P. 1
Farmacologia Basica Slides

Farmacologia Basica Slides

|Views: 866|Likes:
Publicado porkekepedro7293

More info:

Published by: kekepedro7293 on Apr 28, 2011
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PPTX, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

11/06/2012

pdf

text

original

FARMACOLOGIA BÁSICA

VIAS DE ADMINISTRAÇÃO TÓPICA: INTRAVAGINAL E RETAL
PROFESSORA: MSC. MARIA TEREZA CORREA LIMA

CONCEITOS / OBJETIVOS VIA RETAL ‡ É a introdução de medicamento no reto. ‡ Tem por objetivo diminuir a infecção vaginal ‡ Prevenir infecção vaginal ‡ Preparar pacientes para cirurgias dos órgãos genitais. em forma de supositórios ou clister medicamentoso. ‡ É uma via alternativa ideal para pacientes em coma ou aqueles que apresentam vômitos e náuseas devido ao efeitos de algumas drogas de ingestão oral. VIA INTRAVAGINAL ‡ É a introdução e absorção de medicamentos no canal vaginal. .

espumas em VIA RETAL y Soluções. obedecendo o horário indicado e a posologia. nunca menos que isso.FORMAS FARMACÊUTICAS / LIMITES VIA INTRAVAGINAL y Soluções. óvulos e esponjas supositórios. pomadas. comprimidos. pomadas e emulsão. inserções. no reto por no mínimo 30 minutos. y Deve ser usado conforme y Deve permanecer introduzido prescrição médica. .

e pressionar seu êmbolo. Introduzir delicadamente o aplicador. antes da aplicação.TÉCNICAS E CUIDADOS VIA INTRAVAGINAL y Colocar a paciente em posição y VIA RETAL y Colocar o paciente em decúbito y y y ginecológica. Fazer higiene íntima. se necessário. lateral expondo somente a área necessária para a introdução do medicamento. 10cm aproximadamente. Afastar os pequenos lábios com os dedos indicador e polegar ² com auxílio de gazes. autoproteção y Introduzir o produto além do y Calçar a luva de látex para . Lavar o aplicador com água e sabão (o aplicador é de uso individual). esfíncter anal delicadamente. ou o máximo que suportar num prazo inferior a este. e pedir ao paciente que o retenha por trinta minutos.

y Impossibilidade da via oral ou parenteral y o paciente poderá colocar o supositório sem auxílio da enfermagem. vômitos ou náuseas. y Pacientes apresentando mucoso da vagina. em muitas apresentações farmacêuticas. porém com as devidas instruções dadas pelo mesmo em forma de prescrição. . sem a necessidade de um especialista. a própria paciente pode fazer a aplicações. desde que orientado.VANTAGENS VIA INTRAVAGINAL y Graças ao revestimento VIA RETAL y Atinge a circulação sistêmica. sempre ocorre alguma absorção. que se torna maior na vigência de processos inflamatórios.

expulsão do supositório (principalmente em crianças devido ao não controle dos movimentos peristálticos). pode para administração de drogas com a finalidade de efeitos sistêmicos. ocorrer lesão na mucosa. y Automedicação. . Essa dificuldade se deve às influências do ciclo menstrual sobre o tecido vaginal e. absorção irregular ou incompleta.DESVANTAGENS INTRAVAGINAL y A via vaginal não é adequada RETAL y Além do desconforto. à composição e volume das secreções vaginais. também.

CONCLUSÕES NÃO A AUTOMEDICAÇÃO CONSULTE O MÉDICO E O FARMACÊUTICO .

ed. 2006. 5. Guanabara Koogan. Farmacologia Aplicada. São Paulo. y GARCIA. Farmacologia. 7 ed. y ZANINI . Russi Juliana. . Penildon. 2006. Atheneu.Referencias Bibliográficas FAN 04S1 Audrey Campos Darlan Diego Derik Sicsu Elizio Brito Marcos Paz Pedro Paulo y SILVA. 1994. Administração de Medicamentos. OGA.

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->