Você está na página 1de 18

TUELA PROVISÓRIA, DE URGÊNCIA E

DE EVIDÊNCIA
• Art. 294. A tutela provisória pode
fundamentar-se em urgência ou evidência.
• Parágrafo único. A tutela provisória de
urgência, cautelar ou antecipada, pode ser
concedida em caráter antecedente ou
incidental.
CARACTERÍSTICA
• 1- PROVISORIEDADE – podem ser modificadas, ou revogadas de ofício pelo
juiz a qualquer momento – art. 296
Classificação
» cautelar
» urgência – “periculum in mora”
• TUTELA PROVISÓRIA (antecedente ou incidental) * tutela antecipada

• evidência

• antes do pedido principal (antecedente)


• MOMENTO na petição inicial (cumulativa)
• no curso do processo (incidental)

TUTELA DE URGÊNCIA = BINÔMINO PERIGO DE DANO-APARÊNCIA


DE DIREITO.
DEFERIMENTO DA LIMINAR COM OU SEM JUSTIFICAÇÃO PRÉVIA

• Quando os requisitos da tutela de urgência


estiverem comprados pelos documentos que
instruíram a petição inicial o juiz poderá conceder
a liminar à luz dos próprios elementos da petição
inicial
• Caso contrário, havendo necessidade de outros
provas, o deferimento dependerá de justificação
prévia (que pode ser até em audiência) e sem
ouvir a parte contrária (inaudita altera parte)
• Art. 300
• § 2o A tutela de urgência pode ser concedida
liminarmente ou após justificação prévia.
FUNGIBILIDADE
• Previsto no parágrafo único do art. 305

• Parágrafo único. Caso entenda que o pedido a


que se refere o caput tem natureza
antecipada, o juiz observará o disposto no art.
303.
CAUTELARES NOMINADAS E
INOMINADAS
• O CPC / 73 previa um elenco de ações cautelares
típicas ou nominadas (arresto , sequestro,
depósito, arrolamento de bens etc) e as
inominadas decorrentes do Poder Geral de
Cautela.
• O novo não distingue mais. O art. 301 prevê
algumas medidas cautelares (nominadas,
portanto) mas apenas exemplificativamente. Não
há mais requisitos e procedimentos próprios.
REQUESITOS e MOMENTO DA CONCESSÃO DAS TUTELAS DE URGÊNCIA

• 1- FUMUS BONI IURIS – ART. 300

• 2- PERICULUM IN MORA – ART. 300

• 3- REVERSIBILIDADE DA TA quando concedida em


caráter antecedente - §3º do art. 300.

• Art. 300. A tutela de urgência será concedida quando


houver elementos que evidenciem a probabilidade do
direito e o perigo de dano ou o risco ao resultado útil
do processo.
Caução
• O art. 300, §1º confere a faculdade do juiz
exigir caução real ou fidejussória em caso de
periculum in mora in reversum
LIMITAÇÕES CONTRA O PODER
PÚBLICO
• Art. 1.059. À tutela provisória requerida contra a
Fazenda Pública aplica-se o disposto nos arts. 1o a 4o da
Lei no 8.437, de 30 de junho de 1992, e no art. 7o, § 2o,
da Lei no 12.016, de 7 de agosto de 2009

• Art. 7º § 2o - Lei 12.016/2009 (Lei do MS)


• “ Não será concedida medida liminar que tenha por
objeto a compensação de créditos tributários, a
entrega de mercadorias e bens provenientes do
exterior, a reclassificação ou equiparação de servidores
públicos e a concessão de aumento ou a extensão de
vantagens ou pagamento de qualquer natureza”.
RESPONSABILIDADE CIVIL DA PARTE

• Art. 302. Independentemente da reparação por dano


processual, a parte responde pelo prejuízo que a efetivação
da tutela de urgência causar à parte adversa, se:
• I - a sentença lhe for desfavorável;
• II - obtida liminarmente a tutela em caráter antecedente,
não fornecer os meios necessários para a citação do
requerido no prazo de 5 (cinco) dias;
• III - ocorrer a cessação da eficácia da medida em qualquer
hipótese legal;
• IV - o juiz acolher a alegação de decadência ou prescrição
da pretensão do autor.
• Parágrafo único. A indenização será liquidada nos autos em
que a medida tiver sido concedida, sempre que possível
Tutela antecipada antecedente –
procedimento – 303/304
• Há aqui uma grande novidade. Se esta é boa ou não, só o tempo irá mostrar.
• Quando da propositura de uma ação, se já estiverem presentes os requisitos da TA, o autor poderá
optar por 01 das seguintes alternativas:
• 1- formular o pedido principal e requer a TA (como sempre ocorreu) ou.
• 2- formular apenas o pedido de TA e indicar que fará o pedido principal posteriormente. Deve
expor a lide e seu fundamento e inclusive dar valor à causa. Apenas não faz o pedido principal.
• O réu será citado e intimado para a audiência de conciliação. Porém, se ele não recorrer da decisão
(agravo de instrumento no prazo de 15 dias) esta decisão se tornará estável e o processo será
extinto.
• O autor tem o prazo de 15 dias (ou outro maior que o juiz fixar)para emendar a petição inicial e
formular o pedido principal e juntar (se for o caso) novos documentos. Tudo nos mesmos autos, sob
pena de extinção do processo. SE não for concedida a TA o juiz concede o prazo de 05 dias para
emendar a petição inicial.
• Estabilização é diferente de definitividade.
• A decisão é estável, porém, provisória, de modo que poderá ser revista em outra ação (perante o
mesmo juízo que se tornou prevento) dentro do prazo de 02 anos.
• A partir daí torna-se definitiva.
TUTELA CAUTELAR ANTECEDENTE –
305/310
• Petição inicial com os requisitos do art. 305
• (o juiz poderá aplicar a fungibilidade se entender ser caso de TA –
parágrafo único do ar.t 305).
• Citação do réu para contestar em 05 dias (art. 306), sob pena de
presunção de veracidade (307)
• Após a contestação segue o procedimento comum
• O autor tem prazo de 30 dias para formular o pedido principal
dentro dos mesmos autos (poderá fazer isto também no pedido de
TC).
• A novidade é que o autor poderá aditar a causa de pedir
independente de consentimento do réu.
• Apresentado o pedido principal as partes serão intimadas para a
audiência de conciliação ou de mediação sem necessidade de nova
citação do réu.
FLUXOGRAMA – TUTELA ANTECIPADA EM ANTECEDENTE

• Petição inicial – ART. 303

• Indeferida a TA deferida a TA

• Emenda da inicial aditamento da inicial em 15 dias


– Em 05 dias
• citação do réu para audiência de

• conciliação ou de mediação

• Em caso de acordo não havendo acordo

• Homologação réu deve contestar em 15


dias sob, pena de revelia
• OBS.
• Não havendo aditamento será extinto o processo
• Caso o ré não recorra da decisão que concedeu a TAA ocorrerá a estabilização,
passível de alteração somente através de outro processo a ser ajuizado no prazo
decadencial de 02 anos.
Fluxograma da tc antecedente
• PETIÇÃO INICIAL – art. 305

• CITAÇÃO DO REQUERIDO para contestar em 05 dias

• REVELIA CONTESTAÇÃO

• Efeitos da revelia observar-se-á o procedimento comum

• Decisão em 05 dias (não confundir o mérito cautelar com o mérito principal)

• OBS. O réu tem o processo de 30 dias para formular o pedido principal nos mesmos autos.
(308), podendo aditar a causa de pedir (§2º do 308). Este prazo conta-se a partir da efetivação
(cumprimento) da medida cautelar e não do seu deferimento
• Feito o aditamento é designada audiência de conciliação ou de mediação e as partes são
intimadas.
• O prazo para contestar o pedido principal começa a partir da audiência (não há nova citação).
• Caso seja indeferida a liminar, não há previsão de prazo para emendar a petição inicial.
UMBERTO T JR entende que não é possível emendar e sim propor ação nova, em autos próprios
(art. 310)
• Somente não será possível formular o pedido principal se o indeferimento da liminar se deu por
motivo de prescrição ou decadência.
CASOS EM QUE CESSA A EFICÁCIA DA
TC antecedente
• Art. 309. Cessa a eficácia da tutela concedida em caráter
antecedente, se:
• I - o autor não deduzir o pedido principal no prazo legal;
• II - não for efetivada dentro de 30 (trinta) dias;
• III - o juiz julgar improcedente o pedido principal formulado pelo
autor ou extinguir o processo sem resolução de mérito.
• Parágrafo único. Se por qualquer motivo cessar a eficácia da tutela
cautelar, é vedado à parte renovar o pedido, salvo sob novo
fundamento.
• Art. 310. O indeferimento da tutela cautelar não obsta a que a parte
formule o pedido principal, nem influi no julgamento desse, salvo
se o motivo do indeferimento for o reconhecimento de decadência
ou de prescrição.
TUTELA DE EVIDÊNCIA – 311
• A grande diferença da TA é que independe do perigo de dano. Portanto, não é
baseada na urgência e sim na grande probabilidade de êxito do autor ou como
uma punição para a conduta do réu:
• Art. 311. A tutela da evidência será concedida, independentemente da
demonstração de perigo de dano ou de risco ao resultado útil do processo,
quando:
• I - ficar caracterizado o abuso do direito de defesa ou o manifesto propósito
protelatório da parte;
• II - as alegações de fato puderem ser comprovadas apenas documentalmente e
houver tese firmada em julgamento de casos repetitivos ou em súmula vinculante;
• III - se tratar de pedido reipersecutório fundado em prova documental adequada
do contrato de depósito, caso em que será decretada a ordem de entrega do
objeto custodiado, sob cominação de multa;
• IV - a petição inicial for instruída com prova documental suficiente dos fatos
constitutivos do direito do autor, a que o réu não oponha prova capaz de gerar
dúvida razoável.
• Parágrafo único. Nas hipóteses dos incisos II e III, o juiz poderá decidir
liminarmente
Questões para debates
• 1- As tutelas provisórios precisam ser requeridas
ou podem ser concedidas de ofício pelo juiz (na
modalidade incidental)?
• 2- Há distinção entre medidas cautelares típicas
(nominadas) e atípicas (inominadas) que eram
previstas no antigo CPC?
• 3- Quais críticas poderiam ser feitas à
estabilização das TA antecedentes?
• 4- Quais críticas poderiam ser feitas à
necessidade de se contestar a ação cautelar?
CONCLUSÕES
• As tutelas de urgência não podem ser concedidas de ofício em razão do sistema de
responsabilização objetiva em face do requerente.
• As tutelas de evidência também dependem de requerimento em face do princípio da inércia
da jurisdição
• Não há distinções entre cautelares típicas (nominadas) ou atípicas (inominadas). Todas as
cautelares decorrem do poder geral de cautela e pressupõe apenas o periculum in mora e o
fumus boni iuris. O art. 301 contém um elenco de medicas cautelares apenas exemplificativas.
• A decisão que concede a TAA com efeito estabilizador não faz coisa julgada e somente poderá
ser revista ou alterada por iniciativa das partes, em outros autos, dentro do prazo decadencial
de 02 (dois) anos a partir da ciência da extinção do processo.
• Para haver a estabilização da demanda há necessidade de 02 (dois) requisitos negativos: 1-
ausência de agravo de instrumento contra a decisão e 2- ausência de emenda da petição
inicial.
• Indeferida a medida cautelar, poderá o autor emendar a petição inicial em 05 dias, por
analogia ao art. 303 parágrafo 6º, embora haja controvérsia
• Caso haja agravo de instrumento e não haja aditamento, o juiz deverá extinguir o feito sem
resolução do mérito, perderá a eficácia a TAA e deverá comunicar o tribunal que considerará
o prejudicado o agravo.
• Não deveria haver necessidade de contestação o pedido de TCA e nem julgamento desta.
Concedida a cautelar antecedente o requerido poderia agravar. Somente após a emenda da
petição inicial que poderia ele contestar.