Você está na página 1de 9

PROJETO X-PIPE “CROSSOVER” PARA

OPALA 6 CC
COM COLETOR DIMENSIONADO 6X2

ATHAL
www.opala.com.br
Esta é a saída do coletor de escapamento 6x2 do meu opala diretamente
para o abafador duplo. Este seria o sistema “straight” ou de tubos diretos.

Vantagens: se você não tem um bom técnico em descargas, e não usa


tubos restritivos demais, não acostuma a restar potencia ao motor.

Desvantagens: um barulho ensurdecedor a partir de 2.500 RPM, o que


não esta mal si você saca o carro só os domingos para comprar o jornal e
brincar do “final dos tempos”, mas é também uma verdadeira encheção
de saco depois dos primeiros 20 Km de viagem.
Si como Opala e muito carro, e usar ele só para ir procurar o jornal no
domingo e muito pouco para quem gosta mesmo, me decidi a dar uma
solução:

Andei pesquisando por sites americanos e descobri que eles já usavam nos
60’s uma conexão em forma de “H” o “H-Pipe” entre os dois tubos de
descarga dos V-Oitões para equalizar as ondas de choque. Este sistema
silenciava bastante a descarga, em alguns casos aumentava o torque em
baixa rotação, mais em outros casos restava potencia. Os gases não viram
o angulo de 90° entre os dois tubos, só as ondas de choque.

Nos 80’s a normativa da Stockcar americana limitou os Db que podiam


emitir os carros e os engenheiros saíram com um novo design: o “X-Pipe”
ou também chamado “Crossover”. A diferencia com “H-pipe”, o “X-Pipe”
tem um ângulo menor para facilitar o fluxo cruzado dos gases. Ademais
este design potencia o “scavenging effect” que é o efeito da sucção da
descarga no momento do ciclo que existe “overlap” ou sobreposição das
válvulas de admissão e escapamento (ficam as duas abertas). Alguns
engenheiros chamam isto de “5° Tempo” do motor e afirmam que esta
sucção ajuda mais ao enchimento do cilindro, do que o movimento
descendente do pistão em fase de admissão. O fluxo cruzado faz com que
a explosão de um cilindro ajude na descarga da seguinte explosão.

As vantagens deste sistema testadas em dinamômetro (existem muitas


reportagens na internet)são:

1. Redução do barulho, sonido mais agudo, você escuta cada cilindro.


2. Aumento de Torque em toda a faixa de rotação.
3. Aumento de potencia em toda a faixa de rotação.
Revisado o conceito de “XTUBO” vamos para aplicação pratica num
OPALA 6cc com coletor dimensionado 6X2:

Advertência: Para um resultado bom recomendo que vocês imprimam


este manual e acudam a sua loja de descargas de confiança. Eles
possuíram com certeza dobrador de tubo, solda MIG, abridor de tubos
para encaixe e serra. No meu caso fui na Domínio de Petrópolis.

1.- Escolhe dois tubos retos do mesmo diâmetro dos que você já tem
instalados no OPALA. Dobra eles no meio e corta longitudinalmente 2/5
partes o exterior da curva do tubo.
O resultado deve ser este: desenhando duas líneas imaginárias, não deve
existir restrição em nenhum dos dois tubos!!!!!

2.- Unir os dois tubos com solda MIG. Caprichem na solda.


Este è o Baiano, da Domínio, o cara vai se aposentar, ele é fera mesmo.

3.- Passar a esmerilhadora na solda para um bom acabamento.


4.- Soldar uma chapa de reforço no que será a parte inferior para
minimizar as consequências de algum buraco ou pedra de nossas rodovias
e ruas. Si você for um político brasileiro, não precisa deste item de
segurança...

Esta imagem mostra o XTUBO já instalado para teste no opala.

5.- Aplicar pintura térmica para dar maior durabilidade ao conjunto.


6.- Opcional: Si como vou injetar o OPALAO coloquei soldada uma porca
com tampo rosca na parte superior do XTUBO para colocar a sonda
lambda (protegida de pedras e buracos). Estas porcas são vendidas no ML
ou em lojas especializadas. Normalmente a sonda vá colocada 5 cm depois
da junção de cada tubo no coletor, assim os gases estão a máxima
temperatura, e se obtém leituras de todos os cilindros. Como o OPALA
estava com o 6X2 e não queria colocar duas sondas, coloquei a sonda na
junção traseira do XTUBO para ter leitura de todos os seis cilindros.

Sentido de circulação dos gases


Considerações Importantes para a instalação sonda no XTUBO:

1.- Soldar a porca com o tampão parafusado, se não, ela pode


deformar com o calor da solda MIG. Sempre na traseira do XTUBO
para melhor incidência dos gases na sonda e melhor leitura.
Inclinada 60° para evitar que a sonda bata no assoalho do OPALA

2.- Colocar “TERMOTAPE” ou banda de fibra de vidro no coletor 6X2


e no XTUBO para que os gases cheguem a sonda a temperatura
máxima.

3.- Usar sonda autoaquecida de 4 fios.

4.- O fechamento da solda e das junções dos tubos deve ser


PERFEITO: Entradas de ar (O2) detonam a sonda lambda
rapidamente, e dão lugar a leituras erradas.

5.- Este sistema pode ser usado para a instalação de uma sonda
para Hallmeter e não somente para Injetar. A vantagem e leitura
simultânea dos seis cilindros. Os cilindros do meio (3 e 4) sempre
funcionam mais ricos de mistura que os dos extremos (1 e 6). Com a
sonda na junção, a leitura e uma media perfeita de todos os
cilindros.

6.- Que eu saiba, é a primeira vez que uma sonda lambda é aplicada
num X-PIPE, por favor, citem sempre a fonte e o autor quando
reproduzir ou publicar este manual. Obrigado.

Resultado: Si como não tenho verba para brincar no dinamômetro,


somente poso me basear na minha percepção, ou já que estamos, como
os gringos falam: “seat of the pants experience”.

1. Considerável redução do barulho do 6x2X2. Tom mais agudo, sobre


todo em altas rotações.
2. Percebi um aumento de 150 RPM na marcha lenta depois de
instalado o XTUBO, e sem mexer em mais nada.
3. Notei uma subida de giros mais rápida (poderia ser também que
acostumado a escutar o barulhão piso com menos dor o
acelerador).
4. Instintivamente estou trocando de marcha com giros mais baixos
pelo que acho que aumentou um pouco o torque. Por este motivo,
o consumo baixou um pouquinho só.

ATHAL
www.opala.com.br