Você está na página 1de 5

Situações de Crescimento:

na vida e em grupos
terapêuticos
Nos anos 70, além das palestras diárias, Osho recebia, em encontros
mais íntimos, grupos de buscadores num pequeno auditório. Estes
encontros, chamados darshans, aconteciam todas as noites e deles
participavam as pessoas que queriam ser iniciadas no sânias, as pessoas
que estavam chegando ou partindo, e, num esquema rotativo, grupos
de saniássins (discípulos) que trabalhavam na comuna. Nesses
darshans, Osho respondia perguntas e dava toques para questões do
dia-a-dia. Esses encontros eram gravados e depois foram publicados em
vários volumes cada qual com um título, mas integrando uma série
chamada "Diários de Darshan".

Neste mês, estamos publicando os comentários que Osho fez durante


um dos encontros transcrito no Diário de darshan: "The Passion for
the Impossible", respondendo perguntas e orientando a respeito de
situações de crescimento, na vida e em grupos terapêuticos.

Segunda feira, 6 de setembro

Um visitante que participou do grupo Tathata disse que achou-o fácil. Osho sugeriu que ele fizesse
o grupo Iluminação Intensiva, dizendo que aquele seria mais intenso.

Osho: "Quando você aceita o desafio de um determinado método difícil, você cresce. Algo fácil
não é necessariamente bom. Algo pode parecer fácil, mas não força qualquer mudança em
você. Permite que você seja como você é, mas então isso é sem sentido. Todo o sentido está
em criar algo em você, maior do que você é; algo em você, mais profundo do que você é. Todo
o esforço é para ajudá-lo a ir um pouco além de si mesmo.
Uma coisa é fácil quando ela se ajusta a você. Uma coisa é difícil quando você tem que
se ajustar a ela. Assim, lembre-se sempre de que o caminho é árduo. Não existem atalhos.
Todo mundo chega por um caminho árduo. Quando alguma coisa se torna muito fácil, procure
por algo árduo novamente. Caso contrário, você viverá convenientemente, morrerá
convenientemente, mas nada terá acontecido. Siga buscando por novos desafios. Siga olhando
mais alto. Mesmo que pareça impossível de ser alcançado, isso ajudará você a crescer. A
própria visão de algo grandioso imediatamente começa a transformar você. Você começa a se
tornar maior até mesmo com um sonho de algo grandioso.
Assim, nunca se acomode com o fácil. As pessoas tendem a se acomodar muito
facilmente e aí, naturalmente, o crescimento pára. Como os psicólogos dizem, se você olhar
para a idade mental das pessoas, verá que a média nunca vai além dos treze anos. Um homem
pode estar com setenta anos, a sua idade mental média permanece próxima dos doze, dos
treze, ou no máximo catorze anos. Fisicamente ele tem setenta, mentalmente ele permanece
pendurado em algum lugar perto dos treze, e isso também numa média. E incluem-se nessa
média, os gênios e as pessoas talentosas. Assim, quando você encontrar uma pessoa real,
esqueça a média. Você o encontrará pendurado em algum lugar próximo dos sete aos nove.
Desde aquela idade eles nunca aceitaram qualquer desafio: eles estão empacados lá. Todo
mundo é retardado, nesse sentido.
Assim, nunca perca qualquer desafio. E se não existir qualquer desafio, crie um. Crie
mesmo barreiras e obstáculos, eles irão ajudá-lo. Eles farão você mais forte.
Osho: Pratima, o que está acontecendo?

Anand Pratima (aborrecida): Eu estou muito triste. Eu me sinto muito sozinha e assustada. Eu
sinto agora que estive por um longo tempo fugindo desse espaço de estar só.
Eu vejo meu desejo e tentativa de preencher meus espaços com outras pessoas. O amor
entre o Somendra e eu é muito belo. A dor não é o amor.

Osho: Essa é uma situação triste, mas pode ser de tremenda importância. A felicidade faz as
pessoas superficiais, a tristeza dá profundidade. E algumas vezes ela é necessária. Na verdade
você nunca obtém algo que não seja necessário. Lembre-se, isso é uma lei muito fundamental.
Você pode não obter algo que você queira, mas você sempre obtém aquilo que necessita
(Pratima começa a chorar). De alguma maneira o universo segue preenchendo as suas
necessidades. Você pode entender ou não. Quanto mais consciente você se torna, mais você vê
que naquele momento a tristeza era necessária. Ela é um ingrediente necessário para o
crescimento.
Amar é bom. Estar junto é bom, mas estar só também é necessário. Estar tão só que a
pessoa se sente absolutamente sem esperanças e parece não haver qualquer possibilidade de
que ela será capaz de estar junto novamente; a escuridão parece ser infinita. A pessoa parece
estar absolutamente perdida, sem qualquer esperança. A pessoa grita e grita... e nenhuma
resposta. A pessoa berra e chora, e ninguém está lá sequer para ouvi-la.
Nesses momentos, a mente tende a preencher a si mesma com qualquer coisa: algumas
vezes comendo demais, algumas vezes encontrando pessoas e misturando-se com elas,
algumas vezes fingindo estar apaixonado, porque a solidão é muito terrível. Mas se você
realmente quiser ser beneficiado por ela, abençoado por ela, então não preencha esses
espaços, viva-os.
Percorra todo o caminho nisso. Se ele é solidão, esteja só. Essa é uma parte da vida que
tem que ser aprendida, e uma lição muito básica, a de que se está só. Então tudo mais é um
jogo. Você pode esconder sua solidão de si mesmo de mil e uma maneiras, mas ela nunca se
vai, ela está sempre ali. Camadas após camadas de mentiras você pode criar, nós chamamos
isso de maya, ilusão, mas no fundo, onde você for, encontrará de novo aquele vazio, a solidão
estará lá.
De alguma maneira a pessoa tem que parar de brigar com
ela. De alguma maneira a pessoa tem que aceitá-la. Ela é
dolorosa, terrivelmente dolorosa para ser aceita, mas o que fazer?
É assim que a vida é. Assim, a minha sugestão é: não escape
desta vez. O Somendra colocou você numa situação real de
crescimento. Esse é um problema que você arrumou ao encontrar
um terapeuta que conduz grupos, então, o que fazer? E essa é
uma situação mais real que qualquer grupo pode criar.
Uma situação de grupo é sempre artificial, arbitrária.Ela
nada tem para comparar com a situação de vida. E essa é uma
situação de vida. Esteja só. Deixe que isso machuque... Deixe que
isso machuque de todo jeito. Entre nisso, chore e lamente, mas
não tente escapar. Chegará um momento em que você terá
tocado o fundo do poço e, de repente, você vai se movimentar de
volta. Mas isso só acontece quando você tiver chegado ao
Transmutation - Transformation Tarot extremo. Isso é como o pêndulo de um relógio. Ele vai para a
esquerda, até o extremo, e daí ele volta. O mesmo acontece na mente.
Se você puder estar realmente triste, até o verdadeiro fundo da tristeza, e se você não
estiver resistindo a ela, se na verdade você estiver montado nela e indo dentro dela... Se você
quiser ver exatamente o que ela é e até onde ela poderá levá-lo, não estando de forma alguma
contra ela... Você estará simplesmente indo com ela, você estará realmente numa profunda
investigação para saber quanta tristeza é possível, quão sozinha uma pessoa pode estar e
quanto isso pode machucá-la...
Ninguém jamais foi morto pela tristeza. Ninguém jamais foi morto pela solidão, senão
todo o mundo já teria desaparecido há muito tempo. Se você puder ir até o verdadeiro fim
disso, percorrido todo o caminho, correndo em direção ao máximo disso, de repente, um
momento chegará em que você verá o movimento de volta acontecendo. E esse é um momento
tremendamente belo: ver as energias mudando. É a mesma energia que se torna tristeza e que
se torna felicidade, que se torna dor e que se torna alegria. É a mesma energia.
Nós não temos muitas energias, nós temos apenas uma. Essa mesma energia se torna
raiva, se torna compaixão, se torna amor, se torna ódio. Ela tem multi-potencialidades. Ela é
multi-dimensional. E nós temos que conhecer todos os seus lados porque nós somos essa
energia. Nós temos que conhecer a nós mesmos. Isso é auto-conhecimento.
Quando Sócrates diz 'conheça-te a ti mesmo', o que ele quer dizer? Ele simplesmente
quer dizer: conheça todas as possibilidades de seu ser. A tristeza é uma possibilidade. Se você
não conhecê-la, nunca se tornará consciente de si mesmo. O auto-conhecimento nunca
acontecerá, porque uma parte de você permaneceu na ignorância. Assim, nunca perca qualquer
oportunidade. Essas são oportunidades dadas por Deus.
Entre na tristeza muito profundamente para que você conheça todo o caminho, toda a
dor. E a dor transforma. A dor é como o fogo. Ele derrete o ouro, mas purifica-o. Tudo aquilo
que for acidental será queimado nele, mas tudo aquilo que for essencial surgirá nele ainda mais
puro. Em cada tristeza, se a pessoa for até o final dela, ela retornará ainda mais forte, mais
enraizada, mais centrada. Você não será capaz de reconhecer a sua própria face. Você terá uma
graça imensa se você puder ir até o verdadeiro fundo da tristeza. E quando ela mudar, você
verá aquele momento quando, de repente, você está no limiar da mudança, a noite se tornando
dia. As estrelas desaparecem e o sol está nascendo no horizonte. A escuridão se torna luz e
alvorada. Esta é uma das mais belas experiência que o homem pode ter.
Mas nós a perdemos, porque nós nunca vamos até o final. Nós lutamos. De alguma
maneira nós ajeitamos e manipulamos nós mesmos para estar com alguém, para criar alguns
tipos de felicidade, só para evitar aquela experiência. É natural que essa felicidade também seja
falsa. Ela não é verdadeira. Ela não pode ser verdadeira porque o seu ser mais interno estava
pronto para ir até o fundo da tristeza e você criou uma contradição. Você forçou alguma falsa
felicidade. A energia estava indo em uma direção e você está forçando-a em outra. Você pode
forçá-la, pois ela é sua energia, mas tudo o que vier disso não será natural.
Haverá uma felicidade, mas ela não será verdadeira. A verdadeira felicidade surge a
partir da verdadeira infelicidade, porque somente o verdadeiro pode ser transformado no
verdadeiro. Essa é a base de todo trabalho de alquimia. O verdadeiro pode ser transformado
apenas no verdadeiro. Mesmo um metal mais básico pode ser transformado em ouro, mas ele
tem que ser verdadeiro.
Assim, siga nisso. Tenha uma verdadeira viagem ao inferno. Visite o inferno e vá
deliberadamente. Quanto mais depressa você for e quanto mais inteiro você for, mais cedo você
alcançará o fim. Ele pode ser alcançado num simples momento. Isso depende da intensidade e
de quão rápido você for nele. Se você não lutar, a energia conduzirá você. Num simples
momento você pode alcançar os limites da tristeza e você verá a alvorada, o sol nascendo e a
energia transformando-se por si mesma. E você não terá feito esforço algum para transformá-
la.
(Osho disse que na medida em que a pessoa se tornou capaz de observar esse
fenômeno, pouco a pouco não há mais necessidade de sofrer a angústia e a confusão. Tudo é
conduzido para 'satchitanand' - verdade, consciência, bênção.
Uma vez que a pessoa tenha experienciado o estar só, o amor terá uma qualidade
totalmente diferente. Ele não é mais uma necessidade, mas simplesmente um compartilhar,
um luxo.)
E eu estou aqui, não se preocupe. Eu estou na sua solidão, esperando e observando
você. Seja então corajosa e não escape desta vez, mm? Bom! (......)
Vinod (um sannyasin alemão): Eu tive muitas dificuldades no
grupo (Primal Therapy). Pelo menos até a metade. Eu não queria
ser forçado e muitas vezes eu quis abandonar, mas eu continuei.
Eu tive muitas dificuldades para entrar em contato com
sentimentos profundos através daqueles exercícios.

Osho: Não, o problema era com você e não com o grupo. Se


você não queria ser forçado, então perdeu todo o grupo, não
houve qualquer sentido nele. Você deveria ter abandonado.
Lembre-se sempre que não há qualquer sentido em fazer uma
coisa que você não queira fazer. Não há qualquer sentido porque
nada surgirá a partir disso, somente frustração. Você na verdade
nunca o fará. Você estará simplesmente brincando, deixando
rolar, achando que alguma coisa poderá acontecer. Mas você se
ressente. Você não gosta que lhe digam para fazer isso ou
aquilo, você não gosta de ser disciplinado. Então nada pode Surrender -Transformation Tarot
acontecer, porque um grupo tem uma disciplina.
.
Vinod: Sim, mas como livrar-me da minha estúpida resistência?

Osho: Eu lhe darei algumas poucas coisas estúpidas para fazer e você irá se livrar pouco a
pouco. Muitas pessoas têm essa atitude, particularmente a nova geração, de achar que há
alguma coisa errada em ser disciplinado, em acatar o que lhe dizem para ser feito. Eles pensam
que a liberdade deles está sendo negada. Mas somente um homem disciplinado pode ter
liberdade, ninguém mais. Você pode ter licença, mas isso é uma coisa totalmente diferente, não
liberdade. Liberdade é uma coisa muito responsável. Ela necessita de um grande estado de
alerta e para isso é preciso uma grande disciplina. Eles necessitam um do outro.
Isso é uma hierarquia. Se você disciplina a sua vida de uma certa maneira, você se torna
mais centrado. Com um ser mais centrado, você tem mais luz internamente, mais consciência.
Do contrário, tudo se torna difuso. Tudo se torna turvo e você vira uma confusão, um caos. Daí,
você não tem qualquer ordem interna.
Assim, não há necessidade de se tornar um escravo. Disciplina não é escravidão. Se
alguma disciplina é forçada em você, contra você, então ela é uma escravidão. Mas se ela é
uma escolha sua, então não é. Por exemplo, se alguém vem e começa, sem permissão, a
operar o seu estômago, ele está sendo um intruso dentro de você. Mas se você for a um
cirurgião, pagar-lhe pelo serviço e ele operá-lo, isso é liberdade. Foi a partir de um ato
voluntário seu que você chegou até ele. Você é que decidiu ser operado. Assim, ele não é um
açougueiro, um assassino ou algo parecido. Você pode dizer a qualquer momento: 'Pare! Eu
não quero isso. Chega!' E ele tem que parar.
Quando você vai para um grupo, é por sua própria vontade que você decidiu participar
dele. Ninguém está forçando você. Você decidiu participar do jogo, assim você tem que seguir
as regras. Isso é o que eu estou sugerindo. Se você estava sentindo que ele não era para você,
que não queria estar disciplinado, então deixasse-o imediatamente. Qual o sentido de estar ali?
Seria inútil.
Participe de outros dois grupos depois do Campo de Meditação. Primeiro, durante o
Campo, tente fazer isso que estou lhe dizendo. Esteja de acordo com a sua vontade. Se você
quer participar, então siga as regras do jogo. No Campo, faça todas as meditações tão
intensamente e tão totalmente quanto for possível. Particularmente a meditação Dinâmica será
útil para quebrar isso, porque ao levantar-se cedo de manhã, a mente começa a pensar: 'Por
que me incomodar? Por que ficar forçando algo? Por que não deixar as coisas acontecerem
espontaneamente? Por que não dormir um pouquinho mais?'
Entrar em alguma disciplina é muito bonito e ela lhe traz muitas visões novas e insights,
e uma vez que você conheça isso... As pessoas fazem uma associação errada a respeito de
disciplina. Os pais lhes disseram: 'façam isso, não façam aquilo' e suas ordens eram quase
sempre tolas. A criança via a tolice delas mas elas tinham que ceder porque os pais eram
poderosos. Depois os professores e todo tipo de gente estúpida ensinaram e forçaram coisas na
criança, as quais ela sabia que eram sem sentido, mas ainda assim ela sabia que tinha que
fazer. Depois, toda a sociedade faz o mesmo. É uma sociedade estúpida e ela segue forçando
coisas estúpidas nas pessoas, por isso surgem as associações erradas. Mas essa associação
errada é perigosa porque você perderá algumas belas coisas.
É ruim seguir um homem estúpido e sua disciplina, mas se você puder encontrar alguém
que está mais alerta que você, siga-o. Siga-o cegamente porque ele o apresentará a alguma
coisa nova. Se você puder encontrar alguém que conheça melhor e mais que você, que ame
mais que você, escute-o. A sua disciplina irá ajudá-lo.

OSHO - The Passion for the Impossible - Monday September 6th


tradução: Sw.Bodhi Champak

Copyright © 2006 OSHO INTERNATIONAL FOUNDATION, Suiça.


Todos os direitos reservados.