Você está na página 1de 35

TERMOLOGIA

TEMPERATURA

A Temperatura é uma grandeza física que


mede o nível de agitação das partículas
(átomos ou moléculas) que constituem o
corpo. Quanto mais agitadas elas estiverem
maior será a temperatura do corpo.
ESCALAS TERMOMÉTRICAS
As três mais conhecidas e utilizadas são o Celsius
(ºC), o Fahrenheit (ºF) e o Kelvin (K).
DILATAÇÃO TÉRMICA

Todos os corpos na natureza estão sujeitos a


este fenômeno, uns mais outros
menos. Geralmente quando esquentamos
algum corpo, ou alguma substância, esta tende
a aumentar seu volume (expansão
térmica). E se esfriarmos algum corpo ou
substância esta tende a diminuir seu volume
(contração térmica).
DILATAÇÃO TÉRMICA LINEAR
É a dilatação de uma das dimensões lineares de um
corpo (comprimento, largura ou altura).

L0  comprimento inicial
t  variação da temperatura
L = L0..t
 coeficiente de dilatação linear
L  variação do comprimento
DILATAÇÃO TÉRMICA SUPERFICIAL
É a variação da área de um corpo.

A = A0..t

A0  área inicial
t  variação da temperatura
 coeficiente de dilatação superficial (=2)
A  variação do comprimento
DILATAÇÃO TÉRMICA VOLUMÉTRICA
É a variação do volume de um corpo.

V0  volume inicial V = V0..t


t  variação da temperatura
  coeficiente de dilatação volumétrica ( =3)
V  variação do volume
DILATAÇÃO TÉRMICA DOS LÍQUIDOS

•Por não apresentar forma própria, estudamos


apenas a dilatação volumétrica dos líquidos.

•A dilatação que percebemos ocorrer em um


líquido é apenas aparente. Sua dilatação
real ou verdadeira é igual à soma das
dilatações aparente e a do recipiente.
DILATAÇÃO IRREGULAR DA ÁGUA
A maioria dos líquidos se dilatam com o aumento
da temperatura e se contraem com a redução da
temperatura, mas a ÁGUA constitui uma anomalia
do comportamento geral entre 0ºC e 4ºC,
vejamos:
A partir de 0ºC a medida que a temperatura se
eleva, a água se contrai, porém essa contração
cessa quando a temperatura é de 4ºC; a partir
dessa temperatura ela começa a se dilatar.
Sendo assim, a água atinge um volume mínimo a
4ºC e nesta temperatura a sua densidade é
máxima.
DILATAÇÃO
IRREGULAR DA
ÁGUA
CALOR E EQUILÍBRIO TÉRMICO

Calor é a energia térmica que flui


espontaneamente do corpo mais quente para
o corpo mais frio.

Dizemos que o equilíbrio térmico ocorre


quando dois corpos, que estavam trocando calor
entre si, atingem a mesma temperatura. Neste
momento a troca de calor entre eles termina.
FORMAS DE TRANSFERÊNCIAS DE CALOR
Condução: a energia passa de molécula para
molécula, através do choque entre elas. É
mais comum nos sólidos.
Convecção: massas mais quentes sobem
enquanto massas mais frias descem,
transportando o calor de uma região para outra
junto com o transporte de matéria. Ocorre
predominantemente em líquidos e gases.
Irradiação: a energia é transportada através
de ondas eletromagnéticas. Ocorre em
qualquer meio transparente ao calor.
CAPACIDADE
TÉRMICA C = Q/t
Nesta equação Q é a quantidade de calor
perdida ou recebida pelo corpo e DT é a
variação de temperatura que esta quantidade
de calor causou no corpo. Corpos de diferentes
substâncias podem apresentar a mesma
capacidade térmica. Esta grandeza não
caracteriza uma substância, individualizando-a
das demais. Ela é apenas uma constante relativa
a um corpo em particular
CALOR ESPECÍFICO
O calor específico de uma substância é a
quantidade de calor necessária para fazer um
grama de determinada substância elevar 1 grau
Celsius sua temperatura. Observe No fundo, o
calor específico nos dá uma idéia da capacidade
da substância em receber ou perder calor.
Quanto maior seu calor específico, mais
lentamente ocorrerá as trocas de calor. Por
outro lado, quanto menor o calor específico de
uma substância, com mais facilidade ela
perderá ou receberá calor.
EQUAÇÕES DA CALORIMETRIA
Basicamente podemos dizer que existem duas
equações muito usadas na calorimetria. Uma
usada para determinar a quantidade de calor
recebida ou perdida por corpos quando estes
mudam sua temperatura, e outra usada
para determinar a quantidade de calor
perdida ou recebida por corpos que estes
estão mudando de estado físico. Vale
notar que quando um corpo muda de estado
físico sua temperatura não se altera.
Equação para ser usada quando o corpo
está mudando sua temperatura:

Q = m.c.t
Q = quantidade de calor perdida ou recebida
pelo corpo (em calorias)
m = massa do corpo (em gramas)
c = calor específico ( em cal/g°C)
T = variação da temperatura (Tf - Ti) (em graus
Celsius)
Equação para ser usada quando o corpo
está mudando sua temperatura:

Q = m.L
Q = quantidade de calor perdida ou recebida
pelo corpo (em calorias)
m = massa do corpo (em gramas)
L = calor latente ( em cal/g)

Q>0  t>0  calor absorvido


Q<0  t<0  calor cedido
Veja a "curva de aquecimento" de uma substância.
Repare na diferença que existe nas regiões onde a
substância está mudando de estado ou mudando a
temperatura.
COMPORTAMENTO DOS GASES
Todo gás é constituído de partículas (moléculas, átomos ou
íons) que estão em contínuo movimento desordenado, por
isso ocupa sempre o volume total do recipiente que o
contém.
A pressão que o gás exerce sobre uma superfície é o efeito
causado pelos choques das partículas constituintes sobre
essa superfície.
Com o aumento da temperatura, a velocidade média das
partículas constituintes do gás aumenta; a pressão aumenta
se o recipiente que contém o gás conserva o mesmo volume.
Sejam P (Pa), V (m3) e T (K), respectivamente, a pressão,
o volume e a temperatura absoluta. As variáveis P, V e T
especificam o estado de uma dada massa gasosa; por isso
são denominadas variáveis de estado.
GASES PERFEITOS OU IDEAIS

São aqueles que (só existem teoricamente) obedecem


à risca a equação geral dos gases perfeitos. Os gases
reais apresentam comportamentos que se aproximam
dos ideais quanto mais baixa for apressão e mais alta
sua temperatura.
TRANSFORMAÇÕES GASOSAS
1ª) Transformação Isotérmica (Lei de Boyle-Mariotte):
Na transformação isotérmica de uma dada massa
gasosa, a pressão é inversamente proporcional ao
volume.

P1V1 = P2V2
PV = constante
P α 1/V
2ª) Transformação Isobárica - Lei de Charles (1ª Lei de
Gay-Lussac):
Na transformação isobárica de uma dada massa
gasosa, o volume é diretamente proporcional à
temperatura absoluta.

V1/T1 = V2/T2
V/T = constante
VαT
2ª) Transformação Isovolumétrica - Lei de Charles (2ª
Lei de Gay-Lussac):
Na transformação isovolumétrica (também chamada de
isométrica ou isocórica) de uma dada massa gasosa, a
pressão é diretamente proporcional à temperatura
absoluta.

P1/T1 = P2/T2
P/T = constante
PαT
EQUAÇÃO DE ESTADO DE UM GÁS IDEAL

P.V = n.R.T
P  pressão
V  volume
n  número de mols do gás (n = m/M)
R  constante universal dos gases
(8,31 J/Kmol ou 0,082 atm.l/Kmol)
T  temperatura (escala Kelvin)
ENERGIA CINÉTICA MÉDIA DAS
MOLÉCULAS DE UM GÁS

Ec = 3/2 KT

K  constante de Boltzmam (1,38x10-23 J/K)


T  temperatura em Kelvin
TERMODINÂMICA
O que é um sistema?
É um corpo ou um conjunto de
corpos que iremos estudar.
E o resto?
O que não pertence ao sistema é
chamado de vizinhança.
PRIMEIRA LEI DA TERMODINÂMICA
Considere um sistema gasoso evoluindo de
um estado inicial (i) para um estado final (f),
segundo uma transformação gasosa qualquer.
A diferença entre o calor Q trocado entre o
sistema gasoso e sua vizinhança e o trabalho
W realizado é igual à variação U em sua
energia.

U = Q - W
CONVENÇÃO DE SINAIS

O sistema absorve calor  Q é positivo


O sistema cede calor  Q é negativo
Trabalho realizado pelo gás  W é positivo
Trabalho realizado sobre o gás  W é negativo
Aplicações da 1ª Lei da
Termodinâmica
Isotérmica:
Não há variação da energia interna. O calor
absorvido é utilizado na realização de trabalho
Q = W
Logo: U = 0
Isovolumétrica:
Como não há expansão, não houve realização
de trabalho  W = 0, Logo: U = Q

Isobárica:
Como há expansão, houve realização de
trabalho e variação da energia interna,
Logo: U = Q - W

Adiabática:
O gás realiza trabalho mas não recebe e nem
libera calor  Q = 0, Logo: U = - W
TRANSFORMAÇÃO CÍCLICA
1ª Etapa – Transformação isobárica
(AB)
A água se vaporiza à pressão
constante, aumentando seu volume
1ª Etapa – Expansão adiabática
(BC -turbina)
O vapor se expande realizando trabalho.
Como as hélices da turbina e o vapor estão à
mesma temperatura e a transformação
ocorre rapidamente, não há troca de calor.
3ª Etapa – Transformação isobárica
(CD)
O vapor passa para o estado líquido,
trocando calor com o meio e diminuindo o
volume à pressão constante.
4ª Etapa – Transformação isovolumétrica
(CD)
A bomba, ao comprimir a água, aumenta sua
pressão até que esta se iguala à pressão do
interior da caldeira. Pelo fato da água ser
praticamente incompressível, podemos
considerar este processo isométrico.
CICLO COMPLETO

Num ciclo, quando a pressão não for constante, o


trabalho será dado pela a área do gráfico. No ciclo
horário o trabalho é positivo e no ciclo anti-horário o
trabalho é negativo.