P. 1
Sadomasoquismo Sem Medo

Sadomasoquismo Sem Medo

4.6

|Views: 28.193|Likes:
Publicado porLyn R
Um lviro que fala sobre Sadomosaquismo.
Não sabe o que é?
Leia e descubra.

Boa leitura.
Um lviro que fala sobre Sadomosaquismo.
Não sabe o que é?
Leia e descubra.

Boa leitura.

More info:

Published by: Lyn R on Aug 18, 2008
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

05/09/2014

pdf

text

original

ACROMOFILIA – Sexo com aleijados e mutilados.

Temos de admitir que todos os seres humanos, incluindo aqueles de
alguma forma incapacitados, têm o direito de exprimir a sua sexualidade.
Já se começa não apenas a tolerar o interesse sexual dessas pessoas, como
tambem a cultivá-lo. Livros como No Silêncio do Sexo do escritor Ricardo
Marcondes, Se Houver Amanhã, do escritor Carlos Moreno, Minha Pro-
fissão é Andar, do Luiz Carlos Pecci, mostra-nos as dificuldades de para-
plégicos para se relacionar sexualmente.
Do outro lado (meu marido foi paralisado durante dez anos) eu sofri
na carne as dificuldades geradas por uma emeplegia. Mas essa história vai
ser relatada no próximo livro, que se chamará Farândula, já em preparo.
O sofrimento maior não é tanto pelo preconceito social, mas pela
sua própria condição de saúde. É difícil alcançarmos o universo sexual de
uma pessoa com o físico deteriorado por uma doença que o deixa sem
movimentos ou mutilado. Eu sofri na pele durante anos esse proble-
ma, pois meu marido foi deficiente físico durante l0 anos. Só mesmo o
amor e a abnegação superam os traumas e dificuldades de um casal nessas
condições.

120

Independente das dificuldades, existem pessoas (principalmente
homens) que desejam e têm atração por mulheres com defeitos físicos e
mutiladas. Acredito que quando uma mulher nessas condições se relacio-
na com um homem, deve dar tudo de si, tanto para agradar e satisfazer
o companheiro, como para saciar sua carência afetiva e sexual, já que
devem ter menos chances de variar de parceiros.
A revista francesa Bizarre-International-Bondage, número 6, narra
a história de Alice, uma mulher mutilada de uma perna. Pelas ilustrações e
o depoimento dela, dá para sentir que não existe diferença quando o par-
ceiro toma sobre si a responsabilidade de causar prazer. Quando o “doen-
te” tem a cabeça e o coração inteiros, nada é empecilho. As posições, o
prazer, a satisfação são os mesmos. E se alguém se excita com o visual da
deformidade, melhor ainda...
Essa predileção sexual é muito mais comum do que se imagina.
Existem homens tarados por mulheres em cadeiras de rodas, ou deficien-
tes de alguma forma.

Muitas revistas estrangeiras exploram esse tema e têm vendagem
consumida por pessoas que, além da curiosidade, se excitam com as ilus-
trações e narrações de casos onde mulheres deficientes se divertem na
prática do sexo. Enquanto a maioria marginaliza pessoas com problemas,
existem as que procuram por elas. O escritor Ricardo Marcondes, antes da
doença, via falar que os paraplégicos são muito assediados pelas mulheres
por terem ereção demorada. Com o passar do tempo, viu que não é bem
assim... Mas homens que têm tesão por mulheres deficientes físicas, ah!
isso tem! Quando escrevi sobre isso em minha coluna do Jornal O Pala-
vrão, do Rio de Janeiro, recebi uma carta de um leitor com o pseudônimo
Alfonsino Castro, de Duque de Caxias – RJ, dizendo ter gostado muito da
matéria. Contava que tinha 58 anos de idade e que há 23 tem uma mulher
deficiente física. Diz: “Acho que nascemos um para o outro, pois nosso
caso é de tesão e amor. Nos completamos. Quando ela tinha l3 anos, teve
uma doença no osso da perna esquerda, e o médico amputou-a por com-
pleto. Do lado esquerdo só tem a nádega. Foi uma plástica sem cicatrizes e
isso dá um visual erótico excitante quando ela deita, pois os lábios da
vagina são algo muito especial. Se for do seu interesse, na próxima, conto
como adquiri este tipo de desejo, ou tara.”
Mas não voltou a escrever, ou se escreveu, não a recebi. Foi uma
pena, pois seu exemplo no mínimo serviria de incentivo para que outros
não olhassem para um deficiente físico com pena ou desprazer. Esses
sentimentos são perniciosos para o bom desempenho sexual e até psicoló-
gico dessas pessoas que, como outras quaisquer, têm desejos, sonhos,
fantasias e... muito tesão.

121

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->