Você está na página 1de 5

PONTO DE PARTIDA

A idéia proposta é um paradoxo a idéia de gênero socado pela sociedade. Como signo
(figurativo) o estado do Ceará é um homofóbico antipático, que veio crescendo desde as
contações de historia dos nossos avós ao redor da lamparina. Num estado onde as pessoas não
conseguiam se locomover do sertão chegam os trilhos, dando oportunidade aos cearences dos
municípios mais distantes de se locomover, e chegar a cidade e até onde queriam, esses trilhos
trouxeram também o preconceito. Mas, Fortaleza a loira de sol e branca de luares que é
macho e nas “intocas” tem uma cultura totalmente gay.

INTENÇÃO

A esquete tem como objetivo, mostrar o inverso da nossa realidade, ou quem sabe até mostra-
la como ela é, provocando contradições e, em momentos, veracidades em tom irônico de
comedia relatar o ódio dos homofobicos, e com danças e um texto eclético deixar o publico
impactado diante das cenas, Homocearense mostrando que privar-se é a pior saída.

(Começa com musica e dança do coco, tocada por violões e com percussão dançante,
maculele, e quengas de coco, Mulheres dançarão com mulheres e homens dançarão com
homens, em pares, solos e aglomerado)

Musica: No passar da barra.
(MULHERES)
Oh, No passar da barra eu encontrei Maria
Foi Ela quem me ensinou a namorar que eu não sabia
.
(HOMENS)
Oh, no passar da barra eu encontrei João
Foi ele quem me ensinou a namorar que é muito bom.

( Os atores sentam em circulo, bem como podem formá-lo a partir da dança; uma lamparina se
acende no centro da roda,. Uma velha senhora ( Ou Senhor) conta.

Velha: Foi há muito tempo atrás,
Uma moça muito bela,
Tinha os olhos de mel
seu nome era Dorotéia.
Seus lábios, eram suculentos
Os homens não tiravam os olhos dela.

Um cara se aproximou
Tentando conquistár
Mas, ao ouvir os sussuros
Achou melhor se afastar
Hoje sofre calado
Por não ter aproveitado
enquanto podia lhe amar

vou é descarrilhar. (Quando a musica começar. Trabalhador 4: Pois eu. mata. e congela os trabalhadores trablham aos seus pés) Trabalhador 1: Você já observou os trilhos? Eles têm duas linhas paralelas que o trem só pode andar se for por elas. enquanto a velha se levanta da cadeira e vai ao centro do palco segurando a lamparina) Velha: O cara. Outros: ora. sou Lésbica Sou gente como você (os atores formam uma especie de linha. Você só pode ser homem ou mulher. eu. a homofobia. (começa a contorcer-se em dor) O preconceito. trem que descarrilha é trem que não presta. não era um cara. Ai. seu. Trabalhador 2: Nada de descarrilhar. os atores e dançarinos tiram o corpo da velha de cena e começam a construir uma ferrovia) Musica: Ferrovias. que cheios de ódio Tentam sempre se camuflar Eu sou gay. era simplesmente.. Trabalhador 3: Ceará é terra de cabra macho e é assim que o trem tem que andar. E tem que andar nos trilhos. Baitola! (Pode virar chafurdaria) Musica: Seus homofobicos! Esses trilhos nos levam . Por isso seus descarrilhados voltem pros trilhos. dei atenção ao preconceito. E comecei a construir esses trilhos.. e o pior é se permitir morrer (a velha morre). O Medo é um opressor Que te guarda numa caixa E não te deixa sair Não ouça a voz Do preconceito Seja quem você quer ser Já construíram Ferrovias Que tentam nos condenar Trilhos. Deveria ter aproveitado. trilhos que levam um trem cheio de preconceitos. ela e amava mas.(Os dançarinos se afastam.

melhor que ser obrigado a viver num amor que não lhe completa. você tem que entender que os trilhos dessa vida cada vez mais caminham para liberdade. Não existe sexualidade existem pessoas que necessitam de carinho.. as trans e as travestis fazemos parte do mesmo trem. amor e tesão. Fofoqueira 2: Deixe de besteira. piui Quem é você nesse trem Vamos pro mesmo destino Pode se achegar tambem. pan. demi. Faço a abduzida por qualquer bofe Que eu esteja a fim Sou o centro do babado Me amarro numa mala Morram de recalque catrevas e caricatas não passo cheque pois. menina tão dizendo que um rapaz que trabalha no trem é metido a afeminado... Trabalhador 4: Sim. atenção.. não binário. faço a chuca se o êdi é meu se eu quero dar. Fofoqueira 2: E o que que tem o moço ser gay? Se ele nasceu assim não pode negar quem ele é. Fofoqueira 1: Mas. Ao preconceito De qualquer jeito To nem ai. tem bi. ele acha que ele é quem dita os caminhos por onde as pessoas tem obrigação de caminhar) Maquinista: Calado! Quem manda nesse trem sou eu. (O trem segue para a platéia como se deixasse as pessoas nas estações) Musica: Piui. tem lésbicas. .... Fofoqueira 1: Num sei não quero meu ceará longe dessa doença daqui a pouco vai tá infestado dessas coisas de LGBT. Nesse trem vou abalar (O Maquinista é um personagem nojento. Quem manda nesse estado sou eu Eu sou o precoceito Eu quem guio essa gente Você é só um louco que deveria morrer Aberração! Entre nos trilhos. eu faço a Egípcia.. senhor. tem gay.. Fofoqueira 1: Bora cimbora que o trem já vem.

meninas sai do mei Por que meu negocio é homem É verdade eu sou gay Não sou homem nem mulher Não binário sei que sou Me visto como quiser Não me rotulo sou o que sou Me amarro em pessoas Não importa o que elas são Seja gay. Zé: nosso filho. (Maria esta sentada segurando a mão de Zé. Maquinista: Voltem para os trilhos Só existem dois gêneros Duas linhas de ferro Ceará é terra de cabra macho Cearense tem que ser macho! (Quando ele se dirige as mulheres ele pega nos cabelos delas que tem medo dos toques reprováveis) E as mulheres foram feitas Para os homens Maria Sucena: Ô! Zé não vou agüentar mais. vou ter meu filho aqui mesmo dentro desse trem. Agüenta até chegar a Fortaleza. ela sopra e respira ofegante como uma mulher prestes a dar a luz) José Ferreira: Calma. vai ser um menino você vai ver.. (A cena do parto se segue Maria dar a luz dentro do trem) Nos vagões do preconceito Uma Criança se gerou Se era um homem arretado . Maria. Eu gosto de mulher e mulher é muito bom sou hetero amigo. travesti Heteros ou sapatão. esse é o meu som Eu curto um homem Também curto mulher Os dois são muito bom Quando não ficam no meu pé Eu to desencalhado Então.. Maria: Nossa filha quer nascer agora.

Isso ninguém duvidou . tem gays que são tão homens quanto lampião..A terra dos cabra macho A Criança aceitou. o que eu te fiz. Lampião: (Mete a mão no bornal da faca. ele passa o batom de frente pra platéia). e essas lutas são vencidas dentro da própria casa. Na verdade os dois trilhos são O respeito e a igualdade. Não existe Macho ou Fêmea existem humanos que precisam de Respeito. Vamos nesse trem rumo a liberdade. não quero mais guiar as pessoas ao preconceito. Virgulino Ferreira da Silva. eles vencem muitas lutas por dia. xaxa. carinho. Maquinista: Eu sou o Ceará. Hoje eu não mato um homem com uma garruncha ou uma pexeira.. vamos dançar xaxado!!!! Musica: Xaxa Ti! Tum! 4x Xaxado também é gay Se liga ai mermão Xaxa. existem mulheres que são tão mulheres quanto Maria bonita por que sabem perceber a beleza de outras Marias Bonitas. Maquinista: Xaxado é dança macho dos cabras de lampião Nasceu um cabra macho. e tira um batom. Eu mato o preconceito. Lampião: Olha cabra safado. Ser macho não é faltar com respeito. amor e tesão. Eu vou te ensinar uma lição Maquinista: Mas. xaxado sou gay do sertão! .

Interesses relacionados