Você está na página 1de 2

BRUCE DICKINSON

Paul Bruce Dickinson — ou Bruce Bruce/Air Raid Siren Dickinson, como foi
apelidado por tentar quebrar uma peça de vidro no Chelsea College com um grito
bastante estridente, nasceu em 7 de Agosto de 1958 em Worksop Notts, Inglaterra.

Aos treze anos de idade, Bruce começou escutando heavy-metal com o


disco "In Rock" do Deep Purple e começou sua carreira na música pela banda STYX,
que era uma mistura de Judas Priest com Stranglers, mas nunca gravou nada pela
banda. Passou depois pelo Shots que soava como Deep Purple só que mais pesado,
também sem gravar nada. Em Junho 1979 entrou na banda Samson, participando de
algumas gravações. Atendia pelo apelido de "Bruce Bruce", tocava harmônica e
guitarra até então. Finalmente em Setembro de 1981 foi convidado para entrar na
banda Iron Maiden, como vocalista. Desde então, Bruce continou na banda até final de
1993, quando saiu para começar sua carreira solo.

Mas a ambição da carreira solo começou cedo. O Iron Maiden até 1992 foi
— e na minha opinião ainda é — a maior e uma das mais importantes bandas de
heavy-metal tradicional e clássico. Este título vem acompanhando a banda desde 1984,
quando tocou para mais de 200.000 pessoas no Rock In Rio e foi premiada no evento
Mosters Of Rock.

Em 1990, começou um trabalho que denominou "Bruce Dickinson Solo


Project", gravando seu primeiro single, chamado "Tattooed Millionaire" com o futuro
guitarrista do Maiden, Janick Gers. Também fez parte da trilha sonora do filme
"Nightmare on Elm Street V - The Dream Child" (A Hora do Pesadelo V ou Pesadelo na
Rua Elm), com a música Bring Your Doughter To the Slaughter, que também foi
incluida no álbum "No Prayer for the Dying" do Maiden.

Bruce também teve participações em gravações como Rock Aid Armenia em


1990, para ajudar o povo da Armênia que foi atingida por um terremoto no mesmo ano.

Em 1994, já fora do Maiden, Bruce continua seu projeto solo, lançando o


álbum Balls to Picasso. Deste álbum podemos destacar a canção "Tears of the
Dragon", cujo vídeo-clipe foi muito bem produzido. No mesmo ano, Bruce participou da
gravação do Nativity in Black, um tributo ao Black Sabbath. Ele foi responsável por
nada mais nada menos que os vocais na música "Sabbath Bloody Sabbath".

Um ano depois Bruce concluiu a gravação do álbum Skunkworks e formou


uma espécie de "parceria" com o guitarrista Roy Z, cujo teve importante participação no
Balls to Picasso. Em 1997 Dickinson gravou o álbum "Accident of Birth", onde mudou
um pouco de seu estilo.

No novo álbum, produzido por Roy Z, Roy e Bruce misturaram um pouco do


heavy-metal tradicional com pesados ritmos de punk rock. Mas este álbum possui
muitos contrastes.
A faixa "Man Of Sorrows" apresenta teclados e um ritmo bastante leve,
assim como na última faixa do disco, "Arc Of Space", que é totalmente acústica.

Mas a mistura não para por ai. Alguns efeitos de música tipo Techno
também foram "adaptados" em algumas músicas pesadas.

Ao terminar algumas gravações do Accident Of Birth, Roy Z e Dickinson


chegaram a conclusão que precisavam de um outro guitarrista urgentemente. Bruce
não pensou duas vezes, pegou o telefone e convidou Adrian para entrar no grupo.
Adrian Smith, ex-guitarrista do Iron Maiden, que depois de ter alegado que sua música
já não estava no mesmo nível que do Maiden e que ele não tinha mais condições de
continuar rendendo tanto para a banda, formou um outro grupo que ficou quase
desconhecido e sem gravadora, o Psycho Motel.

Não muito tempo depois de terminar a turnê do AOB, Bruce, Adrian e The
Tribe of Gypsies (banda do Roy Z), voltaram ao estúdio para gravar o álbum 'The
Chemical Wedding', considerado até então o melhor disco da carreira de Bruce. As
únicas faixas lentas do álbum são Jerusalem e The Gates of Urizen - que já não são
muito leves -, as demais trazem o mesmo estilo pesado do AOB.

Biografia retirada da página de Leonardo Motta dedicada a Bruce Dickinson


URL: http://members.tripod.com/~dsAquarius/port/

www.sti.com.br