Você está na página 1de 76

ano 8 edição 45 abril 2008

Sonhos
Reais A história daqueles
Robinson que não tiveram
Shiba medo de ir em busca
de seus sonhos e os
tornaram reais
abril 2008
edição 45

í n d i o s pa n k a r a r u : U m a l u ta pa r a m a n t e r a t r a d i ç ã o n o M o r u m b i


D O LC E M O R U M B I E D 45 A B R I L 2008

O MORUMBI DE TODOS NÓS


DIRETORIA Denise Gonçalves e Vania Ferreira
PUBLISHER Denise Gonçalves – denise@editorasupernova.com.br
DIREÇÃO DE ARTE Vania Ferreira – vania@editorasupernova.com.br Há vários motivos que me fazem gostar do Morumbi. Gosto, em
REDAÇÃO Francilene Oliveira – Mtb 47.074
editorial@editorasupernova.com.br
primeiro lugar, porque o Morumbi espelha literalmente um Brasil
PRODUÇÃO Roseli Gonçalves em miniatura, e vivenciar os desafios do nosso bairro nos ajuda,
pauta@editorasupernova.com.br
ARTE Alessandra Meira – arte@editorasupernova.com.br
também, a entender o país em que vivemos. O forte contraste
CAPA JAF social, os problemas com trânsito e violência, todas são questões que
ATENDIMENTO Paula Mozart
atendimento@editorasupernova.com.br nós, brasileiros, precisamos enfrentar a cada dia, e só encarando-
DEPARTAMENTO COMERCIAL os literalmente com a cara e a coragem, usando todos os recursos
Alice Cristina Gonçalves
comercial@editorasupernova.com.br disponíveis, é que as soluções podem começar a apontar em um
DEPARTAMENTO FINANCEIRO
Márcia Maria Gonçalves – administracao@editorasupernova.com.br horizonte ainda que distante. Por recursos disponíveis entenda-se,
ASSESSORIA JURÍDICA João de Paulo Neto – jpn.adv@aasp.org.br entre outros, o voto consciente e a participação ativa na busca de
JORNALISTA RESPONSÁVEL Jorge Fernando Jordão – Mtb 25.370
melhorias – quer seja através da organização da sociedade civil ou
COLABORARAM NESTA EDIÇÃO
Claudia Castellan, Floriano Serra, JAF (fotos, exceto as indicadas), por iniciativas particulares orientadas para o bem comum.
Leandro Linhares, Lívio Giosa, Paulo Roberto Amaral, Renato
Corrêa, Rosa Richter, Roseli Gonçalves (revisão), Silvia Utsch e
Thais Narkevitz (ilustrações) Mas não gosto do Morumbi apenas pela porção Brasil que ele
IMPRESSÃO CLY
representa. Gosto dele, principalmente, pelas suas oportunidades.
DISTRIBUIÇÃO Gratuita via courier para mailing VIP
TRÁFEGO Ronaldo Ferreira Gosto dele pelo que particularmente lhe pertence. Por ele comportar
REPRESENTANTES COMERCIAIS todos aqueles lugares bacanas que figuram até mesmo em alguns
Ana Paula Freitas e Fátima Lopes
TIRAGEM: 15 mil exemplares roteiros de city tour. Pelo seu crescimento econômico, que permite
cada vez maior independência em relação “ao lado de lá da ponte”.
REVISTA DOLCE MORUMBI é uma publicação da
Supernova Editora Ltda. A editora não se responsabiliza pelas Pelas pessoas que escolheram-no para viver, gente com grande
opiniões emitidas nos artigos assinados. Ninguém pode retirar
produtos nem quaisquer outros materiais em nome desta
publicação sem autorização expressa, por escrito, em papel
capacidade de realização, muitas delas fazendo a sua parte na
timbrado, da diretoria da Supernova.
formação da identidade deste bairro ainda tão complexo...
CARTAS PARA A REDAÇÃO
Av. Dr. Guilherme Dumont Villares, 2309 B E alguém lá poderia querer oportunidade maior do que essa?
CEP 05640-004 – São Paulo – SP
atendimento@editorasupernova.com.br
Tel: (11) 3743-1556 / 3464-6600 - Fax: (11) 3464-6612

DOLCE APÓIA: Boa leitura e até o mês que vem.

Denise Gonçalves
www.reciclamorumbi.com.br www.escoladopovo.org
denise@editorasupernova.com.br

10
26 32

10
18
capa Sonhos reais

agenda

21 de 1 a 10 Thais Fantauzzi

24 Risoto de pêra com gorgonzola &
Bem-casado

26
Contrafilé recheado com presunto defumado ao molho rôti

Lar doLce Lar Que tal um cineminha em casa?, por Silvia Utsch

28

tecnoLogia Turbine seu iPod, por Leandro Linhares

30 test drive 10ª geração do Corolla, por Renato Corrêa

44 32 moda Tendências inverno 2008... Para o trabalho, por Claudia Castellan

34 roteiro Ramon Urtiza x Nelson Gama

44 especiaL A tradição indígena Pankararu no Morumbi

50

vida profissionaL Leal ou profissional, por Lívio Giosa

52 em foco

58
cidadania Política: informações importantes em um
ano eleitoral, por Rosa Richter

60 pensata Quando a violência bate à porta, por Paulo Amaral



62 comunidade Banca do Futuro

66 especiaL educação

68 destaques

74 finaL feLiz Concessão ou não – Eis a questão, por Floriano Serra


tess




gente capa

Os sonhos, para se tornarem realidade, precisam passar


primeiro pelo campo da ação, campo este que revela
não somente várias incertezas, mas, principalmente,
a possibilidade da realização plena. Robinson Shiba
abandonou três consultórios de Odontologia para investir

Em
em uma idéia empreendedora. Ernesto Quissak, aos 38 anos,
deixou o escritório de advocacia para exercer a atividade
que realmente o inspirava, a pintura, e Alessandra Vieira

busca
de Mello, com cursos de extensão na Harvard University,
abdicou da carreira para se dedicar à família. Alguns
com dificuldades, outros em busca de sua essência, nossos

dos
personagens colocaram os sonhos em prática sem medo.
Hoje estão mais felizes e realizados.

por Francilene Oliveira fotoS JAF Caixa dos sonhos

Robinson Shiba não teve muitas dúvidas quando resolveu fazer Odontologia,
afinal seu pai, Jorge, já trabalhava na área. Ainda cursando, resolveu ir para os
Estados Unidos para adquirir mais experiência de vida. A viagem que duraria
apenas dois meses se prolongou por um ano. Robinson conseguiu emprego
como entregador de pizza e, logo depois, de lavador de pratos em um restau-
rante de entrega de comida chinesa. O que mais o impressionava eram os pe-
quenos restaurantes de Chinatown, em São Francisco. Ele ficou fascinado com
o sistema conhecido como take away, por meio do qual a comida era entregue
aos clientes em caixinhas de papelão branco, num balcão próximo à porta de
entrada dos restaurantes. No Brasil não havia nada parecido, e uma idéia, no
começo tímida, começou a tomar conta de seus pensamentos e a abalar sua
decisão de ser dentista.
Ao regressar, Robinson concluiu o curso de Odontologia em 1989 e clinicou
por três anos chegando a abrir três consultórios. Porém, a “idéia da caixinha”
permanecia presente e ele começou a alimentar o sonho de montar um negó-
cio de entrega de comida chinesa nesse tipo de embalagem.

10 dolce morumbi
A “idéia da caixinha” de
Shiba o transformou
em um “case” de
empreendedorismo

dolce morumbi 11
gente capa

outra das grandes paixões de Shiba, além


dos negócios, é a música. ele toca guitarra na
banda Keep. Ao lado, com a guitarra modelo
lucille autografada por b.b King

“ser dentista”. A primeira foi Gendai, Owan, Domburi, GrandVille e


a abertura da empresa e sua Brevità. Em 1995, a mulher de Robinson,
papelada, depois conseguir Márcia, assumiu a parte administrativa
crédito no mercado e elabo- direcionando a empresa. Nessa época o
rar todo o projeto de entre- filho do casal, Rafael, tinha 5 anos. Hoje,
ga de comida chinesa, que está com 18 e a filha, Sabrina, com sete, e
não existia na época. a família mora no Morumbi.
No dia da inauguração, o te- Para continuar à frente dos negócios, Shi-
lefone não demorou a tocar: ba, além da Odontologia, deixou de lado
outras ocupações, as quais vem retoman-
– Alô?! Vocês vendem boxes do, como a prática de tênis e a música. O
para banheiros? empresário chegou a tocar violão na facul-
Mesmo clinicando, Robinson fez pes-
quisas informais para identificar opor- – Não é isso, não. Aqui é um restaurante dade, numa banda batizada “Jimi Denta-
tunidades no setor e elas estavam chinês. Temos frango xadrez e rolinho dura e Suas Próteses Removíveis”. Há dois
todas lá: os cardápios impressos eram primavera. A comida vai em caixinhas. anos reuniu alguns funcionários e forne-
muito simples e sem ilustrações; as Por isso o restaurante se chama China in cedores na formação da banda Keep, que
pessoas tinham preocupações relacio- Box, respondeu Shiba. se apresenta de dois em dois meses em
nadas à limpeza e higiene, as amigas barzinhos. Shiba toca guitarra e tem um
O empresário passou a se dedicar inte-
de Shiba não pretendiam trabalhar em modelo Lucille autografado por B. B. King.
gralmente ao negócio e, mesmo com
casa, portanto o consumo delivery iria O que deixa Shiba realmente realizado
dificuldades financeiras e de fidelização
aumentar; já havia penetração da co- é saber que aquela “idéia da caixinha”
do cliente, inaugurou, um ano depois,
mida chinesa no hábito alimentar dos transformou não apenas a sua vida, mas
a segunda unidade da rede. A “idéia da
brasileiros, e 80% dos clientes que iam a de muitas pessoas. Sente-se feliz ao ver
caixinha” foi decisiva para o sucesso ini-
a restaurantes de comida oriental eram que os franqueados realizaram seus so-
cial do negócio.
compostos por ocidentais. nhos a partir de um sonho dele. O China
Em 1993, abriu mais quatro unidades em in Box tem como principal objetivo não
Robinson deixou de lado a Odontologia, sociedade com amigos. Quando Shiba mais o faturamento, mas o sucesso das
que lhe rendia uma confortável situação abriu o negócio com o pai e a irmã Helen, pessoas que fazem a marca e, por incrí-
financeira, e convenceu seu pai a vender não tinha a idéia de franqueá-lo. O mais vel que pareça, essa atitude só aumenta
um apartamento por um terço do valor longe que conseguia enxergar como su- a rentabilidade da empresa. Muitas fran-
a fim de investir na primeira loja China in cesso do empreendimento era ter no má- quias foram formatadas e inauguradas
Box, em Moema, no ano de 1992. Shiba ximo dez lojas China in Box. Só que as pes- em sociedade com funcionários da rede,
tinha apenas 24 anos e inspirou-se no soas começaram a perguntar se se tratava como gerentes, cozinheiros e até moto-
take away de São Francisco, com algumas de franquia. A partir daí, viu uma oportuni- boys. O cozinheiro da primeira loja em
adaptações: a cozinha ficava às claras, na dade de crescimento muito maior do que Moema e criador das receitas da rede,
frente e não nos fundos do restaurante, as dez lojas que havia previsto. Em 1994 Geraldo de Souza, hoje tem quatro lojas,
a comida era entregue por motoqueiros, participou da primeira Feira de Franquias inclusive a do Morumbi.
os folhetos eram coloridos e com foto e, e conseguiu franquear 35 lojas.
na fachada, brilhava um cartaz com o te- Hoje, são 130 unidades do China in Box,
lefone para os pedidos. Shiba não se contentou apenas com o a maior rede de comida chinesa do Bra-
China in Box e chegou a investir em mais sil. Shiba divide sociedade com 11 par-
As primeiras barreiras surgiram, pois Shi- de 13 negócios diferentes, até descobrir ceiros e possui apenas
maria Júliauma
vai às que é só
compras
ba não tinha experiência em comércio que estava perdendo o foco. Então se sua, a primeira, deusando
Moema, a “moeda nú-
sua ecobag
varejista. Até então só entendia sobre concentrou apenas em seis: China in Box, mero 1 do Tio Patinhas”, o lugar onde se

12 dolce morumbi
13
gente capa

Ernesto Quissak
Neto trabalha uma
exposição para mostrar a
importância do desenho
aliado à pintura

14 dolce morumbi
concretizou aquela idéia que começou nhar dinheiro com a arte. Quando o pai
meio tímida, a “idéia da caixinha”. de Ernesto morreu, em 2002, ele defini-
“O gritO” tivamente entendeu que era hora de as-
sumir a pintura numa seqüência da obra
Quissak Neto concentra-se na recuperação de seu avô e de seu pai, como se o bastão
de uma tela de Antonio Rocco em seu ate- tivesse sido passado para ele. Entregou o
liê no Morumbi. Uma luz tênue entra pela escritório para o irmão Sérgio, abandonou
janela enquanto a música clássica ecoa as aulas e, desde os 38 anos, se dedica in-
pelo ambiente, livros de arte espalham- tegralmente à pintura, principalmente à
se pelas estantes e em um canto, objetos restauração, apesar de ter sacrificado um
pertencentes ao avô Ernesto Quissak e ao pouco seu padrão de vida.
pai Quissak Júnior, ambos pintores, estão
sobre uma mesa; três Ernestos, três gera- Solange Rocco deu apoio ao marido
ções de pintores. porque quando o conheceu ele tra-
balhava com o pai no ateliê, então ela
Desde criança, Ernesto brincava com tu- entendeu sua decisão. Surpresa mes-
bos de tinta enquanto seu pai pintava mo foi para os alunos e para a clientela,
quadros, geralmente da família. Foi na- para quem “de repente o Dr. Ernesto
quele ambiente paternal que aprendeu a havia virado um pintor!”.
emoldurar, limpar e envernizar trabalhos.
Assim foi até os 22 anos, quando o pai fi- O ex-advogado alçou vôo e sempre
cou doente por intoxicação com tintas, de brinca que não está pintando sozinho,
forma que em 1985 parou de pintar. Sem pois a genética é muito forte, é como se
chão e sem ter mais a quem ajudar, Ernes- seus antepassados estivessem ali com
to Neto entrou para o curso de Direito na ele, mas não foi uma decisão fácil, ela foi
Faculdade Salesiana, em Lorena, próxima a amadurecida em conversas com Solan-
Guaratinguetá, sua cidade natal. ge e com amigos, mas no fim é sempre
uma decisão solitária.
Depois de formado, Ernesto foi convida-
do para ser professor assistente de Direito A substituição dos ateliês improvisados
Romano na própria faculdade. Em 1995, por um mais profissional na Vila Maria-
casou-se com Solange Rocco e veio para na, e depois no Morumbi, marcou ainda
São Paulo onde começou a dar aulas na mais essa decisão. Ernesto focou seu tra-
Central de Concursos, preparando can- balho na restauração, mas também pinta
didatos à carreira de auditor fiscal, e abriu para expressar sentimentos. Atualmente
o escritório Quissak Advocacia, na Sé, ao está com uma série de estudos para uma
lado do Tribunal de Justiça. Mais tarde, exposição, a ser realizada este ano, que
seu irmão Sérgio Quissak, também forma- visa mostrar a importância da técnica do
do em Direito, veio trabalhar com ele no desenho com base para a pintura. A idéia
escritório. Observando o amor do irmão é associar imagens com textos de poetas
pela profissão, Ernesto percebeu que não e pensadores trazendo nesta fusão do
sentia a mesma sensação. Direito não era traço, da cor e da palavra o significado
o que realmente queria, por isso decidiu último de cada obra.
transformar um quartinho que sobrava no Ernesto adora música, iniciou seus estu-
apartamento, nos Jardins, em um ateliê. dos de piano aos seis anos e aos doze
Quissak continuou dando aulas e ia ao es- anos encontrou seu instrumento musi-
critório de vez em quando. Cada vez mais cal definitivo, o violão clássico, sua pai-
dedicava seu tempo ao ateliê. Por conta xão até hoje. Ele se alimenta da música
de sua dedicação à pintura, seus ganhos para criar sua obra, como se a mensa-
também foram mudando; naturalmente gem musical se transformasse em um
começou a ganhar menos porque, como quadro. A música tem, para ele, um sig-
pintor em início de carreira, era difícil ga- nificado plástico.
dolcE morumbi 15
gente capa

Às vezes, quando comenta sua mudan- e em seus quadros, verdadeira explosão Doce, de voz meiga, Alê está com Carlos
ça, as pessoas exclamam: “Você é louco!”, de traços e cores sutilmente contida Relvas há 19 anos – incluindo namoro,
mas ele diz que loucura é deixar a vida dentro dos limites de uma tela, que no noivado e casamento. Juntos, tiveram
para depois. Desde criança Ernesto sa- entanto, transborda espaço afora, arre- dois filhos, Guilherme, de sete anos e
bia que a pintura era intrínseca a ele e batando o olhar de quem vê. Gustavo, de quatro. Por conta da pro-
sonhava em trabalhar nessa área. Seu fissão do marido, já morou em cidades
Um novo olhar
caminho foi desviado pela advocacia, como Rio de Janeiro, Boston, Manaus,
mas ele resolveu retomar sua rota origi- Alessandra Vieira de Mello é formada em México e São Paulo. Ainda que tenha
nal, entregando-se à Arte de um modo Ciências Contábeis pela Universidade trabalhado nessas localidades, Alessan-
intenso, total e urgente. De fato, a con- Federal do Rio de Janeiro, possui cursos dra jamais hesitou em “fazer as malas” e
vicção de Ernesto se reflete nele próprio de Extensão pela Harvard University, ex- seguir seu sonho de criança, que era o
periência em multinacional e fluência de constituir uma família e ver seus fi-
em inglês e espanhol. Por mais que se lhos crescerem.
Apesar do currículo invejável, Alessandra abriu pareça com a descrição de uma execu-
mão de uma carreira promissora para se dedicar tiva, não é nada disso, Alessandra é uma “O mercado de trabalho pode esperar...
aos filhos e marido em tempo integral bem-sucedida dona-de-casa. A oportunidade de vivenciar a infância
e o desenvolvimento dos meus filhos,
não”, é o que ela costuma dizer.
Apesar de ter sido uma escolha pessoal,
Alessandra sabe que caminha na con-
tramão da sociedade moderna, em que
a mulher cada vez mais conquista seu
espaço profissional. Segundo ela, as em-
presas ainda não oferecem uma estrutu-
ra para as mães, e nem pensou na pos-
sibilidade de sair de casa para trabalhar
e passar o dia inteiro sem ver os filhos.
Alessandra acorda cedo, leva os filhotes
à natação, brinca, leva-os à escola, ajuda
com o dever de casa. Aos finais de sema-
na, o programa continua familiar e, junto
com o marido Carlos, leva-os ao cinema,
lanchonetes e parques.
O sonho de formar uma família acabou
mostrando outras alternativas. Alessan-
dra descobriu um dom. Hoje, com 33
anos, pretende acompanhar um pouco
mais o desenvolvimento dos seus pim-
polhos para depois fazer Pedagogia e
continuar lidando com crianças. Como
já dizia Mário Quintana, “sonhar é acor-
dar-se para dentro”.
Nossos personagens do Morumbi aca-
baram movendo-se ao encontro de sua
essência e atenderam a um chamado
interno, quer seja uma veia empreende-
dora, uma arte, a maternidade... Eles fo-
ram adiante e se mostraram grandiosos,
do tamanho de seus sonhos.

16 dolce morumbi
17
agenda morumbi

CALENDáRiO
DO MORUMBi
De 9 a 25 De abril LocaL: Hotel HB Ninety – Sala Monet até 4 De maio
Cursos Do shopping butantã Al. Lorena, 521 – Jd. Paulista exposição a arte que banha o norDeste
dia 9 Arrumação de armário de rouparia e Horário: das 8 às 18h Reúne obras de cerca de 30 artistas de
de banheiro inForMaÇÕeS e inScriÇÕeS: cinco estados e faz parte do projeto
dia 10 Artesanato: porta-retrato www.interaassessoria.com.br Brasil Mostra a sua Arte.
em cartão craft Tels.: 3853-7475 / 9676-2584 com Andréa LocaL: Palácio dos Bandeirantes,
dia 14 Culinária: bem-casado e bolo Av. Morumbi, 4.500 – Portão 2
decorado com flores 16 De abril Horário: De seg a sex das 10 às 17h,
dia 16 Bordado: coração florido em ponto poCket show – Choro Das 3 sempre em horas cheias. Sábados,
torçaide As três irmãs Corina, Lia e Elisa Meyer domingos e feriados, das 11 às 16h,
dia 17 Artesanato: curso ensina a fazer lançam o CD Choro das 3 – Meu Brasil sempre em horas cheias
porta-sapatos Brasileiro (Som Livre). O repertório passa por agendaMento eLetrônico:
dia 18 Artesanato: cartão com cerâmica consagrados artistas do choro e inclui uma www.acervo.sp.gov.br
plástica para o Dia das Mães música inédita. Todas as visitas são acompanhadas por
dia 24 Beleza: cuidados com a pele e lábios LocaL: Fnac Morumbi monitores.
dia 25 Artesanato: cachepô Morumbi Shopping, Piso Térreo e Piso Lazer inForMaÇÕeS: Tel.: 2193-8282
de madeira para violeta Av. Roque Petroni Júnior, 1.089 gratuita
LocaL: Shopping Butantã – Av. Prof. Horário: 20h
Francisco Morato, 2718 inForMaÇÕeS: 3206-2000 abril e maio
Horário: 14h30 gratuito Cursos gratuitos na leroy merlin raposo
inForMaÇÕeS e inScriÇÕeS: 3723-3900 tavares – Os cursos serão ministrados pelos
curSoS gratuitoS até 19 De abril parceiros Casa do Restaurador, Coral, Suvinil,
exposição “brasil antigo” em shaDow art Sherwin Willians, Moral Color e HTH.
De 11 De abril a 11 De junho Uma viagem pela nossa história apresentada 12/4 Textura (Sherwin Willians) –
exposição lonas Com arte, de Jonas Lemes de forma especial por Mitiko Yanagui. das 14 às 15h30
LocaL: Centro Cultural Apsen, na Casa da LocaL: Casa da Fazenda do Morumbi 18/4 Workshop Carimbo, Ferramentas e
Fazenda do Morumbi Avenida Morumbi, 5594 Stencil (Casa do Restaurador) – das
Av. Morumbi, 5594 – Estacionamento com Horário: De ter a dom das 11 às 21h 10 às 13h e das 14 às 17h30 (turmas com
manobrista na Casa (R$ 10) inForMaÇÕeS: Tel.: 3742-2810 – Curadoria: 1 hora de duração)
Horário: Ter a sáb das 12 às 20h, e aos Vagner Aniceto
19/4 Tratamento de Piscinas (HTH) –
domingos das 12 às 18h
24 De abril das 14 às 15h
inForMaÇÕeS: 3739-5100
ViSitaÇão gratuita poCket show – CPM 22, show do CD Cidade 26/4 Textura (Suvinil) – das 11 às 12h30
Cinza (Universal). Além de uma performance 5/5 Demonstração (Moral Color)
14 De abril ao vivo, a banda fará sessão de autógrafos das 13 às 16h
evento: meDiDas sustentáveis para Converter ao final do evento. 10/5 Tratamento de Piscinas (HTH)
resíDuos em reCeita – Os palestrantes dividirão LocaL: Fnac Morumbi – Morumbi Shopping, das 14 às 15h
suas experiências e, através de estudos de Piso Térreo e Piso Lazer – Av. Roque Petroni LocaL: Leroy Merlin – Rodovia Raposo
caso, ilustrarão como encontram o norte para Júnior, 1.089 Tavares, KM 14,5
os desafios de construir sem destruir, produzir Horário: 19h 25 vagas por curso
mais com menos e visionaram o lixo como inForMaÇÕeS: 3206-2000 inScriÇÕeS: 3732-0800 ou
fonte de sustentabilidade. Distribuição de senhas 1 hora antes do evento www.leroymerlin.com.br

Apoio cultural
18 dolce morumbi
apsen

19
fort house

20
gente entrevista

de 1 a 10
THAIS FANTAUZZI
Dona de um olhar expressivo e um sorriso conta-
giante, a atriz Thais Fantauzzi respira teatro por
todos os poros e faz disso sua vida – atua, ensina,
escreve, dirige, produz.
Ciente do desafio que é promover cultura no Bra-
sil inaugurou, dia 29 de março, um espaço pionei-
ro no país, onde é possível conciliar três grandes
prazeres: a arte, a boa gastronomia e o encontro
com amigos – o Espaço Casa Morumbi (veja nota
na seção Em Foco, pág. 55), que traz a peça De
Papo Pra Lua. A comédia, de sua autoria, é inspi-
rada na história real de um cidadão americano,
que após passar por seis profissões decide lotear em um banco e fazendo faculdade de economia),
a Lua e fica milionário. tomei a decisão de virar o jogo e prestar arte dra-
Thais considera seu curso de teatro seu maior mática na USP. Foi a minha sorte... E a do Brasil! Já
bem e acredita que o país possui matéria-prima pensou que economista eu seria?

2
farta e rica em termos profissionais, mas falta in- No palCo da vida vale tudo para ser prota-
vestidores capazes de apostar no novo e pessoas goNista?
que visualizem o projeto como um todo. Para o Não, não vale tudo. Aliás, me incomo-
futuro pretende se posicionar como empresária da muito esse jeito de levar as coisas. Sou uma
artística empenhada na luta cultural. pessoa extremamente preocupada com a éti-
ca, o profissionalismo, a conduta para se con-
quistar um objetivo. Pra mim só vale a pena se

1
Como voCê Chegou ao teatro? for assim.
Fui uma criança que queria inventar um jei-

3
to de transformar a realidade em algo mais viver do teatro No Brasil é uma arte?
E como... Ontem mesmo fui assistir a um
divertido. Ficava pensando em alternativas para
espetáculo com atores incríveis (um de-
escapulir de um mundo que me parecia monóto-
les, uma atriz consagrada na televisão) em um
no. Aos dez anos vi minha irmã atuando em um local alternativo. Como não havia infra-estrutura,
espetáculo amador e enxerguei aí uma boa saída. no meio da peça caiu a luz, vazaram sons... Inclu-
Fiz teatro na escola, no clube, nos vizinhos, na calça- sive o jogo do Corinthians que era ouvido na sala
da. Mais tarde, quando a vida me levou novamen- ao lado. Os artistas vão resistindo bravamente,
te para o mundo cartesiano (estava trabalhando mas tudo tem um limite.

dolce morumbi 21
gente entrevista

4
toda estréia dá um frio Na Barriga?
Claro que sim e é uma delícia. Dizemos que se não há
adrenalina não tem graça.

5
as téCNiCas de teatro podem ser apliCadas à vida?
Grande parte dos meus alunos procuram o teatro
não para seguir carreira e sim, para vencerem blo-
queios pessoais e sociais. Meu curso se propõe a ensinar as
técnicas do ator para pessoas comuns que querem melhorar
a comunicação, a voz, o desempenho em público ou sim-
plesmente desestressar. Nesse sentido, elas podem e devem
ser consideradas uma valiosa ferramenta para a vida.

6
Como é viver outras vidas sem perder sua essêNCia?
Aí é que está a grande magia. Poder vasculhar os sen-
timentos humanos de forma tão intensa e voltar a ser
você. É uma oportunidade ímpar. Quando se aprende a fazer
isso com técnica, não se corre este perigo.

7
para quem voCê daria a lua? e quem maNdaria pra lá?
Atualmente para meu grande amor. Seria o único jei-
to de agradecer todo o apoio e incentivo que ele me
dá. Quem eu mandaria?? Puxa... Acho que o cachorro do meu
vizinho... Mas mandaria uma cadelinha junto, coitado, ele não
tem culpa de latir assim!

8
voCê atua, eNsiNa, dirige. é multifuNCioNal tamBém
Na vida pessoal?
Multi, super, hiper. Frito peixe e olho o gato e ainda
decoro texto, namoro, faço supermercado, capto recursos
para os espetáculos, vejo o entupimento na pia, busco a filha
na balada e por aí vai...

9
qual foi o fato mais eNgraçado que aCoNteCeu eNtre
voCê e seus aluNos?
O mais engraçado foi uma aluna que incorporou de
verdade. Ela era espírita.

10
sua vida é feita de mais Comédias ou tragédias?
Como eNCara Cada uma delas?
Escrevi um livro de crônicas chamado “Vãs Filo-
sofias de uma Mulher Mandioca”, onde faço uma releitura
da minha existência neste planeta, transformando todos os
maus momentos, ou se preferir, os momentos trágicos, em
hilárias histórias. Fiquei surpresa com a quantidade de comé-
dia que existe na tragédia. É só mudar de ângulo.
22 dolce morumbi
23
DE BEM COM A VIDA GASTRONOMIA

BEM-CASADO

RISOTO DE PÊRA CONTRAFILÉ RECHEADO COM PRESUNTO


COM GORGONZOLA DEFUMADO AO MOLHO RÔTI
De origem italiana, o risoto, inicialmente chamado um agradável sabor picante que vem do
de “sopa seca”, era considerado um prato popular. presunto e do molho.
Com o tempo ganhou a companhia de ingredientes Para Ana Purim, proprietária do Naana,
sofisticados, como açafrão, funghi, e tornou-se uma que investe na diversificação e brasilida-
charmosa opção para as melhores mesas. Chegou de de seus pratos sem perder o requinte,
ao Brasil por volta do século XIX trazido pelos imi- os risotos são pratos práticos por serem
grantes, onde pode ser saboreado das formas mais fáceis de preparar e muito saborosos por
diversificadas e criativas. isso têm lugar cativo no cardápio.
Por falar em diversificação e criatividade, uma boa dica O Naana é um restaurante self-service com
é saborear o risoto de pêra com gorgonzola acompa- menu variado e original e atendimento
nhado pelo delicioso contrafilé recheado com presun- personalizado. Como não possui cardápio
to defumado ao molho rôti, do restaurante Naana. fixo, é possível apreciar o risoto de pêra nos
A boa tradição italiana afirma que o risoto é um dias 16 e 28 de abril.
prato que se basta, porém a combinação é perfei- SERVIÇO:
ta, pois casa a suavidade do risoto de pêra ao sabor Naana Buffet e Restaurante
Av. Dr. Guilherme Dumont Villares, 1269
marcante da carne ao molho. Shopping Portal – Tel.: 3743-6273
O risoto combina o frescor da pêra e a forte presen- Almoço – De seg a sex das 12 às 15h30 (sáb até 16h)
ça do gorgonzola, proporcionando ao paladar uma Chá-da-tarde – De seg a sex das16 às 19h
leve sensação ácida e adocicada, já a carne oferece Valor do quilo: R$ 38,30 – buffet sáb. R$ 28,00
24 DOLCE MORUMBI
25
de bem com a vida lar, dolce lar Por Silvia Utsch

Que tal um cineminha


em casa?
Sentar atrás de um projetor na própria
casa foi durante anos o maior desejo de
milhares de cinéfilos. Mas, com o avan-
ço dos televisores de plasmas e LCDs
e seus tamanhos gigantescos, o sonho
de possuir uma tela gigante na sala se
fez realidade graças à alta definição.
Novas telas, capazes de exibir imagens
com pelo menos o dobro da qualidade
de antigamente, surgiram no mercado
e agora estão muito mais acessíveis.
Para tornar o cinema ainda mais com-
pleto, também já estão à venda no Brasil
os tocadores de HD-DVD e Blu-Ray. São
novos formatos de alta definição que
reproduzem a imagem perfeita. Para
completar, as mídias Blu-Ray estão pre-
sentes em filmes, shows e DVDs virgens
em várias lojas e locadoras do país.
Ao comprar uma tela de alta definição,
há duas opções: de plasma e de LCD.
As de plasma vêm em tamanhos maio-
res e têm excelente contraste, mas de- Já as telas de LCD consomem menos O novo televisor está equipado com o

fotos: divulgação
mandam mais cuidado no uso e conso- energia. As inúmeras marcas existentes que há de mais avançado em qualida-
mem consideravelmente mais energia, no mercado oferecem modelos que de e definição de imagem. Ele possui
sem falar que algumas dissipam gran- vão de R$ 3 mil a R$ 300 mil, depen- um portfólio completo e diversificado
de quantidade de calor no ambiente. dendo do tamanho e tipo da tela. de soluções que proporcionam o má-
O HDMI é outra grande vantagem que ximo de experiência e entretenimento,
a alta definição traz às telas. Em inglês levando ao ambiente doméstico a qua-
significa interface de multimídia de lidade do cinema de última geração ao
alta definição. Trata-se de um cabo que exibir imagens em altíssima resolução
transporta ao mesmo tempo sinais que permitem a composição de cenas
100% digitais de áudio e vídeo. Além quase reais, com maior nitidez e con-
da qualidade, o principal benefício é a traste de cores.
simplificação das conexões. Antes era Agora, basta você rever seus conceitos,
preciso conectar um monte de cabos embarcar na nova tecnologia, fazer
para ligar um aparelho na TV. Hoje um uma pipoquinha e curtir um delicioso
cabo só resolve tudo. cineminha em casa.
SILVIA UTSCH é arquiteta e urbanista e moradora do Morumbi. e-mail: msutsch@ajato.com.br. cartas para esta seção: editorial@editorasupernova.com.br

26 dolce morumbi
27
DE BEM COM A VIDA tecnologia Por Leandro Linhares

Turbine
seu iPod
Acredito que hoje a maioria das pessoas
possua um MP3 Player como companhei-
riais e infinitas cores. Recomendo o de
silicone, pois é o mais prático de todos
leciona uma faixa de rádio no aparelho e
sintoniza a mesma faixa no rádio do carro,
ro no seu dia-a-dia, e eu, claro, não poderia e apresenta melhor custo-benefício. Mi- dessa forma o áudio é transmitido do iPod
deixar de ter esse brinquedo também. Dos nha marca favorita é a DLO (http://www. para o rádio. Mas não compre o transmis-
modelos existentes, o mais famoso é o iPod dlo.com) – a qualidade e acabamen- sor simples, que não utiliza o acendedor
da Apple (http://www.ipod.com); eu nadei to são impecáveis. É possível comprar – seu sinal é muito fraco, e em uma cidade
contra a maré e comprei o Zune, da Micro- em lojas no Brasil e existem para todos como São Paulo a interferência é enorme,
soft (http://www.zune.net), pois ele tem os modelos. Sugiro também que você então o sinal precisa ser mais forte. O que
uma tela maior, o que me permite assistir a compre um “screen shield” – plástico que possuo é da marca Griffin (http://www.gri-
filmes com melhor qualidade. O fato é que protege a tela contra riscos e arranhões. ffintechnology.com), excelente aquisição.
o iPod é um vencedor na quantidade de A marca Belkin ganha de todas, o tama- Cabo para tV: Conecta o iPod no conector
usuários, e também na lista de acessórios. nho é exato, não sobram beiradas e ne- A/V da TV (aquele de três pinos: amarelo,
São tantos que ficamos atordoados na es- nhum pedaço da tela fica desprotegido, vermelho e branco). Para esse item tam-
colha, então montei um “kit básico”. é totalmente transparente, garantindo bém indico o do fabricante, pois precisa
Montei essa lista pensando nos modelos uma perfeita imagem. ter uma garantia de isolamento de sinal,
mais vendidos que são o iPod clássico, o Carregador: Não é uma chatice ter que co- então compre da Apple mesmo.
iPod shuffle e o novo lançamento: o iPod nectar o iPod no computador para recarre- Caixa de som para Casa: É também conhe-
Touch. Divirta-se e boas compras. Se quiser gá-lo? Um carregador facilita muito essa ta- cida como “dock”, você encaixa o iPod em
incrementar a lista, me envie um email. refa e permite que você o faça em qualquer uma base com alto-falantes que reprodu-
Case: Essencial para proteção e maior“vida” lugar. Para esse item, tem que ser do próprio zem o som ambiente. Alguns modelos
do seu iPod. Existem várias marcas, mate- fabricante. Apple, apesar de caro, garante a possuem grande potência, mas acho des-
segurança de não “torrar” seu iPod. necessário, pois pode-se usar o mesmo
Kit Carro: Os novos rádios já possuem um cabo de TV para ligar no seu Home Thea-
conector USB – permite conectar direta- ter e ter um som de excelente qualidade.
mente o iPod. Porém, se você ainda tem Para esse item vale mais o gosto pessoal
um modelo antigo, compre um transmis- do que a marca – o meu preferido, o Sony
FOTOS DiVULGAçãO

sor FM. Uma ponta é plugada no acende- iPod Clock Dock, é completo: tem rádio,
dor de cigarros e a outra no iPod. Você se- relógio e sincroniza músicas, porém outros
Kit Carro fabricantes, como Apple, Belkin, DLO e Logi-
Case de siLiCone
tech, possuem modelos interessantes.
Essas marcas possuem a maioria dos
acessórios para outros modelos, como
SanDisk, Samsung, Sony e outros. Uma
dica importante: normalmente os “ge-
néricos” seguem as especificações dos
Cabo para tV famosos e os acessórios são compatí-
veis. E se você tiver um Zune, como eu,
Carregador me envie um e-mail que passo a lista
de acessórios para ele.

28 dolce morumbi Leandro Linhares é consultor de informática. e-mail: linharesleandro@hotmail.com - cartas para esta seção: editorial@editorasupernova.com.br
mister tech

29
DE BEM COM A VIDA test drive Por Renato Corrêa

10ª Geração do Corolla

No ano em que a Toyota comemora 50 e diante da demanda de seus produtos ciais, a Toyota disponibiliza uma versão

foto: divulgação
anos na fabricação de veículos no Brasil, ampliou a rede de distribuição chegando XLi, com câmbio automático e motor 1.6
e dez anos depois de iniciada a venda a 122 revendas em 2008. 16V VVTi a gasolina, com110 cv de potên-
do Corolla brasileiro está à disposição no Em março foi apresentada a 10ª geração cia a 6.000 rpm. O câmbio mecânico de
mercado seu mais novo sucessor. do Corolla, o veículo mais vendido na his- cinco velocidades está disponível nas ver-
tória da indústria automobilística mundial sões XLi e XEi.
História e referência – Em 1961 a Toyo- – mais de 33 milhões de unidades, desde A maior novidade, entretanto, está na
ta iniciou suas atividades com a fabricação o seu lançamento. transmissão automática de quatro veloci-
do Bandeirante, o utilitário que vendeu mais O nOvO mOdelO – O desenho equilibra- dades que recebeu o sistema Super ECT
de 100 mil unidades em 40 anos de muita do não esqueceu a elegância. De frente o (Controle Eletrônico de Transmissão), tec-
representatividade no mercado brasileiro. novo Corolla lembra bastante o modelo nologia que analisa as condições de uso
Em um terreno de 1,5 milhão de metros Camry, veículo que dita a tendência visual do veículo e, em função disso, seleciona e
quadrados na cidade de Indaiatuba, no dos sedãs da marca. Na traseira redese- mantém a marcha mais adequada para a
interior de São Paulo, e com o investimen- nhada sobressaem a tampa do porta- condição encontrada.
to de US$ 150 milhões, a Toyota do Brasil malas e as novas lanternas. No interior a Entre as muitas novidades do novo Co-
construiu a partir de 1996 as instalações principal mudança foi a adoção do assoa- rolla, além das já mencionadas, as que
de sua principal fábrica no País, destinada lho sem o incômodo túnel, aumentando, mais se destacam são: porta-malas mais
à produção do Corolla, lançado em 98. assim, o espaço para os ocupantes do espaçoso; acabamento e revestimento
Em janeiro de 2003, como resultado do banco traseiro. interior sofisticados; acelerador eletrôni-
êxito absoluto do Corolla, a Toyota do mOtOr e transmissãO – O motor é o co; direção eletroassistida; acendimento
Brasil elevou o volume de produção em consagrado 1.8 VVTi Flex de 16 válvulas automático dos faróis; faróis de Xenon;
120%, para comemorar, um ano depois, a que, nesta geração, rende 136 cv de po- sensor de estacionamento; ar-condicio-
produção acumulada de 100 mil unidades tência máxima a 6.000 rpm, quando abas- nado automático e digital; suspensão
do modelo. Foi também nesse ano que a tecido só com álcool. Para atender à nor- recalibrada para aplicação no Brasil; nova
marca japonesa lançou a Fielder, derivada ma ambiental que passa a vigorar no Brasil carroceria com reforço estrutural.
do Corolla, que ressuscitou o mercado a partir de 2009, o motor do novo Corolla
nacional de station wagon, abandonado recebeu um conversor catalítico mais efi- Preços: de R$ 62mil chegando a R$ 87 mil
pelas outras montadoras. ciente, reduzindo ainda mais os níveis de para a versão topo de linha.
Em 2007 passou a comercializar os veícu- emissões de poluentes na atmosfera.
los flex (bicombustível), Corolla e Fielder, Para o público com necessidades espe-
renato Corrêa – rcorrea@aclnet.com.br
30 dolce morumbi
lita mortari

DE BEM COM A viDA moda

Tendências
inverno 2008...

Para o
trabalho!
Todo ano, toda estação, a mesma dúvi- passado. Hoje as pessoas buscam indi- tendência para quem trabalha. Pode pa-
da: o que é moda no momento? Ou “o vidualidade, personalidade e coerência recer fácil, mas será que aquele coletinho
que me deixará com ar de ‘datada’, de com seu estilo, modo de vida, estado de curto e certinho no corpo combina com
coleção passada?” espírito, idade e silhueta. seu ambiente de trabalho? Certamente,
Qual mulher ainda não folheou uma Com tantas fontes de informação, é se você tem uns 40 anos, como eu, e é
revista, foi a um desfile da marca prefe- inegável um estresse sobre o que ves- executiva de uma grande empresa, me-
rida, assistiu a um programa, deu uma tir. “Será que posso?” “É para mim?”, ou, lhor deixar na vitrine, ou para sua filha
espiadinha nas vitrines? Poucas, pou- como diz aquela propaganda tão atual, adolescente. Por quê? Porque uma “ves-
quíssimas, com certeza, porque a moda “Nem tudo é para todas”. te” mais alongada, sem manga e acintu-
nos encanta, sim, tem um mistério, um É por isso que resolvi não falar tanto das rada ficará muuuuito melhor e não te
poder que contagia, mas não o poder tendências deste inverno, já que informa- deixará com ar infantilizado.
de vítimas da moda, isto já está ultra- ção você terá por aí, mas falar de moda- Se você quer parecer rejuvenescida,
moderna e mostrando ao mundo que
está por dentro, mas sabe ser coerente
nas suas escolhas, é preciso, e muito,
saber o que colocar no guarda-roupa
destinado ao trabalho.
Primeiro, deve ser enxuto, só com peças
coordenáveis, práticas e de fácil manu-
tenção, depois deve ter a sua cara (não
da chefe, da filha, da “gostosa” do lado...)
Personalidade é o único elemento ne-
cessário para se destacar, e em moda e
poder é a personalidade a chave para
michael
chanel chanel louis vuitton
ralph o sucesso de ambos. No que se refere a
kors lauren

32 dolce morumbi
tess tess tess

moda, é decisivo que se escolha entre Volta o ConCeito “Vestida para o suCesso” E sobre o poder que buscamos? É o
todas as propostas que a favoreça e que Um estilo que vai mais longe que o tweed poder da alma, que colocamos nas cria-
se mesclem com estilo e naturalidade. e se torna uma tendência, os tecidos de ções, não importa qual a área. É o poder
É indiscutível o poder que um bom traje alfaiataria masculina, como xadrezes, lãs do cargo que contribui para a justiça no
impecável, um belo par de sapatos e uma com ares de escola britânica, saias molen- mundo. E por último, o poder que sem-
bolsa perfeita fazem pela mulher, e sele- gas x lápis, mescla de cores e padrões. pre temos, de não abaixarmos a cabeça,
cionar o melhor dentre as novidades faz da rebeldia saudável, este sempre reina-
com que se tenha o armário definitivo. quatro peças impresCindíVeis que formam o rá acima de todas as tendências...
Em moda para trabalho hoje, não apenas melhor Companheiro para o trabalho Com Mas... Qual será a próxima?
o mais clássico e seguro abrigo ou casaco, ares de moda e Vitória são básiCas Com bossa
mas uma calça alinhada, um top elegan- e permitem infinitas Composições: Boas compras e sucesso no trabalho.
te, mas despretensioso, e novas meias Mas com muito estilo!!!
trabalhadas são o que fazem com que as Vestes: são jaquetas com ou sem man-
novas regras da moda (que é necessário gas, como coletes mais elaborados,
conhecer, nem que seja para romper de mais atuais e descolados que o tradicio-
vez em quando) dêem o poder que a mu- nal paletó de meia-estação.
Calça alfaiataria: é a chave para o look onde enContrar
lher procura. Os tempos mudaram e não
mais antenado da temporada. Xadrezes es- tess – r. dep. João s. hirata, 479 – tel.: 3742-9231
é mais preciso se vestir literalmente como
tão em alta no momento, mas são eternos. lita mortari – morumbi shopping – tel.: 5181-8811
homem para mostrar esse poder.
Peças em gola roulé: pode ser tricô daslu – av. chedid Jafet, 131 – tel.: 3841-4000
Como refresCar o look trabalho seguindo fino, malha de algodão, ou materiais di-
as tendênCias que apontam nas lojas? ferenciados. claudia castellan é consultora de imagem, consultora de private
Uma peça? Suéter de gola alta. Silhueta lápis: em saias e vestidos label, especialista em marketing de moda, professora universitária e
retos e mais sequinhos (proibido para do Senac , palestrante e autora de cursos na área de moda.
Um material? Jérsei ou cashmere. www.claudiacastellan.com.br. e-mail: claudiall@ig.com.br.
Um look? Retrô anos 70. quadris largos e pernas grossas). cartas para esta seção: editorial@editorasupernova.com.br.

dolce morumbi 33
dolce roteIro RAMON URTIZA X NELSON GAMA

O roteiro que Dolce escolheu para esta edição foi feito em duas ruas recheadas de variedades:

José Ramon Urtiza e Nelson Gama de Oliveira. Bem localizadas, as vias são vitrines de boas

opções e novidades voltadas para os mais diversos ramos. Ali se encontram três clínicas – Clínica

Odontológica Pincelli, Luiza Sato e o consultório da Dra. Claudia Mello Ferber –, espaços

sofisticados como a loja de decoração Ideall Design e o Stúdio Martha W. Farias, lugares práticos

como a lavanderia 5 à Séc e outros voltados à educação e aprendizagem como Wizard, Colégio

Visconde de Porto Seguro e Academia Gustavo Borges. O passeio termina de forma perfeita no

Temaki by Noru, apreciando um delicioso temaki de algas crocantes.

stÚdio martha w. Farias

amor À arte
Inaugurado no começo deste ano, o Stúdio
Martha W. Farias oferece aulas de arte para
adultos, crianças e pessoas com necessidades
especiais. O espaço trabalha com várias
técnicas atualizadas de pintura em tela,
madeira, cerâmica, além de arte têxtil. A
artista plástica Martha W. Farias se dedica à
pintura desde adolescente e recentemente
expôs seu trabalho “Baianas – Símbolos de
Fé” no Centro Cultural Apsen.
stÚdIo Martha farIas – escola de pIntura
Rua José Ramon Urtiza, 890, conj. 2
Tel.: 3772-0920 – De seg a sáb das 8 às 18 h
Estacionamento

34 dolce morumbi
ideall design

Ideall para você


Com móveis para todos os ambientes de sua casa, a
Ideall Design trabalha com produtos de qualidade, preços
compensadores no custo benefício e honestidade na venda,
fidelizando seus clientes. A equipe oferece projetos de
decoração para quem está mudando bem como para quem
precisa apenas refazer alguns espaços.
Ideall desIgn – MóveIs
R. Nelson Gama de Oliveira, 277 – Tel.: 3507-4852 – Estacionamento
www.idealldesign.com.br

dolce morumbi 35
Colégio VisConde de Porto seguro

um porto seguro
Em 130 anos, o Colégio Visconde de Porto Seguro,
conserva uma tradição bicultural (brasileira e alemã).
Com uma educação humanizada, considera não só
os aspectos intelectuais, mas também os emocionais
e morais. O Colégio incentiva intercâmbio cultural
com outros países e prepara os alunos para exames
internacionais em: Cambridge (inglês), ZDP e
Sprachdiplom (alemão) e DELE (espanhol), pois se
propõe a formar cidadãos do mundo.
colégIo vIsconde de porto seguro – unIdade III
educação InfantIl, ensInos MédIo e fundaMental
R. Itapaiúna, 1355 – Tel.: 3746-1600

portInho
educação InfantIl para crIanças
de uM ano e MeIo a 4 anos
R. Itapaiúna, 1350 – Tel.: 3779-7700
www.portoseguro.org.br

36 dolce morumbi
dolce morumbi 37
dra. Claudia
e Fga. Karla

parcerIa de
sucesso
No Morumbi há sete anos, o
consultório da Dra. Claudia Mello
Ferber, especialista em pediatria e
homeopatia, oferece tratamentos
homeopáticos para crianças e
adultos utilizando conhecimentos
psicossomáticos no tratamento.
O consultório também conta com
o atendimento da fonoaudióloga
Karla Maffini Antoniazzi Rossi, que
trata problemas como alterações
da fala, motricidade oral, distúrbios
de leitura e escrita e alterações do
processamento auditivo central.

dra. claudIa Mello ferber e


fga. Karla antonIazzI rossI – clínIca
de pedIatrIa e fonoaudIologIa
R. Nelson Gama de Oliveira, 311 – cj. 86
Tels.: 3743-5244 / 9656-6743
De seg a sex das 7 às 20h. Estacionamento

aCademia
gustaVo Borges

o lugar
de seu
peIxInho
Bem-estar. Esta é a palavra-
chave utilizada pela Academia
Gustavo Borges, que desde
2004 oferece aulas de
natação para todas as idades,
fitness, atividades aquáticas,
programa para gestante,
judô, ballet infantil etc. Neste
ano, a principal novidade é a
expansão física da academia
que passará de 1.500 m²
para 2.300 m², ganhará mais
uma piscina, vestiário e maior
estrutura para o fitness.

acadeMIa gustavo borges


acadeMIa – R. José Ramon Urtiza,
901 – Tel.: 3744-1476
De seg a sex 6 às 22h e sáb 9 às 14h
Aceita Amex, Credicard e Visa
www.gbnatacao.com.br
38 dolce morumbi
ClíniCa PinCelli

um belo
sorrIso
A Clínica Odontológica Pincelli conta
com a experiência de mais de 30 anos
do Dr. Narciso Pincelli e com uma equipe
formada por profissionais especializados
nos diferentes ramos da odontologia.
O espaço, equipado com modernos
aparelhos, presta aos pacientes o
melhor serviço em odontologia
estética e reparadora, além de possuir
estacionamento e elevador privativos.
clínIca pIncellI – odontologIa
R. Nelson Gama de Oliveira, 287
Tels.: 3772-4313 / 3743-4498
De seg à sex das 8 às 20h
Estacionamento – www.clinicapincelli.com.br

dolce morumbi 39
l o studio

o seu estúdIo
de beleza
Especializado na área de beleza e com
instalações modernas, o LO Studio conta com
55 profissionais constantemente aprimorados,
dez salas de estética, área exclusiva para
manicure, jardim interno e coffee.
Para deixar homens e mulheres ainda mais
belos dispõe de excelentes serviços: cabelos,
manicure/pedicure, podologia, estética
facial e corporal, design de sobrancelhas,
maquiagens, depilações, dia da noiva etc.
l o studIo – cabeleIreIros – R. José Ramon
Urtiza, 1220 – Tels.: 3776-7280 / 3776-7282
De seg a sáb das 8 às 20h – Aceita Amex,
Mastercard e Visa – Estacionamento
www.lostudio.com.br

temaKi By noru

delícIas do Japão
Os apreciadores da culinária japonesa não ficam em dúvida em
se tratando de temakeria. No Noru podem degustar temakis
bem servidos, envoltos em alga crocante e cobertos com
ingredientes preparados na hora, especialmente elaborados por
seus sushimen. O cardápio lista ainda uma grande variedade de
sushis e combinados especiais.
teMaKI by noru – restaurante
R. José Ramon Urtiza, 975 – Open Mall Panamby – Tel.: 3743-4637
De dom a qua das 12 às 22h, qui a sáb das 12 às 23h

40 dolce morumbi
shiatsu luiza sato

toque FemInIno
Logo na recepção, os sapatos são retirados.
O cansaço e o estresse ficam do lado de fora
da tradicional Clínica Luiza Sato, que prima
pela qualidade no atendimento. Antes mesmo
das sessões de shiatsu – técnica de massagem
milenar – reflexologia, acupuntura, drenagem
linfática, ofurô ou Pilates, as freqüentadoras
são servidas com sopa de missô, chá e biscoitos
do Japão. O efeito de todos esses cuidados é
extremamente relaxante.
shIatsu luIza sato – estétIca – R. José Ramon
Urtiza – Open Mall Panamby – Tel.: 3741-0822
De seg a sex das 7 às 20h e sáb das 9 às 18h
Estacionamento – www.luizasato.com.br

dolce morumbi 41
wizard morumbi

prazer em aprender
Aberta em 1996, a Wizard Morumbi desenvolve um trabalho
voltado para atender às necessidades individuais dos alunos,
que, dos quatro anos até a fase adulta, ajustam suas aulas de
acordo com horários e dias da semana disponíveis. O grande
diferencial da Wizard Morumbi é ministrar todos os idiomas
disponíveis na unidade da rede como: Inglês, Espanhol,
Francês, Italiano, Português para estrangeiros, Japonês e
Mandarim, além de oferecer pacotes individualizados.
Wizard morumbi – eScoLa de idiomaS
R. José Ramon Urtiza, 608 – Tel.: 3742-1015 / 3742-5572
De seg a sex das 7 às 22 h, sáb das 9 às 13 h – Estacionamento
com manobristas – Aceita Mastercard e Visa
www.wizardmorumbi.com.br

5 à sec

Sua roupa em
boaS mãoS
Especializada no tratamento de
roupas, a 5 à Sec – a maior rede
de lavanderias do Brasil – utiliza
modernidade na limpeza de todas
as peças através da lavagem a
seco. Com 40 anos de experiência,
desde que surgiu a primeira loja na
França, a empresa busca facilitar
a vida de seus clientes oferecendo
sistema de delivery e parcelamento
em até 5x sem juros. Além das
peças de uso cotidiano, a empresa
oferece lavagem de edredons,
tapetes, cortinas etc.
5 à Sec – Lavanderia
R. José Ramon Urtiza, 762
Tel.: 3501-9596
Delivery no Morumbi 0800-7709589
De seg a sex das 8 às 18h30 e sáb das
9 às 13 h – Estacionamento – Aceita
todos os cartões de crédito e débito
www.5asec.com.br

42 dolce morumbi
FIcha técnIca
Rua Ramon Urtiza nAtURAle – estética – r. José ramon WizARd moRUmBi – ensino de
idiomas – r. José ramon urtiza, 608
JARdim SUl imóVeiS – imobiliária
r. Nelson Gama de oliveira, 120
urtiza, 650 – Tel.: 3739-1195
5 à Sec – lavanderia – r. José ramon Tels.: 3742-1015/3742-5572 Tel.: 3773-3303
urtiza, 762 – Tel.: 3501-9596 – delivery PReSS to – lavanderia – r. José ramon www.wizardmorumbi.com.br www.jardimsulimoveis.com.br
0800-7709589 urtiza, 975 – open mall Panamby Ver matéria na página 42
www.5asec.com.br Tel.: 3773-4096 oPeRA HAiR – cabeleireiros – r. Nelson
yeSky idiomAS – ensino de idiomas Gama de oliveira, 439 – Tel.: 3742-7000
Ver matéria na página 42 SHiAtSU lUizA SAto – estética r. José ramon urtiza, 500 – Tel.: 3746-6150 www.operahair.com.br
AcAdemiA GUStAVo BoRGeS r. José ramon urtiza, 975 – open mall www.yesky.com.br
Academia – r. José ramon urtiza, 901 Panamby – Tel.: 3741-0822 PlUScAR – centro Autmotivo – r. Nelson
Tel.: 3744-1476 – estacionamento www.luizasato.com.br Rua nelson Gama Gama de oliveira, 217 – Tel.: 3771-3654
www.gbnatacao.com.br Ver matéria na página 41 BeRlitz – ensino de idiomas Ritz enGenHARiA e conStRUção
Ver matéria na página 38 r. Nelson Gama de oliveira, 277 – sobreloja engenharia – r. Nelson Gama de oliveira,
SPAzio PAnAmBy – cabeleireiros Tel.: 3773-7990
clínicA VeteRináRiA PAnAmBy r. José ramon urtiza, 308 – Tel.: 3739-4243 825 – Tel.: 3742-8992
Veterinários – r. José ramon urtiza, 768 clínicA Pincelli – odontologia www.ritzengenharia.com.br
St. mARcHe – Supermercado – r. José r. Nelson Gama de oliveira, 287
Tel.: 3743-8253 ramon urtiza, 975 – open mall Panamby Wt AUto SeRVice – centro Automotivo
Tels.: 3772-4313 / 3743-4498
contoURS exPReSS – Academia Tel.: 3773-0000 www.clinicapincelli.com.br r. Nelson Gama de oliveira, 183
r. José ramon urtiza, 975 – open mall Ver matéria na página 39 Tel.: 3771-2069
Panamby – Tel.: 3776-7141 StUdio 22 cABeleiReiRoS
cabeleireiros – r. José ramon urtiza,480 coléGio PentáGono – ensino Rua itapaiúna
cVc – Viagens e Turismo – r. José ramon Tel.: 3742-4456 Fundamental e médio – r. Nelson Gama de coléGio ViSconde de PoRto
urtiza, 975 – open mall Panamby oliveira, 1244 – Tel.: 3747-6277 SeGURo – UnidAde iii
Tel.: 2117-2800 – www.cvc.com.br Stúdio mARtHA W. FARiAS
escola de Pintura dRA. clAUdiA mello e FGA. kARlA educação infantil,
HelP med – drogaria – r. José ramon r. José ramon urtiza, 890, conj. 2 AntoniAzzi RoSSi – Pediatria e ensinos médio e Fundamental
urtiza, 206 – Tel.: 3742-4365 Tel.: 3772-0920 Fonoaudiologia r. Nelson Gama de oliveira, r. itapaiúna, 1355 – Tel.: 3746-1600
Ver matéria na página 34 311 – cj. 86 – Tel.: 3743-5244
lA SelVA – livraria – r. José ramon Ver matéria na página 38 PoRtinHo
urtiza, 975 – open mall Panamby tec cAR SeRV. AUtomotiVoS
Tel.: 3773-7414 ideAll deSiGn – móveis – r. Nelson educação infantil para crianças
centro Automotivo – r. José ramon urtiza, 770 Gama de oliveira, 277 – Tel.: 3507-4852 de um ano e meio a 4 anos
l o StUdio – cabeleireiros – r. José Tel.: 3744-7530 estacionamento – www.idealldesign.com.br r. itapaiúna, 1350 – Tel.: 3779-7700
ramon urtiza, 1220 – Tel.: 3776-7280 temAki By noRU Ver matéria na página 35 www.portoseguro.org.br
estacionamento – www.lostudio.com.br r. José ramon urtiza, 975 Ver matéria na página 36
Ver matéria na página 40 imPActo SeGURAnçA – Seguros e
open mall Panamby Segurança – r. Nelson Gama de oliveira,
le cHAmP de BleU – Padaria – r. José Tel.: 3743-4637 878 – Tel.: 3507-0333
ramon urtiza, 540 – Tel.: 3743-6013 Ver matéria na página 40 www.impactogrupo.com.br

o roteIro
da edIção
dolce morumbi 43
ESPECIAL

A tradição indígena
Pankararu
no Morumbi
Os primeiros índios Pankararus chegaram ao Morumbi na
década de 1950. Eles vieram da aldeia Brejo dos Padres
– próximo ao rio São Francisco, em Pernambuco – em pau-
de-arara atrás de oportunidades e devido à invasão de suas
terras. Demoraram, em média, 20 dias nas estradas e se
instalaram em um matagal situado próximo ao rio Pinheiros.
O local ficou conhecido como “favela da mandioca” devido
ao cultivo dessa raiz pelos índios.
Logo depois o nome mudou para favela do Real Parque,
que abriga hoje 580 Pankararus. Outros se instalaram em
diferentes lugares e ao todo somam 1.500 na cidade de São
Paulo, a maior população de índios dessa tribo fora da aldeia.

POR Francilene Oliveira FOTOS Paula Morgado

Sede da Ação
Cultural Indígena
Pankararu, na favela
Real Parque
Os índios Pankararus lutam
para manter sua cultura
ESPECIAL

Os Pankararus se cobrem da cabeça aos pés com uma fibra


encontrada no sertão, aumentando o mistério de seus rituais

Em busca de oportunidades, os Pankararus foram por ano durante a época da fruta imbu. Esta festa
trabalhar na construção civil – ajudaram a erguer é realizada durante quatro finais de semana segui-
o prédio da Rede Bandeirantes, o Estádio do Mo- dos nos meses de fevereiro e março. A cada sába-
rumbi, o Palácio do Governo e na implantação da do à noite os “praiás” vão para o terreiro e dançam
rede elétrica da cidade. embalados por um cantador que conhece as músi-
A cultura dos Pankararus é uma das mais fortes e tra- cas. No dia seguinte, domingo pela manhã, inicia-
dicionais de Pernambuco, e eles lutam para mantê-la se novamente a festa com os “praiás” percorrendo,
aqui na região, mas enfrentam barreiras, sendo a pri- em fila indiana, a aldeia. Cantando ou tocando a
meira delas o espaço físico. Índio nasceu nas matas, flauta, eles vão passando nas casas das pessoas
não está acostumado com asfalto e urbanização. que oferecem uma cesta de alimentos para a festa.
A celebração termina no domingo à tarde, com a
cerimônia e a dança com a “cansanção”, espécie de
urtiga utilizada pelos participantes para esfregarem
CULTURA E RELIGIÃO Os Pankararus, à primei- no corpo como em um ato de flagelação coletiva a
ra vista, podem ser confundidos com qualquer fim de demonstrarem sua fé.
habitante, devido a séculos de contato com os
brancos, mas profundamente guardam seus ritos
e crenças. Eles acreditam nas entidades denomi- CRENÇAS A morte é vista como um renascimento
nadas “Os Encantados”, espíritos protetores que para o mundo dos encantados. As pessoas que mor-
moram nas serras, nos rios e nas cachoeiras, que rem vão procurar moradia nos lugares dos encanta-
se comunicam com o mundo através dos “praiás” dos, nas serras e nas cachoeiras.
– homens que servem de intermediários entre o As doenças podem ser tratadas através das interme-
mundo dos encantados e o mundo real. Os “praiás” diações dos “praiás”. Os curadores e benzedeiras es-
se apresentam com vestimentas, que os cobrem tão fortemente presentes na cultura Pankararu, eles
da cabeça aos pés, confeccionadas com fibras do são os primeiros a serem chamados para cuidar das
curuá, uma palmeira existente no sertão. Para fa- doenças e conhecem as ervas que podem curá-los.
zerem a roupa, os índios vão para a mata procu-
rar o curuá, batem e lavam o material. Depois de
HIERARQUIA Na aldeia existem três autoridades:
pronta, realizam uma festa de comemoração em
pajé, cacique e chefe de posto. O chefe de posto
respeito pela roupa nova.
é o homem que trabalha para buscar as melhorias
Nem todos os índios podem usar o traje e ser um para a aldeia. O pajé é portador de conhecimento
“praiá”. Eles precisam mostrar interesse e respeito. espiritual, e o cacique discute a organização dos ín-
Antes do ritual das festas, se concentram de oito a dios. O pajé e o cacique são permanentes até che-
quinze dias, não podem manter relações sexuais e garem a uma certa idade e serem substituídos, pelos
nem fazer nada que considerem errado. Somente os mais velhos, por outras lideranças.
homens podem usar a vestimenta. Durante as festas
as mulheres organizam toda a produção e distribui-
ção dos alimentos, e homens e mulheres, em pares, ÍNDIOS NO REAL PARQUE Os Pankararus que
participam da dança do toré no seu encerramento. moram no Real Parque encontram dificuldades
para manter suas tradições, principalmente por
A festa mais tradicional dos Pankararus é a Festa da
falta de espaço, mas mantêm uma luta constante.
Corrida do Imbu (ou umbu), que ocorre uma vez
Já realizaram suas festas em quadras de escolas,

46 DOLCE MORUMBI
A pintura
na pele
do índio
Pankararu
representa
a paz

Aldeia Brejo
dos Padres, em
Pernambuco
Na Festa
Corrida do Imbu
os Pankararus
demonstram sua
fé esfregando
a urtiga
cansanção
no corpo

igrejas, praças e até na Marginal Pinheiros. E preci- Uma das conquistas a serem contabilizadas é um am-
sam começar os preparativos bem antes para terem bulatório dos índios no Hospital São Paulo – a Funa-
o espaço garantido. sa fornece remédios e óculos, mas ainda falta muito
Em 1994 fundaram a Associação SOS Pankararu, que a construir. Os Pankararus sonham em manter uma
com a colaboração do CIMI (Conselho Indigenista escola só para os índios – a fim de aprenderem os co-
Missionário) estabeleceu parcerias com o Cursinho nhecimentos do branco e do Pankararu.
pré-vestibular da Poli e com a PUC-SP (Pontifícia Uni- O espaço da ONG está sendo reestruturado com
versidade Católica), parceria que já rendeu a formação computadores, internet e telefone. Eles pretendem
de muitos índios. Esta experiência de organização co- se conectar com sua aldeia, em Pernambuco, atra-
munitária, de luta por direitos de cidadania e de iden- vés do projeto “índios on line” para se fortalecerem
tidade cultural, levou em 2003 um grupo desta asso- e trocarem informações. Os Pankararus do Real
ciação à criação de uma outra entidade, agora uma Parque mantêm uma ligação muito forte com a al-
ONG, denominada “Ação Cultural Indígena Pankarau”, deia em Pernambuco. Na festa da “Corrida do Imbu”
presidida por Dimas do Nascimento. deste ano saíram dois ônibus do local para a aldeia
Em 1995, fizeram a primeira qualificação de identifi- Brejo dos Padres. Até hoje mantêm um fluxo cons-
cação de todos os índios de São Paulo e um trabalho tante com a “aldeia-mãe” e assim preservam seus
social com a comunidade a fim de chamarem a aten- costumes. Os índios não esquecem sua tradição,
ção dos órgãos oficiais, pois eles lutam por uma área que é passada de pai para filho, e na comemoração
grande para fazerem uma aldeia fora da cidade. do Dia do Índio, 19 de abril, só pedem uma coisa:
mais atenção e espaço para manterem sua identi-
Em 2006 participaram do documentário “Do São Fran-
dade cultural.
cisco ao Pinheiros,” dirigido por Paula Morgado e João
Cláudio de Sena, uma realização do LISA - Laboratório
CONTATO: Ação Cultural Indígena Pankararu
de Imagem e Som em Antropologia da USP em parce-
Rua Conde de Itaguaí, 148 – Real Parque
ria com a ONG Ação Cultural Indígena Pankararu. Desde
então o LISA vem prestando apoio às atividades culturais Tel.: 9958-7314 (Dimas do Nascimento)
com a colaboração da antropóloga Paula Morgado.

Fontes:
• Athias, Renato: Espaço, Fecundidade e Reprodução entre os Pankararus, UFPE, 2002. • www.setor3.com.br/sitesolidario/pankararu • www.indiosonline.com.br • Documentário
“Do São Francisco ao Pinheiros”, gentilmente cedido pela TV Cultura • www.morgadodl.com.br/pankararu • Entrevista com Dimas Nascimento em 26 de março de 2008
cotidiano vida profissional Por Lívio Giosa

Leal ou
Profissional
O empresário brasileiro, em qualquer região, segmento ou
tamanho da sua atividade, percebe claramente que os ní-
veis contínuos de estabilidade econômica estão gerando
um aumento real de consumo e, com isto, levando a em-
presa a atingir novos
patamares de atuação.
?
até compatível para ambos os lados, tendo em vista as circuns-
tâncias desses períodos.
No entanto, agora, neste novo momento de concorrência
acirrada, a empresa se vê na condição de selecionar cola-
boradores à altura para
enfrentar o mercado.
O reflexo é imediato. Ao E aí, fica a pergunta: con-
acreditar no crescimento tinuar escolhendo pela
permanente, a empresa lealdade ou procurar
passa a adotar um pen- profissionais com expe-
samento estratégico pró- riência no enfrentamen-
prio, evoluindo nas suas to desses desafios?
práticas de gestão, pois Executivos ligados à área
vê na competitividade a de RH das companhias
razão para tornar-se cada têm nos revelado suas
vez mais competente no dúvidas e por qual lado
seu negócio. se definir. Nessas organi-
É sabido também que zações, a meritocracia é
a principal competên- a regra do caminhar pela
cia das organizações carreira, assim como o
está nas pessoas. Que cumprimento das metas
devem expressar a es- por área ou ir além delas.
sência do talento para O bom profissional, por-
conquistarem posição tanto, pode estar em alta?
de destaque no cenário Mas, e nas horas de cri-
em que atuam. se ou de situações de
A gestão das pessoas pressão? Ou mesmo em
nas empresas tem sido momentos em que a
um dos desafios mais confiança vale mais do
complexos, pois mexe que tudo nesta relação?
com a alma da organização, sua cultura e seu clima interno. A resposta, a meu ver, é muito simples para quem realmen-
Motivar essa gente reflete também a forma de a empresa en- te quer fazer carreira, ter um bom desempenho e ser re-
carar a carreira que quer construir com seus colaboradores. conhecido: seja profissional no limite da sua postura e co-
É aqui, então, que se inicia o novo momento das companhias. nhecimento e leal no limite da sua percepção e convivência
Muitas delas foram crescendo aos soluços, instáveis como a com a empresa.
economia anteriormente e, criando, com isso, uma relação de Aí, você se tornará irresistível e preparado(a) para novos e
lealdade com os seus executivos e funcionários, que se tornava grandes desafios.
Lívio Giosa é vice-presidente da advB associação dos dirigentes de vendas e Marketing do Brasil; coordenador Geral do ires – instituto advB de responsabilidade social; coordenador Geral do pnBe
– pensamento nacional das Bases empresariais e sócio-diretor da G,lM – assessoria empresarial
50 dolce morumbi
Cozinhas | Banheiros | Dormitórios | Offices | Home Theaters | Áreas de Serviço | Eletros | Acessórios

visite nosso showroom e conheça nossas vantagens


solicite seu projeto personalizado

Showroom:
Av. Guilherme Dumont Villares, 2250
Morumbi | SP | Tel. [11] 3744 8080
www.sca.com.br

Dolce Vitta_03.indd 1 3/27/08 3:47:15 PM


EM FOCO

Preceitos sustentáveis
O Viveiro Te Amo São Paulo, um projeto da Camargo
Corrêa Desenvolvimento Imobiliário em parceria
com a ONG Obra do Berço, foi inaugurado no dia
18 de março e já está em pleno funcionamento. O
objetivo do viveiro de plantas é produzir mudas para os
empreendimentos, desenvolver projetos de compensação
ambiental, paisagismo de áreas públicas e doações de
mudas. Tudo isso aliado à capacitação de jovens carentes
que vivem no entorno do bairro, que terão aulas de
paisagismo, empreendedorismo e gestão ambiental, além
de bolsa-auxílio e alimentação.
VIVeIrO Te AmO SãO PAulO
rua José da Silva ribeiro (cont. r. Nelson Gama de
Oliveira) – De seg a sex das 8 às 18h. roberto Perroni, diretor superintendente da Camargo Corrêa Desenvolvimento imobiliário

1 2 3 4

Da esquerda para a direita: 1 renata de Camargo Nascimento, presidente da oNG obra do berço;
2 Francisco Azevedo, diretor executivo do instituto Camargo Corrêa; 3 Cássio Loschiavo, subprefei-
to de Campo Limpo, 4 rosa richter, presidente da Amo Jardim Sul

Da esquerda para a direita: roberto Perroni, diretor superintendente da CCDi, Ana


Lontra Jobim, viúva do compositor Tom Jobim, e benedito Abbud, paisagista e um
dos idealizadores do viveiro.

52 dolce morumbi
EM FOCO

mais um
encontro
“em confraria”
A confraria feminina do morumbi chegou a
seu terceiro encontro no Clube Chalezinho.
As participantes se reuniram para descontrair,
conversar e manter laços de amizade. Na
oportunidade, Carla Fevereiro, do Boticário,
versou sobre notas olfativas e seus mistérios,
e a Chandon ofereceu uma degustação de
espumantes e proseccos. Os mimos oferecidos
pelo Boticário deixaram o ambiente ainda
mais perfumado.
Clube Chalezinho
rua Itapimirum, 8 – Tel.: 3501-9322
www.chalezinho.com

54 dolce morumbi
publieditorial

AlmA femininA
em foco
Lígia Lyra Freitas de Azevedo descobriu-se fotógrafa por acaso.
Administradora de empresas por formação, migrou para a área
de Propaganda e Marketing onde encontrou, enfim, a paixão de
sua vida: a fotografia. Sensível, Lígia passou a clicar o cotidiano
dos filhos, os encontros com os amigos, as cenas de viagem, até
que abraçou a fotografia como profissão. Fez cursos, participou de
workshops e seminários – inclusive no exterior –, foi assistente do
fotógrafo Caio Ferrari e buscou inspiração no trabalho de mestres,
como Cartier Bresson e Sebastião Salgado.
Depois disso,
chegou o momen-
to do vôo solo.
Lígia passou a
buscar um foco
FOTOS EDU CASTANHO

até perceber que


suas lentes sempre
tinham um alvo
recorrente: o uni-
verso feminino.
o espetáculo começou A família, as mu-
lheres grávidas,
O Morumbi sedia uma iniciativa pioneira elaborada as crianças, os
pela atriz Thais Fantauzzi: A Casa Espaço Morumbi. A jovens em sua in-
proposta une apresentações teatrais, todos os sábados, em timidade, em seu
um lugar acolhedor e, logo depois, a oferta de um jantar cotidiano, eram os
– cardápio elaborado pelo gil (do gil Bistrot) junto a temas preferidos.
um excelente vinho. O espaço também abrigará eventos E foi assim que
corporativos e culturais, além de curso livre de teatro. Mais chegou aqui, como
de 100 espectadores conferiram a inauguração no dia 29 de uma fotógrafa da
março onde Thais apresentou, radiante, sua peça “De Papo “alma feminina”,
Pra Lua”. (Confira entrevista na seção De 1 a 10 pág. 21.) cujas lentes têm o
CASA ESPAçO MOruMBi – rua Vicente Feola, 93 poder de captar momentos de intimidade de grande beleza e
Tel.: 3846-0220 / 7695-2748 – www.casaespacomorumbi.com.br até sensualidade.
Com naturalidade, ela incluiu o nu artístico entre os temas de
seu trabalho, em fotos sensuais, mas sem qualquer apelo erótico.
unindo o útil Ao E hoje realiza em seu estúdio fotos de mulheres que desejam pre-
AgrAdável sentear seus maridos ou namorados, como um item a mais no
jogo da sedução. O resultado dessa tática está no belo portfólio
Prestes a completar seis anos de existência, o image Hair criou desta capixaba que vive há 14 anos em São Paulo, residindo no
serviços diferenciados para seus clientes. Aos sábados, cortar o cabelo bairro do Morumbi, onde mantém seu estúdio fotográfico.
ou fazer a unha fica muito mais gostoso ao som da banda Track
3. O clima de “esquenta” para a balada fica completo com uma
deliciosa cerveja gelada e os petiscos da cafeteria do salão. Além disso,
uma vez por mês a mulherada se reúne para um papo divertido
LígiA LyrA – Studio Fotográfico
e cultural no “Clube da Luluzinha”. Confira a programação
rua Frederico guarinon,125 – sala 6
completa no www.imagehair.com.br
Tel.: (11) 3739-2921
Image HaIr
E-mail: ligialyra@uol.com.br
rua Frederico guarinon, 440 – Tel.: 3742-8097
dolce morumbi 55
EM FOCO
EM FOCO

open center

moda feminina
Na nova coleção outono-inverno da Benita, lançada no dia 27
de março, as cores fortes, como preto, cinza, marrom e vermelho,
são predominantes. Além disso, a malha cedeu espaço para tecidos
planos, de alfaiataria, valorizando as formas femininas. Dentre
outras marcas, a loja trabalha com a “Homem de Barro”, que
ganhou as passarelas do Fashion Rio, e incorporou nesta coleção as
peças da “Donna Doida”, garantindo sofisticação às clientes.
benita moda – Av. Dr. guilherme Dumont Villares, 1269
loja 21B – Shopping Portal – Tel.: 3744-3975

páscoa divertida
Durante os dias 15 e 16 de março, o Shopping Open Center
realizou a “Páscoa divertida no Shopping Open Center”, onde
foram promovidas diversas atividades infantis, dentre elas:
oficinas de arte, esculturas de balões, contadores de estórias
e oficina de minibolo decorado. As crianças participaram
ativamente, um sucesso!
SHOPPINg OPEN CENTER
Av. Dr. guilherme Dumont Villares, 1210 – Tel.: 3744-9455
56 dolce morumbi
casamento de sabores
O restaurante la Table, no morumbi Shopping, foi reinaugurado com
uma nova proposta. O cardápio privilegia a enogastronomia, pois os
vinhos têm uma influência direta no preparo e na escolha das receitas
desenvolvidas pelo premiado chef Paulo Barros. A carta de vinhos
se estende aos 900 rótulos disponíveis na vinoteca mondo Di Vino
– contígua ao restaurante e dos mesmos proprietários – onde se pode
passear entre as garrafas e escolher. O cliente tem a oportunidade de
degustar e descobrir novos vinhos a um custo atraente, pois a bebida
chega à mesa a preço de importador. Bom apetite!
la table – enogastronomia – morumbi Shopping – Piso lazer,
GourmetFashion – Tel.: 5181-4094 – De seg a sáb das 10 às 22h,
domingos das 12 às 22h.

2 3

1 O cliente tem a
oportunidade de
passear entre as garrafas
e escolher o vinho para
degustar durante a
refeição
2 O chef Paulo Barros,
Marcelo Miguel e
Walter Coscia
3 Sílvio Lancellotti e
Álvaro Cézar Galvão

DoLCe morumbi 57
cotidiano cIdAdAnIA Por Rosa Richter

POLÍTICA,
informações importantes
O dia do pleito será em 5 de outubro, primeiro domingo do
mês. O segundo turno, se houver, será disputado em cidades
com mais de 200 mil eleitores no dia 26 de outubro, último
domingo do mesmo mês.
Os comícios começam em 6 de julho; propaganda na TV e rádio,
em 19 de agosto. O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) aprovou em
30 de agosto de 2007 o calendário eleitoral para 2008. Na elei-
ção, serão escolhidos os prefeitos, vice-prefeitos e vereadores.

Partidos e candidatos
Um ano antes das eleições, os partidos políticos que preten-
dem lançar candidatos já devem ter obtido o registro de seus
estatutos no tribunal. Esse também é o prazo para que os can-
didatos regularizem a filiação partidária e o domicílio eleitoral
onde pretendem concorrer. A partir do dia 10 de junho estará
permitida a realização de convenções destinadas a deliberar
sobre coligações e a escolha de candidatos a prefeito, vice-pre-
feito e vereador. O prazo para que partidos e coligações apre-
sentem o pedido de registro de seus candidatos vence no dia
5 de julho, três meses antes das eleições.

Partidos políticos habilitados a concorrer nas próximas eleições


DEM – Democratas PMN – Partido da Mobilização Nacional
Presidente – Rodrigo Maia Presidente – oscar noronha Filho
1.000.338 filiados 184.878 filiados
PCB – Partido Comunista Brasileiro PP – Partido Progressista
Presidente – Zuleide Faria de Melo Presidente – Francisco dornelles
16.150 filiados 1.284.241 filiados
PC do B – Partido Comunista do Brasil PPS – Partido Popular Socialista
Presidente – Renato Rabelo Presidente – Roberto Freire
229.130 filiados 410.926 filiados
PCO – Partido da Causa Operária PR – Partido da República
Presidente – Rui costa Pimenta Presidente – Sérgio Tamer
3.219 filiados 726.229 filiados
PDT – Partido Democrático Trabalhista PRB – Partido Republicano Brasileiro
Presidente – carlos Roberto lupi Presidente – Vitor Paulo Araújo dos Santos
1.022.783 filiados 120.992 filiados
PHS – Partido Humanista da Solidariedade PRP – Partido Republicano Progressista
Presidente – Paulo Roberto Matos Presidente – ovasco Resende
103.406 filiados 80.291 filiados
PMDB – Partido do Movimento PRTB – Partido Renovador
Democrático Brasileiro Trabalhista Brasileiro
Presidente – Michel Temer Presidente – levy Fidélix
2.099.200 filiados 84.756 filiados

rosa richter é pedagoga; presidente do conseg Portal do Morumbi; presidente da Associação


cultural e de cidadania do Panamby; presidente da AMo Jardim Sul; vice-presidente do Instituto São
58 dolce morumbi
EM FOCO

mais um
encontro
“em confraria”
A confraria feminina do Morumbi
chegou a seu terceiro encontro no Clube
Chalezinho. As participantes se reuniram
para descontrair, conversar e manter laços de
amizade. Na oportunidade, Carla Fevereiro,
do Boticário, versou sobre notas olfativas e
seus mistérios, e a Chandon ofereceu uma
degustação de espumantes e proseccos. Os
mimos oferecidos pelo Boticário deixaram o
ambiente ainda mais perfumado.
Clube Chalezinho
Rua Itapimirum, 8 – Tel.: 3501-9322
www.chalezinho.com

54 dolce morumbi
em um ano eleitoral
eleitor
7 de maio de 2008, segundo o calendário do TSE, é o último
dia para o eleitor requerer inscrição eleitoral, transferência de
domicílio ou alterações em seu título eleitoral.
ProPaganda
A partir de 6 de julho, estará permitida a propaganda eleitoral. Os
candidatos ficarão liberados para realizar comícios e utilizar apare-
lhos de som. Já a partir de 19 de agosto, terá início a propaganda
eleitoral gratuita no rádio e na TV. O último dia para utilização de
propaganda, realização de comícios e debates é 2 de outubro.
Partidos Políticos
Hoje temos dez partidos em processo de Legalização e dez
ainda sem registros.
E temos, concorrendo às próximas eleições, 27 partidos regula-
rizados e aptos a concorrerem (veja box abaixo).
Para exigirmos nossos direitos temos que conhecer, votar
conscientemente e cobrar nossos políticos, aí sim estaremos
exercendo nossa CIDADANIA.
(Fontes: TSE – Globo.com – Wikipédia Lusófona – Política, de Voltaire Schiling)

PSB – Partido Socialista Brasileiro PT – Partido dos Trabalhadores


Presidente – eduardo campos Presidente – Ricardo berzoine
396.973 filiados 1.158.058 filiados
PSC – Partido Social Cristão PTB – Partido Trabalhista Brasileiro
Presidente – Victor nósseis Presidente – Roberto Jefferson
253.807 filiados 997.935 filiados
PSDB – Partido da Social PTC – Partido Trabalhista Cristão
Democracia Brasileira Presidente – daniel Tourinho
Presidente – Sérgio Guerra 138.280 filiados
1.199.436 filiados
PT do B – Partido Trabalhista
PSDC – Partido Social do Brasil
Democrata Cristão Presidente – luiz Henrique Rezende
Presidente – José Maria eymael 124.316 filiados
120.372 filiados
PSL – Partido Social Liberal PTN – Partido Trabalhista Nacional
Presidente – luciano bivar Presidente – José Masci de Abreu
158.136 filiados 90.680 filiados
P-SOL – Partido Socialismo e Liberdade PV – Partido Verde
Presidente – Heloísa Helena Presidente – José luiz de França Pena
28.340 filiados 244.344 filiados
PSTU – Partido Socialista dos
Trabalhadores Unificados
Presidente – José Maria de Almeida
13.678 filiados

Paulo contra a Violência; conselheira e diretora de várias entidades na área de desenvolvimento social.
e-mail: rosarichter@gmail.com. cartas para esta seção: editorial@editorasupernova.com.br
dolce MoRuMbI 59
cotidiano pensata Por Paulo Roberto Amaral

QUANDO A VIOLÊNCIA
BATE À PORTA
O tema violência, sinceramente, não é dos meus preferidos, mas quando em
um mês você vê a criminalidade tão de perto o assunto fica “martelando” na
cabeça, e por mais que você queira fugir não consegue. Peço licença para usar
este espaço como desabafo:

O gOlpe da saidinha de bancO:


Abro o portão da garagem e saio de casa. Não ando nem dez metros e me
assusto com a correria na minha rua. São três homens em motocicletas cer-
cando um carro. O motorista abre a porta e sai correndo. É perseguido e do-
minado. A cena toda se passa no meu retrovisor. É um filme real, não de ação,
mas de terror urbano.
Ah! A vítima era o funcionário de uma obra que uma vez por semana saca
no banco o dinheiro para pagar os operários. Desta vez ele fez o saque e foi
seguido pelos motoqueiros.

assaltO e perseguiçãO:
Este outro caso eu vi da janela de casa. Acordei com o helicóptero da polícia
dando um vôo rasante sobre o meu prédio. Da sacada deu pra ver o policial
armado pendurado na porta à procura de fugitivos. Na rua, carros da polícia
andavam freneticamente de um lado para o outro. Ouvi uma freada brusca e
o barulho forte de uma batida. Depois tiros, gritos e correria.
Todo esse aparato policial foi montado para perseguir ladrões de um banco
na Giovanni que fugiram em direção ao Parque Burle Marx e se esconderam
nas matas da região.

tirOs nO shOpping:
Manhã de um sábado aparentemente tranqüilo. Sem muitos planos resolvi ir
cedo ao shopping para evitar tumulto. Ainda sonolento percebo a movimen-
tação estranha (quando você se depara com episódios freqüentes de violên-
cia parece que o cérebro já fica condicionado a reagir a qualquer mudança
na rotina). Eram dez e vinte da manhã quando ladrões bem armados tenta-
ram assaltar uma joalheria do Jardim Sul. O alarme foi acionado e os ladrões
abriram o caminho da fuga à bala. Atiraram contra portas de vidro e fugiram.
Não levaram nada, mas provocaram pânico entre os consumidores que, assim
como eu, estavam lá para fugir do tumulto.

Paulo roberto Amaral é morador do Morumbi e jornalista da Rede Globo de televisão, onde edita o Jornal sptV 2ª edição.
e-mail editorial@editorasupernova.com.br
60 dolce morumbi
61
cotidiano comunidade

Brincando
de Ler
fotos: divulgação

Em Paraisópolis, conhecida como a segunda maior favela de São Paulo, há


oito mil crianças fora das escolas, de acordo com a Diagonal Urbana. Ciente
desse fato, a União de Moradores e do Comércio de Paraisópolis inaugurou
no dia 14 de março a Banca do Futuro – uma banca de revistas adaptada para
servir de biblioteca para a comunidade. Localizada em frente à associação,
conta com um acervo de cerca de mil livros, mas tem capacidade para
receber doações de cinco mil títulos.
A “Banca do Futuro – Biblioteca dos Sonhos” surgiu de uma experiência piloto
na Bahia, em 2001, através da iniciativa da Supra RSC – Responsabilidade
Social Corporativa – e a Estação das Formas com o patrocínio da Avon.
Ela chegou a Paraisópolis para suprir a necessidade de mais bibliotecas
e espaços culturais nas escolas da comunidade e é fundamental para a
formação de leitores possibilitando o acesso à cultura e à educação de
maneira lúdica e divertida.

62 dolce morumbi
pro
security

63
cotidiano comunidade

Cultura ao alCanCe
De toDos
Como gente grande também precisa de cultura,
os moradores da comunidade criaram o “Sextas
Culturais”, um projeto que utiliza o espaço da
Banca para apresentações teatrais e musicais.
As crianças, após fazerem um cadastro, podem levar emprestados os Para a estréia, que aconteceu dia 28 de março,
livros para casa e recebem o “Certificado de Cidadão Leitor”. Além dos foram convidados os músicos baianos Iran
empréstimos, todo fim de tarde há apresentação de fantoches que Ribeiro (violão), Ricardo Andrade (violoncelo)
estimulam a curiosidade das crianças contando parte das histórias, e a cantora Silvane Rosa, que incluem em
pois para conhecer o final elas precisam pegar o livro. O espaço seu repertório músicas dos mais celebrados
também será utilizado para apresentação de teatro de bonecos, compositores da MPB, além de algumas peças
contadores de histórias e para lançamento de livros. do maestro brasileiro Heitor Villa-Lobos.
Inicialmente o projeto está buscando parcerias com as oito “Todos os artistas da comunidade vão poder se
escolas públicas da região para que os alunos conheçam o apresentar, e os que não são, mas que gostam
espaço, que fica aberto a todos que desejarem conferir e é de levar o seu trabalho ‘aonde o povo está’,
cuidado pelos próprios moradores. estão convidados a se apresentar”, diz Gilson
O projeto é realizado através do PAC – Programa de Ação Cultural, Rodrigues, presidente da União dos Moradores e
da Secretaria de Estado da Cultura, e leva aprendizado através de do Comércio de Paraisópolis.
divertimento. A leitura é uma janela para o conhecimento e para
formação do indivíduo como ser humano completo, capaz de
imaginar, questionar, informar-se. Mesmo na primeira infância é
importante que a criança tenha acesso a livros para que, através das
gravuras, possa perceber o enredo e estabeleça também uma forma serviço: BAnCA dO FuturO
de leitura. As crianças de Paraisópolis, que ficam com os olhinhos de seg a sex das 9 às 17h
brilhando ao folhear as páginas coloridas, agradecem. r. Ernest renan, 1366 – tel.: 3743-3204

64 dolce morumbi
especial educação
destaques
destaques
destaques
destaques
Nas compras acima de R$ 50 Todos os dias no almoço ou jantar ESPECIAL PARA MULHERES
BRINDE EXCLUSIVO Na manipulação de fórmulas dematológicas
E DELIVERY RODÍZIO POR DESCONTO DE
GRÁTIS
20%
APENAS

R$ 28,90
Vantagens Dolce
PET SHOP E CLÍNICA VETERINÁRIA JAPORONGO RODÍZIO & SUSHI BAR
R. José Jannarelli, 672 Av. Giovanni Gronchi, 3757 Av. Dr. Guilherme Dumont Villares, 323
Tel.: 3721-4694 – www.mundozoo.com.br Tel.: 3744-3095 Tel.: 3746-7088
www.merceariadasaude.com.br
____________________________________
NOME
____________________________________
NOME ____________________________________
NOME _____

____________________________________ ____________________________________ _________________________________________

____________________________________ ____________________________________ _________________________________________

____________________________________
TELEFONE
____________________________________
TELEFONE _TELEFONE
_______________________________________________________

____________________________________
E-MAIL
____________________________________
E-MAIL _______________________________________
E-MAIL

• Obrigatória a apresentação deste cupom


• Promoção não cumulativa • Obrigatória a apresentação deste cupom • Promoção não • Obrigatória a apresentação deste cupom • Promoção
• Máximo de 1 (um) cupom por cliente cumulativa • Máximo de 1 (um) cupom por cliente não cumulativa • Máximo de 1 (um) cupom por cliente
Validade 15/05/2008 Validade 31/05/2008 Validade 31/05/2008
final feliz Por Floriano Serra

CONCESSÃO OU NÃO
EIS A QUESTÃO
Na vida a dois, este é um dos temas
mais discutidos e, ao mesmo tempo,
um dos menos praticados. É comum
ouvirmos: “Quem vive a dois tem de
fazer concessões”, mas na prática a
teoria tem sido outra. A diferença
entre a teoria e a prática decorre
do fato de que, para muitos parcei-
ros, conceder é deixar o outro fazer
o que quiser, da forma que quiser.
Significa ceder, renunciar, abrir mão,
passivamente, da sua individualida-
de e do seu bem-estar em favor dos
caprichos do outro. Concessão não
é isso; quem pensa assim deve rever
seus conceitos – preferencialmente mais do que troca, vira manipulação. Na vida a dois, o dar não
junto com seu parceiro. deve estar compulsoriamente condicionado ao receber. São
Na abordagem deste tema, há quatro posturas que podem atos independentes, praticados por amor, não por interesse,
ajudar os parceiros em sua reflexão: Egocentrismo, Individuali- troca ou manipulação. O verdadeiro retorno do dar afetivo é a
dade, Troca e Negociação. certeza do bem-estar do parceiro. Haverá troco melhor se am-
O parceiro que adota a postura do Egocentrismo costuma ter bos os parceiros pensarem e agirem assim?
o seguinte lema: “Eu sou assim mesmo. Quem me quiser tem As concessões são necessárias porque existem as diferenças
que me aceitar como sou!”. Portanto, está claro que as coisas individuais. Por mais que duas pessoas se amem, são seres
têm de ser e funcionar como ele quer e ponto final. A convi- com formação e personalidades diferentes. Se um dia decidem
vência de duas pessoas que pensam dessa maneira certamen- viver juntos, espera-se de ambos uma adequada habilidade
te não será muito pacífica... Por isso, para que as coisas andem de Negociação para que não sejam privados daquilo a que
relativamente “bem”, esse tipo de parceiro costuma unir-se a tinham direito quando eram descompromissados. Quando um
um outro submisso, com baixo nível de auto-estima. parceiro se une a outro, o sentimento que deve prevalecer é o
Qual a diferença entre um parceiro que adota o Egocentrismo e de ganho, nunca o de perda; daí a necessidade de negociação
a Individualidade? O egocêntrico nada concede; o individua- das diferenças. Negociar é administrar, de modo pacífico e com
lista concede o que acha que não invade sua individualidade resultados mutuamente satisfatórios, necessidades, diferenças
ou sua comodidade. A questão é saber se a amplitude daquilo e interesses de cada parceiro, possibilitando sua convivência
que ele chama de ‘‘sua individualidade” ou “sua comodidade” sem conflitos. A verdadeira e sadia negociação afetiva se ca-
não é tão grande que deixe pouco espaço para o outro par- racteriza pelo estilo “ganho-ganha”. De algum modo, é sempre
ceiro. Há um limite além do qual a defesa da individualidade possível um entendimento para que ambos os parceiros divi-
passa a ser mero egoísmo. Quando se ama realmente, o ato de dam as alegrias e o afeto.
fazer concessão perde toda a conotação negativa quando se Esta é a essência da concessão: “Da forma como decidimos,
sabe que resulta no bem-estar do próprio casal. eu te faço feliz e também me sinto feliz”. Aqui, o sentimento é
Alguns casais utilizam a forma cômoda da Troca: o que deveria real, ninguém engana, manipula, suborna ou ameaça o outro.
ser uma concessão, é transformada numa “troca”, do tipo: ‘‘Tá Ninguém tem o sentimento de perda, mas a consciência de
bom, eu concordo, mas só se você...” ou até de forma explícita: ter (con)cedido espontaneamente, para proporcionar, sentir e
“Certo, mas em troca eu quero...”. Às vezes como brincadeira, receber alegria. Assim ambos “ganham”, ninguém “perde”, e o
dentro de certos limites e determinados contextos, isso até é amor é realimentado.
aceitável; mas estabelecer como regra na relação é impedir A propósito, qual é o estilo que o leitor mais freqüentemente
o crescimento da própria relação, porque essa prática, muito utiliza na relação com o seu parceiro?

FLORIANO SERRA é psicólogo, autor do livro “Não Basta Amar Bastante” (ed. Gente, esgotado). e-mail: florianoserra@somma4.com.br. cartas para esta seção: editorial@editorasupernova.com.br.
74 dolce morumbi
brasilwagen

75
babbo
giovanni

76