Você está na página 1de 22

Zoologia Geral

Profa: Kátia M. Medeiros de Siqueira


Conteúdo programático
 Histórico;
 Introdução: por que estudar zoologia, o estudo da
zoologia;
 Classificação e Nomenclatura: classificação,
finalidades e métodos, sistemática filogenética,
tradicional e cladística.
 Reinos e Domínios;
 Classificação e nomenclatura: os reinos, espécie,
grupos superiores, regras de nomenclatura, caracteres
gerais usados na classificação, classificação do Reino
Animalia, uso de uma chave de classificação;
 Relação entre os seres vivos: harmônicas e
desarmônicas, intraespecíficas e interespecíficas;
Conteúdo programático
 Reino Protoctista: introdução, caracteres gerais,
classificação dos protistas, Filo Protozoa, Classe
Sarcodina, Classe Ciliophora;
 Filo Platyhelminthes, caracteres gerais,
classificação, classe Turbellaria, Classe Trematoda
e Classe Cestoda;
 Filo Nematoda: caracteres gerais, classificação dos
nematóides, ciclo evolutivo do Ascaris lumbricoides,
ciclo evolutivo da Wuchereria brancofti, nematóides
de plantas;
 Filo Annelida: caracteres gerais, classificação,
classe Polychaeta , classe Hirudínea e Olygocheta
Conteúdo programático
 Filo Arthopoda; carasteres gerais, adaptações
evolutivas dos artropodos, classe Insecta,
Classificação dos Insetos, morfofisiologia dos Insetos;
 Filo Cordata: caracteres gerais;
 Sub-Filo Vertebrata: caracteres gerais;
 Seminário Classe Condrichytes e Osteichytes;
 Seminário Classe Amphibia;
 Seminário Classe Reptilia;
 Seminário Classe Aves;
 Seminário Classe Mammalia .
Bibliografia
 BARNES , R. D. Zoologia dos Invertebrados, Barcelona,
Interamericana, 1996
 KREBS, J.R. Introdução à Ecologia Comportamental.
Atheneu Editora, São Paulo, 1996
 POUGH, F. H. A vida dos vertebrados, Ed. Atheneu, São
Paulo, 1993.
 STORER, T.I. & USINGER, R.L. Zoologia Geral, São
Paulo, Companhia Editora Nacional, 1991.
 HICKMAN, C. P., ROBERTS, L. S., LARSON, A.
Princípios integrados de zoologia, Ed. Guanabara
Koogan, Rio de Janeiro, 2004.
Histórico

Primeiro Zoólogo - Aristóteles (384-322 a.C.)


Historiae animalium, 9 livros
De Generation et Corruption, 2 livros
De Generatione Animallium, 5 livros
De Partibus Animalium, 4 livros
Primeiro sistema de classificação dos animais, existência de órgãos
homólogos e órgãos análogos e a adaptação estrutural e funcional dos
seres vivos ao meio.

Plínio (23-79 d.C.)- escreveu uma história Natural, com 37 volumes.

Santo Agostinho (354 - 430 d.C.), por razões físicas e teológicas, proibiu
a existência de homens e animais no Hemisfério Sul. O descobrimento
da América do Sul mostrou que sim, existiam homens e animais por
aqui, o que causou grande revolução nas ideias de distribuição da
fauna.
Idade Média- fase de regressão (séculos V a XV)

Mundo árabe - Al-Yahiz, que viveu no século lX e elaborou um dos


primeiros tratados de zoologia, o Livro dos animais, nesta obra, o autor
discorre sobre variados assuntos, entre os quais há que frisar os que
dizem respeito à organização social de insetos (especialmente
formigas), à psicologia e comunicação animal; e Avicena (Ibn Sina),
que no século XI redigiu, entre outras obras de interesse capital, o
Cânon de medicinas, paradigma da ciência biológica medieval.

Carl Linnaeus (1707-1778) que criou o sistema nominal adotando dois


nomes em latim (gênero e espécie) que é usado até os dias de hoje.

Renascença (século XIV a XVII)


O que é a Zoologia?
“ Ramo da Biologia que engloba
todos os aspectos da biologia
animal, inclusive relações entre
animais e ambiente"
O que caracteriza um animal ?
 Filo Cnidaria, Classe Anthozoa

 Filo Porifera
Insetos que realizam fotossíntese são descobertos

Foi confirmada a capacidade da superfamília dos


afídeos de realizar fotossíntese de acordo com o
artigo “Light- induced electron transfer and ATP
synthesis in a carotene synthesizing insect”
publicado na revista Nature desta semana pelos
pesquisadores franceses Jean Christophe
Valmalette, Aviv Dombrovsky, Pierre Brat,
Christian Mertz, Maria Capovilla e Alain Robichon.
O artigo relata a captura de energia luminosa
durante o processo metabólico por meio da foto
transferência de elétrons induzida a partir de
cromóforos excitados.
Os potenciais de oxirredução das moléculas envolvidas neste processo seriam
compatíveis com a redução do NAD + coenzima. Em, outras palavras, um sistema
fotossintético – que mesmo sendo rudimentar – é capaz de utilizar esses elétrons
foto-emitidos no mecanismo mitocondrial a fim de sintetizar moléculas de ATP, ou
seja, fornecer energia útil para sustentar o organismo em seu ciclo vital.

http://hypescience.com/e-descoberta-superfamilia-de-insetos-que-realiza-fotossintese/
ZOOLOGIA GERAL

Objeto de estudo da Zoologia- Diversidade

Biodiversidade
Biodiversidade- conceitos
"A soma de todos os diferentes tipos de organismos
que habitam uma região tal como o planeta inteiro, o
continente africano, a Bacia Amazônica, ou nossos
quintais" (Andy Dobson).

"A totalidade de gens, espécies e ecossistemas de


uma região e do mundo" (Estratégia Global de
Biodiversidade)

"A variedade total de vida na Terra. Inclui todos os


genes, espécies, e ecossistemas, e os processos
ecológicos de que são parte" (ICBP - Conselho
Internacional para a Proteção das Aves)
Biodiversidade abrange diferentes níveis de
organização da vida. Tais níveis formam uma
certa hierarquia.
genes > que pertencem a organismos > que
compõem populações > que pertencem a espécies
> cujos conjuntos formam comunidades > que fazem
parte dos ecossistemas

Convenção da Diversidade Biológica


“Diversidade biológica significa a variabilidade de organismos vivos
de todas as origens, compreendendo, dentre outros, os ecossistemas
terrestres, marinhos e outros ecossistemas aquáticos e os complexos
ecológicos de que fazem parte; compreendendo ainda a diversidade
dentro de espécies, entre espécies e de ecossistemas." (CDB, Artigo 2)
Biodiversidade
Diversidade intraespecífica

Dimorfismo sexual - as diferenças entre os genitores podem ser claras,


como em certos besouros, certas aves e alguns peixes ou não tão claras,
ao menos externamente nos quais é difícil distinguir o macho da fêmea,
a exemplo do que ocorre nos ouriços do mar.

Diferenças no desenvolvimento - uma forma jovem pode ser


completamente diferente da adulta, como por exemplo, girino e sapo,
lagarta e borboleta, estádios larvais de muitos animais marinhos adultos.

Diferenças individuais - devido ao patrimônio genético de cada


indivíduo são encontradas diferenças em tamanho, cor, forma,
comportamento, particularidades exploradas pelo homem no
desenvolvimento de variedades de animais domesticados.
Biodiversidade
Diversidade interespecífica
Tamanho

Morfologia

Fisiologia

Simetria

Habitats
Por que estudar os animais?

“O homem é um produto do processo evolutivo,


deste modo a aquisição de conhecimentos sobre
os animais é necessária como parte da
incessante busca de compreensão da natureza e
da posição que o próprio homem nela ocupa”.
Para que estudar os animais?
 Conhecer a estrutura e funcionamento dos
mesmos;
■ Compreender as relações entre os animais,
destes com as plantas e com o ambiente;
■ Buscar soluções para problemas de saúde
humana;
■ Aplicar conhecimentos adquiridos na busca
de alimentos; vestuário e medicamentos;
■ Contemplação da natureza, lazer e
companhia;
Como estudar os animais?

 Conhecimentos populares
 Conhecimentos técnicos-científicos

Estudos laboratoriais- anatômicos, fisiológicos,


genéticos;
Estudos de campo- comportamentais,
reprodução, migração, alimentação, etc.
Diversidade Biológica
 Número de grupos diferentes e caracteres
diferentes que os grupos apresentam.
O número de espécies formalmente descritas na literatura é
ligeiramente inferior a 2.000.000;

Alguns cálculos indicam que a diversidade atual representa apenas


cerca de 1% da diversidade produzida na história biológica, com
milhões de espécies extintas ao longo de alguns bilhões de anos de
evolução biológica, o que eleva o número de espécies talvez acima
de cem milhões;
A diversidade de caracteres pode ser mensurada segundo diferentes
critérios, exemplo: informação gênica, estimando-se o número de
genes nas cadeias de DNA de cada organismo, bactérias 103 ,
drosófila 104 e no homem 105.
PROBLEMAS
 Procurar em alguma extensão descrever
essa diversidade;
 Tentar encontrar que tipo de ordem existe (se
houver alguma) subjacente à diversidade;
 Compreender os processos que são
responsáveis pela geração dessa
diversidade;
 Apresentar um sistema geral de referência.