Você está na página 1de 31
ate HES{ODO TEOGONIA A ORIGEM DOS DEUSES~ Mme creat gis greg Estudo e tradugio: Jaa Torrano SBD nn a 5 2 = ==¢ =S2 Prntnstos de Musas elas Musas heliconiades comecemos a cantar. Elas tm grande e divino 0 monte Hélicon em volta da fonte violicea com pés suaves dangam e do altar do bem forte filho de Cronos. Banharam a tenra pele no Permesso ou na fonte do Cavalo ou no Olmeo divino mpcndo com os pés fizeram coros entes no pice do Hélicon precipitando- ‘em renques noturnos icando Zeus porta-égide, a soberana Hera de Argos calgada de durcas sandslias, ‘Atcna de othos glaucos virgem de Zeus porta-égide, ‘oluminoso Apolo, Artemis verte-flechas, Posidon que sustém e treme a terra, "Temis vencranda, Afrodite de olhos dgeis, Hebe de 4urea coroa, a bela Dione, Aurora, o grande Sol, a Lua brilhante, Loto, Jépeto, Cronos de curvo pensar, ‘Terra, o grande Oceano, a Noite negra ¢ 0 sagrado ser dos outros imortais sempre vivos. 105 10 15 19 18 20 Elas um dia a Hesfodo ensinaram belo quando pastoreava ovelhas ao pé do Esta palavra primeiro disseram-me as Deusas Musas Olimpfades, virgens de Zeus porta-égide: 25 “Pastores agrestes, vis infamias e ventres 56, sabemos muitas mentiras dizer simeis aos fatos ce sabemos, se queremos, dar a ouvir revelagbes”. ‘Assim falaram as virgens do grande Zeus ver‘dicas, por cetro deram-me um ramo, a um lourciro vigoso 30 colhendo-o admirvel e inspiraram-me um canto divino para que eu glorie 0 futuro e 0 pasado, - impeliram-me a hinear o ser dos venturosos sempre vivos icon Bia! pelas Musas comecemos, clas a Zeus pai hincando alegram o grande espirito no Olimpo dizendo o presente, o futuro € 0 passado vozes aliando. Infatigavel flui o som Zeus troante quando a vo! espalha-se, ecoa a cabeca do Olimpo nevado € 0 palicio dos imortais. Lancando voz impercetvel oser venerando dos Deuses primeiro gloriam no canto os que a Terra ¢ 0 Céu amplo geraram 45 .cidos Deuses doadores de bens, depois Zeus pai dos Deuses e dos homens, no comego e fim do canto hineiam as Deusas ‘omais forte dos Deuscs ¢ 0 maior em poder, e ainda o ser de homens e de poderosos gigantes. 50 55 Quando girou o ano € retornaram as estagoes com as minguas das luas © muitos das findaram, porto do Spee alasimo do nevoso Olimpo, af 0s seus coros luzentes e belo palicio. Junto a clas as Gragas e 0 Desejo tém morada nas festas, pelas bocasamavel voz langando dangam e gloriam a partitha e habitos nobres de todos os imortais, voz bem-amivel langando. Elas iam ao Olimpo exultantes com a bela voz, tendo consigo 0 trovao € 0 raio flamante, ‘venecu no poder o pai Cronos, € a0s imortais, bens distribuiu ¢ indicou cada honra; isto as Musas cantavam, tendo 0 palicio olimpio, nove filhas nascidas do grande Zeus: Gloria, Alegria, Festa, Dancari Alegra-coro, Amorosa, Hinaria, Celeste € Belavor, que dentre todas vem a frente. Ela € que acompanha os reis venerandos. ‘A quem honram as virgens do grande Zeus ¢ dentre reis sustentados por Zeus vem nascer, elas Ihe vertem sobre a lingua 0 doce orvalho e palavras de mel fluem de sua boca. Todas as gontes o olham decidir as sentengas com reta justiga ¢ ele firme falando na égora logo & grande discérdia cénscio poe fim, os reis tém prudéncia quando as gentes violadas na agora perfazem as reparacocs facilmente, a persuadir com brandas palavras. Indo a assemblGia, como a um Deus 0 propiciam pelo doce honor e nas reunides se distingue. ‘Tal das Musas 0 sagrado dom aos homens. 109 Pelas Musas ¢ pelo golpeante Apolo ha cantores © por Zeus, rei alguém aflito mirra 0 coragao e se 0 cantor servo das Musas hincia © 05 venturosos Deuses que tém o Olimpo, logo esquece os pesares e de nenhuma afligao se lembra, jé os desviaram os dons das Deusas, vs 4a © Uo Cou constelado, evosa, OS que o salgado Mar criou. Dizci como no comego Deuses e Terra nasceram, impetuoso de ondas, antes ¢ © Céu amplo em cima, scidos Dew: comego tiveram 0 rugoso Oli 1 isto, Musas dés 0 comego e quem (Os Deuses primordiais nasceu Caos, depois também nortais que tém a cabega do Olimpo nevado ¢ Tértaro nevoeato no fundo do cho de amplas vias, © Eros: 0 mais belo entre Deuses imor solta-membros dos Deuses todas e dos homens todos ele doma no peito o espirito e a prudente vontade. aw » de todos sede irresvalavel sempre, 95 100 110 1s 120 125 ‘Terra primeiro pariu igual a si mesma. Céu constelado, para cered-la toda a0 te ser aos Deuses venturosos sede irresvalavel sempre. redor Pariu altas Montanhas, belos abrigos das Deusas ninfas que moram nas montanhas frondosas. E pariu a infecunda planfcie impetuosa de ondas iio com Céu: Oceano de fundos Coios'¢ Crios ¢ Hi eTéiae Réia e Témis e Memoria desejoso amor. Depois pariu remoinhos ¢ Febe de aurea coroa e Tétis amorosa. Fangs com) ‘as armas Cronos de curvo pensar, Pariu ainda os Ciclopes de soberbo coragio: Trovao, Rekimpago e Arges de violento animo que a Zeus deram 0 trovao e forjaram o raio. Eles no mais eram compardveis aos Deuses, finico olho bem no meio repousava na fronte. Ciclopes denominava-os 0 nome, porque ncles ircular olho sozinho repousava na fronte. ‘Vigor, violéncia e engenho possufam na ago. Outros ainda da Terra ¢ do Céu nasceram, trés filhos enormes, violentos, ndo nomedveis. Colos, Briarcu ¢ Giges, assombrosos filhos. Deles, cram cem bracos que saltavam dos ombros, improximavei abecas de cada um cingdenta brotavam dos ombros, sobre os grossos membros. Vigor sem limite, poderoso na enorme forma. Historia do Céu e de Cronos Quantos da Terra e do Céu nasceram, filhos os mais temiveis, detestava-os 0 pai ora, Alegrava-se na mal 3 0 logo cada um deles nascia ‘a todos ocultava, a luz nao os permitindo, ligna obra 130 135 140 145 150 135 OR OETOETE CLL ERE RS ee © Céu, Por dentro gemia a Terra prodigiosa atulhada, ¢ urdiu dolosa e mi ignas”, Assim falou e a todos reteve o terror, ninguém vozeou. Ousado o grande Cronos de curvo pensar devolveu logo as palavras a mae Veio com a noite o grande Céu, ao redor da Terra desejando amor sobrepairou c estendeu-se a tudo. Da tocaia o filho alcangou com a mio esquerda, com a destra pegou a prodigiosa foice longa e dentada. E do pai o pénis ceifou com impeto ¢ langou-o a esmo ara tr4s. Mas nada inerte escapou da mio: uantos salpicos respingaram sanguineos todos recebeu-os a Terra; com o girar do ano gerou as Erinias duras, os grandes Gigantes rtilos nas armas, com longas langas nas mos, € Ninfas chamadas Freixos sobre a terra crescia sob esbeltos pés. A ela, Afrodite Deusa nascida de espuma e bem-coroada Ci us 160 165 170 175 180 190 195, e Deuses, porque da espuma ‘porque tocou Citera, Os fithos da Noite Noite pariu hediondo Lote, Sorte negra Sono e pari a grei de Sonhos. As Hespérides que belas magis de ouro € as arvores fru pariu e as Partes e as Sortes que pumem sem d6: , Distributriz ¢ Inflexivel que os mortais, tao logo nascidos dao os haveres de bem e de mal, elas perseguem iransgressdes de homens ¢ Deuses ¢ jamais repousam as Deusas da terrivel c6lera até que déem com o olho maligno naquele que erra. Pari ainda Nemesis ruina dos pereciveis mortais en hedionda pariu Fadiga cheia de dor, Olvido, Fome e Dores cheias de lagrimas, Batalhas, Combates, Massacres ¢ Homicidios, Litigios, Mentiras, Falas ¢ Disputas, Desordem ¢ Derrota conviventes uma da outra, uy 24 213 215 20 ns OORT EL OOO REDE ce © € Juramento, que aos sobreterrneos homens muito arruina quando alguém adrede perjura, A linhagem do Mar Mar gerou Nereu sem mentira nem olvido, i também 0 chamam Anciao Te bom, nem os preceitos 235 ‘olvida mas justos € bons desfgnios conhece. Amante da Terra gerou também o grande Espanto “orcis ¢ Ceto de belas faces 10 de aco. no mar infecundo. Dédiva de belos cabelos virgem do Oceano, rio circular, gerou-as: Primeira, Eficacia, Salvante, Anfitrite Doadora, Tétis, Bonanga, Glauca, Ondavelor, Gruta, Veloz, Marina amavel, 24s; de rdscos bragos, a, Esplendente, ira, Portadora, Potente, ia, Recife, Rainhaprim 250 vel, Fgua-sagaz de r6scos bragos, Pega-onda que ap: facilmente a onda c 0 sopro de fortes ventos com Aplana-onda e Anfitrite de belos tornozelos, ‘Ondeia, Praia, a bem-coroada Rainhamarina, 255 Glaucapa Arenosa de gra¢ 260 Uhoa, Escolta, Precei cingiicnta virgens, sabias de agdcs irrepreensiveis. 119 Espanto a filha do Oceano de profundo fluir desposou, Am e Harpias de bel que a passaros ¢ r om asas ligeiras, pois no abismo do ar se langam. igeirafris cela © Aligera as Velhas de belas faces, apt -nas Velhas Deuses imortais e homens caminhantes da terra: ce Enio de véu agafrao. Gerou Gérgonas que habitam além do inclito Oceano fos confins da noite (onde as Hespérides cantoras): sofrew o funesto, amb: mas com ela deitou-se 0 Crina-preta no macio prado entre flores de primavera. ‘Dela, quando Perscu the deeapitou 0 pescogo, surgiram 0 grande Auriglidio e 0 cavalo PEgaso; tem este nome porque ao pé das éguas do Oceano asceu, 0 outro com o gladio de ouro nas mos, Yoando cle abandonou a terra mie de rebanhos ¢ foi aos imortais ¢ habita o palcio de Zeus, portador de trovio ¢ relampago de Zeus siti qaurighidio gerou Gerioncu de trés cabecas Unindo-se a Belaflui virgem do fnclito Oceano. Ea Gerioncu matou-o a forga de Héracles perto dos bois sinuosos na circunflutda Eri Bo dia em que tangeria os bois de ampla testa para Tirinto sagrada apés atravessar @ Oceano Fla pariu outro incombativel prodigio nem par ‘a homens mortais nem a Deuses imortais uma grata cava: divina Vibora de animo cruel, ;nfa de olhos vivos e belas faces Je enorme, 121 2 a 3 . 2 2 9 a a a a a > 2 3 2 a ved eodsddduued DODO” ua gruta Ii embaixo est4 sob céncava pedra longe dos Deuses imortais e dos homens mortais, ailhe deram os Deuses habitar inclito palicio. Em Arimos sob 0 chao reteve-se a kigubre Vibora ninfa imortal e sem velhice para sempre. E fama que com ela Tifon uniu-se em amor, terrivel soberbosem lei com a virgem de olhos vivos. Ela fecundada pariu crias de animo cruel Gerou primeiro Ortos, cao de Gerioncu. Depois pariu o incombativel ¢ nao nomedvel Cérbero carnivoro, cdo de branzea voz do Hades, de cingtienta cabecas, impudente ¢ cruel. por imenso rancor contra a forga de Héracles; ‘matou-a o filho de Zeus com nao piedaso bronze, Héracles Anfitrionida, com 0 dileto de Ares Tolau, por designios de Atena apresadora. Ela pariu a Cabra que sopra irrepelivel fogo, aterrivel e grande e de pés ligeiros ¢ crucl, tinha trés eabegas: uma de ledo de olhos ratilos, ‘outra de cabra, outra de vibora, cruel serpente. Na frente ledo, atrds serpente, no meio cabra, expirando 0 terrivel furor do fogo aceso. Agarrou-a Pégaso ¢ 0 bravo Belerofonte. E cla pariu a funesta Fix, rufna dos cadmeus, ‘emprenhada por Ortos, pari o Leao de Neméia que Hera a inclita esposa de Zeus nutriu abrigou nas colinas de Neméia, pena dos homens: af residindo destrufa grcis de homens senhor de Treto e Apesanta em Neméia, ‘mas sucumbiu ao vigor da forca de Héracles. Unida a Forcis em amor, Coto gerou por fim terrivel Scrpente que no covil da terra trevosa nas grandes fronteiras guarda magis de ouro. Esta € a geragao de Ceto ¢ de Forcis. 123 305 315 320 325 330 335, A linhagem do Céu ‘Tétis gorou de Oceano 0s rios rodopiantes: Nilo, Alfcu, Eridano de rodopios profundos, Estrimon, Meandro, Istro de belo Muir, Fase, Reso, Aqueléo de rodopios de prata, jcmon, Sete-bocas, Granico, Esepo, Si Peneu, Fermo, Caico bem-fluente Sangério grande, Ladon, Parténi Eveno, Ardesco ¢ Escamandro que pela terra adolescem homens com Apolo rei e com os Rios € que tem de Zeus esta honra: Perstasiva, Virginea, Violeta, Ambarina Diidiva, Popa, Celeste de divina aparéncia, Napcia, Cl Plexaura, Galaxaura, amavel Pecudria, Veloz, formosa Polidora, Teceld de amével talhe, Riqueza de olhos bovinos, Perseida, Taneira, Acaste, Loira Pétrea amorosa, Resisténcia, Europa, Astticia, Eurinome, Concludente de véu agatrao, Aurea, Asia, amorosa Calipso, Doadora, Acaso, Circunflui, Velozflui ¢ Estige que dentre todas vem a frente. Estas nasceram de Oceano ¢ de Tétis fillhas mais velhas: hd muitas outras ainda, ha trés.mil Occaninas de finos tornozelos que dispersas percorrem terra e aguas profundas por igual e de todo, crias magnificas entre Deusas. Outros rios que fluem fragorosos sao tantos filhos de Oceano gerou-os Tétis soberana. a um mortal dizer 0 nome, cada um conhece quem habita & sua beira. 2s 345 350 395 360 365 370 € anne 2 2 2 a 2 a 2 a Javeve see wddudade ‘Téia gerou o grande Sol, a Luz brilhante ¢ Aurora que brilha a todos os sobreterraneos e aos Deuses imortais que tém o céu amplo, gerou-os submetida a Hipérion em amor. Euribia unida a Crios em amor gerou divina entre Deusas: 0 grande Astreu, Palas ¢ Perses distinto de todos pela sabedoria. Aurora gerou de Astreu ventos de Zéfiro clareante, Boreas de veloz caminhada € Nolos, no coite amoroso a Deusa com o Deus, Estigé fitha do Oceano unida a Palas no pakicio pariu Zelo e Vit6ria de belos tornozclos e pariu Poder e Violéncia, insignes filhos. Longe deles nao hi morada de Zeus nem pouso nem percurso por onde 0 Deus nao os guie mas sempre perto de Zeus gravitroante repousam, ‘Assim decidiu Estige imperectvel Oce: no dia em que o Olimpio relampeante a todos 0s imortais conclamou ao alto Olimpo, e disse quem dos Deuses combatesse com cle os Tits cle nao o privaria dos prémios ¢ cada honra manteria como antes entre os Deuses imortais, ce que 0 nao-honrado sob Cronos e sem-prémios honra ¢ prémio alcangaria, como € justiga. E vcio primeiro Estige imperecivel ao Olimpo com os filhos, por designios de seu pais honrou-a Zeus e supremos dons the deu: fez dela propria o grande juramento de os Deuses seus filhos para sempre residirem com ele. ‘Assim para todos inteiramente como prometeu cumpriu, cle proprio tem grande poder e reina. RT 315 390 395 Hino a Hécate Febe entrou no amoroso leito de Coios ¢ fecundou a Deusa Deus em amor, cla gerou Leto de negro véu, a sempre doce, boa aos homens ¢ aos Deuses imorta doce dés 0 comeso, a mais suave no Olimpo. Gerou Astéria de propicio nome, que Perses conduziu um dia a seu paticio e desposou, e fecundada pariu Hécate a quem mais Zeus Cronida honrou e concedeu espléndidos dons, ter parte na terra no mar infecundo, Hoje ainda, se algum homem sobre a terra com belos sacrificios conforme os ritos propicia invoca Hécate, muita honra o acompanha facilmente, a quem a Deusa propensa acolhe a prece; € torna-o opulento, porque cla tem forca. De quantos nasceram da Terra e do. Cé ce receberam honra, de todos obteve um lote; nem 0 Cronida violou nem a despojou do que recebeu entre as antigos Deuses Titis, cla tem como primeiro no comego houve a pat Nem porque filha nica menos partilhou de honra ce de privilégio na terra e no eéu € no mar porque honra-a Zeus. ‘Aqquem quer, grandemente di auxilio e ajuda, no tribunal senta-se junto aos reis venerandos, na assembléia entre 0 povo distingue a quem quer, ce quando se armam para o combate homicida ‘0s homens, af a Deusa assiste a quem quer ¢ propicia concede vitéria ¢ oferece-Ihe gloria, Diligente quando os homens lutam nos jogos af também a Deusa Ihe dé auxilio e ajuda, € vencendo pela forga e vigor, leva belo prémio faciimente, com alegria, ¢ aos pais dé a gloria. Diligente entre cavalciros assiste a quem quer, €.a0s que lavram 0 mar de fnvios caminhos 29 410 41s 420 429 434 430 433, 435 sesadasedsew ae icam a Hécate ¢ ao troante Treme-terra, facil a gloriosa Deusa concede muita pe: ou surge € arranca-a, se 0 quer no seu formes aumenta orebanho de bois e a larga tropa de cabras © a de ovelhas lanosas, se 0 quer no seu animo, de poucos tos faz os menores. ios. de jovens que depois dela im a luz multividente da Aurora Assim dés 0 comego é nutriz de jovens e estas as honras. Onascimento de Zeus ido habita um palicio com impiedoso coracao, o troante Treme-terra eo sdbio Zeus, los Deuses ¢ dos homens, Sob cujo trovao até a ampla terra se abala E engolia-os o grande Cronos tao logo cada um do ventre sagrado da mae descia aos joelhos, tramando-o para que outro dos magnificos Uranidas nio tivesse entre os imortais a honra de rei, Pois soube da Terra e do Céu constelado ue the era destino por um filho ser submetido apesar de poderoso, por designios do grande Zeus. Mas quando a Zeus pai dos Deuses e dos homens cla devia parir, suplicou entao aos pais queridos, 05 seus, & Terra ¢ a0 Céu constelado, comporem um ardil para que oculta parisse © flho, ¢ fosse punido pelas Erinias do pai € filhos engolidos o grande Cronos de curvo pensar. les escutaram e atenderam & filha querida BI 445 450 495 465 470 tho de violento finimo. quando ela devia parir 0 filho de 6timas armas, prodigiosa primei em gruta ingreme sob o covil da terra divina ‘no monte das Cabras denso de drvores. Encucirou grande pedr a0 soberani co coitado, nem pensou nas entranhas que deixava ‘em vez da pedra o seu filho invicto e seguro ao porvir. Este com violencia ¢ maos domi Jogo o expulsaria da honra ¢ reinaria entre imortais. o vigor ¢ os brilhantes membros do principe cresciam. E com 0 girar do ano, ‘enganado por repetidas instigagoes da Terra, Zeus cravou-a sobre a terra de amplas vias, em Delfos divino, nos vales ao pé do Parnaso, signo ao porvir e espanto aos pereciveis mortais. E livrou das perdidas prises os tios paternos Trovao, Relimpago ¢ Arges de violento énimo, fithos de Céu a quem o pai em desvario prendeu; e cles lembrados da graga benéfica deram-Ihe 0 trovao € 0 raio flamante eo relampago que antes Terra prox Neles confiante reina sobre mort recobria. 133 415 490 495, 500 505 Leek ee ee ee | ee) SOME Le ee mere enana ee ee wi PN AE aa Historia de Prometeu Jépeto desposou Climene de belos tornozelos virgem Oceanina e entraram no mesmo leito. Ela gerou o fitho A\ de pé, com a cabecae este destino 0 sdbio Zeus at E prendeu com infrageis cadeias dolorosas passadas ao m¢ a ave de longas asas. s tornozelos valente Héracles matou-a, da maligna doenga defendeu offilho de Jépeto e libertou-o dos tormentos, nio discordando Zeus Oli apesar da c6lera ps fim ao rancor que retinha de quem desafiow os designios do pujante Cronida. Quando se disc ithante banka, 235 S10 SIS 920 525, 530 535, rrindo Teve, nfo esqueceu a dolosa arte: gloria e poder dos Deuses perenes, is nas entranhas te exorta 0 animo”. Falou por astiicia. Zeus de impereeiveis designios ‘no ignorou a asticia; nas entranhas previu les que aos homens mortais deviam eumprir-se. ~ Com as duas méos ergueu a alva gordura depois sempre deste ard ‘negou nos freixos a forca do fogo infat aos homens mortais que sobre a terra Porém o enganou o bravo filho de Fépeto: roubou o brilho longevistvel do infatigével fogo érula; mordeu fundo 0 énimo a Zeus tonitruo ¢ enraivou seu coragao ver entre homens o brilho longevisivel do fogo. plasmou-o da terra o fnclito Pés-tortos ‘como virgem pudente, por desfgnios do Cronida, cingiu e adomou-a a Deusa Atena de olhos glaucos ‘com vestes alvas, compés um véu labori descendo-lhe da cabeca, prodigio aos olhos, ao redor coroas de flores novas da relva sedutoras the pés na front Atena ao redor da cabe¢a pds uma coroa de ouro, quem a fabricou: o inclito Pés-tortos Tavrando-a nas maos, agradando a Zeus pai, 137 545 550 565 570 515 & € muitos lavores nela gravou, prodigio a das feras que a terrae agraca) Ievou-a li onde eram outros Deuses e homens adornada pela dos olhos glaucos ¢ do pai forte. O cspanto réteve Deus ¢ homens mortais ao virem ingreme incomb: scende a geragio das f¢ igam-se ¢ fazem os brancos favos, cles ficam no abrigo do enxame & espera uo: as mulheres, parclhas de obras. 4speras, ¢ em vez de um bem deu oposto mal. Quem fu a vive, mas a0 morrer dividdem-Ihe as posses parentes longes. A quem vem o destino de napeias cabe cuidosa esposa concorde consigo, para este desde cedo ao bem contrapesa o mal constante. E quem acolhe uma de raga perversa vive com uma allicdo sem fim nas entranhas, no nimo, no coragao, e incursvel 6 0 mal, Nao se pode roubar nem superar 0 espirito de Zeus escapou-lIhe a pesada célera, mas sob coergio apesar de multissdbio a grande cadcia retém, 139 585 590 595 600 610 615 A Titanomaguia ‘Tao logo o pai thes teve édio no animo prendeu em poderosa prisdo Briarcu, Cotos ¢ Giges admirado da bem-armada bravura, aspecto ‘amanho, e meteu-os sob a terra de amplas vias. doloridos sob a terra habitando Jaziam nos confins e fronteiras da grande terra com longas angiistias e grande mégoa no coracao. Mas o Cronida ¢ 0s outros Deuses imortais. que Réia de belos cabelos pariu amada por Cronos am-nos a luz por consclhos da Terra. los cabelos pariu amada por Cronos. Davam uns aos outros doloroso combate Nenhum final nem solugao da aspera discérdi de nenhum lado, ambiguo pairava o termo da guerra. Mas quando aqucles ofereccu todo o sustento, néctar ¢ ambrosia que $6 os Deuses comem no peito de todos cresceu o animo viril. Apés sorverem o néctar € a amével ambrosia disse-thes o pai dos homens ¢ dos Deuses: la vit6ria ¢ poder 's Titas ¢ quantos nascemos de Cronos. 1a higubre batalha, Idade ¢ quanto sofrestes de voltar a luz Por nossos designios, de sob a treva nevoenta”. ul 620 625 629 631 632 635 645 650 Respondeu o irrepreensivel Cotos: 0 0 nao sabido revelas: nbs 655 de sob a treva nevoent das prisdes sem-mel, n6s jé sem esperangas de volta viemos, 6 rei filho de Cronos. 60 Agora com © prudente v. . defenderemos vosso poder na combat tds na violenta batalha Aprovaram os Deues doadores de bens 665 s Deuses Tits, quantos nasceram de Cronos, Zeus do Erebo sob a terra langou a luz, Lerriveis, poderosos, com bem-armada violencia, Deles eram cem bracos que saltavam dos ombros de cada um, cabegas de cada um cingiienta brotavam dos ombros sobre grossos membros. les agarrando fngret s 615 670 “ia O mar infinito, Tetumbava forte a terra, o vasto céu ge sacudido, no solo estremecia o alto Olimpo: 680 sob golpes dos imortais, o abalo pesado atingia © Tartaro nevoento, ¢ 0 surdo estrondo de pés de indi: assaltos e ataques brutais. E uns contra outros lancavam dardos gemidosos, | vinda de ambos atinge o céu constclado 685 ‘voz exortante, © batiam-se com grande g Nao mais Zeus continha seu furor e deste : furor logo encheram-se suas visccras ¢ toda ia cle mostrava. Do céu e do Olimpo ipejando avancava sempre, os raios 90 com trovies e relmpagos juntos voavam 43 do grosso brago, rodopiando a chama sagrada densos. A terra nutriz retumbava ao redor queimando-se, crepitou ao fogo vasta floresta, fervia o chao todo ¢ as correntes do Oceano € 0 mar infecundo, o sopro quente atava 0s Titds terrestres, a chama atingia vasta © ar divino, apesar de fortes cegava-os nos olhos © brithar fulgurante de raio e relémpago. O calor prodigioso traspassou o Caos. Parecia, aver-se com olhos ¢ ouvir-se com 01 quando Terra e 0 toravamaes, tho = tal o clangor dos Deuses batendo-se na Os ventos revo sntes, uns contra outros atacavam-se tenazes em violentas batalhas. Na frente despertaram dspero combate Cotos, Briareu e Giges insaciével de guerra. ‘Trezentas pedras dos grossos bragos Jangavam seguidas ¢ cobriram de golpes 0s Tits. E sob a terra de amplas Jangaram-no ¢ prenderam em prisbes dolorosas vencidos pelos bracos apesar de soberbos, tao longe sob a terra quanto é da terra 0 céu, ois tanto 0 € da terra 0 Tértaro nevocnto, Descrigéo do Tértaro Nove noites ¢ dias uma bigorna de bronze cai do céu ¢ s6 no décimo atinge a terra ¢, caindo da terra, 0 Tértaro nevoento. E nove noites e dias uma bigorna de bronze cai da terra e 56 no décimo atinge 0 Tértaro. 14s 95 700 705 10 ns Cerca-o um muro de bronze. A noite em torno ‘és vezes ao redor do gargalo. Por cima as raizes da terra plantam-se e do mar infecundo. regio bolorenta nos con! Nao tém safda, Ai, da terra trevosa e do Tartaro nevoento ¢ domar infecundo ¢ do Céu constelado, de todos, esto contiguos as fontes e confins, forturantes ¢ bolorentos, odeiam-nos os Deuses, Vasto abismo, nem ao termo de um ano 740 este prodigio. A casa terrivel da Noite trevosa eleva-se af oculta por escuras nuvens, 745 Defronte, o filho de J4peto sustém 0 Céu amplo de pé, com a cabega ¢ infatigaveis bragos inabalavel, onde Noite ¢ Dia se aproximam © saiidam-se cruzando o grande umbral de bronze, Um desce dentro, outro vai 750 fora, nunca o palicio fecha a amb mas sempre um deles esta fora do palicio epercorre a terra, 0 outro esté dentro e espera vira sua i ele tem aos sobret 155 irmao da Mort Noite funesta oculta por nuvens cor de névoa. morada, Sono ¢ Morte, terriveis Deuses, nunca Ww tranqililo c doce aos homens, percorre a terra ¢ 0 largo dorso do mar, © outro, de coragio de ferro e alma de bronze Defronte, 0 palicio ecoante do Deus subjerranco © forte Hades e da temivel Perséfone leva-se. Terrivel cao guarda-the a frente no piedoso, tem maligna arte: aos que entram faz festas com 0 rabo e ambas as orclhas, devora quem surpreende a sai das portas. At habita a Deusa detestada dos imor terrivel Estige, fitha do Oceano refluente ‘a mais velha, longe dos Deuses em ilustre palécio coberto de altas pedras, todo ao redor com as colunas de prata se apéia no céu. Pouco a filha de Espanto cio Olimpio mente Zeus faz Iris trazer o grande juramento dos Deuses ‘num jarro dé ouro, a longe agua de muitos nomes sob a terra de amplas vias, do rio sagrado flui pela noite negra, brago do Oceano, nove envolvem a terra ¢ o largo dorso do mar de prata e depois caem no sal indo-a jura um perjtirio jaz sem f6lego durante um ano inteiro, 149 760 165 18 780 785 795 nem da ambrosia ¢ do néctar se aproxima Para comer, jaz porém sem alento nem voz Ieito e mai Quando a doenga perfaz um grande a passa de uma a outra prova mais ésper: ove anos afasta-se dos Deuses semipre vivos, nem freqiienta conselho nem banquetes nove anos a fio. N fizeram de Est brota de abrupta regiao, fguos as fontes e confins torturantes ¢ bolorentos, odeiam-nos os Deuses, resplendentes portas umbral de bronze ‘embutidos em raizes continuas nascido de Defronte longe dos Deuses, tis habitam além do Caos sombrio, tos. de Zeus estrondante habitam um palicio no alicerce do Oceano, Cotos © Giges, a Briarcu por sua bravura © gravitroante Treme-terra fez seu genro, deu-Ihe por esposa sua filha Anda-onda. A luta contra Tifew E quando Zeus expulsou do céu os Terra prodigiosa pariu com étimas amada por Tartaro gracas a éurea Alrodite, cm bragos dispostos a ages violentas igaveis pés de Deus poderoso. Dos ombros com cabecas de serpente, de vibora terrivel, expeliam linguas trevo: sob cio nas eabecas d € das cabecas todas 805 810 815 ue Vozes havia em todas as terriveis cabecas. a langar vario som nefasto: ora falavam como para Deuses entender, ora como touro mugindo de indémito furor ¢ possante voz, ora como ledo de animo impudente, ora simil a cadelas, prodigio de ouvir-se, ora assobiava.a ecoar sob altas montanhas. Naquele dia suas obras seriam incombativeis e ele sobre mortais e imortais teria reinado se nao 0 visse stibito o pai de homens ¢ Deuses ¢ trovejou grave € duro. A terra em torno retumbou tremenda, o céu amplo ld encima, ‘900 05 pes mortals estremece o alto Uumpo com o impeto do rei e geme a terra, Penctrava 0 mar violicco o calor de ambos, de trovio, rekimpago, fogo vindo do prodigioso scr, de Turacdes, ventos do raio flamante. Fervia toda a terra, céu © mar, saltavam em volta dos cabos altas ondas sob golpes dos imortais, irreprimivel abalo cresce, ‘tremem Hades la embaixo rei dos mortos € Titas no Tértaro em torno de Cronos pelo irreprimivel clangor ¢ pavorosa luta. Zeus encrista seu furor, agarra as armas, 0 trovao, o relampago ¢ o raio flamante, ¢ ferc-o saltando do Olimpo. Fulmina em torno todas as cabecas divinas do terrivel prodigio. E ao domind-lo acoitando com os golpes mutila c abate-o, ¢ geme a terra prodigiosa. Do rei fulminado a chama jorra nos vales nao visiveis rugosos das montanhas, golpeando. E vasta queima-se a terra prodigiosa, com bao divino € fundia-se como o estanho pela arte de homens em perfurado crisol aquecido, ou o ferro que € mais possante 1nos vales dominado pelo fogo ardente 153 830 835 845 850 855 ra ao brithar do fogo aceso. Com afligente animo atirou-o ao largo Tértaro. De Tifeu vem 0 furor dos ventos que sopram timidos, nao Notos, Boreas ¢ Zéfiro clareante, estes vém de Deuses, grande valia dos mortais, 0s outros sopram as cegas sobre o mar ‘mar cor de névoa,—~ ipetuam ruim procela, grande ruina dos mortais. i persam os navios, perdem os nautas, ¢ nao tém resisténcia ao mal Os Deuses Olimpios Quando 0s venturosos completaram a fadiga e decid la forga as honras dos Titds, © poder e ser rei iu entre eles as honras. i dos deuses primeiro desposou Ast Mas quando ia parir a Deusa de olhos glaucos Atcna, ele enganou suas entranhas com ardil, com palavras sedutoras, ¢ engoliu-a ventre abaixo, da Terra ¢ do Céu constelado. yam para que a honra de rei ivesse em vez de Zeus outro dos Deuses perenes: era destino que ela gerasse filhos prudentes, primeiro a virgem de olhos glaucos Tritogénia igual ao pai no furor e na prudente vontade, € depois um filho rei dos Deuses e homens ir dotado de soberbo coragio. 455 870 875, 885 890 895 para que a Deusa Ihe indicasse 0 bem ¢ mal. 900 ‘Apés desposou Témis luzentes que gerou as Horas, Eqhidade, Justiga e a Paz vigosa que cuidam dos campos dos pereciveis mortais, eas Partes a quem mais deu honrao sibioZeus, —- Fiandeira, Distributriz ¢ Inflexivel que atribuem 905 aos homens mortais os haverem de bem ¢ de mal. Eurinome de amAvel beleza virgem de Oceano terceira esposa gerou-lhe Gracas de belas faces: de seus olhos brilhantes esparge-se o amor 910 solta-membros, belo, brilha sob os cilios o olhar. ‘Também foi ao leito de Deméter nutriz que pariu Perséfone de alvos bracos. Edoneu raptou-a de sua mie, por dadiva do sébio Zeus. Amou ainda Meméria de belos cabelos, 915 dela nasceram as Musas de aureos bandés, nove, a quem aprazem festas ¢ o prazer da cango. Leto gerou Apolo ¢ Artemis verte-flechas, prole admirével acima de toda a raga do Céu, gerou unida em amor a Zeus porta-égide. 920 Por diltimo tomou Hera por florescente esposa, ela pariu Hebe, Ares e Ilitia unida em amor ao rei dos Deuses ¢ dos homens. Ele da propria cabega gerou a de olhos glaucos 2