Você está na página 1de 51

CIPA

TREINAMENTO PARA
CIPEIROS
PROGRAMAÇÃO
1 -Estudo do ambiente, das condições de trabalho
2 - Metodologia de investigação e análise de acidentes e
doenças do trabalho
3 - Acidentes e Doenças do trabalho decorrentes de
exposição aos riscos
4 - as atribuições da CIPA
5 -Noções sobre a Síndrome da Imunodeficiência
Adquirida - AIDS
PROGRAMAÇÃO
6- Noções sobre legislações trabalhistas e previdenciária
relativas à Segurança e Saúde
7- Organização e outros assuntos necessários as
atribuições da CIPA
8 - Prevenção e Combate a Incêndio
9 - Mapeamento de Riscos Ambientais
10 - Primeiros Socorros.
O QUE É C.I.P.A.?
 É uma Comissão Interna de Prevenção de Acidentes
formada por funcionários da empresa, composta por
representantes do empregador e dos empregados, cujo
objetivo principal é a prevenção de acidentes no trabalho.

 Conforme Portaria 3214 de 08 de junho de 1978, todas as


empresas privadas e públicas são obrigadas a organizar e
manter em funcionamento, por estabelecimento, uma CIPA.

 Surgiu como uma recomendação da O.I.T. em 1921 e


transformou-se em determinação legal no Brasil em 1944 .
OBJETIVO
Prevenir acidentes e
doenças decorrentes
do trabalho, de modo
a tornar compatível
permanentemente o
trabalho com a
presença da vida e a
promoção da saúde do
trabalhador.
MISSÃO DO CIPEIRO
Observar e relatar as condições inseguras no ambiente
de trabalho.
Solicitar medidas para reduzir e até eliminar os riscos
existentes e ou neutralizar os mesmos.
Discutir os acidentes ocorridos e solicitar medidas que
previnam acidentes.
Orientar os demais trabalhadores quanto à prevenção
de acidentes.
PRINCIPAIS ATRIBUIÇÕES
 Identificar os riscos do processo de trabalho.
 Propor medidas para evitar a ocorrência de
acidentes e doenças no ambiente de trabalho.
 Realizar, periodicamente, verificações nos
ambientes e condições de trabalho.
PRINCIPAIS ATRIBUIÇÕES
 Divulgar aos trabalhadores informações relativas à
segurança e saúde no trabalho.
 Participar em conjunto com o SESMT, da análise das
causas das doenças e acidentes do trabalho e propor
medidas de solução.
 Promover, anualmente em conjunto com o SESMT, a
Semana Interna de Prevenção de Acidentes do
Trabalho – SIPAT.
DIMENSIONAMENTO

1 - CNAE - Código Nacional de Atividade Econômica.

2 - Grupo pertencente conforme NR-5.

3 - Quantidade de funcionários.

4 - Tabela conforme NR-5


ORGANIZAÇÃO
 Composta de representantes do empregador e dos
empregados.
 Os representantes dos empregadores serão por eles
designados.
 Os representantes dos empregados serão eleitos em
escrutínio secreto.
 O mandato terá a duração de um ano, permitida uma
reeleição.
 É vedada a dispensa arbitrária ou sem justa causa
do empregado eleito para cargo de direção de
Comissões Internas de Prevenção de Acidentes
desde o registro de sua candidatura até um ano após
o final de seu mandato;

 O empregador designará entre seus representantes


o Presidente da CIPA, e os representantes dos
empregados escolherão entre os titulares o Vice-
Presidente.
ATRIBUIÇÕES DO PRESIDENTE
 Coordenar as reuniões.
 Encaminhar ao empregador e ao SESMT, cópia das
atas de reunião e as decisões da comissão.
 Manter o empregador informado sobre os trabalhos
da CIPA.
 Coordenar e supervisionar as atividades do
secretário.
 Delegar atribuições ao Vice - Presidente.
 Encaminhar as reinvindicações da CIPA as áreas
responsáveis.
ATRIBUIÇÕES DO VICE-PRESIDENTE
 Executar as atribuições que lhe forem delegadas pelo
Presidente.
 Substituir o Presidente nos seus impedimentos
eventuais ou nos afastamentos temporários.
 Coordenar e supervisionar as atividades da CIPA,
zelando para que os objetivos propostos sejam
alcançados.
 Promover o relacionamento da CIPA com o SESMT;
 Divulgar as decisões da CIPA a todos os trabalhadores
da empresa.
FUNCIONAMENTO
 A CIPA terá reuniões ordinárias mensais,
de acordo com o calendário
preestabelecido.
 As reuniões ordinárias da CIPA serão
realizadas durante o expediente normal
da empresa.
 As reuniões da CIPA terão atas assinadas
pelos presentes.
 Só participam das reuniões os
membros titulares
ESTRUTURA DA REUNIÃO
 Análise dos acidentes ocorridos e investigação das
causas.
 Temas relacionados à Segurança do Trabalho.
 Ouvir propostas dos Cipeiros ou funcionários.
 Cobrar o cumprimento das reivindicações.
 Encaminhar reivindicações às áreas competentes da
empresa para as devidas providências.
CONSIDERAÇÕES
 O membro titular perderá o mandato, sendo
substituído pelo suplente, quando faltar a mais de
3 reuniões ordinárias sem justificativa.
 No caso de afastamento definitivo do Presidente, o
empregador indicará o substituto, em 2 dias úteis,
preferencialmente entre seus membros.
 No caso de afastamento definitivo do Vice-
Presidente, os membros titulares da representação
dos empregados escolherão o substituto, entre
seus titulares, em 2 dias úteis.
CURSO
BÁSICO
DE
SEGURANÇA
INTRODUÇÃO

Esta palestra foi criada e desenvolvida pela


Segurança do Trabalho, com o intuito de
proteger a saúde e integridade física do
trabalhador.
OBJETIVO
Levar a todos os participantes uma série de
informações sobre a Segurança do Trabalho,
mostrando a importância destes aspectos para
a vida profissional de cada um dos presentes.
INTRODUÇÃO A SEGURANÇA DO TRABALHO

• Acidente do Trabalho
- Conceito Prevencionista

• Causas dos Acidentes


- Condição Insegura
- Ato Inseguro
- Fator Pessoal de Insegurança
Acidente do Trabalho
- Conceito Prevencionista
Tipos de Acidente
• Acidente Pessoal
• Acidente de Trajeto
• Acidente Material e Pessoal
• Acidente Material (Incidente)
Com danos / Sem danos
• Acidente Pessoal Lesão
Com Lesão / Sem Lesão
EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL - EPI

Conforme a NR-6, Portaria 3.214,


é todo dispositivo de uso individual
destinado à proteger a integridade física do
trabalhador.

• Obrigação da Empresa.

• Obrigação do Funcionário.
PROTEÇÃO PARA A CABEÇA
Capacete

Protege contra

choque elétrico,

quedas de objetos

e outros.
PROTEÇÃO VISUAL E FACIAL
Proteção Auditiva

- Abafador atenua 25 dB.

- Plug atenua 18 dB.


PROTEÇÃO PARA MEMBROS

SUPERIORES

INFERIORES
PROTEÇÃO CONTRA QUEDA
Deverá ser
usado nos
trabalhos acima
de 2,00 metros
de altura.
EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO COLETIVA - EPC

São equipamentos que se destinam a proteção


coletiva dos trabalhadores e/ou transeuntes,
substituindo em alguns casos o EPI.

• Extintor de incêndio • Proteção Periféricas


• Plataformas/Bandejas • Aparador de detrito
• Isolamento de área • Tapumes/Galeria
• Telas de Fachadas • Cordas /Cabo – Guia
• Proteção de Elevador
• Sinalização
INSPEÇÃO DE SEGURANÇA
OBJETIVO E FINALIDADE:
Reconhecimento de riscos capazes de causar danos
a saúde do trabalhador, detectando-os e
implantando medidas visando eliminá-los ou
minimizá-los.
MEIOS:
- Levantamento das causas
- Relatório de inspeção
RELATÓRIO DE INSPEÇÃO
Registro em relatório, contendo os itens observados,
constando ainda local e o que foi verificado, bem
como as medidas e / ou recomendações de
segurança.

TIPOS DE INSPEÇÃO:
-INSPEÇÃO GERAL
- INSPEÇÃO PARCIAL
- INSPEÇÃO PERIÓDICA
- INSPEÇÃO ESPECIAL
- INSPEÇÃO DE RISCOS ESPECÍFICOS
FOLHA-GUIA DE INSPEÇÃO DE SEGURANÇA
CHECK-LIST

Lista que tem o objetivo de servir de guia


para os pontos que devem ser verificados,
devendo ser ampliada de acordo com as
necessidades e características da empresa.
INVESTIGAÇÃO DOS ACIDENTES
OBJETIVO:

Tem como finalidade evitar a reincidência do acidente.

A CIPA E A SUA RESPONSABILIDADE NA INVESTIGAÇÃO DE


ACIDENTES

É de fundamental importância, principalmente


quando a empresa não possuir SESMT.
ACIDENTES GRAVES

No caso de acidentes graves, a CIPA deverá se


reunir extraordinariamente até dois dias após o
infortúnio.

Procedimentos de Investigação de Acidentes


- O Que causou o acidente?
Procura das Causas dos Acidentes

• Coletar e registrar os fatos, incluindo os


relacionamentos organizacionais, as
ocorrências similares e outras
informações que sejam úteis e
importantes.
• Identificar as causas básicas.
Procura das Causas dos Acidentes

• Investigar imediatamente após o acidente.


• Entrevistar pessoas que presenciaram o
acidente.
• Recomendar ações corretivas.
Fatores importantes a serem analisados:

• Fonte da lesão
• Fator Pessoal de Insegurança
• Natureza da lesão
• Localização da lesão
ANÁLISE DOS ACIDENTES
• Comunicação do Acidente do Trabalho / Empresa /
INSS
• Cadastro de acidentados / Análise das causas
mecânicas e Pessoais dos Acidentes
• Medidas de Segurança a serem adotadas
• Estatística de Acidentes
MAPEAMENTO DE RISCOS AMBIENTAIS
Fundamentação Legal NR-5
Objetivos:
• Estabelecer o diagnóstico da a situação de
Segurança e Medicina do Trabalho na empresa

• Possibilitar durante a sua elaboração a troca de


informações entre os trabalhadores, bem como
a sua participação nas atividades de prevenção
MAPA DE RISCOS
DEFINIÇÃO
É uma representação gráfica decorrente de uma
avaliação dos riscos ocupacionais existentes nos locais
de trabalho, baseado no layout da empresa
OBJETIVO

Reunir informações necessárias para conscientizar os


trabalhadores sobre os riscos a que estão expostos no
setor e/ou estabelecimento. Os Mapas de Riscos devem
estar em local visível de modo que conscientize os
trabalhadores
GRANDE
MÉDIO PEQUENO
Ruído Vírus

Vibrações Bactérias Arranjo físico

Riscos de Acidentes
Inadequado

Riscos Biológicos
Umidade Protozoários
Riscos Físicos

Iluminação
Radiações Fungos inadequada
Parasitas Máquinas e
Frio/ Calor
equipamentos
Bacilos
sem proteção
Poeiras Esforço físico Intenso
Fumos Exigência de postura
Riscos Químicos

Névoas inadequada

Ergonômicos
Neblinas Monotonia e
Gases repetitividade
Vapores
Riscos
Imposição de ritmos
Subst. químicas excessivos
em geral
PRINCIPAIS RISCOS DE ACIDENTES NA
CONSTRUÇÃO CIVIL

QUEDAS EM CHOQUE QUEDAS DE


ALTURAS ELÉTRICO MATERIAS
QUEDAS EM ALTURA

Risco

 Fraturas

 Cotusão

 Óbito
QUEDAS EM ALTURA

Medidas de prevenção

 Utilizar proteções periférica (guarda


corpos) nos planos de trabalho.
 Formar e informar.
 Utilizar cinto de segurança.
QUEDAS EM ALTURA
Principais causas de acidente de trabalho em
andaime
 Derrubamento ou desmoronamento.
 Ruptura.
 Perda de equilibro do trabalhador.
 Queda de matérias.
 Contatos com linhas aéreas ( dos corpos ou por
intermédio de um objeto ) devido ao desrespeito
pela distância de segurança e ausência de
proteção.
CHOQUE ELÉTRICO

Risco

 Electrocussão

 Queimadura
CHOQUE ELETRICO
Medidas de prevenção
 Utilizar sempre que possível equipamento
pneumático.
 Respeitar as distâncias de segurança sempre
que haja trabalho na proximidade de linhas
aéreas ou subterrâneas.
 Utilizar sistemas de corte automático com
recurso a disjuntores diferenciais.
CHOQUE ELETRICO
Medidas de prevenção
 Não fazer ligações ou arranjos provisórios
nem modificar as instalações elétricas.
 Recorrer sempre a técnicos especializados
para a manutenção e reparação elétrica.
 Utilizar ferramentas adequadas.
 Formar e informar.
 Utilizar EPI adequado.
QUEDAS DE MATERIAS
Risco

 Esmagamento
QUEDAS DE MATERIAS

Medidas de prevenção

 Utilizar plataformas adequadas para


recepção de materiais
 Formar e informar
 Respeitar as sinalizações
COMO EVITAR ACIDENTE
 Cumprindo as Normas de Segurança
estabelecidas pela empresa.
 Utilizando os equipamentos de proteção
individual destinados à função.
 Não desenvolvendo atividades as quais
não está qualificado.
 Informando toda e qualquer anormalidade
que possa gerar acidentes