Você está na página 1de 154

0DQXDO#GH#5HIHUrQFLD

(QJHQKDULD
(06#5135
)HYHUHLUR25333
Copyright © 1998, 1999 DATASUL S.A. Todos os direitos reservados.
Nenhuma parte deste documento pode ser copiada, reproduzida, traduzida ou
transmitida por qualquer meio eletrônico ou mecânico, na sua totalidade ou
em parte, sem a prévia autorização escrita da DATASUL S.A., que reserva-se
o direito de efetuar alterações sem aviso prévio. A DATASUL S.A não assume
nenhuma responsabilidade pelas conseqüências de quaisquer erros ou
inexatidões que possam aparecer neste documento.
DATASUL S.A.
Av. Santos Dumont, 831, Joinville, SC, CEP 89.222-900
i

Índice

Prefácio ...............................................................................................v

CAPÍTULO 1 Introdução ....................................................................1


Integração com Outros Módulos ....................................................................3
CAPÍTULO 2 Processo Preparação das Informações .....................5
Função Cadastros Gerais .............................................................................6
Função Manutenção Parâmetros da Engenharia .........................................7
Função Manutenção Referência do Item ......................................................8
Função Manutenção Textos do Item...........................................................11
Função Manutenção Unidades de Medida .................................................12
Função Manutenção Alteração Códigos e Unidades de Medida................12
Função Manutenção Importação de Itens...................................................13
Função Manutenção Ferramentas da Produção.........................................15
Função Manutenção Ponto de Controle .....................................................16
CAPÍTULO 3 Processo Engenharia do Produto.............................19
Função Manutenção de Desenhos .............................................................20
Função Manutenção de Desenhos do Item ................................................25
Função Manutenção Modelos .....................................................................25
Função Manutenção Estrutura do Item .......................................................28
Função Manutenção Componentes Onde-se-usa ......................................45
Função Importação Estrutura/Alternativos..................................................48
CAPÍTULO 4 Processo Engenharia de Processos.........................51
Função Manutenção Lista de Componentes ..............................................51
Função Manutenção Processo de Fabricação do Item ..............................54
Função Manutenção Roteiros de Fabricação .............................................74
Função Importação Operações...................................................................79
Função Importação Operações/Fichas Método ..........................................81
Função Importação Narrativa Operações ..................................................81
ii

CAPÍTULO 5 Processo Consultas e Relatórios ............................. 83


Função Consulta Centro Custos ................................................................ 83
Função Consulta Desenho ......................................................................... 84
Função Consulta Estrutura......................................................................... 85
Função Consulta Estrutura Nível à Nível ................................................... 87
Função Consulta Estrutura Sumariada ...................................................... 89
Função Consulta Item ................................................................................ 90
Função Consulta Itens do Desenho .......................................................... 90
Função Consulta Itens Similares................................................................ 91
Função Consulta Família de Material......................................................... 95
Função Consulta Ferramentas da Produção ............................................. 95
Função Consulta Ficha Método ................................................................. 95
Função Consulta Gráfica da Estrutura ....................................................... 96
Função Consulta Gráfica Onde-se-Usa ..................................................... 98
Função Consulta Grupo de Estoque .......................................................... 99
Função Consulta Grupo Máquina .............................................................. 99
Função Consulta Lista de Componentes ................................................. 100
Função Consulta Modelo.......................................................................... 101
Função Consulta Onde-se-Usa................................................................ 102
Função Consulta Onde-se-Usa Alternativo.............................................. 104
Função Consulta Onde se Usa Item no Desenho.................................... 104
Função Consulta Onde-se-Usa Nível à Nível .......................................... 105
Função Consulta Onde-se-Usa Sumariado ............................................. 107
Função Consulta Ponto Controle ............................................................. 109
Função Consulta Processo Fabricação Item ........................................... 109
Função Consulta Roteiro Fabricação....................................................... 109
Função Consulta Tipo Texto .................................................................... 109
Função Consulta Unidade de Medida ...................................................... 110
Função Relatório Centro Custo/Grupo Máquina ...................................... 110
Função Relatório Desenhos ..................................................................... 110
Função Relatório Desenho Itens .............................................................. 110
Função Relatório Estrutura Detalhada ..................................................... 111
Função Relatório Estrutura Modelos........................................................ 112
Função Relatório Estrutura Nível à Nível ................................................. 113
Função Relatório Estrutura em Nível Único ............................................. 115
Função Relatório Estrutura Sumariada .................................................... 117
Função Relatório Família Materiais.......................................................... 119
Função Relatório Ferramentas Produção ................................................ 120
Função Relatório Grupo Estoque............................................................. 120
Função Relatório Itens ............................................................................. 120
Função Relatório Lista Componentes ...................................................... 121
Função Relatório Modelos........................................................................ 121
Função Relatório Onde-se-Usa Detalhado .............................................. 121
Índice iii

Função Relatório Onde-se-Usa Nível à Nível ...........................................122


Função Relatório Onde-se-Usa Nível único..............................................124
Função Relatório Onde-se-Usa Sumariado ..............................................128
Função Relatório Operações ....................................................................130
Função Relatório Operação Padrão .........................................................133
Função Relatório Operações Roteiro........................................................134
Função Relatório Operações Roteiro Detalhado ......................................134
Função Relatório Parâmetros do Item ......................................................135
Função Relatório Processo Fabricação Item ............................................136
CAPÍTULO 6 Dúvidas Mais Freqüentes ........................................139
Como se dá a interface Datasul EMS X AutoCAD? ..................................139
Como se dá a interface Datasul EMS X AutoManager ?..........................140
Qual o objetivo da Rede Pert? ...................................................................141
Como tratar Operações Simultâneas?.......................................................141
Como eliminar itens com movimento? .......................................................142
Como é o novo conceito de Desenhos do item? .......................................143
Como é atribuído níveis para itens numa estrutura? .................................143
Porque cadastrar vários itens em uma mesma seqüência? ......................144
Como funcionam as Folhas de Especificação dos Itens? .........................144
É possível eliminar as características técnicas dos Itens? ........................145
Um item alternativo pode ser fantasma? ...................................................146
v

Prefácio

Os produtos DATASUL são conjuntos de aplicações relacionadas que


permitem interligar toda uma empresa, resultando em um sistema integrado
de gestão empresarial.
Cada produto é estruturado em aplicativos, sistemas, módulos e funções.
Entre os aplicativos estão: Controladoria e Finanças, Manufatura,
Manutenção, Materiais, Distribuição e Recursos Humanos. O aplicativo de
Controladoria e Finanças, por exemplo, é dividido em dois sistemas: o sistema
de Controladoria e o de Finanças. Cada sistema é por sua vez subdividido em
um conjunto de módulos que implementam uma série de funções.
O Manual de Referência de Módulo visa abranger toda a informação
necessária para compreender os módulos que compõem os produtos
DATASUL, bem como solucionar dúvidas relativas ao seu funcionamento. É
uma obra “de referência” já que seu principal objetivo é a consulta para
obtenção de informações, ao contrário de um livro ou outro tipo de manual
que é lido do início ao fim.
Para cada módulo são definidas suas principais áreas funcionais. Uma área
funcional é um conjunto identificado de comportamentos relacionados. Neste
manual, cada área funcional dentro de um módulo é chamada de processo e
cada comportamento que compõe esta área funcional é chamado de função.
Importante
As características do módulo apresentado neste manual são básicas.
Tomando-as como base, o módulo pode ser configurado para qualquer tipo de
empresa.
Todos os dados utilizados nos relatórios e telas do DATASUL EMS
apresentados neste manual são fictícios.
1

CAPÍTULO 1

Introdução

Objetivo O módulo de Engenharia tem como objetivo o cadastro de informações


técnicas de produtos. Com ele, é possível especificar a estrutura, o roteiro de
fabricação, fazer o controle de desenhos e cadastrar outras informações
sobre produtos fabricados, matérias-primas e materiais auxiliares.
O módulo de Engenharia faz parte do sistema Engenharia do aplicativo de
Manufatura do DATASUL EMS Framework.
Características As principais características do módulo são:
• Permite o cadastro de especificações técnicas do item, verificando a
duplicidade de itens no cadastro.
• Permite a consulta de itens similares.
• Possibilita o cadastro de operações padrão, agilizando a confecção de
roteiros e processos de fabricação.
• Permite a manutenção dos componentes, revisões e folhas dos
desenhos.
• Simplifica o processo de implantação de produtos semelhantes por
intermédio do uso da estrutura de modelos.
• Recurso da “Relação Fantasma”, o que permite definir um nível desejado
na estrutura, quando este não existe na linha de produção.
• Possibilita que operações ou roteiros de fabricação possam ser ligados a
itens.
• Controla data de validade de operações e roteiros.
• Relaciona operações alternativas à operação de execução no processo.
2

• Trabalha com fichas de métodos associadas às operações.


• Permite montar textos livres para documentar especificações técnicas e
descrever processos de fabricação de um determinado item. Estes textos
podem possuir atributos de segurança para acesso.
• Possibilita informar quais ferramentas estão sendo utilizadas em
determinada operação.
• Permite consultas de estruturas sumariadas, nível a nível, onde-se-usa,
detalhes da relação, componentes alternativos, operações alternativas e
outras.
• Possibilita a interface com AutoCad para geração de desenhos e com o
Auto Manager para visualização.
• Trata a rede pert de operações do item ou do roteiro de fabricação,
especificando as operações sucessoras e predecessoras de cada
processo fabril.
• Permite determinar proporção de execução da operação do item e o seu
consumo de material.
• Suporta vários níveis na estrutura de produtos.
• Possibilita conhecimento da evolução histórica e técnica de produtos, com
base na sua estrutura.
• Possibilita alteração simultânea de um determinado componente em
todos os itens em que é utilizado.
• Componentes podem ser relacionados com operações em que são
utilizados para efeito de baixa automática na produção, no momento do
reporte da operação.
• Possibilita manutenção de estrutura para itens controlados por referência.
Visão Geral O módulo de Engenharia está dividido, basicamente em três grandes
processos:
• Informações básicas: onde estão relacionados os programas gerais
utilizados por outros módulos do aplicativo Manufatura e os programas
utilizados pelo próprio módulo de Engenharia.
• Engenharia do Produto: onde são definidos os produtos e geradas as
suas estruturas.
• Engenharia de Processos: onde são determinados os meios e métodos
para fabricação desses produtos.
CAPÍTULO 1 Introdução 3

Integração com Outros Módulos


M ultiplanta

Conf. Produtos

Compras

A r q u iv o d e t r an s açõ e s
Estoque
Es tr u tu r a d o
de s e nho
AutoCAD C ad as tr o d e Ite n s Produção

Dad o s p / It e n s , Es t r u tu r a d o p r o d u t o
co n s u lt a d e s M ant. Ind.
M an u fat u r a d o s it e n s Pe didos
AutoM anage r
ENGENHARIA Faturame nto
Es tr p r o d , P r o c fab
P r o d u to Obrigaçõe s Fiscais
It e n s , Es t r . p r o d , o p e r Plane jame nto
ap r o vad o
De se nv . Produtos Op e r . q u e s o fr e m C Q Plan. M I
CRP
P r o ce s s o d o It e m

Custos

De se nv . Produtos

Contr. Qualidade

Chão de Fábrica

Informação Descrição
Compras Recebe o cadastro de itens para a atualização de dados e
posterior utilização.
Estoque Recebe o cadastro de itens para a atualização de dados e
posterior utilização
Pedidos Recebe o cadastro de itens para a atualização de dados e
posterior utilização
Faturamento Recebe o cadastro de itens para a atualização de dados e
posterior utilização
Obrigações Fiscais Recebe o cadastro de itens para a atualização de dados e
posterior utilização
Planejamento Recebe o cadastro de itens para a atualização de dados e
posterior utilização pelo módulo, a estrutura de produto para
que sejam geradas as necessidades de materiais de acordo
com o estabelecido no plano de produção e a família de
materiais para atualização com dados relativos ao
planejamento.
Planejamento da Recebe Informações técnicas sobre a manufaturabilidade dos
Capacidade (CRP) itens para o módulo de CRP, tais como tempo de fabricação,
operações/roteiros e grupo de máquina.
4

Informação Descrição
Produção Recebe o cadastro de itens para a atualização de dados e
posterior utilização
Desenvolvimento de Recebe a estrutura completa de um produto com suas
Produtos operações ou roteiros. O Desenvolvimento de Produtos pode
alterar o produto ou criar um novo. O Desenvolvimento de
Produtos devolve um novo produto devidamente aprovado,
para que faça parte oficial do cadastro de produtos da
Engenharia
Custos Recebe dados que permite calcular o custo de um produto
fabricado. Estes dados são provenientes da estrutura do
produto e do processo de fabricação.
AutoCad Recebe pesquisa sobre itens em estoque, unidade de medida
etc. através da interface EMS/AutoCAD. Envia as informações
dos desenhos
AutoManager Envia informações para consulta de desenhos através da
interface EMS/Automanager
Planejamento da Recebe o cadastro de itens para a atualização de dados e
Manutenção Industrial posterior utilização
Manutenção Industrial Recebe o cadastro de itens para a atualização de dados e
posterior utilização
Configurador de Recebe informações referentes aos itens utilizados para
Produtos montar uma estrutura de modelo configurada
Controle de Qualidade Recebe as operações de fabricação que sofrem Controle de
Qualidade
Chão de Fábrica O módulo de Engenharia fornece ao Chão-de-Fábrica as
informações referentes ao Processo do Item (Operações,
Roteiro, Rede Pert), Máquinas, Grupos de Máquinas e os
Tempos para o processamento.
Multiplanta Recebe as seguintes transações:
MAN001 Geração do Resumo de Custo de Itens
MAN003 Manutenção dados cadastrais do item
(Manufatura)
MAN004 Alteração de Códigos e Unidades de Medidas -
Item
MAN007 Manutenção de Referências
MAN008 Manutenção de Textos do Item
MAN010 Cadastro de estrutura
MAN011 Cadastro de Componentes Alternativos
MAN013 Manutenção de Famílias de Materiais
5

CAPÍTULO 2

Processo Preparação das Informações

Objetivo Este capítulo relaciona e descreve as informações que devem ser


implementadas para o perfeito funcionamento do módulo.
Descrição As informações contidas neste capítulo são apresentadas na forma de
cadastros gerais e de cadastros do módulo.
Os cadastros gerais são aquelas funções que implementam informações
utilizadas por mais de um módulo. Estas funções são descritas de forma
detalhada no Manual de Referência dos Cadastros Gerais. Este capítulo
apenas faz referência a estas funções. Ao clicar sobre a referência pode-se ir
para o local no Manual de Referência dos Cadastros Gerais onde aparece a
descrição detalhada da função.
Os cadastros específicos do módulo são aquelas funções que implementam
informações que dizem respeito somente ao módulo em questão. São funções
do tipo manutenção e na sua descrição são apresentadas suas principais
características e funcionalidades.
6

As informações deste capítulo estão estruturadas conforme apresentada no


diagrama a seguir.

P rep araçã o d as
In form açõ es

C ad astros C ad astros d o
G erais M ó d u lo

P arâ m etros G ru p o d e P arâ m etros R eferê n cias


G lob ais E stoq u e d a E n g en h aria d o Item

F am ília F am íla Textos U n id ad es


d e M aterial C om ercial d o Item d e M ed id a

Item Tip os d e A lter. C od . Im p ortaçã o


Texto U n . M ed id a d o Item

R eferê n cia F olh as d e P on to d e F erram en tas


E sp ecificaçã o C on trole d a P rod u çã o

Tab ela d e Item


R esu ltad os M an u fatu ra

F am ília C en tro
M an u fatu ra d e C u sto

G ru p o d e F ich a d e
M á q u in a M é tod os

Função Cadastros Gerais


Objetivo O tratamento de cadastros gerais é descrito no Manual de Referência dos
Cadastros Gerais EMS 2.00 . São eles:
• Centro de Custo
• Família Comercial
• Família Manufatura
• Família de Materiais
CAPÍTULO 2 Processo Preparação das Informações 7

• Ficha de Métodos
• Folhas de Especificação
• Grupos de Estoque
• Grupo de Máquina
• Item
• Item Manufatura
• Operação Padrão
• Parâmetros Globais
• Referência
• Tabela de Resultados
• Tipo de Texto

Função Manutenção Parâmetros da Engenharia


Objetivo Inserir informações básicas para a implantação e funcionamento do módulo
de Engenharia.
Programas EN0101
Descrição Para a implantação do módulo de Engenharia devem ser parametrizados os
seguintes campos:
8

Campo Descrição
Variação Operações Inserir a seqüência de variação da numeração na
implantação das operações de fabricação.
Esta variação pode ser de 5 em 5, 10 em 10 etc.
Variação Estruturas Inserir a seqüência de variação da numeração na
implantação da estrutura de produto.
Esta variação pode ser de 5 em 5, 10 em 10 etc.
Avisa sobre duplicidade do Quando habilitado, alerta se determinado componente já
componente no nível faz parte da estrutura do produto no mesmo nível.
Script Auto Manager Inserir o caminho para acesso aos desenhos
desenvolvidos em AutoCAD que podem ser visualizados
por intermédio do Auto Manager.

Função Manutenção Referência do Item


Objetivo Individualizar produtos com a mesma estrutura, mas diferenciados entre si
pôr determinadas características, como qualidade, cor, tamanho e etc.
Programas CD1506
Descrição O programa apresentado a seguir possibilita associar as referências
cadastradas a um determinado item, determinando desta forma, todas as
referências possíveis que um item possa assumir.
CAPÍTULO 2 Processo Preparação das Informações 9

Botão de
Filtro
10

Botão Filtro
Permite uma classificação das referências e itens cadastrados.
Exemplo
Com base na estrutura mostrada na figura a seguir, e por intermédio do
programa CD1506, obtém-se a tabela de relacionamento dos componentes
com as suas referências.

V e n tila d o r
VBF

V en tila d o r E m b a la g e m E tiq u e ta
V B F -30

M o to r H élice G rad e P e d es ta l
M E -30 H E -30 P ro te çã o G P -3 0

1 10V B ran ca B ra n c a

2 20V C in z a C in za
CAPÍTULO 2 Processo Preparação das Informações 11

Tabela de relacionamento
Item Referência
Ventilador VBF 110V-bra
110V-Cin
220V-Bra
220V-Cin
Ventilador VBF-30 110V-Bra
110V-Cin
220V-Bra
220V-Cin
Motor Elétrico ME-30 110V
220V
Hélice HE-30 Branco
Cinza
Grade de proteção GP-30 Branco
Cinza
Pedestal ---------------
Embalagem ---------------
Etiqueta 110V-Bra
110V-Cin
220V-Bra
220V-Cin

Nota Este programa verifica se o módulo de multiplanta esta implantado


para efetivar as transações com relação a inclusão, alteração e eliminação de
referências do item.

Função Manutenção Textos do Item


Objetivo Permitir a associação de textos técnicos cadastrados ao item.
Programas CD0208
Descrição Os itens podem ter associados vários textos técnicos, sendo que para cada
tipo de texto existem permissões de acesso e atualização já definidas no
programa de cadastro do tipo de texto (Ver detalhes Manual de Referência
Cadastros Gerais EMS 2.00 – Função Manutenção do Tipo de Texto).
12

Tipos de
textos
associados
ao item

Função Manutenção Unidades de Medida


Objetivo Definir unidades padrões adotadas pela empresa para quantificar itens.
Tipo Manutenção
Programas CD0203
Descrição É importante a utilização de unidades de medida em sua forma padronizada,
obedecendo a medidas definidas por instituições internacionais de
normalização e por organismos oficiais de fiscalização de padrões,
reconhecidos e aceitos.
Ver detalhes no Manual de Referência dos Cadastros Gerais EMS 2.00 –
Função Manutenção Unidades de Medida.

Função Manutenção Alteração Códigos e Unidades de Medida


Objetivo Permitir a alteração nos códigos e unidades de medida dos itens quando se
fizer necessário.
Programas CD0205
Descrição Ver detalhes no Manual de Referência dos Cadastros Gerais EMS 2.00 –
Função Manutenção Alteração Códigos e Unidades de Medida.
CAPÍTULO 2 Processo Preparação das Informações 13

Função Manutenção Importação de Itens


Objetivo Permitir a importação dos dados básicos do arquivo de itens.
Programas CD0209
Descrição Deve-se informar qual o nome do arquivo para importação .Uma vez
informado o arquivo para importação, este será utilizado para importar ou
exportar dados para o programa.
14

A figura a seguir apresenta o exemplo do lay out do arquivo de importação de


Itens:
+----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------+
| Layout do Arquivo de Importação de Itens |
|----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------|
| Nome do Arquivo: A ser informado |
| Formato: Texto |
| Tamanho do Registro: 785 |
|----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------|
| Ordem | Descrição | Tamanho | Início | Término | Conteúdo | Decimais | Obrigatório |
|-------+---------------------------------------------------------+---------+--------+---------+----------+----------+-------------|
| 1 | Tipo de Transação | 1 | 1 | 1 | Inteiro | | Sim |
| | Onde 1 - Inclusão | | | | | | |
| | 2 - Modifição | | | | | | |
| | 3 - Eliminação | | | | | | |
| 2 | Código do Item | 16 | 2 | 17 | Caracter | | Sim |
| 3 | Descrição | 60 | 18 | 77 | Caracter | | Sim |
| 4 | Código do Grupo de Estoque | 2 | 78 | 79 | Inteiro | | Sim |
| 5 | Código da Família de Material | 8 | 80 | 87 | Caracter | | Sim |
| 6 | Família Comercial | 8 | 88 | 95 | Caracter | | Sim |
| 7 | Unidade de Medida | 2 | 96 | 97 | Caracter | | Sim |
| 8 | Estabelecimento Padrão | 3 | 98 | 100 | Caracter | | Não |
| 9 | Situação | 2 | 101 | 102 | Inteiro | | Sim |
| | Onde 1 - Ativo | | | | | | |
| | 2 - Obsoleto Ordens Automáticas | | | | | | |
| | 3 - Obsoleto Todas as Ordens | | | | | | |
| | 4 - Totalmente Obsoleto | | | | | | |
| 10 | Data de Implantação | 8 | 103 | 110 | Data | | Sim |
| | Formato mmddaaaa | | | | | | |
| | Onde mm = Mês | | | | | | |
| | dd = Dia | | | | | | |
| | aaaa = Ano | | | | | | |
| 11 | Data de Liberação | 8 | 111 | 118 | Data | | Sim |
| | Formato mmddaaaa | | | | | | |
| | Onde mm = Mês | | | | | | |
| | dd = Dia | | | | | | |
| | aaaa = Ano | | | | | | |
| 12 | Folha de Especificação | 8 | 119 | 126 | Caracter | | Não |
| 13 | Tipo Controle | 2 | 127 | 128 | Inteiro | | Sim |
| | Onde 1 - Físico | | | | | | |
| | 2 - Total | | | | | | |
| | 3 - Consignado | | | | | | |
| | 4 - Débito Direto | | | | | | |
| 14 | Aplicação (1-Serviço 2-Material) | 2 | 129 | 130 | Inteiro | | Sim |
| | Onde 1 - Serviço | | | | | | |
| | 2 - Material | | | | | | |
| 15 | Lote Econômico | 13 | 131 | 143 | Decimal | 4 | Sim |
| 16 | Código Complementar | 20 | 144 | 163 | Caracter | | Não |
| 17 | Informações Complementares | 16 | 164 | 179 | Caracter | | Não |
| 18 | Imagem | 30 | 180 | 209 | Caracter | | Não |
| 19 | Narrativa[1] | 60 | 210 | 269 | Caracter | | Não |
| 20 | Narrativa[2] | 60 | 270 | 329 | Caracter | | Não |
| 21 | Narrativa[3] | 60 | 330 | 389 | Caracter | | Não |
| 22 | Narrativa[4] | 60 | 390 | 449 | Caracter | | Não |
| 23 | Narrativa[5] | 60 | 450 | 509 | Caracter | | Não |
| 24 | Narrativa[6] | 60 | 510 | 569 | Caracter | | Não |
| 25 | Narrativa[7] | 60 | 570 | 629 | Caracter | | Não |
| 26 | Narrativa[8] | 60 | 630 | 689 | Caracter | | Não |
| 27 | Narrativa[9] | 60 | 690 | 749 | Caracter | | Não |
| 28 | Narrativa[10] | 60 | 750 | 8092 | Caracter | | Não
+----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------+

Nota
Como o objetivo principal deste programa é a importação de da dados básicos
do item, outras implementações podem ser feitas por chamadas EPC, como
por exemplo, a importação da “Classificação Fiscal do Item” .
CAPÍTULO 2 Processo Preparação das Informações 15

Função Manutenção Ferramentas da Produção


Objetivo Efetuar a manutenção das ferramentas utilizadas nas operações de
fabricação, determinadas pela Engenharia.
Programas CD0124
Descrição Estas ferramentas são empregadas em operações padrão, em operações
alternativas e em operações para desenvolvimento de novos produtos.
Não deve ser considerada como equipamento de patrimônio, mas sim, como
um cadastro específico de ferramentas para auxílio na produção.

Campo Descrição
Ferramenta Inserir um código que deve ser atribuído à ferramenta para sua
identificação.
Descrição Inserir uma descrição resumida da ferramenta.
Item Ferramenta Inserir o código da ferramenta que deve ser mantido no cadastro
de itens.
Nota
Tem caráter documentacional.
16

Campo Descrição
Unidades Ciclo Inserir o número de unidades que a ferramenta produz em cada
ciclo considerado na produção do item.
• Pode-se conceituar que ciclo é a definição do numero de
peças possíveis de serem obtidas por uma ferramenta em
cada ciclo de trabalho.
Exemplo
Uma Ferramenta pode produzir a cada ciclo 5 peças conforme o
numero de moldes (plásticos) ou punções (metal-mecânico)

• Produção por ciclo (Representa o numero de peças que pode


ser feito utilizando uma ferramenta isto é cavidades em molde
de injeção, peças por batida em prensas, etc.
• A informação deste campo trabalha associada ao programa
de Manutenção do Centro de Trabalho (SF0104) no sentido
de determinar a produção horário do centro de trabalho
quando utiliza uma determinada ferramenta.
Exemplo
• Cada ferramenta recebe um número de ciclos (por exemplo
cavidades) = 7
• Para cada Centro de Trabalho é associado um número de
ciclos (nr ciclos = 3600/ciclo atual da máquina) = 3600/13,5 =
267 ciclos/hora
• O conjunto Centro de Trabalho para a ferramenta é 267 x 7 =
1869 peças/hora.

Observação Inserir observações a respeito da ferramenta cadastrada.

Função Manutenção Ponto de Controle


Objetivo Atualizar os pontos de controle utilizados na fabricação dos produtos.
Programas EN0509
Descrição Pode ser definido como um grupo de operações, máquina ou local, onde é
executada a contagem, a verificação ou a inspeção da qualidade e,
principalmente, a execução do reporte de uma ordem de produção.
Ao ser cadastrada uma ordem, esta pode ser reportada de várias maneiras,
entre elas, por operação ou por ponto de controle. Ambas são controladas
pela “rede pert”, que define a seqüência de execução das operações.
CAPÍTULO 2 Processo Preparação das Informações 17

As diferenças básicas entre o reporte por operação e o reporte


por ponto de controle são:
• No reporte por operação, o sistema obriga o usuário a reportar cada
operação da rede.
• No ponto de controle são definidas as operações que serão pontos de
controle, sendo necessário apenas definir este ponto, e todas as
operações vinculadas a ele serão reportadas.
A figura a seguir, apresenta o programa de cadastro do ponto de controle:

Seqüência dos reportes:


• Reporte por operação/ponto faz consistência com a operação/ponto
predecessor já reportado; a quantidade máxima reportada será a
quantidade existente na operação/ponto anterior.
• No reporte por operação, cada operação deve ser reportada
individualmente.
Nota No reporte por ponto de controle, a última operação deve ser
obrigatoriamente, um ponto de controle.

Exemplo
Ainda no caso do produto “Ventilador”, a fabricação do componente “Haste”
tem as seguintes operações:
Operação Descrição Ponto de Controle
10] Cortar tubo diâmetro 25 x 500 mm -----------------------
20 Rebarbar extremidades -----------------------
30 Furar extremidade 10
40 Desengraxar e fosfatizar ------------------------
18

Operação Descrição Ponto de Controle


50 Cromar 15

A tabela define que as operações 30 e 50 são os pontos de controle 10 e 15,


respectivamente. Quando reportado o ponto 10, são baixadas as reservas
vinculadas às operações 10, 20 e 30, e gerado GGF. O mesmo ocorre com o
ponto 15 em relação as operações 40 e 50; adicionalmente será gerado um
movimento no Estoque que dá entrada a quantidade reportada.
Nota GGF (Gastos gerais de fabricação) é um novo conceito utilizado no
Datasul EMS, que significa MOD (Mão-de-obra direta ) + MOI (Mão-de-obra
indireta) + CIF (Custos indiretos de fabricação).
19

CAPÍTULO 3

Processo Engenharia do Produto

Objetivo A Engenharia do Produto objetiva a especificação do produto por intermédio


de desenhos detalhados ou características técnicas preparadas para dar
dimensões, pesos, cores e outras características físicas ao produto.
Descrição O processo da Engenharia do Produto aborda as estruturas de produto, sua
montagem, manutenção e geração automática de estruturas via modelos,
desenhos e por referência. O processo está descrito conforme o diagrama
representado abaixo:

Engenharia
do Produto

Desenho Modelos Estrutura

Itens Modelos/ Referência


Desenhos
20

Exemplo
Utilizando-se um ventilador como exemplo (fictício) para os comentários das
funções do módulo de Engenharia, com uma estrutura de produto mais
simplificada visando melhor compreensão e simulação da teoria explicada.

Grade de
Proteção

Carcaça do
Ventilador

Haste

Pedestal

Função Manutenção de Desenhos


Objetivo Permitir a atualização dos desenhos relativos aos itens cadastrados.
Programas EN0301
Visão Geral É a representação gráfica do produto, normalmente definido pela Engenharia
do Produto, contendo em sua estrutura todos os componentes que dele fazem
parte.

Folhas do
Desenho Revisão Desenho

Componentes
do Desenho
CAPÍTULO 3 Processo Engenharia do Produto 21

Descrição Os códigos são cadastrados no sistema com suas respectivas descrições e


demais dados necessários a sua completa especificação.
No seu cadastro, além dos dados básicos, como código, tipo do desenho,
etc., pode-se ter um controle de distribuição de tais dados através de uma
descrição dos setores usuários do desenho.
O programa EN0301 é apresentado em duas pastas:
Pasta Descrição
Revisão Detalhes, ver Pasta Revisão.
Componente Detalhes, ver Pasta Componente.

Pasta Revisão
Tem como principal finalidade manter um histórico da evolução do produto
através das revisões feitas no mesmo. Um desenho pode ter tantas revisões
quantas forem necessárias. A primeira revisão do desenho ocorre na sua
implantação no sistema.
Através do botão “Revisão” ao incluir a revisão para o componente, pode-se
incluir uma ou mais folhas do desenho.
A figura abaixo apresenta a tela de cadastro de revisão para o desenho:

Botão Gera
componentes
via Estrutura

Botão Revisão

Revisão
corrente (atual)
do desenho

Botão Incluir
Revisão
22

Botão Descrição
Incluir Inclui as revisões para o desenho corrente. Detalhes, ver
Botão Incluir
Revisão Permite dar manutenção na revisão corrente do desenho.
Detalhes, ver Botão Revisão.
Gera Componentes Gera os componentes do desenho baseado em uma estrutura
via estrutura informada. Na geração destes componentes existe a opção de
confirmação, o que permite copiar somente os componentes
desejados para a composição final dos elementos do desenho.

Botão Incluir
O desenho a ser cadastrado deve conter uma revisão, no mínimo, podendo
haver diversos componentes ligados a esta revisão. A cada revisão gerada
pode-se cadastrar as folhas do desenho.
CAPÍTULO 3 Processo Engenharia do Produto 23

Botão Revisão
Os componentes do desenho são cadastrados para cada revisão.
A figura a seguir apresenta o programa para o cadastro dos componentes e
folhas do desenho para a revisão corrente:

O botão
permite a
inclusão dos
componentes
do desenho

Pasta Descrição
Componentes Nesta pasta são incluídos todos os componentes para o desenho
que estão na revisão corrente.
Através desta pasta, monta-se as estruturas de desenho ou as
estruturas prévias dos produtos. Mediante a utilização desta função
podem ser obtidos:
• Manutenção do histórico das revisões do desenho;
• Atualização da estrutura (a partir de alterações feitas no
desenho);
• Atualização da tabela de componentes do desenho (de dentro
do AutoCAD);
• Atualização dos componentes do desenho (a partir da estrutura
de produtos).
Folhas Em função da complexidade do desenho, o mesmo pode estar em
mais de uma folha, e com a união destas folhas term-se uma visão
completa do produto.
24

Pasta Descrição
Detalhes, ver Pasta Folhas a seguir.

Pasta Folhas
A cada nova revisão de desenho, nova folha é gerada e um novo nome de
desenho CAD.
A figura a seguir apresenta o programa para o cadastro da(s) folha(s) do
desenho.

Notas
• Através da interface EMS/Automanager, o usuário do EMS informa qual o
desenho, a revisão e a folha que deseja visualizar; automaticamente o
desenho selecionado é exibido na tela do computador.
• Na coluna Des CAD deve-se informar o caminho onde se encontram os
arquivos de desenhos gerados pelo software gráfico.

Pasta Componente
Esta pasta contém as mesmas informações obtidas por intermédio do botão
“Revisão” que também contém a Pasta Componente.
CAPÍTULO 3 Processo Engenharia do Produto 25

Função Manutenção de Desenhos do Item


Objetivo Relacionar todos os desenhos que possuem correspondência com o item.
Montando-se desta forma uma estrutura “Item X Desenhos”.
Programas EN0304
Descrição Podem ocorrer situações onde o item possa ter mais de um desenho, como é
o caso de um item comprado com várias opções de fornecedores; é possível
gerar diferentes desenhos para cada fornecedor. Normalmente, os desenhos
têm os mesmos códigos dos itens.
A tela base da função é a seguinte:

Função Manutenção Modelos


Objetivo Gerar novas estruturas de produto, com base em modelos já cadastrados.
Programas EN0106
Visão Geral As estruturas de modelos são usadas para facilitar a implantação de novas
estruturas de produtos similares. Neste caso, é implantada uma estrutura
padrão que contém itens e famílias de materiais cadastradas, bastando optar
pelos componentes necessários somente no momento da geração da nova
estrutura.
26

Uma estrutura de modelos pode ser constituída de “Itens” e de “Famílias de


materiais”, permitindo várias combinações para a geração da estrutura final do
produto.
Essa nova estrutura é gerada em nível único. Ao consultá-la, tem-se os vários
níveis, de acordo com a estrutura do item que a compõe.
Exemplo

Ventilador

Família Família Família Família Parafus Pedestal


Motores Carcaça Hélice Grade cab red
Elétricos Proteção M3x10

Motor Carcaç Hélice Grad


150w CV-30 HV-30 GP-30

Motor Carcaç Hélice Grad


300 w CV-40 HV-40 GP-40

Motor Carcaç Hélice Grad


500 w CV-50 HV-50 GP-50

Descrição O programa de Manutenção de Modelos é apresentado em duas pastas:


Pasta Descrição
Estr Família Detalhes, ver Pasta Estr Família.
Estr Item Detalhes, ver Pasta Estr Item.

Pasta Estr Família


Toda a família à ser incluída na estrutura de modelos, deve pertencer ao
cadastro de famílias da Engenharia. Os itens das famílias selecionados
formam então a estrutura final do produto.
CAPÍTULO 3 Processo Engenharia do Produto 27

A figura a seguir apresenta o programa para cadastro das famílias para a


montagem da estrutura de modelo.

Botão para
renumerar a
seqüência da
estrutura em um
determinado
intervalo
28

Pasta Estr Item


Todo item a ser incluído na estrutura de modelos, deve pertencer ao cadastro
de itens da Engenharia.
A figura a seguir apresenta a tela de cadastro dos itens para compor a
estrutura de modelos.

Nota O sistema permite o cadastro, tanto de famílias quanto de itens,


utilizando a mesma seqüência na estrutura, o que possibilita registrar um
histórico da própria evolução do produto, uma vez que é possível controlar a
data de validade dos componentes na sua estrutura.

Função Manutenção Estrutura do Item


Objetivo Definir todos os componentes e materiais usados para produzir um produto.
Programas EN0105
Visão Geral Estrutura do produto ou listas de materiais são documentos gerenciados
normalmente pelo departamento de Engenharia.
CAPÍTULO 3 Processo Engenharia do Produto 29

Estruturas de produto exatas e bem administradas são uma necessidade em


uma empresa industrial. São utilizadas por muitos departamentos de uma
empresa, tais como:
• Planejamento de materiais: para planejar programas de materiais e
manufatura;
• Manufatura: para descrever como um produto deve ser produzido;
• Contabilidade de custos: para determinar custos planejados e custos reais
de produtos.
Uma estrutura de produtos define exatamente a quantidade necessária de
cada componente. Descreve a seqüência em que cada componente é usado
na sua produção, desde a matéria-prima do nível mais baixo até o produto
acabado.
Exemplo
Estrutura simplificada da fabricação de um ventilador mostrada de forma
gráfica:
9HQWLODGRU#GH
%DVH#)L[D
9%)063

0RWRU#(OpWULFR &DUFDoD +pOLFH *UDGH#3URWHomR 3DUDIXVR#FDE#UHG


633#: &9063 +9063 *3063 06#[#43
34#So 34#So 34#So 34#So 35#So

*UDGH#)L[D *UDGH#0yYHO
*)063 *0063
34#So 34#So

$UDPH#DFR $UDPH#DFR
4/8#PP 4/8#PP
3/3<#NJ 3/45#NJ

7LQWD#HSR[L 7LQWD#HSR[L
EUDQFD EUDQFD
43#J 48#J

Forma da estrutura de produto


A natureza da estrutura do produto está relacionada com o projeto do produto;
tem influência na “forma” da estrutura, que é parcialmente determinada pelo
número de componentes de cada nível. Quanto maior o número de itens, mais
larga a estrutura. Consequentemente, a padronização de componentes, para
reduzir variedade, torna mais fina a estrutura do produto.
A forma é também determinada pela quantidade de itens fabricados. Se a
maioria dos itens é comprada pronta, ocorrendo na fábrica apenas operações
30

de montagem, a estrutura resultante é horizontal, com poucos níveis; se todos


os itens são fabricados a partir de matérias-primas, sendo montados todos no
mesmo local, a estrutura de produto resultante é vertical.

Implementação da estrutura de produto


Dependendo da “forma” da estrutura de produto, a representação de listas de
materiais de forma gráfica é muito ampla. Em ambientes sofisticados de
engenharia, podem haver até 19 níveis de montagem numa estrutura de
produto final.
Os sistemas de MRP lidam com isso utilizando estrutura de produto em nível
único, sendo que o sistema gera os demais níveis.
Em listas de materiais de nível único, os detalhes dos relacionamentos entre
itens e os subconjuntos são apresentados em um único nível por vez. Já em
listas de materiais nível a nível os dados são apresentados na forma de uma
lista de materiais escalonada, de modo a mostrar vários níveis ao mesmo
tempo.

Formas de Geração da Estrutura utilizada pelo EMS


O EMS, apresenta três formas para geração da estrutura de produto:
• Geração da estrutura de produto, associando os componentes ao item pai
da estrutura;
• Geração da estrutura de produto via Modelo;
• Geração da estrutura de produto via Desenho;
• Geração da estrutura de produto via Referência.
CAPÍTULO 3 Processo Engenharia do Produto 31

Na seqüência são explicadas as formas de geração das estruturas.


Descrição A figura a seguir apresenta a tela base do programa:
Botão Gera
estrutura via
Modelo
Botão Cópia
estrutura

Botão Gera
estrutura via
desenho

Botão
Parâmetros

Botão Referência

Botão Alternativo

Botão Inclui Item


Componente na
estrutura
Botão Descrição
Inclui componente A inclusão do componente na estrutura é o ponto inicial para a
na estrutura implementação da estrutura de um produto. O programa a
seguir apresenta a tela de inclusão em duas pastas. Detalhes,
ver Pasta Básico e Pasta Complementar com os campos à
serem preenchidos.
Alternativo Permite a inclusão de componentes alternativos para a estrutura
de produtos. Detalhes, ver Botão Alternativo.
Referência Quando o componente é controlado por referência, este botão é
habilitado e permite a troca de sua referência por outra. Assim,
as ordens de produção que serão geradas para a estrutura tem
os seus componentes conforme a referência indicada.
Detalhes, ver Botão Referência.
Parâmetros Faz a validação para que o usuário visualize as ordens de
produção do Item ao incluir ou modificar um componente.
Gera estrutura via Gera a estrutura de produto baseada no modelo cadastrado.
modelo (Ver detalhes Função Manutenção Geração Estrutura via
Modelo/Desenho: Geração estrutura via modelo)
Botão Copia Efetua a cópia da estrutura do item corrente para um item de
Estrutura destino. (Ver detalhes, Botão Cópia Estrutura)
32

Botão Descrição
Gera estrutura via Gera a estrutura de produto baseada na estrutura de desenhos
desenho cadastrados. (Ver detalhes Função Manutenção Geração
Estruturas Modelo/Desenho: Geração estrutura via desenho)

Pasta Dados Básicos


Apresenta os dados básicos para o componente que esta sendo cadastrado
na estrutura do produto.

Campo Descrição
Seqüência O programa sugere a próxima seqüência para a inclusão do
componente. Este intervalo de numeração é definido nos
parâmetros da Engenharia podendo ser alterado. Caso haja a
necessidade de intercalar algum componente pode-se ao final ser
renumerado conforme achar conveniente.
Componente Inserir o item componente que deve fazer parte da estrutura do
produto.
Notas
• Deve ser um item cadastrado no sistema;
• Não é possível cadastrar como componente da estrutura
CAPÍTULO 3 Processo Engenharia do Produto 33

Campo Descrição
o próprio item pai a ser produzido.
Fator Perda Inserir o percentual sobre a quantidade da reserva do item que
será “perdida” durante o processo produtivo. Ao ser informado este
percentual, o sistema calcula automaticamente a quantidade líquida
do material em função do percentual informado.
Exemplo Em um processo de fabricação de limpeza de peças que
utiliza um material volátil para desengraxe, a perda por evaporação
é grande em função da temperatura externa do ar. Neste caso,
deve-se prever uma quantidade adicional do produto
desengraxante para compensar a evaporação no processo descrito.

Proporção Inserir um percentual para ratear a quantidade de componente


dentro de uma programação de produção. Acontece sempre que,
em determinados produtos, existir a necessidade da utilização de
mais de um componente de igual função dentro uma estrutura.
Exemplo O caso da pintura da grade de proteção do ventilador
VBF-30, onde 30% da produção deste produto utiliza tinta azul e
70% tinta branca. Nesse caso tem-se a seguinte estrutura de
produto:

Nível Item Descrição Qtde Un Prop(%)


2 10.40.001 Grade fixa 01 pç
3 10.20.004 Arame dia 1,5mm 0,09 kg
3 10.20.005 Tinta epoxi branca 0,10 kg 70,00
3 10.20.007 Tinta epoxi azul 0,10 kg 30,00
Para a produção de 1000 ventiladores, são necessários 70 kg de
tinta branca e 30 kg de tinta azul

Quantidade Item Inserir a quantidade bruta que será usada para a geração das
reservas e consequentemente movimentação nos estoques.
Quantidade Inserir a quantidade utilizada do componente para a estrutura.
Componente Nota Caso a quantidade utilizada for negativa, o sistema
interpreta que uma reserva com quantidade negativa
promove uma entrada no estoque. Esta informação é
utilizada pelo campo “Tipo de Sobra” que é comentado
adiante.
Quantidade É a quantidade líquida do componente sendo descontado o
Líquida percentual da perda estipulada no campo “Fator Perda”.
Nota É um campo documentacional.
Fórmula utilizada: QL = QB * (1-FP/100) onde,
QL = Quantidade Líquida
34

Campo Descrição
QB = Quantidade Bruta
FP = Fator de Perda
Fantasma Quando habilitado, considera o item como fantasma. É criado
apenas para documentar uma fase de montagem de outro item. O
item fantasma não gera ordem de produção e não é mantido em
estoque.
O sistema normalmente não gera reservas para itens fantasma,
pois itens fantasmas não são produzidos. Serão geradas as
reservas dos componentes do item fantasma.
Exemplo Considerando a figura apresentada, para uma ordem de
produção de A, são geradas as reservas B,D e E.

B C Fantasma

D E

Existem exceções tratadas pelo sistema:


• Se todos os componentes do fantasma (D e E) forem do tipo
débito direto, não são geradas as suas reservas, nem as do
item fantasma, mesmo que todos os componentes do fantasma
estejam com data de validade ativa. Neste caso, para uma
ordem de produção de A, é gerada a reserva B.
• Se no mínimo um componente do fantasma (D ou E) não for do
tipo débito direto, não existirem componentes para o fantasma
(D ou E não cadastrados), porém todos estão com data de
validade inativa, não serão geradas as reservas dos
componentes; é gerada somente a reserva de C. Neste caso,
para uma ordem de produção de A, é gerada a reserva B, C.
Esta é uma exceção, e a reserva de C é gerada porque a sua
estrutura não esta cadastrada. Ou seja, quando um item é
fabricado, e passa a ser comprado, pode-se manter o histórico
da estrutura, sendo que a partir do momento que os
componentes não são mais válidos, o sistema passa a
consumir o item “fantasma”.
Nota Caso não se deseje considerar o componente fantasma,
este componente (no caso o C) também deve ter a sua data de
validade modificada.
CAPÍTULO 3 Processo Engenharia do Produto 35

Campo Descrição
Tempo Reserva Inserir um valor de tempo que significa, se o material não precisar
estar disponível no início da ordem de produção, pode-se indicar
quando será necessária sua utilização no processo de fabricação
com alguns dias de antecedência.
Exemplo
Ordem de produção do item A
Data de início: 01/05/98
Item Componente Tempo Data da reserva
Ressuprimento Reserva
A 30 dias
B 10 dias 20/05/98
C 1 dia 29/05/98
D 0 dias 30/05/98
E ? 01/05/98

Notas:
• Para desconsiderar o tempo de reserva, e assumir o
ressuprimento total da ordem de produção, deixa-se o valor “?”
(desconhecido) para o tempo de reserva do componente da
estrutura.
• O tempo de reserva do componente da estrutura não pode ser
maior que o ressuprimento do item pai.
• O tempo de reserva, tem impacto no planejamento do item.

Data Inserir as datas de início e fim. Durante o ciclo de vida de um


Inicio/Término produto existe a necessidade de haver constantes alterações na
sua estrutura, procurando adaptá-lo às necessidades do momento.
Através das datas de início, (data que o item passa a ser efetivo) e
de término (data que o item deixa de ser efetivo na sua estrutura de
produto), é possível a documentação da evolução do produto no
presente, passado e futuro, pois dependendo da faixa de datas
escolhida para a consulta de sua estrutura, lista-se uma
determinada versão de produto.
• Nos programas de consulta do módulo de Engenharia, o
default é mostrar a versão do produto na data corrente.
Colocando-se o ponto de interrogação “?” no campo “Data de corte”
é possível ver a estrutura de produto completa.
Roteiro Inserir o código do roteiro de fabricação a qual o item possa estar
36

Campo Descrição
vinculado. Para tanto o roteiro deve estar previamente cadastrado.
Operação Inserir o código da operação informada no cadastro da estrutura de
um produto. Esta informação identifica em qual operação o
componente será utilizado na montagem do produto acabado.
Se um mesmo componente for utilizado em mais de uma operação,
pode-se cadastrar a estrutura de três formas diferentes:

Formas de cadastrar Requisição dos componentes


a operação na estrutura Reporte por operação Reporte por ordem
de processo( linha
de produção
sumariada)
Cadastrar o componente na Componentes serão Os componentes são
operação 0 (zero) requisitados quando for requisitados
reportada a última automaticamente no
operação momento do reporte da
Cadastrar o componente na Componentes são ordem
primeira operação que o utiliza requisitados integralmente
(toda a quantidade) na
operação em que foram
cadastrados
Cadastrar o componente Componentes são
repetidas vezes, uma para requisitados à medida que
cada operação em que ele é as operações forem sendo
utilizado, informando a reportadas, pela
quantidade correta para cada quantidade usada em cada
operação operação

Nota As reservas serão requisitadas proporcionalmente de acordo


com as quantidades reportadas na operação.
CAPÍTULO 3 Processo Engenharia do Produto 37

Pasta Complementar
São os dados necessários que complementam o cadastro de um componente
em uma estrutura de produto.

Campo Descrição
Tipo Sobra O parâmetro “Tipo de sobra” é utilizado somente quando a
quantidade da reserva do item é negativa. O sistema interpreta que
uma reserva com quantidade negativa promove uma entrada no
estoque. Esta entrada de material poderá ser:
• Normal
Situação default do item, quando este tem sua quantidade positiva.
• Retorno de requisição (Rrq)
O material é requisitado em uma determinada quantidade; porém
não há um consumo de tal material (parcial ou total) pelo produto
acabado no processo produtivo. A ordem de produção é creditada
pelo custo médio
• Sobra de material (Sob)
Existe uma sobra de material requisitado aplicado ao produto
acabado. Esta sobra não é considerada como co-produto pelo valor
ser baixo.
O valor entra como crédito na ordem de produção diretamente pelo
38

Campo Descrição
preço fiscal
• Co-produto (Aca)
É o produto gerado quando ao processar uma determinada
matéria-prima, consegue-se produzir mais do que um produto
acabado.
O custo da ordem de produção é rateado entre os produtos
produzidos. No cálculo, o preço fiscal do item é usado como fator
de ponderação.
Exemplo Para fabricar o produto A

Inicia-se com a utilização de uma chapa de aço como matéria


prima:

Ao estampar o furo interno, o produto gerado será aproveitado


como uma outra peça, neste caso um co-produto (peçaB)

No próximo passo da ferramenta de estampagem é retirada a peça


externa, no caso a sobra de material (peça C)

A peça é pintada por imersão (produto acabado). Requisita-se uma


certa quantidade de tinta para encher o tanque de pintura, a sobra
é devolvida ao estoque como retorno de requisição (peça A)
Local Inserir a informação que determina em que parte do produto o
Montagem componente deve ser agregado. Esta informação tem caráter
CAPÍTULO 3 Processo Engenharia do Produto 39

Campo Descrição
gerencial.
Observação Inserir alguma observação que se faz necessária ao componente.
Série Inicial Inserir um número de série que identifica o primeiro item fabricado
com o respectivo componente.
Série Final Inserir um número de série que identifica o último item fabricado
com o respectivo componente.
Revisão Inserir o número que identifica a revisão na qual o componente foi
implantado na estrutura.

Botão Alternativo
Permite o cadastro de relações alternativas, ou seja, de componentes
substitutos. Portanto é necessário que os componentes que compõem toda e
qualquer estrutura estejam implantados no cadastro de itens.
Na produção, para as ordens emitidas para um determinado produto, podem
ser incluídas reservas de componentes alternativos para itens constantes das
ordens, caso não haja saldo suficiente em estoque para suprir as
necessidades de produção. Neste caso, é feita uma atualização automática
das reservas dos componentes alternativos nas quantidades requisitadas e
diminui-se essas quantidades da reserva original.

Indica se o
componente
alternativo
deve ser
alocado
quando da
geração da
ordem de
produção

Conceito de fórmula alternativa


Este conceito é normalmente utilizado pelas indústrias químicas e
alimentícias, devido a possíveis variações no processo produtivo. Para
40

manusear fórmulas alternativas a nível de engenharia, basta a utilização de


um item fantasma que possua estrutura.
Apenas na produção é utilizado o conceito de fórmulas alternativas. Através
dela, é possível substituir toda uma lista de materiais (reservas), de uma
ordem pela formulação do seu alternativo.
As fórmulas visam facilitar a troca de itens fantasmas pela estrutura de seu
alternativo.
Exemplo
Considere-se a seguinte estrutura: A formada pelo componente B e
componente C. Para obter o produto A é necessário 0,3 kg de B e 0,5 kg de
C.

B C

Sendo necessária a troca do componente C por um alternativo cuja


formulação seja diferente, ou seja, em substituição ao componente C pode-se
utilizar 0,2 kg de D mais 0,3 kg de E, procede-se da seguinte maneira:
Cria-se um item fantasma C´ e, embaixo dele, o componente C e uma outra
estrutura com o item C´´; abaixo dele, o componente D mais o componente E.

A C’’
Fantasma

B C’ D E

Quando necessário, basta trocar o componente C’ pelo C’’ para que o item A
passe a utilizar os novos componentes.
CAPÍTULO 3 Processo Engenharia do Produto 41

Botão Referência
A geração de estruturas de produto via referência evita o cadastro de várias
estruturas de produto para o mesmo item com códigos diferentes,
possibilitando ao sistema selecionar os componentes que integram o item final
e suas respectivas referências.
A referência é utilizada para individualizar produtos com a mesma estrutura,
mas diferenciados entre si por determinadas características, como qualidade,
cor e tamanho.
Quando o tipo de controle do estoque de um produto é realizado por
referência, torna-se possível cadastrar pedidos, informar preços e efetuar
faturamento, a partir de uma combinação produto/referência.
Relacionamento entre as referências do item pai com o item componente
Esta relação ocorre ao ser cadastrada a estrutura do item, onde verifica-se se
o item pai ou o item componente é controlado por referência.
42

Exemplo A tabela a seguir mostra as referências do item pai com o item


componente.
Item Pai Item Referência Referência Observação
Componente Pai Filho
Ventilador VBF Ventilador VBF- 110V-bra 110V-bra
30
110V-Cin 110V-Cin
220V-bra 220V-bra
220V-cin 220V-cin
Embalagem Sem
referência
Etiqueta 110V-bra 110V-bra
110V-Cin 110V-Cin
220V-bra 220V-bra
220V-cin 220V-cin
Ventilador VBF-30 Motor ME-30 110V-bra 110V
110V-Cin 220V
220V-bra
220V-cin
Hélice HE-30 110V-bra Branco
110V-Cin Cinza
220V-bra Branco
220V-cin Cinza
Gr prot GP-30 110V-bra Branco
110V-Cin Cinza
220V-bra Branco
220V-cin Cinza
Pedestal Sem
referência

Nota Para um melhor entendimento desta tabela, consultar esta estrutura


representada de forma gráfica na Função Manutenção Estrutura do produto:
Exemplo
A forma de atribuir as referências do item pai com o item componente é feito
por intermédio do CD1506 descrito na Função Manutenção Referências Item.
CAPÍTULO 3 Processo Engenharia do Produto 43

A tabela a seguir mostra o esquema de cadastro das referências do item


quando ele é controlado por referência:
Item Pai Item Componente Nº Registros Referência Referência
Pai Filho
Controlado Controlado Um ou Mais X X
Controlado Não controlado Zero ou mais X ----------------
Não controlado Controlado Um -------------- X
Não Controlado Não controlado Zero ------------- -----------------

Onde, X é a Referência do Item.


Nota Quando somente o item pai é controlado por referência, não é
necessário que seja cadastrada nenhuma referência para que o item
componente (no caso da embalagem) seja considerado na estrutura; porém
se for cadastrada alguma referência, o componente somente fará parte da
estrutura do item pai se a referência cadastrada for a mesma do item pai
solicitado.
Conforme o relacionamento entre as referências do item pai com o item
componente mostradas anteriormente, se for solicitado o item “Ventilador
VBF”, referência 110V-Bra, tem-se a seguinte estrutura:
Nível Item Pai Referência Item Componente Referência
Ventilador VBF 110-Bra
1 Ventilador VBF-30 110-Bra
1 Embalagem -----------
1 Etiqueta 110V-Bra
Ventilador VBF-30 110-Bra
2 Motor ME-30 110V
2 Hélice HE-30 Branco
2 Grade proteção GP-30 Branco
2 Pedestal ------------

Levando-se em consideração a tabela acima, o item componente


“Embalagem” será considerado para todas as estruturas do item pai
“Ventilador VBF” independente da sua referência. Entretanto, para que o item
componente “Ventilador VBF-30”, referência 110-Bra seja considerado na
estrutura, o item pai deve ser o “Ventilador VBF” referência 110-Bra.
44

Exemplo
A tela abaixo, apresenta a estrutura de produto do item 20.10.015 montada
considerando o relacionamento entre as referências do item pai com o item
componente.

Botão Geração de Estrutura via Modelo


Possibilita a criação e a atualização de novas estruturas, com base em
informações implantadas no cadastro de estruturas de modelo.
Esta criação/atualização consiste na escolha dos itens de famílias de
materiais, itens alternativos, itens opcionais, etc. que devem compor a nova
estrutura do produto.
Exemplo
No figura apresentada na Função Manutenção Modelo, o modelo ventilador é
formado por famílias e itens. Assim, no cadastro da estrutura, é informado o
código do modelo do ventilador e o item-pai da estrutura.
O sistema possibilita visualizar na tela todos os itens de uma família (uma de
cada vez), ou os itens que pertencem a uma mesma seqüência na estrutura
do modelo.
Selecionando os itens, é gerada uma estrutura de produto e, a seguir, são
informados outros dados necessários à estrutura.
CAPÍTULO 3 Processo Engenharia do Produto 45

Botão Cópia Estrutura

Campo Descrição
Item Destino Inserir o item de destino para o qual a estrutura a de
origem esta sendo copiada.
Data Corte Inserir a data de corte que para a cópia da estrutura.
Permite que sejam copiados os componentes da
estrutura que estão dentro do limite da data estipulada.
Copiar componente Quando habilitado permite copiar os componentes
alternativo alternativos da estrutura de origem.
Pedir Confirmação Quando habilitado, o programa pede a confirmação
para a cópia dos componentes da estrutura de origem
para a estrutura de destino.

Botão Geração da Estrutura via Desenho


É obtida informando-se o número do desenho e a sua revisão atual. Desta
forma, o sistema gera automaticamente a estrutura de produtos, com base
nos dados informados no cadastro dos desenhos do produto.
Após gerada, essa estrutura deve ser adequada de acordo com as
necessidades deste novo produto, através do programa de manutenção da
estrutura de produtos.

Função Manutenção Componentes Onde-se-usa


Objetivo Permite visualizar em quais itens o componente pesquisado é utilizado.
Programas EN0109
Visão Geral Por intermédio deste programa além da consulta, pode-se substituir, modificar
ou eliminar o componente em todas as estruturas que o mesmo faz parte.
46

A figura a seguir apresenta a tela do programa:

Botão
Substitui
componente

Campo Descrição
Componente Exibe o componente à ser pesquisado.
Família Exibe a família cadastrada para o componente.
Grupo Estoque Exibe o grupo de estoque a qual esta vinculado o componente.
Situação Exibe a situação corrente do item.
Item Exibe os itens na qual o componente é utilizado.
Descrição Exibe a descrição do item.
Seqüência Exibe a seqüência do item cadastrado na estrutura.
Quantidade Exibe a quantidade do item cadastrada na estrutura.
Un Exibe a unidade de medida do item cadastrada na estrutura.
Prop Exibe a proporção do item cadastrado na estrutura.
Início Exibe a data de início de validade do item na estrutura.
Término Exibe a data de término de validade do item na estrutura.

Botão Descrição
Substitui Este botão permite a substituição de um componente em todas as
Componente estruturas que o mesmo faz parte, habilitando o campo “Pedir
Confirmação”. Detalhes, ver botão Substitui componentes.
Substituir Substitui o componente atual pelo novo componente sem habilitar o
CAPÍTULO 3 Processo Engenharia do Produto 47

Botão Descrição
parâmetro “Pedir Confirmação” existente no programa EN0109A
descrito abaixo.
Modificar Por intermédio deste botão pode-se modificar os dados cadastrais
do item no qual o componente é utilizado.
Eliminar Por intermédio deste botão pode-se eliminar o item no qual o
componente é utilizado.

Botão Substitui Componente


A figura a seguir apresenta o programa chamado pelo botão:

Efetiva a
substituição

Campo Descrição
Componente Atual Exibe o componente atual cadastrado na estrutura e que se
pretende substituir.
Componente novo Inserir o código do novo componente para substituição do
atual.
Eliminar componente Selecionada esta opção, o componente atual é eliminado da
atual base quando for substituído pelo novo.
Desativar Selecionada esta opção, o componente atual é desativado
componente atual sendo substituído pelo novo.
Data validade Exibe a data de validade atual do componente na estrutura.
Pedir Confirmação Quando habilitado lista todas as estruturas que possuem o
componente a ser substituído.
48

Ao ser efetivada a substituição por intermédio do botão “OK” é apresentada a


seguinte tela:

Botão Retirar

Campo Descrição
Componente Atual Exibe o componente atual cadastrado na estrutura e que se
pretende substituir.
Componente Novo Exibe o novo componente.

Botão Retirar
Por intermédio deste botão, é possível excluir as estruturas que não se deseja
que o componente seja alterado.
Nota Caso o parâmetro “Pedir Confirmação” esteja desabilitado, a
substituição é automática para todas as estruturas que possuírem o
componente.

Função Importação Estrutura/Alternativos


Objetivo Efetuar a importação de estruturas e itens alternativos conforme layout
padrão.
Programas EN0113
CAPÍTULO 3 Processo Engenharia do Produto 49

Descrição A função de importação de Estruturas e itens Alternativos é apresentada em


três pastas:
Pasta Descrição
Parâmetros Detalhes, ver Pasta Parâmetros.
Lay-out Detalhes, ver Pasta Lay-out.
Log Nesta pasta, são apresentas a forma de impressão e destino da
estrutura importada.

Pasta Parâmetros
Apresenta as informações necessárias com as opções de parametrização da
importação da estrutura.

A tabela a seguir descreve resumidamente os elementos da tela base.


Campo Descrição
Reativar Itens Quando habilitado, permite que sejam importados os itens que
Obsoletos estão com a situação de obsoletos na estrutura de origem.
Eliminar Quando habilitado permite a eliminação dos itens da estrutura que
Estrutura do Item não sejam necessários.
50

Campo Descrição
Arquivo de Inserir o caminho e o nome do arquivo de entrada para a
Entrada importação da estrutura.

Pasta Lay-out
Apresenta o lay-out do arquivo de importação de estruturas e alternativos.
+----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------+
| Layout do Arquivo de Importação de ESTRUTURAS/ALTERNATIVOS |
|----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------|
| Nome do Arquivo: A ser informado |
| Formato: Texto |
| Tamanho do Registro: VARIAVEL |
|----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------|
| Ordem | Descrição | Tamanho | Início | Término | Conteúdo | Decimais | Obrigatório |
|-------+---------------------------------------------------------+---------+--------+---------+----------+----------+-------------|
| 1 | Tipo de Transação | 1 | 1 | 1 | Inteiro | | Sim |
| | Onde: 1 - Estrutura | | | | | | |
| | 2 - Alternativo | | | | | | |
| | | | | | | | |
|-------+---------------------------------------------------------+---------+--------+---------+----------+----------+-------------|
| | Layout para tipo de transação = 1 (Estrutura) | | | | | | |
| | | | | | | | |
| 2 | Código do Item Pai | 16 | 2 | 17 | Caracter | | Sim |
| 3 | Sequência | 5 | 18 | 22 | Inteiro | | Sim |
| 4 | Código do Componente | 16 | 23 | 38 | Caracter | | Sim |
| 5 | Revisão | 8 | 39 | 46 | Caracter | | Não |
| 6 | Fantasma (S/N) | 1 | 47 | 47 | Caracter | | Sim |
| 7 | Fator Perda | 5 | 48 | 52 | Decimal | 2 | Não |
| 8 | Proporção | 6 | 53 | 58 | Decimal | 2 | Sim |
| 9 | Série Inicial | 12 | 59 | 70 | Caracter | | Não |
| 10 | Série Final | 12 | 71 | 82 | Caracter | | Não |
| 11 | Quantidade Usada | 18 | 83 | 100 | Decimal | 10 | Sim |
| 12 | Tempo de Reserva (? ou um valor maior que zero) | 4 | 101 | 104 | Inteiro | | Não |
| 13 | Data Início | 8 | 105 | 112 | Data | | Sim |
| | Formato ddmmaa | | | | | | |
| | Onde dd = Dia | | | | | | |
| | mm = Mês | | | | | | |
| | aaaa = Ano | | | | | | |
| 14 | Data Término | 8 | 113 | 120 | Data | | Sim |
| | Formato ddmmaaaa | | | | | | |
| | Onde dd = Dia | | | | | | |
| | mm = Mês | | | | | | |
| | aaaa = Ano | | | | | | |
| 15 | Código Roteiro de Fabricação | 16 | 121 | 136 | Caracter | | Não |
| 16 | Código Operação | 5 | 137 | 141 | Inteiro | | Não |
| 17 | Local Montagem | 55 | 142 | 196 | Caracter | | Não |
| 18 | Observação | 40 | 197 | 236 | Caracter | | Não |
| 19 | Referência Pai | 8 | 237 | 244 | Caracter | | Não |
| 20 | Referência Filho | 8 | 245 | 252 | Caracter | | Não |
| 21 | Tipo Sobra | 1 | 253 | 253 | Inteiro | | Sim |
| | 1 - Retorno de Requisição \ | | | | | | |
| | 2 - Sobra > Quantidade Negativa | | | | | | |
| | 3 - Coproduto / | | | | | | |
| | 4 - Normal -> Quantidade Positiva | | | | | | |
|-------+---------------------------------------------------------+---------+--------+---------+----------+----------+-------------|
| | Layout para tipo de transação = 2 (Alternativo) | | | | | | |
| | | | | | | | |
| 2 | Código do Item Pai | 16 | 2 | 17 | Caracter | | Sim |
| 3 | Sequência | 5 | 18 | 22 | Inteiro | | Sim |
| 4 | Código do Componente | 16 | 23 | 38 | Caracter | | Sim |
| 5 | Ordem | 5 | 39 | 43 | Inteiro | | Sim |
| 6 | Código do Componente Alternativo | 16 | 44 | 59 | Caracter | | Sim |
| 7 | Quantidade Usada | 17 | 60 | 76 | Decimal | 10 | Sim |
| 8 | Fator de Perda | 5 | 77 | 81 | Decimal | 2 | Não |
| 9 | Observação | 40 | 82 | 121 | Caracter | | Não |
+----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------+
51

CAPÍTULO 4

Processo Engenharia de Processos

Definição Processo é uma série de atividades sistemáticas ou ações logicamente


relacionadas, desempenhadas para atingir um resultado definido.
Descrição São os meios (habilidades e equipamentos) usados para fabricar os produtos.
A administração deve desenvolver e satisfazer as necessidades do cliente
usando os recursos disponíveis e as capacidades tecnológicas da empresa.
Utiliza-se o conceito de operações ou roteiros de fabricação associados aos
itens, sendo que seu emprego depende do item a ser produzido e das
características da manufatura.
Este capítulo aborda os processos para fabricação dos produtos e está
descrito conforme o diagrama representado abaixo:

Engenharia do
Processo

Lista de Processo de Roteiros de Operação


Componentes Fabricação Fabricação Padrão

Função Manutenção Lista de Componentes


Objetivo Cadastrar formas alternativas de formulas para serem utilizadas como
estrutura de produto.
Programas EN0103
52

Descrição A inclusão na lista de componentes de itens reprocessados, permite em


tempo de reporte a baixa do item reprocessado e a baixa proporcional de
Matérias primas.
Notas
• Cada lista de componentes deverá gerar um item;
• Em tempo de reporte de produção deve ser selecionada a lista utilizada;
• Para o planejamento da produção é utilizado um mix entre as listas para
o planejamento dos componentes

Exemplo
A lista de componentes LC1 contém os itens A, B e C para o produto final P
A lista de componentes LC2 contém o itens A, B e Z para o mesmo produto
final P.
A figura a seguir apresenta o programa de Manutenção das Listas de
Componentes:

Botão
Duplicação
da Lista

Alternativo da
Lista

Botão
Alternativo

Botão Incluir
CAPÍTULO 4 Processo Engenharia de Processos 53

Botão Descrição
Duplicação da Permite a duplicação da lista de componentes, mediante a cópia
Lista da lista original para uma nova lista. Na cópia existe a opção de
“Pedir confirmação” para os componentes que devem ser
copiados.
Incluir Permite a inclusão dos componentes para a composição da lista.
Detalhes, ver Botão Incluir.
Alternativo Detalhes, ver Botão Alternativo.

Botão Incluir
Faz a inclusão dos componentes na lista de Componentes.

Nota
No campo “Proporção”, deve-se informar a proporção de consumo do material
dentro da lista de componentes.
54

Botão Alternativo
Neste programa são listados os componentes que podem ser utilizados como
itens alternativo para a referida lista.

Nota
Os botões “Gerar”, “Eliminar” e “Inverter” permitem a manutenção dos
componentes alternativos da lista de componentes.

Função Manutenção Processo de Fabricação do Item


Objetivo Dividir o processo produtivo do item em etapas de forma sequencial e
ordenada.
Programas EN0507
Descrição A divisão de um processo em operações (uma montagem, por exemplo),
possibilita que o trabalho de cada homem seja claramente definido e previsto,
de modo que o progresso do trabalho possa ser controlado ordenadamente.
CAPÍTULO 4 Processo Engenharia de Processos 55

O programa de manutenção do Processo de Fabricação do Item é


apresentado em 5 pastas:
Pasta Descrição
Operações Detalhes, ver Pasta Operações.
Rede Pert Detalhes, ver Pasta Rede Pert.
Roteiros Detalhes, ver Pasta Roteiros.
Lista Comp Detalhes, ver Pasta Lista Componentes.
Processos Detalhes, ver Pasta Processos.

Pasta Operações
A figura a seguir apresenta a tela de cadastro das operações de fabricação:

Botão
Parâmetros

Botão
Tempos

Botão
Operação

Botão Inclui

Botão Descrição
Botão Parâmetros Detalhes, ver Botão Parâmetros.
Inclui Inclui a operação para o Item. Detalhes, ver Botão Inclui.
Operação Permite cadastrar os detalhes da operação. Detalhes, ver Botão
Operação.
Tempos Permite alterar diretamente os tempos das operações. Detalhes,
ver Botão Tempos.
56

Botão Parâmetros
O Botão Parâmetros, permite parametrizar a ação a ser tomada após a
inclusão ou modificação de uma operação. A figura a seguir apresenta o
programa EN0507I:

Campo Descrição
Visualizar Ordens de Produção ao Quando habilitado permite visualizar as ordens
modificar a Operação ? de produção que estejam vinculadas a
operação.
Gerar Rede Pert após incluir ou Quando habilitado após a inclusão ou
modificar Operação ? modificação de alguma operação são gerados
novamente os relacionamentos da rede pert.

Botão Inclui
Para os itens fabricados, ao ser incluída uma operação de fabricação, o
programa apresenta os dados em duas pastas:
Pasta Descrição
Operação Detalhes, ver Pasta Operação.
Complemento Detalhes, ver Pasta Complemento.
Narrativa Detalhes, ver Pasta Narrativa.
CAPÍTULO 4 Processo Engenharia de Processos 57

Pasta Operação
São os dados cadastrais da operação para um determinado item.

Campo Descrição
Operação O programa sugere um número para operação (definido nos
parâmetros da Engenharia) que define a seqüência em que as
operações de manufatura tem lugar.
Notas

• Esta numeração pode ser alterada pelo usuário.


• Quando da inserção de uma nova operação entre outras
já existentes, pode-se renumerá-las por intermédio do
botão “Renumerar”.

Operação Informa-se o código da operação que tem como característica


Padrão facilitar o cadastro de operações. Basta copiar os dados da
operação padrão para operação corrente, incluindo-se as
ferramentas e a narrativa.
58

Campo Descrição
Descrição Inserir uma breve descrição da operação a ser executada. Não
substitui as instruções detalhadas de manufatura das fichas de
processo.
Tipo Oper Escolhida uma das opções define-se o tipo da operação para efeito
do custo:
• Interna: quando se trata de serviços executados internamente;
Nota
A informação do Grupo de Máquina deve ser obrigatória e
não permite escolher “Dias” nas unidades de tempos das
operações, caso contrário prejudica os módulos do CRP,
Chão de Fábrica e Custos.
• Externa: quando são contratados serviços de terceiros.

Data Indica a faixa de datas em que a operação passou a ser efetiva na


Início/Término ficha de produção.
Fator Refugo A informação deste fator é utilizada na geração de Ordens de
Compra, pelo Estoque e pelo Planejamento, para definição de
quantidades a serem compradas ou produzidas.
O programa calcula uma quantidade maior (em função do
percentual aplicado), de maneira que, após aplicar o fator de
refugo, possa ser obtida a efetiva quantidade desejada.
Regra de negócio: Qtde Programada = Qtde Neces./(1-(Fator
Refugo/100))
CAPÍTULO 4 Processo Engenharia de Processos 59

Campo Descrição
Proporção É o percentual de utilização de um determinado grupo de máquina
para executar uma operação. Esta informação é utilizada para o
planejamento da carga máquina. Se existirem duas ou mais
máquinas que executam a mesma operação com tempos
diferentes, devem ser catalogadas duas operações, uma para cada
máquina.
Exemplo Na tabela a seguir, observa-se que para a operação de
“Usinar externo dia 50 x 100” estão cadastradas as operações 10 e
20 com os grupos de máquinas TOR-01 (Torno automático) e TOR-
02 (Torno manual), respectivamente.
Na coluna de proporção, 80% das operações são feitas no grupo
de máquina TOR-01 e 20 % no grupo TOR-05.
Op Descrição Gr máq Un Tprep Tmaq Thom Un med Nº Op Prop
tempo Hom sim %
10 Usinar ext dia TOR-01 100 0,03 0,833 0,833 hora 01 01 80
50 x 100
20 Usinar ext dia TOR-05 100 0,05 0,995 0,995 hora 01 01 20
50 x 100

Neste caso, a porcentagem atribuída a cada máquina é


proporcional ao tempo de execução de cada operação. A
proporção de cada operação se refere à porcentagem produzida de
um lote.

Grupo Máquina Informar a qual grupo de máquina pertence a operação. (Ver


detalhes Manual de Referência dos Cadastros Gerais EMS 2.00
Função Manutenção Grupo Maquina
Ficha Método Informar o número da ficha de método relacionada a operação.
(Ver detalhes no Manual de Referência dos Cadastros Gerais
Função Manutenção Ficha Método
Ponto Controle Sempre que a operação for ponto de controle, dever ser indicado o
seu código. (Ver detalhes - Função Manutenção Ponto de Controle
Cod Mob Direta É o código que identifica a mão-de-obra direta (homem) para
projeção de custo operacional. No cadastro da operação padrão
pode-se informar o código da mão de obra.
Nota Ao incluir de uma operação padrão e a mesma for do tipo
externa, o programa zera o código da mão de obra e desabilita o
mesmo. Se passar a mesma operação para interna, o programa
deixa habilitado o campo normalmente.
60

Pasta Complemento
São dados complementares ao cadastro de uma operação para um
determinado item.

Campo Descrição
Emitir Ficha Quando habilitado permite emitir na ficha de produção as
Produção ? informações relativas a operação.
Controlar Quando habilitado identifica se no reporte, a operação deverá gerar
Qualidade ? ou não um roteiro de inspeção para o Controle de Qualidade.
Vídeo Inserir o arquivo contendo o vídeo relativo a operação cadastrada.
O cadastro do catálogo de vídeo com os respectivos arquivos são
realizados por intermédio do módulo Básico, nas funções Catálogo
Vídeo e Vídeo.
CAPÍTULO 4 Processo Engenharia de Processos 61

Campo Descrição
Un Medida Inserir a unidade de tempo relativa a operação cadastrada. Estas
Tempo unidades de medida de tempo podem ser:
• Horas
• Minutos
• Segundos e
• Dias
A sua utilização depende da duração da operação.
Tempo Máquina É utilizado para cálculo da carga máquina no planejamento, onde
recomenda-se não duplicar o valor dos campos ( tempo homem =
tempo homem + tempo máquina; tempo máquina = tempo
máquina). O custo máquina é apropriado através de rateios dos
custos por centro de custo, não havendo a necessidade de
incorporá-lo no custo homem.
A fórmula para o cálculo do tempo-máquina é idêntica ao tempo-
homem, porém com o tempo-máquina.
Tempo É o tempo necessário para preparar a máquina para fazer o
Preparação trabalho. Utilizado para o cálculo do custo gerencial.
Se o item possuir um lote econômico maior que zero, o programa
calcula a quantidade de lotes para a ordem. O tempo de
preparação será a multiplicação pela quantidade de lotes.
Se o item não possuir lote econômico, o tempo apresentado refere-
se ao tempo de preparação da operação da ordem.
Regra de negócio:

N.º de lotes = Quantidade da ordem


Lote econômico do item

Tempo preparação = Oper. ordem tempo-prep X N.º lotes


62

Campo Descrição
Tempo Homem É o tempo necessário para que o operador execute a operação. É
equivalente ao tempo utilizado para o cálculo do GGF e cálculo do
custo gerencial.
As horas despendidas na preparação da máquina devem ser
agregadas ao tempo-homem apurado, para efeito de cálculo do
custo total da mão-de-obra utilizada na operação.
Na informação dos tempos, deve ser indicado o total de horas
despendidas na operação, considerada a quantidade de homens,
uma vez que o programa não faz esse cálculo.
Regra de negócio:

Oper. ordem tempo-homem Oper. ordem proporção


Tp-hm = X X Qtde ordem
Oper. ordem nr-unidades 100

Tempo Define de que forma o tempo da operação deve ser considerado:


Operação • Proporcional
• Fixo
• Lote
• Dep ferramenta
Este campo é atualizado na função Manutenção Grupo Máquina
SCF/CRP.
Relação Define a relação entre as unidades de medida da operação em
Operec/Item relação ao item para o reporte da operação.
Exemplo
2
Se em uma determinada operação a unidade processada é 1 m ,
sendo que resultam em 10 itens, então o valor que deve ser
inserido neste campo é 10.

Unidades Inserir o número de unidades a qual esta associada aos tempos de


fabricação.
Exemplo
Se em uma determinada operação no campo “Unidades” contiver o
valor 100, significa que os tempos definidos para a conclusão da
operação se referem a 100 unidades do item.
CAPÍTULO 4 Processo Engenharia de Processos 63

Campo Descrição
Oper Trata-se do número de operações que podem ser feitos
Simultânea simultaneamente Para isto é necessário o cadastrado da rede pert
do item.
Exemplo
+--- OP-20 ---+
OP-10 ---+ +--- OP 40
+--- OP-30 ---+
Onde: as operações 20 e 30 são simultâneas e devem ser
realizadas após a operação 10. Sendo que a operação 40 somente
pode ser feita quando as operações 20 e 30 terminarem.

Notas:
• cadastro de operações simultâneas, através da rede pert será
valido somente para reporte por operações ou reporte por
ponto de controle.
• No cadastro de operações da engenharia existem dois campos:
número de operações simultâneas e fator de sobreposição, que
são documentacionais para o sistema. Estes campos não irão
influenciar o sistema no momento do reporte

Número de Inserir o número de homens que executam a operação.


Homens
UM-Operação Inserir a unidade de medida da operação. Este campo tem caracter
documentacional.
Tempo Inserir um valor que identifique um tempo necessário ao item para
Posprocesso que o mesmo possa seguir para a próxima operação.
Esta informação é utilizada pelo módulo do Chão de Fábrica
Exemplo
Na operação de pintura, o item deve esperar um tempo
determinado para cura, para ter seqüência na sua fabricação.

Capac Utilizada Inserir o valor da capacidade utilizada da máquina para a respectiva


operação. Esta informação é útil para as estatísticas do Chão de
Fábrica no sentido de avaliar a utilização do grupo de máquina para
a operação.
64

Campo Descrição
Tam Médio Lote Apresenta os tamanho médio do lote. Este valor é calculado da
seguinte forma:
Multiplicando-se o Número de unidades que são executadas na
operação pela Carga por Batelada e dividindo-se o resultado pela
Capacidade Utilizada do recurso.
Nota
• Este campo somente é calculado quando o “Tempo da
Operação” for considerado do tipo “Por Lote”.
• Este parâmetro é determinado na função Manutenção
Grupo de Máquina SCF/CRP.
Un Cap Apresenta a unidade de capacidade do grupo de máquina ao qual
esta vinculado a operação. Esta unidade é definida no grupo de
máquina, detalhes, função Manutenção Grupo de Máquina
SCF/CRP.
Carga por Apresenta o valor da Carga por Batelada definida da função
Batelada Manutenção Grupo de Máquina SCF/CRP.

Importante
• Por questões conceituais, é considerado o tempo-homem ou o tempo-
máquina no custo do produto. Se for necessário incorporar o tempo-
máquina no custo, o mesmo deve ser agregado no tempo homem. Esta
parametrização é feita no módulo de custos.
• A utilização do tempo de preparação junto ao tempo-homem ou tempo-
máquina no cálculo do custo dos GGF também pode ser parametrizado.
Neste campo já devem ser definidas as horas correspondentes ao
número de homens da operação, pois o sistema não faz esta
multiplicação.

Pasta Narrativa
Possibilita a descrição da operação conforme a necessidade de maior ou
menor detalhe.

Botão Operação
O botão “Operações” no programa EN0507, chama o programa EN0503. O
programa é apresentado em três pastas:
Pasta Descrição
Ferramentas Detalhes, ver Pasta Ferramentas.
CAPÍTULO 4 Processo Engenharia de Processos 65

Pasta Descrição
Consumíveis Detalhes, ver Pasta Consumíveis.
Alternativas Detalhes, ver Pasta Alternativas.

Pasta Ferramentas
As ferramentas são utilizadas para a execução das operações de manufatura
do item. Para cada operação é possível associar uma ou mais ferramentas
que farão parte de um conjunto de meios necessários para a execução destas
operações.

Botão
Narrativa da
Operação

Os dados referentes à proporção de utilização das ferramentas e ao ciclo de


vida são apenas documentacionais
66

Pasta Consumíveis
São cadastrados os materiais consumidos durante a execução de uma
operação em um determinado item.
Para cada operação é possível associar um ou mais materiais consumíveis
que farão parte de um conjunto de materiais necessários para a execução
destas operações.
A figura a seguir apresenta o programa de cadastro dos materiais
consumíveis para a operação.

Nota
• O material de consumo deve fazer parte do cadastro de itens.
• Os dados referentes à proporção de utilização dos materiais de consumo
são documentais.
• Ao efetuar a inclusão de um item consumível, o mesmo não pode ser
igual ao item pai cadastrado.
CAPÍTULO 4 Processo Engenharia de Processos 67

Pasta Alternativas
As operações alternativas são aquelas que, na falta da operação titular, são
utilizadas como substitutas, dando seqüência ao processo de fabricação.

Botão Narrativa

Botão Substituir
operação alternativa

Botão Tempos

Botão Renumerar

Botão Alternativa

Exemplo Na tela acima, verifica-se que a operação 10 possui uma


alternativa que, na falta da titular, poderá ser utilizada, pois já foi pré
determinada pela engenharia da fábrica. Os custos das operações variam,
pois as características do processo envolvido são diferentes.
Botão Descrição
Alternativa Detalhes, ver Botão Alternativa.
Tempos Detalhes, ver Botão Tempos.
Substituir Detalhes, ver Botão Substituir.
Narrativa Detalhes, ver Botão Narrativa.

Botão Alternativa
Por intermédio deste botão é possível vincular as ferramentas e os materiais
consumíveis para a operação alternativa.
68

A figura a seguir apresenta o programa EN0505 em duas pastas: Ferramentas


e Consumíveis.

Botão Tempos
Este botão permite a manutenção direta dos seguintes campos:
• Unidade
• Operações Simultâneas
• Tempo de Preparação
• Tempo Homem
• Tempo Máquina
• Número de Homens
CAPÍTULO 4 Processo Engenharia de Processos 69

Botão Substituir
Este botão permite a substituição direta da operação atual pela operação
alternativa.

Botão Narrativa
Por intermédio deste botão, é possível descrever com maiores detalhes a
operação alternativa.
70

Pasta Rede Pert


Define a seqüência e a precedência em que as operações de fabricação são
executadas. É utilizada pelo módulo de Produção para o reporte por operação
ou por ponto de controle. O sistema controla qual a operação ou ponto de
controle o usuário pode reportar, ou seja, não será permitido reportar uma
produção por operação ou ponto de controle sem que as suas predecessoras
tenham sido reportadas.
Resumo das seqüências de diagrama de rede comum e disposições:

A B
Atividade A deve ser completada antes da
atividade B começar.

A
C As atividades A e B podem ocorrer ao mesmo
tempo, mas ambas precisam ser completadas antes
B de C começar

A E As atividades A e B precisam ambas ser


C
completadas antes de C e D começar, mas C
pode começar independente de D ou vice-versa.
B D As atividades E e F devem existir para encerrar
F
a rede Pert.
CAPÍTULO 4 Processo Engenharia de Processos 71

A figura a seguir apresenta a pasta da Rede pert das operações:

Botão
Consistir

Botão Gerar

Botão Descrição
Gerar Faz a geração da rede pert em função das operações de fabricação
cadastradas.
Consistir Faz a consistência da rede pert gerada conforme uma das seqüências do
diagrama de rede apresentados anteriormente.

Campo Descrição
Over-lap É um valor em porcentagem que determina quando pode-se iniciar
a operação seguinte antes do término da operação predecessora.

3( 2SHUDomR#53 433(

3( 2SHUDomR#63 433(

58#(#+2YHUODS,

Tempo de É o tempo gasto com o material em trânsito, com a armazenagem,


Transporte e com cada grupo de máquina esperando ser processado. O tempo
72

Campo Descrição
de transporte é uma função da configuração da fábrica, do
processo de manufatura, e do processo de programação. É tempo
improdutivo no processo de manufatura. Na maior parte das
empresas, responde por cerca de 80% do tempo total de
manufatura. A meta é reduzir o tempo de transporte ao índice mais
baixo possível, ou mesmo eliminá-lo. O tempo de transporte é
custo agregado, não acrescentando valor nenhum ao produto.

Pasta Roteiros
Nesta pasta são vinculados os roteiros de fabricação para o item informado.
Podem ser relacionados vários roteiros a um único item, o que reduz o tempo
de digitação, uma vez que nos roteiros já constam as operações necessárias
para a fabricação de um produto.

Nota
Assim como nas operações, é possível validar um roteiros de fabricação por
intermédio das suas datas de início e término.
CAPÍTULO 4 Processo Engenharia de Processos 73

Pasta Lista Componentes


Esta pasta tem a finalidade de Informar qual lista de componentes é mais ou
menos prioritária quando da abertura de ordens de produção para o item.

Botão
Proporção

Botão
Renumerar

Botão Renumerar
Renumera a variação da seqüência dos componentes conforme melhor
conveniência ao usuário.

Botão Proporção
Possibilita a alteração das quantidades de utilização da lista de componentes
para o item.
Podem ser alterados os seguintes campos:
• Qtde Item: Quantidade de referência do Item
• Qtde Lista: Quantidade de referência da Lista
• Proporção: Proporção de utilização da lista no item

Pasta Processos
Esta funcionalidade permite a definição do processo de fabricação de uma
maneira mais rápida e amigável.
74

Como características tem-se:


• A partir do item serão cadastradas as etapas (processo) das diferentes
fases.
• Em cada etapa abre para definir as ferramentas e tempos.
• Após a manutenção do processo pode-se gerar automaticamente a
estrutura dos itens envolvidos (listas de componentes consideradas como
itens alternativos) e operações do item.
• processo do item herda os itens de controle para fins de reporte de
produção.

Botão Menos
Priorid

Botão Mais
Priorid

Botão
Proporção

Botão 100%

Botão Elim Todos

Botão Gerar

Botão Descrição
Gerar Faz a geração das listas de componentes para o processo.
Elim Todos Permite a eliminação de todos os registros constantes na lista.
100% Permite totalizar o percentual de proporção da utilização das lista de
componentes em 100% automaticamente.
Proporção Pode-se indicar qual a proporção de utilização das listas de
componentes no processo. Esta pasta deve sofrer tantas alterações
quanto forem necessárias para representar a política de consumo
de matérias primas em uso pela empresa.
Mais Priorid Quando do reporte da ordem de produção, pode-se determinar qual
a lista de componente tem mais prioridade, ou seja, é sugerida pelo
CAPÍTULO 4 Processo Engenharia de Processos 75

Botão Descrição
sistema.
Menos Priorid Quando do reporte da ordem de produção, pode-se determinar qual
a lista de componente tem menos prioridade, ou seja, é ser sugerida
pelo sistema.

Função Manutenção Roteiros de Fabricação


Objetivo Cadastrar roteiros de fabricação para a definição do processo de fabricação
de um item.
Programas EN0506
Descrição Um roteiro de fabricação é uma lista de operações de fabricação que
descreve o processo de manufatura utilizado para produzir um produto. Define
a seqüência em que as operações são executadas
A diferença básica entre roteiros e operações está no fato que roteiros de
fabricação podem ser ligados a vários itens, o que facilita a montagem de um
plano de fabricação.
Nota O usuário deve optar pelo uso de roteiros de fabricação ou operações.
Não é possível cadastrar um roteiro para o item que estiver vinculado a uma
operação.

Como criar e gerenciar roteiros de fabricação


A engenharia determina os melhores métodos e recursos de manufatura para
fazer o produto e pode trabalhar em conjunto com a área de manufatura para
desenvolver novos roteiros de fabricação.
À medida que os novos roteiros são implementados na manufatura,
mudanças e melhorias efetuadas nos mesmos têm que ser documentadas a
fim de que todos possam ter conhecimento das alterações. Estes
departamentos trabalham juntos para melhorar a exatidão dos roteiros.
Em resumo, se os roteiros de fabricação forem exatos e usados corretamente,
podem ser um elemento importante na rede de comunicações de uma
empresa para produzir um produto com eficiência.
76

Como é usado um roteiro de fabricação


Os roteiros de fabricação são elaborados pela Engenharia e utilizados por
vários departamentos da empresa, entre eles:
• Engenharia: para desenvolver processos de manufatura de novos
produtos.
• Controle da produção: para determinar como programar os processos
de manufatura.
• Manufatura: para produzir corretamente cada produto.
• Controle de chão de fábrica: para acompanhar a seqüência de
produção.
• Contabilidade de custos: para determinar o custo real de produção de
um produto.
A figura a seguir apresenta o programa de Manutenção de Roteiros em duas
pastas:
Pasta Descrição
Operações Detalhes, ver Pasta Operações.
Rede Pert Detalhes, sobre a rede pert das operações, ver função Manutenção
Processo de Fabricação, Pasta Rede Pert.
CAPÍTULO 4 Processo Engenharia de Processos 77

Pasta Operações

Botão Inclui
Roteiro

Botão Copiar
Processo

Botão Narrativa

Botão
Parâmetros

Botão Vídeo da
Operação

Nota
• Para a inclusão das operações de fabricação no roteiro, ver função
Manutenção Operações de Fabricação, pasta Operações, Botão Inclui.
• Os demais botões, “Operação”, “Renumerar” e “Tempos” executam a
mesma ação descrita para função Manutenção do Processo de
Fabricação do Item.
• Ao incluir / modificar uma Operação é possível informar a narrativa.
Botão Descrição
Inclui Roteiro Inclui um novo roteiro de fabricação. Detalhes, ver Botão Inclui
Roteiro
Copiar Processo Este botão permite a cópia do roteiro de fabricação de origem
(corrente) para um roteiro de destino.
Nesta cópia pode-se indicar os seguintes parâmetros:
• Data de corte: Informar a data limite na qual os
componentes do roteiro serão copiados;
• Operações alternativas: Copiar ou não as operações
alternativas do roteiro corrente;
• Pedir confirmação: para cada operação a ser copiada o
programa solicita a sua confirmação para compor o novo
78

Botão Descrição
roteiro.
Narrativa Possibilita uma descrição completa a respeito do roteiro de
fabricação para o item considerado.
Parâmetros Permite parametrizar o roteiro conforme as seguintes situações:
• Visualizar ordens de produção ao modificar a operação:
Se parametrizado, permite ao usuário visualizar as ordens de
produção geradas para o respectivo item caso haja uma
alteração na sua operação de fabricação.
• Gerar rede Pert após incluir ou modificar a Operação: Se
parametrizado, após uma nova inclusão ou modificação de
uma operação, o programa pode gerar de forma automática
a rede Pert das operações.
Vídeo da Permite associar um vídeo referente a operação cadastrada. Este
OPeração arquivo contendo o vídeo, é manutenido por intermédio do
módulo Básico nas funções de Manutenção de Catálogos de
Vídeo e Manutenção de Vídeos.

Botão Inclui Roteiro

Campo Descrição
Roteiro Inserir o código que identifica o Roteiro de Fabricação que esta
sendo cadastrado.
Descrição Inserir uma breve descrição do Roteiro de Fabricação.
Responsável Inserir o nome do responsável pelo roteiro de fabricação.
Situação Inserir a situação do roteiro cadastrado. Esta situação pode ser:
• Ativo: É o roteiro titular. Faz parte do processo de fabricação
do item.
• Inativo: Para tratar ordens de retrabalho em itens que
possuem roteiro normal de fabricação, utiliza-se o conceito
de roteiros inativos, ou seja, para determinado item,
CAPÍTULO 4 Processo Engenharia de Processos 79

Campo Descrição
associa-se um roteiro alternativo com status de “inativo”
desta forma, este roteiro não é utilizado no momento do
cadastro de uma ordem de produção. Após gerar as ordens
de retrabalho, o roteiro “titular” (ativo) pode ser substituído
pelo roteiro “alternativo” (inativo), diretamente na manutenção
de operações da ordem.
• Experimental:
Data Implantação Inserir a data de implantação do roteiro de fabricação. O
programa sugere a data de implantação como sendo a data
corrente.
Data Liberação Inserir a data de liberação do roteiro de fabricação. Esta é a data
na qual o roteiro passa a ser válido. O programa sugere a data de
implantação como sendo a data corrente.

Função Importação Operações


Objetivo Efetuar a importação das operações de fabricação conforme layout padrão.
Programas EN0114
Descrição O programa de importação apresenta-se nas seguintes pastas:

Pasta Parâmetros
Deve-se definir o arquivo de entrada para geração da importação das
Operações de Fabricação.
80

Pasta Layout
A figura a seguir apresenta o layout padrão para a importação:
+----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------+
| Layout do Arquivo de Importação de OPERAÇÕES |
|----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------|
| Nome do Arquivo: A ser informado |
| Formato: Texto |
| Tamanho do Registro: 875 |
|----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------|
| Ordem | Descrição | Tamanho | Início | Término | Conteúdo | Decimais | Obrigatório |
|-------+---------------------------------------------------------+---------+--------+---------+----------+----------+-------------|
| 1 | Tipo de Transação | 1 | 1 | 1 | Inteiro | | Sim |
| | Onde 1 = Inclusão | | | | | | |
| | 2 = Modifição | | | | | | |
| | 3 = Eliminação | | | | | | |
| 2 | Código do Item | 16 | 2 | 17 | Caracter | | Não |
| 3 | Código do Roteiro | 16 | 18 | 33 | Caracter | | Não |
| 4 | Código da Operação | 5 | 34 | 38 | Inteiro | | Sim |
| 5 | Código da Operação Padrão | 6 | 39 | 44 | Inteiro | | Não |
| 6 | Descrição da Operação | 34 | 45 | 78 | Caracter | | Sim |
| 7 | Revisão | 8 | 79 | 86 | Caracter | | Não |
| 8 | Tipo Operação | 1 | 87 | 87 | Inteiro | | Sim |
| | Onde 1 = Interna | | | | | | |
| | 2 = Externa | | | | | | |
| 9 | Data de Início | 8 | 88 | 95 | Data | | Sim |
| | Formato ddmmaaaa | | | | | | |
| | Onde dd = Dia | | | | | | |
| | mm = Mês | | | | | | |
| | aaaa = Ano | | | | | | |
| 10 | Data de Término | 8 | 96 | 103 | Data | | Sim |
| | Formato ddmmaaaa | | | | | | |
| | Onde dd = Dia | | | | | | |
| | mm = Mês | | | | | | |
| | aaaa = Ano | | | | | | |
| 11 | Fator de Refugo | 5 | 104 | 108 | Decimal | 2 | Sim |
| 12 | Proporção | 6 | 109 | 114 | Decimal | 2 | Sim |
| 13 | Grupo de Máquina | 9 | 115 | 123 | Caracter | | Não |
| 14 | Ficha de Método | 5 | 124 | 128 | Inteiro | | Não |
| 15 | Ponto de Controle | 3 | 129 | 131 | Inteiro | | Não |
| 16 | Código de Mão-de-Obra Direta | 5 | 132 | 136 | Caracter | | Não |
| 17 | Emite Ficha (S/N) | 1 | 137 | 137 | Lógico | | Sim |
| 18 | Controle de Qualidade (S/N) | 1 | 138 | 138 | Lógico | | Sim |
| 19 | Tempo de Preparação | 8 | 139 | 146 | Decimal | 3 | Sim |
| 20 | Tempo Homem | 8 | 147 | 154 | Decimal | 3 | Sim |
| 21 | Tempo Máquina | 8 | 155 | 162 | Decimal | 3 | Sim |
| 22 | Unidade de Medida do Tempo | 1 | 163 | 163 | Inteiro | | Sim |
| | Onde: 1 = Horas | | | | | | |
| | 2 = Minutos | | | | | | |
| | 3 = Segundos | | | | | | |
| | 4 = Dias | | | | | | |
| 23 | Número de Unidades | 5 | 164 | 168 | Inteiro | | Sim |
| 24 | Número de Homens | 3 | 169 | 171 | Inteiro | | Sim |
| 25 | Número de Operações Simultâneas | 2 | 172 | 173 | Inteiro | | Sim |
| 26 | Data Base | 8 | 174 | 181 | Data | | Não |
| | Formato ddmmaaaa | | | | | | |
| | Onde dd = Dia | | | | | | |
| | mm = Mês | | | | | | |
| | aaaa = Ano | | | | | | |
| 27 | Preço Base | 16 | 182 | 197 | Decimal | 4 | Não |
| 28 | Data Última Entrada | 8 | 198 | 205 | Data | | Não |
| | Formato ddmmaaaa | | | | | | |
| | Onde dd = Dia | | | | | | |
| | mm = Mês | | | | | | |
| | aaaa = Ano | | | | | | |
| 29 | Preço Última Entrada | 16 | 206 | 221 | Decimal | 4 | Não |
| 30 | Data Última Reposição | 8 | 222 | 229 | Data | | Não |
| | Formato ddmmaaaa | | | | | | |
| | Onde dd = Dia | | | | | | |
| | mm = Mês | | | | | | |
| | aaaa = Ano | | | | | | |
| 31 | Preço Reposição | 16 | 230 | 245 | Decimal | 4 | Não |
| 32 | Código do Vídeo da Operação | 30 | 246 | 275 | Caracter | | Não |
| 33 | Narrativa da Operação[1] | 60 | 276 | 335 | Caracter | | Não |
| 34 | Narrativa da Operação[2] | 60 | 336 | 395 | Caracter | | Não |
| 35 | Narrativa da Operação[3] | 60 | 396 | 455 | Caracter | | Não |
| 36 | Narrativa da Operação[4] | 60 | 456 | 515 | Caracter | | Não |
| 37 | Narrativa da Operação[5] | 60 | 516 | 575 | Caracter | | Não |
| 38 | Narrativa da Operação[6] | 60 | 576 | 635 | Caracter | | Não |
| 39 | Narrativa da Operação[7] | 60 | 636 | 695 | Caracter | | Não |
| 40 | Narrativa da Operação[8] | 60 | 696 | 755 | Caracter | | Não |
| 41 | Narrativa da Operação[9] | 60 | 756 | 815 | Caracter | | Não |
| 42 | Narrativa da Operação[10] | 60 | 816 | 875 | Caracter | | Não |
+----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------+
CAPÍTULO 4 Processo Engenharia de Processos 81

Função Importação Operações/Fichas Método


Objetivo Efetuar a importação das Fichas de Métodos das operações conforme layout
padrão.
Programas EN0115
Descrição O programa de importação apresenta-se nas seguintes pastas:

Pasta Parâmetros
Deve-se definir o arquivo de entrada para geração da importação das Fichas
de Métodos das operações.

Pasta Layout
A figura a seguir apresenta o layout padrão para a importação:
+----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------+
| Layout do Arquivo de Importação de FICHA MÉTODO |
|----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------|
| Nome do Arquivo: A ser informado |
| Formato: Texto |
| Tamanho do Registro: 647 |
|----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------|
| Ordem | Descrição | Tamanho | Início | Término | Conteúdo | Decimais | Obrigatório |
|-------+---------------------------------------------------------+---------+--------+---------+----------+----------+-------------|
| 1 | Código da Ficha de Método | 5 | 1 | 5 | Inteiro | | Sim |
| 2 | Descrição | 30 | 6 | 35 | Caracter | | Sim |
| 3 | Responsável | 12 | 36 | 47 | Caracter | | Não |
| 4 | Narrativa[1] | 60 | 48 | 107 | Caracter | | Não |
| 5 | Narrativa[2] | 60 | 108 | 167 | Caracter | | Não |
| 6 | Narrativa[3] | 60 | 168 | 227 | Caracter | | Não |
| 7 | Narrativa[4] | 60 | 228 | 287 | Caracter | | Não |
| 8 | Narrativa[5] | 60 | 288 | 347 | Caracter | | Não |
| 9 | Narrativa[6] | 60 | 348 | 407 | Caracter | | Não |
| 10 | Narrativa[7] | 60 | 408 | 467 | Caracter | | Não |
| 11 | Narrativa[8] | 60 | 468 | 527 | Caracter | | Não |
| 12 | Narrativa[9] | 60 | 528 | 587 | Caracter | | Não |
| 13 | Narrativa[10] | 60 | 588 | 647 | Caracter | | Não |
+----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------+

Função Importação Narrativa Operações


Objetivo Efetuar a importação da narrativa da operações de fabricação conforme layout
padrão.
Programas EN0117
Descrição O programa de importação apresenta-se nas seguintes pastas:

Pasta Parâmetros
Deve-se definir o arquivo de entrada para geração da importação da narrativa
das operações.
82

Pasta Layout
A figura a seguir apresenta o layout padrão para a importação das narrativas
das operações:
+----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------+
| Layout do Arquivo de Importação da NARRATIVA DAS OPERAÇÕES |
|----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------|
| Nome do Arquivo: A ser informado |
| Formato: Texto |
| Tamanho do Registro: 637 |
|----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------|
| Ordem | Descrição | Tamanho | Início | Término | Conteúdo | Decimais | Obrigatório |
|-------+---------------------------------------------------------+---------+--------+---------+----------+----------+-------------|
| 1 | Código do Item | 16 | 1 | 16 | Caracter | | Sim |
| 2 | Código do Roteiro | 16 | 17 | 32 | Caracter | | Sim |
| 3 | Código da Operação | 5 | 33 | 37 | Inteiro | | Sim |
| 4 | Narrativa da Operação[1] | 60 | 38 | 97 | Caracter | | Não |
| 5 | Narrativa da Operação[2] | 60 | 98 | 157 | Caracter | | Não |
| 6 | Narrativa da Operação[3] | 60 | 158 | 217 | Caracter | | Não |
| 7 | Narrativa da Operação[4] | 60 | 218 | 277 | Caracter | | Não |
| 8 | Narrativa da Operação[5] | 60 | 278 | 337 | Caracter | | Não |
| 9 | Narrativa da Operação[6] | 60 | 338 | 397 | Caracter | | Não |
| 10 | Narrativa da Operação[7] | 60 | 398 | 457 | Caracter | | Não |
| 11 | Narrativa da Operação[8] | 60 | 458 | 517 | Caracter | | Não |
| 12 | Narrativa da Operação[9] | 60 | 518 | 577 | Caracter | | Não |
| 13 | Narrativa da Operação[10] | 60 | 578 | 637 | Caracter | | Não |
+----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------+
83

CAPÍTULO 5

Processo Consultas e Relatórios

Definição O processo de consultas e relatórios engloba os principais tipos de consultas


e relatórios de informações implementadas neste módulo, incluindo
informações históricas de tempo indeterminado.
Descrição O DATASUL EMS, além de apresentar consultas implementadas referentes à
preparação das informações, permite também realizar consultas de
programações, movimentações diárias e mensais, valores estimados,
realizados e calculados, consultas gráficas, etc.
Por meio das funções do tipo relatório, pode-se emitir relatórios e listagens
das informações consolidadas, comparativas ou demonstrativas do DATASUL
EMS. Antes de iniciar a geração de relatórios, é necessário definir alguns
parâmetros que servem para classificar as informações. Estes elementos são:
classificação, seleção, parâmetros e impressão.
Se houver a disponibilidade do Módulo Gerador de Relatórios (Data Viewer), o
DATASUL EMS ainda permite a configuração dos relatórios de acordo com as
necessidades do usuário. O Data Viewer é uma ferramenta para extração de
dados, voltada ao usuário final, que possibilita a elaboração de relatórios e a
exportação de dados através da geração de um programa com código fonte
em Progress de interface gráfica. Sua principal finalidade é auxiliar o usuário
em suas tarefas do dia-a-dia, permitindo confeccionar relatórios com
necessidades específicas.

Função Consulta Centro Custos


Objetivo Efetuar a consulta dos Centros de Custos cadastrados.
Programas CD1401
84

Descrição Ver detalhes no Manual de Referência dos Cadastros Gerais EMS 2.00 –
Função Manutenção Centro Custos

Função Consulta Desenho


Objetivo Efetuar a consulta dos desenhos de um item.
Programas EN0704
Descrição A tela a seguir mostra as informações relativas ao cadastro do desenho de um
item.

Pasta Descrição
Desenho São apresentadas as informações relativas:
• Data em que foi cadastrado o desenho;
• Responsável pelo desenho ;
• Narrativa com uma descrição mais detalhada do desenho.
Distribuição São apresentadas a lista de usuários ou departamentos para o qual
foi destinado o desenho.
Revisões São apresentadas informações relativas as revisões que o desenho
possa conter, bem como os seus detalhes.
Componentes Apresenta todos os componentes cadastrados para o desenho na
CAPÍTULO 5 Processo Consultas e Relatórios 85

Pasta Descrição
sua respectiva revisão.
Folhas Para desenho mais complexos, esta pasta relaciona as diversas
folhas que o desenho possa conter. Apresenta o caminho (diretório)
onde os arquivos de desenho CAD estão contidos.

Função Consulta Estrutura


Objetivo Efetuar a consulta da estrutura de produto de um item cadastrado.
Programas EN0801
Descrição Para a consulta de uma estrutura de produto, somente serão demonstradas
as estruturas que se enquadrem conforme os parâmetros determinados para
a respectiva consulta. data de corte, isto é, que tenham data de início menor
ou igual, e data de término maior (em relação a data de corte).
A quantidade de componentes mostrada na tela é a que corresponde a um(1)
Item-pai: em caso de necessidade de ser elevada essa proporção, deve ser
informada em "Parâmetros" a quantidade desejada

Botão Parâmetros

Botão Onde se Usa

Botão Produção

Botão Compras

Botão Estoque

Botão Componente

Botão Relação

Botão Próximo Nível


86

Botão Descrição
Parâmetros Esta opção permite parametrizar a consulta informando-se:
• Data de corte: Informada a data de corte, o programa
lista somente as estruturas que se enquadra nos
parâmetros indicados, isto é, com data de início menor ou
igual, e com data de término maior que a informada.
• A quantidade projetada de itens: A quantidade de
componentes mostrada na coluna "Quantidade", corresponde a
um(1) item-pai. Informando uma quantidade diferente de um(1),
esta é multiplicada pela quantidade utilizada na estrutura.
• Formato do campo Quantidade: Deve ser defindo um formato
desejado para a visualização das quantidades.
• Itens Fabricados ou Comprados: Escolhe-se se para a
consulta deve constar somente os itens fabricados ou somente
os itens comprados.
Onde se Usa Acessa o programa EN0803 que apresenta a função Consulta
Onde se Usa.
Produção Acessa o programa CP0506 que apresenta a Consulta do
Item na Produção.
Compras Acessa o programa CC0504A que apresenta a Consulta das
Ordens de compras.
Estoque Acessa o programa CE0813 que apresenta a Consulta do
Item no Estoque.
Componente Acessa o programa EN0703 que apresenta a função Consulta
Item.
Relação Acessa o programa EN0806 que apresenta os detalhes da
estrutura.
Próximo Nível Acessa o programa EN0801A que apresenta o próximo nível
da estrutura (caso o item seja um subconjunto).

Nota
Na apresentação dos níveis da estrutura, o programa apresenta alguns
símbolos ao lado do nível. Estes símbolos mostram a situação do item na
estrutura onde aparece. Os símbolos são apresentados abaixo:
Legenda dos Atributos da Relação:
# - Este destaque identifica um Item comprado, com relação fantasma;
CAPÍTULO 5 Processo Consultas e Relatórios 87

D - Esta letra mostra que uma Estrutura e' invalida para o dia da execução
(isso, quando informado o parâmetro "?", em vez da data de corte).
F - Esta letra indica um item com relação fantasma;
A - Esta letra informa que o item possui alternativo.

Função Consulta Estrutura Nível à Nível


Objetivo Efetuar a consulta de todos os níveis da estrutura do produto.
Programas EN0805
Descrição A tela abaixo mostra a consulta nível a nível:

Botão Parâmetros

Botão Onde-se-Usa

Botão Processo

Botão Componente

Botão Relação

Botão Descrição
Parâmetros Esta opção permite parametrizar a consulta informando-se:
• Data de corte: Informada a data de corte, o programa lista
somente as estruturas que se enquadra nos parâmetros
indicados, isto é, com data de início menor ou igual, e com
data de término maior que a informada.
• A quantidade projetada de itens: A quantidade de
88

Botão Descrição
componentes mostrada na coluna "Quantidade", corresponde a
um(1) item-pai. Informando uma quantidade diferente de um(1),
esta é multiplicada pela quantidade utilizada na estrutura.
• Número de níveis: Deve ser informado o número de níveis da
estrutura a serem apresentados na consulta. O valor máximo é
19.
• Formato do campo Quantidade: Deve ser definido um formato
desejado para a visualização das quantidades.
Exemplo
Considere-se a seguinte estrutura:

B C

D E F G

Se o componente C for invalidado pela data de corte, os


componentes F e G também são desconsiderados, não sendo
levadas em conta as datas de início e de término.

Onde-se-Usa Acessa o programa EN0808 Função Consulta Onde-se-usa


Nível a Nível
Processo Acessa o programa EN0707 Função Consulta Processo
Fabricação Item
Componente Acessa o programa EN0703 Função Consulta Item
Relação Apresenta o programa EN0806 onde pode-se consultar os
detalhes da estrutura e as relações entre o componente e o
item pai.

Nota No caso de existirem itens alternativos, o programa informa uma


identificação.
CAPÍTULO 5 Processo Consultas e Relatórios 89

Função Consulta Estrutura Sumariada


Objetivo Efetuar a consulta de estrutura resumida de um item.
Programas EN0802
Descrição Para uma consulta do tipo sumariada, se determinado componente fizer parte
ou aparecer em uma mesma estrutura pôr mais de uma vez, são somadas as
quantidades utilizadas para “n” Item-pai e mostrado o componente uma só vez
na consulta.

Botão
parâmetros

Botão
parâmetros

Botão
parâmetros

Botão Descrição
Parâmetros Esta opção permite parametrizar a consulta informando-se:
• Data de corte: Informada a data de corte, o programa lista
somente as estruturas que se enquadra nos parâmetros
indicados, isto é, com data de início menor ou igual, e com
data de término maior que a informada.
• A quantidade projetada de itens: A quantidade de
componentes mostrada na coluna "Quantidade", corresponde a
um(1) item-pai. Informando uma quantidade diferente de um(1),
esta é multiplicada pela quantidade utilizada na estrutura.
• Formato do campo Quantidade: Deve ser defindo um formato
90

Botão Descrição
desejado para a visualização das quantidades.
• Itens Fabricados ou Comprados: Escolhe-se se para a
consulta deve constar somente os itens fabricados ou somente
os itens comprados.
Componente Acessa o programa EN0703 Função Consulta Item
Onde-se_usa Acessa o programa EN0804 Função Consulta Onde-se-usa
Sumariado

Função Consulta Item


Objetivo Efetuar consultas básicas e complementares do item, suas características
técnicas, a narrativa e texto, as referências e desenhos, com a opção de
detalhamento da consulta.
Programas EN0703
Descrição Ver detalhes no Manual de Referência dos Cadastros Gerais EMS 2.00 –
Função Manutenção Item

Função Consulta Itens do Desenho


Definição Efetuar a consulta dos itens cadastrados para um desenho.
Programas EN0725
Descrição A figura a seguir apresenta o programa de consulta dos itens que pertencem,
a um determinado desenho:
CAPÍTULO 5 Processo Consultas e Relatórios 91

Função Consulta Itens Similares


Objetivo Efetuar a consulta dos itens ou equipamentos que possuam características
técnicas semelhantes, agilizando a pesquisa, e evitando-se cadastrar um
novo item cujas características estão fora das especificações da engenharia
ou ainda, já existente.
Programas CD0217
92

Descrição Por intermédio das folhas de especificação associadas as famílias, o item é


caracterizado conforme apresentado no manual de Cadastros Gerais função
Manutenção Folhas de Especificação. A figura a seguir abaixo apresenta o
programa de consulta de itens similares:

Botão Filtro

Lista de itens com


características
semelhantes

Botão Detalhar

Botão Descrição
Filtro Por intermédio deste botão, são selecionadas as características técnicas
do item. Detalhes, ver Botão Filtro.
Detalhar Apresenta todos os detalhes relativo ao item cadastrado.
CAPÍTULO 5 Processo Consultas e Relatórios 93

Botão Filtro
A figura a seguir apresenta o programa (CD0217E) que contém as variáveis, e
a faixa de valores (máxima e mínima) no caso de respostas do tipo numérica
e os valores constantes em uma tabela, quando a resposta para aquela
variável for do tipo tabela.

Lista das
variáveis com
suas respectivas
faixas de valores.

Botão Descrição
Alterar São alteradas(os) os valores das características técnicas do item.
Detalhes, ver Botão Alterar.
Eliminar Elimina a ocorrência selecionada da tabela.
Recuperar Recupera-se a ocorrência eliminada da tabela.

Botão Alterar
Dependendo qual o tipo de característica técnica que se deseja
consultar/alterar, é apresentado o programa segundo a característica técnica
escolhida.
Exemplo
Na figura anterior, que apresenta o programa CD0217E – Parâmetros
Consulta Similaridade Itens, tem-se três características técnicas: Potência,
Rotação e Tensão.
94

Selecionando-se a característica “Tensão” é apresentada a tela a seguir:

Botão de
Seleção

Com o auxílio dos botões de seleção pode-se incluir ou remover as


seqüências cadastradas da Tabela de Resultados para as Opções
Selecionadas ou vice-versa, uma a uma ou todas ao mesmo tempo.
• Notas
Com valores das variáveis definidos, o programa processa a pesquisa dos
itens com as características similares informadas.
• Ao ser cadastrado novo item, para a mesma família com características
técnicas semelhantes, o programa dá um alerta:
CAPÍTULO 5 Processo Consultas e Relatórios 95

Função Consulta Família de Material


Objetivo Efetuar a consulta das Famílias de Material com as respectivas folhas de
especificação.
Programas EN0702
Descrição Ver detalhes no Manual de Referência dos Cadastros Gerais EMS 2.00 –
Função Manutenção Família de Material

Função Consulta Ferramentas da Produção


Objetivo Efetuar a consulta das Ferramentas utilizadas na produção.
Programas CD0724
Descrição Ver detalhes na Função Manutenção Ferramentas da Produção.

Função Consulta Ficha Método


Objetivo Efetuar a consulta das Fichas de Métodos cadastradas.
Programas CD0723
Descrição Ver detalhes no Manual de Referência dos Cadastros Gerais EMS 2.00 –
Função Manutenção Ficha Método
96

Função Consulta Gráfica da Estrutura


Objetivo Efetuar a consulta da estrutura do item de acordo com uma representação
gráfica.
Programas EN0812
Descrição A tela a seguir apresenta a consulta gráfica de um produto

Botão “Filtro”
informa a data de
corte da estrutura
e a quantidade
considerada

Botão Descrição
Filtro É o parâmetro para consulta. Deve-se informar:
• Data de corte: Informada a data de corte, o programa lista
somente as estruturas que se enquadra nos parâmetros
indicados, isto é, com data de início menor ou igual, e com
data de término maior que a informada.
• Quantidade: A quantidade de componentes mostrada na
coluna "Quantidade", corresponde a um(1) item-pai.
Informando uma quantidade diferente de um(1), esta é
multiplicada pela quantidade utilizada na estrutura.
• Formato do campo: Deve ser definido um formato desejado
CAPÍTULO 5 Processo Consultas e Relatórios 97

Botão Descrição
para a visualização das quantidades.
Expande/Contrai Este botão permite expandir ou contrair totalmente a estrutura do
Estrutura componente pesquisado.
Onde-se-Usa Acessa o programa EN0813 Função Consulta Gráfica
Onde-se-usa.
Produção Acessa o programa CP0506 que apresenta a Consulta do
Item na Produção.
Estoque Acessa o programa CE0813 que apresenta a Consulta do
Item no Estoque.
Compras Acessa o programa CC0504A que apresenta a Consulta
das Ordens de compras.
Processo Acessa o programa EN0707 Função Consulta Processo
Fabricação Item
Componente Acessa o programa EN0703 Função Consulta Item
Relação Apresenta o programa EN0806 onde pode-se consultar os
detalhes da estrutura e as relações entre o componente e o
item pai.

Botão Relação: Apresenta o programa EN0807 onde pode-se consultar as


relações entre o componente e o item pai
Botão Componente: Botão Processo: Botão Compras: Acessa o programa
CC0504 Consulta Itens
Botão Estoque: Acessa o programa CE0813 Função Consulta Item
Botão Produção: Acessa o programa CP0506 Consulta de Itens
Botão Onde-se-usa:
98

Função Consulta Gráfica Onde-se-Usa


Objetivo Apresentar a consulta onde-se-usa em forma gráfica.
Programas EN0813
Descrição A tela a seguir mostra o programa de consulta Onde-se-usa Gráfica:

Botão Pesquisa

Botão
Expande/Contrai
Estrutura

Botão Estrutura

Botão Produção

Botão Estoque

Botão Compras

Botão Processo

Botão Item

Botão Relação

Botão Descrição
Pesquisa É o parâmetro para consulta. Deve-se informar:
• Data de corte
• Quantidade
• Formato do campo
Expande/Contrai Este botão permite expandir ou contrair totalmente a estrutura do
Estrutura componente pesquisado.
Estrutura Acessa o programa EN0812 Função Consulta Gráfica da
Estrutura
Produção Acessa o programa CP0506 que apresenta a Consulta do
Item na Produção.
CAPÍTULO 5 Processo Consultas e Relatórios 99

Botão Descrição
Estoque Acessa o programa CE0813 que apresenta a Consulta do
Item no Estoque.
Compras Acessa o programa CC0504 que apresenta a Consulta
das Ordens de compras.
Processo Acessa o programa EN0707 Função Consulta Processo
Fabricação Item
Item Acessa o programa EN0703 Função Consulta Itens
Relação Apresenta o programa EN0807 onde pode-se consultar as
relações entre o componente e o item pai.

Função Consulta Grupo de Estoque


Objetivo Efetuar a consulta dos Grupos de Estoque cadastrados.
Programas EN0701
Descrição Ver detalhes no Manual de Referência dos Cadastros Gerais EMS 2.00 –
Função Manutenção Grupo de Estoque

Função Consulta Grupo Máquina


Objetivo Efetuar a consulta relativa aso dados do cadastro dos Grupos de Máquina.
Programas CD1402
Descrição Ver detalhes no Manual de Referência dos Cadastros Gerais EMS 2.00 –
Função Manutenção Grupo Máquina
100

Função Consulta Lista de Componentes


Objetivo Efetuar a consulta dos componentes de uma lista que são utilizados por
determinados itens.
Programas EN0727
Descrição Na figura a seguir é apresentado o programa que mostra os componentes
associados a uma determinada lista.
Detalhes, ver função Manutenção Lista de Componentes.

Nota
Por intermédio da pasta “Onde-se-Usa” pode-se verificar qual(is) o(s) item(ns)
que utilizam a respectiva lista.
CAPÍTULO 5 Processo Consultas e Relatórios 101

Função Consulta Modelo


Objetivo Efetuar a consulta dos dados relativos ao modelo cadastrado.
Programas EN0810
Descrição O programa é apresentado em duas pastas:

Botão
Detalhar

Pasta Narrativa
Apresenta a descrição detalhada do modelo cadastrado.

Pasta Estrutura
Apresenta a estrutura do modelo com os componentes “Item” e “Família” na
mesma tela de modo a mostrar a composição total do modelo.

Botão Detalhar
Apresenta detalhes cadastrais do item ou da família que compõe a estrutura
do modelo.
102

Função Consulta Onde-se-Usa


Objetivo Efetuar a consulta ao cadastro "Onde-se-usa", relativo a um componente
específico.
Programas EN0803
Descrição É designado como item de origem, ou item inicial, aquele de onde partiu a
consulta.

Botão Parâmetros

Botão Estrutura

Botão Produção

Botão Estoque

Botão Item

Botão Relação

Botão Próximo
Nível

Botão Descrição
Parâmetros Esta opção permite parametrizar a consulta informando-se:
• Data de corte
• A quantidade projetada de itens
• formato do campo Quantidade e Quantidade Líquida
• Se na consulta deve constar somente os itens fabricados ou
somente os itens acabados.
Notas:
Informada a data de corte, o programa lista somente as estruturas que
CAPÍTULO 5 Processo Consultas e Relatórios 103

Botão Descrição
se enquadra nos parâmetros indicados, isto é, com data de início
menor ou igual, e com data de término maior que a informada.
A quantidade de componentes mostrada na coluna "Quantidade",
corresponde a um(1) item-pai. Informando uma quantidade diferente de
um(1), esta é multiplicada pela quantidade utilizada na estrutura.

Estrutura Acessa o programa EN0801 Função Consulta Estrutura e possibilitam


várias consultas recursivas.
Produção Acessa o programa CP0506 – Consulta Itens na Produção e possibilita
várias consultas sobre o item.
Estoque Acessa o programa CE0813 – Consulta Itens no Estoque e possibilita
várias consultas sobre o item.
Item Acessa o programa EN0703 Função Consulta Item e possibilita
consultar as informações básicas e complementares do item, as
características técnicas, a narrativa e texto, as referências e desenhos,
com a opção de detalhamento da consulta.
Relação Permite consultar os detalhes da relação e componentes Alternativos
da Relação.
Prox nível Permite consultar o Item-pai referente ao componente selecionado

Notas
• Os botões “Prox Nível”, “Relação”, “Item” e “Estrutura” ficam desabilitados
quando não houver registros na lista.
• As colunas da lista apresentam informações relativas aos itens onde o
componente é utilizado.
104

Função Consulta Onde-se-Usa Alternativo


Objetivo Efetuar uma consulta onde são apresentados os itens que utilizam o item
alternativo informado.
Programas EN0809
Descrição Na figura a seguir tem-se o programa EN0809 que apresenta os itens que
utilizam o item alternativo informado.

Função Consulta Onde se Usa Item no Desenho


Objetivo Efetuar a consulta de em quais os desenhos um determinado item é utilizado.
Programas EN0726
Descrição A figura a seguir apresenta o programa de consulta, onde mostra o desenho
que um determinado item é utilizado.
CAPÍTULO 5 Processo Consultas e Relatórios 105

Função Consulta Onde-se-Usa Nível à Nível


Objetivo Efetuar a consulta “onde-se-usa” de forma detalhada.
Programas EN0808
Descrição A figura a seguir apresenta o programa de Consulta Onde-se-usa Nível a
Nível:
106

Botão Parâmetros

Botão Estrutura

Botão Processo

Botão Item

Botão Relação

Botão Descrição
Parâmetros Esta opção permite parametrizar a consulta informando-se:
• Data de corte
• A quantidade projetada de itens
• formato do campo Quantidade e Quantidade Líquida
• Se na consulta deve constar somente os itens fabricados ou
somente os itens acabados.
Notas:
Informada a data de corte, o programa lista somente as estruturas que
se enquadra nos parâmetros indicados, isto é, com data de início
menor ou igual, e com data de término maior que a informada.
A quantidade de componentes mostrada na coluna "Quantidade",
corresponde a um(1) item-pai. Informando uma quantidade diferente de
um(1), esta é multiplicada pela quantidade utilizada na estrutura.

Estrutura Acessa o programa EN0805 Função Consulta Estrutura Nível a


Nível
Processo Acessa o programa EN0707 Função Consulta Processo
Fabricação Item
CAPÍTULO 5 Processo Consultas e Relatórios 107

Botão Descrição
Item Acessa o programa EN0703 Função Consulta Itens
Relação Apresenta o programa EN0807 onde pode-se consultar as
relações entre o componente e o item pai.

Na apresentação dos níveis da estrutura, o programa apresenta alguns


símbolos ao lado do nível. Estes símbolos mostram a situação do item na
estrutura onde aparece. Os símbolos são apresentados abaixo:
Legenda dos Atributos da Relação:
• # - Este destaque identifica um Item comprado, com relação fantasma;
• D - Esta letra mostra que uma Estrutura e' invalida para o dia da execução
(isso, quando informado o parâmetro "?", em vez da data de corte).
• F - Esta letra indica um item com relação fantasma;
• A - Esta letra informa que o item possui alternativo.

Função Consulta Onde-se-Usa Sumariado


Objetivo Efetuar a consulta de "Onde-se-usa" de forma resumida de um item
informado.
Programas EN0804
Descrição A figura a seguir apresenta o programa de Consulta Onde-se-usa Sumariado:
108

Botão Parâmetros

Botão Estrutura

Botão Item

Botão Descrição
Parâmetros Esta opção permite parametrizar a consulta informando-se:
• Data de corte
• A quantidade projetada de itens
• formato do campo Quantidade e Quantidade Líquida
• Se na consulta deve constar somente os itens fabricados ou
somente os itens acabados.
Notas:
Informada a data de corte, o programa lista somente as estruturas que
se enquadra nos parâmetros indicados, isto é, com data de início
menor ou igual, e com data de término maior que a informada.
A quantidade de componentes mostrada na coluna "Quantidade",
corresponde a um(1) item-pai. Informando uma quantidade diferente de
um(1), esta é multiplicada pela quantidade utilizada na estrutura.

Item Acessa o programa EN0703 Função Consulta Itens.


Estrutura Acessa o programa EN0802 Função Consulta Estrutura
Sumariada.
CAPÍTULO 5 Processo Consultas e Relatórios 109

Nota
Se um componente integra a estrutura pôr mais de uma vez como parte de
um Item-pai, aparecerá na consulta somente uma ocorrência e as suas
quantidades serão somadas.

Função Consulta Ponto Controle


Definição Esta função permite a consulta dos Pontos de Controle definidos para as
operações de fabricação.
Programas EN0724
Descrição Ver detalhes Função Manutenção Ponto Controle

Função Consulta Processo Fabricação Item


Objetivo Efetuar a consulta das operações de fabricação cadastradas para um
determinado item.
Programas EN0707
Descrição Esta consulta mostra em pastas as Operações, Rede Pert, Roteiros, Lista de
Componentes e Processos de fabricação que estão associados ao item. (Ver
detalhes – Função Manutenção do Processo Fabricação do Item).

Função Consulta Roteiro Fabricação


Objetivo Efetuar a consulta dos Roteiros de Fabricação cadastrados para um
determinado item.
Programas EN0713
Descrição Além do roteiro, esta consulta mostra em pastas as operações do roteiro e a
rede pert das operações para o roteiro. (Ver detalhes – Função Roteiro
Fabricação)

Função Consulta Tipo Texto


Objetivo Efetuar a consulta dos Tipos de Textos cadastrados. Apresenta os usuários
que tem permissão para atualização dos textos e usuário que possuem
permissão apenas para leitura.
Programas CD1421
110

Descrição Ver detalhes no Manual de Referência dos Cadastros Gerais EMS 2.00 –
Função Manutenção Tipo Texto

Função Consulta Unidade de Medida


Objetivo Efetuar a consulta das Unidades de Medida cadastradas.
Programas CD1422
Descrição Ver detalhes no Manual de Referência dos Cadastros Gerais EMS 2.00 –
Função Manutenção Unidade de Medida

Função Relatório Centro Custo/Grupo Máquina


Objetivo Emitir um relatório com a lista dos Centros de Custos e seus respectivos
Grupos de Máquina.
Programas CDR010A
Descrição Detalhes, ver Manual de Referência dos Cadastros Gerais, Função Relatório
Centro Custo/Grupo Máquina.

Função Relatório Desenhos


Objetivo Emitir uma listagem dos desenhos cadastrados no sistema.
Programas ENR003

Função Relatório Desenho Itens


Objetivo Emitir um relatório contendo a listagem dos desenhos do item.
Programas ENR004
Descrição A listagem dos desenhos do item pode ser classificada por Item ou por
Desenho.
CAPÍTULO 5 Processo Consultas e Relatórios 111

Exemplo
A figura a seguir apresenta um exemplo do relatório de desenhos de um item
classificado por item:
------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
Industria de Móveis Modelo S/A Fab. I Listagem dos Desenhos do Item Folha: 1
-------------------------------------------------------------------------------------------------------------- 19/10/1999 - 15:30:47

Item Descrição Un
---------------- ------------------------------------------------------------ --
20.10.015 Ventilador VBF - 30 pç

Desenho Descrição Referencia


---------------- ---------------------------------------- ----------------
A1-98002 Ventilador Base Fixa tipo VBF-30
A1-99008 Grade de Proteção modelo GP30
A2-99002 Carcaça do ventilador CV30
A2-99005 Hélice do Ventilador modelo HV30

---------------------------------------------------------------------------------------------------DATASUL - - enr0041 - V:1.00.000

Função Relatório Estrutura Detalhada


Objetivo Emitir um relatório com uma listagem detalhada da estrutura de Itens em nível
único, mostrando também os Itens alternativos.
Programas EN0207
Descrição As informações apresentadas no relatório estão em função dos dados
apresentados nas pastas de função.
Pasta Descrição
Seleção Permite selecionar uma faixa de dados para impressão. Quando não
parametrizados os valores inicial e final o programa lista todo o
conteúdo da estrutura. A seleção dos valores são para os seguintes
campos:
Grupo de Estoque, Família, Item, Descrição, Referência do Item.
Classificação A classificação do relatório pode ser feita pelos seguintes campos:
Grupo Estoque/Item, Família Material/Item e Item.
Para cada campo, pode-se ainda classificar os componentes por
série.
Parâmetros Parametriza a “Data de validade”. Se informada a data de validade, o
programa lista somente as estruturas que estejam enquadradas nos
parâmetros indicados, isto é, com data de início menor ou igual, e
com data de término maior (em relação a data de validade).
Outras parametrizações:
• Listar Narrativas;
• Listar Itens ativos;
• Listar Itens obsoletos para ordens automáticas;
112

Pasta Descrição
• Listar Itens obsoletos para todas as ordens;
• Listar Itens totalmente obsoletos.
Nota
No folder (pasta) Impressão, existe a opção de imprimir ou não a
Página de Parâmetros.

Digitação Esta opção permite informar somente os itens que devem aparecer
no relatório, mostrando a data de validade de cada item listado.
Quando digitado algum item, as opções "Seleção" e "Parâmetros"
são ignoradas pelo programa.
Nesta opção, é informada a data de corte de cada item. (é possível
informar itens com datas de corte diferentes).

Exemplo
Na figura a seguir, apresenta-se o exemplo da emissão de um relatório de
estrutura detalhado:
------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
ABC FABR DE EMBAL PLASTICAS LTDA Estrutura Detalhada Folha: 1
-------------------------------------------------------------------------------------------------------------- 19/10/1999 - 15:13:27

Grupo Estoque: 01 - MATERIAS PRIMAS TERCS

Item: 20.10.010 - Grade de proteção para ventilador modelo GP30 pç


-

Seq Componente Descrição Revisão Oper


Quantidade Perda Prop Qtde Liquida Ref Un Observação
Local Montagem Ser Inic Ser Fim Início Término
----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
10 10.40.001 Arame de aço 1,5 mm 0
0,2000000000 0,00 100,00 0,2000000000 kg
14/10/1999 31/12/9999

----- ALTERNATIVOS DO COMPONENTE -----


Ordem Alternativo Descrição Perda Quantidade Un
Observação
----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
10 10.40.002 Arame de aço 2,0 mm 0,00 0,2000000000 kg

-------------------------------------------------------------------------------------DATASUL - ENGENHARIA - EN0207RP - V:2.00.00.007

Função Relatório Estrutura Modelos


Objetivo Emitir uma listagem das estruturas de modelo cadastradas no sistema.
Programas ENR002
CAPÍTULO 5 Processo Consultas e Relatórios 113

Função Relatório Estrutura Nível à Nível


Objetivo Emitir um relatório que lista todos os itens de uma estrutura, de nível a nível,
mostrando o nível a que cada item pertence.
Programas EN0205
Descrição As informações apresentadas no relatório estão em função dos dados
apresentados nas pastas de função.
Pasta Descrição
Seleção Permite selecionar uma faixa de dados para impressão. Quando não
parametrizados os valores inicial e final o programa lista todo o
conteúdo da estrutura. A seleção dos valores são para os seguintes
campos:
Grupo de Estoque, Família, Item, Descrição, Referência do Item.
Classificação A classificação dos campos é idêntica a utilizada no relatório Onde-
se-Usa Nível Único – Pasta Classificação.
Parâmetros Parametriza a “Data de validade”. Se informada a data de validade, o
programa lista somente as estruturas que estejam enquadradas nos
parâmetros indicados, isto é, com data de início menor ou igual, e
com data de término maior (em relação a data de validade).
Outras parametrizações:
• Níveis a mostrar: Informa-se até qual o nível da estrutura se
deseja emitir o relatório. O nível máximo é 19.
• Lista Itens sem componentes;
• Lista Narrativas;
• Lista um Item por página;
• Lista Descrição do componente;
• Tipo do relatório: Resumido ou detalhado.
Nota
No folder (pasta) Impressão, existe a opção de imprimir ou não a
Página de Parâmetros.

Digitação Esta opção permite informar somente os itens que devem aparecer
no relatório, mostrando a data de validade de cada item listado.
Quando digitado algum item, as opções "Seleção" e "Parâmetros"
são ignoradas pelo programa.
Nesta opção, é informada a data de corte de cada item. (é possível
informar itens com datas de corte diferentes).
114

Exemplo
Considera-se a seguinte estrutura de produto:

A Nível 0

B C Nível 1

D E Nível 2

F G Nível 3

O programa monta o seguinte demonstrativo:


Nível Componente Qtde Qtde Usada Perda (%) Qtde Liquida
1 B 2 2
2 D 0,5 1 10 0,8
2 E 3 6
3 F 2 12 5 11,4
3 G 1 6
1 C 5 5

Nota
• A quantidade do componente é de acordo com o que foi cadastrado na
estrutura (programa EN0105)
• A quantidade usada, é em relação ao item pai.
• A quantidade líquida é a diferença entre a quantidade usada menos a
perda.
CAPÍTULO 5 Processo Consultas e Relatórios 115

Exemplo
------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
WIND Ventiladores Estrutura Nível a Nível Folha: 1
-------------------------------------------------------------------------------------------------------------- 16/12/1999 - 15:23:14

Grupo Estoque: 01 - MATERIAS PRIMAS TERCS

Nível Compon/Desc Un Quant Usada Perda Prop Qtde Liquida Início Término
---------------- ---------------- -- ------------------ ----- ------ ------------------ ---------- ----------

Item: 20.10.015 Ventilador VBF - 30 - pç


1 C 20.10.001 pç 1,0000000000 0,00 100,00 1,0000000000 06/10/1999 31/12/9999
Motor elétrico 150 W
1 C 20.10.004 pç 1,0000000000 0,00 100,00 1,0000000000 06/10/1999 31/12/9999
Carcaça para ventilador modelo CV30
1 C 20.10.007 pç 1,0000000000 10,00 100,00 0,9000000000 06/10/1999 31/12/9999
Hélice para ventilador modelo HV30
1 F 20.10.010 pç 1,0000000000 0,00 100,00 1,0000000000 06/10/1999 31/12/9999
Grade de proteção para ventilador modelo GP30
2 CA 10.40.001 kg 0,2000000000 0,00 100,00 0,2000000000 14/10/1999 31/12/9999
Arame de aço 1,5 mm
1 C 20.10.013 pç 4,0000000000 10,00 100,00 3,6000000000 06/10/1999 31/12/9999
Parafuso cabeça redonda M3 x 10

-------------------------------------------------------------------------------------DATASUL - ENGENHARIA - EN0205RP - V:2.00.00.008

Função Relatório Estrutura em Nível Único


Objetivo Emitir um relatório que lista os itens do primeiro nível imediatamente inferior
de uma Estrutura.
Programa EN0204
Descrição Na estrutura representada a seguir, cujo item A é composto de B e C , e
sendo B composto de D e E, o programa lista a composição de B e C.

B C

D E

As informações apresentadas no relatório estão dispostos em pastas de


função:
Pastas Descrição
Seleção Permite selecionar uma faixa de dados para impressão. Quando não
parametrizados os valores inicial e final o programa lista todo o
116

Pastas Descrição
conteúdo da estrutura. A seleção dos valores são para os seguintes
campos:
Grupo de Estoque, Família, Item, Descrição, Referência do Item,
Informações Complementares e Data de Implantação.
Classificação A classificação dos campos é idêntica a utilizada no relatório Onde-
se-Usa Nível Único – Pasta Classificação.
Parâmetros Parametriza a “Data de validade”. Se informada a data de validade, o
programa lista somente as estruturas que estejam enquadradas nos
parâmetros indicados, isto é, com data de início menor ou igual, e
com data de término maior (em relação a data de validade).
Outras parametrizações:
• Lista Itens sem componentes;
• Lista Narrativas;
• Lista um Item por página;
• Lista Descrição do componente.
Nota
No folder (pasta) Impressão, existe a opção de imprimir ou não a
Página de Parâmetros.

Digitação Esta opção permite informar somente os itens que devem aparecer
no relatório, mostrando a data de validade de cada item listado.
Quando digitado algum item, as opções "Seleção" e "Parâmetros"
são ignoradas pelo programa.
Nesta opção, é informada a data de corte de cada item. (é possível
informar itens com datas de corte diferentes).
CAPÍTULO 5 Processo Consultas e Relatórios 117

Função Relatório Estrutura Sumariada


Objetivo Emitir a listagem sumariada de todos os itens de uma estrutura.
Programas EN0206
Descrição Em uma listagem de Estrutura sumariada deve-se observar os seguintes
pontos:
• Leva-se em consideração os níveis a que pertencem os Itens;
• Os itens são listados uma única vez;
• As quantidades são somadas sempre que aparecem em mais de um nível
da estrutura.
Nota A quantidade de itens somados e mostrados nas listagem sumariadas
de estrutura refere-se ao total necessário para produzir um item-pai.

Exemplo

B C

D E C

O componentes “A” é composto de 5 “B” e 4 “C”.


O componente “B” é composto por 3 “D”, 6 “E” e 2 “C”.
O programa mostra o seguinte demonstrativo:
Item Componente Qtde
A B 5
C 14
D 15
E 30
118

As informações apresentadas no relatório estão em função dos dados


apresentados nas pastas de função.
Pasta Descrição
Seleção Permite selecionar uma faixa de dados para impressão. Quando não
parametrizados os valores inicial e final, programa lista todo o
conteúdo da estrutura. A seleção dos valores são para os seguintes
campos:
Grupo de Estoque, Família, Item, Descrição, Referência do Item.
Classificação A classificação dos campos é idêntica a utilizada no relatório Onde-
se-Usa Nível Único – Pasta Classificação.
Parâmetros Parametriza a “Data de validade”. Se informada a data de validade, o
programa lista somente as estruturas que estejam enquadradas nos
parâmetros indicados, isto é, com data de início menor ou igual, e
com data de término maior (em relação a data de validade).
Outras parametrizações:
• Níveis a mostrar: Informa-se até qual o nível da estrutura se
deseja emitir o relatório. O nível máximo é 19.
• Item comprado;
• Item Fabricado;
• Separar Fantasmas;
• Listar Narrativas;
• Quantidade: Refere-se a quantidade do item pai.
Nota
No folder (pasta) Impressão, existe a opção de imprimir ou não a
Página de Parâmetros.

Digitação Esta opção permite informar somente os itens que devem aparecer
no relatório, mostrando a data de validade de cada item listado.
Quando digitado algum item, as opções "Seleção" é ignorada pelo
programa.
Nesta opção, é informada a data de corte de cada item. (é possível
informar itens com datas de corte diferentes).
CAPÍTULO 5 Processo Consultas e Relatórios 119

Função Relatório Família Materiais


Objetivo Emitir uma listagem com as informações implementadas no programa de
Família de Materiais.
Programas CD0502
Descrição Para a geração do relatório pode-se selecionar uma faixa de famílias, e
parametrizar se deseja imprimir as respectivas folhas de especificação de
cada família.
Exemplo
A figura a seguir apresenta um exemplo da geração de uma listagem das
famílias cadastradas:
------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
ABC FABR DE EMBAL PLASTICAS LTDA Listagem das Famílias de Material Folha: 1
-------------------------------------------------------------------------------------------------------------- 19/10/1999 - 11:13:24

Família Descrição UNP Descrição


-------- ------------------------------ --- ---------------
99996 SP - SERVIÇOS PÚBLICOS UN Unidades
99997 CONTRATOS UN Unidades
99998 RH - RECURSOS HUMANOS UN Unidades
99999 DIVERSOS UN Unidades
CAR Carcaça de Ventiladores pç PECA
EM105 EMBALAGENS - DANONE UN Unidades
EM205 EMBALAGENS - NESTLE UN Unidades
EM305 EMBALAGENS PAULISTA UN Unidades
EM405 EMBALAGENS - RECPLASTE UN Unidades
GRP Grade de Proteção de Ventilado pç PECA
HEL Hélices de Ventiladores pç PECA
MB104 RESINAS/MASTER BATCH - DANONE KG KILOGRAMA
MB204 RESINAS/MASTER BATCH NESTLE KG KILOGRAMA
MB304 RESINAS/MASTER BATCH PAULISTA KG KILOGRAMA
MB404 RESINAS/MASTER BATCH RECPLASTE KG KILOGRAMA
MTE Motores Elétricos pç PECA
PA01 PRODUTO ACABADO - 200 - DANONE UN Unidades
PA02 PRODUTO ACABADO PSG - DANONE KG KILOGRAMA

-------------------------------------------------------------------------------------DATASUL - CADASTRO - cd0502rp - V:02.01.00.002


120

Função Relatório Ferramentas Produção


Objetivo Emitir um relatório com a lista das ferramentas cadastradas utilizadas na
produção.
Programas CDR019A
Descrição Para a geração do relatório, o programa permite selecionar uma faixa para de
ferramentas para serem listadas.
Exemplo
A figura a seguir apresenta um exemplo da geração de uma listagem das
ferramentas da produção cadastradas:
------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
Industria de Móveis Modelo S/A Fab. I Listagem de Ferramenta de Produção Folha: 1
-------------------------------------------------------------------------------------------------------------- 19/10/1999 - 11:21:59

Ferramenta Descrição Item Descrição do Item


---------------- ---------------------------------------- ---------------- ---------------------------------------------------------
100 MOLDE FRASCO VEJA MULTI USO 500 ML 100 MOLDE FRASCO VEJA MULTI USO 500 ML
100/101 CONJUNTO 100/101 - FRASCO VMU 500
101 MOLDE FRASCO VEJA MULTI USO 500 ML 101 MOLDE FRASCO VEJA MULTI USO 500 ML
102 MOLDE FRASCO VEJA MULTI USO 500 ML 102 MOLDE FRASCO VEJA MULTI USO 500 ML
103 MOLDE FRASCO VEJA MULTI USO 500 ML 103 MOLDE FRASCO VEJA MULTI USO 500 ML
104 MOLDE FRASCO VEJA MULTI USO 500 ML 104 MOLDE FRASCO VEJA MULTI USO 500 ML
200 Porta ferramenta para usinagem 10.01.020 Porta ferramenta para usinagem
210 Dispositivo para corte de tubos de aço 10.20.040 Dispositivo para corte de tubos de aço
97/98 CONJUNTO 97/98 VMC 500
98 MOLDE FRASCO VEJA MULTI USO 500 ML 98 MOLDE FRASCO VEJA MULTI USO 500 ML
98/99 CONJUNTO 98/99 VMU 500
99 MOLDE FRASCO VEJA MULTI USO 500 ML 99 MOLDE FRASCO VEJA MULTI USO 500 ML

---------------------------------------------------------------------------------------------------DATASUL - - cdr0191 - V:1.00.000

Função Relatório Grupo Estoque


Objetivo Emitir um relatório dos grupos de estoque cadastrados.
Programas CDr020
Descrição Detalhes, ver Manual de Referência dos Cadastros Gerais, Função Relatório
Grupo Estoque.

Função Relatório Itens


Objetivo Emitir relatórios com as diversas informações implementadas no programa de
Catálogos de Itens.
Programas CD0503
Descrição Detalhes, ver Manual de Referência dos Cadastros Gerais, Função Relatório
Itens.
CAPÍTULO 5 Processo Consultas e Relatórios 121

Função Relatório Lista Componentes


Objetivo Emitir um relatório contendo as Listas de Componentes cadastradas no
sistemas com os respectivos componentes.
Programas EN0610
Descrição As informações apresentadas no relatório estão em função dos dados
apresentados nas pastas de função.
Pasta Descrição
Seleção Esta opção permite selecionar uma faixa de dados para
impressão. Quando não parametrizados os valores inicial e final,
o programa lista todo o conteúdo do cadastro.
O campo para seleção: Lista de Componente.
Parâmetros Informar se na geração do relatório deve-se imprimir:
• Componentes da lista;
• Onde-se-Usa Lista.

Função Relatório Modelos


Objetivo Emitir uma listagem dos modelos cadastrados no sistema.
Programas ENR001
Descrição O relatório pode ser classificado por Modelo ou Modelo/Descrição detalhada.

Função Relatório Onde-se-Usa Detalhado


Objetivo Emitir um relatório detalhado da Estruturas de itens, em nível único,
mostrando também os Itens alternativos.
Programas EN0211
Descrição As informações apresentadas no relatório estão dispostos em pastas de
função:
Pasta Descrição
Seleção A seleção dos campos é idêntica a utilizada no relatório Onde-se-Usa
Nível Único – Pasta Seleção.
Classificação A classificação dos campos é idêntica a utilizada no relatório Onde-
se-Usa Nível Único – Pasta Classificação.
Parâmetros Parametriza a “Data de validade”. Se informada a data de validade, o
122

Pasta Descrição
programa lista somente as estruturas que estejam enquadradas nos
parâmetros indicados, isto é, com data de início menor ou igual, e
com data de término maior (em relação a data de validade).
Nota
No folder (pasta) Impressão, existe a opção de imprimir ou não a
Página de Parâmetros.

Digitação Esta opção permite informar somente os itens que devem aparecer
no relatório, mostrando a data de validade de cada item listado.
Quando digitado algum item, as opções "Seleção" e "Parâmetros"
são ignoradas pelo programa.
Nesta opção, é informada a data de corte de cada item. (é possível
informar itens com datas de corte diferentes).

Exemplo
A figura a seguir apresenta um exemplo do relatório gerado Onde-se-Usa
Detalhado:
------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
GRUPO EMPRESARIAL - TABAJARA MOVEIS S/A Onde-se-usa Detalhado Folha: 1
-------------------------------------------------------------------------------------------------------------- 12/08/1999 - 03:47:02

Grupo Estoque: 21 - PRODUTO FABRICACAO MADEIRA


Item: 10.021 - Assento de banco vermelho

Seq Item Descrição Revisão Oper Quantidade Perda


Prop Qtde Liquida Un Observação
Local Montagem Ser Inic Ser Fim Início Término
----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
10 10.060 Banco Vermelho 0 1,0000000000 0,00
100,00 1,0000000000 Un
01/01/1999 31/12/9999

Item: 10.171 - Pe de cadeira vermelha

Seq Item Descrição Revisão Oper Quantidade Perda


Prop Qtde Liquida Un Observação
Local Montagem Ser Inic Ser Fim Início Término
----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
20 10.060 Banco Vermelho 0 1,0000000000 0,00
100,00 1,0000000000 Un
01/01/1999 31/12/9999

-------------------------------------------------------------------------------------DATASUL - ENGENHARIA - EN0211RP - V:2.00.00.008

Função Relatório Onde-se-Usa Nível à Nível


Objetivo Emitir um relatório que lista onde se usa o componente, mostrando o nível a
que pertence.
Programas EN0209
CAPÍTULO 5 Processo Consultas e Relatórios 123

Descrição As informações apresentadas no relatório estão dispostos em pastas de


função:
Pasta Descrição
Seleção A seleção dos campos é idêntica a utilizada no relatório Onde-se-Usa
Nível Único – Pasta Seleção.
Classificação A classificação dos campos é idêntica a utilizada no relatório Onde-
se-Usa Nível Único – Pasta Classificação.
Parâmetros Nesta pasta podem ser parametrizados:
• Data de validade: Se informada a data de validade, o programa
lista somente as estruturas que estejam enquadradas nos
parâmetros indicados, isto é, com data de início menor ou igual,
e com data de término maior (em relação a data de validade).
• Níveis a mostrar: Quantidade de níveis da estrutura que ser
listada. No máximo 19.
• Tipo da listagem: Resumida ou detalhada.
Nota
No folder (pasta) Impressão, existe a opção de imprimir ou não a
Página de Parâmetros.

Digitação Esta opção permite informar somente os itens que devem aparecer
no relatório, mostrando a data de validade de cada item listado.
Quando digitado algum item, as opções "Seleção" e "Parâmetros"
são ignoradas pelo programa.
Nesta opção, é informada a data de corte de cada item. (é possível
informar itens com datas de corte diferentes).

Nota
No folder (pasta) Impressão, existe a opção de imprimir ou não a Página de
Parâmetros.
124

Exemplo
A figura a seguir apresenta um exemplo do relatório gerado nível a nível:
------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
GRUPO EMPRESARIAL - TABAJARA MOVEIS S/A Onde se usa Nível a Nível Folha: 1
-------------------------------------------------------------------------------------------------------------- 12/08/1999 - 03:37:38

Grupo Estoque: 21 - PRODUTO FABRICACAO MADEIRA

Nível Componente Un Quant Usada Perda Prop Qtde Liquida Início Término
Descrição
----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
Item: 10.021 Un
Assento de banco vermelho

X 10.060 Un 1,0000000000 0,00 100,00 1,0000000000 01/01/1999 31/12/9999


Banco Vermelho

Item: 10.171 Un
Pe de cadeira vermelha

X 10.060 Un 1,0000000000 0,00 100,00 1,0000000000 01/01/1999 31/12/9999


Banco Vermelho

-------------------------------------------------------------------------------------DATASUL - ENGENHARIA - EN0209RP - V:2.00.00.007

Função Relatório Onde-se-Usa Nível único


Objetivo Emitir listagens em nível único(imediatamente superior), de todos os itens
referenciados no "Onde-se-usa".
Programas EN0208
Descrição As informações apresentadas no relatório estão dispostos em pastas de
função:
Pasta Descrição
Seleção Detalhes, ver pasta Seleção.
Classificação Detalhes, ver pasta Classificação.
Parâmetros Parametriza a “Data de validade”. Se informada a data de validade, o
programa lista somente as estruturas que estejam enquadradas nos
parâmetros indicados, isto é, com data de início menor ou igual, e
com data de término maior (em relação a data de validade).
Nota
No folder (pasta) Impressão, existe a opção de imprimir ou não a
Página de Parâmetros.

Digitação Esta opção permite informar somente os itens que devem aparecer
no relatório, mostrando a data de validade de cada item listado.
Quando digitado algum item, as opções "Seleção" e "Parâmetros"
são ignoradas pelo programa.
Nesta opção, é informada a data de corte de cada item. (é possível
CAPÍTULO 5 Processo Consultas e Relatórios 125

Pasta Descrição
informar itens com datas de corte diferentes).
Exemplo

B C

D E
Para uma determinada estrutura A, composta de B e C , e sendo B
composto de D e E, ao ser informado para listagem o item B, o
programa lista somente o item-pai B.
126

Pasta Seleção
Permite selecionar uma faixa de dados para impressão. Quando não
parametrizados os valores inicial e final, o programa lista todo o conteúdo da
estrutura.
CAPÍTULO 5 Processo Consultas e Relatórios 127

Pasta Classificação
Cada relatório fornece opções que servem para ordenação das informações,
cuja classificação pode ser por Grupo Estoque/Item, Família Material/Item e
Item.
128

Exemplo
A figura a seguir apresenta um exemplo de um relatório gerado “Onde-se-Usa
Nível Único”:
------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
ABC FABR DE EMBAL PLASTICAS LTDA Onde se usa em Nível Único Folha: 1
-------------------------------------------------------------------------------------------------------------- 19/10/1999 - 11:36:14

Grupo Estoque: 01 - MATERIAS PRIMAS TERCS

Componente Descrição Un
Seq Item Descrição Un Quantidade Perda Prop Qtde Liquida Início Término
-----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
20.10.001 Motor elétrico 150 W pç
10 20.10.014 Pedestal para ventilador bas pç 1,0000000000 0,00 100,00 1,0000000000 13/10/1999 31/12/9999

10 20.10.015 Ventilador VBF - 30 pç 1,0000000000 0,00 100,00 1,0000000000 06/10/1999 31/12/9999

20.10.003 Motor elétrico 500 W pç


ITEM NÃO É USADO

MB104/0100/03 CROMEX BR21907 KG


10 I403/0130/DTC FRASCO 500 ML DESTAC UN 0,0000003000 0,00 100,00 0,0000003000 07/05/1999 31/12/1999

Grupo Estoque: 01 - MATERIAS PRIMAS TERCS

Componente Descrição Un
Seq Item Descrição Un Quantidade Perda Prop Qtde Liquida Início Término
-----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
MB104/0301/03 CROMEX AZ23060 KG
ITEM NÃO É USADO

MB104/0402/03 CROMEX VE22816 KG


ITEM NÃO É USADO

-------------------------------------------------------------------------------------DATASUL - ENGENHARIA - EN0208RP - V:2.00.00.008

Nota
Legenda de Atributos da Relação:
# - item comprado com relação fantasma.
d - data da estrutura invalida para o dia de hoje (quando informado "?", em
vez da data de corte).
F - indica que o item tem relação fantasma.
A - item com componente alternativo.

Função Relatório Onde-se-Usa Sumariado


Objetivo Este relatório emite as listagens sumariadas de todos os itens de uma
estrutura.
Programas EN0210
Descrição Para o relatório do tipo sumariado, se determinado componente fizer parte ou
aparecer em uma mesma estrutura pôr mais de uma vez, são somadas as
CAPÍTULO 5 Processo Consultas e Relatórios 129

quantidades utilizadas para “n” Item-pai e mostrado o componente uma só vez


na consulta.
As informações apresentadas no relatório estão dispostos em pastas de
função:
Pasta Descrição
Seleção A seleção dos campos é idêntica a utilizada no relatório Onde-se-Usa
Nível Único – Pasta Seleção.
Classificação A classificação dos campos é idêntica a utilizada no relatório Onde-
se-Usa Nível Único – Pasta Classificação.
Parâmetros Nesta pasta podem ser parametrizados:
• Data de validade: Se informada a data de validade, o programa
lista somente as estruturas que estejam enquadradas nos
parâmetros indicados, isto é, com data de início menor ou igual,
e com data de término maior (em relação a data de validade).
• Quantidade: Informa-se a quantidade de itens pais para a
geração da estrutura.
• Somente acabados: Informa-se se na listagem da estrutura
somente devem aparecer os itens acabados.
Nota
No folder (pasta) Impressão, existe a opção de imprimir ou não a
Página de Parâmetros.

Digitação Esta opção permite informar somente os itens que devem aparecer
no relatório, mostrando a data de validade de cada item listado.
Quando digitado algum item, as opções "Seleção" e "Parâmetros"
são ignoradas pelo programa.
Nesta opção, é informada a data de corte de cada item. (é possível
informar itens com datas de corte diferentes).

Nota
No folder (pasta) Impressão, existe a opção de imprimir ou não a Página de
Parâmetros.
130

Exemplo
A figura a seguir apresenta um exemplo do relatório gerado Onde-se-Usa
sumariado:
------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
GRUPO EMPRESARIAL - TABAJARA MOVEIS S/A Onde se usa Sumarizado Folha: 1
-------------------------------------------------------------------------------------------------------------- 12/08/1999 - 03:20:00

Grupo Estoque: 21 - PRODUTO FABRICACAO MADEIRA

Componente Descrição Un
Item Descrição Un Quantidade Qtde Liquida
----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

10.021 Assento de banco vermelho Un


10.060 Banco Vermelho Un 1,0000000000 1,0000000000

10.171 Pe de cadeira vermelha Un


10.060 Banco Vermelho Un 1,0000000000 1,0000000000

-------------------------------------------------------------------------------------DATASUL - ENGENHARIA - EN0210RP - V:2.00.00.006

Função Relatório Operações


Objetivo Emitir uma listagem sumariada das operações de fabricação cadastradas.
Programas EN0602
Descrição As informações apresentadas no relatório estão em função dos dados
apresentados nas pastas de função.
Pasta Descrição
Seleção Detalhes, ver Pasta Seleção.
Classificação Detalhes, ver Pasta Classificação.
Parâmetros Detalhes, ver Pasta Parâmetros.
Digitação Esta opção permite informar somente os itens que devem aparecer
no relatório, mostrando a data de validade de cada item listado.
Quando digitado algum item, as opções "Seleção" e "Parâmetros"
são ignoradas pelo programa.
Nesta opção, é informada a data de corte de cada item. (é possível
informar itens com datas de corte diferentes).

Pasta Seleção
Esta opção permite selecionar uma faixa de dados para impressão. Quando
não parametrizados os valores inicial e final o programa lista todo o conteúdo
do cadastro das operações.
CAPÍTULO 5 Processo Consultas e Relatórios 131

A figura a seguir apresenta a pasta Seleção com os campos utilizados para


selecionar o relatório:

Pasta Classificação
Cada relatório fornece opções que servem para ordenação das informações,
onde o resultado define a forma de apresentação.
• A figura a seguir apresenta a pasta Classificação que constam os campos
pelo qual o relatório pode ser ordenado:
132
CAPÍTULO 5 Processo Consultas e Relatórios 133

Pasta Parâmetros
A figura a seguir, apresenta a pasta Parâmetros contento os campos que
devem ser parametrizados para a geração do relatório.

Se informada uma data de validade, o programa lista somente as operações


que se enquadram no parâmetro indicado, isto é, as operações com data de
início menor ou igual, e com data de término maior (em relação a data de
validade) que a data informada.

Função Relatório Operação Padrão


Objetivo Emitir um relatório com as operações padrão cadastradas no sistema.
Programas CDR001
Descrição Na emissão do relatório das operações padrão pode-se classificar por
Operação com Narrativa sem Ferramentas e por Operação Padrão.
134

As informações apresentadas no relatório estão em função dos dados


apresentados nas pastas de função.
Pasta Descrição
Seleção Esta opção permite selecionar uma faixa de dados para
impressão. Quando não parametrizados os valores inicial e final,
o programa lista todo o conteúdo do cadastro.
O campos para seleção são: Operação Padrão e Mão de Obra Direta.
Parâmetros Informar se na geração do relatório deve-se imprimir a narrativa da
operação.

Função Relatório Operações Roteiro


Objetivo Emitir um relatório que lista as operações de fabricação vinculadas a um
determinado roteiro.
Programas ENR009A
Descrição Na emissão do relatório das operações do roteiro de fabricação pode-se
classificar por Roteiro ou Roteiro com Narrativa.
As informações apresentadas no relatório estão em função dos dados
apresentados nas pastas de função.
Pasta Descrição
Seleção Esta opção permite selecionar uma faixa de dados para
impressão. Quando não parametrizados os valores inicial e final,
o programa lista todo o conteúdo do cadastro.
Parâmetros • Data de Corte: Deve-se informar até qual data deseja emitir o
relatório;
• Lista itens alternativos;
• Lista Roteiros sem operações.

Função Relatório Operações Roteiro Detalhado


Objetivo Emitir um relatório que lista as operações de fabricação detalhadas vinculadas
a um determinado roteiro.
Programas ENR010A
CAPÍTULO 5 Processo Consultas e Relatórios 135

Descrição Na emissão do relatório das operações do roteiro detalhado de fabricação


pode-se classificar por Roteiro com Ferramenta, Roteiro com Ficha de
Operações e Roteiro com Ficha de Método.
As informações apresentadas no relatório estão em função dos dados
apresentados nas pastas de função.
Pasta Descrição
Seleção Esta opção permite selecionar uma faixa de dados para
impressão. Quando não parametrizados os valores inicial e
final, o programa lista todo o conteúdo do cadastro.
Parâmetros • Data de Corte: Deve-se informar até qual data deseja emitir o
relatório;
• Lista Roteiros sem operações;
• Lista operações sem Ferramentas;
• Listar as operações Alternativas.

Função Relatório Parâmetros do Item


Objetivo Emitir o relatórios de Parâmetros dos Itens,
Programas EN0212
Descrição As informações apresentadas no relatório estão em função dos dados
apresentados nas pastas de função.
Pasta Descrição
Seleção Esta opção permite selecionar uma faixa de dados para
impressão. Quando não parametrizados os valores inicial e
final, o programa lista todo o conteúdo do cadastro.
O campos para seleção são: Item e Família.
Parâmetros È parametrizado se na emissão do relatório deve-se imprimir apenas
os Itens com listas de Componentes.
Digitação Esta opção permite informar somente os itens que devem aparecer no
relatório, mostrando a data de validade de cada item listado.
Quando digitado algum item, as opções "Seleção" e "Parâmetros" são
ignoradas pelo programa.
136

Exemplo
A figura a seguir apresenta um exemplo do relatório gerado dos Parâmetros
do Item:
------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
RECPLASTE FABR DE EMBAL PLASTICAS LTDA Relatório Parâmetros Itens Folha: 1
-------------------------------------------------------------------------------------------------------------- 20/10/1999 - 16:00:13

Item: T207/0711/TVD - TAMPA 1000 ML NESTLE VERDE

Seq Erro Mensagem


---------- ---------- --------------------------------------------------------------------------------
1 8.343 Item sem roteiros ou operações cadastradas

Item: 102 - MOLDE FRASCO VEJA MULTI USO 500 ML

Seq Erro Mensagem


---------- ---------- --------------------------------------------------------------------------------
1 8.343 Item sem roteiros ou operações cadastradas
2 17.832 Soma das Proporções dos Processos do Item não fecha em 100%.

Item: 20.10.010 - Grade de proteção para ventilador modelo GP30

Seq Erro Mensagem


---------- ---------- --------------------------------------------------------------------------------
1 8.343 Item sem roteiros ou operações cadastradas

Item: 20.10.015 - Ventilador VBF - 30

Seq Erro Mensagem


---------- ---------- --------------------------------------------------------------------------------
1 8.343 Item sem roteiros ou operações cadastradas

Item: 20.10.050 - Grade de proteção para ventilador modelo GP40

Seq Erro Mensagem


---------- ---------- --------------------------------------------------------------------------------
1 8.343 Item sem roteiros ou operações cadastradas

--------------------------------------------------------------------------------------------DATASUL - ENP - EN0212RP - V:2.00.00.000

Função Relatório Processo Fabricação Item


Objetivo Emitir o relatórios de estruturas de Itens, mostrando todas as operações
vinculadas.
Programas EN0606
Descrição As informações apresentadas no relatório estão em função dos dados
apresentados nas pastas de função.
Pasta Descrição
Seleção Esta opção permite selecionar uma faixa de dados para
impressão. Quando não parametrizados os valores inicial e final,
o programa lista todo o conteúdo do cadastro.
O campos para seleção são: Grupo de Estoque, Família e Item.
Digitação Esta opção permite selecionar uma faixa de dados para
impressão. Quando não parametrizados os valores inicial e final,
o programa lista todo o conteúdo do cadastro.
CAPÍTULO 5 Processo Consultas e Relatórios 137

Pasta Descrição
Parâmetros Ver detalhes, Pasta Parâmetros.

Pasta Parâmetros
Somente são consideradas as estruturas que se enquadram na data de corte,
isto é, que tenham data de início igual ou menor ; e quando a data de término
da estrutura for maior que a de corte.
Igualmente, são consideradas somente as operações que se enquadram na
data de corte, isto é, que tenham data de início igual ou menor que a de corte,
e quando a de término da estrutura for maior que a de corte.
A figura a seguir apresenta os demais campos que devem ser parametrizados
para a geração do relatório:

Nota
Na quebra de página do item, o relatório deve mudar de página quando o
item-pai mudar.
139

CAPÍTULO 6

Dúvidas Mais Freqüentes

Como se dá a interface Datasul EMS X AutoCAD?


A interface Datasul EMS/AutoCAD é gerada através da IBD (Interface com
Banco de Dados), e cria no AutoCAD um ambiente que permite acessar a
base de dados do Datasul EMS, com a finalidade de consultar e atualizar
informações sobre o produto.
No momento da confecção do desenho no AutoCAD, automaticamente são
gerados no Datasul EMS: o desenho, revisão, itens do desenho e folha, tudo
a partir do próprio desenho, dispensando a redigitação.
Com a utilização desta ferramenta, o usuário do AutoCAD pode:
• Consultar dados referentes à estrutura do produto;
• Consultar itens por código do produto, família ou grupo de estoque;
• Consultar unidades de medida;
• Gerar a estrutura do produto no Datasul EMS, com base na estrutura de
desenho do AutoCAD;
• Gerar o cadastro de desenhos do AutoCAD, conforme a base de dados
do Datasul EMS.
Notas
• Através do programa de Parâmetros da Engenharia é definido o caminho
onde os desenhos estão armazenados para consulta.
140

• A interface Datasul EMS/AutoCAD é uma ferramenta desenvolvida pela


SKA Automação Industrial, que deve ser contatada para maiores
informações.
• Endereço da SKA Automação:
SKA Automação Industrial Ltda.
Rua Marquês do Herval, 501
93010-200 São Leopoldo (RS) – Brasil
Fone/Fax: (051) 591-1177

Como se dá a interface Datasul EMS X AutoManager ?

Possibilita aos usuários do Datasul EMS a visualização de projetos criados no


AutoCAD ou outros softwares que utilizem o mesmo padrão para a confecção
de desenhos.
Para consultar os desenhos através do Datasul EMS, o usuário informa o
desenho, a revisão e a folha que pretende visualizar. O desenho selecionado
é exibido automaticamente na tela do computador. Isto é possível porque o
Datasul EMS realiza uma chamada direta ao software Automanager, via
menu.
A interface Datasul EMS/Automanager possibilita aos usuários:
• Acessar diretamente (via menu) os desenhos dos produtos cadastrados
na Engenharia;
• Visualizar os desenhos em qualquer ponto da empresa;
• Acessar diretamente os desenhos revisados e atualizados, evitando
qualquer tipo de distorção no projeto;
• Visualizar, imprimir e plotar os desenhos;
Notas
• Através do programa de Parâmetros da Engenharia é definido o caminho
onde os desenhos estão armazenados para consulta.
• A interface Datasul EMS/AutoManager é uma ferramenta desenvolvida
pela SKA Automação Industrial, que deve ser contatada para maiores
informações.
Endereço da SKA Automação:
SKA Automação Industrial Ltda.
Rua Marquês do Herval, 501
CAPÍTULO 6 Dúvidas Mais Freqüentes 141

93010-200 São Leopoldo (RS) – Brasil


Fone/Fax: (051) 591-1177

Qual o objetivo da Rede Pert?


Resposta: A rede pert define a seqüência em que as operações serão
executadas.
A rede pert é utilizada no reporte por operação e ponto de controle de forma
que o sistema controle qual a operação que o usuário pode reportar, ou seja,
não será permitido reportar uma operação sem que a sua predecessora tenha
sido reportada.(Detalhes ver Função Manutenção Operações de Fabricação:
Pasta Rede Pert.)

Como tratar Operações Simultâneas?


Resposta: Caso necessário cadastrar operações simultâneas deverá ser
cadastrada a rede pert do item.
Exemplo
+--- OP-20 ---+
OP-10 ---+ +--- OP 40
+--- OP-30 ---+
Onde: as operações 20 e 30 são simultâneas e devem ser realizadas após a
operação 10. Sendo que a operação 40 somente pode ser feita quando as
operações 20 e 30 terminarem.

Notas:
• O cadastro de operações simultâneas, através da rede pert será valido
somente para reporte por operações ou reporte por ponto de controle.
• No cadastro de operações da engenharia existem dois campos: número
de operações simultâneas e fator de sobreposição, que são
documentacionais para o sistema. Estes campos não irão influenciar o
sistema no momento do reporte.
142

Como eliminar itens com movimento?


Resposta: O sistema não permite a eliminação de Itens com movimentos.
Para uma completa eliminação de itens do sistema, o cliente deve proceder a
eliminação dos seguintes relacionamentos e registros dos itens nos módulos
respectivos:
Relacionamentos/Registros Módulo
Desenho Engenharia
Estrutura Engenharia
Código Alternativo Engenharia
Operação Engenharia
Estrutura de modelo Engenharia
Cotação Compras
Relação Item X Fornecedor Compras
Ordem de Compra Compras
Recebimento Recebimento
Ordem de produção Produção/Manutenção
Reserva Produção
Preço Pedidos
Pedido de venda Pedido
Operação da Ordem de produção Produção
Relacionamento Item x Cliente Cadastros Gerais
Item da tabela de preço Cadastros Gerais
Consumo Estoque
Inventário Estoque
Movimento do Estoque Estoque
Saldo do Estoque Estoque
Relacionamento Item x Estabelecimento Estoque
Movimento de materiais Custos
Item da nota fiscal Faturamento/Recebimento
Item do documento fiscal Faturamento/Recebimento
Roteiro do item Engenharia
Narrativa Engenharia
Saldo do item no período Estoque
Preço do item no período Estoque
Tradução do item Exportação
CAPÍTULO 6 Dúvidas Mais Freqüentes 143

Nota Todos os módulos podem eliminar os itens. Em alguns, porém, esta


eliminação está implícita, como por exemplo, no módulo de compras a
eliminação do item se dará através da eliminação a cotação, do
relacionamento item x fornecedor e da ordem de compra.

Como é o novo conceito de Desenhos do item?


Resposta: Os Desenhos (EN0301), devem possuir revisões (EN0302) e, este
poderá possuir diversos itens ligados a revisão de um desenho. É permitido o
cadastro de folhas de um desenho. Com base nestas informações, o desenho
deve ser cadastrado no EN0301, sua revisão com a localização do desenho e
o desenhista, devem ser cadastrados no EN0302.
A tabela Item-Desenho, contem todos os itens de um determinado desenho.
A tabela Desenho-Item, contem todos os desenhos de um item.
O programa EN0402 - Listagem de Desenhos de um Item, lista os desenhos,
nas varias formas que um item é apresentado(Tabela Desenho-item).
Enquanto que o programa EN0403 - Listagem de Itens de um desenho, lista
os componentes de um desenho (Tabela Item-desenho).
Nota Na versão G existia somente a tabela Item-desenho.
Maiores detalhes sobre os desenhos ver Função Manutenção de Desenhos

Como é atribuído níveis para itens numa estrutura?


Resposta: O nível mais alto possível de um item em uma estrutura será 0
(Zero), e o mais baixo 19 (Dezenove).
Durante o cadastramento das estruturas, o próprio programa de cadastro
(EN0105), atribuirá o nível de cada item utilizado na estrutura, este nível será
armazenado no campo (item.niv-mais-bai), sendo o conteúdo deste o nível
mais baixo do item considerando todas as estruturas onde este e utilizado.
(Detalhes sobre a estrutura de produtos ver Função Manutenção Estrutura do
Produto.)
144

Porque cadastrar vários itens em uma mesma seqüência?


Resposta: O programa "Cadastro de Estruturas" (EN0105) permite que se
cadastre vários itens para uma mesma seqüência.
A utilização de componentes diferentes na mesma seqüência permite associar
o componente a sua operação de fabricação.
Exemplo Preparação de tinta:
Item pai da estrutura: Tinta Laranja
Componente 10 – Tinta Amarela - Operação 10 .........(30%)
Componente 10 – Tinta Vermelha - Operação 10 .......(60%)
Componente 20 – Tinta Branca - Operação 20 ...........(10%)
Atribuindo uma mesma seqüência para componentes diferentes torna-se uma
maneira do usuário associar que a operação 10 está amarrada a seqüência
10.
É apenas um diferencial para o usuário. Isso não impede que a seqüência
fosse 10,20,30. Para isso, existe a opção de Renumera. A seqüência é chave
somente para a geração da estrutura do item. Não há como gerar erro na
geração das reservas, por exemplo.

Como funcionam as Folhas de Especificação dos Itens?


Resposta: O conceito de folhas de especificação visa a agregar
características técnicas e características de utilização de um determinado
equipamento (conceito básico de MI) ou de um item (conceito de Engenharia).
Portanto o conceito de folhas de especificação tanto pode atender a
equipamentos como para itens comprados ou fabricados.
Estas informações permitem determinar/registrar as informações técnicas ou
de utilização para um determinado item, utilizado em uma determinada
operação, estrutura que, poderá ser utilizado em outra (conforme suas
especificações). Quando os referenciamos a item, podemos imaginar itens
comprados e/ou fabricados.
As folhas de especificações compreendem características suportáveis para
um item, e não deve ser feito um paralelo com Fichas de Inspeção (CQ).
Estas características são definidas através da resposta ao componentes que
são questionamentos dirigidos. Estes componentes podem ter respostas do
tipo "Numérico", "Tabela", "Texto", "Observação", "Título" e "Data".
CAPÍTULO 6 Dúvidas Mais Freqüentes 145

Para componentes do tipo numérico, podemos ter um resultado que esteja


dentro de um valor máximo e mínimo.
As tabelas de resultados (CD0214) são utilizadas quando temos componentes
de resposta de múltipla escolha. Ex: Tensão de utilização. Pode ser 110, 220,
380 ou 440 volts.
Folhas da família (CD0202):É a vinculação de folhas de especificação com
famílias de itens. Usado para auxílio no cadastro do item, onde podemos
vincular todas ou algumas folhas da família do item.
Folha do Item (CD0204):Um item pode ter vinculado a ele somente uma folha
de especificação.
Características do Item (CD0216):As características técnicas são as
especificações do item. Estas características são definidas de acordo com os
componentes da folha de especificação vinculada ao item. Podem ser
utilizadas posteriormente para verificação de similaridade entre itens.
Itens Similares (CD0217): O sistema permite que, através das características
técnicas definidas para os itens, se possa verificar quais os itens que são
similares.
Somente são considerados na similaridade os resultados de componentes de
folhas de especificação do tipo numérico, tabela de resultado e data..
Nota Maiores detalhes ver no Manual de Referência dos Cadastros Gerais
EMS 2.00 - Função Folhas de Especificação dos Itens.

É possível eliminar as características técnicas dos Itens?


O que define as características técnicas de um item são as Folhas de
Especificação.
Uma Folha de Especificação visa agregar características de utilização de um
determinado item (conceito aplicado no módulo de Engenharia).
Para novos cadastros mediante a utilização das Folhas de Especificação, é
possível garantir que os itens estejam de acordo com as especificações de
engenharia, evitando assim cadastros incorretos ou mesmo duplicação das
informações no banco de dados.
Exemplo
Ao ser cadastrado um item (no caso um motor elétrico), este possui uma
Família de Materiais. Esta Família de Materiais, ao ser implantada, pode
conter uma ou mais Folhas de Especificação que caracterizam o item.
146

Com base nesta Folha de Especificação, o item é então cadastrado e


caracterizado conforme os resultados que serão informados pelo usuário para
cada componente da folha.
Sendo assim, a “eliminação das características técnicas” para o sistema não
faz sentido, pelo motivo de estar relacionado a uma Folha de Especificação
que tem como pré-requisito uma Família de Material.
Se este item não necessita mais ser controlado (similaridade de itens), o
correto é modificar a Família de Material do item, para uma família que não
esteja relacionada a uma Folha de Especificação.

Um item alternativo pode ser fantasma?


A situação “Fantasma” é atribuída para o relacionamento “Estrutura x Item” .
Não existe somente para o Item.
Situação:

Alternativo
A
D

Fantasma
B C
E F

• Se “C” for fantasma, “D” será fantasma também.


• Por exemplo, se “C” for definido com injeção e “E” como polipropileno
puro será gerada reserva para “E”;
• Porém se trocar a reserva na ordem para o alterantivo “D” será gerada
reserva de “E” (polipropileno puro 90%) e “F” (polipropileno moido 10%).
A opção fórmula da manutenção de reservas permite esta troca.