Você está na página 1de 3

O inimigo de meu inimigo nem

sempre é meu amigo!


Vanderlei Dallagnolo1
Blumenau, 19 de abril de 2010

Fonte: http://www.yourmorals.org/man_cross_fingers.jpg

Meu objetivo com este artigo é contribuir para que o voto de alguns seja
mais consciente. Por isto, até as eleições vou voltar a este tema e alguns
relacionados, com mais frequência.

O inimigo de meu inimigo nem sempre é meu amigo!O amigo de meu


amigo, nem sempre é meu amigo. E estas são verdades mais importantes
ainda, PRINCIPALMENTE durante as eleições.

Aqui vou tratar agora um pouco melhor do primeiro caso.

Eles, os corruptos, os sem-vergonha, os fracos, os manipuladores, os


hipócritas e outros tantos nossos verdadeiros inimigos tem muitas outras
armas. Algumas delas são a capacidade de mentir mantendo a atitude
idêntica a de quem fala a verdade. A falta de pudor para mentir por tempo e
frequência suficiente para convencer. A descontextualização como arma de
ataque que desmoraliza. E muitas outras mais.

É preciso ficar atento. É compreensível, natural e até aceitável, sob certas


circunstâncias acreditarmos no contrário. Que o inimigo de meu inimigo seja
meu amigo. E exatamente por isto, que esta é uma das formas mais sem-
vergonha de manipulação a que estamos sujeitos ter que lidar. Da parte de

1
Vanderlei.dallagnolo@gmail.com
inescrupulosos tentando chegar ao poder. A corja de criminosos já está
condicionada a usar isto contra a população.

Um exemplo bem comum da situação que estou tratando aqui é e foi usada
largamente por muitos ditadores. Que é a estratégia de polarização contra
os Estados Unidos. Onde o raciocínio é o seguinte. Se o povo é pobre. E os
Estados Unidos são o símbolo da riqueza. Por conseguinte, então é porque a
suposta riqueza que devia ser do povo está nas mãos egoístas e gananciosas
dos americanos. Aí, o indivíduo lá no poder. Ou que almeja o poder se auto-
proclama inimigo dos americanos. Portanto, amigo de nosso direito a fartura
que os nossos supostos inimigos imperialistas nos negam.

Aqui não estou tratando de ser contra ou a favor deste ou daquele


sentimento de anti-americanismo. Não estou passando sequer perto de me
ocupar deste assunto. Apenas, única e exclusivamente da estratégia de
manipulação que muitos destes discursos escondem.

A base de funcionamento é que é mais fácil apenas encontrar algum inimigo


externo e ficar atacando ele. Do que assumir nossas próprias
responsabilidades e agir para corrigir nossos erros e deficiências. Sem deixar
de atacar quando necessário.

É uma forma muito comum de atuação dos candidatos. Colocam-se como


contra isso, contra aquilo. Elegem um inimigo comum e tentam mostrar que
estão ao nosso lado. Pior é quando o inimigo é apenas suposto ou
inventado. O que é bem comum também.

Seguem alguns exemplos de inimigos comuns a todos os cidadãos que vocês


ouvirão VÁRIOS CANDIDATOS escolhendo como deles também. Eles são a
FOME, a POBREZA, a VIOLÊNCIA, a FALTA DE SANEAMENTO, FALTA de
TRANSPORTE, FALTA disso e daquilo outro também, o TRÁFICO DE DROGAS,
a EXPLORAÇÃO INFANTIL, etc.

Eis o antídoto para esta estratégia sem-vergonha. Nada há de errado em ser


contra alguma coisa que deve ser combatida. Mas, para avaliar se não é
apenas uma isca para te pegar e colocar em você um belo nariz de palhaço e
um carimbo de otário na testa por mais 4 anos. Você pode adotar uma
atitude muito simples. Para cada coisa CONTRA... para cada inimigo que
tentarem te convencer que estes candidatos têm em comum com você.
Basta perguntar, A FAVOR DO QUÊ ele é para vencer o tal inimigo.

Porque se for um candidato contra a POBREZA, vai automaticamente e


indissociavelmente ser a favor do EMPREGO e da EDUCAÇÃO.

Se for contra a VIOLÊNCIA, vai automaticamente e indissociavelmente ser a


favor do tratamento digno às FORÇAS DE SEGURANÇA e da JUSTIÇA.

E assim sucessivamente.

E para ser A FAVOR, aí vai ter que mostrar o que e como vai FAZER. Porque
ser do contra, só por ser, qualquer imbecil é capaz. Inclusive, este que vos
escreve.

Em breve volto ao tema e sobre as outras estratégias também.

Vote consciente. VOTO NÃO PREÇO, TEM CONSEQUÊNCIA!