Você está na página 1de 2

UCB/ Direito Processual do Trabalho

José Amaro Bastos Ribeiro


MATRÍCULA - 2015200247
joseamaro.direitoucb@gmail.com (21) 964673023
PROFESSOR: ALEKSANDER ESTEPHANIO

RESENHA CRÍTICA

Recurso pode ser conceituado como um meio processual que se propõe ao reexame ou
revisão de decisão judicial a fim de que seja reformada ou modificada pelo órgão prolator e/ou pelo
órgão superior ao prolator dessa decisão. A natureza jurídica do recurso é de direito subjetivo
processual, que nasce com o decorrer do processo. Sua interposição é facultativa e integra o direito
de ação. Conforme determina o art. 899 da CLT,  os recursos serão interpostos por simples petição e
terão, em regra, efeito meramente devolutivo. É importante destacar que o princípio da manutenção
dos efeitos da sentença prevê como exceção o efeito suspensivo dos recursos trabalhistas,
prestigiando, dessa forma, a manutenção dos efeitos da decisão objurgada.

Sobre o efeito devolutivo podemos afirmar que ele é entendido como uma fragmentação da
competência funcional, relacionado à possibilidade de reexame de determinada decisão pelo
judiciário, não necessariamente, por órgão superior, como é o caso dos embargos de declaração.
Esse efeito relaciona-se intimamente com o princípio da dialeticidade ou da discursividade, que
define a necessidade de fundamentação dos recursos e impede a interposição genérica, por simples
petição, sem motivação ou razões recursais. A profundidade do efeito devolutivo diz respeito à
qualidade das matérias apreciadas na instância recursal, de acordo com art.155, § 2 do CPC.

Diferentemente do processo civil, no qual a regra é a existência de efeito suspensivo,


conforme indica o art. 520 do CPC, no processo trabalhista, informado pelo princípio da
manutenção dos efeitos da sentença, a regra é a presença singular do efeito devolutivo, nos termos
do art. 899 da CLT. O efeito suspensivo tem o condão de adiar os efeitos da decisão recorrida e,
assim, impedir a sua execução provisória.

O efeito translativo diz respeito às questões cognoscíveis ex officio, ou seja, as questões


que podem ser conhecidas pelo magistrado mesmo que não haja qualquer manifestação das partes,
desta maneira, podemos observar que o efeito translativo é relacionado ao princípio inquisitório,
uma vez que se refere à atividade jurisdicional não vinculada à manifestação das partes, havendo
nesse ponto, liberdade de iniciativa ao magistrado.
UCB/ Direito Processual do Trabalho
José Amaro Bastos Ribeiro
MATRÍCULA - 2015200247
joseamaro.direitoucb@gmail.com (21) 964673023
PROFESSOR: ALEKSANDER ESTEPHANIO

De acordo com o art. 509 do CPC o recurso interposto por um dos litisconsortes a todos
aproveita, salvo se distinto ou opostos os seus interesses, este é o efeito expansivo que permite que
diante do julgamento do recurso de uma parte sejam alcançadas outras questões não recorridas ou
pessoas que não recorreram. Este efeito também se dá nos casos de reconhecimento de falta de
pressuposto processual, de condição da ação ou de prescrição em que se afasta a condenação
eventual da parte que não recorreu.

Referências Bibliográficas:
https://www.jusbrasil.com.br/topicos/10636485/artigo-899-do-decreto-lei-n-5452-de-01-
de-maio-de-1943
https://direitoreal.com.br/artigos/recursos-trabalhistas
https://www.jusbrasil.com.br/topicos/1064730/principio-da-manutencao-dos-efeitos-da-
decisao