pode ter crias? A palanca negra gigante atinge a maturidade sexual entre os 2 e 3 anos de idade. O período de gestação é de 9 meses. Na estação húmida a fêmea gera uma cria que desmama aos 8 meses. A mãe mantém-na escondida durante os primeiros dez dias de vida.

mantém-na escondida durante os primeiros dez dias de vida. A seguir (importante):

A seguir (importante):