Você está na página 1de 22

GESTÃO DO TRABALHO

EM ENFERMAGEM
ESTRATÉGIA E PLANEJAMENTO DOS SERVIÇOS
E DA ASSISTÊNCIA EM ENFERMAGEM

Profª Marília Varela


 O processo de enfermagem é a dinâmica das ações
sistematizadas e inter-relacionadas visando à
assistência ao ser humano.

 O plano de cuidados de enfermagem constitui-se em


um instrumento utilizado pelo enfermeiro e Técnicos
de Enfermagem para auxiliar no cuidado ao paciente,
sendo uma das etapas do processo de enfermagem.

 Plano de cuidados é um instrumento utilizado para


auxiliar na individualização do cuidado do paciente;
descreve qual cuidado o paciente deverá receber e
como esse cuidado poderá ser melhor executado.
Constitui um roteiro das ordens ou prescrições de
enfermagem, e como tal só será utilizado mediante
um planejamento.
 Inúmeras vantagens têm sido levantadas ao se
aplicar o plano de cuidados na prática
profissional, não só do ponto de vista do
profissional de saúde, mas principalmente do
paciente, por tornar a assistência de
enfermagem personalizada, eficiente e eficaz.

 Entretanto, para aplicá-lo de forma integral é


necessária uma mudança nos padrões
comportamentais e técnicos da assistência de
enfermagem.
 O plano de cuidados foi considerado pelos
técnicos de enfermagem de um Hospital Escola
de Belo Horizonte-MG, como um guia norteador
da assistência de enfermagem que facilita a
prestação do cuidado, preconizando sua
execução e ainda, economiza tempo e possibilita
uma assistência de qualidade com segurança.

 No entanto, neste mesmo estudo, foi citado pelos


técnicos de enfermagem que o plano de cuidados
ainda se limita à transcrição da prescrição médica
e não acrescentam dados às informações
requeridas para a prestação do cuidado
 Toda a equipe que cuida dos pacientes deve estar
envolvida na sua elaboração, tendo em vista ser este
um instrumento de orientação para o trabalho,
buscando adequar o atendimento prestado às reais
necessidades dos clientes.

 Na prática profissional, vários fatores tais como:


quadro de pessoal reduzido, sobrecarga de trabalho,
falta de preparo do pessoal para atender a
necessidade do trabalho, bem como fatores inerentes
ao processo gerencial, como a administração de
recursos materiais, físicos e de comunicação, têm
dificultado a elaboração, avaliação e atualização do
plano de cuidados.
A SAE ou o PE (Processo de Enfermagem) é
constituído de 5 etapas:

Histórico de Enfermagem - HE
Diagnóstico de Enfermagem – DE
Planejamento de Enfermagem – PE
Implementação de Enfermagem - IE
Avaliação de Enfermagem ou Evolução de
Enfermagem - EE.
1ª etapa - Histórico De Enfermagem – HE

Constituído por entrevista e exame físico.

A entrevista investiga a situação de saúde do cliente ou


comunidade, identificando os problemas e
necessidades passíveis de serem abordados nas
intervenções de Enfermagem.

O exame físico consiste nos 4 métodos propedêuticos:


INSPEÇÃO, PALPAÇÃO, PERCUSSÃO e AUSCULTA,
a chave para a realização de um exame físico eficiente
é um sólido conhecimento teórico e habilidades
técnicas apropriadas.
As diretrizes para elaboração do Histórico de Enfermagem
são:

 usar prontuário para dados de identificação, motivo, condições


de chegada e atendimento, entre outros, a fim de não se repetir
a investigação;

 é privativo do enfermeiro, devendo ser realizado na admissão ou


nas 24 ou 48 horas seguintes;

 é centrado nas alterações e condições de risco;

 é assinado e leva o número do COREN;

 deve vir com a guia instrucional e faz parte do prontuário;

 é feito com a autorização do cliente


Partes de um histórico
 a.Identificação:
 - nome por extenso; enfermaria, leito; registro; sexo e
idade; estado civil; filhos e respectivas idades; procedência
nacionalidade; ocupação com detalhes; grau de instrução;
religião (praticante ou não); data de admissão; que via foi
admitido (ambulatório ou PS)

 b.Hábitos:
- Meio ambiente: condições de moradia, água, esgoto, lixo,
luz; Cuidado corporal: banhados, unhas, cabelo, raspagem
de pelos (tricotomia); Eliminações: hábitos intestinais e
urinários, tabus, menstruação; Alimentação; Sono e repouso;
Exercícios e habilidades físicas; Recreação; Manutenção da
saúde exame médico periódico.
 c.Exame Físico:

- Condições gerais: vestuários, condições mental, expressão


facial, locomoção, peso altura, fumo, etilismo;

- Sinais vitais: freqüência e características (Pulso,


respiração, pressão arterial e temperatura);

- Queixa do paciente;

- problemas identificados.
 d.Problemas de saúde:

- o que o paciente acha da sua doença;

- que doenças já teve e suas experiências com hospitais;

- métodos ou preocupações: do hospital, da cirurgia, etc;

- fase da doença: grave, crônica, etc;

- resultados dos exames.


 2ª etapa – Diagnóstico de Enfermagem – DE

 Nessa fase o enfermeiro analisa os dados coletados e


avalia o estado de saúde do cliente através da
identificação e avaliação de problemas de saúde reais ou
potenciais que são passíveis da resolução por meio das
atividade de Enfermagem.
3ª etapa – Planejamento de Enfermagem – PE

 São as intervenções de Enfermagem.


 É a determinação global da assistência de Enfermagem
que o cliente deve receber diante do Diagnóstico de
enfermagem estabelecido; é o resultado da análise do
Diagnóstico, examinando as alterações, necessidades
afetadas e o grau de dependência.
Observação:
 F (fazer)
 A (ajudar)
 O (orientar)
 S (supervisionar)
 E (encaminhar)
4ª etapa - Implementação de Enfermagem – IE

 É a concretização do plano de atendimento ou assistencial pelo


roteiro aprazado que coordena a ação da equipe de
enfermagem na execução dos cuidados adequados ao
atendimento das necessidades básicas específicas do ser
humano.
 O momento da realização pode ser: admissional,
complementar diária e alta.
 Seu efeito pode ser de conduta ou de ação. A conduta modifica
o estado do cliente (repouso, curativo, orientação, termoterapia,
higiene, etc.) A ação da subsidio para avaliar o cliente ( SSVV,
administração de medicamentos, diurese, características de SS
e sintomas, etc.).
 Quanto a autonomia, pode ser independente, quando a decisão
é o enfermeiro (higiene, repouso, curativo, orientação, controle
de SSVV, etc.); dependente, quando é vinculada a decisão de
outros profissionais (medicamentos, exames, cirurgia, etc).
 As diretrizes são:

 Dirigidas pelos Diagnósticos e outros problemas de


Enfermagem (prescrição médica, exames, cirurgia,etc);

 Verbo no infinitivo e de ação ( Fazer, encaminhar, aplicar,


banhar, orientar, mosstrar, esclarecer, controlar, avaliar
,explicar, informar, lubrificar, acompanhar, etc...);
 Responde : O que? Como? Quando? Que parte do
corpo?;
 Seguir padrões mínimos de enfermagem (PME) e/ou
específicos;
 Atividade genérica (sem marcas de produtos);
 Atividade com ideia única;
 Numerada de acordo com o diagnóstico correspondente;
 Atividade privativa do enfermeiro;
 Letra legível sem rasuras;

 Validade do horário de acordo com o período;

 Divisão dos trabalhos por período;

 Checagem com rubrica;

 Data, nome e COREN. Utilizar carimbo.


5ª etapa – Avaliação – Evolução de Enfermagem (EE)

 É o relato aprazado das mudanças sucessivas que ocorrem


com o cliente enquanto está sob a assistência profissional.

 Anotar inicialmente a avaliação do plano de cuidado(PC).

Determina se os resultados foram atingidos, se as intervenções


(IE) foram efetivas e se são necessárias modificações.

Pode ser conceituada ainda como a análise das respostas do


cliente frente aos cuidados de enfermagem prescritos em
função dos resultados obtidos no prazo determinado.
São usados indicadores- qualificadores de avaliação:
 Ausente – Presente

 Melhorado – Piorado

 Mantido – Resolvido

 Os tipos são: diária, complementar e de alta


 As diretrizes são:

 Condição básica para evolução, EF e entrevista do


dia, evolução, prescrição e anotação de Enfermagem,
resultados de exames, prescrição médica;

 Os DE são avaliados em função de indicadores com


justificativas baseadas na orientação anterior;

 Deve ser precedida de horário;

 É atividade privativa do enfermeiro;

 Deve conter nome e COREN no carimbo.


 Prognóstico de Enfermagem

 O prognóstico indicará as condições que o cliente


atingiu na alta médica. Ele chegou a total independência
ou esta dependente

Anotações de Enfermagem

 É o registro das respostas do cliente frente aos PME e


aos cuidados individualizados logo após sua execução
e/ou registro das intercorrências.
 Diretrizes para as anotações de Enfermagem:

 Os padrões mínimos de Enfermagem- PME, os


cuidados específicos e as intercorrências são básicos
para a elaboração das anotações;

 As anotações são subsídios para todas as etapas da


SAE;
 Deve responder as prescrições de Enfermagem- PE;
 É competência de enfermeiros, técnicos e auxiliares
que executam cuidados;
 Deve conter horário antes do registro;
 Deve ser clara e concisa;
 Deve ter nome, função e número do COREN.
Dica para controle do processo:

 Cuidado prescrito

 Cuidado realizado

 Cuidado checado

 Cuidado anotado

 Cuidado assinado