Manual de Treinamento Conexões para Tubos de Alta Pressão

Manual de treinamento Conexões para tubos de alta pressão
Principais tipos de linhas condutoras de fluidos
1 - Tubos (tubes)
Parede

2 - Canos (pipes)

3 - Mangueiras (hoses)

Ø Externo

Ø Nominal

Ø Interno

Sempre que especificarmos a bitola de um tubo, estaremos referenciando o seu diâmetro EXTERNO. Neste caso, ao especificar um tubo, deve-se observar as seguintes características: • Diâmetro externo (real); • Espessura da parede; • Tipo de material; • Características construtivas (dureza, costura).

Sempre que especificarmos a bitola de um cano, estaremos referenciando o seu diâmetro NOMINAL. Neste caso, ao especificar um cano, deve-se observar as seguintes características: • Diâmetro nominal (bitola); • Classe de pressão (até 1500 psi).

Exceto as mangueiras das normas construtivas, SAE 100R5, SAE 100R14 e SAE J51, cuja bitola representa seu diâmetro NOMINAL, sempre que especificarmos a bitola das demais mangueiras estaremos referenciando seu diâmetro INTERNO. Neste caso, ao especificar uma mangueira, deve-se observar as seguintes características: • Norma construtiva (SAE, DIN, EN, ISO, etc); • Bitola ou diâmetro interno.

Principais tipos de conexões para tubos e canos
Linhas tradicionais

• Triple-Lok - SAE JIC 37° • SAE J514 e ISO 8434-2 • Tubos mm e pol.

• EO - anilha PSR - aço carbono / DPR - inox • DIN 2353 • Tubos mm

• Conexões para cano e adaptadores • NPT/NPTF - SAE J471A • BSPT - BS5200

Programa vazamento zero

• Seal-Lok - SAE ORFS o’ring face seal • SAE J1453 e ISO 8434-3 • Tubos mm e pol.

• EO2 - anilha metal / borracha • DIN 2353 • Tubos mm

1

Parker Hannifin Ind. Com. Ltda. Jacareí, SP - Brasil

Manual de treinamento Conexões para tubos de alta pressão
Determinação do diâmetro de vazão do tubo
Material, tipo e bitola de tubo para uma determinada aplicação, bem como, o tipo da conexão utilizada são críticos para o funcionamento eficiente e livre de problemas em um sistema hidráulico. A seleção apropriada de tubos envolve a escolha correta do material e a determinação adequada do sua bitola (diâmetro externo e espessura da parede). O tamanho correto do tubo para as várias posições de montagem em um sistema hidráulico resulta na combinação otimizada de eficiência e baixo custo. Um tubo de diâmetro muito pequeno causa alta velocidade do fluido, gerando diversos efeitos prejudiciais ao sistema. Em linhas de pressão, isso resulta no aumento de turbulência e atrito, gerando queda de pressão e calor. Altas temperaturas aceleram o desgaste no movimento das peças e rápido envelhecimento das vedações e mangueiras, o que resulta na redução da vida útil dos componentes, bem como, no desperdício de energia e consequente queda na eficiência. Em linhas de sucção, isso causa cavitação que enfraquece e danifica a bomba hidráulica. Um tubo de diâmetro muito grande aumenta o custo do sistema. Deste modo, a escolha ideal do diâmetro do tubo é muito crítica.
Vazão Diâmetro interno recomendado máxima para o tubo em polegada em gpm Linha de Linha de Linha de pressão retorno sucção 0.25 0.50 0.75 1.00 1.25 1.50 1.75 2.00 2.50 3.00 3.50 4.00 4.50 5.00 5.50 6.00 6.50 7.00 7.50 8.00 8.50 9.00 9.50 10.00 11.00 12.00 13.00 14.00 15.00 16.00 17.00 18.00 19.00 20.00 22.00 24.00 26.00 28.00 30.00 32.00 34.00 36.00 38.00 40.00 42.00 44.00 46.00 48.00 50.00 55.00 60.00 65.00 70.00 75.00 80.00 85.00 90.00 95.00 100.00 110.00 120.00 130.00 140.00 150.00 160.00 170.00 180.00 190.00 200.00 0.064 0.091 0.111 0.128 0.143 0.157 0.169 0.181 0.202 0.222 0.239 0.256 0.272 0.286 0.300 0.314 0.326 0.339 0.351 0.362 0.373 0.384 0.395 0.405 0.425 0.443 0.462 0.479 0.496 0.512 0.528 0.543 0.558 0.572 0.600 0.627 0.653 0.677 0.701 0.724 0.746 0.768 0.789 0.810 0.830 0.849 0.868 0.887 0.905 0.949 0.991 1.032 1.071 1.109 1.145 1.180 1.214 1.248 1.280 1.342 1.402 1.459 1.515 1.568 1.619 1.669 1.717 1.764 1.810 0.101 0.143 0.175 0.202 0.226 0.247 0.267 0.286 0.319 0.350 0.378 0.404 0.429 0.452 0.474 0.495 0.515 0.534 0.553 0.571 0.589 0.606 0.623 0.639 0.670 0.700 0.728 0.756 0.782 0.808 0.833 0.857 0.880 0.903 0.947 0.990 1.030 1.069 1.106 1.143 1.178 1.212 1.245 1.278 1.309 1.340 1.370 1.399 1.428 1.498 1.565 1.629 1.690 1.749 1.807 1.862 1.916 1.969 2.020 2.119 2.213 2.303 2.390 2.474 2.555 2.634 2.710 2.784 2.857 0.160 0.226 0.277 0.320 0.358 0.392 0.423 0.453 0.506 0.554 0.599 0.640 0.679 0.716 0.750 0.784 0.816 0.847 0.876 0.905 0.933 0.960 0.986 1.012 1.061 1.109 1.154 1.197 1.239 1.280 1.319 1.358 1.395 1.431 1.501 1.568 1.632 1.693 1.753 1.810 1.866 1.920 1.973 2.024 2.074 2.123 2.170 2.217 2.263 2.373 2.479 2.580 2.677 2.771 2.862 2.950 3.036 3.119 3.200 3.356 3.505 3.649 3.786 3.919 4.048 4.172 4.293 4.411 4.525 Vazão Diâmetro interno recomendado máxima para o tubo em milímetro em l/min Linha de Linha de Linha de pressão retorno sucção 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 12 14 16 18 20 22 24 26 28 30 32 34 36 38 40 45 50 55 60 65 70 75 80 85 90 95 100 110 120 130 140 150 160 170 180 190 200 220 240 260 280 300 320 340 360 380 400 450 500 550 600 650 700 750 800 1.670 2.362 2.893 3.340 3.734 4.091 4.418 4.723 5.010 5.281 5.785 6.249 6.680 7.085 7.468 7.833 8.181 8.515 8.837 9.147 9.447 9.738 10.020 10.295 10.562 11.203 11.809 12.385 12.936 13.464 13.972 14.463 14.937 15.397 15.843 16.277 16.700 17.515 18.294 19.041 19.760 20.453 21.124 21.774 22.405 23.019 23.617 24.770 25.872 26.928 27.944 28.925 29.874 30.793 31.686 32.554 33.400 35.426 37.342 39.165 40.906 42.577 44.184 45.735 47.235 2.640 3.734 4.573 5.280 5.903 6.467 6.985 7.467 7.920 8.348 9.145 9.878 10.560 11.201 11.806 12.383 12.933 13.461 13.970 14.460 14.934 15.394 15.840 16.274 16.697 17.710 18.668 19.579 20.449 21.284 22.088 22.863 23.613 24.340 25.045 25.732 26.400 27.689 28.920 30.101 31.237 32.333 33.394 34.421 35.419 36.390 37.335 39.158 40.899 42.569 44.176 45.726 47.226 48.679 50.090 51.463 52.800 56.003 59.032 61.913 64.667 67.307 69.848 72.299 74.670 4.180 5.911 7.240 8.360 9.347 10.239 11.059 11.823 12.540 13.218 14.480 15.640 16.720 17.734 18.694 19.606 20.478 21.314 22.118 22.895 23.646 24.373 25.080 25.767 26.437 28.040 29.557 31.000 32.378 33.700 34.972 36.200 37.387 38.538 39.655 40.742 41.800 43.840 45.790 47.659 49.458 51.194 52.873 54.501 56.081 57.617 59.114 61.999 64.756 67.400 69.945 72.400 74.774 77.075 79.310 81.483 83.600 88.671 93.468 98.030 102.38 106.57 110.59 114.47 118.228

Cálculo do diâmetro do tubo

Utilize a tabela para determinar o diâmetro interno do tubo em função da vazão requerida para cada tipo de aplicação. A tabela é baseada nas recomendações de velocidade máxima do fluido, abaixo indicadas:
Linha de pressão = 7.6 m/s ou 25 pés/s Linha de retorno = 3 m/s ou 10 pés/s Linha de sucão = 1.2 m/s ou 4 pés/s

Velocidades acima de 8 m/s devem ser evitadas, pois as altas forças resultantes podem destruir a tubulação.

Se você desejar velocidades diferentes das indicadas nas tabelas ao lado, utilize a fórmula abaixo para determinar o diâmetro interno do tubo.
D. I. do tubo (pol.) = 0.64 x Vazão (gpm) Velocidade (pés/s) Vazão (l/min) Velocidade (m/s)

D. I. do tubo (mm) = 4.61 x

2

Parker Hannifin Ind. Com. Ltda. Jacareí, SP - Brasil

Manual de treinamento Conexões para tubos de alta pressão
Pressão máxima de trabalho para tubos de aço carbono
Utilize a tabela abaixo para determinar o diâmetro externo e parede do tubo em função da pressão máxima de trabalho e vazão requerida. A pressão máxima de trabalho do tubo deverá ser igual ou maior que a pressão máxima da linha onde será aplicado o tubo.
D. E. Parede D. I. tubo pol. tubo pol. pol. Pressão de trabalho psi SAE * 0.250 0.250 0.250 0.250 0.250 0.250 0.250 0.375 0.375 0.375 0.375 0.375 0.375 0.375 0.375 0.375 0.375 0.500 0.500 0.500 0.500 0.500 0.500 0.500 0.500 0.500 0.500 0.500 0.500 0.500 0.625 0.625 0.625 0.625 0.625 0.625 0.625 0.625 0.625 0.625 0.625 0.750 0.750 0.750 0.750 0.750 0.020 0.028 0.035 0.049 0.058 0.065 0.083 0.020 0.028 0.035 0.049 0.058 0.065 0.072 0.083 0.095 0.109 0.028 0.035 0.049 0.058 0.065 0.072 0.083 0.095 0.109 0.120 0.134 0.148 0.188 0.028 0.035 0.049 0.058 0.065 0.072 0.083 0.095 0.109 0.120 0.134 0.035 0.049 0.058 0.065 0.072 0.210 0.194 0.180 0.152 0.134 0.120 0.084 0.335 0.319 0.305 0.277 0.259 0.245 0.231 0.209 0.185 0.157 0.444 0.430 0.402 0.384 0.370 0.356 0.334 0.310 0.282 0.260 0.232 0.204 0.124 0.569 0.555 0.527 0.509 0.495 0.481 0.459 0.435 0.407 0.385 0.357 0.680 0.652 0.634 0.620 0.606 1010 2150 3100 3950 5750 6900 7800 9950 1400 2000 2550 3650 4450 5000 5600 6550 7600 8750 1500 1850 2700 3250 3650 4100 4800 5550 6450 7200 8050 8950 11050 1150 1500 2100 2550 2850 3200 3750 4350 5050 5600 6350 1200 1750 2100 2350 2650 1021 2600 3700 4750 6900 8300 9350 11950 1700 2400 3050 4400 5350 6000 6700 7900 9100 10500 1800 2200 3250 3900 4400 4900 5750 6650 7750 8650 9650 10750 13250 1400 1800 2500 3050 3400 3850 4500 5200 6050 6700 7600 1450 2100 2500 2800 3200 0.750 0.750 0.750 0.750 0.750 0.750 0.750 1.000 1.000 1.000 1.000 1.000 1.000 1.000 1.000 1.000 1.000 1.250 1.250 1.250 1.250 1.250 1.250 1.250 1.250 1.250 1.250 1.500 1.500 1.500 1.500 1.500 1.500 1.500 1.500 1.500 1.500 1.500 2.000 2.000 2.000 2.000 2.000 2.000 2.000 2.000 0.083 0.095 0.109 0.120 0.134 0.148 0.188 0.065 0.072 0.083 0.095 0.109 0.120 0.134 0.148 0.156 0.188 0.072 0.083 0.095 0.109 0.120 0.134 0.148 0.156 0.188 0.220 0.065 0.072 0.083 0.095 0.109 0.120 0.134 0.148 0.156 0.188 0.220 0.083 0.095 0.109 0.120 0.134 0.148 0.156 0.188 0.584 0.560 0.532 0.510 0.482 0.454 0.374 0.870 0.856 0.834 0.810 0.782 0.760 0.732 0.704 0.688 0.624 1.106 1.084 1.060 1.032 1.010 0.982 0.954 0.938 0.874 0.810 1.370 1.356 1.334 1.310 1.282 1.260 1.232 1.204 1.188 1.124 1.060 1.834 1.810 1.782 1.760 1.732 1.704 1.688 1.624 D. E. Parede D. I. tubo pol. tubo pol. pol. Pressão de trabalho psi SAE * 1010 1021 3050 3650 3550 4250 4150 5000 4600 5500 5200 6250 5800 7000 7500 9000 1750 2100 1950 2350 2250 2700 2600 3100 3000 3600 3350 4000 3800 4550 4200 5050 4450 5350 5500 6600 1500 1800 1750 2100 2050 2450 2350 2800 2650 3200 2950 3550 3300 3950 3500 4200 4300 5150 5100 6100 1150 1400 1250 1500 1450 1750 1700 2050 1950 2350 2150 2600 2450 2950 2700 3250 2850 3400 3500 4200 4150 5000 1100 1300 1250 1500 1450 1750 1600 1900 1800 2150 2000 2400 2100 2500 2550 3050 4 4 4 5 5 6 6 6 6 6 8 8 8 8 10 10 10 10 10 12 12 12 12 12 12 14 14 14 14 14 14 14 15 15 15 15 15 16 16 16 16 16 18 18 18 18 0.5 0.75 1.0 0.8 1.0 0.75 1.0 1.5 2.0 2.25 1.0 1.5 2.0 2.5 1.0 1.5 2.0 2.5 3.0 1.0 1.5 2.0 2.5 3.0 3.5 1.0 1.5 2.0 2.5 3.0 3.5 4.0 1.0 1.5 2.0 2.5 3.0 1.0 1.5 2.0 2.5 3.0 1.0 1.5 2.0 2.5 3.0 2.5 2.0 3.5 3.0 4.5 4.0 3.0 2.0 1.5 6.0 5.0 4.0 3.0 8.0 7.0 6.0 5.0 4.0 10.0 9.0 8.0 7.0 6.0 5.0 12.0 11.0 10.0 9.0 8.0 7.0 6.0 13.0 12.0 11.0 10.0 9.0 14.0 13.0 12.0 11.0 10.0 16.0 15.0 14.0 13.0 D. E. Parede D. I. tubo mm tubo mm mm Pressão de trabalho bar DIN 2391 St37.4 NBK 313 409 522 376 432 333 389 549 692 757 333 431 549 658 282 373 478 576 666 235 353 409 495 576 651 201 302 403 434 507 676 641 188 282 376 409 478 176 264 353 386 452 157 235 313 392 18 20 20 20 20 20 20 22 22 22 22 22 25 25 25 25 25 25 28 28 28 28 28 28 30 30 30 30 30 35 35 35 35 35 35 38 38 38 38 38 38 42 42 42 50 50 3.0 1.5 2.0 2.5 3.0 3.5 4.0 1.0 1.5 2.0 2.5 3.0 2.0 2.5 3.0 4.0 4.5 5.0 1.5 2.0 2.5 3.0 4.0 5.0 2.0 2.5 3.0 4.0 5.0 2.0 2.5 3.0 4.0 5.0 6.0 2.5 3.0 4.0 5.0 6.0 7.0 2.0 3.0 4.0 6.0 9.0 12.0 17.0 16.0 15.0 14.0 13.0 12.0 20.0 19.0 18.0 17.0 16.0 21.0 20.0 19.0 17.0 16.0 15.0 25.0 24.0 23.0 22.0 20.0 18.0 26.0 25.0 24.0 22.0 20.0 31.0 30.0 29.0 27.0 25.0 23.0 33.0 32.0 30.0 28.0 26.0 24.0 38.0 36.0 34.0 38.0 32.0 D. E. Parede D. I. tubo mm tubo mm mm Pressão de trabalho bar DIN 2391 St37.4 NBK 409 212 282 353 373 426 478 128 192 266 320 385 226 282 338 394 437 478 151 201 252 302 403 434 188 235 282 376 409 161 201 242 322 403 419 186 223 297 371 390 446 134 201 269 338 437

Fator de segurança 4:1 SAE: J524, J525, J356, J2467 e J2435

Fator de segurança 4:1 SAE: J524, J525, J356, J2467 e J2435

Fator de segurança 4:1

Fator de segurança 4:1

3

Parker Hannifin Ind. Com. Ltda. Jacareí, SP - Brasil

Manual de treinamento Conexões para tubos de alta pressão

Triple-Lok - JIC 37°

Vedação

Triple-Lok - SAE JIC 37° • Catálogo 4300 Parker Industrial Tube Fittings. • Sede de vedação tipo tubo flangeado JIC 37°. • Normas construtivas: SAE J514 e ISO 8434-2. • Tipo de vedação: metal / metal. • Montagem com tubos trefilados com ou sem costura. • Materiais disponíveis: aço carbono, aço inox 316 e latão. • Dimensões básicas: - Encaixes de chaves em polegada, para tubos em polegada. - Encaixes de chaves em milímetro, para tubos em milímetro.

Tubo pol. Tubo mm

Anilha mm

Anilha pol.

Porca universal

Corpo universal

Mangueira

Conexão de mangueira

Bitolas de tubos disponíveis
Bitola -2 Ø externo pol. 1/8 Ø externo mm Pressão Carbono 7500 Trabalho Inox 9000 em psi Latão 3250 -3 3/16 7500 9000 3250 -4 1/4 6 7500 9000 3250 -5 5/16 8 6000 7200 3250 -6 3/8 10 6000 7200 3250 -8 1/2 12 6000 7200 3250 -10 5/8 15, 16 5000 6000 3250 -12 3/4 18, 20 5000 6000 3250 -14 -16 -20 7/8 1 1.1/4 22 25 28, 30, 32 5000 4000 4000 6000 4800 4800 2600 2600 -24 1.1/2 38 3000 3600 -32 2 2000 2400

• Aplicação em circuitos hidráulicos MOBIL e INDUSTRIAIS com boa resistência à vibrações e variações térmicas.

Preparação do tubo
Ø

1
L
• Calcule o comprimento do tubo antes de cortá-lo considerando a cota “L”.

2
• Nos casos onde a extremidade do tubo é curva, assegure um mínimo de extremidade reta. h = altura da porca H = 2xh (mínimo) • Mantenha a extremidade do tubo reta por no mínimo a cota “L1”. • Esta consideração é válida para tubo flangeado pelo processo Parflange, em função da castanha de flangeamento. Ver catálogo 4300.

3
• Corte o tubo no esquadro. • Tolerância máxima de ± 1°. • Utilize a ferramenta manual de corte de tubos AV 6/42. • Não utilize cortador tipo rolo.

4
• Rebarbe o tubo interna e externamente, eliminando partículas contaminantes geradas no processo de corte. • Chanfro máximo de 0.3mmx45°. • Ferramenta: 226A. • Rebarbamento e limpeza interna do tubo são essenciais para obter-se uma boa qualidade na superfície de vedação.

4

Parker Hannifin Ind. Com. Ltda. Jacareí, SP - Brasil

30 20.20 Causa: Ferramenta inapropriada por desgaste ou seleção incorreta.70 Máximo 9.40 58.30 12. Jacareí.1/2-12 Diâmetro flange em mm Mínimo 8.1/16-12 1.1/4 1.90 31.00 9. 15. Ltda. externo do tubo mm 6 8 10 12 14. SP .70 10.Brasil .90 17.20 24. Com.1/2 2 Rosca UNF/UN 7/16-20 1/2-20 9/16-18 3/4-16 7/8-14 1.Manual de treinamento Conexões para tubos de alta pressão Triple-Lok .70 35.5/8-12 1.30 61. Ferramentas Parker para formação da sede de vedação JIC 37° 1 . 32 35 e 38 50 pol.30 28.JIC 37° Formação da sede de vedação expandindo-se a extremidade do tubo Bitola conexão -4 -5 -6 -8 -10 -12 -14 -16 -20 -24 -32 Diâ.90 45.Ferramentas para alta produção Hydra . 16 18.3/16-12 1.Tool Parflange 1025 EOMAT III KarryFlare EO-KARRyMAT 5 Parker Hannifin Ind.Ferramentas manuais 210A Combination Flarer Vise Block 2 .5/16-12 1.80 41.90 22.70 27.30 25. 1/4 5/16 3/8 1/2 5/8 3/4 7/8 1 1.00 38. 30.70 17.20 14.7/8-12 2.50 11. 20 22 25 28.

FFFT (Flats From FInger Tight) = faces (do sextavado) após aperto manual. 16 18. corpo + anel O (ORB-O’ring Boss). rosca macho Conexão curva 90° longa. Como requisitar conexões Triple-Lok • Conexões de padrão americano cônica NPT / NPTF.Manual de treinamento Conexões para tubos de alta pressão Montagem de conexões Triple-Lok . com rosca macho Bitola da rosca macho: -6 = 9/16-18 UNF-ORB Bitola do tubo: -8 = 8/16 = 1/2" (rosca 3/4-16 UNF) 6 Parker Hannifin Ind. com rosca macho central Conexão curva 45°. rosca macho Conexão curva 90° extra longa. tubo pol 1/4 5/16 3/8 1/2 5/8 3/4 7/8. B = latão Definição de conexão Triple-Lok Rosca NPTF Conexão macho reta Conexão curva 90° curta. B = latão Definição de conexão Triple-Lok Anel “O” em borracha nitrílica Rosca UNF/UN com sede SAE J1929 Conexão reta Conexão reta longa Conexão curva 90° curta Conexão curva 90° longa Conexão Tee.E. 8 . com rosca macho lateral Conexão Tee. SS = aço inox 316. somente corpo da conexão. 1 1-1/4 1-1/2 - 2 Rosca UNF/UN 7/16x20 1/2x20 9/16x18 3/4x16 7/8x14 1-1/16x12 1-5/16x12 1-5/8x12 1-7/8x12 2-1/4x12 2-1/2x12 Torque Fêmea Nm giratória FFFT 15 20 45 60 75 100 150 180 200 220 250 2 2 1-1/4 1 1 1 1 1 1 1 1 Porca de tubo FFFT 2 2 1-1/2 1-1/2 1-1/2 1-1/4 1 1 1 1 1 • Rosqueie manualmente a porca até encontrar resistência. 15. rosca macho central Conexão curva 45°. SS = aço inox 316. 8-8 F T X . 20 22. rosca macho Bitola da extremidade com rosca NPTF: -8 = 8/16 = 1/2" Bitola da extremidade tubo (JIC): -8 = 8/16 = 1/2" (rosca 3/4-16 UNF) • Conexões com rosca paralela macho UNF/ UN. rosca macho Conexão Tee. 25 30.Brasil . 32 38 42 - D.JIC 37° Triple-Lok . tubo mm 6 8 10 12 14. rosca macho lateral Conexão Tee. SP . Os torques de montagem acima são para conexões em aço carbono sem lubrificação. Ltda.S S X T F C CC CCC R S V 8 8 S = aço carbono.E.6 F 5OX-S S X O 5 F FF C CC R S V 6 8 S = aço carbono. Jacareí. Com.JIC 37° Tabela de montagem rosca UNF / UN Bitola 1 D. 2 4 5 6 8 10 12 16 20 24 28 32 • Aplique o torque recomendado conforme tabela ao lado.

15. 1/8 3/16 1/4 5/16 3/8 1/2 5/8 3/4 7/8 1 1 1/4 1 1/2 2 mm 6 8 10 12 14.JIC 37° • Conexões padrão europeu. conforme figura no catálogo. Ltda. Porca Anilha Código 2 BTX-S 3 BTX-S 4 BTX-S 5 BTX-S 6 BTX-S 8 BTX-S 10 BTX-S 12 BTX-S 20-12 BTX-S 14 BTX-S 16 BTX-S 20 BTX-S 24 BTX-S 32 BTX-S Bitola do tubo pol. 50 Rosca UNF / UN 5/16-24 3/8-24 7/16-20 1/2-20 9/16-18 3/4-16 7/8-14 1 1/16-12 1 1/16-12 1 3/16-12 1 5/16-12 1 5/8-12 1 7/8-12 2 1/2-12 Código TXS6 5 TX-S TXS10 TXS12 TXS14 TXS15 10 TX-S TXS18 20-12 TX-S TXS22 TXS25 TXS28 TXS30 TXS32 TXS35 24 TX-S Bitola do tubo mm 6 8 10 12 14 15 16 18 20 22 25 28 30 32 35 38 Código 2 TX-S 3 TX-S 4 TX-S 5 TX-S 6 TX-S 8 TX-S 10 TX-S 12 TX-S 14 TX-S 16 TX-S 20 TX-S 24 TX-S 32 TX-S Bitola do tubo pol. Fornecidas somente na forma standard. Com. 38 42. 1/8 3/16 1/4 5/16 3/8 1/2 5/8 3/4 7/8 1 1 1/4 1 1/2 2 7 Parker Hannifin Ind. 32 35. sede DIN 3852-2 - formato E Anel O (O-Ring). Jacareí. sede DIN 3852-2 - formato E Sextavado com encaixe de chave métrica Rosca BSPT Conexão reta com rosca macho • Porcas e anilhas avulsas. SP . 30. sede ISO 6149 Anel O (O-Ring). sede DIN 3852-2 - formato G Conexão macho reta. sede DIN 3852-2 - formato G Anel ED Rosca BSPP. Forma standard. com anel de retenção Rosca métrica paralela. 8-8F3MXS M 3 F 8-8F42EDMXS ED 42 8-8F4OMXS O 4 8M18F82EDMXS ED 82 8M18F8OMXS O 8 F M18 8 8M18F87OMXS O 87 Anel O (o’ring) Rosca métrica paralela. 16 18 20 22 25 28.Brasil . com anel de retenção Rosca BSPP.5 Bitola do tubo -8 = 8/16 = 1/2" Anel ED Rosca métrica. Rosca métrica M18x1. conforme figura no catálogo.Manual de treinamento Conexões para tubos de alta pressão Triple-Lok .

A sede de vedação da conexão está deformada.JIC 37° Soluções Alinhe a sede de vedação do tubo sobre a sede de vedação da conexão antes de apertar a porca. Use tubo trefilado sem costura ou tubo com costura de boa qualidade. Providencie o uso de braçadeiras próximas da junção entre o tubo e a conexão. Vibrações excessivas podem causar afrouxamento da porca nas conexões com sede de vedação 37°. Retrabalhe a sede de vedação. Tubos com costura de baixa qualidade promovem imperfeições na sede de vedação causando vazamento. a fim de reduzir a vibração sobre as sedes de vedação. Assegure-se que o tubo tenha sido dobrado no ângulo apropriado. Não force o tubo para alinhá-lo contra a sede de vedação da conexão. Imperfeições na superfície interna da sede de vedação do tubo causam vazamento entre as sedes de vedação da conexão e o tubo. Retrabalhe a extremidade do tubo refazendo nova sede. SP . As conexões com sede de vedação 37° são sensíveis ao aperto excessivo. As conexões com sede de vedação 37° são sensíveis às remontagens sucessivas e manuseio impróprio. 8 Parker Hannifin Ind. Aperto da porca não apropriado. A sede de vedação. podem ser evitados com o uso de protetores até a instalação da conexão. Sede de vedação do tubo com flange excessiva ou insuficiente. Use duas chaves durante a montagem Inspecione as sedes de vedação do tubo e da conexão. Extremidade do tubo não rebarbada ou limpa adequadamente antes da formação da sede de vedação. tais como EO2 ou Seal-Lok. Ltda. O reaperto da porca somente agravará o vazamento.Manual de treinamento Conexões para tubos de alta pressão Problemas Desalinhamento do tubo. Problemas na ferramenta de formação da sede de vedação podem causar imperfeições na superfície da sede de vedação. Se o vazamento persistir. Não use cortador de tubos com discos rotativos em tubos de aço carbono ou inox. Para evitar esse tipo de problema. tubo com dureza excessiva ou preparação imprópria da extremidade podem causar trincas ao longo da sede de vedação do tubo. siga rigorosamente os diâmetros mínimo e máximo do flange da sede de vedação. A porca constantemente se afrouxa.Brasil . Problemas causados por batidas contra a sede de vedação durante o manuseio. Saliências ou marcas na superfície interna da sede de vedação do tubo. Triple-Lok . Imperfeições na sede de vedação da conexão. Trinca ao longo da sede de vedação do tubo. Tubo de baixa qualidade. Considere o uso de conexões com sede de conexão macia. Reaperte a porca aplicando o torque apropriado ou o método FFFT para assegurar uma montagem perfeita. poderá ser um dos problemas abaixo listados. Jacareí. uma vez deformada por aperto excessivo. Com. reduz a capacidade de vedação. pois esse tipo de cortador causa encruamento da extremidade do tubo. indicados no catálogo Parker 4300 - Industrial Tube Fittings. Substitua a conexão e aperte-a utilizando o torque apropriado ou o método FFFT. eliminando as imperfeições.

Jacareí.Manual de treinamento Conexões para tubos de alta pressão Triple-Lok . Com. Ltda. SP .JIC 37° 9 Parker Hannifin Ind.Brasil .

SP . Com. Ltda. Jacareí.JIC 37° 10 Parker Hannifin Ind.Manual de treinamento Conexões para tubos de alta pressão Triple-Lok .Brasil .

Com. SP . 9 - Especifique uma conexão reta em aço carbono para tubo de 10 mm e rosca macho BSPP de 1/4” para trabalhar com pressão de 5500 psi. 7 - Especifique uma conexão Tê macho lateral para tubo de 10 mm. com sede JIC 37°. com sede macho JIC 37° para tubo de 1/2" e rosca macho de 3/8" NPTF na outra extremidade. 4 - Especifique uma conexão Tê união macho em aço inox. 2 - Especifique uma conexão reta em aço carbono. 6 - Especifique uma conexão reta em aço carbono.Brasil . cuja rosca é de 3/4"-16 UNF fios.JIC 37° 1 - Especifique uma conexão reta de aço carbono. com sede macho JIC 37° para tubo de 3/4" e rosca macho 3/4"-16 UNF fios com sede para anel O (O-Ring Boss) na outra extremidade.Manual de treinamento Conexões para tubos de alta pressão Exercícios propostos Triple-Lok . Ltda. 5 - Especifique uma conexão Tê macho central ISO 6149 para tubo de 20 mm e rosca M27x2. Jacareí. rosca BSPP de 1/4” em aço carbono para trabalhar com pressão de 4500 psi. 11 Parker Hannifin Ind. 8 - Especifique uma conexão inox. com sede macho JIC 37° para tubo de 3/4" e rosca macho 7/8"-14 UNF fios com sede para anel O (O-Ring Boss) na outra extremidade. curva 90° para montagem em painel ligando tubo de 1/4” e tubo de 3/8”. 3 - Especifique uma conexão reta em aço carbono. com sede macho JIC 37° para tubo de 12 mm e rosca macho 3/8" BSPT na outra extremidade.

Ø externo mm Pressão trabalho em psi -4 1/4 6 9200 9200 -6 3/8 8 e 10 9200 9200 -8 1/2 12 9200 9200 -10 5/8 14. SP . • Montagem com tubos trefilados com ou sem costura. em função da castanha de flangeamento. dependendo do tipo de flange a ser construída na extremidade do tubo.1/2 35. assegure um mínimo de extremidade reta.Encaixes de chaves em polegada para tubos em polegada. Na versão em aço inox é aprovada pela AGA norma 125-AGA1-85 para aplicação em circuitos de Gás Natural Veicular - GNV. 38 5000 5000 -32 2 3000 3000 Carbono Inox Pressão dinâmica coeficiente de segurança 4:1. 3 • Corte o tubo no esquadro. • Utilize a ferramenta manual de corte de tubos AV 6/42. Seal-Lok . • Normas construtivas: . 16 6000 6000 -12 3/4 18. 2 • Nos casos onde a extremidade do tubo é curva. 15. Ltda. • Aplicações em circuitos INDUSTRIAIS e MOBIL.ISO 8434-3 para tubos em milímetros • Tipo de vedação: metal / borracha (vedação macia). • Esta consideração é válida para tubo flangeado pelo processo Parflange.face plana com anel “O” • Catálogo 4300 Parker Industrial Tube Fittings • Sede de vedação tipo frontal com anel O (O-Ring Face Seal). 30. Tubo soldado mm ou pol.Encaixes de chaves em milímetros para tubos em milímetros. • Não utilize cortador tipo rolo. com excelente resistência à vibrações e variação térmica. Ver catálogo 4300. Excelente permeabilidade na condução de gases. 12 Parker Hannifin Ind. 32 6000 6000 -24 1. 20 6000 6000 -16 1 25 6000 6000 -20 1. Com. • Dimensões básicas: . h = altura da porca H = 2xh (mínimo) • Mantenha a extremidade do tubo reta por no mínimo a cota “L1”.1/4 28.Brasil . .Manual de treinamento Conexões para tubos de alta pressão Seal-Lok Face plana com anel “o” Tubo flangeado mm ou pol. Preparação do tubo 1 • Calcule o comprimento do tubo antes de cortá-lo considerando a cota “L”. • Esta consideração é válida para tubo flangeado pelo processo Parflange.SAE J1453 para tubos em polegada . • Rebarbamento e limpeza interna do tubo são essenciais para obter-se uma boa qualidade na superfície de vedação. Jacareí. • Chanfro máximo de 0. Porca universal Corpo universal Mangueira Conector giratório Bitolas de tubos disponíveis Bitola Ø externo pol. eliminando partículas contaminantes geradas no processo de corte. • Ferramenta: 226A.3 mmx45°. 4 • Rebarbe o tubo interna e externamente. • Tolerância máxima de ± 1°.

. Seal-Lok Face plana com anel “o” Flange para solda TL Anel de brazagem SBR Inspecionar os pontos acima indicados. Inconveniências deste processo: A - O processo é moroso. pois para cada diâmetro externo de tubo e espessura de parede.Capacidade: 1/4" a 1 1/2" (6 a 38 mm) Aço carbono/inox Ciclo total de 15 a 20 segundos 13 Parker Hannifin Ind.Brasil .1050 Nota importante: As ferramentas. matrizes e pinos.1 kw Alimentação pneumática de 80 a 120 psi . Vantagens do processo Parflange: A - Tempo de formação da sede. Jacareí. normalizado pelo SAE. B - Não requer processo de limpeza adicional. de 8 a 12 segundos dependendo da bitola do tubo.Portátil: 1025/110 - 110V-60Hz monofásico 1025/440 - 440V-60Hz trifásico . assegurando-se que a solda tenha preenchido toda a circunferência do tubo. Com. Equipamentos Parflange . ou deformação excessiva da gola provocada pela utilização de ferramentas não apropriadas. Anilha de ancoragem TPL Inspecionar a região acima indicada.Estacionário: 440-60Hz Trifásico - 5. são as mesmas para os modelos 1025 e 1050.1025 . Pelo exclusivo processo Parflange de deformação mecânica do tubo. especialmente na parte interna do tubo. SP . a fim de certificar-se que não há microfissuras provocadas pela baixa qualidade do tubo. B - O processo requer limpeza rigorosa. deverá ser utilizado um jogo específico de matriz e pino. tornando-se inviável para produção em alta escala. Acabamento da sede perfeito.Capacidade: 1/4" a 1 1/2" (6 a 35 mm) aço carbono 1/4" a 1" (6 a 25 mm) aço inox .Manual de treinamento Conexões para tubos de alta pressão Formação da sede de vedação Pelo processo soldado. Ltda.

E. 30. 8-8 F L O-S S O L F 8 8 S = aço carbono. corpo + anel “O” .ORB 8-10 F5OLO-S S O L O 5 F 10 8 S = aço carbono. Jacareí. 8 = 8/16" = 1/2" (rosca desta extremidade 13/16-16 fios UNF-2A) • Conexões com rosca macho métrico ou BSPP.16 18. Com.Manual de treinamento Conexões para tubos de alta pressão Seal-Lok Face plana com anel “o” Montagem de conexões Seal-Lok . tubo mm 6 10 12 14. 8 = 8/16" = 1/2" (rosca desta extremidade) 13/16-16 fios UNF -2A • Conexões com rosca macho UNF/ UN. 4 6 8 10 12 16 20 24 3 • Aplique o torque recomendado conforme tabela ao lado. sede DIN 3852-2 - Formato G Sextavado do corpo da conexão em mm Anel de vedação da rosca BSPP em borracha nitrílica (NBR).Brasil . 38 D. SP . SS = aço inox 316 Anel “O” da extremidade Seal-Lok em borracha nitrílica (NBR) Conexão Seal-Lok Anel “O” da extremidade com rosca macho UNF sede O-Ring Boss Rosca UNF sede O-Ring Boss Conexão macho reta Bitola da rosca macho UNF sede O-Ring Boss. FFWR (Flats From Wrench Resistance) = Faces (do sextavado) após aperto com chave de boca. -10=10/16"=7/8-14 fios UNF-2A Bitola do tubo. -8 = 8/16" = 1/2 NPT Bitola do tubo. Bitola do tubo -8 = 8/16 = 1/2" ou 12 mm 14 Parker Hannifin Ind. 20 22. Rosca BSPP com alojamento para vedação com anel ED. SS = aço inox 316 Anel “O” da extremidade Seal-Lok em borracha nitrílica (NBR) Conexão Seal-Lok Conexão reta com rosca macho NPTF Bitola da rosca macho NPTF.E. 32 35. 8-8F42EDMLOS M ED 42 8 8 8-8F4OMLOS O 4 Anel O com anel de retenção anti-extrusão Rosca BSPP.face plana com anel "o" Tabela de montagem rosca UNF / UN Bitola D. Os torques de montagem acima são para conexões em aço carbono sem lubrificação na rosca. 15. 2 • Rosqueie com chave a porca até encontrar resistência. tubo pol 1/4 5/16 1/2 5/8 3/4 1 1-1/4 1-1/2 Rosca pol 9/16x18 11/16x16 13/16x16 1x14 1-3/16x12 1-7/16x12 1-11/16x12 2x12 Torque Nm 25 55 80 115 130 150 190 245 Fêmea giratória FFWR 1/4 - 1/2 1/4 - 1/2 1/4 - 1/2 1/4 - 1/2 1/4 - 1/2 1/4 - 1/2 1/4 - 1/2 1/4 - 1/2 Porca de tubo FFWR 1/2 - 3/4 1/2 - 3/4 1/2 - 3/4 1/2 - 3/4 1/3 - 1/2 1/3 - 1/2 1/3 - 1/2 1/3 - 1/2 1 • Lubrifique o anel “O“ com fluido do sistema ou lubrificante compatível. corpo + anel. Como requisitar conexões Parker Seal-Lok • Conexões com rosca macho NPT / NPTF. Ltda. Bitola da rosca BSPP -8 = 8/16 = 1/2". 25 28.

Bitola do tubo: -6 = 6/16" = 3/8" Bitola da conexão: -8 = 8/16" = 1/2" Conexão união de solda Anel O em borracha nitrílica Conexão Seal-Lok Bitola do tubo e consequentemente bitola da conexão 15 Parker Hannifin Ind. Com. curva 90° • Componentes avulsos para tubos em polegada. DIN 3852/2 e ISO 1179 Conexão macho. sede ISO 6149 8M18C8OMLOS 8O C 8-8C4OMLOS 4O C Rosca BSPP. SP . conforme figura no catálogo: 8 BL-S S L B 8 S = aço carbono. SS = aço inox 316 Conexão Seal-Lok Porca Bitola do tubo: -8 = 8/16" = 1/2" 8 TL-S TL 8 8-6 TL-S 6 8 Bitola do tubo: -6 = 6/16" = 3/8" Bitola da conexão: -8 = 8/16" = 1/2" Flange para solda Bitola do tubo e consequentemente bitola da conexão 8 LOHB3-S HB3 O L 8 8-6 LOHB3-S 6 8 8 SBR SBR 8 8 SBR-SS SS Material do anel de solda. sede de vedação com anel O e anel metálico anti-extrusão. sede de vedação com anel O e anel metálico anti-extrusão. DIN 3852/2 e ISO 1179 Conexão macho. Ltda. Jacareí. indicado para soldar flange Seal-Lok (TL) em tubo de aço carbono e cobre Bitola do tubo: -8/16" =1/2". sede DIN 3852-2 - formato G Conexão macho reta Rosca métrica M18x1.Manual de treinamento Conexões para tubos de alta pressão 8M18F82EDMLOS ED 82 8M18F8OMLOS O 8 F M18 8 8M18F87OMLOS Seal-Lok Face plana com anel “o” Anel ED Rosca métrica. Forma Standard.Brasil . curva 90° Rosca métrica.5 Bitola do tubo -8 = 8/16 = 1/2" ou 12 mm O 87 Anel O Rosca métrica. indicado para soldar flanges (TL) em aço inox Silver Braze Ring (anel de solda por brazagem). sede DIN 3852-2 - formato E Anel O com anel de retenção anti-extrusão Rosca métrica.

SS = aço inox (sob consulta) Conexão Seal-Lok Sextavado da porca com encaixe de chave métrica Porca Bitola do tubo. ver catálogo 4300. sob consulta Conexão Seal-Lok Flange para solda S = aço carbono. 8-8 F5OLO-S-V0894 - Conexão em aço carbono com anéis de vedação composto de FKM V0894.Brasil . 12 mm S = aço carbono. forma standard de fornecimento para as conexão em aço carbono ou em aço inox Código SAE que define diâmetro interno e secção transversal do anel O 2-014-V0894 V0894 2-014-N0756 N0756 Composto de borracha nitrílica dureza 75 shore A. forma opcional. SS= aço inox não standard. forma opcional de fornecimento para as conexões em aço carbono ou aço inox Exemplos de especificações das conexões Seal-Lok fornecidas com anéis de vedação 8-8 F5OLO-S - Conexão em aço carbono com anéis de vedação composto de borracha nitrílica N0552. SS = aço inox (sob consulta) Anilha de ancoragem para formação do flange pelo processo mecânico Parflange 16 Parker Hannifin Ind. -8 = 8/16" = 1/2" ou 12 mm Marca de identificação conexão em milímetro 8-12MMLOHB3S S HB3 O L 12MM 8 SBR 12 12 SBR SBRSS12 SS TPLS12 Material do anel de solda. Composto de borracha nitrílica dureza 90 shore A. SP . forma opcional de fornecimento para conexões em aço carbono ou aço inox destinados a conduzir Gás Natural Comprimido Composto de FKM dureza 90 shore A. Jacareí. 12 mm S = aço carbono. forma opcional.Manual de treinamento Conexões para tubos de alta pressão 8 TPL-S TPL Seal-Lok Face plana com anel “o” Anilha de ancoragem para formação do flange pelo processo mecânico Parflange 2-014-N0552 N0552 2-014 Nota importante: Para mais informações sobre os compostos dos anéis de vedação e sua compatibilidade química. indicado para soldar flanges (TL) em inox Bitola do tubo 12 mm Silver Braze Ring (Anel de Solda por Brazagem). • Componentes avulsos para tubos métricos. SS = aço inox não standard. Forma standard. indicado para soldar flanges Seal-Lok (TL) em tubos de aço carbono e cobre S = aço carbono. Forma standard. sob consulta Conexão união de solda Anel O em borracha nitrílica Conexão Seal-Lok Bitola do tubo a ser soldado Bitola da conexão lado Seal-Lok Marca de identificação conexão em milímetro 12 S TPL Bitola do tubo. Com. Ltda. conforme figura no catálogo: 8BMLS S L M B 8 TLS 12 12 S L T Bitola do tubo. 8-8 F5OLO-S-N0756 - Conexão em aço carbono com anéis de vedação composto de borracha nitrílica N0756.

Nos casos em que o tubo possua a extremidade curva. bem como na versão em FKM. Os anéis O recomendados possuem dureza de 90 shore A. Somente nas aplicações com Gás Natural Veicular os anéis deverão ser de borracha Nitrílica com dureza de 75 shore A. porém não podem compensar imperfeições grosseiras. mordido ou falta o anel. Para evitar este tipo de problema e efetuar a operação de sangria do sistema com segurança. este poderá estar sendo causado por alguma ou a combinação de algumas causas abaixo listadas. SP . Desalinhamento ou montagem imprópria. Troque o anel O e verifique os seguintes pontos: - Alinhamento da flange do tubo contra a face de vedação da conexão. alinhe a flange da extremidade do tubo contra a face da conexão e segure até que a porca tenha sido totalmente apertada com a mão. Em seguida. poderão causar extrusão do anel O se a porca não estiver devidamente apertada. e este caso ocorre quando a temperatura na face de vedação do flange está maior que a temperatura da parte inferior do flange. tanto na versão em borracha Nitrílica. Com. Jacareí. escova de aço ou lixa. Portanto. As conexões com sede de vedação metal/borracha podem tolerar pequenas imperfeições na sede de vedação. . assegure-se de que o tubo tenha sido curvado no ângulo apropriado. Remova a flange e solde uma nova flange. Tenha certeza que o anel O esteja dentro do alojamento enquanto a porca está sendo apertada. eliminar o ar da linha diretamente através da conexão. - Picos de pressão superiores a 133% da pressão máxima de trabalho da conexão. Para tanto. a fonte de calor deverá ser deslocada para a parte inferior do flange. 17 Parker Hannifin Ind. Anel O extrudado. Ltda.Manual de treinamento Conexões para tubos de alta pressão Problemas Vazamento através da face da sede de vedação. o tubo e a flange deverão estar na posição vertical com a sede de vedação para cima. alinhe a extremidade do tubo que possui o flange contra a face da conexão Seal-Lok que possui o anel O de vedação frontal. quando a solda começar a fluir. Em seguida. Conexão danificada.Brasil Aperto impróprio da porca. Use um novo e instale-o no canal existente na face da conexão. Segure o tubo contra a face da conexão e rosqueie a porca até encontrar resistência. aperte-a com chave. Filetes de rosca batidos ou danificados poderão causar uma falsa sensibilidade de aperto da conexão. a fim de que a solda possa escorrer uniformemente para parte inferior. A solda escorreu sobre a sede de vedação. A operação de sangrar o circuito. Aperte a porca aplicando o torque recomendado ou utilize o método FFWR. Verifique o aperto da porca e reaperte-a utilizando o torque especificado. ou utilize o método FFWR. Não tente remover a solda escorrida com processo de jato de areia. Anel O mordido. Anel O não recomendado. Verifique e substitua a conexão se necessário. IMPORTANTE: Ao efetuar o processo de solda. Se o vazamento persistir. tais como: riscos profundos. instale no circuito as conexões FNLBA ou PNLOBA. Tenha certeza de que o anel O que está sendo utilizado possui as dimensões e dureza especificadas. poderá deslocar o anel O de dentro do alojamento e provocar a mordida no anel quando do aperto da porca ou da conexão. aplique o torque recomendado ou utilize o método FFWR. aplicando o torque recomendado ou o método FFWR. Seal-Lok Face plana com anel “o” Solução Antes de apertar a porca. Lembre-se de que a solda tende a fluir em direção onde a temperatura estiver maior. canais ou dentes. Anel O foi danificado.

Manual de treinamento Conexões para tubos de alta pressão Problemas Vazamento através da solda. preenchendo todo o alojamento. Flange de aço carbono deverá ser sempre soldado com tubo de aço carbono de boa qualidade e flange de aço inox com tubo de aço inox. possuem diferentes coeficientes de dilatação térmica e consequentemente a folga entre flange e tubo são diferentes para diferentes tipos de materiais. tanto para tubo de aço inox. O ponto chave é assegurar que o tubo e a flange atinjam temperatura de soldagem ao mesmo tempo.07 a 0. Jacareí. Folga entre o tubo e o flange. A cor vermelho-cereja da flange e do tubo indica que esta é a temperatura ideal para que o anel de solda se funda e escorra completamente no alojamento entre o flange e o tubo. Parker AWS FB3A. Fluxo impróprio ou inadequado. Temperatura de soldagem imprópria ou inadequada. não permitindo que a solda escorra livremente.8 Class B Ag 24) para aço inox ou aço carbono.8 Classe B GA-1) somente com aço carbono e Parker SBR-SS (liga AWS A5. Com. indica que o processo de solda está perfeito e a solda escorreu perfeitamente. Liga de solda imprópria. Aplique livremente sobre a flange e a extremidade do tubo a ser soldado o fluxo de cor branca.20 mm e repita o processo de solda. Não solde flange e tubo de diferentes tipos de materiais. Seal-Lok Face plana com anel “o” Solução Aplique o fluxo. Diferentes materiais. para aço carbono e o fluxo de cor preta. Limpeza imprópria e inadequada. reaqueça e remova o flange existente. Parker AWS FB3C. Alta temperatura. Flange e tubo de diferentes materiais. como para aço carbono. poderá causar precipitação do anel de solda provocando a formação de bolhas e resultando em porosidade. Utilize uma nova flange e verifique se a folga entre o diâmetro interno da flange e o diâmetro externo do tubo está entre 0. Ltda. O anel de solda Parker SBR-SS possui uma pequena quantidade de níquel na sua composição que previne a corrosão superficial quando exposto a fluidos corrosivos. Baixa temperatura poderá causar a não completa fusão do anel de solda. 18 Parker Hannifin Ind. A flange e o tubo deverão ser limpos com solução levemente alcalina. bem como queimar o fluxo. seguindo os procedimentos recomendados. Traços de oxidação deverão ser removidos com lixa isenta de óxido de alumínio. SP . A formação de um filete de 360° entre o pé da flange e a superfície externa do tubo.Brasil . Utilize o anel de solda Parker SBR (liga AWS A5.

Ltda. SP . Com. Jacareí.Brasil .Manual de treinamento Conexões para tubos de alta pressão Seal-Lok Face plana com anel “o” 19 Parker Hannifin Ind.

Manual de treinamento Conexões para tubos de alta pressão Seal-Lok Face plana com anel “o” 20 Parker Hannifin Ind. Com. SP .Brasil . Jacareí. Ltda.

com anéis de vedação em borracha Nitrílica dureza 90 shore A 5 - Especificar uma flange de solda (TL) em aço inox 316.3 - Com anéis de vedação em Nitrílica dureza 75 shore A 2 - Especificar uma conexão Seal-Lok reta em aço carbono.Manual de treinamento Conexões para tubos de alta pressão Exercícios propostos Seal-Lok Face plana com anel “o” 1 - Especificar uma conexão Seal-Lok reta em aço carbono para tubo de 3/4". com rosca macho BSPP 1/2" com anel ED 3 - Especificar uma conexão macho curva 90°.1 - Para tubo de 1/2". com anéis de vedação em borracha Nitrílica dureza 90 shore A.Para tubo de 25 mm em aço carbono 21 Parker Hannifin Ind. Jacareí. para tubo de 1/4" e conexão Seal-Lok -6 (3/8") 6 - Especificar flange de ancoragem para formação de sede de vedação pelo processo Parflange nas seguintes versões: 6. Ltda. com as mesmas características da conexão do exercício 2 4 - Especificar uma conexão Tê macho central.0 (sede ISO 6149). SP . em aço carbono.2 - Com anéis de vedação em FKM dureza 90 shore A 1.Brasil . em aço inox 6. para tubo de 20 mm e rosca macho métrica M27x2. nas seguintes versões: 1. para tubo de 15 mm. Com.2 . com rosca macho 1 1/16-12UNF (sede O-Ring Boss).1 - Com anéis de vedação em borracha Nitrílica dureza 90 shore A 1.

• Sede de vedação tipo anilha cravada. 22 Parker Hannifin Ind. foi projetada a anilha tipo D com uma aresta de corte frontal mais acentuada.DIN 2353 Corpo Conexão ponta lisa de mangueira • Catálogo 4300 Parker Industrial Tube Fittings.Manual de treinamento Conexões para tubos de alta pressão EO . Anilha D 1930 Anilha D 1956 Por volta do ano de 1956. Este tipo de conexão tinha como objetivo principal criar uma conexão de fácil instalação. juntamente com o corpo e porca até hoje existente. Conexão boleada de mangueira Bitolas de tubos disponíveis Séries construtivas Bitolas de tubos disponíveis Materiais / Anilhas Aço Aço Latão carbono inox D D D PSR PSR DPR DPR D D Série extra leve = LL Pressão trabalho . No entanto. • Montagem com tubos trefilados sem costura. • Norma construtiva: DIN 2353. SP . • Tipo de vedação metal/metal. Com. Jacareí. • Dimensões com encaixes de chave em milímetro. PSR e DPR Perfil limitador Perfil cortante secundário Perfil cortante frontal Anilha PSR Porca Tubo métrico Anilha PSR Porca EO com anilha PSR / DPR . Coeficiente de segurança 4:1 • Aplicações em circuitos hidráulicos INDUSTRIAIS com boa resistência à vibrações e variações térmicas. em milímetro.Brasil . este tipo de anilha pouco penetrava no tubo. pois não possuia uma aresta de corte frontal acentuada que facilitasse essa ação. Demais terminações.Anilhas D. a qual penetra mais no tubo no ato da montagem. Evolução das anilhas aplicadas nas conexões EO Projetada em 1930 pela Ermeto alemã. com o aumento das pressões de trabalho. Ltda. ver catálogo.bar 4 100 6 100 6 315 6 630 8 100 8 315 8 630 10 100 10 315 10 630 12 100 12 315 12 630 15 315 14 630 18 315 16 400 22 160 20 400 28 160 25 400 35 160 30 400 42 160 38 315 Nota: As pressões de trabalho acima indicadas são dinâmicas e para conexões com terminação em tubo. porém sem limitar o cravamento excessivo da anilha e conseqüente deformação da sede de vedação do corpo da conexão.bar Série pesada = S Pressão trabalho .bar Série leve = L Pressão trabalho . e que dispensasse o uso de ferramentas especiais para formação da sede de vedação.

• Tolerância máxima de ± 1°. aumentando assim a área de ancoragem.75 D. • Recomendação: Ferramenta manual 226A.75 D.Brasil . do tubo 4 5 6 8 10 12 14 15 16 18 20 22 25 28 30 35 38 42 Uso obrigatório do inserto Recomendado nos casos em que o tubo trabalhe com vibrações freqüentes.Manual de treinamento Conexões para tubos de alta pressão EO . a divisão EO (Ermeto Original) projetou a anilha progressiva dpr. SP . • Utilize a ferramenta manual de corte de tubos AV 6/42. mostrado acima. controle de cravamento e maior resistência à corrosão. • Não utilize cortador tipo rolo. Uso obrigatório do inserto Recomendado nos casos em que o tubo trabalhe com vibrações freqüentes. garantindo montagens mais seguras. 1 2 • Utilize o inserto VH para tubos de parede fina • Insira o inserto por dentro do tubo conforme • Com auxílio de um martelo introduza o ou metálicos macios. • Evite utilizar tubos curtos.5 1 0. já dispondo da tecnologia Parker Hannifin. também morde o tubo em dois pontos distintos. Disponível somente em aço carbono. inserto até tangenciar na extremidade do • Função de ancoragem do tubo para correto tubo. da anilha. montagem. 23 Parker Hannifin Ind.5 Parede 2 1. Com. a qual além de cravar.E.4541 3 2. Outra função importante da anilha dpr é a função mola na parte traseira da anilha que funciona como uma arruela de pressão. Nesses casos. etc. com cobre. dá ao operador uma sensação de que o torque de aperto da porca está aumentando consideravelmente. Este tipo de anilha possui também uma borda de encosto que apesar de não impedir o cravamento excessivo. Inserto de suporte VH • Mantenha a extremidade do tubo reta por no • Rebarbe o tubo interna e externamente. do tubo 4 5 6 8 10 12 14 15 16 18 20 22 25 28 30 35 38 42 Tabela de identificação de necessidade de inserto para tubos de aço inox 1. Borda corte Borda encosto Efeito Encosto mola Anilha PSR 2002 Preparação do tubo 1 2 3 • Corte o tubo no esquadro. As anilhas PSR em aço carbono têm maior robustez. cravamento da anilha. Disponível somente em aço inoxidável. alumínio. • Certifique-se que o inserto esteja bem fixado • Evita esmagamento do tubo e falha de na extremidade do tubo. evitando assim que a porca se solte facilmente com a vibração e impede que essa mesma vibração chegue até a zona de cravamento e sede de vedação. eliminando partículas contaminantes geradas evitando ovalização na área de cravamento no processo de corte.5 Parede 2 1.E. Nota: O uso de inserto é obrigatório para todos os tubos metálicos macios.4 3 2.4571 / 1.Anilhas D. Tabela de identificação de necessidade de inserto para tubos de aço carbono ST 37. Ltda. mínimo duas vezes o comprimento da porca. PSR e DPR Anilha DPR 1980 Em 1980.5 1 0. • Chanfro máximo de 0. Jacareí. utilize conexões.3mmx45°.

• Tubos com a extremidade desalinhada prejudicam o correto cravamento da anilha. 3 e 4. A face superior do cone do KONU deve estar levemente acima ou nivelado com a face superior do VOMO. repita as operações 2.: EOMAT III e KARRyMAT EO . 28 30. do tubo Código mm 6 VOMO 6-S 8 VOMO 8-S 10 VOMO10-S 12 VOMO12-S 14 VOMO14-S 16 VOMO16-S 20 VOMO20-S 25 VOMO25-S 30 VOMO30-S 38 VOMO38-S KONU . 18 20. 8 6.Calibrador de cones Diâmetro externo do tubo Série Série leve pesada 6. nunca utilize braço extensor. 8 10. Ltda. 7 30° • Aperte firmemente a porca aplicando 1/2 face do sextavado (30°). Braço extensor 5 Verficação de montagem: • Desrosqueie a porca e remova o tubo da conexão. Ex. 12 10. • Aperte a porca do tubo com chave de boca até encontrar resistência. • Mantenha o tubo pressionado durante o processo de montagem. • Verifique a profundidade de inserção de acordo com as instruções de verificação do VOMO. PSR e DPR 1 • Os cones de pré-montagem do VOMO devem ser verificados regularmente (após 50 prémontagens) com o calibrador de cones KONU. Bitola do tubo 22-L 28-L 35-L 42-L 20-S 25-S 30-S 38-S Comprimento H mm 400 500 800 1000 1200 VOMO . • A anilha pode rotacionar ou não sobre o tubo. 4 • Faça uma marcação de referência no tubo e na porca.Brasil . • Valores de torque de montagem estão disponíveis sob consulta. 25 22. Jacareí. • Monte o tubo na conexão. • Limpe e lubrifique regularmente o cone e a rosca do VOMO. do tubo Código mm 6 VOMO 6-L 8 VOMO 8-L 10 VOMO10-L 12 VOMO12-L 15 VOMO15-L 18 VOMO18-L 22 VOMO22-L 28 VOMO28-L 35 VOMO35-L 42 VOMO42-L Série pesada D. • Nesta fase. SP . • É recomendado o uso de um braço extensor para tubos de diâmetros externos acima de 18 mm (veja quadro abaixo). 2 • Prenda o VOMO na morsa com o cone de vedação voltado para cima. 12 14. 42 Código KONU 6/ 8-L/S KONU10/12-L/S KONU14/16-S KONU15/18-L KONU20/25-S KONU22/28-L KONU30/38-S KONU35/42-L 24 Parker Hannifin Ind. • Em caso de falha. Para tubos acima de 25 mm. E. 6 Montagem final: • Instale a conexão no equipamento. • Verifique se existe um colar visível em frente a primeira borda cortante da anilha. 3 • Insira firmemente o tubo até encostar no fundo do VOMO. é recomendado o uso de equipamentos próprios para cravamento da anilha.Manual de treinamento Conexões para tubos de alta pressão Pré-montagem e montagem final uso da ferramenta VOMO • • • Método confiável para serviços de reparo.Anilhas D. E. 38 35. • Aperte a porca manualmente até encontrar resistência. 16 15. Econômico somente para poucas montagens. • É recomendado o uso de um braço extensor para tubos de diâmetros externos acima de 18 mm (veja quadro ao lado). • Aperte a porca com uma chave de boca dando 1-1/2 de volta.Ferramenta de pré-montagem Série leve D. • Monte a porca e a anilha no VOMO. Com.

PSR e DPR 1 2 3 • Insira firmemente o tubo até encostar no fundo do VOMO. Bitola do tubo 22-L 28-L 35-L 42-L 20-S 25-S 30-S 38-S Comprimento H mm 400 500 800 1000 1200 25 Parker Hannifin Ind. • Monte a porca e a anilha no VOMO.: EOMAT III e KARRyMAT EO . • Tubos com a extremidade desalinhada prejudicam o correto cravamento da anilha. Ltda. • Verifique se existe um colar visível em frente a primeira borda cortante da anilha. 6 Montagem Final: • Instale a conexão no equipamento. Ex. • É recomendado o uso de um braço extensor para tubos de diâmetros externos acima de 18 mm (veja quadro ao lado). • Aperte a porca com uma chave de boca dando 1-1/2 de volta. 3 e 4. • Aperte a porca manualmente até encontrar resistência. • Lubrifique a rosca e o cone de • Prenda o VOMO na morsa com vedação para redução de o cone de vedação voltado para desgaste e força de cima. nunca utilize braço extensor. SP . • Não permitido para montagens em série. 7 30° • Aperte firmemente a porca aplicando 1/2 face do sextavado (30°).Brasil . Jacareí. • É recomendado o uso de um braço extensor para tubos de diâmetros externos acima de 18 mm (veja quadro abaixo). • Valores de torque de montagem estão disponíveis sob consulta. • Em caso de falha. • Aperte a porca do tubo com chave de boca até encontrar resistência. 4 • Faça uma marcação de referência no tubo e na porca.Anilhas D. Braço extensor 5 Verficação de Montagem: • Desrosqueie a porca e remova o tubo da conexão. repita as operações 2. é recomendado o uso do VOMO ou de equipamentos próprios para cravamento da anilha. • Nesta fase.Manual de treinamento Conexões para tubos de alta pressão Pré-montagem e montagem final montagem direta com a conexão • Método confiável para montagem única nas bitolas pequenas. montagem. • Monte o tubo na conexão. • Para tubos acima de 25 mm. Com. • A anilha pode rotacionar ou não sobre o tubo. • Mantenha o tubo pressionado durante o processo de montagem.

PSR e DPR Acabamento de superfície zincada e cromatizado em prata. porém com contra-porca. somente o corpo. Jacareí. Com. porca EODUR G12-PS/71 • Conexões com terminações tubo / tubo. SV e WSV. serão fornecidas sem porca. completas de corpo. sem porca e sem anilha Exemplos de codificação Código novo G12LLCFX G12LCFX G12SCFX G12LLMSX G12LMSX G12SMSX G12LL71X G12L71X G12S71X Série extra-leve em aço carbono Série leve em aço carbono Série pesada em aço carbono. sem anilha e contra porca.Manual de treinamento Conexões para tubos de alta pressão Como requisitar conexões EO • Conexões com terminações tubo / tubo. Ltda. porca EODUR Código Antigo G12-LL-A3C G12-PL-A3C G12-PS-A3C G12-LL/MS G12-L/MS G12-S/MS G12-LL/71 G12-PL/71 G12S71 Série pesada em aço inox Anilha DPR. sem porca e anilha. Série extra-leve em latão Série leve em latão Série pesada em latão Série extra-leve em aço inox Série leve em aço inox Série pesada em aço inox Código antigo XG12-LL-A3C XG12-L-A3C XG12-S-A3C XG12-LL/MS XG12-L/MS XG12-S/MS XG12-LL/71 XG12-L/71 XG12-S/71 Notas importantes: a) As conexões para fixação em painel. requisite na versão OMD. SP .Brasil . Código novo SV12LOMDCF WSV12LOMDCF Código antigo SV12-L-OMD-A3C WSV12-L-OMD-A3C 26 Parker Hannifin Ind. porca e anilha. G12LLCF CF MS 71 LL L S 12 G W T K SV WSV EO . quando requisitadas na versão X. b) Para requisitar as conexões SV e WSV.Anilhas D.extra titânio Série extra-leve Série leve Série pesada Bitola do tubo (diâmetro externo em milímetro) Conexão reta tubo / tubo Conexão curva 90° tubo / tubo Conexão Tê tubo / tubo Cruzeta tubo / tubo Conexão reta tubo / tubo para fixação em painel Conexão curva 90° tubo / tubo para fixação em painel Exemplos de codificação Código novo G12LLCF G12LCF G12SCF G12LLMS G12LMS G12SMS G12LL71 G12L71 Série extra-leve em carbono Série leve Série pesada Série extra-leve em latão Série leve em latão Série pesada em latão Série extra-leve em aço inox Série leve em aço inox Anilha tipo D Anilha PSR Anilha PSR Anilha tipo D Anilha tipo D Anilha tipo D Anilha tipo D Anilha DPR. para conexão em aço carbono Material latão de construção naval Material aço inox 316Ti .

SP . Exemplo: GE12LR1/4KEGCF b) Ao especificarnos uma conexão WE com rosca cônica BSP (BSPT). não deveremos indicar no código da conexão a sigla KEG. Conexão composta de corpo.Anilhas D. porca e anilha. será obrigatório indicarmos no código da conexão a bitola da rosca e a sigla KEG. Exemplos de codificação Código novo GE12LL3/8NPTCFX GE12L1/2NPTCFX GE12S1/4NPTCFX GE12L1/4NPTMSX GE12S3/8NPT71X Código antigo XGE12-LL/3/8NPT-A3C XGE12-L/1/2NPT-A3C XGE12-S/1/4NPT-A3C XGE12-L/1/4NPT/MS XGE12-S/3/8NPT771 • Conexões com rosca BSPT. GE12LR1/4KEGCF KEG 1/4 R GE WE Definição de rosca cônica Bitola da rosca macho Definição de Rosca BSP Conexão reta tubo / rosca macho Conexão curva 90° tubo / rosca macho Notas importantes: a) Sempre que especificarmos uma conexão GE com rosca cônica BSP (BSPT). rosca cônica bitola cano padrão americano. deveremos especificá-la somente quando tratar-se de Jump Size. com sede de vedação na rosca macho tipo metal/metal. Com. Ltda. GE12L3/8NPTCF NPT 3/8 GE WE EO . Quanto à bitola da rosca. • Conexões com rosca NPT.Brasil . PSR e DPR Tipo de rosca (rosca cônica bitola cano padrão Americano) Bitola da rosca macho Conexão reta tubo / rosca macho Conexão curva 90° tubo / rosca macho Nota importante: as conexões EO com rosca macho ou fêmea NPT sempre deverão conter especificados no seu código a bitola da rosca e o tipo de rosca. Forma standard conforme figura no catálogo. rosca cônica bitola cano padrão europeu.Manual de treinamento Conexões para tubos de alta pressão • Conexões com terminações tubo/rosca macho. Exemplos de codificação Código novo GE12LR1/4KEGCF GE12LR3/8KEG71 Série leve em aço carbono Série pesada em aço inox 27 Código antigo GE12-PL/R1/4-KEG-A3C GE12-PS/R3/8-KEG/71 Parker Hannifin Ind. Exemplos de codificação Código novo GE12LL1/4NPTCF GE12L3/8NPTCF GE12S1/2NPTCF GE12S3/8NPT71 GE12L1/2NPTMS Série extra-leve em aço carbono Série leve em aço carbono Série pesada em aço carbono Série pesada em aço inox Série leve em latão Código antigo GE12-LL/1/4NPT-A3C GE12-PL/3/8NPT-A3C GE12-PS/1/2NPT-A3C GE12-PS/3/8NPT/71 GE12-L/1/2NPT/MS • Somente o corpo da conexão. sem porca e anilha. pois este tipo de conexão com rosca BSP é disponível somente com rosca cônica. Jacareí.

Conexão completa. Exemplos de codificação Código novo GE12SRCF GE12SR1/2CF GE12SMCF GE12SM22X1. Neste caso específico BSPP Definição de rosca métrica DIN 3852_ formato B borda cortante Nota importante: A bitola da rosca. sem porca e sem anilha.5 28 Código antigo GE12-PSR-ED-A3C GE12-PS/R1/2-ED-A3C GE12-PSM-ED-A3C GE12-PS/M22X1. tanto nos casos de rosca BSPP. • Conexões com roscas paralelas BSP ou métricas. sem porca e sem anilha.5-A3C • Somente o corpo da conexão. • Conexões com roscas paralelas BSP e métrica com borda cortante.Brasil . DIN 3852 formato B. PSR e DPR • Somente o corpo da conexão. Jacareí.5-A3C • Conexões com terminações tubo / rosca macho. Exemplos de codificação Código novo GE12SR1/2CFX GE12SM22X1. Com. GE12SR1/2CF 1/2 R M Bitola da rosca Definição de rosca BSP. Conexão completa.5CF Tubo 12 mm x Rosca 3/8 BSPP Tubo 12 mm x Rosca 1/2 BSPP Tubo 12 mm x Rosca M18x1.5CFX Código antigo XGE12-S/R1/2-A3C XGE12-S/M22X1.5 Código antigo GE12-PSR-A3C GE12-PS/R1/2-A3C GE12-PSM-A3C GE12-PS/M22X1. GE12SR1/2EDCF ED R M Definição de rosca macho com sede de vedação metal / borracha com anel tipo ED Definição de rosca BSPP (BSP paralela) Definição de rosca métrica paralela Exemplos de codificação Código novo GE12SREDCF GE12SR1/2EDCF GE12SMEDCF GE12SM22X1. com sede de vedação na rosca macho do tipo metal / borracha.5-ED-A3C Parker Hannifin Ind. DIN 3852 . Ltda. com anel de vedação ED.Manual de treinamento Conexões para tubos de alta pressão Exemplos de codificação Código novo GE12LR1/4KEGCFX GE12SR3/8KEG71X Código antigo XGE12-L/R1/4-KEG-A3C XGE12-S/R3/8-KEG/71 EO .5EDCF Tubo 12 mm x Rosca 3/8 BSPP Tubo 12 mm x Rosca 1/2 BSPP Tubo 12 mm x Rosca M18x1.5 Tubo 12 mm x Rosca M22x1.formato E. somente deverá fazer parte do código da conexão quando tratar-se de Jump Size.Anilhas D. SP . Forma opcional. assim como nos casos de rosca métrica.5 Tubo 12 mm x Rosca M22x1.

PSR e DPR Exemplos de codificação Código novo GE12SR1/2EDVITCF GE12SM22X1. Ltda. sem anilha.5EDVITCF GE12SR1/2ED71 Código antigo GE12-PS/R1/2-ED-FKM-A3C GE12-PS/M22X1.Anilhas D. são fornecidas na sua forma standard em borracha nitrílica. sede de vedação DIN 3852. GE12SR1/2EDOMDCF OMD Definição de omitido M (porca) e D (anilha) Exemplos de codificação Código novo GE12SR1/2EDOMDCF GE12SREDOMDCF Código antigo GE12-S/R1/2-ED-OMD-A3C GE12-SR-ED-OMD-A3C • Conexões angulares orientáveis. SP . Com. Exemplos de codificação Código novo WEE12SRCF WEE12SMCF Código antigo WEE12-PSR-A3C WEE12-PSM-A3C Código novo VEE12SRCF VEE12SMCF Código antigo VEE12-PSR-A3C VEE12-PSM-A3C Código novo TEE12SRCF TEE12SMCF Código antigo TEE12-PSR-A3C TEE12-PSM-A3C Código novo LEE12SRCF LEE12SMCF Código antigo LEE12-PSR-A3C LEE12-PSM-A3C 29 Parker Hannifin Ind.Manual de treinamento Conexões para tubos de alta pressão Notas importante: a) As conexões em aço carbono. com roscas paralelas macho BSPP ou métrica ao próprio corpo da conexão. b) As conexões em inox são fornecidas na sua forma standard em FKM (fluorcarbono).5-ED-FKM-A3C GE12-PS/R1/2-ED/71 • Corpo da conexão + anel ED. Forma opcional. peça única. EO . Jacareí.Brasil . com anéis de vedações em borracha. Sem porca.

Rosca paralela padrão americano Bitola da rosca Conexão reta tubo / rosca macho Conexão curva 90° orientável. Deverá ser indicado no código da conexão.5 M O GE WEE12SMORCF OR M L S WEE VEE TEE LEE EO .5CF GEO12SMOMDCF WEE12SMORCF VEE12SMOROMDCF Conexão reta tubo 12 mm x rosca M18x1.5 Conexão reta tubo 12 mm x rosca M22x1.5 Código antigo GEO12-PSM-A3C GEO12-PS/M22X1. peça única Conexão curva 45° orientável. SP .Brasil . peça única Exemplos de codificação Código novo GEO12SMCF GEO12SM22X1. Jacareí.5-A3C GEO12-SM-OMD-A3C WEE12-PSM-OR-A3C VEE12-SM-OR-OMD-A3C • Conexões com rosca macho UNF/UN sede SAE J1926. vedação com anel O. peça única Conexão Tê macho central orientável. GE12L3/4UNFCF UNF 3/4 GE WEE VEE TEE LEE Tipo de rosca. vedação com anel O.5 Série leve Série pesada Conexão curva 90° orientável. peça única Conexão Tê macho lateral orientável. somente nos casos onde a bitola do tubo x rosca tratar-se de Jump Size Rosca métrica Define sede de vedação ISO 6149 Conexão reta tubo / rosca macho Define sede de vedação ISO 6149 Rosca métrica M18x1. GEO12SM22X1. peça única Conexão Tê macho central orientável.Manual de treinamento Conexões para tubos de alta pressão • Conexões com rosca macho métrica sede ISO 6149. peça única Nota importante: A bitola da rosca e o tipo de rosca sempre deverão fazer parte do código neste tipo de conexão.Anilhas D. Ltda. Com. peça única Conexão Tê macho lateral orientável. Exemplos de codificação Código novo GE12L3/4UNFCF GE12L7/8UNFCF GE12L3/4UNFOMDCF WEE12L3/4UNFCF VEE12L3/4UNFCF TEE12L3/4UNFCF LEE12L3/4UNFCF Conexão reta Conexão reta Corpo da conexão + anel O.5 Conexão curva 45° tubo 12 mm x rosca M18x1. sem porca e sem anilha Conexão curva 90° Conexão curva 45° Conexão Tê macho central Conexão Tê macho lateral Código antigo GE12-PL/3/4-16UNF-A3C GE12-PL/7/8-14UNF-A3C GE12-L/3/4-16UNF-OMD-A3C WEE12-PL/3/4-16UNF-A3C VEE12-PL/3/4-16UNF-A3C TEE12-PL/3/4-16UNF-A3C LEE12-PL/3/4-16UNF-A3C 30 Parker Hannifin Ind. peça única Conexão curva 45° orientável. PSR e DPR Bitola da rosca e passo.5CF 22x1.5 (JumpSize) Corpo da conexão + anel O. sem porca e sem anilha Conexão curva 90° tubo 12 mm x rosca M18x1.

Exemplos de codificação Código novo EW12LCF ET12LCF EL12LCF Código antigo EW12-PL-A3C ET12-PL-A3C EL12-PL-A3C EW ET EL • Conexões orientáveis tubo / fêmea giratória. completas de corpo. versão duas peças. sem porca e sem anilha. Exemplos de codificação Código novo EW12LREDOMDCF ET12LREDOMDCF EL12LREDOMDCF Código antigo EW12-LR-ED-OMD-A3C ET12-LR-ED-OMD-A3C EL12-LR-ED-OMD-A3C 31 Parker Hannifin Ind. corpo e fêmea giratória. SP . anilha e anel O no lado fêmea giratória. completas de anilha e corpo GE.Brasil .Manual de treinamento Conexões para tubos de alta pressão • Conexões orientáveis tubo / fêmea giratória EO . Jacareí. Ltda. Com. porca.Anilhas D. versão duas peças. Exemplos de codificação Código novo EW12LOMDCF ET12LOMDCF EL12LOMDCF Código antigo EW12-L-OMD-A3C ET12-L-OMD-A3C EL12-L-OMD-A3C • Conexões orientáveis tubo / rosca macho. PSR e DPR • Conexões orientáveis tubo / fêmea giratória. Exemplos de codificação Código novo EW12LREDCF ET12LREDCF EL12LREDCF Código antigo EW12-PLR-ED-A3C ET12-PLR-ED-A3C EL12-PLR-ED-A3C • Conexões orientáveis tubo / rosca macho. sem porca e sem anilha.

PSR e DPR • Válvulas de esfera duas vias com terminações tubo / tubo. sem porca e anilha Válvula com terminação rosca / rosca fêmea BSPP. Temperatura de trabalho -10°C até +80°C. roscas fêmeas NPT e BSPP. em aço carbono Válvula com terminação rosca / rosca fêmea BSPP. esfera de aço carbono revestida de cromo duro.Anilhas D. sem porca e anilha Válvula esfera três vias terminação rosca fêmea BSPP Código antigo KH3/2-12-PL KH3/2-12-L KH3/2-R3/8 Nota importante: As válvulas de esfera três vias são disponíveis somente em aço carbono. Ltda. em aço inox. sem porca e anilha Válvula com terminação tubo / tubo. Temperatura de trabalho -10°C até +80°C. em aço inox Válvula com terminação tubo / tubo. vedação da esfera em POM (Delrin) e vedação da haste em borracha nitrílica. Jacareí. em inox Válvula com terminação rosca / rosca fêmea NPT. vedação da esfera em POM (Delrin) e vedação da haste em borracha nitrílica. b) As válvulas em aço inox possuem corpo. esfera e haste em aço inox.Brasil . em aço carbono Válvula com terminação rosca / rosca fêmea NPT. • Válvulas de esfera três vias com terminações tubo / tubo e rosca fêmea BSPP. Com. Temperatura de trabalho -10°C até +80°C. haste em aço carbono zincado. em aço carbono Válvula com terminação tubo / tubo. SP . possuem corpo em aço carbono fosfatizado preto. em aço carbono. haste em aço carbono zincado. esfera de aço carbono revestida de cromo duro. vedação da esfera em POM (Delrin) e vedação da haste em borracha nitrílica. em aço inox Código antigo KH12-PL KH12-PL/71 XKH12-L XKH12-L/71 KH/R/3/8 KH/R/3/8/71 KH3/8NPT KH3/8NPT/71 Notas importantes: a) As válvulas em aço carbono possuem corpo em aço carbono fosfatizado preto. Alavanca defasada DN 4 ao DN 25 Alavanca reta DN 32 ao DN 40 Alavanca defasada DN 4 ao DN 25 Alavanca reta DN 32 ao DN 40 Exemplos de codificação Código novo KH12L KH12L71 KH12LX KH12L71X KH3/8X KH3/871X KH3/8NPTX KH3/8NPT71X Válvula com terminação tubo / tubo.Manual de treinamento Conexões para tubos de alta pressão EO . Exemplos de codificação Código novo KH3/212LX KH3/212LX KH3/2-3/8X Válvula esfera três vias terminação tubo / tubo Válvula esfera três vias terminação tubo / tubo. 32 Parker Hannifin Ind.

possuem revestimento de prata sobre a rosca. Ltda.0 bar com tolerância de ± 20%. 33 Parker Hannifin Ind. série extra-leve. pressão de abertura 2. série pesada. tubo / rosca macho. • Componentes avulsos Exemplos de codificação Código novo M12LLCFX M12LLMSX M12LL71X M12LCFX M12LMSX M12LEODURX M12SCFX M12SMSX M12SEODURX Porca 12 mm.5. bem como para a série pesada (S). PSR e DPR Notas importantes: a) As conexões da série extra-leve (LL) em carbono. série extra-leve. série extra-leve. rosca fêmea / rosca fêmea e tipo cartucho. nas bitolas de 6 a 12 mm e as da série pesada (S). em latão Anilha tipo DPR. Pressões de abertura de 0. tubo / tubo. em latão Porca 12 mm. nas bitolas de 6 a 10 mm. em latão Anilha tipo D. série extra-leve.Manual de treinamento Conexões para tubos de alta pressão EO .0 Notas importantes: a) As válvulas de retenção em carbono possuem vedações em borracha nitrílica.0 bar Aço inox. em latão Porca 12 mm. nas bitolas de 15 a 42 mm e as da série pesada (S). Sua função é a de reduzir o atrito no ato de aperto da porca e evitar o travamento definitivo da porca no corpo da conexão. são fornecidas na sua forma standard sem nenhum tipo de revestimento. em latão Porca 12 mm.5BCF RHD12L71 RHD12L2. em aço inox Anilha tipo PSR. tubo / tubo. série pesada. série leve. PSR e DPR • Válvulas de retenção com terminações: tubo / tubo. série extra-leve. Com. c) As porcas em aço inox da série leve (L). tubo / tubo. pressão de abertura 0. possuem revestimento de níquel / cromo. série leve.Anilhas D. em inox Porca 12 mm. em aço inox. bem como as conexões da séries leve e pesada em latão (L/S) utilizam anilhas do tipo D. em aço inox Porca 12 mm. pressão de abertura 1. série extra-leve. em aço carbono Porca 12 mm. b) As válvulas de retenção são fornecidas na sua forma standard com pressão de abertura de 1. em aço carbono Porca 12 mm. em aço inox Código antigo M12-LL-A3C M12-LL/MS M12-LL/71 M12-L-A3C M12-L/MS M12-L-EODUR M12-S-A3C M12-S/MS M12-S-EODUR Porca M Notas importantes: a) As porcas em aço inox da série extra-leve. b) As porcas em aço inox da série leve (L). b) As anilhas DPR e PSR nas bitolas de 6 a 12 mm são as mesmas tanto para a série leve (L). nas bitolas de 12 a 38 mm. d) Tanto o revestimento de níquel / cromo. RHD RHV-R-ED RHV-M-ED RHZ-R-ED RHZ-M-ED RHDI/R RVP Exemplos de codificação Código novo RHD12LCF RHD12L0. em aço carbono Porca 12 mm. em aço carbono Anilha tipo D. Código novo D12LLX D12LLMSX D12LL71X PSR12LX D12LMSX DPR12L71X Anilha tipo D. 2. Código antigo D12-LL D12-LL/MS D12-LL/71 PSR12LX D12-L/S/MS DPR12-L/S/71 Anilhas tipo D.0 bar Aço carbono. séries leve e pesada.5 bar Aço inox. série pesada.0 bar Código antigo RHD12-PL-A3C RHD12-PL-A3C-0. SP . As válvulas em inox possuem vedações em FKM. pressão de abertura 1. séries leve e pesada. quanto o revestimento de prata recebem a identificação EODUR. Este fenômeno também é conhecido como Galling.5 RHD12-PL/71 RHD12-PL/71-2. tubo / tubo.0B71 Aço carbono.Brasil . em aço carbono Anilha tipo D. Jacareí. série leve. latão e inox.0 e 3. séries leve e pesada.0 bar são opcionais e devem ser especificadas no código do produto.

rosca macho 1/4” BSPP. Código atual OR10X1.3X2. EL e VKA nas bitolas 12L e 12S Plug em carbono e vedação em nitrílica para conexões 12L e 12S Plug em latão e vedação em nitrílica para conexões 12L e 12S Plug em inox e vedação em FKM para conexões 12L e 12S Adaptador em carbono. rosca M16x1.3X2.2X OR13. anel ED em FKM e rosca fêmea 1/4” BSPP Adaptador em inox.5ED71 VSTI16X1. Portanto. anel ED em nitrílica Bujão em carbono.5 OR10X1.5ORCF OR13. leia com atenção as informações contidas no catálogo.5X OR10X1. EL e VKA nas bitolas 12L e 12S Anel O em FKM para conexões EW. rosca 3/8” BSPP. anel ED em nitrílica.5 sede ISO 6149 em FKM Inserto em carbono para tubo metálico de diâmetro interno de 10 mm Inserto em latão para tubo metálico de diâmetro interno de 10 mm Inserto em inox para tubo metálico de diâmetro interno de 10 mm Código novo OR10X1.5-ED-A3C VSTI/R3/8-ED/71 VSTI/M16X1.2VITX VH10CFX VH10MSX VH1071X Anel O em nitrílica para conexões EW. rosca macho 1/4” BSPP. rosca macho 1/2” BSPP.Manual de treinamento Conexões para tubos de alta pressão • Componentes avulsos EO . Bujão em inox. ao especificar os anéis ED.3X2. SP .Formato E Bujão VSTI/MOR ISO 6149 Inserto VH para tubos metal parede fina Inserto E para tubos termoplásticos Exemplos de codificação Código novo ED14X1. Jacareí.5.5EDCF VSTI3/8ED71 VSTI16X1. E12/09X E1215/10X Inserto em latão para tubo termoplástico 12x9 Inserto em latão para tubo termoplástico 12x10 e 15x10 E12/09 E1215/10 34 Parker Hannifin Ind. enquanto outras bitolas são específicas para roscas BSPP e outras para roscas métricas. Com.5 sede ISO 6149 em nitrílica Anel O para rosca M16x1.5 sede ISO 6149 Anel O para rosca M16x1. rosca macho 1/2” BSPP.3X2.Anilhas D.5 ED/R3/8 ED/R1/4/M14X1. anel ED em FKM e rosca fêmea 1/2” BSPP Bujão em carbono.5X ED3/8X ED14X1.5V VKA12-A3C VKA12/MS VKA12/71 RI1/2-EDX1/4-A3C RI1/4-EDX1/2-A3C RI1/2-EDX1/4/71 RI1/4-EDX1/2/71 VSTI/R3/8-ED-A3C VSTI/M16X1. anel ED em nitrílica e rosca fêmea 1/4” BSPP Adaptador em carbono.2 OR13. ET. anel ED em FKM Bujão em inox. ET.2V VH10-A3C VH10/MS VH10/71 Nota importante: A bitola do inserto é definida pelo diâmetro interno do tubo.5 Anel em FKM para rosca 3/8” BSPP Código antigo ED/R1/4/M14X1.5 Anel em nitrílica para rosca 3/8” BSPP Anel em FKM para roscas 1/4” BSPP e M14x1.5-OR-A3C OR13.Brasil .5VITX ED3/8VITX Anel em nitrílica para roscas 1/4” BSPP e M14x1. anel ED em nitrílica e rosca fêmea 1/2” BSPP Adaptador em inox. rosca 3/8” BSPP.5-FKM ED/R3/8-FKM Nota importante: Algumas bitolas de anéis ED são comuns para aplicações com roscas BSPP e métricas. rosca M16x1. rosca M16x1.5-ED/71 VSTI/M16X1.5VITX VKA12CF VKA12MS VKA1271 RI1/2EDX1/4CF RI1/4EDX1/2CF RI1/2EDX1/47 RI1/4EDX1/271 VSTI3/8EDCF VSTI16X1. anel ED em FKM Bujão em carbono. PSR e DPR Anel ED Anel O Plug VKA Adaptador macho/fêmea RI Bujão VSTI/R VSTI/M DIN 3852 .6. Ltda.

0 Não intercambiável Não intercambiável Obs.5 M16x1.5 M16x1.0 M45x2.0 M36x2.L 18 22 28 35 42 6 8 10 12 M20x1.5 M14x1.0 M48x2.0 M14x1.0 M16x1.5 M24x1. Ltda.S 14 16 20 25 30 38 35 Parker Hannifin Ind.0 M52x2.5 M26x1.5 M30x2.Manual de treinamento Conexões para tubos de alta pressão EO .0 M36x2.0 M10x1.0 M48x2.0 M12x1.0 Concorrentes locais Rosca M M8x1.Anilhas D.5 M22x1.0 M38x2.5 M24x1.0 M42x2.0 M12x1.0 M42x2. PSR e DPR Intercambiabilidade com concorrentes locais (brasileiros) Série construtiva D.5 M22x1.LL 8 10 12 6 8 10 12 15 Leve .5 M26x1.5 M30x2.5 M18x1.5 M22x1.0 M12x1. tubo 4 6 Parker EO (DIN 2353) Rosca M M8x1.0 M10x1.5 M30x2.5 M14x1.: Extra leve .5 M18x1. Jacareí.0 M45x2.0 M16x1.5 M22x1.Brasil .5 M16x1.0 M34x2. Com. E.0 M14x1.0 M12x1.5 M20x1.0 M14x1.0 M52x2. SP .0 Não intercambiável Não intercambiável Pesada .5 M30x2.

Com. isto ocorre com freqüência em tubos retrefilados de baixa qualidade. Esta montagem deverá ser refugada. Esta montagem deve ser refugada. Excesso de pressão na ferramenta de cravamento da anilha ou mais de 1 1/2 volta foi dado na porca após o aperto manual ou a porca foi severamente apertada na montagem final. o tubo se deslocou para trás. isto significa que o tubo possui dureza superior ao especificado. PSR e DPR Solução Verifique o comprimento do tubo após extremidade da anilha e compare com a profundidade da conexão. Jacareí. Figura 2 Cravamento excessivo da anilha. Geralmente.Anilhas D. quando o tubo não é cortado devidamente no esquadro e ao montá-lo no corpo da conexão o mesmo fica desalinhado. De qualquer forma. Figura 3 A anilha está cravada desalinhada no tubo. EO .Manual de treinamento Conexões para tubos de alta pressão Problemas Tubo não tocou no fundo da conexão. Se todos os procedimentos de montagem foram seguidos e a anilha não apresenta sinal de cravamento no tubo.Brasil . Esta montagem deverá ser refugada. onde a extremidade reta do tubo após a curva é inferior a duas vezes à altura da porca. Provavelmente a porca não foi apertada suficientemente conforme instrução de montagem. Figura 1 Cravamento da anilha insuficiente. essa montagem deverá ser retrabalhada. este tipo de problema ocorre também em tubos com extremidade curva. Ltda. A anilha crava torta no tubo. SP . ou o tubo não encostou no fundo da conexão e no momento do aperto da porca para cravar a anilha. Esta montagem deverá ser refugada. Figura 4 Anilha não crava no tubo. Figura 5 36 Parker Hannifin Ind.

Com.Brasil . PSR e DPR 37 Parker Hannifin Ind. Ltda.Manual de treinamento Conexões para tubos de alta pressão EO . SP .Anilhas D. Jacareí.

Com.Manual de treinamento Conexões para tubos de alta pressão EO .Brasil . SP . Jacareí. Ltda.Anilhas D. PSR e DPR 38 Parker Hannifin Ind.

Jacareí. PSR e DPR 39 Parker Hannifin Ind.Anilhas D. Com. SP .Brasil .Manual de treinamento Conexões para tubos de alta pressão EO . Ltda.

0 bar. somente o corpo Código novo 3 - Especifique uma válvula de retenção. sede de vedação com anel ED. nas seguintes versões: 1. SP . completa.1 - Em aço carbono. e na outra extremidade rosca 1/2" BSPP com sede de vedação com anel ED. rosca macho 3/4" BSPP. com terminação para tubo de 15 mm em uma das extremidades. rosca macho 1/8" NPT. nas seguintes versões: 2. série leve. Jacareí. Ltda. sede de vedação macia DIN 3852. anel ED em FKM Código novo 2 - Especifique uma conexão curva 90° (versão peça única). anel de vedação em nitrílica Código novo 40 Parker Hannifin Ind. conexão completa Código novo 2.2 - Em latão. anel ED em nitrílica Código novo 1. completa.Anilhas D. sentido do fluxo da rosca macho para o lado do tubo. para tubo de 6 mm.1 - Peça única. anel ED em nitrílica Código novo 1.Manual de treinamento Conexões para tubos de alta pressão Exercícios propostos EO . com acabamento de superfície zincado e cromatizado amarelo. série extra-leve. com macho lateral M14 x 1. pressão de abertura 2. Com.2 - Versão duas peças. TE para tubo de 10 mm.2 - Em latão. em aço carbono. PSR e DPR 1 - Especifique uma conexão reta para tubo de 25 mm. nas seguintes versões: 4.3 - Em aço inox. Código novo 4 - Especifique uma conexão em aço carbono. com acabamento de superfície zincado e cromatizado amarelo. anel de vedação em nitrílica Código novo 4.5.Brasil .1 - Em latão.

bar 4 100 6 100 6 315 6 630 8 100 8 315 8 630 10 100 10 315 10 630 12 100 12 315 12 630 15 315 14 630 18 315 16 400 22 160 20 400 28 160 25 400 35 160 30 400 42 160 38 315 EO2 NBR EO2 NBR EO2 NBR EO2 NBR EO2 FKM EO2 FKM Nota: As pressões de trabalho acima indicadas são dinâmicas e para conexões com terminação em tubo. Coeficiente de segurança 4:1 • Aplicações em circuitos hidráulicos INDUSTRIAIS. Anilha D 1930 Anilha D 1956 Por volta do ano de 1956.Manual de treinamento Conexões para tubos de alta pressão EO2 . Ltda. EO2.bar Série leve = L Pressão trabalho . • Dimensões com encaixes de chave em milímetro. DIN 2353 com anilha EO2. Evolução das anilhas aplicadas nas conexões EO Projetada em 1930 pela Ermeto alemã. • Montagem com tubos trefilados sem costura. foi projetada a anilha tipo D com uma aresta de corte frontal mais acentuada. com excelente resistência à vibrações e variações térmicas. em milímetro. Bitolas de tubos disponíveis Séries construtivas Corpo Porca Conector giratório Mangueira Conexão boleada DKO de mangueira Bitolas de tubos disponíveis Materiais / Anilhas Aço Aço carbono inox Latão - EO2 compact = LL Pressão trabalho . • Sede de vedação tipo anilha cravada. metal/borracha (vedação macia). e que dispensasse o uso de ferramentas especiais para formação da sede de vedação. 41 Parker Hannifin Ind. SP .bar Série pesada = S Pressão trabalho . pois não possuía uma aresta de corte frontal acentuada que facilitasse essa ação. a qual penetra mais no tubo no ato da montagem.Brasil . com o aumento das pressões de trabalho. Com. este tipo de anilha pouco penetrava no tubo. Jacareí.DIN 2353 com anel de cravemento EO2 Niple solda Anel Tubo métrico DOZ conformado Porca Tubo métrico • Catálogo 4300 Parker Industrial Tube Fittings. Este tipo de conexão tinha como objetivo principal criar uma conexão de fácil instalação. No entanto. • Norma construtiva. juntamente com o corpo e porca até hoje existente. Demais terminações ver catálogo. porém sem limitar o cravamento excessivo da anilha e conseqüente deformação da sede de vedação do corpo da conexão.Porca funcional FM Porca funcional FM EO2 . • Tipo de vedação.

apesar de não impedir o cravamento excessivo. aumentando assim a área de ancoragem. Borda corte Borda encosto Efeito mola Encosto Outra função importante da anilha dpr é a função mola na parte traseira da anilha que funciona como uma arruela de pressão. a divisão EO (Ermeto Original) projetou a anilha progressiva dpr. Corpo da conexão Porca funcional FM • Facilidade de instalação: fácil inspeção de montagem. As anilhas PSR em aço carbono têm maior robustez. controle de cravamento e maior resistência à corrosão. Número de remontagens também é ilimitado. bem como obter uma conexão que fosse à prova de erros de instalação. registrou patente e lançou no mercado o sistema de anilha EO2. também morde o tubo em dois pontos distintos. dá ao operador uma sensação de que o torque de aperto da porca está aumentando consideravelmente. Com. impossível o cravamento excessivo da anilha. Disponível somente em aço carbono. pesquisando novas tecnologias de conexões com sede de vedação macia. projetou. 42 Parker Hannifin Ind. a qual além de cravar. SP .Brasil .Porca funcional FM Anilha dpr 1980 Em 1980. Jacareí. Este tipo de anilha possui também uma borda de encosto que.Manual de treinamento Conexões para tubos de alta pressão EO2 . mantendo o mesmo corpo e a mesma porca de 1930 e normalizada pela norma DIN 2353. Disponível somente em aço inoxidável. já dispondo da tecnologia Parker Hannifin. Em 1993. pois o anel frontal de vedação pode ser substituído. A anilha de cravamento não utiliza o cone do corpo da conexão. evitando assim que a porca se solte facilmente com a vibração e impede que essa mesma vibração chegue até a zona de cravamento e sede de vedação. sem perder a versatilidade das conexões de anilha cravada. • Número de montagens no próprio corpo da conexão é ilimitado. Divisão EO. Anilha PSR 2002 Anilha EO2 1993 Vantagens do sistema EO2 em relação ao sistema com anilha metal / metal • Facilidade no manuseio: apenas dois componentes a serem manuseados. garantindo montagens mais seguras. Ltda. testou. para atender aos requisitos de VAZAMENTO ZERO. A Parker Hannifin.

• Mantenha o tubo pressionado durante o processo de montagem. Nesses casos. no mínimo duas vezes o comprimento da eliminando partículas contaminantes porca. 43 Parker Hannifin Ind. maior é a capacidade de vedação. 2 • Insira firmemente o tubo até encostar no fundo da conexão. 4 Verficação de Montagem: • Desrosqueie a porca e remova o tubo da conexão.3 mm x 45°. Jacareí. • Chanfro máximo de 0. Preparação do tubo 1 2 3 • Corte o tubo no esquadro. • Aperte a porca manualmente até encontrar resistência. Com. Ltda. • Tolerância máxima de ± 1°. • Mantenha a extremidade do tubo reta por • Rebarbe o tubo interna e externamente.Manual de treinamento Conexões para tubos de alta pressão EO2 . • Evite utilizar tubos curtos. • Utilize a ferramenta manual de corte de tubos AV 6/42. SP . cravamento da anilha.Brasil . • Verifique se o espaço entre as anilhas de vedação e fixação foi eliminado (máximo 0. 1 • Prenda a conexão na morsa com o cone de vedação voltado para cima. • Porca funcional FM inclui as anilhas de fixação e vedação. • Recomendação: Ferramenta manual utilize conexões. • Tubos com a extremidade desalinhada prejudicam o correto cravamento da anilha. • Não deforma o cone de vedação da conexão. evitando ovalização na área de geradas no processo de corte. • Completamente intercambiável com conexões da norma DIN 2353.2 mm). 3 • Aperte a porca com uma chave de boca até o crescimento abrupto da resistência (1 a 1-1/2 de volta aproximadamente). • É recomendado o uso de um braço extensor para tubos de diâmetros externos acima de 18 mm (Veja página 44). • Não utilize cortador tipo rolo.Porca funcional FM • Quanto maior a pressão. 226A. Pré-montagem e montagem final da anilha EO2 • Método confiável. • Monte a porca funcional FM na conexão.

• Valores de torque de montagem estão disponíveis sob consulta. • Valores de torque de montagem estão disponíveis sob consulta.Brasil . • Monte o tubo na conexão. Bitola do tubo 22-L 28-L 35-L 42-L 20-S 25-S 30-S 38-S Comprimento H mm 400 500 800 1000 1200 1 • Utilize o inserto VH para tubos de parede fina ou metálicos macios. • Aperte a porca do tubo com chave de boca até encontrar resistência. 1/6 x. 1 de /4 d volt e v a olta Inserto de suporte VH • Aperte firmemente a porca aplicando 1/6 a 1/4 de volta (1 a 1-1/2 faces do sextavado ou de 60° a 90°). Tabelas de identificação de necessidade de inserto Para tubos de aço carbono ST 37. Bitola do tubo 22-L 28-L 35-L 42-L 20-S 25-S 30-S 38-S Comprimento H mm 400 500 800 1000 1200 Conexão EO2 .Porca funcional FM Braço extensor 5 Verficação de montagem: • Havendo um espaço maior que 0. 1/6 x. nunca utilize braço extensor. • É recomendado o uso de um braço extensor para tubos de diâmetros externos acima de 18 mm (veja quadro ao lado). • Evita esmagamento do tubo e falha de montagem. significa que a anilha de cravamento não penetrou devidamente no tubo. SP . • Insira a nova anilha DOZ na extremidade do tubo. conforme indicado acima. • Função de ancoragem do tubo para correto cravamento da anilha. Neste caso. • Aperte a porca do tubo com chave de boca até encontrar resistência.4 e aço inox 1. • Certifique-se que o inserto esteja bem fixado na extremidade do tubo. 3 e 4. 2 Remontagem: • Remonte o tubo na conexão. 1 de /4 d volt e v a olta • Aperte firmemente a porca aplicando 1/6 a 1/4 de volta (1 a 1-1/2 faces do sextavado ou de 60° a 90°). Com. Ltda. introduza o inserto até tangenciar na extremidade do tubo. nunca utilize braço extensor. 6 Montagem final: • Instale a conexão no equipamento. Braço extensor 1 • Após a desmontagem da conexão. conforme mostrado acima. 44 Parker Hannifin Ind. 3 mín má .Manual de treinamento Conexões para tubos de alta pressão EO2 .2 mm entre as duas anilhas. • É recomendado o uso de um braço extensor para tubos de diâmetros externos acima de 18 mm (veja quadro ao lado). • Nesta fase. • Inspeção visual do lábio frontal de borracha.Porca funcional FM Substituição da anilha de vedação DOZ • A anilha de vedação DOZ desprende-se da anilha de cravamento após a montagem. retire a anilha de vedação DOZ e substitua-a por uma nova. • Elemento de reposição fornecido separadamente. Jacareí. • Nesta fase.4571 / 1. repita as operações 2. consultar tabelas na página 23. • Insira o inserto por dentro do tubo. 7 mín má .4541. 2 • Com auxílio de um martelo.

Opcionalmente.Manual de treinamento Conexões para tubos de alta pressão Como requisitar conexões EO2 • Conexões com terminações tubo / tubo. GE12ZSR1/2EDCF ED R M Definição de rosca macho com sede de vedação metal / borracha com anel tipo ED Definição de rosca BSPP (BSP paralela) Definição de rosca métrica paralela Nota importante: As conexões com anel ED são fornecidas na sua forma standard em borracha nitrílica. Forma standard conforme figura no catálogo.Brasil . para conexão em aço carbono Material aço inox 316Ti .extra titânio Igual à conexão CF. porca e anilha.5-ED-A3C 45 Parker Hannifin Ind. Com. poderão ser fornecidas com anel ED em FKM. Ltda.Porca funcional FM Acabamento de superfície zincada e cromatizado em prata. dureza 90 shore A. • Conexões com roscas paralelas BSP ou métricas. basta especificar no código da conexão.formato E conexão completa.5EDCF Tubo 12 mm x Rosca 3/8 BSPP Tubo 12 mm x Rosca 1/2 BSPP Tubo 12 mm x Rosca M18x1.5 Código antigo GE12-ZSR-ED-A3C GE12-ZS/R1/2-ED-A3C GE12-ZSM-ED-FKM-A3C GE12-ZS/M22X1. completas de corpo. G12ZLLCF CF 71 SSA ZLL ZL ZS 12 G W T K SV WSV EO2 . com anilha de inox Série extra-leve em aço inox Série leve em aço inox Série pesada em aço inox Código antigo G12-ZLL-A3C G12-ZL-A3C G12-ZS-A3C G12-ZS-SSA-A3C G12-ZLL/71 G12-ZL/71 G12-ZS/71 • Conexões com terminações tubo / rosca macho. com anel de vedação ED. Jacareí. Exemplos de codificação Código novo GE12ZSREDCF GE12ZSR1/2EDCF GE12ZSMEDVITCF GE12ZSM22X1. com sede de vedação na rosca macho do tipo metal / borracha. Para tanto. com anilha de cravamento em inox EO2 Compact série extra-Leve EO2 série leve EO2 série pesada Bitola do tubo (diâmetro externo em milímetro) Conexão reta tubo / tubo Conexão curva 90° tubo / tubo Conexão Tê tubo / tubo Cruzeta tubo / tubo Conexão reta tubo / tubo para fixação em painel Conexão curva 90° tubo / tubo para fixação em painel Exemplos de codificação Código novo G12ZLLCF G12ZLCF G12ZSCF G12ZSSSACF G12ZLL71 G12ZL71 G12ZS71 Série extra-leve em carbono Série leve em carbono Série pesada em carbono Série pesada em carbono.5 (FKM) Tubo 12 mm x Rosca M22x1. SP . DIN 3852 .

peça única Rosca métrica Define sede de vedação ISO 6149 Conexão reta tubo / rosca macho Nota importante: As conexões com anel O são fornecidas na sua forma standard em borracha nitrílica. peça única Conexão Tê macho central orientável.Porca funcional FM 22x1. basta especificar no código da conexão. SP . Exemplos de codificação Código novo GEO12ZSMCF GEO12ZSM22X1. peça única Conexão Tê macho central orientável. dureza 90 shore A . número de fios por polegada e o tipo de rosca sempre deverão fazer parte do código neste tipo de conexão. vedação com anel O. peça única Conexão curva 45° orientável.5-A3C Conexão curva 90° tubo 12 mm x rosca M18x1. peça única Conexão Tê macho lateral orientável. poderão ser fornecidas com anel O em FKM. GEO12ZSM22X1.Manual de treinamento Conexões para tubos de alta pressão • Conexões com rosca macho métrica sede ISO 6149. Opcionalmente.5 WEE12-ZSM-OR-VIT-A3C • Conexões com rosca macho UNF/UN sede SAE J1926. Deverá ser indicado no código da conexão. b) As conexões com anel O são fornecidas na sua forma standard em borracha nitrílica. dureza 90 shore A.Brasil . Opcionalmente.5 EO2 Série leve EO2 Série pesada Conexão curva 90° orientável. basta especificar no código da conexão. Para tanto. Jacareí. Exemplos de codificação Código novo GE12ZL3/4UNFCF GE12ZL7/8UNF71 WEE12ZL3/4UNFVITCF VEE12ZL3/4UNFCF TEE12ZL3/4UNFCF Conexão reta Conexão reta Conexão curva 90° Conexão curva 45° Conexão Tê macho central Código antigo GE12-ZL/3/4-16UNF-A3C GE12-ZL/7/8-14UNF/71 WEE12-ZL/3/4-16UNF-VIT-A3C VEE12-ZL/3/4-16UNF-A3C TEE12-ZL/3/4-16UNF-A3C 46 Parker Hannifin Ind. Com. peça única Conexão Tê macho lateral orientável.5 Bitola da rosca e passo.5 (Jump Size) GEO12-ZS/M22X1.5 GEO12-ZSM-A3C Conexão reta tubo 12 mm x rosca M22x1. somente nos casos onde a bitola do tubo x rosca tratar-se de Jump Size M O GE WEE12ZSMORCF OR M ZL ZS WEE VEE TEE LEE Define sede de vedação ISO 6149 Rosca métrica M18x1. poderão ser fornecidas com anel O em FKM. GE12ZL3/4UNFCF UNF 3/4 GE WEE VEE TEE LEE Tipo de rosca.5CF EO2 . vedação com anel O. peça única Notas importantes: a) A bitola da rosca. Para tanto. Rosca paralela padrão americano Bitola da rosca Conexão reta tubo / rosca macho Conexão curva 90° orientável. peça única Conexão curva 45° orientável. Ltda.5CF WEE12ZSMORVITCF Código antigo Conexão reta tubo 12 mm x rosca M18x1.

Cravamento da anilha traseira insuficiente. 47 Parker Hannifin Ind. O uso de lubrificante e braço extensor na chave. A anilha está cravada desalinhada no tubo. inspecione se existe alguma folga entre a anilha frontal e a anilha traseira. ou substitua o tubo por mangueira caso exista movimentos relativos. série extra-leve ( EO2 Compact) em carbono e anilha DOZ em nitrílica Porca FM. Após a pré-montagem. em carbono zincado. onde a extremidade reta após a curva é inferior a duas vezes a altura da porca. anilha de cravamento em inox e anilha DOZ em nitrílica Porca FM. Porca FM. Solução Verifique o comprimento do tubo após a extremidade da anilha frontal e compare com a profundidade da conexão. A anilha crava torta no tubo quando o tubo não é cortado devidamente no esquadro e ao montá-lo no corpo da conexão o mesmo fica desalinhado. Utilize braçadeiras de tubo próximo à conexão. Se necessário. Verifique se a aplicação não possui excesso de vibração. em carbono e anilha DOZ em nitrílica Porca FM. anilha de cravamento em inox e anilha DOZ em nitrílica Porca FM. Esta montagem deve ser refugada.Brasil . em inox com revestimento de níquel / cromo. Fadiga ou trinca no tubo na área de suporte da anilha de cravamento. série leve. substitua a anilha frontal DOZ. Ltda. Esta montagem deverá ser refugada. Geralmente. série leve. série pesada. assegurando que não haja cortes no lábio provocados por excesso de rebarba no tubo. série pesada. poderá ser necessário para conexões de bitolas superior a 30 mm. em carbono e anilha DOZ em nitrílica. SP . Remova a anilha frontal e inspecione o lábio de borracha. Caso isso ocorra. anilha de cravamento em inox e anilha DOZ em FKM Anilha frontal DOZ em nitrílica Anilha frontal DOZ em nitrílica Anilha frontal DOZ em nitrílica Anilha frontal DOZ em FKM Anilha frontal DOZ em FKM Código antigo FM12-LL-A3C FM12-L-A3C FM12-S-A3C FM12-LL-SSA FM12-L-SSA FM12-S-SSA FM12-L/71 FM12-S/71 DOZ12-LL DOZ12-L DOZ12-S DOZ12-L/71 DOZ12-S/71 Anilha frontal DOZ Problemas Tubo não tocou o fundo da conexão. série pesada. série leve. em inox com revestimento de níquel / cromo. série extra-leve (EO2 Compact) em carbono. Com. anilha de cravamento em inox e anilha DOZ em nitrílica Porca FM. Anilha frontal está danificada. é sinal que a porca não foi apertada suficientemente. em carbono. ou o lábio está enrijecido pela ação química e/ou térmica do fluido que está sendo conduzido. anilha de cravamento em inox e anilha DOZ em FKM Porca FM. Esta montagem deverá ser retrabalhada. este tipo de problema também ocorre em tubos com extremidade curva.Porca funcional FM Exemplos de codificação Código novo FM12LLCF FM12LCF FM12SCF FM12LLSSA FM12LSSA FM12SSSA FM12L71 FM12S71 DOZ12LL DOZ12L DOZ12S DOZ12L71 DOZ12S71 Porca FM Porca FM . Jacareí.Manual de treinamento Conexões para tubos de alta pressão • Componentes avulsos EO2 .

0. sede ISO 6149 Código novo 3 - Especifique uma conexão curva 90°. Jacareí. SP . com acabamento de superfície zincado e cromatizado amarelo e vedações em borracha nitrílica: 2. Ltda.3 .5. nas seguintes versões: 3. com sede ISO 6149 Código novo 48 Parker Hannifin Ind. Com.0. anel ED em FKM Código novo 2 Especifique as seguintes conexões retas com rosca macho. sede de vedação DIN 3852 Formato E (com anel ED).Manual de treinamento Conexões para tubos de alta pressão Exercícios propostos EO2 . com anel ED Código novo 2. com anel ED Código novo 2.1 - Em aço carbono. com sede DIN 3852 Código novo 3. em aço carbono. com rosca macho 1/2" BSPP. com acabamento de superfície zincado e cromatizado amarelo e vedações em borracha nitrílica.Tubo de 20 mm e rosca M27x2. com rosca macho M14x1.1 - Tubo 16 mm e rosca de 3/4 BSPP.3 - Versão peça única. Código novo 3. para tubo de 10 mm série leve.Porca funcional FM 1 - Especifique uma conexão reta para tubo de 16 mm.Brasil . com sede DIN 3852.1 - Versão peça única.2 - Em aço inox. em aço carbono. nas seguintes versões: 1. com acabamento de superfície zincado e cromatizado amarelo.2 - Tubo 20 mm e rosca M27x2.2 - Versão duas peças. anel ED em borracha nitrílica Código novo 1.

• Dimensões básicas em polegadas.1 .20.5 1. As conexões EO em aço carbono são fabricadas com rosca NPT. 1/8x28 1/4x19 3/8x19 1/2x14 3/4x14 1x11 1-1/4x11 1-1/2x11 Montagem TFFT voltas 2. Todas as demais linhas de conexões e adaptadores são fabricadas com rosca NPTF. aço inox 316 e latão. • Montagem com canos galvanizados ou como adaptadores para outros tipos de conexões. 49 Parker Hannifin Ind. Jacareí. 1/8x27 1/4x18 3/8x18 1/2x14 3/4x14 1x11-1/2 1-1/4x11-1/2 1-1/2x11-1/2 4 6 8 12 • Rosqueie manualmente a peça até encontrar resistência.5 1.0 2. Ltda. TFFT (Turns From Finger Tight) = voltas após aperto manual.Manual de treinamento Conexões para tubos de alta pressão Conexões para canos e adaptadores Conexões para canos e adaptadores • Catálogo 4300 Parker Industrial Tube Fittings.0 - 3.1 NPTF: ANSI B 1. • Sede de vedação rosca cônica: padrão americano NPT/NPTF padrão europeu BSPT • Normas construtivas: NPT: ANSI B 1. SP .1983 BS21 Tabela de montagem rosca NPT/NPTF e BSPT Bitola • Aplique um elemento de vedação sob a rosca. Bitolas de canos disponíveis Bitola Pressão Carbono trabalho Inox em psi Latão 1/8 6000 7200 3900 1/4 6000 7200 3900 3/8 6000 7200 3900 1/2 6000 7200 3900 3/4 5500 6600 3500 1 4500 5400 3000 1.1/2 3000 3600 2 2000 2400 Nota: As pressões de trabalho acima indicadas são dinâmicas e para conexões com terminações em roscas fêmeas NPT / NPTF. Com. 16 20 24 BSPT pol.5 - 2.Brasil . • Materiais disponíveis: aço carbono zincado e cromatizado amarelo.20. Demais terminações.5 - 2. 2 Rosca NPT / NPTF pol.0 - 3.0 2. Montagem de peças com rosca NPT / NPTF e BSPT ANSI / ASME B 1.0 2. Coeficiente de segurança 4:1 • Aplicação em circuitos pneumáticos e hidráulicos MOBIL e INDUSTRIAIS.1/4 3000 3600 1.3 e SAE J476 BSPT: BS 21 e ISO 7/1 • Tipo de vedação: metal / metal. consulte o catálogo.5 1 2 3 MA • Aplique o número de voltas recomendado abaixo.0 - 3.0 - 3.20.0 1.0 2.0 - 3.5 - 2.

Jacareí. com rosca NPT / NPTF Nipple curto.1/2 11. o uso de um filme selante é recomendado para aumentar o número de remontagens.Manual de treinamento Conexões para tubos de alta pressão Conexões para canos e adaptadores Como trabalham as conexões com roscas cônicas NPT. zincado e cromatizado amarelo Aço inox 316 Latão Nipple curto. os dois lados do nipple possuem a mesma bitola. Neste caso. Nota importante: As conexões Parker em aço carbono e em latão são fabricadas com rosca NPTF. Ltda.1/4 1.1/2 11. são fabricadas com rosca NPT a fim de evitar o fenômeno de travamento GALLING. deverá ser especificado ambas as bitolas. que ocorre entre o fundo do filete da fêmea com a crista do filete do macho.1/2 2 NPT / NPTF 27 18 18 14 14 11. com rosca BSPT Bitola da rosca. Já as conexões em aço inox. fundo e crista dos filetes.Brasil . Exemplo: 1/2 x 1/4. Como requisitar conexões para canos e adaptadores 1/2 FF-S S SS B FF FF33M 1/2 Aço carbono. Com. Para roscas tipo cano (Pipe thread). NPTF e BSPT ß NPT/NPTF ß = 60° BSPT ß = 55° Número de fios por polegada Bitola 1/8 1/4 3/8 1/2 3/4 1 1. sextavado métrico.1/2 11. SP .1/2 BSPT 28 19 19 14 14 11 11 11 11 NPT/BSPT A vedação ocorre somente nos flancos dos filetes do macho com a fêmea. Neste caso. NPTF A vedação ocorre entre os flancos. Nestes tipos de roscas o uso de um filme selante se faz necessário para eliminar o vazamento em espiral. sextavado em polegada. no caso de bitolas diferentes. a bitola da rosca é sempre expressada em fração de polegada 50 Parker Hannifin Ind.

Exemplos de gráficos Exemplos de codificação A bitola da rosca nas conexões para cano são expressadas em fração de polegada e separadas entre elas pela letra X.0 FFF-S FFF FFF33M 2. na perna vertical. Ltda. Os códigos em forma de letras são: C D F G HHP HP K M O PTR FG R S Rosca macho em cotovelos. exceto nas conexões retas e cotovelos onde a perna macho é indicada primeiro. na ordem sequencial da esquerda para a direita no eixo horizontal e em seguida de cima para baixo no eixo vertical. Nota importante: Em caso de dúvidas quanto à especificação de conexões com configurações e bitolas não especificadas em catálogo. seria codificada assim: 1/4 X 1/8 CDM-S. deverão ter incluído no seu código a letra M antes do código de material. Definição de rosca cano fêmea no eixo vertical. onde a bitola da fêmea é maior que a do macho. a primeira bitola a ser especificada é a da fêmea e a segunda a do macho Rosca macho no eixo horizontal de Tê e cruzetas Rosca macho no eixo vertical de Tê e cruzetas A codificação para conexões fabricadas a partir de barras sextavadas ou forjadas com encaixes de chave métrica.Brasil . Com. Rosca fêmea em cotovelos Rosca macho em conexões retas Rosca fêmea em conexões retas Plugs com cabeça Allen Plugs com cabeça sextavada Usado no início do código de cruzetas Rosca fêmea no eixo horizontal de Tê e cruzetas Rosca fêmea no eixo vertical de Tê e cruzetas Adaptador macho / fêmea reto de redução. Bitola. geometria e terminação. As conexões para cano são identificadas por códigos em forma de letras que representam cada perna da conexão. • Sistema de codificação e nomenclatura das conexões e adaptadores. Jacareí. A peça acima fabricada com encaixe de chave métrica.Manual de treinamento Conexões para tubos de alta pressão 1/2 X 2. consulte a página U3 do catálogo 4300. SP . Exemplo: 1/2 x 3/8 x 1/2 x 1/4 KMMOO-S K M O Definição de cruzeta. Neste caso. Adaptador macho / fêmea reto de redução. Nomenclatura das conexões para cano e adaptadores. onde a bitola do macho é maior que a da fêmea. 1/4 X 1/8 CD-S Material Rosca macho da perna vertical Rosca fêmea da perna horizontal Bitola da perna vertical Bitola da perna horizontal Macho Fêmea 51 Parker Hannifin Ind. Definição de rosca cano fêmea no eixo horizontal.0 Conexões para canos e adaptadores Nipple longo sextavado polegada com rosca NPTF Nipple longo sextavado métrico com rosca BSPT Comprimento L As conexões angulares obedecem esta sequência de codificação da bitola das pernas.

após ambos os códigos de terminação das pernas do eixo horizontal. os quais identificam a bitola.As conexões com terminações de diferentes tipos deverão seguir a seguinte ordem: X. U. Terminação e Material. 3 . Código geometria J = Tê • Material S Material Código de terminação da segunda perna horizontal F = Macho rosca cano Código geometria da primeira perna horizontal L = Seal -Lok Os códigos das conexões não standard poderão ser construídos seguindo-se as regras abaixo e aplicando-as na seguinte seqüência: Bitola. F8). P4. similar aos utilizados na codificação das conexões standard. Ver relação de códigos nas páginas do catálogo 4300. Regras de codificação: 1 - Todas as bitolas deverão seguir a mesma nomenclatura disponível para conexões standard. Com. 4 - Os adaptadores com diferentes tipos de terminações deverão seguir a seguinte ordem de codificação: roscas cano. F87. 5 - As terminações macho deverão ser colocadas antes das terminações fêmeas. Nomenclatura para não standard A nomenclatura não standard deverá ser usada somente nos casos onde não pode ser identificada na nomenclatura standard. Jacareí. Ltda. 16 XHU-M Material monel Terminação Ferulok na segunda perna horizontal Geometria reta Terminação macho Triple-Lok 3/8 .Manual de treinamento Conexões para tubos de alta pressão Conexões para canos e adaptadores • Sistema de codificação e nomenclatura das conexões e adaptadores não standard. T4. Os códigos das conexões não standard são construídos a partir de códigos e/ou símbolos. BSPT e roscas métricas DIN/ ISO (A8.Brasil .As conexões com geometria em Tê e cruzeta deverão receber o código J ou K. conforme exemplo abaixo: • Bitola 8-4-6 Bitola perna vertical (-6 rosca UNF) Bitola da segunda perna horizontal (1/4 NPTF) Bitola da primeira perna (-8 tubo) • Geometria e terminação LFJA Perna vertical orientável com terminação com rosca UNF. G87): BSPP. geometria. 6 - As terminações em tubo deverão ser colocadas antes das terminações em rosca. Geometria. roscas ISO métricas (A87. Exemplos de codificação de conexões não standard.8 FHG5-S Material aço carbono zincado e cromatizado amarelo Terminação com rosca fêmea SAE/UNF na segunda perna horizontal Geometria reta Bitola do tubo para as duas terminações -16 = 1” Terminação com rosca macho NPTF na primeira perna horizontal Bitola da rosca SAE/UNF -8 = 8/16 =1/2” Bitola da rosca NPTF 52 Parker Hannifin Ind. 2 . L. Exemplos: -8 1/4 etc. O código consiste em três grupos de caracteres alfanuméricos. SP . roscas SAE. I. terminação e material.

Manual de treinamento Conexões para tubos de alta pressão Conexões para canos e adaptadores 53 Parker Hannifin Ind.Brasil . Jacareí. Com. SP . Ltda.

Ltda. Jacareí. SP .Brasil . Com.Manual de treinamento Conexões para tubos de alta pressão Conexões para canos e adaptadores 54 Parker Hannifin Ind.

Brasil . 2 - Especifique uma bucha de redução em aço carbono. 55 Parker Hannifin Ind. por um sistema com rosca paralela e sede vedação macia (metal / borracha). A conexão travou na carcaça. Substitua a conexão.Manual de treinamento Conexões para tubos de alta pressão Problemas Não foi aplicado selante ou a quantidade aplicada é insuficiente. Este tipo de problema ocorre com freqüência em conexões de aço inox montadas em carcaças também de aço inox. e aplique novo selante na quantidade necessária. Inicialmente não há problema de vazamento. Caso a carcaça onde rosca fêmea está localizada esteja trincada. Conexões para canos e adaptadores Solução Remova o selante existente. A conexão penetra até o fundo da rosca e não promove o aperto. Exercícios propostos 1 - Especifique uma conexão reta em inox. retrabalhe a rosca ampliando-a para uma bitola maior e substitua a conexão. Se a rosca fêmea estiver dilatada. rosca 3/4”-16. Jacareí. porém com a vibração a conexão afrouxa com freqüência. A rosca possui batidas muito profundas. se houver. É recomendado a substituição do componente e da conexão. Com. sendo rosca fêmea de 3/8” BSPP e macho de 1” BSPP com vedação macia. macho NPTF de 3/8” e machoUNF com anel O (ORB). Substitua a conexão e a carcaça se necessário. sem o uso de selante. substitua a carcaça. Ltda. Nota: Trinca de carcaça por excesso de aperto em sedes com rosca cônica é muito comum. SP . 3 - Especifique um tampão macho em aço carbono rosca M42x2 para trabalhar com 5000 psi.

Brasil EO2 Pipe fitting . 1 = Não recomendado para essa aplicação. SP . Ltda. Poucas bitolas e/ou formas geométricas. Jacareí. Exercícios propostos Tipos de roscas e sedes de vedação Tipo de material Total de Pontos Manual de treinamento Conexões para tubos de alta pressão Guia prático para seleção de conexões Parker 56 Tipos de roscas e sedes de vedação Tipo de material Total de Pontos Tipo de Condições de trabalho do circuito Tipo de tubulação conexão Parker Triple-Lok Seal-Lok EO EO2 Pipe fitting Tipo de Condições de trabalho do circuito Tipo de tubulação conexão Parker Triple-Lok Seal-Lok EO Parker Hannifin Ind. D = Disponível.Tipo de Polegada Milímetro Cano NPTF BSPT BSPP B. Ampla gama de bitolas e formas geométricas. Com. 5 = Excelente para essa aplicação. Corte BSPP anel ED Métrica BSPP anel anel ED O Métrica Métrica anel ISO O 6149 UNF Aço anel carbono O Aço Latão inox Condições de trabalho do circuito Tipo de tubulação Tipos de roscas e sedes de vedação Tipo de material conexão Parker D D ND ND ND ND D D D D Líquido Gás Até Até 100°C 150°C Vibrações Picos pressão Triple-Lok 4 4 5 5# 4 4 Seal-Lok 5 5 5 5# 5 5 EO 4 4 5 4*# 3 4 EO2 5 5 5 4*# 5 5 Pipe fitting 3 3 4 5 3 3 * Aplicar fator de redução de pressão # Utilizar vedações em FKM Legenda: ND = Não disponível. Corte ND ND ND ND D D D ND ND ND ND ND ND ND D D ND ND ND ND D D D D D D D D D D D D D D D D D D D D D D ND D D ND ND ND D D D D D D D D ND D D ND ND D D D D D D D D D Métrica B.

com Jacareí .com Joinville .Parker Hanni n Filiais Belo Horizonte .: 11 3915-8625 Fax: 11 3915-8602 saopaulo@parker. RJ Tel.: 21 2491-6868 Fax: 21 3153-7572 riodejaneiro@parker.parker.: 19 3235-3400 Fax: 19 3235-2969 campinas@parker.MG Rua Pernambuco 353 Conjunto 306/307 Funcionários 30130-150 Belo Horizonte. SC Tel. PE Tel. RS Tel. MG Tel. Celestino Bourrol 411 Bairro do Limão 02710-000 São Paulo.SP Rua Tiradentes 289 Salas 21 e 22 Guanabara 13023-190 Campinas. SP Tel.Recife Rua Santa Edwirges 135 Bairro do Prado 50830-000 Recife.Macaé Rua Ilma Barretos Fernandes 100 Loja 01 Novo Cavaleiros 09015-901 Macaé.Diadema Rua Bernardo Lobo 22 Vila Nogueira 09942-210 Diadema.: 51 3470-9144 Fax: 51 3470-9281 portoalegre@parker.com Porto Alegre .: 47 3028-9444 Fax: 47 3028-9444 joinville@parker.: 81 3227-3376 Fax: 81 3227-6064 recife@parker.PE Rua Santa Edwirges 135 Bairro do Prado 50830-220 Recife. Riachuelo 285 Liberdade 27521-171 Resende.com ParkerStore ParkerStore .: 12 3954-5100 Fax: 12 3954-5262 valeparaiba@parker.com Distribuidor autorizado .Limão ParkerStore . Divisão Fluid Connectors Av.com Rio de Janeiro .RS Av.RJ Av. 4300-5 BR 100 10/08 Parker Hanni n Ind.SP Rodovia Anhangüera km 25.: 11 4076-2474 Fax: 11 4076-2474 diadema@parker.: 24 3355-0366 Fax: 24 3354-0018 resende@parker.Resende Av.com São Paulo . RJ Tel.bloco 20 Sala 233 . RJ Tel. Ltda.SC Rua Alexandre Doehler 129 Sala 701 Centro 89201-260 Joinville.com Campinas .com M.SP Av.com ParkerStore . SP Tel.Downtown Barra da Tijuca 22640-100 Rio de Janeiro.3 Perus 05276-977 São Paulo.com Recife . SP Tel.: 12 3954-5100 Fax: 12 3954-5265 www.com ParkerStore .: 11 3857-2766 Fax: 11 3857-3349 limao@parker.com Rua Prof. Com.: 31 3261-2566 Fax: 31 3261-4230 belohorizonte@parker. SP Tel. das Américas 500 .: 81 2125-8000 Fax: 81 2125-8009 recife@parker. Lucas Nogueira Garcez 2181 Esperança 12325-900 Jacareí.: 22 2763-9336 Fax: 22 2773-6062 macae@parker. SP Tel. Frederico Ritter 1100 Distrito Industrial 94930-000 Cachoeirinha.com ParkerStore . Lucas Nogueira Garcez 2181 Esperança 12325-900 Jacareí. SP Tel. PE Tel.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful