Você está na página 1de 21

Exercícios – Capítulo 8 – Impulso e quantidade de movimento – Sears e Zemansky, Young & Freedman – Física I – Editora Pearson, 10ª Edição

Prof. Dr. Cláudio S. Sartori

Impulso, quantidade de movimento e choques p2


fácil mostrar que K . Então, como é possível existir um
QUESTÕES PARA DISCUSSÃO 2m
evento para o qual o momento linear do sistema seja constante,
Q8.1 Para dividir um tronco de lenha usando um porém a energia cinética total do sistema seja variável?
martelo e uma cunha, um martelo pesado é mais eficiente do que
um martelo leve? Por quê? Q8.11 Em cada um dos Exemplos 8.10, 8.11, 8.12 e
8.13 (Seção 8.5), verifique se os vetores velocidade relativa
Q8.2 Suponha que você agarre uma bola de beisebol e antes e depois da colisão possuem o mesmo módulo. Em cada
a seguir seja convidado a agarrar uma bola de boliche que possui um desses casos o que ocorre com a direção e o sentido do vetor
o mesmo momento linear ou a mesma energia cinética da bola velocidade relativa?
de beisebol. O que você escolheria? Explique.
Q8.12 A probabilidade de um copo quebrar quando ele
Q8.3 Quando gotas de chuva caem do céu, em que se cai sobre um piso de concreto é maior do que quando ele cai
sobre um piso de madeira. Por quê? (Tome como referência a
1
transforma a energia cinética das gotas no momento em que elas
colidem com o solo? Sua resposta também seria válida para o Figura 8.3.)
caso da famosa maçã de Newton?
Q8.13 Na Figura 8.18, a energia cinética da espaçonave
Q8.4 Um carro possui a mesma energia cinética depois de sua interação com Saturno é maior do que antes da
quando ele se desloca a 30 m/s do norte para o sul e quando ele interação. De onde provém este aumento de energia? Descreva o
se desloca a 30 mis do norte para o leste. O momento linear é o evento em termos da conservação da energia.
mesmo nos dois casos? Explique.
Q8.14 Uma metralhadora dispara sobre uma placa de
Q8.5 Um caminhão acelera ao descer um elevado. Um aço. A força média oriunda do impacto da bala quando a bala é
sistema de referência inercial está fixo no solo com origem em refletida é maior ou menor do que a força quando a bala se
um poste. Um segundo sistema de referência inercial está fixo amassa e fica colada na placa? Explique.
no interior de um carro da polícia que está descendo o elevado
com velocidade constante. O momento linear do caminhão é o Q8.15 Uma força resultante de 4 N atua durante 0,25 s
mesmo nos dois sistemas? Explique. A taxa de variação do sobre um corpo que estava inicialmente em repouso fazendo-o
momento linear do caminhão é a mesma nos dois sistemas? atingir uma velocidade final igual a 5 m/s. Como uma força
Explique. resultante de 2 N poderia produzir a mesma velocidade final?

Q8.6 Quando um caminhão grande e pesado colide Q8.16 Uma força resultante com um componente x
com um automóvel, é mais provável que os ocupantes do dado por F , atua sobre um corpo durante o intervalo de
automóvel se machuquem mais do que os ocupantes do
caminhão. Por quê? tempo de t1 a t2. O componente x do momento linear possui o
mesmo valor para t1, e para t2, porém F não é igual a zero
Q8.7 Uma senhora segurando uma pedra grande está em nenhum instante entre t1 e t2. O que você pode afirmar a
em pé sobre uma camada de gelo horizontal sem atrito. Ela lança
a pedra com uma velocidade v0 formando um ângulo θ acima da respeito do gráfico de F contra t?
horizontal. Considere o sistema constituído pela mulher
juntamente com a pedra. Existe conservação do momento linear Q8.17 Um jogador de tênis bate em uma bola de tênis
do sistema? Por que sim ou por que não? Nenhum componente com uma raquete. Considere o sistema bola e raquete. O
do momento linear do sistema é conservado? Novamente, por momento linear total desse sistema é o mesmo imediatamente
que sim ou por que não? antes e imediatamente depois da batida? O momento linear total
do sistema imediatamente depois da batida é o mesmo que o
Q8.8 No Exemplo 8.7 (Seção 8.4), no qual os dois momento linear total do sistema dois segundos depois, quando a
cavaleiros da Figura 8.9a ficam colados após a colisão, a colisão bola está no ponto superior de sua trajetória no ar? Explique
é inelástica porque K2 < K1. No Exemplo 8.5 (Seção 8.3), a qualquer diferença entre as duas situações.
colisão é inelástica? Explique.
Q8.18 No Exemplo 8.4 (Seção 8.3) considere o sistema
Q8.9 Em uma colisão completamente inelástica entre rifle e bala. Qual é a velocidade do centro de massa do sistema
dois corpos, quando eles permanecem unidos após a colisão, depois do disparo? Explique.
podemos achar um valor igual a zero para a energia cinética final
do sistema? Caso sua resposta seja afirmativa, forneça um Q8.19 Um ovo é libertado do alto de um edifício e cai
exemplo em que isso ocorre. Quando a energia cinética final do até atingir o solo. À medida que o ovo cai, o que ocorre com o
sistema for igual a zero, qual deve ser o momento linear inicial momento linear do sistema ovo e Terra?
do sistema? A energia cinética inicial do sistema é igual a zero?
Explique. Q8.20 Uma senhora está em pé no meio da superfície
sem atrito de um lago gelado. Ela poderia se locomover atirando
Q8.10 Como a energia cinética é dada por objetos, mas suponha que ela não possua nada para atirar. Ela
1 poderia se locomover até a margem do lago sem jogar nada?
K m v2 e o momento linear é dado por p m v, é
2 Q8.21 Em um ambiente com gravidade igual a zero,
Exercícios – Capítulo 8 – Impulso e quantidade de movimento – Sears e Zemansky, Young & Freedman – Física I – Editora Pearson, 10ª Edição
Prof. Dr. Cláudio S. Sartori

pode uma espaçonave movida por foguete atingir uma sentido do vetor momento linear total do sistema constituído
velocidade maior do que a velocidade relativa com a qual o pelas duas bolas.
combustível queimado é expelido?
8.7 Força sobre uma bola de golfe. Uma bola de golfe
Q8.22 Estima-se que a Supenova 1987A, a uma de 0.0450 kg que estava inicialmente em repouso passa a se
distância de 170.000 anos-luz da Terra, tenha emitido 10 deslocar a 25.0 m/s depois de receber um impulso do taco. Se o
neutrinos. Porém dois grandes detectores na Terra detectaram taco e a bola permaneceram em contato durante 2.00 ms, qual é a
apenas 19 deles. Forneça pelo menos duas razões para explicar força média do taco sobre a bola? O efeito do peso da bola
por que o número de neutrinos detectados foi muito menor do durante seu contato com o taco é importante? Por que sim ou por
que o número emitido. que não?

EXERCÍCIOS 8.8 Força sobre uma bola de beisebol. Uma bola de


SEÇÃO 8.2 MOMENTO LINEAR E IMPULSO beisebol possui massa igual a 0.145 kg. (a) Sabendo que a
velocidade da bola arremessada é de 45.0 m/s e a velocidade da
2
8.1 (a) Qual é o módulo do momento linear de um caminhão bola rebatida é de 55.0 m/s na mesma direção, mas em sentido
de 10.000 kg que se desloca com velocidade de 12,0 m/s? (b) contrário, calcule o módulo da variação do momento linear e do
Qual deve ser a velocidade de um carro esportivo de 2000 kg impulso aplicado pelo bastão sobre a bola. (b) Se o bastão e a
para que ele tenha (i) o mesmo momento linear do caminhão? bola permaneceram em contato durante 2.00 ms, qual é o
(ii) a mesma energia cinética? módulo da força média do bastão sobre a bola?

8.2 No Exemplo 8.1 (Seção 8.2), mostre que o barco de 8.9 Um disco de hóquei de 0.160 kg se move sobre uma
massa 2m possui, ao chegar na linha final, um momento linear superfície horizontal com gelo e sem atrito. No instante t = 0, o
disco de hóquei se move da esquerda para a direita a 3.00 m/s.
2 vezes maior do que o momento linear do barco de massa
(a) Determine o módulo, a direção e o sentido da velocidade do
m.
disco de hóquei depois que ele sofreu a ação de uma força de
25.0 N aplicada durante 0.050 s da esquerda para a direita, (b) Se
8.3 (a) Mostre que a energia cinética K e o módulo do
em vez dessa fosse aplicada uma força de 12.0 N de t = 0 a t=
momento linear p de uma partícula de massa m são relacionados
0.050 s da direita para a esquerda, qual seria a velocidade final
p2 do disco de hóquei?
por K . (b) Um cardeal (Richmondena cardinalis) com
2m
massa de 0.040 kg e uma bola de beisebol de 0.145 kg possuem a 8.10 Um motor de um sistema de manobra orbital em
mesma energia cinética. Qual desses corpos possui o maior um ônibus espacial exerce uma força igual a (26.700 N) ĵ
momento linear? Qual é a razão entre o módulo do momento durante 3.90 s, ejetando uma quantidade de massa de
linear do cardeal e o módulo do momento linear da bola de combustível desprezível em relação à massa de 95.000 kg do
beisebol? (c) Um homem com 700 N e uma garota com 450 N ônibus espacial,
possuem o mesmo momento linear. Quem possui a maior (a) Qual é o impulso da força durante 3.90 s?
energia cinética? Qual é a razão entre a energia cinética do (b) Qual é a variação do momento linear do ônibus
homem e a energia cinética da garota? espacial referente a esse impulso?
(c) Qual é a variação da velocidade do ônibus espacial
8.4 Uma bola de futebol com massa igual a 0.420 kg se referente a esse impulso?
desloca com velocidade de 4,50 m/s formando um ângulo de (d) Por que não podemos calcular a variação da energia
20.0° no sentido anti-horário em relação ao eixo +0x (Figura cinética do ônibus espacial?
8.30). Quais são os componentes x e v do momento linear?
4,50 m/s 8.11 O bastão de um treinador de beisebol exerce sobre
uma bola de beisebol de 0,145 kg uma força dada por:
F 1.60 107 N s t 6.00 109 N s2 t 2 iˆ
entre os instantes t = 0 e t = 2.50 ms. Para t = 0, a velocidade da
m = 0,420 kg bola de beisebol é dada por v 40.0 iˆ 5.0 ˆj m s .
FIGURA 8.30 Exercício 8.4. (a) Ache o impulso exercido pelo bastão sobre a bola,
sabendo que o bastão e a bola permaneceram em contato durante
8.5 Uma bola de beisebol com massa igual a 0.145 kg 2.50 ms.
se desloca ao longo do eixo +0y com velocidade de 1.30 m/s, e (b) Ache o impulso exercido pela gravidade sobre a
uma bola de ténis com massa igual a 0,0570 kg se desloca no bola durante esse intervalo de tempo,
sentido -Oy com velocidade de 7.80 m/s. Determine o módulo, a (c) Ache o módulo da força média do bastão sobre a
direção e o sentido do vetor momento linear total do sistema bola durante esse intervalo de tempo.
constituído pelas duas bolas. (d) Ache o momento linear e a velocidade da bola de
beisebol para t = 2.50 ms.
8.6 Uma bola de golfe com massa igual a 0.045 kg se desloca ao
longo do eixo +0x com velocidade de 9.00 m/s, e uma bola de 8.12 Uma bola de beisebol de 0.145 kg é golpeada por um
beisebol com massa igual a 0.145 kg se desloca no sentido -Oy bastão. Logo após o impacto, a bola se desloca a 50.0 m/s
com velocidade de 7.00 m/s. Determine o módulo, a direção e o horizontalmente da esquerda para a direita e abandona o bastão
Exercícios – Capítulo 8 – Impulso e quantidade de movimento – Sears e Zemansky, Young & Freedman – Física I – Editora Pearson, 10ª Edição
Prof. Dr. Cláudio S. Sartori

quando ele se move com velocidade de 65.0 m/s para a esquerda FIGURA 8.31 Exercício 8.17.
formando um ângulo de 30° acima da horizontal. Se o bastão e a
bola permaneceram em contato durante 1.75 ms, calcule o
módulo do componente horizontal e do componente vertical da
força média do bastão sobre a bola.

8.13 Uma força resultante Fx t A B t 2 no


sentido do eixo +0x é aplicada sobre uma garota que está sobre
uma prancha de skate. A garota possui massa m. A força começa
a atuar no instante t1 = 0 e continua até t = t2.
(a) Qual é o impulso J, da força?
(b) A garota inicialmente está em repouso, qual é a sua
velocidade no instante t2?
3
SEÇÃO 8.3
CONSERVAÇÃO DO MOMENTO LINEAR
8.18 Os gases que se expandem ao abandonar o cano de
8.14 Frustrado porque o goleiro bloqueou seu ataque, um um rifle também contribuem para o recuo. Uma bala de calibre
jogador de hóquei com 75.0 kg em pé sobre o gelo arremessa um 30 possui massa igual a 0.00720 kg e velocidade de 601 m/s em
disco de hóquei de 0.160 kg horizontalmente para a rede com relação ao cano quando disparada de um rifle com massa igual a
velocidade de 20.0 m/s. Com que velocidade e em que direção o 2.80 kg. Um rifle apoiado frouxamente recua com velocidade de
jogador de hóquei deverá se deslocar desprezando o atrito entre 1.85 m/s em relação à Terra. Calcule o momento linear dos gases
seus pés e o gelo? de propulsão em relação a um sistema de coordenadas fixo na
Terra no momento em que eles abandonam a boca do rifle.
8.15 Você está em pé sobre uma camada de gelo de um estádio
de futebol em um país frio; despreze o atrito entre seus pés e o 8.19 O bloco A indicado na Figura 8.32 possui massa
gelo. Um amigo joga para você uma bola de 0.400 kg que se igual a 1.00 kg, e o bloco B possui massa igual a 3.00 kg. Os dois
desloca horizontalmente com velocidade de 10.0 m/s. Sua massa blocos se aproximam, comprimindo a mola S entre eles; a seguir
é igual a 70.0 kg. o sistema é libertado a partir do repouso sobre uma superfície
(a) Se você agarra a bola, com que velocidade você e a bola se horizontal sem atrito. A mola possui massa desprezível, não está
deslocarão logo a seguir? presa a nenhum dos blocos e cai sobre a mesa depois que ela se
(b) Se a bola colide com você, sendo refletida pelo seu peito e expande. O bloco B adquire uma velocidade de 1.20 m/s.
adquirindo uma velocidade horizontal de 8.0 m/s em sentido (a) Qual a velocidade final do bloco A?
oposto ao inicial, qual é sua velocidade após a colisão? (b) Qual foi a energia potencial armazenada na mola
comprimida?
8.16 Sobre uma mesa de ar horizontal sem atrito, o disco de
hóquei A (com massa igual a 0.250 kg) se desloca de encontro S
ao disco de hóquei B (com massa igual a 0.350 kg), que
inicialmente está em repouso. Depois da colisão, o disco de
hóquei A possui velocidade igual a 0.120 m/s da direita para a
esquerda e o disco de hóquei B possui velocidade igual a 0.650
m/s da esquerda para a direita, mA = 1.00 kg mB = 3.00 kg
(a) Qual era a velocidade do disco de hóquei A antes da
colisão? F1GURA8.32 Exercício 8.19.
(b) Calcule a variação da energia cinética total do sistema
ocorrida durante a colisão. 8.20 Um adversário de James Bond está em pé sobre
um lago gelado; não há atrito entre seus pés e o gelo. Ele lança
8.17 Variação de energia durante uma colisão de dois seu chapéu revestido de aço com uma velocidade de 22.0 m/s
jogadores. Gretzky, um famoso jogador de hóquei no gelo, se formando um ângulo de 36.9° na esperança de atingir James
aproxima sobre patins de um jogador da defesa com velocidade Bond. Sabendo que sua massa é de 120 kg e que seu chapéu
de 13.0 m/s, que por sua vez se aproxima de Gretzky com possui massa de 4.50 kg, qual será sua velocidade de recuo
velocidade de 5,0 m/s (Figura 8.31). O peso de Gretzky é igual a horizontal?
756 N; o peso do jogador da defesa é igual a 900 N.
Imediatamente após a colisão Gretzky se move com velocidade 8.21 Um pinguim de cerâmica apoiado sobre sua televisão
de 1.50 m/s no mesmo sentido original. Despreze as forças repentinamente se parte em dois pedaços. Um pedaço, com
externas aplicadas pelo gelo sobre os patins durante a colisão, massa mA voa da direita para a esquerda com velocidade vA. O
(a) Qual é a velocidade do jogador da defesa imediatamente outro pedaço, massa mB, voa da esquerda para a direita com
após a colisão? velocidade vB.
(b) Calcule a variação da energia cinética total do sistema dos (a) Use a lei da conservação do momento linear para
dois jogadores. obter vB em termos de mA, de mB e de vA.
(b) Use o resultado da parte (a) para mostrar que KA/KB
= mB/mA onde KA e KB são as energias cinéticas dos dois
pedaços.
Exercícios – Capítulo 8 – Impulso e quantidade de movimento – Sears e Zemansky, Young & Freedman – Física I – Editora Pearson, 10ª Edição
Prof. Dr. Cláudio S. Sartori

8.22 Daniel (massa de 65.0 kg) e Rebeca (massa de fazendo o caminhão de 6320 kg colidir com o carro. Os dois
45.0 kg) estão praticando patinação sobre uma pista de gelo. veículos ficam engavetados após a colisão,
Enquanto está parado amarrando o cordão de seu patim, Daniel é (a) Sabendo que o caminhão se deslocava com velocidade
atingido por Rebeca, que se deslocava a 13.0 m/s antes de colidir igual a 10.0 m/s quando ele colidiu frontalmente com seu carro,
com ele. Depois da colisão, a velocidade de Rebeca possui qual é a velocidade comum dos veículos (módulo, direção e
módulo igual a 8.00 m/s e forma um ângulo de 53.1° com a sentido da velocidade) logo após a colisão?
direção de sua velocidade inicial. Ambos se movem sobre a (b) Qual deveria ser a velocidade do caminhão para que os
superfície horizontal sem atrito da pista de gelo. dois veículos ficassem parados logo após a colisão?
(a) Qual é a velocidade de Daniel depois da colisão? (c) Calcule a variação da energia cinética total do sistema
(b) Qual é a variação da energia cinética total dos dois dos dois veículos para a situação descrita na parte (a) e para a
patinadores em virtude da colisão? situação descrita na parte (b). Em qual das duas situações ocorre
a maior variação da energia cinética total?
8.23 Carlos e Maria estão patinando juntos sobre uma
pista de gelo com velocidade de 3.00 m/s. Carlos pergunta a 8.28 Em um campo de futebol com lama, um zagueiro de
4
Maria quanto ela pesa. Aborrecida, Maria empurra Carlos de 110 kg se choca com um jogador meio-de-campo de 85 kg.
modo que ela se acelera até atingir 4.00 m/s e ele diminui sua Imediatamente antes da colisão, o zagueiro se desloca com
velocidade para 2.25 m/s no mesmo sentido. O atrito, no sentido velocidade de 8.8 m/s do sul para o norte e o outro jogador se
da física, é desprezível nesse drama. Se o peso de Carlos é igual desloca com velocidade de 7.2 m/s do oeste para o leste. Qual é a
a 700 N, qual o peso de Maria? velocidade (módulo, direção e sentido) com a qual os dois
jogadores se movem unidos após a colisão?
8.24 Um vagão de carga aberto na parte superior possui
massa de 24.000 kg e se desloca sem atrito ao longo de um trilho 8.29 Em Dálias, depois de uma tempestade de neve, um
horizontal. Está chovendo torrencialmente e as gotas caem automóvel de 1400 kg se deslocando a 35.0 km/h de leste para
verticalmente. No início, o vagão está vazio e se desloca com oeste colide em um cruzamento com uma caminhonete de 2800
velocidade de 4.00 m/s. Qual será a velocidade do vagão depois kg se deslocando a 50.0 km/h do norte para o sul. Se os dois
de acumular 3000 kg de água da chuva? veículos ficam engavetados após a colisão, determine o módulo,
a direção e o sentido da velocidade após a colisão. Despreze o
8.25 Um disco de hóquei B está em repouso sobre uma atrito entre os veículos e o gelo da estrada.
superfície lisa de gelo quando é atingido por outro disco de
hóquei A que estava inicialmente se movendo a 40.0 m/s e que 8.30 Em um cruzamento da cidade de São Paulo, um
passa a se mover sofrendo um desvio de 30.0° da sua direção pequeno carro compacto com massa de 950 kg que se deslocava
original (Figura 8.33). O disco de hóquei B passa a se mover de oeste para leste colide com uma picape com massa de 1900
com velocidade formando um ângulo de 45.0° com a direção kg que se deslocava do sul para o norte avançando o sinal
original de A. As massas dos discos são iguais, vermelho (Figura 8.34). Em virtude da colisão, os dois veículos
(a) Calcule o módulo da velocidade de cada disco de ficam engavetados. e após a colisão eles se deslocam a 16.0 m/s
hóquei depois da colisão, na direção a 24.0° nordeste. Calcule o módulo da velocidade de
(b) Qual a fração da energia cinética inicial do disco de cada veículo antes da colisão. Estava chovendo muito durante a
hóquei A que foi dissipada durante a colisão? colisão e o atrito entre os veículos e a estrada pode ser
desprezado.

A 40.0 m/s A 30°

B 45°

FIGURA8.33 Exercício 8.25. 24.0° 16.0 m/s

SEÇÁO 8.4 COLISÕES INELÁSTICAS

8.26 Sobre a superfície oleosa sem atrito de um balcão de


uma lanchonete, um sanduíche de 0.500 kg se movendo a 3.00
m/s da direita para a esquerda colide com um sanduíche de
queijo grelhado de 0.250 kg se movendo a 1.20 m/s da esquerda
para a direita.
(a) Sabendo que os dois sanduíches ficam grudados, qual é
a velocidade final?
(b) Qual é a quantidade de energia mecânica dissipada FIGURA 8.34 Exercício 8.30.
durante a colisão?
8.31 Uma bala de 5.00 g é disparada horizontalmente
8.27 O seu carro esportivo de 1050 kg, estacionado no alto sobre um bloco de madeira que está em repouso sobre uma
de uma ladeira sem ter sido puxado o freio de mão, rola ladeira superfície horizontal. O coeficiente de atrito cinético entre a
abaixo e passa a se deslocar com velocidade de 15.0 m/s de leste superfície e o bloco é igual a 0.20. A bala fica cravada na
para oeste em uma estrada horizontal. O motorista de um madeira e observa-se que o bloco desliza 0.230 m até parar. Qual
caminhão que se desloca de oeste para leste decide parar o carro era a velocidade inicial da bala?
Exercícios – Capítulo 8 – Impulso e quantidade de movimento – Sears e Zemansky, Young & Freedman – Física I – Editora Pearson, 10ª Edição
Prof. Dr. Cláudio S. Sartori

mostra que alguns prótons são rebatidos diretamente para trás


8.32 Um pêndulo balístico. Uma bala de 12.0 g é depois de uma colisão com um núcleo do elemento
disparada com velocidade de 380 m/s sobre um pêndulo desconhecido. Todos esses prótons são rebatidos para trás com
balístico com massa igual a 6.00 kg, suspenso por uma corda de velocidade igual 1.20.107 m/s. Despreze as velocidades iniciais
comprimento igual a 70.0 cm. (Veja o Exemplo 8.8 na Seção dos núcleos dos alvos e suponha que as colisões sejam elásticas,
8.4.) Calcule (a) Calcule a massa do núcleo do elemento
(a) a altura vertical atingida pelo pêndulo; desconhecido. Expresse sua resposta em função da massa m do
(b) a energia cinética inicial da bala: próton.
(c) a energia cinética inicial da bala e do pêndulo (b) Qual é a velocidade do núcleo do elemento
imediatamente depois de a bala ficar retida no pêndulo. desconhecido imediatamente depois dessa colisão?

SEÇÁO 8.5 COLISÕES ELÁSTICAS SEÇÃO 8.6 CENTRO DE MASSA

8.33 Um cavaleiro de 0.150 kg se move a 0.80 m/s da 8.38 As massas e as coordenadas dos centros de massa de
5
esquerda para a direita sobre um trilho de ar horizontal sem três blocos de chocolate são dadas por: (l) 0.300 kg, (0.200 m,
atrito. Ele colide frontalmente com um cavaleiro de 0.300 kg que 0.300 m); (2) 0.400 kg, (0.100 m, -0.400m); (3) 0.200 kg,
se move a 2.20 m/s da direita para a esquerda. Supondo colisão (-0.300 m, 0.600 m). Calcule as coordenadas do centro de massa
elástica. determine o módulo, a direção e o sentido de cada do sistema constituído por esses três blocos de chocolate.
cavaleiro depois da colisão.
8.39 Determine a posição do centro de massa do sistema
8.34 Uma bola de gude de 10.0 g se desloca com constituído pelo Sol e por Júpiter. (Como a massa de Júpiter é
velocidade de 0.400 m/s da direita para a esquerda sobre uma muito maior do que as massas dos demais planetas, esta resposta
pista horizontal sem atrito e colide frontalmente com outra bola fornece essencialmente a posição do centro de massa do sistema
de gude de 30.0 g que se desloca com velocidade de 0.200 m/s solar.) A posição desse centro de massa está dentro ou fora do
da esquerda para a direita (Figura 8.35). Sol? Use os dados do Apêndice F.
(a) Determine o módulo, a direção e o sentido de cada
bola de gude depois da colisão. (Como a colisão é frontal, todos 8.40 Um utilitário de 1200 kg se desloca a 12.0 m/s ao longo
os movimentos ocorrem ao longo da mesma linha reta.) de um elevado retilíneo. Outro carro de 1800 kg, e se deslocando
(b) Calcule a variação do momento linear (isto é, o a 20.0 m/s, tem seu centro de massa situado a uma distância de
momento linear depois da colisão menos o momento linear antes 40.0 m na frente do centro de massa do utilitário (Figura 8.36).
da colisão) para cada bola de gude. Compare os valores obtidos (a) Calcule a posição do centro de massa do sistema
para cada bola de gude. constituído pelos dois carros,
(c) Calcule a variação de energia cinética (isto é, a (b) Calcule o módulo do momento linear total do sistema
energia cinética depois da colisão menos a energia cinética antes usando os dados acima,
da colisão) para cada bola de gude. Compare com os valores (c) Calcule a velocidade do centro de massa do sistema,
obtidos para cada bola de gude. (d) Calcule o módulo do momento linear total do sistema
usando a velocidade do centro de massa do sistema. Compare
0.200 m/s sua resposta com o resultado obtido no item (b).
0.400 m/s
8.41 Em um dado instante, o centro de massa de um sistema
de duas partículas está localizado sobre o eixo Ox no ponto x =
2.0 m e possui velocidade igual a (5.0 m/s) iˆ . Uma das partículas
30.0 g 10.0 g
está sobre a origem. A outra partícula possui massa de 0.10 kg e
FIGURA 8.35 Exercício 8.34.
está em repouso sobre o eixo Ox no ponto x = 8.0 m.
(a) Qual é a massa da partícula que está sobre a origem?
8.35 Forneça os detalhes dos cálculos de a e de fï do
(b) Calcule o momento linear total do sistema,
Exemplo 8.13 (Seção 8.5).
(c) Qual é a velocidade da partícula que está sobre a
origem?
8.36 Os reatores nucleares do Canadá usam
moderadores de água pesada, nos quais ocorrem colisões
8.42 No Exemplo 8.15 (Seção 8.6) Rui puxa a corda
elásticas entre nêutrons e dêuterons de massa 2,0 u. (Veja o
atingindo uma velocidade de 0.70 m/s. Qual é a velocidade de
Exemplo 8. l l da Seção 8.5).
Jaime?
(a) Qual a velocidade de um nêutron, expressa em
função de sua velocidade inicial, depois de uma colisão frontal
8.43 Um sistema possui duas partículas. No instante t = 0
com um dêuteron que estava inicialmente em repouso?
uma das partículas está na origem; a outra, com massa igual a
(b) Qual é sua energia cinética, expressa como uma
0.50 kg, está sobre o eixo Oy no ponto x = 6.0 m. Para t = 0, o
fração de sua energia cinética inicial?
centro de massa do sistema está sobre o eixo Oy no ponto y =
(c) Quantas colisões sucessivas iguais a essa seriam
2.4 m. A velocidade do centro de massa do sistema é dada por
necessárias para reduzir a velocidade de um nêutron ale
1/59.000 do seu valor original? (0,75 m/s )t2 iˆ .
(a) Calcule a massa total do sistema,
8.37 Você está controlando um acelerador de partículas, (b) Ache a aceleração do centro de massa em função do
enviando um feixe de 1.50.107 m/s de prótons (massa m) sobre tempo,
um alvo gasoso de um elemento desconhecido. Seu detector (c) Calcule a força externa resultante que atua sobre o
Exercícios – Capítulo 8 – Impulso e quantidade de movimento – Sears e Zemansky, Young & Freedman – Física I – Editora Pearson, 10ª Edição
Prof. Dr. Cláudio S. Sartori

sistema no instante t = 3,0 s. aproximada de um satélite artificial da Terra)?

8.44 Um modelo de avião com controle remoto possui *8.51 Obviamente um foguete pode ser acelerado até atingir
momento linear dado por: velocidades muito elevadas, porém qual deve ser uma
p 0.75 kg m s3 t 3 3.0 kg m s iˆ 3.0 kg m s 2 t ˆj velocidade máxima razoável? Considere um foguete disparado a
partir do repouso no espaço sideral, onde a gravidade é
(a) Quais são os componentes x, y e z da força desprezível,
resultante que atua sobre o avião? (a) Se a velocidade relativa do gás de exaustão é 2000 m/s e
(b) Em que instante t o componente x da força você deseja que a velocidade final do foguete seja de 1.0010-3c,
resultante que atua sobre o avião é igual a zero? onde c é a velocidade da luz, qual deve ser a fração da massa
inicial do foguete e combustível que não é combustível?
SEÇÃO 8.7 PROPULSÃO DE UM FOGUETE (b) Qual deve ser essa fração para que a velocidade final do
foguete seja de 3000 m/s?
8.45 Um pequeno foguete queima 0.0500 kg de
combustível por segundo, expelindo-o como um gás cuja 6
SEÇÃO 8.8 O NEUTRINO:
velocidade em relação ao foguete possui módulo igual a 1600 UM TÓPICO DE FÍSICA MODERNA
m/s.
(a) Qual é a força de propulsão sobre o foguete? 8.52 Um núcleo de 232Th (tório) em repouso decai para um
(b) O foguete poderia se deslocar no espaço sideral, onde núcleo de 228Ra (rádio) com emissão de uma partícula alfa. A
não existe atmosfera? Em caso afirmativo, como você faria para energia cinética total dos fragmentos da desintegração é igual a
mudar a direção do movimento? Você poderia frear o foguete'? 6.54.10-13 J. A massa de uma partícula alfa é 1.76% da massa de
um núcleo de 228Ra. Calcule a energia cinética
*8.46 Um astronauta de 70 kg flutuando no espaço no (a) do núcleo de 228Ra;
interior de uma UMM (unidade de manobra manual) sofre uma (b) da partícula alfa.
aceleração de 0.029 m/s' quando ele aciona um dos motores de
propulsão. 8.53 Em um certo decaimento alfa, a energia cinética da
(a) Sabendo que a velocidade do gás N, emitido em relação partícula alfa é igual a 9.650.10-13 J e o valor de Q para o
ao astronauta é igual a 490 m/s, qual foi a quantidade de gás decaimento é 9.850.10-13 J. Qual é a massa do núcleo que recua?
usada pelo motor de propulsão em 5.0 s?
(b) Qual é a força de propulsão desse motor? 8.54 Um núcleo de 210Bi (bismuto) em repouso sofre
decaimento beta para o núcleo de 210Po (polónio). Suponha que o
*8.47 Um foguete é disparado no espaço sideral, onde a elétron emitido se mova da esquerda para a direita com um
gravidade é desprezível. Sabendo que a massa inicial do foguete momento linear (calculado pela teoria da relatividade) igual a
é igual a 6000 kg e que ele emite um gás cuja velocidade em 5.60.10-22 kg.m/s. O núcleo de 210Po, com massa igual a
relação ao foguete possui módulo igual a 2000 m/s, qual é a 3.50.10-25 kg, recua da direita para a esquerda com uma
quantidade de gás expelida no primeiro segundo para que sua velocidade de 1.14.103 m/s. Determine o módulo, a direção e o
aceleração seja igual a 25.0 m/s2? sentido do momento linear do antineutrino emitido nesse
decaimento. (O núcleo de 210Po se move com velocidade muito
*8.48 Um foguete é disparado no espaço sideral, onde a menor do que a velocidade da luz, de modo que a teoria da
gravidade é desprezível. No primeiro segundo ele emite 1/160 relatividade não precisa ser usada para calcular seu momento
da sua massa como gás de exaustão e possui uma aceleração linear. Em vez disso, a Equação (8.2) pode ser usada.)
igual a 15.0 m/s². Qual é o módulo da velocidade do gás de
exaustão em relação ao foguete'? 8.55 Um núcleo de 210Bi (bismuto) em repouso sofre
decaimento - para o núcleo de 210Po (polônio). Em um dado
*8.49 Um modelo de motor de foguete C 6-5 possui um evento de decaimento, o elétron é emitido ortogonalmente na
impulso igual a 10.0 N.s durante 1.70 s, enquanto queima 0.0125 direção da emissão do antineutrino. Os módulos dos momentos
kg de combustível. Sua força de propulsão máxima é igual a lineares são 3.60.1022 kg.m/s para o elétron e 5.20.1022: kg.m/s
13.3 N. A massa inicial do motor mais a massa do combustível é para o antineutrino. O núcleo de 210Po possui massa de 3.50.10-25
igual a 0.0258 kg. kg. Calcule
(a) A força de propulsão média corresponde a qual fração (a) o módulo do momento linear do núcleo de 210Po que
da força de propulsão máxima? recua;
(b) Calcule o módulo da velocidade relativa do gás de (b) a energia cinética do núcleo de 210Po.
exaustão, considerando-o constante.
(c) Supondo que a velocidade relativa do gás de exaustão
seja constante, ache a velocidade final do motor quando ele for
disparado a partir do repouso no espaço sideral sem gravidade,
desprezando a massa da estrutura na qual ele está ligado.

*8.50 Um foguete com estágio único é disparado a partir


do repouso no espaço sideral, onde a gravidade é desprezível.
Sabendo que ele queima seu combustível em 50.0 s e que a
velocidade relativa do gás de exaustão é dada por vex = 2100
m/s, qual deve ser a razão m0/m para ele atingir uma
velocidade final de 8.00 km/s (a velocidade orbital
Exercícios – Capítulo 8 – Impulso e quantidade de movimento – Sears e Zemansky, Young & Freedman – Física I – Editora Pearson, 10ª Edição
Prof. Dr. Cláudio S. Sartori

PROBLEMAS desloquem a 0.50 m/s no sentido do eixo +0x após a colisão?


(b) Se C possui a velocidade encontrada no item (a),
8.56 Uma bola de aço de massa igual a 40.0 g é largada de qual é a variação da energia cinética do sistema das três esferas
uma altura de 2.00 m sobre uma barra de aço horizontal. A bola é ocasionada pela colisão?
rebatida até uma altura de 1.60 m.
(a) Calcule o impulso comunicado para a bola durante a
colisão,
(b) Sabendo que a bola permanece em contato com a barra
durante 2.00 ms, calcule a força média exercida sobre a bola Y
durante a colisão.
B
8.57 A força resultante que atua sobre um disco de 2.00 kg
durante seu lançamento é igual a VB = 0.50 M/S

t 2
iˆ t ˆj , onde = 25.0 N/s , 2
= 30.0 VA = 1.50 M/S
7
60°
N e = 5.0 N/s. Sabendo que o disco estava inicialmente em AX
repouso, qual é sua velocidade depois que a força resultante VC
atuou durante 0.500 s? Expresse sua resposta em termos dos C
vetores unitários iˆ e ˆj .
FIGURA 8.37 Problema 8.62.
8.58 Imediatamente antes de colidir com a raquete, uma
bola de tênis pesando 0.560 N possui uma velocidade igual a 8.63 Um carrinho de estrada de ferro impulsionado
20.0 m s iˆ 4.0 m s ˆj . Durante os 3.00 ms em que a manualmente se move ao longo de um trilho horizontal sem
atrito e com resistência do ar desprezível. Nos casos a seguir, o
raquete ficou em contato com a bola, a força resultante é
carrinho possui massa total (carro mais tudo que está em seu
constante e igual a 380N iˆ 110N ˆj , interior) igual a 200 kg e se desloca a 5.00 m/s de oeste para
(a) Quais são os componentes x e y do impulso da força leste. Calcule a velocidade final do carrinho em cada caso.
resultante que atuam sobre a bola? supondo que ele não abandone os trilhos,
(b) Quais são os componentes x e y da velocidade final da (a) Um corpo com 25.0 kg de massa é lançado
bola? lateralmente para fora com velocidade de módulo igual a 2.00
m/s em relação à velocidade inicial do carrinho,
8.59 Três vagões conectados estão se movendo em uma estrada (b) Um corpo com 25.0 kg de massa é lançado para fora
de ferro e se acoplam com um quarto vagão, que estava do carrinho em sentido contrário ao do seu movimento e com
inicialmente em repouso. Os quatro vagões continuam se velocidade de módulo igual a 5.00 m/s em relação à velocidade
movendo e se acoplam com um quinto vagão, que estava inicial ao carrinho,
inicialmente em repouso. Esse processo continua até que a (c) Um corpo com 25.0 kg de massa é lançado para
velocidade final do conjunto de vagões seja igual a um quinto da dentro do carrinho com velocidade de módulo igual a 6.00 m/s
velocidade inicial dos três vagões. Todos os vagões são em relação ao solo e com sentido contrário ao da velocidade
idênticos. Desprezando o atrito, quantos vagões existem no inicial do carrinho.
conjunto final de vagões?
8.64 Um vagão está cheio de areia e se desloca com
8.60 Um automóvel conversível com massa igual a uma velocidade inicial de 15,0 m/s sobre trilhos horizontais.
1500 kg se desloca do norte para o sul. e um veículo utilitário Despreze o atrito com os trilhos. A massa total do vagão cheio
com massa igual a 2000 kg se desloca do leste para o oeste. Qual de areia é igual a 85.000 kg. A porta do vagão não está bem
é a velocidade de cada carro, sabendo que o momento linear total fechada e a areia começa a escoar para fora pela parte inferior.
do sistema dos dois carros é igual a 8000 kg. m/s formando um Depois de 20 minutos, 13.000 kg escaparam do vagão. Qual é
ângulo de 60.0° no sentido da rotação do sul para o oeste? então a velocidade do vagão? (Compare sua análise com aquela
que você usou para resolver o Exercício 8.24.)
8.61 Três discos de hóquei idênticos possuindo imãs
que se repelem estão sobre uma mesa de ar horizontal. Eles são 8.65 Em uma corrida envolvendo automóveis
mantidos unidos, e a seguir são libertados simultaneamente. O clássicos, um carro Nash Metropolitan 1955 com 840 kg se
módulo da velocidade em cada instante é sempre o mesmo para desloca com velocidade de 9.0 m/s, seguido de um carro Packard
os discos. Um deles se move do leste para o oeste. Determine a Clipping 1957 com 1620 kg roncando com uma velocidade de
direção e o sentido da velocidade de cada um dos outros discos. 5.0 m/s.
(a) Qual dos dois carros possui a maior energia
8.62 As esferas A (massa 0.020 kg), B (massa 0.030 kg) cinética? Qual é a razão entre a energia cinética do Nash e a
e C (massa 0.050 kg) se aproximam da origem deslizando sobre energia cinética do Packard.
uma mesa de ar sem atrito (Figura 8.37). As velocidades de A e (b) Qual dos dois carros possui o maior módulo do
de B são indicadas na figura. Todas as três esferas atingem a momento linear? Qual a razão entre o módulo do momento
origem no mesmo instante e ficam coladas, linear do Nash e o módulo do momento linear do Packard.
(a) Quais devem ser os componentes x e y da (c) Seja FN a força resultante necessária para fazer
velocidade inicial de C para que os três objetos unidos se parar o Nash em um intervalo de tempo t1, e seja FP a força
resultante necessária para fazer parar o Packard no mesmo
Exercícios – Capítulo 8 – Impulso e quantidade de movimento – Sears e Zemansky, Young & Freedman – Física I – Editora Pearson, 10ª Edição
Prof. Dr. Cláudio S. Sartori

intervalo de tempo. Qual das duas é maior, FN ou FP? Qual é a kg), que está em pé diretamente abaixo do candelabro. (Suponha
razão FN / FP. que o centro de massa do duble se mova para baixo 50 m. Ele
(d) Seja FN a força resultante necessária para fazer larga a corda no instante em que atinge o vilão.)
parar o Nash em uma dada distância d, e seja FP a força (a) Com que velocidade os dois adversários
resultante necessária para fazer parar o Packard na mesma engalfinhados começam a deslizar ao longo do piso?
distância. Qual das duas é maior, FN ou FP? (b) Sabendo que o coeficiente de atrito cinético entre
Qual é a razão FN / FP? seus corpos e o piso é dado por C = 0.250, até que distância eles
deslizam ao longo do piso?
8.66 Um soldado dispara sua pistola automática de 8
tiros com a taxa máxima de 1000 disparos por minuto. Cada bala
possui massa igual a 7.45 g e velocidade igual a 293 m/s em
relação ao solo no momento em que a bala sai do cano da arma.
Calcule a força média de recuo da arma durante esse disparo.
8
8.67 Uma armação contendo um prato estica a mola
onde ela está suspensa até uma distância de 0,050 m. Um pedaço
de massa pegajosa de 0.200 kg é largado do repouso a uma altura
de 30.0 cm em relação ao prato (Figura 8.38). Ache a distância
máxima que o prato pode se mover para baixo a partir da posição
de equilíbrio inicial.

5.00 m m = 80.0 kg

FIGURA 8.38 Problema 8.67.

8.68 Uma bala de 8.00 g disparada por um rifle penetra m = 70.0 kg


e fica retida em um bloco de 0.992 kg ligado a uma mola e
apoiado sobre uma superfície horizontal sem atrito (Figura
8.39). O impacto produz uma compressão de 15.0 cm na mola. A
calibração mostra que uma força de 0.750 N comprime a mola FIGURA 8.40 Problema 8.70.
0.250 cm.
(a) Calcule o módulo da velocidade do bloco 8.71 Uma bala de 4.00 g é disparada horizontalmente
imediatamente após o impacto. com velocidade de 400 m/s contra um bloco de madeira de 0.800
(b) Qual era a velocidade inicial da bala? kg, inicialmente em repouso sobre uma superfície horizontal. A
bala atravessa o bloco e emerge com uma velocidade reduzida
V para 120 m/s. O bloco desliza ao longo da superfície até uma
distância de 45.0 cm da sua posição inicial,
(a) Qual é o coeficiente de atrito cinético entre o bloco
superfície?
(b) Qual é a diminuição da energia cinética da bala?
(c) Qual é a energia cinética do bloco no instante em
que a bala emerge do bloco?
FIGURA 8.39 Problema 8.68.
8.69 Uma bala ricocheteando. Uma pedra de 0.100 kg 8.72 Uma bala de 5.00 g atravessa um bloco de madeira
está em repouso sobre uma superfície horizontal sem atrito. Uma de 1.00 kg suspenso por um fio de comprimento igual a 2.000 m.
bala de 6.00 g, se deslocando horizontalmente a 350 m/s, colide O centro de massa do bloco sobe até uma altura de 0.45 cm.
com a pedra e ricocheteia ao longo da superfície com velocidade Sabendo que a velocidade inicial da bala era de 450 m/s, ache a
de 250 m/s em uma direção ortogonal à sua velocidade inicial. velocidade da bala no instante em que ela emerge do bloco.
(a) Determine o módulo, a direção e o sentido da
velocidade da pedra após o impacto, 8.73 Um nêutron de massa m colide frontalmente com
(b) A colisão é perfeitamente elástica? um núcleo de massa M, que está inicialmente em repouso,
(a) Mostre que se a energia cinética inicial do nêutron
8.70 Um duble de cinema (massa 80.0 kg) está em pé era de K0 a energia cinética que ele perde durante a colisão é
sobre a borda de uma janela situada a 5.0 m acima do piso dada por 4mMK0/(M + m)2.
(Figura 8.40). Segurando uma corda amarrada a um candelabro, (b) Para qual valor de M o nêutron incidente perde a
ele oscila para baixo para atingir o vilão do filme (massa 70.0 maior energia?
Exercícios – Capítulo 8 – Impulso e quantidade de movimento – Sears e Zemansky, Young & Freedman – Física I – Editora Pearson, 10ª Edição
Prof. Dr. Cláudio S. Sartori

(c) Quando M possui o valor calculado na parte (b), e a seguir, alguns segundos depois, Jill pula na mesma direção e
qual é a velocidade do nêutron depois da colisão? no mesmo sentido?
(c) Qual é a velocidade final do engradado se Jill pula
8.74 Um disco de hóquei azul de massa 0.0400 kg, primeiro e a seguir, alguns segundos depois, Jack pula na mesma
deslizando com velocidade igual a 0.200 m/s sobre uma mesa de direção e no mesmo sentido?
ar horizontal sem atrito, sofre uma colisão frontal perfeitamente
elástica com um disco de hóquei vermelho de massa m, 8.78 Um próton se deslocado ao longo do eixo +0x com
inicialmente em repouso. Depois da colisão, a velocidade do velocidade vA1, sofre uma colisão elástica fora da linha central
disco de hóquei azul é de 0.050 m/s no mesmo sentido da sua com outro próton idêntico que está inicialmente em repouso.
velocidade inicial. Determine Depois desse impacto, o primeiro próton se desloca com
(a) o módulo, a direção e o sentido do disco de hóquei velocidade vA2 no primeiro quadrante, formando um ângulo
vermelho depois da colisão; com o eixo +0x., e o segundo próton se desloca com velocidade
(b) a massa m do disco de hóquei vermelho. vB2 no quarto quadrante formando um ângulo com o eixo +0x
(veja a Figura 8.10). 9
8.75 Dois asteróides com massas mA e mB se movem (a) Escreva as equações que descrevem a lei da
com velocidades v A e v B em relação a um astrônomo que está conservação do momento linear para os componentes x e y.
(b) Eleve ao quadrado as equações obtidas na parte (a)
em um veículo espacial,
e some membro a membro os resultados,
(a) Mostre que a energia cinética total medida pelo
(c) Introduza agora o fato de a colisão ser elástica,
astrônomo é dada por
(d) Demonstre que + = /2 .(Você está
1 2 1
K M vcm mA vA2 mB vB2 demonstrando que esse resultado é válido para qualquer colisão
2 2 elástica fora da linha central entre dois corpos de mesma massa
onde v cm e M são definidos como na Seção 8.6 e quando um dos corpos está inicialmente em repouso.)

vA vA vcm e vB vB vcm . Nessa expressão a energia 8.79 Um disco de hóquei B, inicialmente em repouso
cinética total dos dois asteróides é a energia associada com o sobre uma superfície de gelo sem atrito, sofre uma colisão com
centro de massa mais a energia associada com o movimento em outro disco de hóquei A que possui a mesma massa do primeiro.
torno do centro de massa. O disco de hóquei A estava inicialmente se deslocando a 15.0
(b) Se ocorrer uma colisão entre os dois asteróides, qual m/s c sofre um desvio de 25.0° em relação à direção inicial.
deve ser a energia cinética mínima que eles podem possuir em Considere uma colisão perfeitamente elástica. Calcule o módulo
relação ao astrônomo após a colisão? Explique. da velocidade final de cada disco de hóquei e a direção e o
sentido da velocidade final do disco de hóquei B. (Sugestão: Use
8.76 Suponha que você mantenha uma bola pequena a relação deduzida na parte (d) do Problema 8.78).
em contato com uma bola grande diretamente sobre seu centro.
Se você largar a bola pequena um pequeno intervalo de tempo 8.80 João e José estão sentados em um trenó que está
após largar a bola grande, a bola pequena será rebatida para cima inicialmente em repouso sobre uma superfície de gelo sem
com uma velocidade surpreendente. Para exemplificar o caso atrito. O peso de João é igual a 800 N, o peso de José é igual a
extremo, despreze a resistência do ar e suponha que a bola 600 N e o peso do trenó é igual a 1000 N. Ao notar a presença de
grande faça uma colisão elástica com o solo, a seguir suba e uma aranha venenosa no interior do trenó eles imediatamente
colida elasticamente com a bola pequena que ainda está pulam para fora. João pula para a esquerda com velocidade (em
descendo. Imediatamente antes da colisão entre as duas bolas, a relação ao gelo) igual a 5.00 m/s formando um ângulo de 30.0°
acima da horizontal, e José pula para a direita com velocidade
bola grande sobe com velocidade v , e a bola pequena está
(em relação ao gelo) igual a 7.00 m/s formando um ângulo de
descendo com velocidade - v ?. (Você sabe por quê?) Suponha 36.9° acima da horizontal. Determine o módulo, a direção e o
que a bola grande possua massa muito maior do que a da bola sentido da velocidade do trenó depois que eles pulam para fora.
pequena,
(a) Qual é a velocidade da bola pequena imediatamente 8.81 Os objetos da Figura 8.41 foram feitos com
depois da colisão com a bola grande? arames uniformes e dobrados nas formas indicadas. Ache a
(b) Usando a resposta do item (a), ache a razão entre a posição do centro de massa de cada um destes objetos.
distância percorrida pela bola pequena quando ela retoma para
cima e a distância que ela percorreu antes da colisão.
L L L L
8.77 Jack e Jill estão em pé sobre um engradado em
repouso sobre a superfície horizontal sem atrito de um lago
gelado. A massa de Jack é igual a 75.0 kg. Jill possui massa de (a) (b)
45.0 kg e o engradado possui massa de 15.0 kg. Eles se lembram
de que deveriam pegar um balde de água e pulam
horizontalmente para fora do engradado. Em cada pulo, cada L L L
pessoa se afasta do engradado com velocidade de 4.00 m/s em
relação ao engradado.
(a) Qual é a velocidade final do engradado se Jack e Jill L L
pulam simultaneamente na mesma direção e no mesmo sentido? (c) (d)
(Sugestão: Use um sistema de referência inercial fixo no solo.) FIGURA 8.41 Problema 8.81.
(b) Qual é a velocidade final do engradado se Jack pula primeiro
Exercícios – Capítulo 8 – Impulso e quantidade de movimento – Sears e Zemansky, Young & Freedman – Física I – Editora Pearson, 10ª Edição
Prof. Dr. Cláudio S. Sartori

8.82 Um jovem de 45.0 kg está em pé sobre uma canoa


de 60.0 kg e comprimento igual a 5.00 m. Ele caminha a partir
de um ponto situado a 1.00 m de uma das extremidades da canoa
até atingir a outra extremidade da canoa (Figura 8.42). Nêutron em repouso
Desprezando a resistência da água ao movimento da canoa, qual
a distância que a canoa se move nesse processo?

8.83 Você está em pé sobre um bloco de concreto


apoiado sobre um lago congelado. Suponha que não exista atrito
Nêutron
entre o bloco e a superfície do lago congelado. Você possui um
peso cinco vezes menor do que o peso do bloco. Se você
caminhar para a frente com velocidade de 2.00 m/s, com que
velocidade o bloco se moverá em relação ao gelo?
Figura 8.43 - Problema 8.85. 10
8.84 Um projétil de 20,0 kg é disparado com
velocidade de 80.0 m/s formando um ângulo de 60,0° acima da
horizontal. No ponto mais elevado de sua trajetória o projétil 8.86 Referencial do centro de massa. Um disco de
explode se dividindo em dois fragmentos de mesma massa, um hóquei A (com massa igual a mA) se deslocando com velocidade
dos quais cai verticalmente com velocidade inicial igual a zero. v A ao longo do eixo +0x sobre uma mesa de ar horizontal sem
Despreze a resistência, atrito, sofre uma colisão frontal elástica com um disco de hóquei
(a) Supondo um solo horizontal, qual é a distância entre o ponto B (massa mB) inicialmente em repouso. Depois da colisão, os
inicial do disparo e o ponto onde o segundo fragmento atinge o dois discos se movem ao longo do eixo +0x.
atinge o solo? (a) Calcule a velocidade do centro de massa do sistema
(b) Qual é a quantidade de energia libertada na dos dois discos antes da colisão,
explosão? (b) Considere um sistema de coordenadas cuja origem
1.00 m 3.00 m 1.00 m
é localizada no centro de massa e que se move com ele. Esse
sistema de coordenadas constitui um sistema de referência
inercial?
(c) Quais são as velocidades iniciais u A1 e u B 1 neste
referencial do centro de massa? Qual é o momento linear total do
sistema nesse referencial do centro de massa?
(d) Use a lei da conservação do momento linear e a lei
da conservação da energia, aplicando-as para o referencial do
INÍCIO FIM centro de massa, para obter relações entre o momento linear
final e o momento linear inicial de cada disco de hóquei, e
portanto entre a velocidade final e a velocidade inicial de cada
FIGURA 8.42 Problema 8.82. disco de hóquei. Os seus resultados mostrarão que problemas
envolvendo uma colisão frontal elástica em uma dimensão
podem ser descritos de modo muito simples em relação ao
8.85 Uma reação nuclear. A fissão, o processo que referencial do centro de massa.
fornece energia para um reator nuclear, ocorre quando um (e) Considere mA = 0.400 kg, mB = 0.200 kg e vA1 = 6.00
núcleo pesado é dividido em dois núcleos com pesos médios. m/s. Usando o resultado da parte (d), determine as velocidades
Uma dessas reações ocorre quando um nêutron colide com um
do centro de massa u A1 e u B 1 e a seguir transforme as
núcleo de 235U (urânio) dividindo-o em um núcleo de 141Ba
(bário) e um núcleo de 92Kr (criptônio). Nessa reação, dois velocidades para o sistema estacionário para achar as
nêutrons também são emitidos do núcleo de 235U original. Antes velocidades finais dos discos. Os seus resultados concordam
da colisão, a configuração é indicada na Figura 8.43a. Depois da com os obtidos nas Equações (8.24) e (8.25)?
colisão o núcleo de 141Ba se move no sentido do eixo +0z e o
núcleo de 92Kr se move no sentido do eixo -Oz. Os três nêutrons 8.87 O coeficiente de restituição e de uma colisão
passam a se mover no plano xy como mostra a Figura 8.43b. frontal é definido como a razão entre a velocidade relativa
Sabendo que o módulo da velocidade do nêutron original é de depois da colisão e a velocidade relativa antes da colisão,
3.0.103 m/s e que o módulo da sua velocidade final é de 2.0.103 (a) Qual é o valor de e para uma colisão completamente
m/s com as direções indicadas, quais são as velocidades dos inelástica?
outros dois nêutrons e o que você pode afirmar sobre as (b) Qual é o valor de e para uma colisão elástica?
velocidades dos núcleos 141Ba e 92Kr? (A massa do núcleo de (c) Uma bola é largada de uma altura h sobre uma
141
Ba é aproximadamente igual a 2.3.10-25 kg e a do núcleo de superfície estacionária e retorna até uma altura H1. Mostre que:
92
Kr é aproximadamente igual a 1.5.10-25 kg.) H1
h
(d) Uma bola de basquete enchida com a pressão
apropriada possui um coeficiente de restituição igual a 0.85. Se
essa bola é largada de uma altura de 1.2 m acima de um piso de
madeira até que altura ela retorna?
Exercícios – Capítulo 8 – Impulso e quantidade de movimento – Sears e Zemansky, Young & Freedman – Física I – Editora Pearson, 10ª Edição
Prof. Dr. Cláudio S. Sartori

(e) Quando a bola é rebatida depois da primeira colisão *8.90 Na Seção 8.7 consideramos um foguete
com o solo, a altura atingida é H1. Supondo que e seja constante, disparado no espaço sideral onde não existe gravidade nem
mostre que a altura atingida quando a bola é rebatida depois de n resistência do ar. Suponha agora que o foguete esteja sendo
colisões com o solo é dada por: acelerado verticalmente a partir da superfície terrestre.
Hn 2n
h Continue desprezando a resistência do ar e suponha que o
foguete atinja uma altura não muito elevada de modo que o
(f) Supondo que e seja constante, qual a altura atingida valor de g possa ser considerado constante.
por uma bola de basquete enchida com a pressão apropriada e (a) Como a Equação (8.37) se modifica com a presença
largada de uma altura de 1.2 m? da força da gravidade?
(b) Deduza uma expressão análoga à Equação (8.39)
8.88 Energia de ligação da molécula de hidrogênio. para a aceleração a do foguete,
Quando dois átomos de hidrogênio de massa m se combinam (c) Qual seria a aceleração do foguete no Exemplo 8.16
para formar a molécula diatômica do hidrogênio (H2), a energia (Seção 8.7) supondo que ele esteja próximo da superfície
potencial do sistema depois da combinação é igual a - , onde é terrestre em vez de estar no espaço sideral? Despreze a
uma grandeza positiva denominada energia de libação da 11
resistência do ar.
molécula. (d) Calcule a velocidade do foguete no Exemplo 8.16
(a) Mostre que em uma colisão envolvendo somente (Seção 8.7) 90 s depois de ele ser disparado da superfície
dois átomos de hidrogênio é impossível formar uma molécula de terrestre em vez de estar no espaço sideral. Despreze a
H2, porque não poderia ocorrer simultaneamente conservação do resistência do ar. Como suas respostas se comparam com as
momento linear e conservação da energia. {Sugestão: Se você velocidades obtidas no Exemplo 8.17?
provar que essa afirmação é válida em um dado sistema de
referência, então ela será válida em qualquer sistema de *8.91 Um Foguete com muitos estágios. Suponha que o
referência. Você sabe por quê?} primeiro estágio de um foguete com dois estágios possua massa
(b) Em uma colisão envolvendo três átomos de total de 12.000 kg, sendo de 9000 kg a massa do combustível. A
hidrogênio, uma molécula de H2, pode ser formada. Suponha massa total do segundo estágio é igual a 1000 kg, sendo de 700
que antes da colisão cada um dos três átomos se aproximem com kg a massa do combustível. Suponha que a velocidade relativa
velocidade igual a 1.00.103 m/s e que as direções dessas vex do material expelido seja constante e despreze qualquer
velocidades formem entre si ângulos iguais a 120°. de modo que efeito da gravidade. (O último efeito é pequeno durante o
a cada instante os átomos estejam sobre os vértices de um período da combustão quando a taxa de consumo de
triângulo equilátero. Calcule a velocidade do átomo de combustível é elevada.)
hidrogênio que sobra depois da colisão e a velocidade da (a) Suponha que a massa total do combustível
molécula de H,. A energia de ligação da molécula de H2, é dada transportado pelo foguete com dois estágios seja utilizada em
por = 7.23.10-19 J e a massa do átomo de hidrogênio é igual a um foguete com um único estágio com a mesma massa total de
1.67.10-27 kg. 13.000 kg. Para um foguete partindo do repouso, qual seria, em
termos de vex, sua velocidade no momento em que o combustível
8.89 Uma carroça com massa total de 300 kg com duas termina?
caixas de ouro estava em repouso no alto de uma ladeira com (b) Para um foguete com dois estágios, qual seria sua
inclinação de 6.0° e a uma distância de 50 m da base (Figura velocidade no momento em que o combustível do primeiro
8.44). Um bandido a separa dos cavalos que a puxavam, estágio termina, sabendo que o primeiro estágio transporta o
planejando fazer a carroça rolar ladeira abaixo e continuar se segundo até esse ponto? A seguir, essa velocidade toma-se a
deslocando no terreno horizontal até cair em uma ribanceira, no velocidade inicial do segundo estágio. Nesse ponto, o segundo
fundo da qual os outros bandidos da quadrilha esperavam. estágio se separa do primeiro,
Porém, Zorro (massa 75.0 kg) e Tonto (massa 60.0 kg) (c) Qual é a velocidade final do segundo estágio?
aguardavam no alto de uma árvore situada a uma distância de 40 (d) Qual deve ser o valor de vex para que o segundo
m da ribanceira. Eles saltaram verticalmente sobre a carroça no estágio atinja uma velocidade final igual a 7.00 km/s?
instante em que ela passava embaixo da árvore,
(a) Sabendo que dispunham de apenas 5,0 s para pegar *8.92 A equação F=-vex(dm/dt) para a força de
o ouro e pular da carroça antes que ela caísse na ribanceira, propulsão de um foguete também pode ser aplicada para um
teriam eles conseguido realizar a tarefa? Despreze o atrito de avião movido a hélice. De fato, existem duas contribuições para
rolamento, a força de propulsão: uma positiva e outra negativa. A
(b) Quando os dois heróis pulam para o interior da contribuição positiva resulta do ar que é empurrado para trás,
carroça, a energia cinética do sistema carroça mais heróis é afastando-o da hélice (logo dm/dt < 0), com uma velocidade vex
conservada? Caso não seja conservada, de quanto ela aumenta relativa à hélice. A contribuição negativa resulta da mesma
ou diminui? quantidade de ar que escoa para a frente da hélice (logo dm/dt >
0), com uma velocidade v igual à velocidade do avião através do
ar.
(a) Escreva uma equação para a força de propulsão
resultante desenvolvida pela hélice de um avião em termos de v,
vex e do valor absoluto |dm/dt|.
(b) Para um Cessna 182 (um avião monomotor) voando
a 130 km/h, 150 kg de ar fluem através da hélice em cada
FIGURA 8.44 Problema 8.89. segundo c a hélice desenvolve uma propulsão resultante igual a
1300 N. Calcule o incremento do módulo da velocidade (em
km/h) que a hélice fornece para o ar.
Exercícios – Capítulo 8 – Impulso e quantidade de movimento – Sears e Zemansky, Young & Freedman – Física I – Editora Pearson, 10ª Edição
Prof. Dr. Cláudio S. Sartori

*8.93 Suponha que a massa do foguete descrito nos


Exemplos 8.16 e 8.17 (Seção 8.7) seja uma função do tempo
dada por

m0 para t 0
t
m t m0 1 para0 t 90 s
120s
m0
para t 90 s
4
(a) Calcule e faça um gráfico da velocidade em função
do tempo desde t = 0 até t = 100 s. 12
(b) Calcule e faça um gráfico da aceleração em função
do tempo desde t = 0 até t = 100 s.
(c) Um astronauta de 75 kg está deitado sobre uma
cadeira inclinada durante o lançamento do foguete. Qual é a
força resultante máxima exercida pela cadeira sobre o astronauta
durante o lançamento do foguete? Como se compara essa
resposta com o peso do astronauta sobre a Terra?
Exercícios – Capítulo 8 – Impulso e quantidade de movimento – Sears e Zemansky, Young & Freedman – Física I – Editora Pearson, 10ª Edição
Prof. Dr. Cláudio S. Sartori

PROBLEMAS DESAFIADORES

8.94 No dia do aniversário de sua tia Maria, você


deseja diverti-la puxando a toalha da mesa sobre a qual se
encontra o bolo. A mesa possui raio r = 0,90 m e o bolo está em
repouso sobre a toalha no centro da mesa. A toalha da mesa
possui o mesmo tamanho do topo da mesa. Você puxa
rapidamente a beirada da toalha. O bolo permanece em contato
com a toalha durante um tempo t depois que você começa a
puxar. A seguir o bolo desliza um pouco e para (conforme você y x
espera) em virtude do atrito entre a mesa e o bolo. O coeficiente
de atrito cinético entre o bolo e a toalha de mesa é C1 = 0.30 e o
coeficiente de atrito cinético entre a mesa e o bolo é C2 = 0.40. a
13
Aplique o teorema do impulso-momento linear (Equação 8.9) e t
o teorema do trabalho-energia (Equação 6-6) a fim de calcular o
valor máximo de t para que o bolo não caia sobre o solo.
(Sugestão: Suponha que o bolo percorra uma distância d quando
ainda está sobre a toalha de mesa e, portanto, a uma distância r - FIGURA 8.45 Problema Desafiador 8.96.
d da borda da mesa. Suponha que as forças de atrito sejam
independentes da velocidade relativa entre as superfícies em 8.97 Um quarto de uma corda de comprimento l está
contato. Você poderá facilmente realizar esse truque puxando suspensa no ar apoiada na borda de uma mesa sem atrito. A
uma folha de papel sob um copo com água, mas tenha corda possui uma densidade linear (massa por unidade de
disponível um pano para enxugar a água se for preciso!). comprimento) uniforme ("lambda"), e sua extremidade que
está sobre a mesa é mantida em repouso por uma pessoa. Qual é
8.95 Na Seção 8.6 calculamos o centro de massa trabalho realizado por essa pessoa para puxar a corda
considerando objetos compostos por um número finito de lentamente e elevar a parte suspensa até que a corda fique
massas puntiformes ou objetos que por simetria pudessem ser inteiramente sobre a mesa? Resolva o problema usando dois
representados por um número finito de massas puntiformes. métodos, como se segue,
Para um objeto cuja distribuição de massas não permite uma (a) Ache a força necessária que a pessoa deve realizar
determinação simples do centro de massa mediante para elevar a corda e a partir daí calcule o trabalho realizado.
considerações de simetria, as somas indicadas nas Equações Note que essa força é variável porque a cada instante diferentes
(8.28) devem ser generalizadas para integrais: frações da corda ficam suspensas na borda da mesa.
1 1 (b) Suponha que o segmento da corda que inicialmente
xcm xdm ycm ydm estava suspenso na borda da mesa possui toda a sua massa
M M concentrada em seu centro de massa. Calcule o trabalho
onde x e y são as coordenadas de uma pequena porção do objeto necessário para elevar essa massa até a altura da mesa. Talvez
de massa dm. A integração é feita sobre o volume total do você ache esse método mais simples do que o usado na pane (a).
objeto. Considere uma barra delgada de comprimento L, massa Como as duas respostas se comparam e por que você obtém esse
M, e seja A a área da seção reta da barra. Suponha um sistema de resultado?
coordenadas com origem na extremidade esquerda da barra e
com o eixo +0.v ao longo da barra, *8.98 Uma gota de chuva com massa variável. No
(a) Sabendo que a densidade = M/V do objeto é problema da propulsão de um foguete, a massa é variável. Outro
uniforme, integre as relações anteriores para mostrar que a problema com massa variável é fornecido por uma gota de
coordenada x do centro de massa da barra coincide com o seu chuva caindo no interior de uma nuvem que contém muitas
centro, gotas minúsculas. Algumas dessas gotículas aderem sobre a
(b) Sabendo que a densidade varia linearmente com x, gota que cai, fazendo, portanto, aumentar sua massa à medida
ou seja, = x, onde é uma constante positiva, determine a que ela cai. A força sobre a gota de chuva é dada por
coordenada .ï do centro de massa da barra. dp dv dm
Fex m v
8.96 Use o método do Problema Desafiador 8.95 para dt dt dt
determinar as coordenadas x e y do centro de massa de uma Suponha que a massa da gota de chuva dependa da
placa metálica semicircular com densidade uniforme e distância x percorrida durante sua queda. Então, m = k x, onde k
espessura t. Chame de a o raio da placa. Então, a massa da placa é uma constante, portanto: dm/dt = kV. Como Fext = mg,
é: obtemos:
1 dv
M a2 t m g m v k v
2 dt
Use o sistema de coordenadas indicado na Figura 8.45. Ou, dividindo por k:
dv 2
x g x v
dt
Essa equação diferencial possui uma solução da forma
v = at. onde a é uma aceleração constante. Considere a
velocidade inicial da gota igual a zero.
Exercícios – Capítulo 8 – Impulso e quantidade de movimento – Sears e Zemansky, Young & Freedman – Física I – Editora Pearson, 10ª Edição
Prof. Dr. Cláudio S. Sartori

(a) Usando a solução proposta para v, determine a


aceleração a.
(b) Calcule a distância percorrida pela gota até o
instante t = 3.00 s.
(c) Sabendo que k = 2.00 g/m, ache a massa da gota de
chuva para t = 3.00 s. Para muitos outros aspectos intrigantes
deste problema veja o artigo de K. S. Krane, Amer. Jour. Phys.
Vol. 49 (1981), p. l 13-117.

14
Exercícios – Capítulo 8 – Impulso e quantidade de movimento – Sears e Zemansky, Young & Freedman – Física I – Editora Pearson, 10ª Edição
Prof. Dr. Cláudio S. Sartori

Gabarito – Exercícios Ímpares


Exercício Gabarito Exercício Gabarito
8.1 (a) 1.2 105 kg m s (b) (i) 60.0 m/s
8.43
(a)1.25kg (b) 1.5 m s3 t iˆ
(ii) 26.8 m/s (c) 5.6N iˆ
8.3 (b) beisebol, 0.525 (c) mulher 0.643 8.45 (a) 80 N (b) sim
8.5 0.256kg m s , sentido: - Oy 8.47 75 kg
8.49 (a) 0.442 (b) 800 m/s (c) 530 m/s
8.7 562 N, não
8.51 (a) 7.2 10 66 (b) 0.223
8.9 (a)10.8 m/s para a direita
8.53 3.21 10 25 kg
(b) 0.75 m/s para a esquerda. -22
8.55 (a) 6.32.10 kg.m/s (b) 5.71.10-19J
8.11 (a) 18.8kg m s iˆ 8.57
0.521 iˆ 7.81 ˆj m s
15
(b) 3.55 10 3 kg m s ˆj 8.59 15
8.61 30° no sentido norte para leste, 30° no sentido
(c) 7.50 103 kg m s iˆ sul para leste
8.63 (a) 5.00 m/s, leste. (b) 5.71 m/s, leste.
(d) 13.0 iˆ 0.73 ˆj kg m s (c) 3.78 m/s, leste.
8.65 (a) Nash, 1.68 (b) Packard, 0.933
89.3 iˆ 5.0 ˆj m s (c) Fp é maior, 0.933
8.67 23.2 cm
8.13 (a) A t2 B3 t 3 8.69 (a) 25.8 m s ,35.5
2
(b) não
(b) A m t2 B 3m t23 8.71 (a) 0.222 (b) -291 J (c) 0.784 J
8.73 (b) M = m (c) 0
8.15 (a) 5.62 10 2 m s 8.75 1 2
(b) 0.103m s M vcm
2
8.17 (a) 4.66m s sentido oposto ao sentido 8.77 (a) 3.56m s (b) 5.22m s
original do movimento do jogador de (c) 4.67m s
defesa
8.79 A: 13.6 m/s; B: 6.34 m/s, 65°
(b) 6580J
8.19 (a) L 2 cos 2 , ao longo do eixo
(a) 3.60m s (b) 8.64J
a partir do vértice.
8.21 vB mA mB vA
(a) (b) L 3 ,ao longo do eixo de simetria
8.23 525 N central a partir da base.
8.81
8.25 (a) vA2 29.3m s , vB2 20.7 m s (c) L 8 ,ao longo do eixo de simetria
(b) 0.196 = 19.6% central a partir da base.
8.27 (a) 6.44 m s para o leste (d) L 12 , a partir de qualquer lado.
(b) 2.49 m/s
8.83 0.400 m/s
(c) 2.81 105 J ; 1.38 105 J 8.85 222 m/s, 1.01.103 m/s; vKr=1.5 vBa
Na parte (a) 8.87 (a) 0 (b) 1 (d) 0.87m (f) 0.089m
8.29 35.3 km/h, 19.3° no sentido do Sul para o 8.89 (a) sim (b) não; a energia cinética diminui de
oeste.
4.8.103 J
8.31 229 m/s
8.91 (a) 1.37 vex (b) 1.18 vex (c) 2.38 vex (d) 2.94 km/h
8.33 Para o cavaleiro de 0.150 kg: 3.2 m/s da
direita para a esquerda; para o cavaleiro 8.93 1
de 0.300 kg: 0.20 m/s da direita para a 2400 ln m s ,0 t 90 s
v 1 t 120
esquerda.
(a) 9.00 m (b) 3.00.106 m/s 3.33 km h , t 90 s
8.37
8.39 A uma distância de 7.42.108 m do centro (b) 20[1-t/120] para 0 t 90 s
do Sol; for a do Sol
(c) 6000 N VS. 735 N na Terra
8.41
(a)0.30kg (b) 2.0kg m s iˆ 8.95 (b) 2L/3
8.97 (a) l g/32; (b) l2 g/32
Exercícios – Capítulo 8 – Impulso e quantidade de movimento – Sears e Zemansky, Young & Freedman – Física I – Editora Pearson, 10ª Edição
Prof. Dr. Cláudio S. Sartori

Gabarito – Exercícios Pares resolvidos (a) Antes da colisão, o disco B estava em repouso, então todo o
Cortesia: Editora Pearson momento é devido ao movimento do disco A e
P 0.1975 kg m / s
A1 v 0.790 / s.
8-2: Veja o Exercício 8-3(a); o navio quebra-gelo tem a mA 0.250 kg
mesma energia cinética, assim o 1 2 1 1
K K 2 K1 m A v A2 m B v B2 2 ma v A21
barco com massa maior tem um valor maior de (b) 2 2 2
1 1
momento dado por um fator de (2m) /( m) 2. (0.250 kg )( 0.120 m / s ) 2 (0.350 kg )(0.650 m / s ) 2
2 2
1
(0.250 kg )(0.7900 m / s ) 2
8-4: Da Eq. (8-2), 2
0.0023 J .
px mvx (0.420kg )(4.50 m / s ) cos 20.0o 1.78 kg m / s Observe que algarismos significativos extras foram mantidos
o nos cálculos intermediários a fim de se evitar erros de
p y mvy (0.420kg )(4.50 m / s ) sen 20.0 0.6646kg m / s. arredondamento. 16
8-6: Da Eq. (8-2), py = -(0.145 kg)(7.00 m/s) = -1.015 8-18: Faça a direção do movimento da bala ser na direção
kg•m/s, e px = (0.045 kg)(9.00 m/s) = 0.405 kg•m/s, então que positiva. O momento total da bala, rifle, e o gás deve ser zero,
o momento total tem o módulo de : então:
p px2 py2 ( 0.405kg m / s)2 ( 1.015kg m / s)2 1.09 kg m / s, (0.00720 kg)(601 m/s- 1.85 m/s) + (2.80 kg)(-1.85 m/s) + pgas =
e está em um ângulo de arctan 1.015 usando o valor 0, e pgas = 0.866 kg m/s. Observe que a velocidade da bala é
68o , encontrada subtraindo-se a velocidade do rifle da velocidade da
.405 bala relativo ao rifle.
da função arco-tangente no quarto quadrante (px > 0, py < 0).
8-20: Na ausência da força de atrito, a componente
8-8: (a) O valor da velocidade variou de: horizontal do sistema chapéu-adversário é conservada, e a
(45.0 m/s) – (-55.0 m/s) = 100.0 m/s, e portanto a variação do velocidade do recuo é
momento é: (0.145 kg)(100.0 m/s) = 14.500 kg m/s, ou 14.5 (4.50 kg )(22.0 m / s ) cos36.9o
kg m/s para três algarismos significativos. Este é também o 0.66 m / s .
módulo do impulso. (120kg )
(b)Da Eq. (8-8), o módulo da força média aplicada é: 8-22: Faça direção original do movimento de Rebecca ser na
14.500kg m / s direção x (a) Da conservação da componente x do momento,
3
7.25 x 103 N . temos: (45.0 kg)(13.0 m/s) =
2.00 x 10 s
 (45.0 kg)(8.0 m/s) cos 53.1º + (65.0 kg)vx,então vx = 5.67 m/s.
8-10: (a) F t = (1.04 x 105 kg m/s) ĵ. Se o movimento final de Rebecca for considerado como tendo
uma componente y positiva, então
(b) (1.04 x 105 kg m/s) ĵ. (45.0 kg)(8.0 m / s) sin 53.1o
5 vy 4.43 m / s.
(c) (1.04 x10 kg m / s) ˆ ˆ (65.0 kg)
j (1.10m / s) j.
(95,000kg ) A velocidade final de Daniel é
(d) A velocidade inicial do ônibus espacial é desconhecida e, a vx2 v y2 (5.67m / s) 2 ( 4.43m / s) 2 7.20m / s,
variação no quadrado da velocidade não é o quadrado da
variação da velocidade. e sua direção é arctan 4.43
38o a partir do eixo x, e o
5.67
8-12: A variação no momento da bola na direção x qual é 91.1º a partir da direção do movimento final de Rebecca .
(considerada ser positiva e para a direita) é (0.145 kg)(-(65.0 K = 1 1 1
45.0 kg (8.0 m / s) 2 (65.0 kg)(7.195m / s) 2 (45.0 kg)(13.0 m / s) 2
m/s) cos 30o – 50.0 m/s) = -15.41 kg m/s, então a componente x 2 2 2
da força média é 15.41kg m / s = -680 J.
3
8.81x103 N . Observe que algarismos significativos extras foram
1.75 x10 s
mantidos durante os cálculos intermediários a fim de se evitar
e a componente y da força é : erros de arredondamento.
o
(0.145kg )(65.0 m / s) sen 30
2.7 x 103 N .
(1.75 x 10 3 s) 8-24: O momento original é (24,000 kg) (4.00 m/s) = 9.60 x
104 kg m/s, a massa final é 24,000 kg + 3000 kg = 27,000 kg, e
8-14: O impulso dado ao jogador é em direção oposta mas de portanto a velocidade final é :
mesmo módulo que aquele dado ao disco, então a velocidade do 9.60 x 10 4 kg m / s
3.56 m / s.
jogador é (0.160kg )(20.0 m / s) na direção oposta 2.70 x 10 4 kg
4.27 cm / s,
(75.0 kg )
ao disco. 8-26: (a) De
m1v1 m2 v 2
m1v1 m2 v 2 m1v m2 v (m1 m2 )v, v .
8-16: O momento final é m1 m2
(0.250 kg)(-0.120 m/s) + (0.350 kg)(0.650 m/s) = Considerando as velocidades como positivas e para a
0.1975 kg m/s, direita, v1 = -3.00 m/s and v2 = 1.20 m/s, então v = -1.60 m/s.

considerando a direção positiva como sendo para a direita.


Exercícios – Capítulo 8 – Impulso e quantidade de movimento – Sears e Zemansky, Young & Freedman – Física I – Editora Pearson, 10ª Edição
Prof. Dr. Cláudio S. Sartori

K
1
(0.500 kg 0.250 kg )( 1.60 m / s ) 2 (c) KA = -4.5 x 10-4, KB = 4.5 x 10-4. Como a colisão é
(b) 2
elástica, os números têm o mesmo valor .
1 1
(0.500 kg )( 3.00 m / s ) 2 (0.250 kg )(1.20 m / s ) 2
2 2
1.47 J . 8-36: (a) Utilizando a Eq. (8-24),
vA 1 u 2 u 1
.
8-28: Considere o norte como sendo a direção positiva do v 1u 2 u 3
eixo x e o leste a direção y (estas escolhas são arbitrárias).
Então, o momento final é o mesmo que o momento inicial (para (b) A energia cinética é proporcional ao quadrado da
um campo suficientemente enlameado), e as componentes da
velocidade são :
KA 1
velocidade, então .
(110 kg)(8.8 m / s) K 9
vx 5.0 m / s
(195 kg) (c) O valor da velocidade é reduzido por um fator de 1 após de
3
(85 kg)(7.2 m / s) cada colisão, então após N colisões de N, a velocidade é 1 N 17
vy 3.1 m / s.
(195 kg) 3
Portanto, o módulo da velocidade é: de seu valor original. Para se encontrar N, considere que
N
(5.0 m / s) 2 (3.1 m / s) 2 5.9 m / s, em um 1 1
, or
3 59,000
3.1
ângulo de arctan 32 o do leste para o norte .
5.0
3 N 59,000
8-30: Como o caminhão não tinha nenhuma componente inicial N ln( 3) ln( 59,000 )
de momento, o momento inicial do carro deve ser a componente ln( 59,000 )
x do momento.Portanto: N 10.
ln( 3)
Px ( mca r mtru ck )v cos
vca r como o inteiro mais próximo. Naturalmente, utilizar o
mca r mca r logaritmo em qualquer a base conduz ao mesmo resultado.
2850 kg
(16.0 m / s ) cos (90 o 24 o ) 8-38: Da Eq. (8-28),
950 kg
19.5 m / s. (0.30 kg )(0.20 m) (0.40 kg )(0.10 m) (0.20 kg )( 0.30 m)
xcm 0.044 m,
(0.90 kg )
Analogamente, vtruck 2850(16.0 m / s) sin66o 21.9 m / s.
1900 (0.30 kg )(0.30 m) (0.40 kg )( 0.40 m) (0.20 kg )(0.60 m)
y cm 0.056 m.
8-32: (a) A velocidade final da combinação bala-bloco é: (0.90 kg )
12.0 x10 3 kg 8-38: Da Eq. (8-28),
V (380 m / s) 0.758 m. / s.
6.012 kg (0.30 kg )(0.20 m) (0.40 kg )(0.10 m) (0.20 kg )( 0.30 m)
xcm 0.044 m,
A energia é conservada após a colisão, então (0.90 kg )
1 (0.30 kg )(0.30 m) (0.40 kg )( 0.40 m) (0.20 kg )(0.60 m)
(m M ) gy (m M )V 2 , e y cm 0.056 m.
2 (0.90 kg )

1 V 2 1 (0.758 m / s) 2
y 0.0293 m 2.93 cm. 8-40: (a) Medidas a partir da traseira do carro, a
2 g 2 (9.80 m / s 2 )
posição do centro da massa é, (da Eq. (8-28)):
(b)
(1800 kg)(40.0 m)
24.0 m,
1 2 1 (1200 kg 1800 kg)
K1 mv (12.0 x10 3 kg)(380m / s) 2 866J .
2 2 o qual esta 16.0 m atrás do carro líder .
(c) Da parte
(a), K 1 6.012kg (0.758m / s) 2 1.73J . (b) (1200 kg)(12.0 m/s) + (1800 kg)(20.0 m/s) = 5.04 x 10 4
2
2 kg m/s.
8-34: (a) Na notação do exemplo 8-10, com a bola de gude
maior (que se move originalmente para a direita) denotada (c) Da Eq. (8-30),
como sendo A, temos (3.00)vA2 + (1.00)vB2 = 0.200 m/s. A v (1200 kg)(12.0 m / s) (1800 kg)(20.0 m / s)
16.8 m / s.
velocidade relativa mudou de direção, então vA2 – vB2 = -0.600 cm (1200 kg 1800 kg)
m/s. Somando-se estas, eliminamos vB2 resultando em
(4.00)vA2 = -0.400 m/s, or vA2 = -0.100 m/s, com o sinal negativo (d) (1200 kg + 1800 kg)(16.8m/s) = 5.04 x 104 kg m/s.
indicando uma velocidade final à esquerda. Isto pode ser
substituído em qualquer uma das duas relações acima, 8-42: Como no exemplo 8-15 o centro da massa permanece
resultando em: vB2 = 0.500 m/s; ou , a segunda das relações acima pode em repouso, então existe um momento resultante nulo, e os
ser multiplicado por 3,00 e ser subtraída da primeira resultando em: valores das velocidades estão relacionadas por:
(4.00)vB2 = 2.00 m/s, que é o mesmo resultado. m1v1 = m2v2, ou v2 = (m1/m2)v1 = (60.0 kg/90.0
(b) PA = -0.009 kg m/s, PB = 0.009 kg m/s kg)(0.70 m/s) = 0.47 m/s.

8-44: (a) pz = 0, então Fz = 0. A componente x da força


Exercícios – Capítulo 8 – Impulso e quantidade de movimento – Sears e Zemansky, Young & Freedman – Física I – Editora Pearson, 10ª Edição
Prof. Dr. Cláudio S. Sartori

dp x ( 1.14 N s)
Fx ( 1.50 N / s)t. v2 x v1x J x / m (20.0 m / s) 0.05 m / s
é dt ((0.560 N ) /(9.80 m / s 2 ))
dp y (0.33 N s)
Fy 0.25 N v2 y v1 y J y / m ( 4.0 m / s) 1.78 m / s.
dt ((0.560 N ) /(9.80 m / s 2 ))

(b) Fazendo-se Fx = 0 e resolvendo para t resulta em t = 8-60: O momento do conversível deve ser a componente sul
0 s. do momento total, então
(8000 kg m / s) cos 60.0 o
8-46: É muito mais conveniente fazer primeiramente a (b); o v co n 2.67 m / s.
(1500 kg)
empurrão é a força que acelera o astronauta e MMU,
Analogamente, a velocidade do vagão é:
F = ma = (70 kg + 100 kg)(0.029 m/s2) = 5.22 N.
(a) Resolvendo a Eq. (8-38) for |dm|, (8000 kg / s) sin 60.0 o
v sw 3.46 m / s.
F dt (5.22 N )(5.0 s) (2000 kg) 18
| dm | 53 gm.
vex (490 m / s)
8-62: (a) mAvAx + mBvBx + mCvCx = mtotvx, portanto:
(0.100 kg)(0.50 m / s) (0.020 kg)( 1.50 m / s) (0.030 kg)( 0.50 m / s) cos 60 o
8-48: Resolvendo a Eq. (8-34) para vex e considerando o vCx 0.050 kg
módulo para se encontrar a velocidade de exaustão, temos:
Cx v 1.75 m / s
m
vex a (15.0 m / s 2 )(160s) 2.4 km / s. Nessa forma, a Analogamente,
dm/ dt (0.100 kg)(0 m / s) (0.020 kg)(0 m / s) (0.030 kg)( 0.50 m / s) sin 60 o
m vCy
quantidade é aproximada por 0.050 kg
dm/ dt vCy 0.26 m / s
m m (b)
t 160s.
m/ t m K
1
(0.100 kg )(0.5 m / s ) 2
1
(0.020 kg )(1.50 m / s ) 2
1
(0.030 kg )(0.50 m / s ) 2
m0 2 2 2
8-50: Resolvendo a Eq. (8-40) para , com v0 = 0, 1
(0.050 kg ) x [(1.75 / s ) (0.26 m / s ) 2 ]
2
0.092 J
m 2
m0 v 8.00 km / s 8-64: A massa total do carro está mudando, mas a velocidade
exp exp 45.1. da areia quando ela deixa o carro é a mesma que a velocidade do
m vex 2.10 km / s
carro, portanto, não existe nenhuma variação na velocidade do
carro ou da areia (a areia adquire uma velocidade para baixo
8-52: As relações que aparecem na Eq. (8-42) são depois que sai do carro, parando nas trilhas). Uma outra modo
de considerar a situação é que vex é nulo nas equações (8-37),
0.0176 1 (8-38) e (8-39) , e o carro não acelera. . Em qualquer situação a
e , então as energias cinéticas são:
1.0176 1.0176 velocidade do carro permanece constante em 15,0 m/s. No
0.0176 exercício 8-24, é informado que a chuva cai verticalmente,
(a) (6.54 x10 13 J ) 1.13x10 14 J e então a sua velocidade relativo ao carro, enquanto colide com o
1.0176
carro não é nula.
1
(b) (6.54 x 10 13 J ) 6.43x 10 13 J .
1.0176 8-66: A força do recuo é dada pelo produto entre o momento
Observe que as energias não se adicionam exatamente a 6,54 x a entregue a cada bala pelo taxa em que as balas são disparadas.
10-13 J , devido aos arredondamentos dos números. 1000 bullets / min
Fa ve (7.45 x 10 3 kg )(293 m / s ) 36.4 N .
60 s / min
8-54: O “momento em falta” é :
5.60 x 10-22 kg m/s – (3.50 x 10-25 kg)(1.14 x 103 m/s) = 1.61 = 8-68: (a) Após o impacto, a combinação bloco-bala tem uma
10-22 kg m/s. Desde que o elétron tem o momento à direita, o massa total de 1,00 quilogramas, e a velocidade V do bloco é
momento do neutrino deve ser à esquerda . encontrada de: 1 M to ta lV 2 1 kX 2 , or V k
X.
2 2 m
8-56: (a) A velocidade da bola antes de depois de sua A constante k da mola é determinada da calibração:
colisão com a placa são encontradas das alturas . O impulso é a
0.75 N
massa vezes a soma das velocidades, ou seja: k 3
300 N / m.
2.50 x10 m
J m(v1 v2 ) m( 2 gy1 2 gy 2 ) Combinando os resultados acima, temos:
2 300 N / m 2
(0.040) 2(9.80 m / s ) ( 2.00 m 1.60 m ) 0.47 N s. V 15.0 x 10 m 2.60 m / s.
1.00 kg
(b) J (0.47 N s / 2.00 x10 3 s) 237N.
t (b) Embora isto não seja um pêndulo, a análise da colisão não
Jx Fx t ( 380 N )(3.00 x 10 3 s) 1.14 N s elástica é a mesma;
8-58: (a)
Jy Fy t (110 N )(3.00 x 10 3 s) 0.33 N s. M to ta l 1.00 kg
v V (2.60 m / s) 325 m / s.
m 8.0 x 10 3 kg
(b)
8-70: (a) A velocidade dos dubles antes da colisão é:
Exercícios – Capítulo 8 – Impulso e quantidade de movimento – Sears e Zemansky, Young & Freedman – Física I – Editora Pearson, 10ª Edição
Prof. Dr. Cláudio S. Sartori

v02 2gy 9.9 m / s. A velocidade após a colisão é: v A1 v A2 cos v B 2 cos


ms 80.0 kg 0 v A2 sin v B 2 sin .
v v0 s (9.9 m / s ) 5.3 m / s.
m s mv 80.0 kg 70.0 kg
(b) O momento não é conservado durante a queda. Do teorema (b) Após um pouco de álgebra:
v A2 1 v A2 2 v B2 2 2v A2 v B 2 (cos cos sen sen )
trabalho-energia, a distância x é encontrada de:
v A2 2 v B2 2 2v A2 v B 2 cos ( ).
1
mtotal v 2 k mtotal gx, ou
2 (c) Para uma colisão perfeitamente elástica temos:
v2 (5.28 m / s) 2 1 2 1 2 1 2
x 5.7 m. mvA1 mvA2 mvB2 or v A21 v A21 v A2 2 vB2 2 .
2 kg 2(0.25)(9.80 m / s 2 ) 2 2 2

Observe que, para se evitar erros de arredondamento, Substituindo no resultado acima, temos: cos ( + ) = 0.
foram utilizados algarismo significativos extras V na parte (b).
19
(d) O único ângulo positivo com coseno zero é: (90o ).
8-72: A velocidade do bloco depois que a bala passou pelo 2
bloco (mas antes que o bloco começasse a se levantar; o que 8-80: Desde que a massa é proporcional ao peso, os pesos
supõe-se grande força grande aplicada em um pequeno dados podem ser usados para determinar as velocidades a partir
intervalo de tempo, uma situação características das balas) é: da conservação do momento. Considerando a direção positiva
2 2 como sendo para a esquerda, temos:
V 2 gy 2(9.80 m / s )(0.45 x 10 m) 0.297 m / s. (800 N )(5.00 m / s) cos 30.0 o (600 N )(7.00 m / s) cos 36.9 o
v 0.105 m / s,
A velocidade final v da bala é então: 1000 N
P mv0 MV M
v v0 V
m m m 8-82: O truque aqui deve observar que a configuração final é
1.00 kg a mesma como se a canoa (suposta ser simétrica) fosse girada
450 m / s (0.297 m / s) 390 .6 m / s,
5.00 x 10 3 kg sobre seu centro da massa. Inicialmente, o centro da massa está
ou 390 m/s para dois algarismos significativos. a uma distância (45.0 kg)(1.5 m) 0.643 m do centro do
(105 kg)
8-74: (a) Mesmo que uma das massas não seja conhecida, a canoa, então ao girar sobre este ponto a canoa se movimentaria
análise da seção (8-5) que leva a Eq. (8-26) , continua válida, e 2 x 0.643 m = 1.29 m.
vred = 0.200 m/s + 0.050 m/s = 0.250 m/s.
A massa mred pode ser encontrada tanto das considerações de 8-84: O truque aqui é perceber que o centro da massa
energia como de momento . Da conservação de momento continuará a se mover no trajetória parabólica original,
temos: m (0.040 kg)(0.200 m / s 0.050 m / s) “aterrizando” na posição original (área) prevista para o projétil.
red 0.024 kg.
(0.250 m / s) Desde que a explosão ocorre no ponto o mais alto da trajetória, e
Como verificação note que: um fragmento é dado possuir velocidade zero após a explosão,
nenhum fragmento possuirá uma componente vertical de
1 velocidade imediatamente após a explosão, e o segundo
K1 (0.040 kg )(0.200 m / s ) 2 8.0 x 10 4 J , and
2 fragmento possui duas vezes a velocidade que o projétil tinha
K2
1
(0.040 kg )(0.050 m / s ) 2 1 2 4
(0.024 kg )(0.250 m / s ) 8.0 x 10 J , antes da explosão.
2 2 (a) Os fragmentos aterrizam em posições simétricas do alvo
então K1 = K2, como deve ser para uma colisão perfeitamente original. Alguns aterrizam em 1 enquanto outros em
R,
elástica. 2
3 3 v02 3 (80 m / s) 2
8-76: (a) A velocidade relativa de aproximação antes da R sen 2 0 sen 120 o 848 m. (b) Em
2 2 g 2 (9.80 m / s 2 )
colisão é a velocidade relativa com a qual as bolas se separam
após a colisão. Antes da colisão, as bolas estão se aproximando termos da massa m do fragmento original e, a velocidade v antes
com velocidade relativa 2v, e após a colisão estão recuando com da explosão, temos:
velocidade 2v. No limite em que a bola maior tem uma massa K 1 mv2 and K 1 m (2v) 2 , so K mv2 1 mv2 1 mv2 .
1 2
muito maior, sua velocidade depois que a colisão permanecerá 2 22 2 2
inalterada (o limite como sendo mA >> mB na Eq. (8-24)), e A velocidade v está relacionada a v0 por v0 cos 0, então
portanto a bola menor movimentar-se a para cima com 1 1
K mv02 cos2 0 (20.0 kg)((80m / s) cos 60.0o ) 2 1.60 x104 J .
velocidade 3v. 2 2
(b) Com três vezes a velocidade, a bola irá retornar a
uma altura nove vezes maior que a altura inicial. 8-86: (a) Com o bloco B inicialmente em repouso,
temos:
8-78: (a) Para as direções x e y, respectivamente, e sendo m a mA
massa comum de um próton, temos: vcm v A1 .
mv A1 mv A2 cos mv2 cos mA mB
(b) Desde que não existe uma força externa, o centro da massa
0 mv A2 sin mv B 2 sin move-se com velocidade constante, e assim um referencial que
ou se movimenta com o centro da massa é um sistema de
referencial inercial
(c) As velocidades possuem apenas a componente x , que são:
Exercícios – Capítulo 8 – Impulso e quantidade de movimento – Sears e Zemansky, Young & Freedman – Física I – Editora Pearson, 10ª Edição
Prof. Dr. Cláudio S. Sartori

mB mA (d) 3327 m/s – (9.80 m/s2)(90 s) = 2.45 km/s, a qual é


u A1 v A1 vcm v A1 , u B1 vcm v A1 .
m A mB m A mB aproximadamente três quartos da velocidade encontrada no
Então, Pcm = mAuA1 = mBuB1 = 0. Exemplo 8-17.
Desde que antes da colisão existe momento zero no
centro de massa, após a colisão não pode existir momento, então 8-92: (a) Temos duas contribuições :
o momento de cada bloco após a colisão deve ter a direção Fnet , Fnet vex | dm/ dt | v | dm/ dt |, or Fnet (vex v(| dm/ dt | .
invertida . A única maneira de conservar a energia cinética é se (b)
o momento de cada um tiver o mesmo valor, então no
Fnet / | dm/ dt | (1300N) /(150kg / s) 8.66m / s 31km/ h.
referencial do centro de massa os blocos variam de direção mas
conservam as mesmas velocidades. Esta é igual a vex – v.
Simbolicamente: uA2 = -uA1, uB2 = -B1.
(d) Todas as velocidades possuem apenas componentes na 8-94: O impulso aplicado ao bolo é J = k1mgt = mv, onde m
direção x, isto é: é a massa do bolo e v é a sua velocidade depois que o impulso 20
0.200 0.400 foi aplicado. A distância d que o bolo se move durante este
u A1 6.00 m / s 2.00 m / s, u B1 6.00 / s 4.00 m / s,
0.600 0.600 1
u A2 2.00 m / s, u B 2 4.00 m / s, and v A2 2.00 m / s,
tempo é então d k1 gt2 . Enquanto deslizando sobre a
2
v B 2 8.00 m / s. mesa, o bolo deve perder sua energia cinética devido ao atrito,
A equação (8-24) prediz: 1 2 Simplificando e substituindo
ou seja mg(r d ) mv .
1 k2
2
v A2 v A1 , e a Eq. (8-25) prediz: 2
3 para v temos: r d 1
g k1
t 2 , e substituindo para d em
4 2 k2
vB 2 v A1 , as quais estão de acordo com o acima. termos de t2 resulta:
3 2
8-88: (a) A diminuição da energia potencial (-∆ <0) significa r
1 2
gt k1 1 2 k1
gt ( k1
k1 k 2 ),
que a energia cinética aumenta. No referencial do centro de 2 k2 2 k2
massa dos dois átomos de hidrogênio, o momento resultante é o qual dá t = 0.59 s.
necessariamente nulo e após os átomos se combinarem e terem
uma velocidade comum, esta velocidade deve ser zero em 8-96: Por simetria, x = 0. Utilizando coordenadas polar
cm
módulo, uma situação evitada por uma energia cinética plana conduz a uma integração mais fácil e também utilizando o
necessariamente positiva.
(a) O momento inicial é zero antes da colisão, e deve ser zero a2 4 3
após a colisão. Denote a velocidade inicial comum como v0, a Teorema de Pappus 2 ycm 2 3
a é o mais facial
velocidade final do átomo do hidrogênio como v, a velocidade
final da molécula do hidrogênio como V, a massa comum dos de todos, mas o método do Problema 8-95 envolve Coordenadas
átomos do hidrogênio como m e a massa do hidrogênio cartesianas.Para a coordenada x , dm pt a 2 x 2 dx, que
molecular como 2m. Após a colisão, as duas partículas devem
mover-se em direções opostas, e portanto conservar o momento, é uma função par de x, então x dx 0.
v = 2V. Da conservação de energia, temos:
2
1 2 1 2 1 2 Para a coordenada y , dm pt 2 a y 2 dy , e o range de
(2m)V mv 3 mv0
2 2 2 integração vai de 0 até a, então
3 2 2 pt a
mV 2 2mV 2 mv0 ycm y a2 y 2 , dy.
2 M 0

v02 Fazendo as substituições


2
V , 1
2 3m M p a 2t, u a 2 y 2 , du 2 y, temos:
2
do qual V = 1.203 x 104 m/s, ou 1.20 x 104 m/s para dois 1 3
algarismos significativos e, a velocidade do átomo de
2 0 2 4 2 0 4a
ycm u du [u ]a2 .
a2 a 3 a2
2
hidrogênio é v = 2.41 x 104 m/s. 3
8-90: (a) Incluindo a força extra a Eq. (8-37) fica: 8-98: (a) Para uma aceleração constante a, a
dv dm velocidade para baixo é v = at e a distância x que a gota caiu é
m vex mg, 1 2
dt dt x
at . Substituindo na equação diferencial, temos:
onde a direção positiva é considerada para cima (normalmente 2
um sinal de bom planejamento) . 1 2 1 2 3 2 2
(b) Aplicando um fator de massa m, encontramos: at g at a (at) 2 at ,
dv vex dm 2 2 2
a g. g
dt m dt a solução não nula é a .
3
(c) 20 m/s – 9.80 m/s2 = 10.2 m/s2.
Exercícios – Capítulo 8 – Impulso e quantidade de movimento – Sears e Zemansky, Young & Freedman – Física I – Editora Pearson, 10ª Edição
Prof. Dr. Cláudio S. Sartori

1 2 1 9.80 m / s 2 2
(b) at 3.00 s 14.7 m.
2 2 3
(c) kx = (2.00 g/m)(14.7 m) = 29.4 g.

21