Você está na página 1de 9

Como montar uma seqüência rítmica virtual utilizando plugins para substituir a

falta de um baterista “humano” em suas gravações caseiras:

by Gambá do Rock
20/03/2008

Material: computador, software de produção musical CUBASE e bateria virtual


EZDRUMMER e claro, suas idéias rítmicas.

(Os softwares supracitados são facilmente encontrados nos programas de


troca p2p, como torrents e emules da vida. Você até pode baixar gratuitamente
para testar um programa “full”, porém se gostar do mesmo, adquira o software
original, pois pirataria é CRIME!!!)

DEPOIS DE CERTIFICAR-SE DE TER INSTALADO AMBOS OS


PROGRAMAS, abra seu CUBASE:

Você encontrará uma tela como essa abaixo:

Sem piadinhas... Quando você abre seu CUBASE, nada entra nele
diretamente... hehehehehe... Você tem que ir colocando aos poucos...
hihihihihihihihih

Vá ao menu FILE e escolha NEW PROJECT


(OBSERVE A FIGURA ABAIXO)

Escolha algum modelo pré-estabelecido oferecido pelo programa ou clique em


EMPTY e monte sua própria seleção de canais com endereçamentos diversos.
Para montar a batera, funciona qualquer coisa que tenha pelo menos um canal
MIDI
Depois, você será obrigado a escolher um local para armazenar seus projetos.
Você pode simplesmente selecionar o DESKTOP para mover depois ou criar
uma pasta como eu fiz (observe abaixo)

Depois de configurar essa porra toda, você terá uma tela semelhante a essa
abaixo. Em minha tela, eu disponho de 6 canais sendo: 4 de áudio estéreo e
dois midis. Os canais de áudio, eu utilizo com gravação microfonada ou em
linha, mas FODA-SE! O importante desse trabalho é montar a batera MIDI.

Vá a Menu > DEVICES e escolha “VST instruments” como mostrado abaixo ou,
simplesmente, aperte a porra do F11.
A tela abaixo aparecerá...
Clique com o botão direito no retângulo negro e escolha seu instrumento
virtual. No caso, estou montando uma seqüência rítmica, com o plugin VST
“EZDrummer”. Mas, como você mesmo pode observar, eu poderia estar
montando uma linha de baixo com o plugin “Broomstick Bass”; que seguiria a
mesma seqüência lógica.

Noooossa, que legal, abriu a porra do EZDrummer... que visual maneiro... (O


kit abaixo é o Nashville) ... quem será o baterista?
VOCÊ PORRA, O BATERISTA É VOCÊ!

Agora é que começa a Macumbaria!!!

Acenda uma vela preta e vermelha, de sete dias, e coloque ao pé da mesma


uma garrafa de cana e um frango preto com o pescoço cortado dentro de uma
cumbuca de barro. Logicamente, isso deve ser feito à meia noite em uma
encruzilhada. Antes de realizar o procedimento descrito acima, assista ao filme
Crossroads no qual o ator principal é o “Ralph alguma coisa”, aquele mesmo do
Karate Kid, que até hoje insistem em dizer que o cara toca mesmo guitarra e
que ele toca mais que o Stevie Vai, Joe Satriani, e o SRV juntos. Puta que me
pariu... é cada uma... huahuahauhauauhuhauahua

Bem, continuando...

Clique na ferramenta LÁPIS (está marcada em azul)


... arraste o lápis numa porra de uma faixa MIDI pelo tempo que você acha que
vai durar sua linha de bateria...
Depois, vá ao retângulo negro escrito “OUT”, clique com o botão direito e
selecione o plugin que você quer montar como MIDI (já que na sua banda não
existe integrante capaz de executar suas idéias musicais, faça você mesmo! É
bem melhor, mais garantido, e é sempre menos um pra chegar atrasado aos
ensaios. Hoje em dia, por exemplo, minha banda se resume a mim. Eu,
inspirado pelo mestre Chuck Schouldiner (R.I.P.) escrevo, componho e ainda
coloco pra tocar minhas idéias sozinho (e feliz).

Ah, aquela seleção que você fez com o lápis, ficará com alguma cor bem gay
mesmo... aqui em minha máquina, essa porra fica rosa mas na sua, poderá
adotar qualquer cor (desde que seja bem gay mesmo). Se você se sentir muito
ofendido, com sua masculinidade abalada pela ofensa digital dos idealizadores
do programa, pode mudar a cor... É só procurar como.
Depois de configurado esse primeiro endereçamento, clique na porra da
seleção “gay” com o botão direito e escolha, dentre todas as opções do menu,
o “MIDI > Open Drum Editor”, como mostrado abaixo:

Então, abrirá uma nova tela e você poderá construir sua bateria batida-a-
batida. No exemplo abaixo, como eu estava sem saco nenhum de humilhar
algum baterista, preferi exemplificar com a “metranca”; técnica muito comum
em Black Metal, onde se toca caixa, bumbo e contratempo ao mesmo tempo
repetidamente. Barulho “from hell” muito interessante!

Quando você monta sua batera no “piano roll” a montagem vai


automaticamente para sua seção “multipista”; o que já te economiza um
trabalho extra. É só você minimizar a tela do “piano roll” que você encontrará
esta tela te esperando...
Agora é só voltar ao menu “FILE > Export > Áudio Mixdown” e exportar sua
batera como Mp3, ou midi, ou qualquer formato disponível.

E pronto.

Grande abraço fedorento do Gambá do Rock