Você está na página 1de 4

Sistema Cardiovascular

1. Conceito:
O sistema cardiovascular ou circulatório é uma vasta rede de tubos de vários
tipos e calibres, que põe em comunicação todas as partes do corpo. Dentro
desses tubos circula o sangue, impulsionado pelas contrações rítmicas do
coração. O sistema cardiovascular ou aparelho cardiovascular ou aparelho
circulatório funciona para fornecer e manter suficiente, contínuo e variável o
fluxo sangüíneo aos diversos tecidos do organismo, segundo suas
necessidades metabólicas, para desempenho das funções que, devem cumprir
em face das diversas exigências funcionais a que o organismo está sujeito.

2. Órgãos que o compõem


O sistema cardiovascular compõe-se das seguintes
estruturas:
a) coração;
b) vasos arteriais (sistema vascular arterial);
c) sistema tubular trocador (microcirculação);
d) vasos venosos (sistema vascular venoso);
e) vasos linfáticos (sistema vascular linfático).

3. Funções
- transporte de gases: os pulmões, responsáveis pela obtenção de oxigênio e
pela eliminação de dióxido de carbono, comunicam-se com os demais tecidos
do corpo por meio do sangue.

- transporte de nutrientes: no tubo digestivo, os nutrientes resultantes da


digestão passam através de um fino epitélio e alcançam o sangue. Por essa
verdadeira "auto-estrada", os nutrientes são levados aos tecidos do corpo, nos
quais se difundem para o líquido intersticial que banha as células.

- transporte de resíduos metabólicos: a atividade metabólica das células do


corpo origina resíduos, mas apenas alguns órgãos podem eliminá-los para o
meio externo. O transporte dessas substâncias, de onde são formadas até os
órgãos de excreção, é feito pelo sangue.

- transporte de hormônios: hormônios são substâncias secretadas por certos


órgãos, distribuídas pelo sangue e capazes de modificar o funcionamento de
outros órgãos do corpo. A colecistocinina, por exemplo, é produzida pelo
duodeno, durante a passagem do alimento, e lançada no sangue. Um de seus
efeitos é estimular a contração da vesícula biliar e a liberação da bile no
duodeno.

- intercâmbio de materiais: algumas substâncias são produzidas ou


armazenadas em uma parte do corpo e utilizadas em outra parte. Células do
fígado, por exemplo, armazenam moléculas de glicogênio, que, ao serem
quebradas, liberam glicose, que o sangue leva para outras células do corpo.

- transporte de calor: o sangue também é utilizado na distribuição homogênea


de calor pelas diversas partes do organismo, colaborando na manutenção de
uma temperatura adequada em todas as regiões; permite ainda levar calor até
a superfície corporal, onde pode ser dissipado.

- distribuição de mecanismos de defesa: pelo sangue circulam anticorpos e


células fagocitárias, componentes da defesa contra agentes infecciosos.

- coagulação sangüínea: pelo sangue circulam as plaquetas, pedaços de um


tipo celular da medula óssea (megacariócito), com função na coagulação
sangüínea. O sangue contém ainda fatores de coagulação, capazes de
bloquear eventuais vazamentos em caso de rompimento de um vaso
sangüíneo.

4. Características do coração: peso, movimento, musculatura.


O coração é um órgão oco, aproximadamente esférico, constituído de paredes
musculares que delimitam quatro cavidades
- os átrios direito e esquerdo e os ventrículos direito e
esquerdo. O átrio direito e o ventrículo direito constituem o coração direito, ou
lado direito do órgão, e o átrio esquerdo e ventrículo esquerdo integram o
coração esquerdo, ou lado esquerdo do órgão.
O coração tem o tamanho da mão fechada e pesa cerca de 300 g. O coração é
composto de uma estrutura muscular espessa, de cerca de 1 - 2 cm,
denominada miocárdio, que integra as paredes das cavidades atriais e
ventriculares. O miocárdio está envolto externamente por uma estrutura
membranosa, o pericárdio, cuja função é proteger o miocárdio e permitir o
suave deslizamento das paredes do órgão durante o seu funcionamento
mecânico, pois contém líquido lubrificante em seu interior. Internamente, o
miocárdio é recoberto pelo endocárdio, a membrana de proteção interna que
fica em contato direto com o sangue, separando a musculatura, do interior das
cavidades do órgão. O desempenho de sua função depende de algumas
propriedades:
Propriedades eletrofisiológicas: são especialmente próprias do tecido
excitocondutor do coração e incluem o automatismo, a condutibilidade e a
excitabilidade.
O automatismo é a capacidade que tem o coração de gerar seu próprio
estímulo elétrico, que promove a contração das células miocárdicas contráteis,
o grau do automatismo que determina o ritmo cardíaco, ou a freqüência dos
batimentos do coração, a qual
varia normalmente de 60 a 100 vezes por minuto.
A condutibilidade diz respeito à capacidade de condução do estímulo elétrico,
gerado em um determinado local, ao longo de todo o órgão, para cada uma das
suas células.
A excitabilidade refere-se à capacidade que cada célula do coração tem de se
excitar em resposta a um estímulo elétrico, mecânico ou químico, gerando um
impulso elétrico que pode se conduzir, no caso do tecido excitocondutor, ou
gerando uma resposta contrátil, no caso do miocárdio.
Propriedades mecânicas: são a contratilidade e o relaxamento.
A contratilidade é a capacidade de contração do coração, que leva a ejeção
de um determinado volume sangüíneo para os tecidos e provoca o
esvaziamento do órgão.
O relaxamento é a capacidade de desativação da contração,que resulta em
retorno de um volume de sangue e no enchimento do coração.

5. Valvas do coração:
As valvas são retalhos (flaps) musculares que se abrem e fecham; este
movimento de abrir e fechar faz com que o sangue seja direcionado de maneira
correta. Possui 4 valvas: ssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssss
• A valva tricúspide regula o fluxo do sangue entre o átrio direito e o ventrículo
direito.
• A valva pulmonar se abre para permitir ao sangue fluir do ventrículo direito
aos pulmões.
• A valva mitral regula o fluxo do sangue entre o átrio esquerdo e o ventrículo
esquerdo.
• A valva aórtica permite ao sangue fluir do ventrículo esquerdo à aorta
ascendente

6. Conceito:
A. Artérias: São os vasos que levam o sangue do coração para todos os
tecidos e órgãos do corpo; possuem uma camada de tecido muscular liso que
lhes confere elasticidade necessária para suportar toda a pressão sangüínea
transmitida pelo coração, por isso elas pulsam. Ao contrário das veias, que
conduzem o sangue desoxigenado de volta ao coração, as artérias levam o
sangue rico em oxigênio para todo o corpo. Isto se dá através do sistema
circulatório. As artérias são vasos sanguíneos que conduzem o sangue com
grande pressão, uma vez que este, deverá chegar a todas as partes do corpo
levando oxigênio e nutrientes a todas às células.

B. Veias: São vasos que levam o sangue dos tecidos e órgãos para o coração;
geralmente possui um diâmetro maior do que das artérias correspondentes;
não possuem camada muscular, logo sua parede não é tão elástica como as
das artérias, o que não permite que elas pulsem; suas paredes possuem
válvulas que evitam o refluxo do sangue, facilitando o retorno venoso. Têm a
tarefa de trazer de volta o sangue da periferia para o coração. Seguem o
mesmo trajeto que as artérias, mas são geralmente duplas, isto é, para uma
artéria há duas veias.

C. Capilares: Os capilares sanguíneos são vasos microscópicos que se situam


entre as últimas ramificações das artérias e as origens das veias. Neles se
processam as trocas entre o sangue e os tecidos. Sua distribuição é quase
universal no corpo, sendo rara sua ausência, como ocorre na epiderme, na
cartilagem hialina, na córnea e no cristalino.
7. Principais:
a. Artérias do Sistema Cardiovascular:
- Artéria Carótida; Artéria Esquerda Subclávia; Aorta; Artéria Braquial; Artéria
Femoral; Artéria Femoral Profunda; Artéria Tibial Anterior.
b. Veias:
- Veia Jugular; Veia Cava Superior; Veia Pulmonar; Veia Cava Inferior; Veia
Safena.

8. A Circulação Pulmonar ou Pequena circulação se inicia no Tronco da artéria


pulmonar, seguindo pelos ramos das artérias pulmonares, arteríolas
pulmonares, capilares pulmonares, vênulas pulmonares, veias pulmonares e
desagua no átrio esquerdo do coração. Na sua primeira porção, transporta
sangue venoso. Nos capilares pulmonares o sangue é saturado em oxigênio,
transformando-se em sangue arterial.
A Circulação Sistêmica ou Grande Circulação inicia-se na Aorta, seguindo
pelos seus ramos arteriais e na seqüência pelas arteríolas sistêmicas, capilares
sistêmicos, vênulas sistêmicas e veias sistêmicas, estas se unindo em dois
grandes troncos, a Veia cava inferior e a Veia cava superior. Ambas desaguam
no átrio direito do coração. Sua primeira porção transporta sangue arterial. Nos
capilares sistêmicos o sangue perde oxigênio para os tecidos e aumenta seu
teor de gás carbônico, passando a ser sangue venoso.