Você está na página 1de 6

A política

Jacques Julliard
 A nova história e seus desdobramentos – novas
abordagens, novos problemas, novos objetos.

 A historiografia política francesa e a história dos


JULLIARD, Jacques. A política. Annales: a má reputação da história política entre os
In: LE GOFF, Jacques; NORA, franceses.
Pierre (Org.). História: novas
abordagens. Rio de Janeiro:
FranciscoAlves, 1988. p. 180-  A historiografia política francesa do século XIX:
196. psicológica, ignora os condicionamentos, elitista,
biográfica e ignora a sociedade global, ignora as
séries, ignora a comparação, ignora a análise, é
narrativa, é idealista e ignora o material, é ideológica e
não têm consciência de sê-lo, é parcial e não o sabe.
 “Tudo tomado em consideração, a história política
pereceu, vítima de suas más amizades. [...]” (p. 181)

 A retomada de interesse dos historiadores pelo campo


da política, o que teve resistência de grande parte dos
JULLIARD, Jacques. A política.
historiadores dos Annales, que argumentavam haver
In: LE GOFF, Jacques; NORA,
uma grande quantidade de temas que se abriam.
Pierre (Org.). História: novas
abordagens. Rio de Janeiro:
FranciscoAlves, 1988. p. 180-
 Nos dias de hoje, dissipou-se a ilusão de que se pode
196.
fazer desaparecer o universo político.

 A instância do político e as práticas políticas a partir da


lógica do marxismo de Althusser.
 É preciso ir mais longe, e questionar se a “volta do
político” não é consequência de um crescimento de sua
importância na sociedade.

JULLIARD, Jacques. A política.  O desenvolvimento dos meios modernos de


In: LE GOFF, Jacques; NORA,
comunicação e informação torna imediatamente
Pierre (Org.). História: novas
políticos um grande número de acontecimentos.
abordagens. Rio de Janeiro:
FranciscoAlves, 1988. p. 180-
196.
 Na medida em que os historiadores abdicaram do
político, os historiadores foram precedidos pelos
cientistas políticos e sociólogos nas análises dessas
questões.
 O novo campo de estudo da história política – René
Remond, Serge Bernstein e o debate sobre ideologias,
partidos políticos, linguagens e as novas possibilidades
de estudo.

JULLIARD, Jacques. A política.


In: LE GOFF, Jacques; NORA,  “Chega de uma história política que tinha resposta para
Pierre (Org.). História: novas tudo porque não fazia perguntas a nada nem a
abordagens. Rio de Janeiro: ninguém. [...]” (p. 185)
FranciscoAlves, 1988. p. 180-
196.
 Para Jacques Julliard, o historiador político deveria
fazer cada vez mais apelo ao longo prazo, quer dizer,
encarar a temporalidade em que trabalha sob o ângulo
da permanência.
 Reconciliada com a longa duração, a política reconcilia-
se cada vez mais com o quantitativo.

JULLIARD, Jacques. A política.


In: LE GOFF, Jacques; NORA,  Há, segundo o autor, a necessidade de recuperação de
Pierre (Org.). História: novas um atraso.
abordagens. Rio de Janeiro:
FranciscoAlves, 1988. p. 180-
196.  “[...] O atraso da história política coloca-se em situação
análoga e convida-a não somente a queimar etapas mas
a fazê-lo com a maior rapidez possível. [...]” (p. 193)