Você está na página 1de 4

Vigília Missionária

Chamados para a Missão

Procissão inicial:
(Do fundo da Igreja, entra o sacerdote e os ministros com o círio aceso).

Cântico: Tu, que nas margens do lago

(Ao chegar ao altar, o que leva o círio volta-se para a assembleia e continua-se a cantar. No fim do
cântico, o círio é colocado no local próprio e inicia-se a celebração).

Saudação:
Pres: Em nome do Pai, e do Filho e do Espírito Santo.
Pres: O Senhor esteja convosco.

Introdução
Caríssimos irmãos e irmãs, somos um povo de chamados. Cristo chamou os seus primeiros discípulos
e, ao longo dos tempos, continua a chamar homens e mulheres para o seguirem, para estarem com ele e
serem enviados a anunciar e testemunhar o seu amor e plenitude da vida que ele propõe a todos os
homens e mulheres sem excepção.
Ao longo desta celebração, vamos fazer memória da nossa caminhada de fé em Cristo: o nosso
baptismo, a catequese, a primeira comunhão, a profissão de fé, o crisma e o alimento que nos sustenta
ao longo da nossa caminhada: a Eucaristia, a Palavra, a Oração.
Vamos à fonte renovar o nosso coração, a nossa fé e o nosso compromisso.

1. Somos um povo de baptizados


(Entra alguém com água, que coloca à frente do altar)

Leitura: Mc 1, 9-11
Por aqueles dias, Jesus veio de Nazaré da Galileia e foi baptizados por João no Jordão.
Quando saia da água, viu serem rasgados os céus e o Espírito descer sobre Ele como uma pomba. E do
céu veio uma voz: “Tu é o meu Filho muito amado, em ti pus todo o meu agrado.”
Palavra do Senhor

Comentário:
No momento do baptismo, o Espírito desce sobre Jesus e escuta a Palavra do Pai: Tu é o meu Filho
muito amado. A partir desse momento, Ele sente o que é ser Filho e fazer até ao fim a vontade do Pai.
A partir desse momento, Ele sente a força do Espírito para cumprir a sua missão até ao fim, até dar a
sua vida.
Pelo Baptismo, fomos chamados à vida em plenitude, à vida nova em Cristo, Senhor da Vida. O
baptismo marcou o início do nosso sim ao chamamento de Cristo, que os nossos pais e padrinhos
assumiram por nós. Queremos hoje renovar o compromisso do nosso Baptismo, fazer memória daquilo
que aconteceu nesse dia.

Gesto: Cada um vai molhar a mão na fonte baptismal que é o lado aberto de Cristo e renovar o seu
compromisso baptismal fazendo o sinal da cruz.

Cânticos: Jesus, eu creio em Ti...; É impossível; És a minha vida.

2. Chamados a seguir Cristo


Leitura: Mc 3, 13-19
Jesus subiu depois a um monte, chamou os que ele queria e foram ter com Ele. Estabeleceu doze para
estarem com Ele e para os enviar a pregar, com o poder de expulsar demónios.
Estabeleceu estes doze: Simão, ao qual pôs o nome de Pedro; Tiago, filho de Zebedeu, e João, irmão
de Tiago, aos quais deu o nome de Boanerges, isto é, filhos do trovão; André, Filipe, Bartolomeu,
Mateus, Tomé, Tiago, filho de Alfeu, Tadeu, Simão, o Cananeu, e Judas Iscariotes, que o entregou.

Oração:
Quero seguir-te, Senhor

Nem sempre, Senhor, és o meu tesouro. Nem sempre te tenho no centro da minha vida. Contudo, quero
lutar para te ter cada vez mais no centro da minha vida. Quero descobrir-te e ter-te como o único e
mais caro tesouro da minha vida.

QUERO SEGUIR-TE, SENHOR.

Nem sempre és tu, o meu Senhor. As riquezas, o ter, o consumo... atraem-me demasiado e acostumam-
me ao cómodo, ao fácil. Sei que seguir-te exige sacrifício, que, deixar-me levar por esses senhores, há-
de afastar-me irremediavelmente de ti. Quero ser livre e ter-te como único senhor.

QUERO SEGUIR-TE, SENHOR.

As preocupações da vida diária tiram-me muito tempo para me dedicar a ti. Prefiro os estudos, o
trabalho, os momentos de diversão, de descanso... Prefiro isso a estar uns intantes contigo. Mas
descobri que a minha única preocupação deves ser tu.

QUERO SEGUIR-TE, SENHOR.

Quantas vezes a língua se me solta, Senhor! Quantas vezes critico e destruo as pessoas com o veneno
dos meus juízos! Quero deixar a crítica e a condenação. Quero salvar as pessoas, lutar por elas, quero
amar em vez de condenar.

QUERO SEGUIR-TE, SENHOR.

Quero seguir-te pelo caminho que me peças. Na família ou na sociedade; no trabalho ou no lazer; na
escola ou com os amigos.

QUERO SEGUIR-TE, SENHOR.

Quero amar, Senhor. Quero pensar nos outros. Quero que os que me rodeiam se sintam felizes por mim
e felizes pelo que faço. Quero, por onde vá, semear felicidade.
do lago

Cântico: Tu, que nas margens

Gesto: acender as velas no círio – um grupo de 12 pessoas – a simbolizar os doze apóstolos.

Reacender a vela da nossa fé. No dia do nosso Baptismo foram os nossos pais e padrinhos que a
acenderam por nós e o sacerdote disse: “Recebei a luz de Cristo. A vós, pais e padrinhos, se confia o
encargo de velar por esta luz...”
Quem fez a profissão de fé já acendeu a vela da sua fé. Hoje queremos fazer memória desse momento.
Hoje sou eu que acendo a vela, a vela da minha fé e me comprometo a velar por esta luz, respondendo
ao apelo de Jesus: “Eu sou a luz do mundo; quem me segue não anda nas trevas, mas tem a luz da
Vida”; e noutra passagem: “Vós sois a luz do mundo.”

(Levantam-se as velas – se são só doze velas, fazem um semicírculo, à volta do Círio Pascal).

Cântico: Esta luz pequenina

3. Alimento para a caminhada


Ao longo da caminhada da vida, precisamos de alimento. Andamos muitas vezes a correr, atarefados à
procura de um alimento que não sacia verdadeiramente. Só Jesus nos pode saciar verdadeiramente,
como ele próprio disse:
Eu sou o pão da vida. Quem vem a mim não mais terá fome, e quem crê em mim jamais terá sede... Se
alguém tem sede, venha a mim; e quem crê em mim que sacie a sua sede! Como diz a Escritura, hão-
de correr do seu coração rios de água viva... Vinde a mim todos vós que andais sobrecarregados e
oprimidos e Eu vos aliviarei...

A. Palavra de Deus
(Entra a Bíblia e é colocada em cima do altar voltada para a assembleia)

Cântico: Senhor, a quem iremos?

A Palavra de Deus é verdadeiramente um alimento para o discípulo de Jesus:

Leitor 1: “Quem escuta as minhas palavras e a põe em prática é como o homem que edificou a sua casa
sobre a rocha!”

Leitor 2: “Se permanecerdes na minha Palavra, sereis verdadeiramente meus discípulos; conhecereis a
verdade e a verdade libertar-vos-á.”

Leitor 3: Duras são estas palavras! Quem pode escutá-las? Disse Jesus: as palavras que eu vos disse
são espírito e vida. Mas há alguns de vós que não acreditam. Muitos deixaram de andar com Ele.
Perguntou então aos discípulos: também vós quereis ir embora? Pedro respondeu: a quem iremos,
Senhor? Só tu tens palavras de vida eterna!

Cântico: Senhor, a quem iremos?

“A Igreja venerou sempre as divinas Escrituras com venera o próprio Corpo do Senhor, não deixando
jamais, sobretudo na sagrada Liturgia, de tomar e distribuir aos fiéis o pão da vida, quer da mesa da
palavra de Deus quer da do Corpo de Cristo.” (DV, 21)

B. Exposição do Santíssimo

Cântico: Não adores nunca...

Durante a adoração, lêem-se algumas passagens de Jo 6:

Leitor 1:
Em verdade vos digo: Vós procurais-me, não porque vistes milagres, mas porque comestes dos pães e
ficastes saciados. Trabalhai, não pela comida que perece, mas pela que dura até à vida eterna. Meu Pai
é que vos dá o verdadeiro pão do céu e dá a vida ao mundo. Disseram-lhe: Senhor, dá-nos sempre
desse pão!
Eu sou o pão da vida; o que vem a Mim jamais terá fome e o que acredita em Mim jamais terá sede!
Leitor 2:
Eu sou o pão da vida. Os vossos pais comeram o maná no deserto e morreram. Mas este é o pão que
desceu do céu e quem dele comer não morrerá. Eu sou o pão vivo que desceu do céu. Se alguém comer
deste pão viverá eternamente; e o pão que eu hei-de dar é a minha carne para a vida do mundo.

Cântico: Senhor é meu Pastor

Leitor 3:
Como pode Ele dar-nos a sua carne a comer?
Disse-lhes Jesus: em verdade, em verdade vos digo: se não comerdes a carne do Filho do Homem e
não beberdes o seu sangue, não tereis a vida em vós. Quem come a minha carne e bebe o meu sangue
tem a vida eterna e eu ressuscitá-lo-ei no último dia. Porque a minha carne é, em verdade, uma comida
e o meu sangue é, em verdade, uma bebida.

Leitor 4:
Quem come a minha carne e bebe o meu sangue fica em Mim e Eu nele. Assim como o Pai, que vive,
Me enviou, e Eu vivo pelo Pai, assim também o que Me come viverá por Mim. Este é o pão que
desceu do céu; não é como aquele que os vossos pais comeram, e morreram; o que come deste pão,
viverá eternamente.

4. Envio e Bênção
“Ides receber uma força, a do Espírito Santo, que descerá sobre vós, e sereis minhas testemunhas...”
(Act 1, 8).

o Ide e anunciai o Evangelho... porque ninguém deve ficar sem e o escutar.


o Ide e anunciai o Evangelho... porque a ninguém se pode negar este tesouro.
o Ide e anunciai o Evangelho... porque se de graça o recebeste, de graça o deves dar.
o Ide e anunciai o Evangelho... porque as suas palavras são palavras de vida.
o Ide e anunciai o Evangelho... porque Deus fala-te através da Palavra.
o Ide e anunciai o Evangelho... porque nunca se deve ocultar.
o Ide e anunciai o Evangelho... porque o que é bom para ti, tens de o partilhar com os outros.
o Ide e anunciai o Evangelho... porque Deus necessita de ti.
o Ide e anunciai o Evangelho... e eu estarei contigo até ao fim dos tempos. Porque sem Mim nada
podes fazer; porque de Mim te virá a força para anunciá-lo; porque tu sozinho não és nada, mas
Comigo, és tudo.
Confia em mim... Tu és meu mensageiro... Confia em mim.

(Cada um se aproxima do altar, recebe uma palavra de envio e faz um gesto de adoração, e regressa
ao seu lugar)

Cântico: Se crês em Deus e Ninguém te ama.

Pai nosso do chamado: Junto ao mar

Bênção do Santíssimo

Cântico de adoração: Não adores...

Cântico final: Somos cidadãos do mundo.