Você está na página 1de 42

GYMNOSPERMAE

São vegetais cormófitos (possuem raiz, caule e folhas), superiores, com ausência
de ovário e fruto, as flores são invisíveis, 16º divisão de Engler.

Características Morfológicas
Raiz – do tipo axial (ou pivotante)
Caule – do tipo aéreo (tronco ou estirpe)
Folhas – simples ou compostas, com predominância composta, apresentam
braquiblastos, geralmente aciculares, escamiformes, quanto ao tamanho podem ser
pequenas ou gigantes
Flores – simples, espiraladas, inflorescência
Inflorescência – espiga, estróbilo (somente em dois tipos)
Sexo – separado
Pseudofruto – não tem ovário, não há fruto
Sementes – embrião com 2 à 15 cotilédones
Consistência – lenhosa (forma lenho), e algumas adaptadas são sublenhosas
Habitat – predomina em regiões de clima temperado à frio. Quando for introduzida pode
ganhar ou perder características

Gymnospermae

Classes – Cycadopsida
Coniferopsida
Taxopsida
Chlamydosperma

As Cycadopsida são ornamentais.

As Taxopsida são chamadas de elementos fósseis.

Classe Coniferopsida
Ordem Coniferae, famílias Araucareaceae
Pinaceae
Podocarpaceae
Taxodiaceae
Classe Chlamydosperma
Ordem Gnetales, famílias Gnitaceae
Ephidraceae

Família Pinaceae

Porte – arbóreo
Consistência – lenhosa
Folhas – pequenas, simples e de forma acicular
Características Taxonômicas
Presença de vasos condutores de resina ( a única família de Gymnospermae com resina,
e as que estão no Brasil não possuem ).

1
sexo – separado
inflorescência – estróbilo masculino, numerosas folhas carpelares (ou microesporófito), e
cada um possui dois sacos polínicos, os grãos de pólen possuem duas bolsas aéreas;
estróbilo feminino, numerosas folhas carpelares (ou megaesporófito),
cada folha carpelar possui dois óvulos, a fecundação é chamada nua;
sementes – são aladas
embrião – possui vários cotilédones (de 2 à 15)
Representantes
Abies balsamae – árvore do Canadá, a resina forma um bálsamo usado como óleo de
imersão na microscopia.
Ξ Abies alba – é usada na fabricação de instrumentos musicais.
Pinus spp – pinheiro europeu, usados na obtenção de essências.
Pinus elliotti – usado para fazer reflorestamento e na obtenção de celulose.
Cedrus deodoro – madeira de lei, é muito resistente, usada largamente na
fabricação de casas.
Cedrus libani – madeira de lei, também utilizada na fabricação de casas.
Pinus caraíba pinheiro usado para reflorestamento cresce rápido
Pinus sylvestres Pinheiro europeu usado na extração de essências para perfumaria

Família Araucareaceae

Porte – arbóreo
Consistência – lenhosa
Folha – pequenas, simples ou compostas, acicular, de forma lanceolada ou ovada, quanto
à filotaxia são espiraladas
Características Taxonômicas
Ausência de condutores resiníferos.
Sexo – separado
Inflorescência – estróbilo masculino – com numerosos microesporófitos com numerosos
sacos polínicos, sem bolsas aéreas;
estróbilo feminino - lenhoso, com numerosos megaesporófilos com um
óvulo cada;
Sementes – em forma de cone, compostos de peças isoladas camadas de pinhão
Embrião – com dois ou quatro cotilédones, é comestível

Representantes
Araucaria auguslifolia – madeira de lei, o embrião (pinhão) é usado na
alimentação sendo fonte de proteína.
Araucaria excelsa – árvore de natal, madeira de lei usada na ornamentação.

Família Taxodiaceae
Ξ Sequoia gigante - árvores seculares, califórnia.
Cryptomerica japonica – comum no japão , celulose e papel.

2
Família Podocarpaceae
Ξ Podocarpus lambertii- pinheirinho bravo.
Ξ Podocarpus sellowie – celulose e papel.

Família Ephedraceae
Ephedra vulgaris – extrai efedrina, alcaloíde usado na medícina como droga.

Família Gnetaceae
Gnetum amazonicum – cipó itoá, cheio d, aguá.

3
MAGNOLIOPHYTA

Apresenta óvulo protegido pelo ovário e dupla fecundação. Vegetal extremamente


evoluído.
Raiz – axial ( pivotante) ou fasciculada (cabeleira)
Caule – aéreo, subterrâneo ou aquático, com predominância do caule aéreo
Folhas – variadas, dependendo da espécie
Flores - normalmente com dois verticilos protetores e reprodutores
Fruto – diversificado originado pelo ovário normalmente supero
Sementes – embrião com um ou dois cotilédones
Pólen – há grande quantidade de grão de pólen e a polinização é feita com o auxílio de
agentes polinizadores
Habitat – diversificado
Haleilos - variando de ervas ou árvores

Classe 1 – Magnoliopsida ou dicotiledônia


Classe 2 – Liliopsida ou monocotiledônia

Características Morfológicas

Magnoliopsida Liliopsida
Raiz Pivotante Fasciculada
Caule Aéreo/tronco Aste
Folhas Pequenas de nervura Grandes de nervura
peninérvea paralelinérvea
Flor Pentâmera ou múltipla de Trimêra ou múltipla de três
cinco
Semente Embrião com dois Embrião com um cotilédone
cotilédones

Magnoliopsida

Sub classe I - Magnoliidae


Sub classe II - Hamamelidae
Sub classe III - Cariophyllidae
Sub classe IV - Dilleniidae
Sub classe V - Rosidae
Sub classe VI - Asteridae

Sub classe Magnoliidae


Ordem Magnoliales famílias Magnoliaceae
Annonaceae
Myristicaceae

Ordem Laurales famílias Lauraceae

Ordem Nympheales famílias Nymphaeaceae

Ordem Papaverales famílias Papaveraceae

4
Classe Magniliopsida

sub classe Hamamelidae


Ordem Urticales famílias Ulmaceae
Moraceae
Cannabaceae
Cecropiaceae
Ordem Casuarinales Casuarinaceae

sub classe Caryophyllidae


Ordem Caryophyllales famílias Nyctaginaceae
Cactaceae
Ordem polygonales famílias polygonaceae

sub classe Dilleeniidae

Ordem Dilleniales famílias Dilleniaceae

Ordem Theales famílias Caryoca raceae


Clusiaceae

Ordem Malvales famílias Eleaocarpaceae


Malvaceae
Bombacaeae
Sterculinaceae
Tiliaceae
Ordem Lecythidales Lecythidaceae

Ordem Violales Flacourtiaceae


Bixaceae
Passifloraceae
Ordem Salicales Salicaceae

Ordem Caparidales Caparidaceae

Ordem Ebenales Sapotaceae


Ebenaceae

Sub classe Rosidae

Ordem Fabales famílias Leguminosae (Caesalpinoideae)


Leguminosae (Mimosoideae)
Leguminosae (Papilionoideae)

Ordem Rosales famílias Rosaceae


Chrysobalanaceae

Ordem Protales famílias Protaceae

5
ROSIDAE É A SUBCLASSE MAIS IMPORTANTE POIS
NELA ESTÃO AS FAMÍLIAS COM MAIS NÚMERO DE
REPRESENTANTES

Ordem Myrtales famílias Lythraceae


Myrtaceae
Melastomataceae
Combretaceae

Ordem Santales famílias Olacaceae


Opiliaceae
Laranthaceae

Ordem Celastrales famílias Celastraceae


Hippocrateaceae
Aquifoliaceae

Ordem Rhamnales família Vitaceae

Ordem Euphoreales famílias Euphorbiaceae

Ordem Linales famílias Erythroxylaceae

Ordem Polygalales famílias Malpighiaceae


Vochysiaceae

Ordem Sapindales famílias Sapindaceae


Burseraceae
Anacardiaceae
Meliaceae
Simaroubaceae
Rutaceae

Ordem Geraniales famílias Orelidaceae


Oxalidaceae

Ordem Apiales famílias Areliaceae

Sub classe Asteridae

Ordem Gentianales famílias Loganiaceae


Apocynaceae

Ordem Solanales famílias Solanaceae

6
Ordem Laminales famílias Boraginaceae
Verbenaceae

Ordem Scrophulares famílias Bignoniaceae


Oleaceae

Ordem Rubiales famílias Rubiaceae

Ordem Asterales famílias Asteraceae (ou Compositae)

Classe Liliopsida

I – Sub classe Alismatidae


II - Sub classe Arecidae
III - Sub classe Commelinidae
IV - Sub classe Zingiberidae
V - Sub classe Liliidae

Sub classe Arecidae

Ordem Arecales família Arecaceae (Palmeae )

Sub classe Commelinadae

Ordem Cyperales família Poaceae (Graminae)


Cyperaceae

Sub classe Zingiberidae

Ordem Zingiberales família Musaceae

Ordem Bromeliales família Bromeliaceae

Sub classe Liliidae

Ordem Liliales família Liliaceae

Ordem Orchidales família Orchidaceae

7
Família Magnoliaceae (1º família de Magnoliopsida) 12g 210spp

Porte – arbóreo
Consistência – lenhosa
Folhas – simples, inteiras ou partidas, quanto à filotaxia são alternas, possuem estipulas
grandes folhas reduzidas
Flor – pentâmera ou hexâmera com predominância de pentâmeras, grandes e vistosas
Sexo – hermafroditas
Androceu – polistêmones
Gineceu – apocárpico, pluricarpelar
Ovário – supero
Inflorescência – não apresenta inflorescência, e sim flores isoladas
Fruto – estrobiliforme (fruto seco em forma de estróbilo)
Distribuição da Família
Regiões de clima temperado à frio, nativas nas três Américas.

Representantes
Magnolia sp – cultivada no Brasil.
Michelia sp – cultivada no sul do Brasil.
Talauma sp – única da família nativa do brasil, comum no sul do país.

Família Annomaceae 120g 1200spp

Porte – arbóreo, arbusto ou escandente, com predominância de arbusto


Consistência – lenhosa e sublenhosa
Folha – simples, quanto à filotaxia são alternas, ausência de estipula, as folhas
geralmente são aromáticas
Flor – pentâmera ou trímera com predominância de trímeras, carnosas, diclamídia (com
dois verticilos protetores o cálice e a corola), actinomorfa
Sexo - hermafroditas, raramente podem ser unissexuadas
Androceu – polistêmones, receptáculo alongado com os estames
Gineceu – apocárpico, e pluricarpelar
Ovário – supero
Inflorescência – cachos terminais, axilares ou com flores isoladas
Fruto – baga (carnosa com muitas sementes), cápsula (deiscente), ou fruto múltiplo, com
predominância de fruto múltiplo (vários ovários)
Distribuição da família: Ocorre na América, na África e na Ásia.

Representantes
Annona squamosa – ata ou pinha, as folhas são tóxicas o elemento tóxico é cumulativo
no organismo.
Annona muricata – gravióla, típica da Amazônia.
Annona dióica – ariticum do cerrado.
Annona paludosa – fruta de conde.
Ξ Xylopia brasiliensis – pindaíba do cerrado, folha aromática.
Ξ Xylopia aromatica – pindaíba comum, folha aromática.
Rollinea mucosa – biribá, típica da região norte.
Rollinea emarginata – ariticum da mata.
Dugnetia furfuracea – ata brava ou ata de lobo.
Duguetia lanceolata – pindaíba da mata, madeira de lei secundária.

8
Guatteria olivacea – pau de crioulo, madeira de lei comum no cerrado.

Família Myristicaceae 15g 250spp

Porte – arbóreo e arbusto, com predominância arbórea


Consistência – lenhosa e sublenhosa
Folhas – simples, inteiras, quanto à filotaxia são alternas, ausência de estipula
Flor – dímera, trímera ou pentâmera com predominância de trímeras, monoclamídia (só
cálice ou corola)
Sexo – unissexuadas
Androceu – isostêmone à polistêmone, estames concrescidos pelos filetes
Gineceu – sincárpico e unicarpelar
Ovário – supero
Inflorescência – cachos axilares
Fruto – baga e cápsula com predominância de baga

Representantes
Myristica fragrans – nós moscada, usada como condimento, medicinal ou narcótico.
Virola oleifera – bicuiba, presente no MT, AM, e PE.
Virola gardneri – urucuba, presente no MT, AM, madeira vermelha, as sementes
são usadas para fabricação de ceras.
Virola surinamensis – presente na AM e no Suriname.
Virola carinata – ucuuba, presente nas matas alagadas da Amazônia.

Família Lauraceae 50g 1200spp

Porte – arbóreo, arbusto ou trepadeira, com predominância de arbóreo


Consistência – lenhosa e sublenhosa
Folhas- simples, inteiras, quanto à filotaxia são alternas ou raramente opostas, ausência
de estipula, folhas aromáticas, diclamídia ou monoclamídia.
Característica Taxomômica
Presença de anteras com deiscência valvular.
Flor – trimêra não carnosa, ou pentâmera com predominância de pentâmera, diclamídia
Sexo – hermafrodita, ou unissexuadas com predominância de unissexuadas
Androceu – polistêmone e com estaminóides
Gineceu – sincárpico, tricarpelar à pentacarpelar, possui tálamo (disco carnoso que
sustenta o ovário)
Ovário – supero
Inflorescência – panícola
Fruto – baga e drupa, com cálice persistente

Representantes
Reg. Sub. Tropicais e tropicais. Mata , cerrado , cerradão.
Α Silvia navalium – tapinhoam, madeira de lei leve e porosa usada na fabricação
de casco de navio.
Laurus nobilis – louro, usado como condimento e ornamento (coroa).
Ocotea porosa – sassafras, usada também para extração de óleos.
Persea americana - abacate grande, planta medicinal, o fruto é comestível.

9
Persea gratissima – abacate médio, planta medicinal, o fruto é comestível.
Persea communis – abacate comum, planta medicinal, o fruto é comestível.
Phoebe porosa – embuia,
Α Aniba roseodora – pau- rosa, extração de óleos e essências.
Mezilauros itauba – itauba.
Cinnamonum canphora - canforeira, uso medicinal.

Família Nynphaceae

Porte: vegetais aquáticos com raiz principal caduca


Consistência: herbácea
Folhas: simples, alternas com estípulas, geralmente cordada ou arredondada com pecíolo
longo. Presença de látex e geralmente com acúleos.
Flor: tetrâmera a octamera, geralmente vistosas, diclamidias e hermafrodita.
Androceu: Polistêmones
Gineceu: Sincarpico
Ovário: Supero
Inflorescência: Não apresenta. Possui flores isoladas.
Fruto: Baga e cápsula.

A família é cosmopolita.

Representantes típicos de alagados.

Representantes
Victoria amazonica – vitória-régia.
Victoria cruzeana – urupê, tipo de vitória- régia do Paraná.
Nynphea rudgeana – aguapé-branco
Nynphea alba – aguapé branco, rio paraná e afluentes

Família Papaveraceae

Não há espécies nativas do Brasil, apenas cultivadas. Família latescente, com


látex branco e viscoso, deste látex se prepara o ópio e derivados como a morfina,
papaverina e a narcotina.

Representantes
Papavea somniferum _ papoula dormideira.
Boccomia pearcei – vegetal nativo nas matas argentinas e bolivianas, as sementes são
medicinais (semem papaveris) é condimento. Sementes medicinais em pequenas
quantidades, em excesso é tóxico.

Família Ulmaceae

Porte – arbóreo, arbusto ou subarbusto com predominância de arbóreo, o caule é


geralmente espinhoso
Consistência – lenhosa e sub lenhosa

10
Folhas – simples, inteiras, algumas espécies apresentam a margem do limbo serrilhada,
quanto á filotaxia são alternas, possuem estipulas
Flor – pentâmera, tetrâmera, e octâmera com predominância de pentâmeras, diclamídias
ou monoclamídias com predominância de monoclamídias ou pode ser aclamídia
Sexo – hermafrodita ou unissexuada por aborto
Androceu – isostêmone
Gineceu – sincárpico e bicarpelar
Ovário – supero
Inflorescência – fascícula axilar
Fruto – sâmara alado, drupa ou aquênio
Distribuição da Família
Regiões temperadas, raramente encontrada nos trópicos.

Representantes
Trema micrantha – periquiteira ou grandeuva, madeira de lei leve, usada como
carvão vegetal.
ΑCeltes spinosa – saran de espinho, madeira de lei também usada como carvão
vegetal. Também usada para segurar barranco.
Celtes pubescens – esporão de galo, usada como forrageira de emergência.
Celtes tala – grão de galo, comum no sul do Brasil, os frutos são comestíveis.
Ulmus campestris – planta ornamental, comum no sul do Brasil.

Família Moraceae 80g 1500spp

Porte – arbóreo, arbusto e as vezes epífita,( vegetal que vive sobre outro vegetal usando
como suporte) geralmente latescente ( com látex)
Consistência – lenhosa e sublenhosa
Folha – simples, possuem estipulas geralmente grandes e as vezes amplexicaule muitas
vezes caducas, quanto à filotaxia são alternas raramente opostas, as folhas podem
apresentar cistólitos ( aparece na parte inferior da planta), (oxalato de cálcio) na parte
posterior.
Flor – pentâmera, tetrâmera com predominância de pentâmera, monoclamídia, diclamídia
ou aclamídia, com predominância de aclamídia.
Sexo – hermafrodita ou unissexuada
Androceu – isostêmone
Gineceu – sincárpico e unicarpelar
Ovário – supero
Inflorescência – sicônio
Fruto – infrutescência ou fruto composto
Distribuição da Família
Regiões tropicais e subtropicais a família é muito representada no Brasil.

Representantes
Artocarpus incisa – fruta pão, as folhas desta espécie podem ser inteiras ou partidas.
Artocarpus integrifolia – jaqueira, os frutos são comestíveis.
Ξ Ficus spp figueira do Pantanal, região alagada

11
Ficus carica – introduzida no Brasil, os frutos são comestíveis.
Ficus elasticus – introduzida, ornamental.
Chlorophora tinctoria – amoreira, extrator de tornasol, as folhas são usadas na
alimentação do bicho da seda.
Chlorophora papyrifera – amoreira, usada na extração de celulose, as folhas são usadas
na alimentação do bicho da seda.
Morus nigrum – amoreira, os frutos são comestíveis, as folhas são usadas na
alimentação do bicho da seda.
Maquira aclerophylla
Bagassa guianensis – bagaceira, madeira de lei.
Soracea sprucei -, comum na Amazônia.
Broscium lactenses – algodãozinho do mato, comum no cerrado.

Família Cannabaceae 2g 2spp

Obs: Os membros desta família pertenciam a família Moraceae.

Porte – sub arbusto, escandente e ervas


Consistência – sub lenhosa
Folha – simples, inteiras, ausência de estipulas, ausência de látex, quanto á filotaxia são
opostas
Flor – pentâmeras, diclamídias, unissexuadas, são dióicas.
sexo – unissexuadas
androceu – isostêmone
gineceu – sincárpico e unicarpelar
ovário – supero
Inflorescência – flor masculina – panículas axilares
flor feminina – cesseis formando gloméros (aglomerados de flores) axilares
de brácteas
fruto – aquênio, com cálice persistente, ou infrutescência
Distribuição da Família
Regiões de clima tropical e subtropical, no Brasil existem somente duas espécies,
são introduzidas, culturas em alta escala

Representantes
Cannabis sativa – maconha, as fibras são usadas na indústria têxtil, as flores femininas
são ricas em canabiol substância medicinal ou narcótica, as sementes também.
Humulus lupulus – lúpulo, usado na fabricação de cerveja.

Família Cecropiace

Obs: Desmembrado da família Moraceae

Representantes
Cecropia spp
Cecropia pachystacha – embaúba, madeira de lei leve, usada na fabricação de
lápis e fósforo, ás vezes móveis, e na construção em locais alagados, pode ser usada
com forrageira de emergência, apícola, vive em associação com formigas. Serve
como indicador de mata secundária.

12
Madeira para construção em lugares alagados (palafitas).

Família Casuarinaceae 1g 50spp

Porte: Arbóreo com ramos finos e articulados


Consistência: Sublenhosa
Folhas: Escamiformes e verticiladas
Flor: Aclamídia, hermafrodita. A maioria é unissexuada.
Androceu: Um único estame.
Ovário: Súpero
Gineceu: Sincárpico e unicarpelar
Inflorescência: masculina:espiga Feminina: Glomeros axilares
Fruto: Sâmara envolvida por brácteas.

A família é nativa da Austrália. No Brasil é cultivada.

Representantes
Casuarina equisetifolia – usada na construção civil como postes e vigas, como
carvão vegetal, e para reflorestamento é uma espécie cultivada. Crescimento rápido e
grande poder de adaptação, frutos ornamentais.

Família Nyctaginaceae 30g 300spp

Porte – arbóreo, arbusto, erva e escandente


Consistência – lenhoso, sub lenhoso e herbácea.
Folhas – simples, inteira, não possuem estipulas, geralmente verde garrafa muito
brilhosas, quanto a filotaxia são opostas, às vezes com as margens serradas ou lobadas.
Flor – pentâmera, monoclamídia, pequenas ou vistosas, protegidas muitas vezes por
brácteas, actinomorfa raramente zigomorfa. Apresenta sépalas concrescidas.
Sexo – hermafroditas raramente unissexuadas
Androceu – isostêmone concrescido na base
Gineceu – sincárpico raramente apocárpico, unicarpelar
Ovário – supero
Inflorescência – cacho
Fruto – aquênio e nozes
Distribuição da Família
Regiões tropicais e subtropicais das Américas.

Representantes
Mirabilis jalapa – maravilha ou boa noite, erva geralmente com um metro de altura natural
do México, cultivada no sul do Brasil, a flor é medicinal ou narcótica.
Bougainvillea glabra – primavera ou três marias, escandente, possui três brácteas
protetoras coloridas, ornamental (cipó).
Guapira opposita – maria mole ou canjica branca, madeira de lei mole, encontra
no cerrado, centro oeste e sul do Brasil.

Família Cactaceae
Apresenta caule modificado (cladódio) para realizar fotossíntese.
Representantes:

13
Phyllocactus acuminatus cactus (ocorre no cerrado do triângulo mineiro)
Opuntia sp figo da Índia (frutos comestíveis)
Pilocerus gounelli xique xique
Melocactus bahiensis coroa de frade (frutos comestíveis)
Cereus jamacaru mandacaru (praga)
Zygocactus sp flor de maio
Pereskia sp cactus com folhas normais (única representante que possui folhas)
Analonium ssp não tem no Brasil são cultivadas no México e utilizadas como fontes de
substâncias alucinógenas-mescalina

Família Polygonaceae

Porte – arbóreo, arbusto ou trepadeira, ervas


Consistência – lenhosa, sub lenhosa e herbácea, apresenta caule com articulações com
nós e entre nós
Folhas – quanto a filotaxia são alternas raramente opostas, simples, inteiras
Característica Taxonômica
Presença de ócrea (reduzida) tipo bainha que envolve o caule.
Flor – trimera, diclamídia ou monoclamídia, apresenta perigônio(pétalas e sépalas =) com
três tépalas livres, concrescidas ou persistentes, simetria actinomorfa.
Sexo – hermafrodita ou unissexuada com predominância de hermafrodita
Androceu – com três ou seis estames raramente apresenta nove estames
Gineceu – sincárpico, uni ou tricarpelar
Ovário – supero
Inflorescência – composta cacho de espiga ou panícula
Fruto – aquênio ou noz
Distribuição da Família
Regiões de clima tropical e subtropical, encontrada no Brasil no MT, MS, AM e SP
em matas ciliares capões e cerradões, no Amazonas em matas de várzeas ou aguapés.
Mata calcária.

Representantes
Triplaris brasiliana – novateiro, pau de formiga ou pau de novato, madeira de lei
usada para fabricação de caixas leves, além de ser utilizada em reflorestamento de
áreas degradadas e paisagismo.
Triplaris surinamensis – tachi, madeira de lei, usada na construção civil e para
reflorestamento.
Triplaris americana – novato, encontrada no Pantanal, usada como lenha e na
construção civil.
Coccoloba ochreolata - canjiqueira, apícula, usada como forrageira, e na
construção civil.
Coccoloba mollis – madeira de lei secundária, apícola forrageira, encontrada na Bolívia e
nas Ilha do Bananal.
Coccoloba cuybensis – uva do mato, encontrada na baixada cuiabana, apículo e
forrageira.
Polygonum spp – medicinal, rico em tanino substância adstringente, o chá é diurético e
em grandes quantidades excitante.

14
Família Dilleneaceae 10g 300spp

Porte – árborea, arbusto, sub- arbusto, trepadeira.


Consistência –lenhosa e sub. lenhosa
Folhas – simples, alterns, coreacea, ausência de estipulas.
Flor – pentamera, trimera, livres e dissiduas.
Sexo – hermafroditas,
Androceu –polistemones
Característica Taxonômica
Gineceu –apocarpio e sincarpio ao mesmo tempo, uni a bicarpelar.
Ovário –súpero.
Inflorescência –cacho,simples. Panícula composta.
Fruto –capsula, baga e drupa.

Distribuição da Família
Continentes; australiano, africano, americano. Brasil cerrados.

Representantes
Curatella americana - lixeira
Davilla elliptica – lixeirinha ou lixinha
Dillenia sp – lixeira cipó.

Família Caryocaraceae 2g 25spp

Porte – arbóreo
Consistência – lenhosa
Folhas – compostas, trifolioladas (com três folíolos), filotaxia alternas, opostas com
estipulas.
Flor – pentâmeras ou hexâmetras, diclamídia, cálice persistente grande e vistoso
Sexo – hermafrodita
Androceu – polistêmones, com filetes longos, coloridos e concrescidos na base com
glândulas nectaríferas (secretoras de néctar).
Gineceu – sincárpico, pentacarpelar a pluricarpelar
Ovário – supero
Inflorescência – cacho terminal ou dicásio.
Fruto – drupa

Distribuição da Família
Regiões de clima tropical e subtropical, encontrada no Brasil nos cerrados e cerradões do
Centro Oeste, floresta amazônica e nordeste.

Representantes
Caryocar brasiliensis – pequi, fruto comestível, a madeira é usada para
construção de currais, móveis, na construção naval e civil.
Caryocar villosum – piquiá, madeira de lei na Amazônia.
Anthodiscus spp – comum somente na Amazônia.

Família Clusiaceae ou guttiferae 50g 250spp

Porte – arbóreo, arbusto, sub arbusto e raramente erva

15
Consistência – lenhosa, sub lenhosa e raramente herbácea
Folhas – simples, inteiras, quanto a filotaxia são opostas, alternas e verticiladas, ausência
de estipula, ás vezes coriácea, com pontuações translúcidas, presença de canais
resiníferos e látex.
Flor – dímera, trimera, e pentâmera até octâmera diclamídia
Sexo – hermafrodita raramente unissexuada
Androceu – oligostêmones e polistêmones com estaminóides
Gineceu – sincárpico, uni a pluricarpelar
Ovário – supero
Inflorescência – cacho terminal ou flores isoladas
Fruto – cápsula, baga e drupa
Distribuição da Família
Regiões de clima tropical e alguns gêneros em regiões temperadas.

Representantes
Kielmeyera variabilis – pau-santo, pau de São José ou saco de boi, comum no cerrado de
uso medicinal, o látex é sicatrizante.
Kielmeyera speciosa – malva do campo, encontrada no campo e no cerrado do Centro
Oeste.
Kielmeyera coreacea – pau-santo, gordiana, é a principal fonte de cortiça no Brasil, é
muito comum no cerrado.
Clusia spp – vegetal epífita.
Calophyllum brasiliensis – guanandi, jacarauba, ou grande carvalho, madeira de
lei comum em Mato Grosso, usado na construção civil, naval e marcenaria.
Vismia brasiliensis – pau de lacre, fornece lacre para tecelar.
Platonia insignis – bacuri, madeira de lei usada para obras hidráulicas, civil, é
resistente ao ataque de cupim e ao apodrecimento, comum no Pará e Amazonas do
fruto é comestível, faz-se sorvetes, refrescos, picolés e sucos.
Rheedea gardneriana bacurí mirim ou bacurí miúdo

Família Eleocarpaceae

Representantes
Sloanea grandiflora – pateiro
Sloanea guianensis – laranjinha do mato
Sloanea monosperma – sapopema ou ouriço

Família Tiliaceae 35g 370spp

Porte – arbóreo, arbusto, sub arbusto e erva


Consistência – lenhosa sub lenhosa e herbácea
Folhas – simples, inteiras, quanto a filotaxia são alternas e raramente opostas, presença
de estipula,
Flor – pentâmera, diclamídia raramente monoclamídia (ausência de cálice) pentâmeras
Sexo – hermafrodita
Androceu – polistêmones com estaminóides, presença de androginóforo ( coluna ou eixo
que eleva o androceu ou gineceu) curto
Gineceu – sincárpico e pentacarpelar
Ovário – supero

16
Inflorescência – panícola axilar ou terminal
Fruto – baga ou cápsula

Distribuição da Família
Regiões de clima tropical e sub tropical o Brasil é bem representado.

Representantes
Corchorus capsulares – juta extração de fibras para tecidos
Triunfeta spp – comum na Amazônia, praga ruderal nas margens das rodovias,
carrapicho.
Lueheia paniculata - açoita cavalo, comum em Mato Grosso, as fibras são
usadas para fabricação de tecido.
Apeiba tibourbou – pau de jangada, usa-se para fabricação de jangada ou
pequenas embarcações no Amazonas.
Heliocorpus americanus – comum no Amazonas.

Família sterculiaceae 70g 1100spp

Porte – arbóreo, arbusto, sub-arbusto e ervas


Consistência – lenhosa, sub lenhosa e herbácea
Folhas – simples, quanto à filotaxia são alternas, presença de estipula,
Flor – dímera, diclamídia, androginóforo longo
Sexo – hermafrodita
Androceu – isostêmone com presença de estaminóides, algumas espécies concrescidas
na base pelos filetes
Gineceu – sincárpico e pentacarpelar
Ovário – supero
Inflorescência – não tem inflorescência, as flores são isoladas, algumas espécies
possuem caulifloria (flores no caule).
Fruto – capsula
Distribuição da Família
Regiões de clima tropical e sub tropical, no Brasil nos campos, cerrados e matas.

Representantes
Theobroma cacao – cacaueiro, do fruto é feito o chocolate e derivados.
Theobroma grandiflora – cupuaçu, o fruto é comestível, comum no Amazonas.
Guazuma sp – mutamba ou tacacazeiro no Amazonas, do fruto faz-se cuia onde se come
o tacaca.
Helicteris sacarolha – sacarolha ou rosquinha, comum no cerrado.
Cola acuminata – planta medicinal, é cardiotônico, dela faz-se a cola de sapateiro,
introduzida
Sterculia sp – chicha, comum na caatinga.
Sterculia apetala – mandovi, madeira de lei leve, usada para fazer canoa,
cachão, caixotes, comum em Mato Grosso.
Guazuma ulmifolia – chico magro, madeira de lei, comum em matas ciliares do
cerrado, usada como estaca ou escora.

Família Bombacaceae 31g 225spp

Porte – arbóreo, o tronco é engrossado para reserva de água, vegetal epífita

17
Consistência – lenhosa
Folhas – simples a composta, com predominância de composta, digitadas, quanto a
filotaxia são alternas, presença de estipula persistentes ou caducas
Flor – dímera, diclamídia, grandes e vistosas
Sexo – hermafrodita
Androceu – isostêmone a polistêmones, filetes soldados na base com presença de
andrófogo curto
Gineceu – sincárpico e pentacarpelar
Ovário – supero
Inflorescência – não tem inflorescência, as flores são isoladas
Fruto – capsula
Distribuição da Família
Regiões de clima tropical e sub tropical, as Américas e o Brasil são centros de
dispersão da família, e no Brasil encontradas no nordeste, matas cerrados e cerradões.

Representantes
Pseudobombax marginatum – imbiruçú ou paineira, encontrada nas matas e cerrados,
dela obtêm-se a paina.
Chorisia speciosa – paineira do mato, possui espinhos no caule.
Bombax longiflorum – paineira do cerrado.
Pachira aquatica – munguba, original da África, ornamental, possui espinhos no caule.
Cavanillesia arborea – barriguda, comum na caatinga.
Ceiba spp – sumaruma, comum no Amazonas, madeira de lei.
Ochroma spp – pau de balça, usada para fabricação de pequenas balças.

Família Malvaceae 90g 2300spp

Porte - arbusto, sub arbusto raramente arbóreo e ervas


Consistência – lenhosa, sub lenhosa raramente herbácea
Folhas – simples, inteira, quanto a filotaxia são alternas raramente opostas e verticiladas,
presença de estipula dentadas ou serradas. Estipulas freqüente ou caduca.
Flor – pentâmera, diclamídia, geralmente possui brácteas (calículo)
Sexo – hermafrodita raramente unissexuada
Androceu – polistêmones raramente isostêmones, presença de andróforo (tubo que
envolve o gineceu) bem desenvolvido.
Gineceu – sincárpico, pentacarpelar, raramente pluricarpelar.
Ovário – supero
Inflorescência – não tem inflorescência, as flores são isoladas
Fruto – baga quando o fruto for carnoso, cápsula.
Distribuição da Família
Regiões de clima tropical e sub tropical, no Brasil são muito representadas.

Representantes
Gossypium herbacium – algodão sementes fio para tecidos, óleos vegetais
Hibiscus sculentus – quiabo
Hibiscus rosacinensis – mimo, hibiscus
Malva sylvestris – malva, uso medicinal papoula, graxa de estudante, brinco de princesa
Sida cerradoensis – malva, usada na indústria têxtil
Pavonia sidifolia guanjuma usada na produção de fibras

18
Família Lecythidaceae 25g 450spp

Porte – arbóreo
Consistência – lenhosa
Folhas – simples, inteiras, quanto a filotaxia são alternas, presença de estipula, folhas
geralmente grandes e vistosas, coreácias
Característica Taxonômica
Presença de andróforo e forma de capuz.
Flor – tetrâmera a octâmera, diclamídia, Zigomorfa raramente actinomorfa
Sexo – hermafrodita
Androceu – isostêmone a polistêmones
Gineceu – sincárpico, bicapelar e hexacarpelar
Ovário – ínfero
Inflorescência – panícula ou flores isoladas
Fruto – capsula pixidia tipo sino
Distribuição da Família
Regiões de clima tropical e sub tropical, e no Brasil muito representada na Região
Norte.
O Norte do Brasil é o centro de dispersão da família.

Representantes
Bertholetia excelsa – castanha do Pará
Cariniana estrellensis – jequitibá rosa
Couratari brasiliensis - jequitibá
Lecythis pissonis – sapucaia
Couroupita surinamensis – castanha de macaco
Eschweilera sp – mata-mata

Família Flacourtiaceae 85g 1300spp

Porte – arbóreo e arbusto, lianas (cipó lenhoso)


Consistência – lenhosa e sub lenhosa
Folhas – simples, quanto a filotaxia são alternas, presença de estipula caducas ou
persistentes
Flor – pentâmera, algumas vezes hexâmeras ou octâmeras. Pétalas livres, raramente
solddas na base.
Sexo – hermafrodita
Androceu – isostêmone a polistêmones
Gineceu – sincárpico, bicapelar a pluricarpelar
Ovário – supero ou ínfero (introduzida)
Inflorescência – cacho, fascículo, panicola ou flores isoladas. Decásio, monocásio do
tipo das simeiras
Fruto – capsula, baga ou drupa
Distribuição da Família
Regiões de clima tropical e sub tropical, e no Brasil bem representada,
principalmente no Nordeste.

Representantes
Xylosma venosum – espinheiro (comum na Amazônia)
Carpotroche brasiliensis – usada no tratamento da lepra, comum na Amazônia.

19
Casearia sylvestris – madeira de lei, uso medicinal contra corrimento, é também
adstringente.
Casearia aculeata – cruzeiro
Casearia decandra – pururuca ( madeira cinza)
Casearia gossypiosperma - Comum no Brasil
Gossypiospermum sp castelo

Família Bixaceae 1g 4ssp

Representante
Bixa orellana – urucum, a semente é usada como condimento e tintura.( coloral)

Família Passifloraceae

Representantes

Passiflora edulis – maracujá, usado na farmacologia como calmante, as folhas são


tônicas cardíacas, casca usada no tratamento renal, fruto comestível.

Família Salicaceae

Representantes
Salix humboldtiana – salgueiro, salgueiro rio ou chorão, nativa do Brasil, comum
em MG, RS, AM em matas ciliares, madeira de lei, usada no reflorestamento ou
paisagismo.
Salix viminalis – vismeiro, usado na fabricação de móveis de vime.

Família Capparicidaceae

Representantes
Capparis speciosa – pau verde, apícola.
Capparis tweediana – barba de gato, forrageira, ornamental, raiz possui alcalóide tóxico a
caparina.
Crataeva tapia – cabaceira ou cabaça do pantanal, comum no pantanal e em
matas ciliares, usada na construção de interiores, forros, canoas, uso medicinal do
fruto é feito xarope anti-febril.

Família Sapotaceae

Porte – arbóreo ou arbusto


Consistência – lenhosa e sub lenhoso
Folhas – simples, quanto a filotaxia são alternas, presença ou não de estipula, latescente

20
Flor – tetrâmera a octâmera com predominância de pentâmera, diclamídia, corola
gamopétala (pétalas soldadas)
Sexo – hermafrodita raramente unissexuada
Androceu – isostêmone com estaminóide
Gineceu – sincárpico tri a pluricarpelar
Ovário – supero
Inflorescência – fascícula axilares, ou espécies com flores isoladas
Fruto – baga, ás vezes casca coriácea
Distribuição da Família
Regiões de clima tropical e sub tropical, e o Brasil é o centro de dispersão da
família.

Representantes
Achras sapota – sapotí, os fruto é comestível, comum na Amazônia.
Lucuma caemito – abil, comum na Amazônia.
Pouteria ramiflora – fruta de veado, o fruto é comestível.
Pouteria caemito – madeira de lei, comum na Amazônia.
Mamilkara eclinusa – maçaranduba, madeira de lei, comum na Amazônia.
Mamilkara huberi - maçaranduba, madeira de lei, comum na Amazônia.
Ecclinusa ramiflora - madeira de lei, comum na Amazônia.
Micropholes venulosa - madeira de lei, comum na Amazônia.
Chrysophillum sp – madeira de lei

Família Ebenaceae

Porte –Arbóreo, arbusto


Consistência – Lenhosa e sub lenhosa
Folhas – Simples, alternas raramente opostas, ausência de estípulas
Trímeras a pentâmeras, diclamídea, hermafrodita ou unissexuada
Androceu: -iso, diplo e polistêmones
Gineceu:- sincárpico e pluricarpelar
Ovário -: Supero
Flores -:isoladas
Frutos: baga, com cálice persistente
Distribuição: regiões tropicais e subtropicais
Representante
Diospyros ebenum – ébano preto, madeira de lei.
Diospyros chloroxylon – ébano verde, madeira de lei.
Diospyrus lotus – caqui, o fruto é comestível.

Família Leguminosae

Porte – arbóreo, arbusto, sub arbusto, cipó, trepadeira, e erva, liana


Consistência – lenhosa, sub lenhosa, e herbácea
Folhas – quanto a filotaxia são alternas, compostas, podem ser bifolioladas, trifoliolada,
pentafoliolada, tetrafoliolada, hexafoliolada, penada (pode ser paripenada ou
imparipenada). Nos vegetais tipo trepadeira e cipó possuem gavinhas. A estipulas são
persistentes ou caducas. Em algumas espécies há presença de acúleos ou espinhos.

21
Presença de pulvino (dilatação do pecíolo, ou pecialo), de glândulas nectaríferas (em
algumas espécies apenas).
Algumas espécies podem apresentar simbiose (associação) com bactérias do
gênero Rhyzobium que possui a capacidade de fixar nitrogênio do ar atmosférico.
Flor – a maioria é pentâmera raramente tetrâmera, diclamídias, quanto a simetria podem
ser actinomorfa ou zigomorfa, pode ser gamossépala ou dialissépala, as pétalas são
sempre dialipétala (esta é a principal diferença entre as famílias Leguminosae e
Bignoniaceae)
Sexo – hermafroditas
Androceu – isostêmones, diplostêmones a polistêmones, algumas espécies são
dialistêmones estames possuem os filetes concrescidos na base
Gineceu – sincárpico e unicarpelar ( raríssima)a bicarpelar
Ovário – supero, algumas espécies apresentam ginóforo
Inflorescência – cacho, corimbo, espiga, capítulo, panícola composta
Fruto – vagem ou legume, drupa, sâmara, lomento (jatobá) e geocárpio (amendoim).
Distribuição da família
A família é cosmopolita (está em todo o mundo), sendo que o Brasil é o centro de
distribuição da família.

Uma sub família difere da outra pelas características reprodutivas, principalmente


pela simetria da flor.

Sub família Caesalpinoideae

Flor – simetria zigomorfa qdo apresenta uma pétala maior ou menor que a outra
(fracamente), corola geralmente vistosa quase sempre com uma pétala superior maior ou
menor em relação as outras
Androceu – diplostêmones, raramente apresentam apenas um estame (isso acontece em
somente uma espécie)
Pré floração (botão) – imbricada ascendente

Representantes
Copaifera langsdorfii – pau d’oleo, medicinal
Copaifera officinalis – copaíba ou guaranazinho, medicinal, usado para extração
de verniz.
Dimorphandra mollis – cinzeiro, madeira de lei, faz cinzeiro de madeira.
Hymenea coubaril – jatobá mirim, madeira de lei, medicinal, ocorre na mata, fruto
pequeno.
Hymenea stigonocarpa – jatobá do cerrado, madeira de lei, medicinal, fruto
grande.
Sclerolobium aureum – pau bosta, quando a madeira cerrada molha tem aroma
característico.
Sclerolobium paniculatum – pau bosta inflorescência panícula
Bauhinea forficata – pata de vaca, no pantanal é encontrada como sub arbusto
escandente.( trepadeira)
Bauhinia forficata – pata de vaca, comum na Amazônia, madeira de lei.
Cassia sp – chuva de ouro, ornamental.
Cassia angustifolia – fedegoso, medicinal, afrodisíaco, óleo para massagem.
Caesalpinia echnata – pau brasil, madeira de lei em extinção, comum no litoral da
Bahia, dela é extraído o corante brasilina.

22
Caesalpinia sp – sibipiruna, ornamental.
Peltogyne nitens – amendoim bravo, madeira de lei comum em MT.
Tamarindus indica – tamarindo, madeira de lei, fruto comestível.
Delonix regia – Flamboyan, ornamental, introduzida.
Machaerium scleroxylon – pau ferro.
Dimorphandra paraensis – madeira de lei, comum na AM, PA, nortão de MT.
Diptychandra aurantica – carvão vermelho, madeira de lei encontrada nas matas
e cerrado.
Apuleia molaris – garapeiro, madeira de lei.
Peltogyne angustifolia – coração de negro ou pau roxo, madeira de lei escura com
o cerne arroxeado.
Schyzolobium amazonicum – pinho cuiabano.
Copaifera trapezifolia – Comum na Amazônia.
Bauhinia holophilla – unha de boi.

Sub família Mimosoideae

Flor – simetria actinomorfa


Androceu – diplostêmones ou polistêmones, nunca aparece isostêmone
Pré floração – valvar
Não apresenta flores isoladas.

Representantes
Plathymenia reticulata – vinhático, madeira de lei comum em MT,
Stryphonodendron adstringens – barbatimão, madeira de lei secundária em MT,
casca adstringente ( medicinal)
Anadenanthera urundeuva – angico branco, madeira de lei comum em MT.
Anadenanthera falcata – angico do cerrado, angico do campo.
Anadenanthera peregrina – angico jacaré.
Anadenanthera colubrina – angico vermelho, madeira de lei comum em MT.
Acacia senegal – acácia, introduzida, dela se obtém a goma arábica.
Acacia leptophylla – monjoleiro, dela faz-se o monjolo.
Enterolobium contortisiliquim – chinguva ou orelha de negro, medicinal
Inga affinis – ingá doce, fruto comestível, ingá de metro
Inga fagifolia – ingá de 4 folhas, fruto comestível.
Inga heterophylla – ingarana, fruto comestível.
Mimosa pudica – jurema, sensitiva ou dorme dorme.
Calliandra brevipes – Quebra foice bem resistênte na Amazônia
Albizia lebek – ornamental, faveira ornamental de ruas e avenidas
Pithecellobium racemosum – farinha seca ou farinheira, amarelo e esfarinhado o
caule
Pithecellobium samam – sete casca, madeira de lei secundária, em MT é
ornamental.
Adenanthera rubrus tento

Sub família Papilionoideae

23
Flor – pentâmera, simetria fortemente zigomorfa, apresenta uma pétala grande superior
externa chamada estandarte, duas pétalas laterais, chamadas asas ou alas, e duas
pétalas inferiores fortemente prensadas, constituindo a quilha ou carena
Androceu – diplostêmones
Pré floração - imbricada deiscencente

Representantes
Andira cuyabensis – morcegueira, madeira de lei secundária.
Andira sp – madeira de lei comum na AM.
Bowdichia virgilioides – sucupira preta, medicinal.
Dipteryx alata – cumbaru, no meio pecíolo alado
Dipteryx odorata – cumbaru, tem odor
Pterodom pubencens – sucupira branca ou fava de Sto. Inácio, madeira de lei,
medicinal.
Torresea acreana – cerejeira ou imburana.
Platypodium elegans – cansileiro ou faveiro
Vatairea macrocarpa – angelim, sucupira preta ou amargoso (medicinal)
Machaerium aculeatum – espinheiro, matas ciliares ou alagados.
Erythrina velutina – maçaranduba, medicinal.
Indigophera tinctoria – anil.
Myrocarpus frondosus – cabriuva.
Clitoria ramiflora – xoxotinha ou paliteira, ornamental, madeira de lei secundária.
Sucupira baraquim pau marfim comum na Amazônia

Família Rosaceae

Porte – arbóreo. arbusto, sub arbusto, erva e trepadeira


Consistência – lenhosa, sub lenhosa e herbácea
Folhas – simples, geralmente compostas, quanto a filotaxia são alternas raramente são
opostas, apresentam estipulas caducas ou persistentes, e acúleos( folhas modificadas
que tem origem na epiderme) ou espinhos( geralmentes margens serrilhadas)
Flor – pentâmera em ciclos, diclamídia, algumas espécies possuem caulículos (brácteas),
raramente apresentam simetria zigomorfa
Sexo – Hermafroditas, raramente unissexuada
Androceu – diplostêmones a polistêmones
Gineceu – apocárpico ou sincárpico, pluricarpelar a unicarpelar
ovário – ínfero, raramente súpero
Inflorescência – cacho, corimbo, dicásio, raramente apresenta flores isoladas
Fruto – drupa, baga fruto múltiplo ou aquênio
Distribuição: regiões temperadas, no Brasil cultivada no sul sendo raros nativos

Representantes
Rosae spp – roseira.
Malus sylvestris – maça.
Pirus communis – pera.
Rubus rosaefolius – framboesa .
Prunus armeniaea – damasco.
Fragaria vesca – moranguinho.

24
Quillaya saponaris – árvore do sabão, nativo usada na extração da saponina, na
fabricação de sabão comum no Pantanal.
Prunus persica – pêssego.
Prunus ceresus – cereja.
Prunus brasiliensis – pessegueiro do mato, o único nativo da família, folhas e
frutos tóxicos para o gado , madeira utilizada para móveis e cachimbo.
Prunus amydalus amêndoa

Família Chrysobalanaceae 120g 150spp

Porte – arbóreo, arbusto


Consistência – lenhosa, sub-lenhosa
Folhas – simples, inteiras, coreáceas, alternas, com estípulas, presença de cistólito
Flor – pentâmeras, diclamídia, geralmente com receptáculo desenvolvido, zigomorfa e
hermafrodita
Androceu – Aniso ou oligostêmone, polistêmone. Presença de estaminóides e estames
livres ou soldados.
Gineceu – sincárpico
Ovário – Súpero
Inflorescência – tipo simeira (monocásio, dicásio, pleocásio) ou panícola
Fruto – Drupa

Distribuição – Regiões tropicais, sub-tropicais, Amazônia.

Representantes
Chrysobalanus icaco – maçanzinha da praia, comum no sul do Brasil
Licania tomentosa – oiti, ornamental
Paranarium iodolfii – pajurá, fruto é comestível, comum no amazonas.
Couepia grandiflora – castanha de cutia.
Hirtella gracilipes – azeitona do mato
Hirtella glandulosa – vermelhão
Hirtella ciliata – pau-pombo
Licania parviflora – pimenteira
Couepia longipendula – castanha de galinha
Licania rigida – oiticica

Família Proteaceae

Representantes
Roupala brasiliensis - carne de vaca, comum no cerrado se amassada a folha
cheira a carne.
Roupala cearensis – carvalho brasileiro.
Roupala heterophylla – carvalho brasileiro, folhas de 2 tipos
Grevillea robusta – Madeira de lei

25
Família Lythraceae 40g 500spp

Porte – arbóreo, sub arbusto e raramente erva


Consistência – lenhosa, sub lenhosa e herbácea
Folhas – simples, quanto a filotaxia são alternas raramente são opostas, apresentam
estipulas pequenas e rudimentares
Flor – tetrâmera, pentâmera, pode ter até dezesseis pétalas, unguiculada (pétalas em
forma de unha), diclamídia, actinomorfa raramente apresentam simetria zigomorfa, às
vezes, cálice persistente
Sexo – Hermafroditas
Androceu – apresenta dez estames ou mais.
Gineceu – Sincárpico, bi, penta ou pluricarpelar
ovário – supero, raramente ínfero
Inflorescência – cacho ou panícola
Fruto – cápsula
Distribuição da família
Regiões tropicais e subtropicais, no Brasil aparece em campos, matas e cerrados.

Representantes
Lafoensia pacari – mangaba brava.
Physocalimma scaberrimum – aricá ou pau rosa.

Família Myrtaceae 100g 3000spp

Porte – arbóreo, geralmente arbusto, e sub arbusto


Consistência – lenhosa, sub lenhosa
Folhas – simples, inteiras, quanto a filotaxia são opostas raramente são alternas,
apresentam estipulas, e pontuações translúcidas (glândulas secretoras de óleo),
geralmente aromáticas, presença de nervuras marginais ou coletoras.
Flor – pentâmera raramente são tetrâmeras, diclamídia raramente monoclamídias
Sexo – Hermafroditas
Androceu – polistêmones
Gineceu – sincárpico e pentacarpelar (5 carpelos e 5 lóculos)
ovário – ínfero raramente supero
Inflorescência – cacho, gloméros axilares e algumas espécies apresentam flores isoladas,
há caulifloria( flor no caule)
Fruto – baga ou cápsula
Distribuição:Continente americano e Australiano .
BRASIL É O CENTRO DE DISPERSÃO DA FAMÍLIA MYRTRACEAE
Representantes
Eucalyptus globulus – eucalipto, madeira de lei usada como carvão vegetal,
também é medicinal dele é extraído óleo.Usada para reflorestamento.
Psidium guineense – araçá ou goiabeira do mato
Psidium guajava.
Eugenia uniflora – pitanga.
Eugenia myrobalana – gabiroba.
Myrciaria cauliflora – jaboticaba.
Myrcia albotomentosa – jacarezinho.

26
Família Melastomataceae 150g 5000spp

Porte – arbóreo. arbusto, sub-arbusto e erva


Consistência – lenhosa, sub lenhosa e herbácea
Folhas – simples, inteiras, às vezes pilosas, quanto a filotaxia são opostas, algumas
espécies vivem em associação com formigas nos pecíolos ou limbos (mirmecófitas),
nervuras curvinéveas.
Flor – pentâmera , diclamídia, actinomorfa raramente apresentam simetria zigomorfa
Sexo – Hermafroditas
Androceu – diplostêmones, filetes longos e anteras falciformes ( forma de foice).
Gineceu – sincárpico e pentacarpelar
ovário – ínfero
Inflorescência – cacho ou panícola
Fruto – baga ou cápsula
Distribuição: regiões tropicais e sub tropicais.O Brasil e a Chapada dos Guimarães são
centros de dispersão da família.
Representantes
Tibouchina mutabilis – quaresmeira, madeira de lei, encontrada no véu de noiva,
MT.
Miconia chrysophylla – associação com formigas, em mata ciliar.
Leandra sp – mata ciliar, comum em chapada dos Guimarães, frutas comestíveis
Mouriri elliptica – coroa de frade, comum no cerrado, o fruto é comestível
Mouriri pusa – jabuticaba do cerrado ou jabuticaba do campo.
Mouriri guianensis roncador comum na Amazônia

Família Combretaceae

Porte – arbóreo. arbusto, sub arbusto


Consistência – lenhosa, sub lenhosa
Folhas – simples, inteiras, quanto a filotaxia são alternas, apresentam estipulas
Flor – pentâmera ou tetrâmera, diclamídia, actinomorfa raramente apresentam simetria
zigomorfa
Sexo – Hermafroditas ou unissexuadas por aborto
Androceu – diplostêmones, anteras com conectivo rostrado
Gineceu – sincárpico, unicarpelar a bicarpelar
ovário – ínfero
Inflorescência – cacho ou espiga
Fruto – drupa, sâmara
Distribuição da família
Regiões tropicais e sub tropicais, ocorre em todo o Brasil.

Representantes
Combretum lanceolatum – pombeiro vermelho ou remela de macaco, madeira de
lei no pantanal.
Combretum laxum – pombeiro preto ou carne de vaca.
Terminalia terminalia – sete copas, ornamental, é espécie introduzida no Brasil.
Terminalia argentiium – capitão do mato ou pau de bicho.
Buchenavia tomentosa – tarumeiro ou pombeiro.
Buchenavia kleinii – guarajuva, matas fluviais do sul do Brasil.

27
Família Olacaceae

Representantes
Ximenia americana – ameixa do Brasil, é usada para extração de óleo.
Heisteria silvaniis – casco de tatu, comum em matas de encosta do sul do país.
Minguartia sp – acariquara, comum no Amazonas, é ornamental.

Família Opiliaceae

Representante
Agonandra brasiliensis – pau d’alho.

Família Loranthaceae

Representantes
Struthanthus flexicaulis – erva de passarinho
Phorodendron rubrum – erva de passarinho
Psittacanhus dichrous – erva de passarinho

Família Celastraceae

Representantes
Goupia gabra – cupiúba.
Maystenus rigida – pau de colher.

Família Hippocrateaceae

Representantes
Salacia cognata – siputá, o fruto é comestível.
Salacia laevigata – laranjinha do mato ou bacuri .
Salacia elliptica – siputá do mato, madeira de lei secundária, o fruto é comestível.
Hippocratea ovata – amendoeira do mato.
Hippocratea volubilis – medicinal as folhas são cicatrizantes, as sementes são
comestíveis.

Família Aquifoliaceae

Representantes
Ilex paraguariensis – congonha, erva mate.
Ilex ovalifolia – falsa erva mate ou caúma.
Ilex aquifolium – azedinha, ornamental, é símbolo natalino anglosaxão e conhecida como
“holly”.

28
Família Vitaceae

Representantes
Vitis vinifera – parreira, videira
Vitis sylvestris – parreira silvestre

Família Euphorbiaceae 300g 7500 spp

Porte – arbóreo, arbusto , sub arbusto ou erva


Consistência – lenhosa, sub lenhosa e herbácea
Folhas – simples ou compostas, o limbo pode ser inteiro ou dividido nas folhas simples,
quanto a filotaxia são alternas, apresentam estipulas latescêntes.
Característica Taxonômica
Estigma ramificado ou trícido.
Flor – aclamídia ou monoclamídia possuindo geralmente o cálice, raramente há flores
completas (pentameras)
Sexo – unissexuada
Androceu – oligostêmones ou polistêmones
Gineceu – sincárpico e tricarpelar
Ovário – supero, o estigma é ramificado ou trícedo
Inflorescência – cacho, corimbo ou espiga , composta panícula.
Fruto – capsula (tricoca, a seringeira), baga e sâmara
Distribuição da família
Regiões tropicais e subtropicais, sendo o Brasil o centro de dispersão da família.
Representantes
Hevea brasiliensis – seringeira, do látex é fabricada a borracha.
Ricinus communis – mamona, da semente é extraído óleo.
Manichot spp – mandioca, aipim, macacheira, ou maniçoba.
Manichot utilissima – mandioca.
Jatropha curcar - pinhão
Alchornea glandulosa – maria mole
Alchornea castanaefolia – saran, comum em matas ciliares, é usada em
reflorestamentos.
Pera glabrata – tamanqueiro.
Sebastiana commersoniana – branquinho
Aleurites molucca - nogueira , usada para extração de óleo
Croton floribundus – velame, medicinal.
Alchonea triplinevea - pau de tamanco
Micrandra elata – leiteiro branco

Família Erythroxylaceae 250g 4500spp

Porte – arbóreo geralmente fortemente suberificado


Consistência – lenhosa, e sub lenhosa
Folhas – simples, inteiras ,quanto a filotaxia são alternas, apresentam estipulas
Flor – diclamídia, pentâmera geralmente apresenta flores pequenas
Sexo – hermafrodita
Androceu – isostêmones

29
Gineceu – sincárpico e tricarpelar
Ovário – supero
Inflorescência – panícola
Fruto – drupa
Distribuição da família
Regiões tropicais e subtropicais, comum no cerrado brasileiro.
Representantes
Erythroxyllum suberosum – vassoura de bruxa, comum no cerrado.
Erythroxyllum catuaba – pau de resposta ou catuaba, madeira de lei secundária, raiz,
tronco e casca são afrodisíacos, comum nordeste e norte.
Erythroxyllum deciduum – baga de pomba, comum nos chacos.
Erythroxyllum coca – coca, nativa na Bolívia, Colômbia, dela é extraída a cocaína, não é
nativa do Brasil.

Família Malpighiaceae 65g 800spp

Porte – arbóreo, arbusto, sub arbusto e trepadeira


Consistência – lenhosa, sub lenhosa e herbácea
Folhas – simples, quanto a filotaxia são alternas raramente são opostas, estipulas
ausentes, algumas espécies apresentam glândulas na base da folha, ramos ou pecíolos
Flor – pentâmera, diclamídia, actinomorfa raramente apresentam simetria zigomorfa,
corola em forma de unha
Presença de glândulas na parte externa do cálice , sendo duas para cada sépala.
Sexo – Hermafroditas
Gineceu – sincárpico, tri a pentacarpelar
Androceu – isostêmones ou diplostêmones, apresentam estaminóides
ovário – supero
Inflorescência – panícola axial ou terminal
Fruto – sâmara, drupa e baga
Distribuição da família
Regiões tropicais e subtropicais, no Brasil muito bem representadas nos cerrados
do Centro Oeste.

Representantes
Byrsonimia coccolobifolia murici, o fruto é comestível.
Byrsonimia crassa – murici, madeira de lei.
Byrsonimia intermedia –semaneira, madeira de lei secundária, o fruto é comestível.
Byrsonimia sericea - canjiquinha, comum no Pantanal.
Malpighia sp – cerejeira do pará, comum na Amazônia.
Byrsonimia gabra- acerola , rica em vitamina c, fruto comestível.

Família Vochysiaceae 6g 200spp

Porte – arbóreo, arbusto, sub-arbusto


Consistência – lenhosa, sub lenhosa
Folhas – simples, inteiras, quanto a filotaxia são alternas, opostas, ou verticiladas,
algumas espécies apresentam estipulas, outras não, pequenas.
Flor – pentâmera, ou podem ocorrer casos com apenas uma pétala (madeira de lei),
geralmente são flores grandes e vistosas de cor amarela, diclamídia, simetria fortemente

30
zigomorfa, em algumas espécies há cinco sépalas desiguais entre si, sendo uma delas
calcarada (em forma de esporão)
Sexo – Hermafroditas
Androceu – formado por um único estame, geralmente grande, e apresenta um ou três
estaminóides
ovário – supero, raramente ínfero
Inflorescência – cacho ou flores isoladas
Fruto – cápsula
Gineceu –sincárpico, tricarpelar, ou pentacarpelar
Distribuição da família
Predominantemente na América do Sul. (Américas tropicais)
Representantes
Vochysia haenkeana – pau amarelo, pau de tucano , cambará .
Vochysia divergens – cambará comum, aparece nos cerrados e matas
Salvertia convallariodora – pau de arara ou capotão, comum no cerrado.
Qualea grandiflora – pau terra , comum no Cerrado .
Qualea parviflora – pau terrinha, ornametal.
Callisthene minor – pau de pilão ou carvão vermelho
Callisthene fasciculata – carvão branco, muito resistente, não apodrece na água,
usado para fazer mourão e carvão vegetal, comum no Pantanal.

Família Sapindaceae 150g 2000spp

Porte – arbóreo, arbusto sub-arbusto e trepadeira


Consistência – lenhosa, sub-lenhosa herbácea
Folhas –compostas podem ser trifolioladas e penadas (paripenada ou imparipenada),
quanto a filotaxia são alternas, raramente opostas, as trepadeiras apresentam estipulas e
gavinhas (folhas modificadas)
Característica Taxonômica
Presença de uma gema atrofiada no ápice da folha e algumas espécies o pecíolo
é alado.
Flor – pentâmera, , diclamídia, simetria zigomorfa
Sexo – Hermafroditas raramente unissexuadas
Androceu – oligostêmones ou polistêmones
Gineceu – sincárpico e tricarpelar ou pentacarpelar
Ovário – supero
Inflorescência – panícola terminal ou axial
Fruto – cápsula e sâmara
Distribuição da família
Regiões tropicais e subtropicais.

Representantes
Serjania cuspidata – timbó de peixe, o fruto é toxico.
Serjania noxia – cipó timbó, tóxico.
Magonia pubencens – timbó, madeira de lei
Paullinia cupana – guaraná, madeira de lei, possui propriedades medicinais e
ácido salicílico natural
Sapindus saponaris – árvore de sabão, madeira de lei , comum no pantanal,
Talissia sculenta – pitomba, madeira de lei
Matayba guianensis – camboatá, comum em mata virgem e ciliar.

31
Diplokeleba florisbunda – canela de cutia.
Melicoccus lepidopetalus – papa mundo ou água pomba
Dilodendron bipinatum – mulher pobre.

Família Burseraceae 20g 600spp

Porte – arbóreo, arbusto


Consistência – lenhosa e sub-lenhosa
Folhas – composta, penada (paripenada ou imparipenada) ou trifoliolada, raramente folhas
simples, quanto a filotaxia são alternas, presença de resina aromatica na casca e nas folhas

Flor – pentâmera raramente trímeras, diclamídia raramente monoclamídia


Sexo – Hermafroditas raramente unissexuadas
Androceu – isostêmones à polistêmones, algumas espécies apresentam estames
concrescidos formando um tubo
Gineceu- sincárpio bi a pentacarpelar
ovário – supero
Inflorescência – panícola axilar ou terminal, em algumas espécies há flores isoladas
Fruto – drupa
Distribuição da família
Regiões tropicais e sub tropicais de todo o mundo.

Representantes
Protium dodecaphyllum – breu ou amescla (12 folíolos)
Protium heptaphyllum – breu ou amescla (07 folíolos)
Bursera leptospholos – Imburana, comum Amazônica, casca medicinal, raiz afrodisíaca.

Família Anacardiaceae 80g 600spp

Porte – arbóreo, arbusto e sub arbusto


Consistência – lenhosa, apresenta canais resiníferos nos ramos e troncos, sublenhosa
Folhas – simples, inteiras ausência de estipulas, ou compostas, penada (paripenada ou
imparipenada), presença de tanino e resina.
Flor – pentâmera, diclamídia raramente são monoclamídia (sem cálice), o cálice é
persistente
Sexo – Hermafroditas raramente unissexuadas
Androceu – diplostêmones, com estames reduzidos com estaminóides
Gineceu – sincárpico, tri a pentacarpelar
ovário – ínfero raramente supero
Inflorescência – panícolas axilares e terminais
Fruto – baga, drupa, pseudofruto e nozes
Distribuição da família
Regiões sub tropicais e temperadas e tropicais .
Representantes
Astronium urundeuva – aroeira, madeira de lei
Astronium fraxinifolium – gonçaleiro
Myracrodriun urundeuva – aroeira
Anacardium giganteum – cajueiro do mato
Anacardium ocidentalis – caju comum

32
Anacardium humilis – cajuzinho do mato
Anacardium nana – cajueiro, possui caule subterrâneo ajuda o cerrado
Spondia purpurea – embuzeiro , ceriguela
Poupartia sp – cedro branco
Lithraea brasiliensis – pau de bugre ou bugreiro
Schinopsis balansae – quebra-queixo
Spondea macrocarpa – cajazeiro, cajá redondo
Spondea velunosa – cajá manga, cajazeiro grande.
Mangifera indica – mangueira
Poupartea sp –cedro branco

Família Meliaceae 50g 1400spp

Porte – arbóreo, raramente arbusto


Consistência – lenhosa
Folhas – compostas, penadas (paripenadas ou imparipenadas), alternas, e ausência de
estipulas
Característica Taxonômica
Filetes concrescidos formando um tubo estaminal em cujo ápice estão as anteras.
Flor – tetrâmeras a heptâmeras, com predominância de pentâmeras, diclamídias
raramente monoclamídias (ausência de corola), geralmente flores pequenas com cálice
gamo e a corola ás vezes gamo
Sexo – hermafrodita, raramente unissexuada (pode ser dióico, monóico e polígamo)
Androceu – isostêmones, diplostêmones, raramente dialistêmones, às vezes concrescidos
Gineceu – sincárpico, pentacarpelar, em algumas espécies há ginóforo
Ovário – supero
Inflorescência – panículas axilares, raramente terminais
Fruto – drupa, sâmara, baga ou capsula
Distribuição da família
Regiões de clima tropical e sub tropical.
Representante
Cedrella fissilis – cedro
Cedrella odorata – cedro rosa
Carapa guayanensis – andiroba
Cabralea cangerana – canjerana
Guarea trichilioides – camboatá, AM
Trichilia elegans – pau de ervilha
Trichilia catigua – veludo ou pombeiro
Trichilia pallida - catiguá
Swietenia macrophylla – mogno

Família Simaroubaceae 25g 160spp

Porte – arbóreo, arbusto, sub arbusto


Consistência – lenhosa e sub lenhosa
Folha – composta, penada (paripenada ou imparipenada), alternas raramente opostas,
raramente folhas simples , aromáticas

33
Flor – trímera à heptâmera, diclamídia, raramente monoclamídia (ausência de corola)
Sexo – hermafrodita, raramente unissexuada
Androceu – isostêmones, diplostêmones, raramente polistêmones
Gineceu – sincárpico, bicarpelar à pentacarpelar
Ovário – supero, presença de ginóforo curto
Inflorescência – panícola ou cacho terminal
Fruto – capsula, sâmara, drupa, baga

Distribuição da família
Regiões de clima tropical e sub tropical.
Representantes
Quassia amara – pau amargo, madeira de lei, casca medicinal.
Simorouba versicolor – pau cacheta, folha medicinal, casca venenosa, madeira de
lei.

Família Rutaceae 150g 1600spp

Porte – arbóreo, arbusto, sub-arbustos, ervas e trepadeiras


Consistência – lenhosa, sub lenhosa, e herbácea
Folha – composta, raramente simples, ausência de estipulas, alternas, presença de
pontuações translúcidas, espinhos ou acúleos, às vezes há pecíolo alado
Flor – pentâmera, raramente tetrâmera, diclamídia, raramente zigomorfa
Sexo – hermafrodita, ou unissexuada por aborto
Androceu – isostêmones, diplostêmones, ou polistêmones, presença de estaminóides
Gineceu – sincárpico ou apocárpico com predominância de sincárpico, tetracarpelar à
pentacarpelar.
Ovário – supero com ginóforo
Inflorescência - cacho, corimbo ou panícola
Fruto – baga, no caso de fruto cítrico: hesperídio; cápsula e sâmara.
Distribuição da família
Regiões de clima tropical e sub tropical.

Representantes
Esenbekia leiocarpa – guarantã
Pilocarpus spp – jaborandi, medicinal faz xampu.
Zanthoxyllum haslerinanum – mamica de porca.
Zanthoxyllum subserrata – mamica de cadela
Euxylophora paraensis – pau amarelo, AM, PA.
Citrus medica – cidra
Citrus sinensis – laranja
Citrus aurantum – laranja azeda
Citrus limonis – limão
Citrus aurantifolia – lima
Citrus nobilis – tangerina
Zanthoxeyllum chiloperone –laranjeira brava

Família Araliaceae
Representante

34
Didymopanax morotoni– caixeta ou morocoto, usado na fabricação de caixões.

Família Oxalidaceae

Representantes
Averrhoa carambola – carambola, fruto comestível.
Oxalis brasiliensis – azedinha ou trevo azedo.

Sub classe Asteridae

É a subclasse mais importante e evoluída para o sistema de classificação. Todas


as ordens e famílias desta subclasse são gamopetalas.

Família Apocynaceae 300g 2000spp

Porte – arbóreo, arbusto e sub , erva e trepadeira


Consistência – lenhosa, sub lenhosa, herbácea, presença de látex
Folha – simples, alterna, opostas ou verticiladas, ausência de estipulas, geralmente com
glândulas na base do limbo ou do pecíolo
Característica Taxonômica
Estigma em forma de carretel.
Flor – pentâmera, diclamídia, gamopétalas, corola em forma de funil ou taça
(infundibuliforme)
Sexo – hermafroditas
Androceu – isostêmones, às vezes hepipétalo e incluso
Gineceu – sincárpico, e apocárpico com predominância de apocárpico, bicarpelar
Ovário – supero
Inflorescência – dicásio, ás vezes flores isoladas
Fruto – baga, drupa e cápsula
Distribuição da família
Regiões tropicais e sub tropicais.
Representantes
Aspidosperma tomentosum – peroba do cerrado, madeira de lei secundária.
Aspidosperma australis – guatambú ou peroba, MT, nordeste.
Aspidosperma nobilis – peroba comum, MT, GO.
Aspidosperma cylindrocarpa – peroba rosa, MT, RO.
Hancornia speciosa – mangabeira, fruto comestível.
Himathanthus obovatus – angélica
Geissosperma laeves – pererinha.

Família Loganiaceae

Representantes
Strychnos nux-vonica – noz movica, medicinal, usado para combater cólicas.

35
Strychnos brasiliensis – esporão de galo., em pequenas quantidades é medicinal.
Strychnos pseudoquina –quina do cerrado.
Antonia ovata – comum no cerrado.

Família Solanaceae 85g 2200spp

Porte – arbusto, sub arbusto e erva


Consistência – lenhosa, sub lenhosa e herbácea
Folha – simples (inteiras, partidas ou fendidas), alternas, ausência de estipulas
Flor – pentâmera, diclamídias, raramente zigomorfas, cálice partido, às vezes persistente,
corola gamopétala
Sexo – hermafrodita
Androceu – isostêmones, alternipétalo, aderente carióte.
Gineceu – sincárpico e bi a pentacarpelar .
Ovário – supero
Inflorescência – não possui, as flores são isoladas, quando tem e dicásio.
Fruto – baga e capsula
Distribuição da família
Regiões de clima tropical e sub tropical das Américas Norte e Sul.
Representantes
Solanum paniculatum – jurubeba, medicinal.
Solanum auriculatum – fumo bravo .
Solanum nigrum – juá, fruto comestível.
Solanum tuberusum – batatinha.
Solanum melongena – beringela.
Solanum gilo – gilo.
Solanum lycocarpum – fruta de lobo ou lobeira.
Solanum glaucophyllum - espirradeira, espichadeira.
Nicotiana tabacum – tabaco ou fumo.
Atropa belladona – beladona, extraída a apropina analgésico, alucinógeno.
Datura arborea – trombeteira, tóxica, narcótico.
Capsicum annuum – pimentão.
Capsicum frutescens – pimenta malagueta.
Lycopersicum sculentum – tomate.

Família convolvulaceae

Representantes
Duckeodendron cestroide – pincel de macaco, madeira de lei, AM.
Tpomoea batatas – batata doce
Tpomoea pupurea – gramofone
Tpomoea fistulosa – algodão do pantanal,mata cabra

Família Boraginaceae 100g 2000spp

Porte – arbóreo, arbusto, sub arbusto, e erva


Consistência – lenhosa, sub lenhosa, e herbácea
Folha – simples, inteiras, alternas, opostas ou verticiladas com predominância de alternas,
ausência de estipulas, apresenta cistólito

36
Flor – pentâmera, diclamídia, actinomorfa ou zigomorfa com predominância de
actinomorfa, corola gamopétala e cálice gamossépalo ou dialipétalo.
Sexo – hermafrodita
Androceu – isostêmones
Gineceu – sincárpico e bicarpelar
Ovário – supero
Inflorescência – simeira (monocásio, dicásio ou pleocásio) ou definidas, glomérulo a
simaescropióide
Fruto – drupa
Distribuição da família
Regiões tropicais e subtropicais.
Representantes
Cordia glabrata – louro preto, madeira de lei, cerrado , louro de MT .
Cordia naidophylla – louro branco, madeira de lei excelente.
Cordia insignis – calção de velho, pantanal
Cordia alliodora – falso louro, lourinho
Cordia sellowiana – louro mole.
Cordia trichotoma – louro do sul ,amarelo
Auxemma oncocalyse – pau branco, nordeste.

Família Verbenaceae 180g 3000spp

Porte – arbóreo, arbusto, sub arbusto e erva


Consistência – lenhosa, sub lenhosa e herbácea
Folha – simples, ou composta com predominância de composta, de 3 à 7 folíolos, opostas
ou verticiladas, raramente alternas, ausência de estipulas.
Flor – pentâmeras, diclamídias, geralmente zigomorfas
Sexo – hermafroditas, raramente unissexuadas por aborto ,
Androceu – oligostêmones didínamos gamopétalas ,isostêmones com estaminóides .
Gineceu – sincárpico, bicarpelar à tetracarpelar
Ovário – supero
Inflorescência – cacho: espiga, capítulo; dicásio , panícula e glomero.
Fruto – drupa e capsula
Regiões : Tropicais, sub-tropicais e temperadas
Representantes
Vitex triflora – tarumã
Vitex cymosa – tarumã
Citharexylum cinerium – pau de viola
Tectona grandes – teca, introduzida
Aloysia virgata - arrebenta laço , pantanal

Família Bignoniaceae (semelhante a leguminoseae) 120g 650spp

Porte – arbóreo, arbusto, sub arbusto, cipó, trepadeira, ervas


Consistência – lenhosa, sub lenhosa e herbácea

37
Folha – composta (5 folíolos e penada: paripenada ou imparipenada, ou bipenada),
raramente folha simples, sempre oposta e raramente alterna, nas trepadeiras gavinhas
foliais
Flor – pentâmera, diclamídia, zigomorfa, corola e cálice gamo, geralmente grandes e
vistosas.
Sexo – hermafrodita
Androceu – didínamo, com estaminóides (isostêmones)
Gineceu – sincárpico e bicarpelar
Ovário – supero
Inflorescência – cacho e composta (panícola ou cacho de dicásio)
Fruto – capsula e vagem
Distribuição da família
Regiões de clima tropical e sub tropical de todo o mundo, o Brasil é o centro de
dispersão da família
Representantes
Tabebuia ipe – ipê roxo.
Tabebuia serratifolia – ipê amarelo.
Tabebuia caraiba – 5 folhas do campo, medicinal.
Tabebuia aurea – piúva amarela ou paratudo.
Tabebuia heptaphylla – piúva do pantanal
Tabebuia impetiginosa – piúva da mata ou roxa
Tabebuia insignis – paratudo branco.
Tabebuia roseo-alba – piúva branca ou pertinga.
Tabebuia nodosa – labão , chaco (pantanal-sul)
Jacaranda chapadensis -jacaranda
Jacaranda cuspidifolia – caroba.

Família Oleaceae

Representantes
Olea europea – azeitona, vegetal introduzido, oliveira, fruto (drupa) é comestível, extraído
o óleo de oliva.

Família Rubiaceae 400g 7000spp

Porte – arbóreo, arbusto, sub arbusto, erva, e trepadeira


Consistência – lenhosa, sub lenhosa, e herbácea
Folha – simples (inteiras ou fendidas), opostas ou verticiladas
Característica Taxonômica
Presença de estipulas interpecioladas.
Flor – tetrâmera, pentâmera até octâmera, diclamídia, corola gamopétala
Sexo – hermafrodita
Androceu – isostêmones e incluso (dentro do tubo da corola)
Gineceu – sincárpico e bi pentacarpelar
Ovário – ínfero
Inflorescência – panícola, ou simosas (definida)
Fruto – cápsula, baga ou drupa
Distribuição da família

38
Regiões de clima tropical e sub tropical.
Representantes
Cinchona calisaya – quina, casca contém quinina que combate a malária
Calycophyllum muitiflorium – castelo ou pau branco
Palicourea sp – douradinha
Coffea arabica – café
Alibertia edulis – marmelada bola
Alibertia sessiles – marmelada cachorro ou marmelada espinho
Genipa americana – jenipapo no pantanal
Cephaelis ipecacunha – poáio, raiz medicinal
Guettarda virburnioides – veludo branco
Tocoyena formosa – olho de boi, ou marmelada preta
Duroia ducke – típica AM
Coussaria hydrangeaefolia – falsa quina
Coutarea hexandra – quina branca ou quina do Pará
Rudgea virburnoides – chá de bugre ou folha grossa do sertão. É medicinal.
Calycophyllum coccineum – rabo de arara

Família Asteraceae (ou Compositea) 950g 19000spp

Porte – sub arbusto e erva (98% são sub-arbustos


Consistência – sub lenhosa, e herbácea
Folha – simples (inteiras ou fendidas), alteras e opostas
Característica Taxonômica
Inflorescência em capítulo.
Flor – nunca são isoladas, apresenta sempre inflorêscencia, pentâmera, actinomorfas ou
zigomorfas, corola gamopétala e dialipétala, cálice profundamente modificado forma
papilo para disseminação do fruto
Sexo – hermafrodita ou unissexuada
Androceu – isostêmones
Gineceu – sincárpico, unicarpelar e bicarpelar
Ovário – ínfero
Inflorescência – capítulo
Fruto – aquênio
Distribuição da família
Família cosmopolita.
Representantes
Vernonia scabra – assa peixe
Helianthus annuuns – girassol, introduzida
Dahlia sp – dália
Chrysanthemum leucanthemum – margarida, medicinal
Cichorium intybus – chicória
Lactuca sativa – alface
Cynara solymus – alcachofra
Matricaria chamomilla – camomila, medicinal
Artemisia absynthum – losna, medicinal (extrai-se o absinto)
Baccharis articulata –carqueja
Bidens gardneri – picão do Pantanal, medicinal

39
Classe Liliopsida

Sub Classe Arecidae

Família Arecaceae (Palmae) 300g 3500spp

É uma família exceção entre as Liliopsidas, o caule é arbóreo e a consistência lenhosa.

Porte – Arbóreo e arbusto


Consistência – lenhosa e sub lenhosa
Caule – do tipo estipe (ex. o coqueiro), não ramificado, e com folhas terminais
Folhas – compostas de dois tipos: palmadas ou digitadas, e penadas, com pecíolos
longos
Flor – pequenas, trímeras
Sexo – unissexuadas raramente hermafroditas
Androceu – isostêmones raramente diplostêmones e polistêmones.
Gineceu – tri a pentacarpelar, sincárpico
Ovário – supero
Inflorescência – panícolas axilares, geralmente protegida por uma ou duas brácteas,
quando é apenas uma bráctea esta é lenhosa chamada cimba ( canoa )
Fruto – seco ou carnoso, indeiscente. ( simples )
Distribuição da família
Regiões de clima tropicais.
Representantes
Orbignia martiana – babaçú.
Copernicia cerifera – carnaúba carandá .
Cocos nucifera – coqueiro da Bahia.
Euterpe edulis – jussara ou palmito.
Euterpe oleracea – açaí, fruto comestível.
Acrocomia aculeata – Bocaíuva, fruto comestível.
Mauritia flexuosa – buriti, fruto comestível.
Guilielma speciosa – pupunha, fruto comestível.
Elaeis oleifera – dendê, usado para extração de óleos.
Sheelea phalerata – acurí ou pacurí.
Roystonea oleracea – Palmeira imperial, introduzida.
Bactris glaucencens – tucum, usado na tecelagem.
Syagrus flexuosa – acumã.
Syagrus oleracea- guariróba
Atrocaryum vulgaris – tucumã.
Atrocaryum aculeata – tucumã.

Sub classe Commelinidae

Família Poaceae (Graminae) 20000spp ( mais importante na agronomia )


Representantes
Zea mays – milho.
Triticum sativum – trigo.
Oryza sativa – arroz.
Saccharum offinarum – cana de açúcar.

40
Bambusa vulgaris – bambú.( arborea lenhosa )
Hordium vulgaris – cevada
Avena sativa – aveia.
Pannisetum typhoides – milheto.
Bachiaria decumbes –
Stenotapharum secundatum – grama de jardim.
Secale cereales – centeio.

Família Cyperaceae

Representantes
Cyperus papyrus – papiro, usado na fabricação de papel.
Cyperus rotundus – tiririca. (erva daninha)

Sub classe Zingiberidae

Família Musaceae

Repesentantes
Musa paradisiaca – banana.
Heloconia sp – banana de jardim.
Musa textilis - macabá

Família Bromeliaceae

Representantes
Bromelia balansae– gravatá.
Ananas bracteatus – abacaxi silvestre (ananás)
Ananas sativus – abacaxi.
Ananas ananasoides- abacaxi do cerrado.
Bromelia anthiacantha – gravatá
Bromelia laciniosa - macambira

Sub classe Liliidae

Família Liliaceae

Representantes
Allium sativum – alho.
Allium cepa – cebola.
Nothoscordium inodorum – cebolinha de cheiro ou cebolinha verde.
Aspagus oficinalis – aspargo.
Tulipa sp - tulipa

41
Família Pontederiaceae

Representantes
Eichornia crassipes – aguapé (folha grande).
Eichornia azurea – (folha pequena)

Família Orichiadceae
Familia mais evoluida do sistema de classificação.

Representantes
Vanilla fragrans – baunilha
Vanilla aromatica – baunilha
Cattleya spp – orchidea comum, cerrado, matas.
Cattleya labiata – orquídea
Maxillaria vernicosa – orquídea

Madeira de lei
Madeira de lei secundária

42

Interesses relacionados