Você está na página 1de 3

MONITORIZAÇÃO

=>(PROVA) -> 5 monitorizações básicas (indispensáveis para qualquer procedimento anestésico): ECG / OXIMETRO(SPO2) / PANI ( pressão
arterial não invasivo) / CAPINÓGRAFO(CO2) / ESTETOSCÓPIO.

Não há ordem de importância.

ECG: É importante monitorizar pois tem alterações tanto no ritmo quanto na frequencia. INDICAÇÕES:

-arritmia

-parada cardíaca

Na frequencia bradcardia

Alteração tanto no ritmo quanto na frequencia pode ocorrer no procedimento.

Variação D2 para avaliar ritmo cardíaco (arritmia), e pra isquemia miocárdica intra operatória (infarto) é a derivação V5.

Análise de seguimento ST: repolarização ventricular.

Supra de ST(sai da linha de base).

COMPLICAÇÃO:

-queimdura

-mal posicionamento dos eletrodos

-examinador dependente (complicação mais classica é a falha do operador) = análise e diagnóstico errado = tratamento errado.

Quando estiver fazendo anestesia, o ideal é ter pelo menos 2 derivações para analisar a D2 e V5.

PANI (PA não invasiva)

Indicado para controle fino da PA. Hipotensão, hipertensão, sangramento.

Algumas drogas anestesicas podem aumentar a PA e outras podem diminuir a PA, por isso é fundamental por conta dessas variações
pressóricas no intra operatório.

Tipos: PALPAÇÃO / AUSCULTA / OSCILOMÉTRICO

Oscilométrico : Diferença de fluxo - pega pico sistólico e diastólico por um calculo = PAM ( diferença de fluxo até onde some a PA sistólica). É o
metodo mais fidedigno, é bem proximo da PA invasiva. Obs:não pergunta como funciona na prova.

COMPLICAÇÕES: manometro descalibrado; tamanho do manguito (muitas vezes ocorrem em pacientes pediatricos e em obesidade mórbida a
PA pode ficar subestimado ou hiperestimado).esse manguito infla de 5 em 5 min, a pessoa pode sentir dor, isquemia, hematomas, feriadas,
arrancamento de pele.

PAI (pressão arterial invasiva)

Indicações: paciente com instabilidade hemodinâmica (ex: pcte com sepse=choque); pacientes de risco; paciente com grande chance de
instabilidade durante a cirurgia (pctes instáveis/graves), ou pctes instavéis que vão ser submetidos a cirurgia com muito risco de instabilidade
hemodinâmica no intra operatório (ex; pcte 18 anos que vai tirar TU intestinal, muito risco de sangramento/instab. Hemodinâmica).

Sempre que o pcte ou cirurgia possam desencadear instabilidade hemodinâmica no intra operatório, faz PAI.

--Punção da artéria radial: (geralmente usamos a artéria radial nessa técnica)

Faz uma hiperestensão da mão e prende(faz um coxim). Palpa estiloide do radio 1 cm, então introduz uma agulha e pega a artéria radial.

COMPLICAÇÕES : trombose, isquemia de MMII, necrose de dedo e embolia.

Por isso tem indicação de custo benefício fazer PAI, pois há complicações e elas são graves podendo evoluir para amputação.

PVC (punção venosa central): punção de subclávia e técnica da jugular.


Divide clavicula em 3 e na união do terço proximal com terço distal faz a punção.

Técnica jugular: localizar esternocleidomastoideo, ai tem 2 porções e formam um triangulo. No vértice desse triangulo na direção do mamilo
que faz a punção.

Anestesio local (com xilocaína), faz bloqueio, coloco agulha de punção ate vir sangue. Assim que localizar, devo por fio guia que dilata
pele/subcutaneo e introduz o cateter. A chance dessa tecnica é menor pq fio guia é firme e ele não se perde, exceto risco de fazer embolia de
cateter que se introduziu muito raso fio, podendo perde-lo = cirurgia.

Outras COMPLICAÇÕES: tamponamento cardíaco, arritmia cardíaca, pneumotórax, pneumomediastino, embolia de cateter.

Faz quando tem falha no acesso periférico.

Indicações de cateter central: reposição de volume hiperosmolar, pois se fizer em cateter periférico pode dar flebite; reposição de drogas
vasoativas(adrenalina, noradrenalina), medir pressão venosa central(PVC) para medir pressão do atrio direito.

Obs:para reposição de grande volume opta-se por gelco 14 na fossa anticubital.

Quanto maior o calibre, maior o fluxo; quanto maior o comprimento, menos o fluxo.

Trauma:reposição volumétrica não se faz por cateter central.

DÉBTO CARDÍACO

Tecnica cateter ou Sanz-Ganz.

Indicações:

Cateter de S.G. para medir: pressão do coração esquerdo / debito cardíaco.

Avaliar pré carga, volume sistólico, e débito cardíaco.(usa-se muito cateter de Sanz-Ganz). Principalmente cirurgia cardíaca, terapia intensiva:
choque cardiogênico, choque hemorragico).

Ecocardiograma transesofágico – indicações: PVD, PVE, pre carga, pos carga...Avalia tudo que o cateter S.G. avalia,só que com menos
compicações.(da pneumotórax, perfura o coração).

CAPNÓGRAFO

Mede CO2.

Paciente respirando: expira->CO2

Inspira->O2

O capnógrafo analisa o CO2 na expiração e faz uma curva:analisa curvas e numeros.

-melhor método pra saber se o pcte foi entubado corretamente. CO2 tem relação direta com o metabolismo(CO2 caindo é sinal clássico de
diminuição do debto cardíaco). Durante uma parada cardiorespiratoria e o CO2 está acima de 20, indica que minhas manobras estão corretas e
que ele tem mais chance de voltar dessa parada)

Ex: pcte sob anestesia, estavel. De repente, curva de CO2 começa a cair. Isso significa que está eliminando menos CO2, com isso sei que a
troca de CO2 a nivel pulmonar esta diminuindo ou pq a ventilação está errada ou esta indo menos sangue para o pulmão para a troca. Tem
que ver se esse pcte não está diminuindo debto cardíaco (menos sangue no pulmão, menos troca, menos CO2 sendo liberado).

Ex: pcte ventilando adequadamente, e de repente faz parada cardiaca (não vai sangue para o pulmão, não faz troca. CO2 abaixo de 20. Se faz
massagem cardiaca e o CO2 volta a aumentar, significa que o debto cardiaco esta voltando a estabelecer. Pcte em parada card. e vc esta
fazendo massagem card, se o CO2 chega a 20, tem mais chance de tirar esse pcte da parada card.

Obs: nesses casos anteriores, a ventilação está normal. DC diminuido e FC estavel, cuidado pois logo essa FC vai diminuir. Isso também ocorre
com a PA que é medida de 5 em 5 min.

Obs: cada curva é uma respiração do pcte.

OXÍMETRO

É o que coloca o dedo.


Parte de cima e parte de baixo ficam mandando luzes vermelhas e infravermelhas(da a saturação a infravermelha).

Avalia absorção e emissão desses feixes.

SO2=99 (significa que 99% da hemoglobina esta sendo saturada por O2).

Quando saturação periférica for < 90 é ruim, há algo ocorrendo. Quando cai abaixo disso, pcte perde sensibilidade de saber isso. Ex: aparece
80 no monitor, mas já pode estar abaixo disso.

COMPLICAÇÕES: sob muito frio o pcte pode ter hipotermia / esmalte escuro pq pode alterar a função do exame / hipotensão / vasoconstrição
periférica / queimadura (luz pode esquentar e queimar edo de recém nascido, principalmente pre termo – ir trocando de dedo ou de mão.
Não deixar por muito tempo).

PLANO ANESTÉSICO

BIS

Eletrodos captam ondas encefalográficas. Traduzem um numero no monitor.

Monitor usado para análise de plano. Eletrodo capta onda eletroencefalograficas, quando captado pelo monitor ela é transformada em
número.

Pcte anestesiado 40-60

Pcte profundo?? 20-40

Morte cerebral < 20

Fala se o pcte está bem anestesiado. Da uma dose padrão de anestesia, mas depende do pcte.

Anestesia de menor = recordação do ato cirurgico

Anestesia a mais = pode dar parada cardiorespiratória.

Ajuda a minimizar complicações, mas não significa que é totalmente seguro.