CHAVE PARA DETERMINAÇÃO DE GÊNEROS DE SERPENTES SUL-AMERICANAS

Hebert FERRAREZZI1 Amanda Elisa Geraldes MONTEIRO1,2

A realização de trabalhos científicos em diversas áreas da biologia depende da identificação correta dos espécimes utilizados. Do mesmo modo, a inclusão de um exemplar em coleção científica, requer a sua determinação (Martins, 1994). Existem diversas formas de identificação, mas nenhuma delas é isenta da possibilidade de erro e muitas vezes é difícil abranger todas as variações individuais. Uma das formas mais adequadas de identificar um espécime, seja ele vegetal ou animal, é a consulta a um especialista do grupo. Outros modos de identificação incluem consultas a coleções de referência ou a bibliografia especializada, como descrições e revisões taxonômicas. A determinação dependerá da capacidade do interessado em observar corretamente os caracteres e/ou qualidade da coleção ou literatura consultada (Martins, 1994). Porém, todos esses métodos podem, em muitas situações, ser dispendiosos ou de difícil realização. A utilização de chaves de identificação é um procedimento largamente empregado para a identificação de espécimes (Almeida et al., 1998). O objetivo dessas chaves é segregar os caracteres de modo que, por uma série de escolhas alternativas, permita o caminho seguro para a identificação de um determinado táxon (Mayr, Usinger & Linsley, 1953 apud Papavero & Martins, 1994). Há alguns inconvenientes neste método como: (1) desatualização, devido a táxons descritos ou sinonimizados posteriormente à publicação da chave, mudanças na

1 2

Laboratório de Herpetologia, Instituto Butantan, São Paulo Instituto de Biociências, Universidade de São Paulo.

1

classificação; (2) deficiência de informações para a confecção da chave, originando chaves com falhas ou que não abrangem as variações dos táxons abordados; (3) erros de observação, tanto daquele confeccionou a chave quanto do consulente; (4) utilização de caracteres restritos a algumas fases do desenvolvimento ontogenético ou a um dos sexos e (5) utilização de estruturas anatômicas internas, que requerem dissecção, preparação especial ou equipamentos sofisticados. Por outro lado, este procedimento de identificação tem sido muito empregado e permite muitas vezes determinar um espécime com segurança, mesmo por pessoas menos experientes em taxonomia. Entre os diversos tipos de chaves, as dicotômicas são as mais utilizadas. Estas chaves se baseiam em caracteres diagnósticos que permitem a distinção entre os táxons ou grupos de táxons, oferecendo ao consulente duas opções (Almeida et al., 1998). Em cada opção oferecida há caracteres diagnósticos que, quando comparados com o exemplar que se deseja identificar, leva a outro conjunto de duas opções, e assim por diante, até o nome da categoria a que se refere o exemplar (Almeida et al., 1998). Uma chave dicotômica é feita normalmente com caracteres morfológicos e de fácil visualização. Podem ser feitas chaves para determinação de todos os níveis taxonômicos, bem como chaves com objetivos específicos, como por exemplo para determinação de animais peçonhentos, danosos à agricultura, plantas medicinais, tóxicas etc. As chaves de identificação além de serem importantes ferramentas na identificação de espécimes, também são muito importantes na formação de estudantes que estejam iniciando seu aprendizado em taxonomia e morfologia de determinado grupo, já que este é um método de fácil utilização. Os princípios lógicos das chaves dicotômicas e bases para sua interpretação e manufatura podem ser encontrados em Abe & Papavero (1994). Voss (1952) apresenta uma revisão histórica sobre

2

chaves de identificação e Papavero & Martins (1994) apresentam vários exemplos de chaves utilizadas em biologia. Existem diversas chaves de identificação de serpentes, a maioria restrita a determinados grupos taxonômicos (e.g., Dixon,1989; Dixon et. al., 1993), chaves regionais (e.g., Vanzolini et al., 1980; Cei, 1986) e chaves de serpentes de interesse médico (e.g., Campbell & Lamar, 1989; Grantsau, 1991). Entretanto, duas merecem destaque, por serem chaves abrangentes e de grande influência no desenvolvimento dos estudos herpetológicos na região neotropical: a chave de Boulenger (1893-1896), a qual foi amplamente utilizada até meados do século XX e a chave de Peters & Orejas-Miranda (1970), que substituiu a primeira ao longo dos últimos trinta anos. Porém, essas duas chaves, apesar de sua importância até os dias atuais, apresentam-se muito desatualizadas para a maioria dos grupos de serpentes. A desatualização destas chaves deve-se ao grande número de trabalhos na área de taxonomia e sistemática de serpentes realizados nas últimas décadas, que ocasionou inúmeras alterações de classificação devido a descrições de novas espécies e gêneros, sinonimizações, revalidações e combinações de táxons em quase todos os níveis de abrangência (e.g., Silva, 1999; Gutberlet & Campbell, 2001). Deste modo, muitas vezes a identificação segura de uma serpente da região neotropical só é possível mediante a consulta exaustiva de inúmeros trabalhos de sistemática e taxonomia, tornando-se praticamente impossível de ser realizada por um leigo. As chave de identificação de gêneros de Serpentes apresentada a seguir, orinalmente elaborada por um de nós (HF), foi posteriormente testada, revisada, ilustrada e aprimorada em uma formatação mais didática (AGM).

3

......4 2........... Sem occipital mediana grande aprofundada entre as parietais e contatando a frontal............ situado entre várias placas ou escamas........... pelo menos duas vezes mais largas que as escamas dorsais (ou se indiferenciadas..LEPTOTYPHLOPIDAE de 3.............................................TYPHLOPIDAE 4..........................................................ANOMALEPIDIDAE Pré-frontais ausentes.. então a cauda em forma de remo)............................. cauda extremamente curta e tão grossa quanto a cabeça (boca pequena e de posição relativamente ventral)..................... nasal posterior estendida dorsalmente....................... cauda mais delgada que a cabeça..................6 Occipital mediana grande aprofundada entre as parietais e contatando a frontal...........CHAVE PARA DETERMINAÇÃO DAS FAMÍLIAS DE SERPENTES DO NOVO MUNDO 1..................... ventrais muito mais largas que escamas dorsais............3 Com 14 fileiras de escamas ao redor do corpo............................. situado no centro de uma única escama...... maxilar com dentes.............. Olho aparente (não recoberto).......ANILIIDAE 5... ventrais apenas duas vezes mais largas que escamas dorsais... Com mais de 14 fileiras de escamas ao redor do corpo..LOXOCEMIDAE 4 .....2 Escamas ventrais diferenciadas em placas. premaxilar com dentes..............................................ALETHINOPHIDIA......................................... Um par de pré-frontais distintas das nasais ou com cabeça revestida por escamas pequenas.......... mandíbula desprovida de dentes...........5 Olho reduzido e recoberto........ maxilar desprovido dentes......................................................................... premaxilar sem dentes............................ANILIOIDEA.............................................. Escamas ventrais indiferenciadas das dorsais..................... boca grande....MACROSTOMATA...SCOLECOPHIDIA................................ contatando a frontal................................. mandíbula com dentes...

.................. olho diminuto....................... então geralmente com loreal e/ou diâmetro do olho maior que sua distância da boca)......TROPIDOPHEIDAE Uma única placa grande (pré-frontal) entre a rostral e a frontal ou internasal única e pré-frontal par........ Proteroglifodonte...... vestígios de cintura pélvica completamente ausentes.... Dorso da cabeça coberto por placas grandes simétricas....BOIDAE 9........... Fosseta loreal ausente.7 Fosseta loreal presente.. Cauda preênsil e/ou com vestígios de cintura pélvica........ [sulco espermático centrípeto]....................... dentição solenoglifodonte...................................... maxilar alongado portando pelo menos alguns dentes sólidos anteriores....... processo coronóide alto... loreal ausente......... comprimento total menor que 80cm em adultos (menor que 30cm em jovens com cicatriz umbilical)............................8 Cauda não preênsil................ rim uniformemente liso.................COLUBRIDAE 5 .......... rim multilobulado.6..... maxilar curto. coloração geralmente padrãocoral (eventualmente apenas preta com anéis brancos ou manchas vermelhas ventrais) ou então com a cauda achatada (em forma de remo).................................. subcaudais geralmente divididas (ou se todas inteiras então com a rostral modificada)............. fileiras dorsais 19-33...................... ou se por numerosas escamas pequenas.. subcaudais inteiras.ELAPIDAE Dentição aglifodonte ou opistoglifodonte...............9 Dorso da cabeça coberto por numerosas escamas pequenas......... então escamas dorsais quilhadas...... Pré-frontais e internasais pares e distintas entre si.................................................. coloração variada (se padrão-coral...... esporões látero-cloacais presentes (desenvolvidos principalmente em machos)....................... ou se por placas simétricas..........10 8............................... então fileiras dorsais 30-95 e comprimento total maior que 45cm (eventualmente 35-45cm em filhotes com cicatriz umbilical)... processo coronóide reduzido.............................VIPERIDAE (CROTALINAE) 7.... dentição não solenoglifodonte ....................UNGALIOPHEIDAE 10.....................

.. CHAVE PARA DETERMINAÇÃO DOS GÊNEROS 1.....2 Cabeça coberta por escamas pequenas indiferenciadas das escamas do corpo... 5A)....................RHAMPHOTYPHLOPS 3 3 R......... 6 ...... Único gênero ocorrente nas Américas: LEPTOTYPHLOPS Fitzinger.............. 5C). 2 gêneros (um deles recentemente introduzido pelo homem) ocorrentes no continente americano............ Américas................... Eurásia e Austrália)... que se contatam dorsalmente.............. Rostral separada da frontal pelas pré-frontais.... CHAVE PARA DETERMINAÇÃO DOS GÊNEROS DO NOVO MUNDO 1. África.........SCOLECOPHIDIA ANOMALEPIDIDAE Região Neotropical (América do Sul e Sul da América Central).. separados apenas na extremidade anterior. Índia e oeste da Ásia.......... aproximadamente tão longa quanto larga (Fig. Hawai)...........3 Rostral em contato com frontal....ANOMALEPIS LEPTOTYPHLOPIDAE 2 gêneros... pré-frontais e frontal distintas. curta e larga (Fig.. pré-frontais e frontal indistintas (Fig..... frontal grande... Pré-frontais em curto contato atrás da rostral e amplamente separados por ela anteriormente..........................TYPHLOPS Pré-ocular em contato com a nasal anterior..... Flórida..... 5B)........... 6B)..... África................................ Pré-ocular separada da nasal anterior (Fig.............. braminus recentemente introduzida na América (México.... TYPHLOPIDAE 6 gêneros.... 1843.... Pantropical (Américas.......... Cabeça coberta por placas grandes.......HELMINTHOPHIS Pré-frontais em longo contato atrás da rostral...LIOTYPHLOPS 3.. Guatemala........ separando as pré-frontais (Fig................. frontal ciclóide..TYPHLOPHIS 2...... Índia.............. 5D)........

...............3 Ventrais não muito largas.............. LOXOCEMUS BICOLOR BOIDAE Cosmopolita. olhos e narinas voltados para cima..... ocupando quase toda a superfície ventral. cauda preênsil.................. CHAVE PARA DETERMINAÇÃO DOS GÊNEROS DO NOVO MUNDO 1.......................... Gênero LOXOCEMUS Cope.. Cabeça bem distinta do pescoço...................... (região Neártica)........................................... olhos e narinas dispostos lateralmente...... a leste do Andes...............................................................................2 Cabeça indistinta do pescoço.............................................................................................. (região Neotropical)................ menos de 50 subcaudais........ 1861.. Gênero ANILIUS Oken...................... maiores que as escamas da região posterior....BOA 4 Incluindo Lichanura 7 ........ Com fossetas labiais............... diversificada principalmente nos trópicos........... dispostos dorso-lateralmente. América Central..... dentes anteriores distintamente maiores que os posteriores.. usualmente mais de 50 subcaudais....4 Sem fossetas labiais....... não ocupando toda a superfície ventral.................ERYCINAE........ dentes anteriores não muito maiores que posteriores..... Ventrais muito largas.. 1816................................... Florestas equatoriais do norte da América do Sul. 1 espécie....................BOINAE......................... dorso da cabeça inteiramente revestido por escamas pequenas....... ANILIUS SCYTALE MACROSTOMATA LOXOCEMIDEA: LOXOCEMIDAE 1 gênero e 1 espécie..................................... cauda não ou ligeiramente preênsil................................ [nasais em contato medio-dorsal no focinho]..................ALETHINOPHIDIA ANILIOIDEA: ANILIIDAE 1 gênero...........EUNECTES 3....... dorso da cabeça com algumas placas na região anterior.CHARINA 4 2..........

....... com narina situada na nasal anterior............ supralabiais em contato com olho. Cauda normal (subcilíndrica)............ nasal inteira............... Ilhas do Índico e Pacífico Tropical.......................................................EPICRATES Fossetas labiais profundas................ parietais grandes distintas.................. internasal única. nasal inteira.................. marinhos......... .....4 8 ... região supra-ocular coberta por várias escamas pequenas........ (dorsais em 21-25 fileiras)..................... nasal dividida............ internasais separadas pelo contato da rostral com a pré-frontal....... CHAVE PARA DETERMINAÇÃO DOS GÊNEROS 1............... supra-ocular grande presente..........................CORALLUS UNGALIOPHIIDAE Sul do México até Noroeste da Colômbia.................................. Pré-frontal única.... Fossetas labiais rasas.... mais de uma loreal entre a nasal posterior e a pré-ocular..2 Cauda achatada lateralmente............ internasais e préfrontais separadas e em pares..................... nasal dividida....... Escamas dorsais rugosas e fortemente quilhadas....... (dorsais em 29-31 fileiras).................................... CHAVE PARA DETERMINAÇÃO DOS GÊNEROS DO NOVO MUNDO 1....... (dorsais em 21-29 fileiras).ELAPINAE.... em forma de remo................ sub-oculares presentes. dorso da cabeça revestido inteiramente por escamas pequenas......... rostral dividida em várias placas pequenas...... loreal geralmente ausente........UNGALIOPHIS Pré-frontal par......... CHAVE PARA DETERMINAÇÃO DOS GÊNEROS 1..... com narina central............. África.................4.. Sul da Ásia até Sul da Austrália..........TRACHYBOA Escamas dorsais lisas ou fracamente quilhadas.............EXILIBOA TROPIDOPHIIDAE Região Neotropical e Antilhas........................ terrestres ou fossoriais..........TROPIDOPHIS ELAPIDAE Américas...... uma única placa entre a nasal posterior e a pré-ocular.....

.... cabeça toda preta (exceto posteriormente)...............................HYDROPHEINAE............................ . posterior ao dente de veneno..................................LEPTOMICRURUS 5 3... Apenas dentes de veneno nos maxilares........................................... coloração amarela (ventre) e preta (dorso)............. parietais ausentes...... no maxilar...........2 Creptáculo caudal (chocalho) ausente................................................ ..................................................................................................... as parietais ausentes ou reduzidas e fragmentadas medialmente).................................MICRURUS Com pelo menos um dente sólido............. sem dentes sólidos posteriores...........LATICAUDINAE..........................2......................3 Sinfisial em contato com mentonianas anteriores.CROTALUS 3................ Ventrais bem mais largas e diferenciadas das escamas dorsais......... completos ao redor do corpo (eventualmente preta com anéis claros estreitos).................................................................................MICRUROIDES 4........................................................... narinas dispostas dorsalmente.................................... Creptáculo caudal (chocalho) ou botão presente. coloração preta com grandes manchas claras (ou vermelhas) ventrais..................................................... espécies neotropicais com anéis vermelhos geralmente mais largos que os pretos................................ coloração com faixas transversais pretas e brancas....... Dorso da cabeça revestido por numerosas escamas (ou por placas irregulares.... separando o primeiro par de infralabiais.4 5 Atualmente tem sido tratada pela maioria dos autores como sinônimo de Micrurus.......................... Dorso da cabeça coberto por nove placas grandes simétricas...........LATICAUDA Ventrais indiferenciadas das escamas dorsais..3 2...................... 9 ............................ narinas dispostas lateralmente.............................................. cabeça geralmente com faixas ou manchas claras......... anéis pretos e brancos muito largos. coloração usualmente com anéis vermelhos pretos e brancos............. Sinfisial separada da mentoniana pelo contato do primeiro par de infralabiais... os pretos mais largos que os vermelhos................................SISTRURUS Dorso da cabeça revestido por numerosas escamas (e apenas algumas placas anteriores)...................PELAMIS VIPERIDAE: CROTALINAE Cosmopolita (exceto Austrália) CHAVE PARA DETERMINAÇÃO DOS GÊNEROS DO NOVO MUNDO 1................ parietais presentes.......

16A)................................................................ corpo comprimido lateralmente....... em contato medial)....................... (geralmente hábito terrestre)......................... [subcaudais simples].............................................................................................................................. Supra-ocular normal..................................11 Mentoniana separada da pré-ventral por duas a três gulares..... Subcaudais distais em uma ou duas fileiras................ escamas dorsais não turberculares................................................................12 9....................... 16B)..........................................................................................8 7........................... 10 ......................................... (hábito arborícola)...............PORTHIDIUM 6 Alguns autores consideram sinônimo de Bothrops.......... Espinho terminal caudal curto e rombudo (Fig.......................... escamas dorsais tuberculares.......... escamas caudais não eriçadas............................BOTHRIOPSIS 6 8...... subcaudais geralmente mistas ou divididas ........................5 Subcaudais distais divididas em 4-5 fileiras..............................................................................................OPHRYACUS 6............... com uma linha clara vertebral.......CERROPHIDIUM 10...........................................Dorso da cabeça coberto por nove placas grandes simétricas (parietais presentes. ....... sem linha clara vertebral ...... Dorso da cabeça recoberto por numerosas escamas pequenas.........6 Supra-ocular modificada em espinho longo ou achatado (às vezes com escamas adjacentes elevadas)................ corpo não comprimido lateralmente...9 Subcaudais todas ou predominantemente divididas.....................................................................................................................................................................................................................................................................AGKISTRODON 4......................... geralmente delgado................................................................................. com a extremidade curvada ventralmente...................................................................BOTHRIECHIS Espinho terminal caudal alongado (Fig............................... Mentoniana separada da pré-ventral por quatro ou mais gulares..............7 Cauda não preênsil (ou apenas ligeiramente)............................ apêndice supra-ocular ausente ou formado por várias escamas supraciliares.... Subcaudais todas ou predominantemente simples........LACHESIS 5.......10 Dorso da cabeça com algumas placas grandes (pelo menos anteriormente).................... Cauda fortemente preênsil...................... escamas da extremidade caudal eriçadas........................

............PSEUDOERYX Coloração com barras ou anéis claros e escuros............................. escamas supracefálicas lisas ou fracamente quilhadas..... geralmente mais de 5 escamas em contato ao redor do espinho terminal caudal..................................... ........................................ cauda curta (usualmente grossa ou rombuda)................................................................. sem diastema .. nasal inteira.... loreal ausente.......11...... loreal presente [com redução posterior de fileiras dorsais]................................ narinas (e usualmente olhos) voltadas para o dorso da cabeça [nasal semidividida......BOTHROCOPHIAS 12....................................... intersupraoculares geralmente quilhadas..................... dentição opistoglifodonte com 3-5+2]. temporais 1+1.............................. dentição isodonte.................................... Quilhas dorsais tuberculadas....... subcaudais 22-40................................................................. olho diminuto.......... escamas supracefálicas distintamente quilhadas......4 2.......... fossetas apicais ausentes................. Coloração com faixas longitudinais...................3 Escamas dorsais usualmente quilhadas em 19 a 27 fileiras................ distância inter-ocular igual à largura do crânio ao nível da extremidade anterior dos supratemporais ....................... distância interocular menor que a largura do crânio ao nível da extremidade anterior dos supratemporais......................... Focinho normal....... subcaudais 38-57...............................ATROPOIDES Focinho pontudo e elevado................. intersupraoculares lisas ou quilhadas..................................... cabeça indistinta do pescoço............BOTHROPS COLUBRIDAE Cosmopolita CHAVE PARA DETERMINAÇÃO DOS GÊNEROS SUL AMERICANOS 1............ELAPOMORPHINI. fundidas com pré-frontais)............................... Escamas dorsais lisas em 15 ou 17 fileiras....................................... mas não tuberculares... temporais 1+2.......HYDROPS 4.............................. cabeça pouco distinta do pescoço...........BOTHROCOPHIAS Dorsais fortemente quilhadas......................5 11 ...................... temporais 1+1 ou menos... aquáticos].............................. fossoriais [loreal ausente........................ narinas geralmente situadas lateralmente.HELICOPS 3....................... Internasal única......................................... Segunda (+3a) supralabial em contato com olho............................................. dorsais em 15 (raramente 17) fileiras....... olho pequeno a moderado....................... dentição heterodonte............2 Internasal par (eventualmente ausentes.............. com diastema posterior...... sem reduções e sem fossetas apicais..HYDROPSINI........

..................... Dorso da cabeça revestido por placas grandes e simétricas............... Duas pós-oculares...... Loreal presente......... hipapófises ausentes em vértebras posteriores...6 Uma única pré-frontal.................................11 Pupila elíptica............... região temporal coberta por numerosas escamas........ temporais 1+2........... geralmente menos de 5 escamas em contato ao redor do espinho terminal caudal ... 138-140 ventrais...................................... espinho neural e/ou zigapófises vertebrais geralmente expandidos [fossetas apicais ausentes]....... em 17 fileiras......................... nasal inteira................ suboculares presentes..TRETANORHINUS 9. Pré-frontal única ou em numerosas escamas pequenas...........................ELAPOMORPHUS Uma única pós-ocular.13 8..........................................PHALOTRIS 6................EMMOCLIOPHIS 7 Incluindo Parapostolepis 12 ...........7 5............... temporais anteriores presentes......... uma única supralabial em contato com olho............XENOPHOLIS 11............ temporal anterior ausente.............. escamas dorsais quilhadas..NOTHOPSIS 10................. dentição aglifodonte........ internasais presentes........................ Pré-frontal única.............. fórmula temporal 0+0-1+1..................... mais de 80 subcaudais....... em 19 a 23 fileiras. dorsais em 17-23 fileiras.. internais ausentes.......... dentição opistoglifodonte........ separando a parietal das supralabiais.......... Um par de pré-frontais (fundidas ou não com internasais)......... formula temporal 1 + 1 + 2..... Pupila circular......8 Pré-frontal par. 90-97 subcaudais............................................................. escamas dorsais lisas...12 Loreal ausente.............9 Pré-frontal em três placas.. mais de 143 ventrais........................................ nasal dividida......................... hipapófises robustas presentes em vértebras posteriores....NOTHOPSINI...APOSTOLEPIS 7 7..................10 Dorso da cabeça com algumas placas e numerosas escamas pequenas....... duas ou nenhuma supralabial em contato com olho....... em três placas ou em numerosas escamas pequenas.......... especialmente na região pré-frontal................... menos de 50 subcaudais.................................................. fundidas com pré-frontais............................... dorsais em 27-31 fileiras................ mais de 98 subcaudais.Segunda supralabial separada do olho.......................... sem escamas pequenas. escamas dorsais geralmente não estriadas nem rugosas......................................................................... mais de 10 supralabiais.. escamas geralmente estriadas ou rugosas (freqüentemente quilhadas).. duas em contato com olho. 7-9 supralabiais.....................................................

........................................ com quilha médio-dorsal separando internasais (e em contato com pré-frontais).................. 8 supralabiais.............................LYSTROPHIS 18............ hemipênis espinulado e discado apicalmente]......19 Escamas dorsais em número diferente de 21-23 fileiras (geralmente <21). hemipênis bilobado (às vezes profundamente................................. mais de 180 ventrais [dorsais em 19 fileiras]....... usualmente 7 supralabiais e 3 pós-oculares (incluindo uma póssubocular)......................20 13 ......... mais de 7 dentes maxilares (usualmente mais de 10)......... internasais em contato medial.........12. Escamas dorsais em número par de fileiras................................................... mas não dividido)...... ou se 21 ou 23 fileiras.................................................................................................................... fileira vertebral presente.......... dentes maxilares 18-23.CHIRONIUS Dorsais em 16 a 20 fileiras............................. escamas dorsais dispostas em fileiras longitudinais regulares.. Corpo deprimido dorso-ventralmente..............XENODON Dentes maxilares 6-7+2...................SPILOTES 15......................17 16.................. Coloração dorsal diferente de padrão-coral................................................ dentes maxilares 45+2 [dentes posteriores extremamente grandes e laminares............................ pelo menos na porção posterior do corpo (ou se ligeiramente oblíquas.. hemipênis espinulado e discado apicalmente] ..14 Escamas dorsais em número impar de fileiras........................... Dentes maxilares 10-14+2.......... escamas dorsais dispostas em fileiras oblíquas. Escamas dorsais em 21 ou 23 fileiras e pupila circular..............WAGLEROPHIS 17........DIAPHOROLEPIS Escamas da fileira vertebral uniquilhadas e indiferenciadas das paravertebrais......... [escamas dorsais em 19-21............................. Dorsais em 10 a 12 fileiras..............................COLUBRINI...........16 Corpo cilíndrico........................15 14............................... Rostral (mesmo que eventualmente modificada) não quilhada dorsalmente........ com pupila elíptica......... com 6-14 dentes maxilares mais um par de presas laminares extremamente grandes.................................................................... menos de 170 ventrais........................... então corpo comprimido lateralmente) .... com borda horizontal e ponta aguda revirada para cima)..................................................... dentes maxilares 24-45.......... hemipênis completamente dividido....... Escamas da fileira vertebral biquilhadas e maiores que as paravertebrais....................................................................... dentição aglifodonte............... fileira vertebral ausente............................SYNOPHIS 13....23 19......................18 Rostral modificada (trihedral.

........PHILODRYAS 23......................22 Fossetas apicais ausentes...................... fossetas apicais geralmente ausentes.................LAMPROPELTIS 20..............................31 26..................... Escamas dorsais em menos de 19 fileiras................................................ corpo cilíndrico..... temporais usualmente 2+3. Placa anal inteira..................................................................................24 Placa anal dividida....... Coloração com blocos ou manchas dorsais... com cálices grandes estendendo pela assulcada e sulco espermático centrolinear [escamas dorsais lisas]..........................................XENOXYBELIS 25............................................................. dentição maxilar isodonte e sem diastema]............. hemipênis geralmente unicapitado e apenas ligeiramente bilobado [pupila elíptica ou subelíptica............... focinho curto................ dentição opistoglifodonte....................... sem cálices na face assulcada e com sulco espermático centrífugo.... ou então sem sulco mentoniano..................PSEUSTES 21.........27 Escamas dorsais em 19-21 fileiras......................... dentição aglifodonte.......... internasais e pré-frontais relativamente largos..... usualmente sem redução posterior no número de fileiras de escamas dorsais.................................. escamas dorsais quilhadas]... Pré-ocular usualmente ausente (pré-frontal em contato com o olho) ou restrita à borda orbital súpero-anterior. subcaudais165-190 (loreal freqüentemente ausente).............DIPSADINI................ Escamas não lanceoladas...TROPIDODRYAS Coloração uniforme ou lineada........... hemipênis dividido..... internasais e préfrontais mais longos que largos..............43 24....... quilhadas e com fossetas apicais...... corpo algo comprimido lateralmente................................ hemipênis não unicapitado [sulco mentoniano presente............. Fossetas apicais presentes.........................Coloração dorsal padrão-coral........... separando a pré-frontal do olho.............. escamas caudais distais eriçadas (pelo menos em jovens).................... usualmente com redução posterior no número de fileiras de escamas dorsais (exceto quando com 15 fileiras)].......................NINIA 14 ..................... estriadas...... bicaliculado.................LIOHETEROPHIS 22...... hemipênis bilobado................................................................ semicapitado...........26 Pré-ocular presente........ permitindo contato da loreal com o olho... temporais 1+2.......... usualmente lisas e sem fossetas apicais......... não estriadas........................... escamas caudais lisas distalmente...... focinho usualmente longo ou acuminado...21 Escamas dorsais dispostas em fileiras oblíquas na parte anterior do corpo [anal inteira.........................................................25 Escamas estreitas e lanceoladas........... Escamas dorsais dispostas em fileiras longitudinais regulares..............

.... cabeça moderadamente distinta do pescoço.. freqüentemente com mais de um par de infralabiais em contato atrás da sinfisial............. 11-26 dentes maxilares. permitindo contato da supralabial com parietal.................. com cabeça indistinta do pescoço e cauda curta.. [6 supralabiais]............ olho reduzido................................... nenhuma supralabial em contato com ambas pós-ocular e temporal posterior............ [temporal anterior presente...DIPSAS 30.......COLUBRINAE.. supraocular muito reduzida........... pupila elíptica...................SIBON 29.. terceira supralabial separada do olho. muito maiores que as paravertebrais..... Dois ou mais pares de mentonianas............. com mais de 16 dentes maxilares......30 28.. dentição aglifodonte e isodonte..................29 Sulco mentoniano presente. com 7-15+2 dentes maxilares...... uma única pós-ocular..... Escamas dorsais lisas.. Sulco mentoniano ausente...33 Pupila elíptica vertical........................................ Sub-oculares ausentes...........GEOPHIS 31................................... corpo não cilíndrico.............................. separando supralabial da parietal] (usualmente duas pós-oculares)...........................35 15 ...... olhos muito grandes..... então com dois dentes pós-diastemais laminares muito grandes).............. hemipênis com sulco espermático bifurcado......28 Um único par de mentonianas ou com 2o par reduzido............. Pupila circular................................ fileiras de escamas vertebrais distintamente dilatadas........... de diâmetro igual ou maior que sua distância da boca...... temporal anterior usualmente ausente..... Corpo cilíndrico ou pouco comprimido lateralmente........................................ 5-13 dentes maxilares............. apenas um par de infralabiais em contato atrás da sinfisial............ pupila redonda ou subelíptica.......32 Sub-oculares presentes [porte grande e robusto........ com cabeça bem distinta do pescoço e cauda afilada.............. dorsais em 19 fileiras].. aparentes inclusive em vista ventral.........HYDRODYNASTES 32.....................................................................SIBYNOMORPHUS Corpo fortemente comprimido lateralmente..................27.............. hemipênis com sulco espermático simples [e não capitado]......... hemipênis semicapitado....................... a supralabial sob temporal anterior é maior e em contato com pós-ocular e temporal posterior.......................... corpo cilíndrico.... cabeça extremamente distinta do pescoço... pré-ocular(es) presente(s)........ATRACTUS Escamas dorsais quilhadas.................. inaparentes em vista ventral.. terceira supralabial em contato com o olho................................................................................ geralmente distinto. olhos de tamanho moderado.............. olho moderado a grande.... fileira de escamas vertebrais iguais ou pouco mais largas que as paravertebrais... pelo menos na porção posterior do corpo...... dentição opistoglifodonte (ou se eventualmente aglifodonte.......... de diâmetro menor que sua distância da boca..................

............................................ mais de 180 ventrais. Subcaudais divididas.................................. subcaudais mistas]...........33....... menos de 180 ventrais............................................ seguidos por dois dentes posteriores sulcados........................ sem espinhos na face assulcada........................................................... que é bem reduzida........ temporais freqüentemente 2+3................................................ menos de 90 subcaudais........... não laminares....................DRYMARCHON Mentonianas anteriores distintamente mais curtas que as posteriores.......... não se estendendo dorsalmente........ com espinhos ao redor do corpo........................................... usualmente 6 supralabiais.................................. com redução posterior................ (frontal muito larga e triangular).RHACHIDELUS 38.......PHIMOPHIS 39................................................................................ dentes maxilares10-17...PSEUDOBOINI........... mais de 43 subcaudais......................................... 9 supralabiais [escamas da fileira vertebral maiores que as paravertebrais.......... dentes maxilares 7-10.......... Escamas dorsais em 17 a 19 fileiras.34 Escamas dorsais quilhadas..37 Escamas dorsais em 15 fileiras........................................................................ (loreal ausente)..... nem revirada para cima...................... supra-ocular pouco reduzida........................................ Escamas dorsais em 17 a 29 fileiras........... 7 a 9 supralabiais............................... hemipênis não capitado................................................ sem redução posterior.39 Rostral espatulada.... não sulcados....... hemipênis bicapitado..DENDROPHIDION 34. Mentonianas anteriores iguais ou mais longas que as posteriores............PSEUDOBOA 16 ....DREPANOIDES 37........... mais de 105 subcaudais......................... Escamas dorsais lisas................. menos de 105 subcaudais.. 7-8 supralabiais... número de subcaudais muito menor que o de ventrais.................... com borda horizontal e ponta aguda revirada para cima.... [frontal larga e triangular pelo menos na extremidade distal].............. seguidos por dois dentes grandes e laminares........................................ número de subcaudais aproxima-se do de ventrais............ Nasal dividida. Rostral normal (arredondada) ou algo proeminente................. menos de 44 subcaudais.......40 Subcaudais inteiras. pré-ocular estende-se dorsalmente até o nível da supra-ocular............. pré-ocular restrita lateralmente................................38 Escamas dorsais em 25 a 29 fileiras..... sem borda horizontal.......36 Nasal inteira..........XENOPHOLIS 36......................................... temporais 1+2.......... mais de 90 subcaudais.......DRYMOLUBER 35.....................

..... Corpo moderadamente longo e cilíndrico.. Loreal ausente [dorsais em 15 ou 17 fileiras]..48 17 ...............TACHYMENINI.....TOMODON 46....................................... cauda moderadamente longa................46 44..............................BOIRUNA Região ventral clara posteriormente em adultos.. hemipênis com espinhos intrasulcares aumentados ausentes..............PSEUDOTOMODON Supralabiais 7.................... fossetas apicais ausentes................ dentes maxilares e mandibulares sub-iguais ou decrescendo gradualmente em tamanho............ olhos “saltados”.........40.......... cauda relativamente curta....... os posteriores extremamente grandes (não laminares)]..................................................... usualmente com menos de 100 subcaudais...... hemipênis com espinhos intrasulcares aumentados presentes.......SIPHLOPHIS 41................. delgado e comprimido lateralmente................... dentes mandibulares anteriores extremamente grandes e diferenciados dos posteriores........... Mucosa oral preta ou cinza escuro................................................................. dentes mandibulares decrescendo gradualmente em tamanho posteriormente..........42 Coloração padrão-coral..................................... escurecendo até totalmente preta uniforme (em adultos)........ dentes mandibulares sub-iguais em tamanho...................................... nasal semidividida ou inteira.COLUBRINAE...... Região posterior do ventre e subcaudais pretas em adultos................................................. nasal dividida. cabeça muito distinta do pescoço delgado.................... cauda longa e delgada.......................47 Loreal presente........45 45........ usualmente 3a e 4a supralabiais em contato com olho................ focinho curto e largo...... ..... com 1-8+2 dentes maxilares......................... Olho pequeno a moderado....OXYRHOPUS 42............................... focinho relativamente alongado e algo afilado.......... cabeça indistinta do pescoço.................................... pupila subelíptica [dentição opistoglifodonte..... dentes maxilares anteriores bem mais longos que os posteriores...............44 Mucosa oral clara............SONORINI.........41 Corpo alongado......... Escamas dorsais em 15 fileiras................................... Supralabiais 8.................... 4a e 5a em contato com olho............. raramente uniformemente............................................................................ e sem mudança ontogenética......... normalmente pupila circular....CLELIA 43............ usualmente 4a e 5a supralabiais em contato com o olho............50 47..................................................... Coloração dorsal vermelha uniforme com cabeça preta e colar nucal branco (em jovens)................. 3a e 4a em contato com olho. com mais de 100 subcaudais............................. cabeça pouco ou moderadamente distinta do pescoço........CALAMODONTOPHIS Escamas dorsais em 17 fileiras.....

................................................... internasais e pré-frontais mais longos que largos [loreal ausente................................... Aglifodonte............ escamas dorsais em 19 a 23 fileiras.................TANTILLA Nasal anterior fusionada com internasal................ rostral não proeminente...................49 48. cabeça muito distinta do pescoço delgado................. Dentes mandibulares anteriores bem mais longos que os seguintes..... subcaudais 140-190.................. cabeça bem distinta do pescoço. nasal geralmente semidividida....STENORHINA 49.. escamas dorsais quilhadas................................... Corpo moderadamente alongado e pouco comprimido... nasal dividida [hemipênis simples...............RHINOBOTHRIUM 53............................. menos de 100 subcaudais........................OXYBELIS 50......53 Coloração padrão-coral (vermelha com anéis pretos)..55 51.................... ventrais arredondadas... escamas estreitas (muito mais longas que largas).................. escamas dorsais em 15 ou 17 fileiras... hemipênis e sulco espermático simples] (usualmente 6a supralabial em contato com olho).................... escamas da fileira vertebral extremamente diferenciadas das paravertebrais.....................LEPTODEIRA Corpo muito alongado e extremamente comprimido lateralmente..... Olho grande e globoso. ventrais anguladas ou quilhadas lateralmente.............Olho grande (maior que sua distância à boca)................................... pescoço não muito delgado............. escamas da fileira vertebral não ou levemente diferenciadas das paravertebrais................ cauda bastante alongada.................................. focinho extremamente longo e acuminado.......................... olho grande]..........................................IMANTODES 54... focinho pouco alongado................................................................................ fossetas apicais presentes [pré-frontal em contato com supralabiais].................. mais de 100 subcaudais...............................TACHYMENIS Dentes mandibulares sub-iguais..... Pupila elíptica vertical [fossetas apicais presentes.........................................THAMNODYNASTES 18 ...................................... escamas dorsais lisas...... internasais e pré-frontais relativamente largos.......... com sulco espermático simples].............................. rostral algo proeminente. sulco espermático bifurcado............. não acuminado.......................... dorsais em 17 fileiras... escamas não muito mais longas que largas...............51 Pupila circular ou subelíptica......................LEPTOPHIS Opistoglifodonte.................... corpo cilíndrico..........................52 Olho normal (não globoso).......................... Coloração com blocos dorso-laterais ou faixas transversais (não padrão-coral)... corpo pelo menos um pouco comprimido lateralmente.................. Nasal distinta da internasal.............. dorsais em 15 fileiras.................................54 52.......

............................ hemipênis simples.................. Número de subcaudais (>130) aproxima-se ou ultrapassa o de ventrais.....LEPTOPHIS 57...................... Escamas da fileira vertebral maiores que as paravertebrais.......................……………………………………………... Temporal anterior dupla (temporais 2+2-3)..............................SIMOPHIS 62............................. heterodonte...........63 Escamas dorsais quilhadas............................................... não proeminente....................................... coloração padrão-coral.GOMESOPHIS Escamas dorsais fortemente quilhadas............................. relativamente curta e arredondada.............................................................................. pupila subelíptica................................ Escamas dorsais lisas.................. com diastema............ escamas dorsais lisas.............................. [fossetas apicais únicas]................... hemipênis bilobado com sulco espermático bifurcado.......... Escamas dorsais lisas.......... com tríades de anéis pretos............ hemipênis pelo menos ligeiramente bilobado [sulco espermático bifurcado].................................................57 56......TACHYMENINI.58 Placa pré-subocular presente (ou com duas pré-oculares)............. fossetas apicais ausentes..... 13-15+2 dentes maxilares..PTYCHOPHIS 61.. uma fosseta apical presente........ [escamas dorsais em 15 fileiras]..............................DRYMOBIUS 8 Igual a Uromacerina 19 .................................................CERCOPHIS 8 Escamas da fileira vertebral indiferenciadas das paravertebrais.62 Rostral modificada.............. Rostral normal............. fileiras paravertebral e vertebral quilhadas anteriormente............... 17-20+2 dentes maxilares.... extremamente larga e proeminente.................... Menos de 65 subcaudais..............61 60.................................. nasal dividida...............55............. ………….......................60 Mais de 65 subcaudais............................................ pupila circular..............................MASTICOPHIS 58.......... dentição opistoglifodonte.................................................................... ambos hemipênis e sulco espermático simples..………………...................... Placa pré-subocular ausente.................59 Temporal anterior única (temporais 1+2)................ com 22-26 dentes maxilares.........................................................................56 Número de subcaudais muito menor que o de ventrais.................................. nasal inteira.....65 59...... com 33-36 dentes maxilares..................................................... coloração não padrãocoral. dentição aglifodonte (geralmente isodonte e/ou sem diastema posterior)....................................................................

...................................................69 Mentonianas posteriores divergentes...................... olho moderado... Pré-ocular presente.......................................66 Com redução posterior do número de fileiras de escamas dorsais.................... Escamas dorsais em 17 fileiras........................RHADINAEA 70....................... 3-4 +2 dentes maxilares..... geralmente com mais de 4 dentes maxilares.. subcaudais >80........ com sulco espermático simples tendendo para um dos lados do órgão..............ENULIUS 67................................... com pupila subelíptica................................... Supralabiais 8-9......... Sem redução posterior do número de fileiras de escamas dorsais......................MASTIGODRYAS 3a a 5a supralabiais contactando olho..................... coloração lineada ou padrãocoral. (temporais 2+2-3) .. sulco espermático bifurcado.........63...............................................................olho grande..... e ornamentação de espinhos uniforme ao redor.................. Mentonianas posteriores paralelas e/ou em amplo contato............................... 3a supralabial separada do olho. sem fossetas apicais.......................PSEUDABLABES 9 Incluindo Pliocercus 20 .............. com pupila circular [hemipênis unicapitado]. coloração preta uniforme com série de manchas brancas látero-ventrais........ coloração lineada ou uniforme..........................72 66................70 68........ os últimos extremamente grandes e laminares ......................68 Escamas dorsais em 13 ou 15 fileiras.........................SORDELLINA 69.....................UROTHECA 9 Usualmente 7 supralabiais..... coloração padrão-coral (vermelha com anéis pretos)............................ hemipênis assimétrico.......................................... não laminares............. Escamas dorsais em 15 fileiras....... com fossetas apicais.............. hemipênis não ou apenas ligeiramente capitado....................... os últimos mesmo que grandes........................................... (linha preta pontilhada ventro-lateral geralmente presente).. subcaudais <85 ........................................ Duas temporais anteriores.........................71 Escamas dorsais em 13 fileiras......... ornamentação de espinhos geralmente não uniforme ao redor do hemipênis (com duas séries de espinhos maiores e/ou uma faixa longitudinal nua na face assulcada)...........64 Uma temporal anterior..67 Pré-ocular ausente....................DIPSADINI.............TAENIOPHALUS 65............ECHINANTHERA 64................................

................. subcaudais 45-85......................77 76... focinho não proeminente...... cabeça pelo menos um pouco distinta do pescoço.................................71.................... Supralabiais 8........... Supralabiais 8-9 (4a-5a em contato com olho)....PHILODRYAS Cauda moderada.................. hemipênis bilobado e discado............. dentes posteriores extremamente grandes e laminares.. hemipênis profundamente bilobado]......... hemipênis simples e caliculado. Cabeça pouco ou indistinta do pescoço... (3a supralabial usualmente em contato com o olho). com menos de 15 dentes maxilares.......... dentição opistoglifodonte. os posteriores pouco maiores que os anteriores..... dentição aglifodonte......................... mais de 60 subcaudais.. Extremidade da cauda e espinho terminal normalmente afilados................. Escamas dorsais com fossetas apicais [maxilar com diastema acentuado]....... dentes mandibulares anteriores pouco mais longos ou indiferenciados da série seguinte ....ERYTHROLAMPRUS 72..............................73 Escamas dorsais sem fossetas apicais...74 73. dentição aglifodonte. dentição aglifodonte.........................DITAXODON 77............................. dentição usualmente opistoglifodonte......... com menos de 80 subcaudais................. coloração padrão-coral (vermelha com anéis pretos e brancos completos ao redor do corpo)............ Dentes maxilares voltados para trás.. Cauda alongada........................ não proeminente.................. com mais de 85 subcaudais. sem discos apicais. separados por longo diastema....................76 Focinho arredondado ou achatado............................ hemipênis espinulado distalmente................................ hemipênis caliculado distalmente...........78 Supralabiais 7.......................................................................... 3a e 4a em contato com olho...............LIOPHIS 74..... pelo menos 4a..75 Dentes maxilares anteriores (6-12) direcionados para dentro... e 5a........................................................ dentes mandibulares sub-iguais.............. ....... separados por diastema curto.....78 Extremidade da cauda pouco afilada... menos de 60 subcaudais............ focinho algo proeminente................................. com espinho terminal nitidamente aculeado [ventrais 170215............... com mais de 15 dentes maxilares (e diastema relativamente curto)........................... em contato com olho.. coloração lineada............................ com discos apicais.................CONIOPHANES Supralabiais 7 (3a-4a em contato com olho)........................ dentes mandibulares anteriores bem maiores e diferenciados da série seguinte [dorsais em 17 fileiras].......... dentição geralmente opistoglifodonte... canthus rostralis obtuso....................PSOMOPHIS 21 .............UMBRIVAGA 75.................................................................................. canthus rostralis arredondado..............

.......... 1...78.... 4a-5a em contato com olho (a 3a sempre separada)...... 14) em geral..... distalmente espinulado e com discos apicais... Geralmente 7 supralabiais.... hemipênis bilobado....... Boidae (Figs............. occipital mediana occipital lateral temporal posterior parietal ocular supra-ocular frontal pré-frontal internasal rostral Figura 1: Vista dorsal esquemática da cabeça de um Colubridae............ 9 e 10)............... subcaudais 5076]...SAPHENOPHIS Supralabiais 8........ e do corpo (Figs................... 3a-4a-5a ou 3a-4a em contato com olho............. 22 . bicaliculado e sem discos apicais [ventrais 145-175.. mostrando as placas cefálicas........ Scolecophidia (Figs... 2 e 3).. 5 e 6)............ 7 e 8) e Viperidae (Figs...LIOPHIS Ilustrações complementares As figuras seguintes ilustram um conjunto de termos referentes a estruturas e folidose da cabeça em Colubridae (Figs........................... 11 e 13) e cauda em serpentes (Fig....... hemipênis profundamente bilobado........

23 . mostrando as placas cefálicas.temporais posteriores temporal parietal anterior pós-oculares ocular supra-ocular pré-ocular loreal pré-frontal internasal nasal posterior nasal anterior rostral sinfisial infralabiais supralabiais Figura 2: Vista lateral esquemática da cabeça de um Colubridae. ventral pré-ventrais gulares sulco mentoniano mentonianas infralabial sinfisial Figura 3: Vista ventral esquemática da cabeça de um Colubridae. mostrando as placas cefálicas.

Typhlophis sp. B. mostrando a ausência da placa pré-ocular.. Helmintophis sp.. A.ocular pré-frontal loreal nasal posterior ocular pré-ocular pré-frontal nasal A B Figura 4: Vista lateral esquemática da cabeça de um Colubridae. frontal ocular pré-frontal nasal posterior rostral frontal ocular pré-frontal rostral A frontal ocular pré-frontal nasal posterior rostral B ocular rostral C D Figura 5: Vista dorsal esquemática da cabeça dos gêneros de Anomalepididae. Liotyphlops sp. C. A.. mostrando a ausência da placa loreal. Anomalepis sp. B. 24 . 1970. D.. Modificado de Peters & Orejas-Miranda.

mostrando as placas cefálicas. vista dorsal. 1970. vista lateral. sendo a região anterior coberta placas grandes e simétricas e a posterior por numerosas escamas. 25 . B.frontal ocular nasal posterior rostral ocular pré-ocular nasal posterior nasal rostral anterior A B Figura 6: Esquema da cabeça de Typhlops sp. Figura 7: Vista dorsal esquemática da cabeça de um Boidae. Modificado de Peters & Orejas-Miranda. A.

sub-oculares fosseta labial Figura 8: Vista lateral esquemática da cabeça de um Boidae. com fossetas labiais rasas. Figura 9: Vista dorsal esquemática da cabeça de um Viperidae. 26 . mostrando cabeça coberta por numerosas escamas quilhadas.

mostrando três modos de contagem das fileiras de escamas. mostrando a fosseta loreal.fosseta loreal Figura 10: Vista lateral esquemática da cabeça de um Crotalinae. 27 . em esquema. 1 2 3 3 4 4 5 6 7 8 9 10 11 12 12 13 13 14 15 5 6 7 8 9 9 10 11 10 11 12 13 14 15 fileiras laterais fileira paraventral fileira vertebral ventral fileira paravertebral Figura 11: Vista das escamas dorsais.

F. B. em esquema. mostrando ornamentações. tuberculada. rugosa. D. C. quilhada. A B C D E F Figura 13: Detalhes das escamas dorsais. E. estriada. com 1 fosseta apical.Figura 12: Vista das escamas dorsais. com 2 fossetas apicais. A. 28 . mostrando escamas oblíquas.

Bothriopsis sp. A B Figura 15: Vista lateral esquemática do creptáculo caudal. B. B. Modificado de Campbell & Lamar. A. 2004. 29 .. mostrando a placa anal e as subcaudais divididas.ventral anal subcaudais espinho terminal ventral anal subcaudais espinho terminal A B Figura 14: Vista ventral esquemática na região da cauda. chocalho no adulto. mostrando a placa anal e as subcaudais inteiras. espinho terminal espinho terminal A B Figura 16: Vista lateral esquemática da cauda de Viperidae. Bothriechis sp. A. A. botão terminal no filhote. B.

formando 30 . na qual a cutícula é mais fina e caracteristicamente refletora a luz. 15B). Creptáculo caudal: apêndice caudal de formado por segmentos queratinizados frouxamente articulados. Pode ser unicapitado. 16). 13D). possuem apenas um segmento. Normalmente se dispõem imbricadas. Fosseta apical: depressão rasa na superfície externa e distal uma escama. 12). delimitando a área de ornamentação apical. revestindo o dorso e as laterais do corpo. ser única (Fig. e é trocada junto com o stratum Escama: estrutura epidérmica (unidade) corneum durante a muda. Alvéolo: cavidade de inserção dental. Diastema: espaço entre uma série de dentes. semicapitado (quando as duas bordas do sulco transversal não se encontram) ou bicapitado. usualmente por um sulco transversal. Capitado: hemipênis com a porção apical distinta do corpo do órgão. Anal: placa ventral localizada sobre a cloaca. Filhotes. refere-se a contagem do meio do corpo. Este termo é mais apropriado do que áglifo. Estriada: escama com finos sulcos paralelos longitudinais (Fig. e se dispõem oblíquas entre si)(Fig. Exceto quando explicitado. 11). É um espaço verdadeiro (o alvéolo está ausente). Pode ser inteira ou dividida (Fig.GLOSSÁRIO queratinizada que reveste o corpo (Fig. que vão aumentando de tamanho em direção ao ventre. 13B). Aglifodonte: tipo de dentição em que todos os dentes da série maxilar são sólidos (não sulcados nem caniculados). 15A). Pode estar ausente. chamado botão (Fig. antes da primeira muda. cujas bordas unidas determinam padrão reticulado ou alveolar (caliculado). Bicaliculado: hemipênis com duas áreas de cálices descontinuas entre lobos. que pode modificar-se em longo espinho (Fig. Discos apicais: estrutura circular achatada no ápice do hemipênis. Fosseta labial: fenda (sulco) na margem ou no centro das placas labiais de algumas serpentes (Fig. Espinho terminal: última escama caudal (Fig. 11) ou (escamas menores obliquamente vertebralmente. 13A) ou em maior número (Fig. 8). Pode se diferenciar em placa ou espinho. Fileiras dorsais: refere-se ao número de fileiras longitudinais de escamas dorsais (Fig. Cálice: ornamentação apical do hemipenis em forma de taças diminutas. que produz som de chocalho quando agitado (Fig. 14B). Espinulos: hemipênis com microespinhos ao redor do corpo do órgão (espinulado). 14). 11). Espinho: hemipênis com espinhos calcificados (duros) ao redor do corpo do órgão. As fileiras podem estar dispostas regularmente (escamas de tamanho aproximadamente semelhantes e eqüidistantes entre si)(Fig. Diminuto: olho de diâmetro muito menor que sua distância à boca.

Nasal: placa cefálica par que contém a narina.uma série. Hemipênis: órgão (par) copulador masculino dos Squamata. Paravertebral: fileira(s) longitudinal(is) de escamas dorsais ao lado da fileira vertebral (Fig. 3). infralabiais e gulares (Fig. a pré-ocular isola o olho da préfrontal)(Fig. coberta pela última supralabial. Infralabial: placa do lábio inferior (Figs. As laterais contatam a temporal posterior e a borda póstero-lateral da parietal. sendo evertido no momento da cópula. É termorreceptor. Pode ser ausente. ou dividido (se mais da metade do órgão é dividida). Frontal: placa cefálica dorsal única e grande entre as supra-oculares (Fig. ou variavelmente desenvolvidas na porção anterior ou ao longo de todo o corpo. Opistoglifodonte: tipo de dentição em que os últimos dentes da série maxilar são sulcados (geralmente em sua face anterior). É assimétrico quando um dos órgãos não é a imagem espelho do outro. 3). 4B). 2). 1). 1). Loreal: placa cefálica lateral. é dividida quando a narina se localiza numa sutura entre duas placas (neste caso entre a placa nasal anterior e posterior)(Fig. É dita inteira quando a narina se localiza inteiramente contida dentro da placa (Fig. A fileira de infralabiais inicia-se a partir da placa sinfisial e termina no oral rictus. Isodonte: tipo de dentição com dentes não diferenciados em forma e tamanho ao longo da serie. Gulares: escamas localizadas entre as placas infralabiais e mentonianas (Fig. Na ausência desta placa haverá apenas a pré-ocular entre a nasal e o olho (neste caso. 4A) e é semidividida quando a sutura chega até a narina e não a ultrapassa. Hipapófise: processo médio-ventral das vértebras em forma de quilha. circundada pelas sinfisial. Ocular: placa modifica em lente. 4B). órgão sensorial Fosseta loreal: cavidade na região loreal (entre o olho e a narina) presente nos Crotalinae (Fig. 11). a mediana insere-se entre as extremidades posteriores do par de parietais. localizada entre as placas nasal e pré-ocular (Fig. Podem estar ausentes. É membranoso e fica alojado internamente na base da cauda. Este termo é mais apropriado do que opistóglifo. sob a qual se localiza o olho (Fig. Pode ser: simples (essencialmente cilíndrico. Oral rictus: ângulo bucal. Padrão-coral: padrão de coloração constituído por conjuntos de anéis ou faixas transversais vermelhas. normalmente. bilobado (se dividido até metade do órgão). pretas e brancas ou amarelas ao longo do corpo. Occipitais: escamas ou placas entre a borda posterior das parietais e a primeira fileira transversal de dorsais (Fig. Heterodonte: tipo de dentição com dentes diferenciados em forma e tamanho ao longo da série. 31 . geralmente os posteriores (opistomegadonte). 1 e 2). porém pode ser muito modificado e assimétrico). 10). 2 e 3). única ou par. Mentoniana: placas (pares) ou escamas bordeando o sulco mentoniano. Internasal: placa cefálica dorsal posterior a rostral e entre as placas nasais (Fig. 2). Podem existir um ou mais pares diferenciados. É órgão sensorial termorreceptor.

Pode estar ausente ou presente. Preênsil: cauda curvada ventralmente na extremidade distal. 2). 2). localizada anteriormente a cada olho (Fig. Sub-ocular: fileira de escamas que isola o olho das supralabiais. Pré-ventral: placas mais largas que longas entre as gulares e primeira ventral (excluindo a primeira fileira longitudinal de escamas dorsais em ambos os lados)(Fig. usualmente são feitas três contagens (Fig. 1 e 2). Rostral: placa única localizada na borda oral anterior superior (Figs. e são os únicos dentes do maxilar. quando uma nova camada já estiver formada abaixo. Redução de fileiras: refere-se a alteração do número de fileiras longitudinais de escamas dorsais ao longo do corpo. entre a pré-ocular.as pretas arranjadas em mônades. Pré-frontal: placa cefálica dorsal localizada imediatamente anterior à placa frontal (Fig. Geralmente par ou única. Este termo é mais apropriado do que proteróglifo. 32 . normalmente na região cefálica e ventral. que é fixo. a préfrontal entra em contato com o olho (Fig. que reveste todo o corpo. 4A). É dita inteira (ou simples) quando em apenas uma série (Fig. Placa: escama diferenciada em tamanho e forma. É dita mista se apresentar as duas formas. Subcaudal: série longitudinal de placas revestindo a superfície ventral da cauda. Pode ser única ou estar em maior número. Solenoglifodonte: tipo de dentição na qual um par de presas tubulares se encontram em posição anterior na boca. 1). Stratum corneum: camada mais externa e queratinizada da epiderme. Para verificar se ocorrem reduções. 13E). Na ausência desta placa. Quilha: ornamento córneo em forma de crista longitudinal mediana de uma escama (Fig. É característica da família Viperidae. 14B). díades ou tríades. Sinfisial: placa única localizada na borda oral anterior inferior (Figs. a placa pré-frontal entra em contato com o olho (Fig. 13C). É característica da família Elapidae. 3). denominadas escamas. localizada posterior à placa frontal (Fig. Pré-subocular: pequena placa em posição antero-inferior à borda ocular. Essa camada é perdida durante a muda. localizada posteriormente a cada olho (Fig. no meio do corpo e a uma cabeça de distância anterior à cloaca. fazendo com que ela se prenda a objetos fortemente. supralabial e a ocular. 4A). 2 e 3). do pescoço à cloaca. Proteroglifodonte: tipo de dentição na qual um par de presas canaliculadas se encontram em posição anterior no maxilar . que é extremamente curto e móvel. e em diversos deles existem dentes sólidos posteriores às presas canaliculadas. Parietal: placa cefálica dorsal par. Sinônimo de carena. Pós-ocular: placa cefálica lateral. 1). 14A) e dividida quando em duas (Fig. Rugosa: escama com pregas ou rugas longitudinais grosseiras (superfície irregular)(Fig. Pode ser única ou estar em maior número. Este termo é mais apropriado do que solenóglifo. Na ausência da placa pré-ocular. possuindo unidades definidas e destacáveis. Pré-ocular: placa cefálica lateral. 11): a uma cabeça de distância da nuca.

normalmente. Temporal: escamas ou placas localizadas após as placas pós-oculares. centrífugo quando os ramos divergem e percorrem a face lateral dos lobos. Supralabial: placa ou série de placas do lábio superior (Fig. A presença desta fileira confere uma contagem ímpar de fileiras longitudinais dorsais.Sulco espermático: sulco no hemipênis que conduz o esperma da cloaca do macho para a da fêmea. 13F). 1 e 2). Tuberculada: escama verrucosa com protuberâncias (Fig. limitadas superiormente pela placa parietal e inferiormente pelas placas supralabiais (Fig. onde é bordeada por escamas indiferenciadas menores. 3). Supra-ocular: placa cefálica par. Vertebral: fileira longitudinal de escamas dorsais ao longo da linha médiodorsal do corpo (Fig. 3) e posteriormente pela placa anal (Fig. 2). Pode ser simples ou bifurcado. Inicia-se a partir da rostral e termina. 14). Normalmente existem duas series transversais (anterior e posterior). e centrolinear quando os ramos percorrem a mesma face (sulcada) dos lobos. 2). limitada anteriormente pelas pré-ventrais (e gulares)(Fig. 11). É dito centrípeto quando os ramos convergem e percorrem a face interna dos lobos. Via de regra. cada uma localizada sobre o olho (Figs. 33 . A primeira ventral é a primeira placa em contato com a primeira fileira longitudinal de escamas dorsais em ambos os lados. abruptamente no oral rictus. cada ramo do sulco percorre um lobo do orgão. proporcionando o afastamento entre as hemimandibulas durante a ingestão. que é externa quando o hemipênis está evertido. indepedente da forma ou bilobação do hemipênis. Sua presença define a face sulcada. Sulco mentoniano: sulco profundo localizado entre os pares de mentonianas (Fig. Ventral: série longitudinal de placas largas imbricadas revestindo a superfície ventral do corpo.

Com Mus. Texas Tech Univ. The taxonomic status of miscellaneous Neotropical viperids. 13:1-279. Catalogue of Snakes in the British Museum (Natural History). A Key and Checklist to the Neotropical Snake Genus Liophis with Country Lists and Maps.A. Vols. Phalotris e Apostolepis (Serepentes.] FERRAREZZI. J. 1994a. H. Colubridae. M. RIBEIRO-COSTA & L. 1998. The Venomous Reptiles of the Western Hemisphere. & N. Reptiles del Centro. Mon. Brasil. Brasil. Manual de Coleta. J. G. FERRAREZZI. 1993. J. 1893-1896. Reg. LAMAR. Nat. PAPAVERO. 1992. H. Uma Sinopse dos Gêneros e Classificação das Serpentes (Squamata): I. J. Revision of the tropical snake Chironius Fitzinger (Serpentes. J. Herp. 79. 1989. BOULENGER. 1994b.M.. M. Revalidation of the Genus Echinanthera Cope. São Paulo [Dissert.. Cornell Univ.. A. zool. 1986.A. CEI. Smithsonian Herpet.. LAMAR. & W. Holos Editora. L. PUCRS.W. USP. 1992. CAMPBELL. J. 3 volumes. Bioc. DI-BERNARDO. Ithaca. 1994. 2004.A. Museo Regionale di Scienze Naturale. Sc. and its Conceptual Amplification (Serpentes.R. ALMEIDA. The Venomous Reptiles of Latin America. C. Centro-Oeste y Sur de la Argentina – Herpetofauna de las Zonas Áridas y Semiáridas. 1984. I e II. 1:69-80 FERRAREZZI. J. 1:81-91 34 . Teoria Intuitiva dos Conjuntos. Conservação. Xenodontinae). Herp. Família Colubridae. sér.REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS ABE J. Colubridae). Mest. & W. R. Press.M.. CEI. 1989.. Montagem e Identificação de Insetos. Inf.M. & W. Colubridae). WIEST AND J.. MARINONI.W. Inst.S. 5:225-256 DIXON.. Occasional Papers of the Museum. 1993.. Ciênc. 277p. with the description of a new genus. Sistemática Filogenética de Elapomorphus.A.. Uma Sinopse dos Gêneros e Classificação das Serpentes (Squamata): I. London: Trustees of the British Museum CAMPBELL. Makron Books. Scolecophidia e Alethinophidia Não Colubrídeos. Service. Comstock Publishing Associates.W. Mus. LAMAR. DIXON. 153:1-31 CAMPBELL. H.

São Paulo.R. Nomenclatura (2ª Ed. Xenodontinae). GUTBERLET. N.. N. Catalogue of the Neotropical Squamata. Colubridae. J. J. Bibliografia. CADLE. p. HOGE. Hist. Univ. SILVA JR. CAMPBELL. MYERS. (Org.FERRAREZZI. 1990.. C.) Fundamentos Práticos de Taxonomia Zoológica: Coleções. 13:142-194. Pap.L. A New Genus for South American Snakes Related to Rahdinaea obtusa Cope (Colubridae) and Resurretion of Taeniophallus Cope for the “Rhadinaea” brevirostris Group.R. Butantan. Notas Sobre o Gênero Phalotris com Revisão do Grupo nasutus e Descrição de Três Novas Espécies (Serpentes. S.R. & U. MARTINS. Mercedes-Benz do Brasil. J. Soc.W. FAPESP. 3102:1-32 PAPAVERO. Revision of the Micrurus frontalis Complex (Serpentes:Elapidae). Generic recognition for a neglected lineage of South American pitvipers (Squamata: Viperidae: Crotalinae). FAPESP. CROTHER. 4. 19-43.. Snakes.W. Leopoldensia. 1.. Inst. 1999. A New Genus for Andean Snakes Related to Liophis boursieri and a New Species (Colubridae). Kansas.A. 3316:1-15. Nat. p. SITES JR. SAVAGE.. Bibliografia.) São Paulo. 1991. MARTINS. 95:335-371. Acta Biol. Monog.A & B.W. Part I. with a review of included species of coral snakes mimics. 1993. N.L. 1970. Itens da Publicação Taxonômica.I. 35 . with the description of a new species from the Colombian Chocó. R. R. Am. Occ. & J.1973. Nov.. Mus. A New Genus of Amazonian Vine Snake (Xenodontinae: Alsophiini).A. C.) Fundamentos Práticos de Taxonomia Zoológica: Coleções.. 1994..W. 1994c. & J. Mem. Mem. The status of Pliocercus and Urotheca (Serpentes: Colubridae). PETERS. 2001. Nota sobre Xenodon e Ophis.. Nov. Herpet. In: PAPAVERO. Serpentes Colubridae. S. MYERS.J. N. & B. 84-88. Editora Unesp. & A. HILLIS. J. A New Species of the Xenodontine Colubrid Snake Genus Synophis from Ecuador and the Phylogeny of the Genera Synophis and Emmochliophis. Mus.M. 15(2):99-108.E. Mus. 1994. U. Nov. (Org. Mus.. 36:209-214.. Inst. In: PAPAVERO. Am. 1994. Editora Unesp. D. 1989.M. Zool. MACHADO. Butantan. As Cobras Venenosas do Brasil.. H. 135:1-9. OREJAS-MIRANDA. (2522):1-37. A Coleção Taxonômica.) São Paulo.. 1972. Am.A. Lin. 55(1):21-38 GRANTSAU. J. Smithsonian Institution Press.. Nomenclatura (2ª Ed. ROMANO.

R. H. Denison Univ. 36 . Tyler. ZAHER. Texas. WERMAN. 52(2):271-275 VANZOLINI. A. Acad. J. Reg. Texas Mem. 1994. 317:471-478. & R. Herpetologica. RAMOS-COSTA & L. 1992. DIXON. 1923 (Serpentes: Colubridae: Xenodontinae).A. Sci.J. VOSS. R.. Publ.A. ZAHER. 21-40.. Alethinophidia) sont-ils réellement monophylétiques? Arguments em faveur de leur polyphylétisme. Xenodontinae). S. 43:1-25.M. A new systematic arrangement for Philodryas serra (Schelegel) and Philodryas pseudoserra Amaral (Serpentes: Colubridae). Scient. 1996. & E. Pp.G. Mus. (27):1-20. 1952. A new genus and species of Pseudoboine Snake.THOMAS. Les Tropidopheoidea (Serpentes.A.R.M. The systematic status of Platyinion lividum Amaral. P.D.. Biology of Pitvipers.. VITT. Bol.. & J. E. R. H. The history of keys and phylogenetic trees in systematic biology. Mus. FERNANDES. Phyllogenetic relationships of Central and South American pitvipers of the genus Bothrops (sensu latu): cladistic analyses of biochemical and anatomical characteres. Brodie Jr. with a revision of the genus Clelia (Serpentes.E. C. J. Academia Brasileira de Ciências. THOMAS. 1996. Répteis das Caatingas.D. Selva. Torino 14: 289-337. 1980. 1977. In: Campbell. Paris. Sci.. Nat. Labs.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful