Você está na página 1de 36

Conceitos e Terminologia Musical

Geber Ramalho & Osman Gioia - UFPE


1
Notação Musical

 Evolução
• Transmissão Oral
• Idade Média
– Neumas e Melismas (Canto Gregoriano)
– Aparecimento das linhas da Pauta
• Período Barroco
– Estabilização da notação musical utilizada hoje em dia

 Notação Musical Convencional


• Emprega símbolos espacialmente posicionados para
denotar altura, duração, intensidade, articulação,
andamento e outros parâmetros relativos à execução
musical

Geber Ramalho & Osman Gioia - UFPE


2
Noções Básicas

Geber Ramalho & Osman Gioia - UFPE


3
Parametrização

 Altura ⇔ Freqüência da fundamental

 Andamento e Duração ⇔ Duração em segundos

 Ritmo (Compasso) ⇔ Agrupamento temporal das


figuras e/ou notas
 Tonalidade ⇔ Sequenciamento em altura de
escalas com 7 de notas (Música Ocidental)
 Dinâmica ⇔ Intensidade sonora

Geber Ramalho & Osman Gioia - UFPE


4
Altura
 Atributo da sensação auditiva a partir do qual o
som pode ser ordenado em uma escala musical

 Audição Humana
• Logarítmica
• Extensão: ± 20 a 20.000 Hz
• Podemos distinguir ± 1.400 mudanças de
freqüência
• Escalas Musicais Ocidentais tradicionais utilizam
somente 120 freqüências divididas em
– 10 blocos com 12 notas (oitavas)
– agrupadas de 7 em 7 (Tonalidades)

Geber Ramalho & Osman Gioia - UFPE


5
Oitava

 Intervalo entre duas freqüências com razão 2:1

 Sensação auditiva de mesma nota em alturas


diferentes

Freqüência
264 Hz
Si1 Lá1
198 Hz
Sol1
132 Hz Dó2
Mi2
Ré2 Fá1
89 Hz
Dó1
66 Hz Mi1
Ré1

Geber Ramalho & Osman Gioia - UFPE


6
Divisão da Oitava

 Na Música Ocidental tradicional, divide-se em 12 intervalos iguais


denominados semitons (2 semitons = 1 tom)
• 7 notas (do, re, mi, fá, sol, lá, si)
• Alterações (operadores)
– Sustenido e dobrado sustenido para aumentar um semitom e um
tom respectivamente
– Bemol e dobrado bemol para baixar um semitom e um tom
respectivamente

dó# ré# fá# sol# lá# sustenidos Freqüência


réb mib solb láb sib bemóis

v v v v v v v v v v v v v v v

do re mi fá sol lá si do re mi fá sol lá si do re mi fá sol lá si

------ 1ª oitava ------ ------ 2ª oitava ------ ------ 3ª oitava ------

Geber Ramalho & Osman Gioia - UFPE


7
Tonalidade
 Tonalidade
• Determina o centro tonal: “7 notas principais” a serem
usadas nas construção dos acordes e melodias, assim
como ajuda a determinar as seqüências de acordes
• modulação = mudança de tonalidade

 2 Modos (padrões para extração das “notas”


entre as 12 que subdividem a oitava)
• Modo Maior
– Tom, tom, semitom, tom, tom, tom, semitom
• Modo menor
– Tom, semitom, tom, tom, semitom, tom, tom

v v v v v v v v v v v v v v v

do re mi fá sol lá si do re mi fá sol lá si do re mi fá sol lá si

Geber Ramalho & Osman Gioia - UFPE


8
Notação de Altura
 Pauta

• 5 linhas horizontais
– Altura de uma figura é indicada pelo seu posicionamento
vertical nas linhas ou espaços

 Claves
• Definem as alturas a serem atribuídas a uma determinada
pauta
Clave de Sol

Clave de Fá

Clave de Do na 4a linha

Clave de Do na 3a linha

Geber Ramalho & Osman Gioia - UFPE


9
Claves

 Mais comuns: Sol e Fá

• Pode-se utilizar linhas suplementares e/ou sinais de


oitava

Geber Ramalho & Osman Gioia - UFPE


10
Claves

 Alterações
• Sustenido e dobrado sustenido
– Elevam um semitom e um tom respectivamente
• Bemol e dobrado bemol
– Abaixam um semitom e um tom respectivamente
• Bequadro
– Cancela sustenidos e bemóis

Geber Ramalho & Osman Gioia - UFPE


11
Convenções de Notação
 Sistema Latino
• Do (Ut), Re, Mi, Fá, Sol, Lá, Si

 Sistema Anglo-saxônico
• A, B, C, D, E, F, G (= lá, si, do, re, mi, fá, sol)

 Lá central = 440 Hz e Do central = 261,63 Hz

 Identificação das oitavas

Geber Ramalho & Osman Gioia - UFPE


12
Duração
 Duração de um som
• Lapso de tempo entre o início e o final do mesmo

 Notação
• Figuras Rítmicas
– Unidades de duração relativas e dependentes de um
determinado andamento
– Semibreve, mínima, semínima, colcheia, semicolcheia,
fusa, semifusa e quartifusa

4 2 1 1/2 1/4 1/8 1/16 1/32

Geber Ramalho & Osman Gioia - UFPE


13
Duração
• Ponto: aumenta a duração da nota (figura ou pausa)
em 50%

• Pausas

Geber Ramalho & Osman Gioia - UFPE


14
Andamento ou Tempo

 Indicador da velocidade de execução das notas


e/ou figuras
 2 Formas
• Precisa: semínimas por minuto
– Metrônomo
• Subjetiva
– Largo
– Adagio
– Andante
– Moderato
– Allegro
– Presto

Geber Ramalho & Osman Gioia - UFPE


15
Compassos
 2 ritmos básicos
• Binário e Ternário

 Indicação do ritmo e unidades de medida


 3 tipos
• Simples
– (Unitário), Binário, ternário e quaternário com seus múltiplos
• Composto
– Numerador divisível por 3
• Alternado ou misto

 Expresso em forma de fração (sem a linha horizontal) onde:


• Fração = Unidade de compasso com semibreve = 1 (4/4)
• Numerador = número de tempos quando simples ou misto
• 1/Denominador = unidade de tempo quando simples ou misto

 São delimitados na pauta por barras de compasso verticais

Geber Ramalho & Osman Gioia - UFPE


16
Dinâmica

 Dinâmica
• Magnitude da sensação auditiva produzida por um
estímulo sonoro
• Depende primariamente da intensidade do estímulo
sonoro
• Notação musical é relativa e subjetiva
– Pianisissimo (ppp)
– Pianissimo (pp)
– Piano (p)
– Mezzo piano (mp)
– Mezzo forte (mf)
– Forte (f)
– Fortissimo (ff)
– Fortisissimo (fff)
– Crescendo (<) e Decrescendo (>)
– Acentos diversos

Geber Ramalho & Osman Gioia - UFPE


17
Colocando Tudo Junto:
Melodia, Harmonia e Contraponto
 Série sucessiva (Melodia) e/ou simultânea
(Harmonia) de sons com significado e estrutura
definidos de acordo com as leis da melodia,
harmonia e ritmo
 Melodia
• Sucessão de sons organizados rítmica e tonalmente

 Harmonia
• Combinação de acordes tonalmente concordantes
com a melodia

 Contraponto
• Superposição harmonicamente consistente de
melodias

Geber Ramalho & Osman Gioia - UFPE


18
Classificação dos Intervalos

v v v v v v v v v v v v v v v

do re mi fá sol lá si do re mi fá sol lá si do re mi fá sol lá si

 Quanto ao número de notas


• Segunda, terça, quarta, quinta, sexta, sétima, oitava,
etc...

 Quanto ao número de semitons


• Maiores e menores ou justos, aumentados, diminutos,
super-aumentados e sub-diminutos

 Uníssono = mesma nota

 Enarmonia = mesmo som, nomes diferentes

Geber Ramalho & Osman Gioia - UFPE


19
Intervalos

 2 sons sucessivos = Intervalo melódico

 2 sons simultâneos = Intervalo harmônico

 Consonância e Dissonância
• Razões de freqüência com pequenos inteiros são
consonantes

 Intervalos consonantes
• Terças e sextas maiores e menores e todos os justos,
os outros são dissonantes

Geber Ramalho & Osman Gioia - UFPE


20
Acordes

 Formação de Acordes
• 3 ou mais sons simultâneos
• Nota mais grave chama-se baixo ou fundamental
• As outras são designadas por seu intervalo em relação
à fundamental (terça, quinta, sétima, ...)
• Os mais simples são as tríades (3 notas)
• Exemplos:
– Do maior = do mi sol
– Re menor = re fá lá
• Podem ser representados por cifras
– A, C7M, Dm7(9),

 Campo harmônico
• cada grau de uma escala possui os seus acordes
associados de 3 ou mais sons

Geber Ramalho & Osman Gioia - UFPE


21
Afinação e Instrumentos

Geber Ramalho & Osman Gioia - UFPE


22
Afinação

 Vibração de uma corda produz nodos de vibração


múltiplos inteiros da fundamental (harmônicos)
 Série Harmônica
• Fundamental, 2f, 3f, 4f, 5f, 6f, 7f, etc...

Geber Ramalho & Osman Gioia - UFPE


23
Afinação
 Razões de Freqüência
• 2:1, 3:2, 4:3, 5:3, 5:4, 6:5, 8:5, etc...
– 2:1 = oitava

 Intervalo
• Espaçamento em altura (freqüência) entre duas notas
(sons)

 Escala
• Série de sons ordenados ascendentemente com
intervalos de freqüência definidos a partir da série
harmônica

Geber Ramalho & Osman Gioia - UFPE


24
Afinação

 Processo de seleção e ajuste da freqüência dos sons


de uma escala musical

 A Escala extraída diretamente da série harmônica é


denominada Escala de Afinação Justa

 Implementação e/ou execução de instrumentos


musicais justos é complicada

 Escala utilizada musicalmente é denominada Escala de


Afinação Temperada

 Alguns instrumentos são capazes de execução justa

Geber Ramalho & Osman Gioia - UFPE


25
Escala de Afinação Justa

 Escala Musical que emprega intervalos de


freqüência representados pelas razões com
inteiros pequenos da série harmônica

Dó Ré Mi Fá Sol Lá Si Dó
1 9/8 5/4 4/3 3/2 5/3 15/8 2

Dó Ré Mi Fá Sol Lá Si Dó
9/8 10/9 16/15 9/8 10/9 9/8 16/15

Geber Ramalho & Osman Gioia - UFPE


26
Dificuldade Principal
 O número de freqüências necessárias à execução
em todas as tonalidades torna impraticável a
construção e execução de instrumentos musicais
com sons prefixados

Dó Ré Mi Fá Sol Lá Si Dó
9/8 10/9 16/15 9/8 10/9 9/8 16/15

v v v v v v v v v v v v v v v

do re mi fá sol lá si do re mi fá sol lá si do re mi fá sol lá si

Geber Ramalho & Osman Gioia - UFPE


27
Escala de Afinação Temperada
 Temperamento
• Redução por arredondamento, dos intervalos formados a
partir da afinação justa
 A oitava é dividida em 12 intervalos com razões de
freqüência idênticas
1, f, f2, f3, f4, f5, f6, f7, f8, f9, f1o, f11, f12 onde
f12 = 2 ou
f2
f 2 / f 1 = 12 2 12 log 2 f = 12 2
⇒ 1 Semitom: f1

⇒ Intervalo temperado:
 Pode-se utilizar centésimos
• Uma oitava = 1200 centésimos
• Um semitom = 100 centésimos

v v v v v v v v v v v v v v v

do re mi fá sol lá si do re mi fá sol lá si do re mi fá sol lá si 28


Geber Ramalho & Osman Gioia - UFPE
Afinação Temperada
 /* Escala.c */

 #include <stdio.h>
 #include <math.h>
 #include <stdlib.h>
 #include <conio.h>

 void main()
 {
 FILE *arq;
 int i;
 double base = 6.875000000;
 clrscr();
 if ((arq = fopen(".\\esc.txt","w")) == NULL)
 fprintf(stderr,"\nNao pude abrir o arquivo\n");
 for (i=-2;i < 129;i++)
 {
 base = base * pow(2,1.0/12.0);
 fprintf(arq,"\n midi[%3d] = %15.9lf;",i,base);
 printf ("\n midi[%3d] = %15.9lf;",i,base);
 }
 fprintf(arq,"\n");
 fclose(arq);
 exit(0);
 }

Geber Ramalho & Osman Gioia - UFPE


29
Instrumentos Musicais

 Sistema mecânico, elétrico, eletrônico ou digital


capaz de produzir um ou mais sons (musicais)
 Tipos
• Cordas
– Dedilhadas
– Friccionadas
– Percutidas
• Sopros
– Embocadura livre
– Palheta simples e dupla
– Bocal
– Cordas Vocais
• Percussão
– Altura definida e Altura indefinida
• Elétricos, eletrônicos e Digitais

Geber Ramalho & Osman Gioia - UFPE


30
Resposta em
freqüência de
alguns
instrumentos

Obs: inclui todos os parciais!

Geber Ramalho & Osman Gioia - UFPE


31
Faixa de
Intensidade

Geber Ramalho & Osman Gioia - UFPE


32
Faixas de freqüência e intensidade

O que os seres humanos escutam

Geber Ramalho & Osman Gioia - UFPE


33
Envoltória

Geber Ramalho & Osman Gioia - UFPE


34
Timbre

 Conteúdo Espectral

 Caracteriza-se por:
• Quantidade, intensidade, distribuição e relação de fase
dos parciais
• Envoltória dos mesmos

 Pode variar segundo outros fatores


• Modo de excitação (maneira de tocar)
• Acústica do ambiente
• Ressonância do sistema
• Resposta de freqüência do sistema

Geber Ramalho & Osman Gioia - UFPE


35
Fim

Geber Ramalho & Osman Gioia - UFPE


36