Você está na página 1de 4

Pensamento Econômico I – 1º semestre de 2016

Profº André Guimarães Augusto

Questões de leitura para a primeira prova:

1) Porque para os mercantilistas a fonte da riqueza estaria em superavits comerciais?

2) Porque para os fisiocratas a fonte da riqueza estaria na agricultura?

3) Explique como a divisão do trabalho leva ao aumento da riqueza para Smith.


Obs.: O aumento da quantidade de trabalho deve-se a três fatores: aumento da destreza do
trabalhador, economia de tempo que seria gasto ao passar de um trabalho a outro e à invenção de
máquinas que facilitam e abreviam o trabalho.
O aumento da riqueza, segundo Smith, é determinado pelo aumento de produtividade do trabalho
produtivo e pela relação entre o número de trabalhadores empregados produtivamente e a população
total. O crescimento da produtividade tem origens na divisão e especialização do trabalho e
proporciona o aumento do excedente sobre os salários, permitindo assim uma acumulação de
estoque de .capital, variável determinante para o aumento do emprego produtivo. Com mais
demanda de mão-de-obra, causada pelo processo de acumulação de capital, há um aumento dos
salários e, pela melhora das condições de vida da população, um aumento populacional. O aumento
do emprego, do salário e da população faz aumentar o tamanho dos mercados, que é um
determinante da extensão da divisão do trabalho, para dado estoque de capital. Inicia-se assim a
expiral de crescimento.

4) Explique porque a troca está na origem da divisão do trabalho segundo Smith.


A certeza de poder permutar toda a parte excedente da produção de seu próprio trabalho, que
ultrapasse seu consumo pessoal, estimula cada pessoa a dedicar-se a uma ocupação específica, e a
cultivar e aperfeiçoar todo e qualquer talento que possa ter por aquele tipo de ocupação ou negócio
e isso leva à divisão do trabalho.

5) Explique a relação entre tamanho dos mercados e crescimento em Smith.


A acumulação de capital está na origem da divisão do trabalho. Essa divisão leva ao aumento da
produtividade do trabalho que tem o efeito de aumentar a renda per capita da população. O aumento
da renda, aliado ao aumento populacional, leva ao aumento do tamanho do mercado (crescimento).
Obs.: antes de a pessoa executar seu trabalho e vendê-lo, é necessário acumular em algum lugar um
certo estoque de bens de diversos tipos, estoque este suficiente para manter o trabalhador e provê-lo
dos materiais e instrumentos necessários para seu trabalho. Assim, a acumulação de capital deve ser
anterior à divisão do trabalho.

6) Discuta o conceito de trabalho produtivo em Smith.


Trabalho útil ou produtivo seria aquele que produz um excedente de valor sobre seu custo de
reprodução.
Segundo o professor, trabalho produtivo é aquele empregado (pago) com o capital, enquanto que o
trabalho improdutivo seria o que é pago com a parte da renda que é usada para consumo final.

7) Explique porque a acumulação de capital representa aumento da demanda de trabalho em Smtih.


O aumento do estoque de capital faz aumentar a concorrência desses capitais, aumentando a oferta
no mercado, para isso há uma maior demanda de trabalho.

8) Explique de que depende a Acumulação de capital em Smtih.


A parcimônia e a frugalidade, e não o trabalho, são a causa imediata do aumento de capital.
É o volume de poupanças, limitado pelo excedente gerado acima das necessidade de auto-
reproduação do sistema econômico e determinado pela parcimônia dos agentes produtivos, a causa
imediata do aumento de estoque de capital.

9) Explique como deveria ser o financiamento da acumulação de capital de Smith.


O dinheiro que é tomado em empréstimo e que supostamente só poderá ser reembolsado após
decorridos vários anos, não deve ser tomado de um banco, mas deve ser emprestado, sob garantia
de obrigação ou hipoteca, diretamente de pessoas particulares que se propõem a viver dos juros de
seu dinheiro, por não quererem, elas mesmas, sofrer com os incômodos de aplicar seu capital. Smith
acredita que é um risco o banco dar crédito.

10) Apresente o argumento de Smith para defender que aumento na quantidade de meio circulante
não levaria a aumento dos preços (inflação).
Se houvesse um aumento da quantidade do meio circulante, além do que a circulação no país tinha
condições de absorver e empregar com facilidade, esse meio circulante voltaria aos bancos, a fim de
ser trocado por ouro e prata (Lei do Refluxo). A quantidade de ouro e prata que é retirada do
dinheiro em circulação é sempre igual à quantidade de papel acrescentada à mesma, o papel-moeda,
portanto, não aumenta necessariamente toda a quantidade do dinheiro em circulação. Logo, ele não
aumentaria necessariamente o preço das mercadorias.
A quantidade de dinheiro deve crescer naturalmente em cada país na medida em que aumenta o
valor da prodiução anual.

11) Por que para Smith o trabalho seria a fonte original do valor ?
Segundo Smith, é impossível medir o valor de uma mercadoria pela quantidade de dinheiro (ouro)
que é trocado por ela, uma vez que o ouro sofre alterações em seu valor. A sociedade, baseada na
divisão do trabalho, é uma sociedade de pessoas que trabalham e que, na troca dos produtos frutos
de seu trabalho, trocam indiretamente seu trabalho. Essa troca, portanto, reduziria-se à aquisição do
trabalho de outras pessoas em troca de seu próprio produto. A quantidade de trabalho que pode ser
adquirida e comprada (comandada) em troca de uma mercadoria seria, portanto, a medida de valor
dessa mercadoria.

12) Explique a teoria do valor nos tempos primitivos segundo Smith.


O trabalho seria a origem do valor, sendo a quantidade de trabalho comandado a medida desse
valor. Não há acumulação de capital na divisão do trabalho pois não existem empregadores e
empregados e os produtores de mercadorias são independentes. O trabalhador se apropria de todo o
produto. O trabalho contido (quantidade de trabalho gasta para produzir uma mercadoria) seria igual
ao trabalho comandado (quantidade de trabalho que se pode comprar). A variação do valor da
mercadoria dependeria somente da produtividade.

13) Explique o que se modifica na determinação do valor nos tempos civilizados segundo Smith
Nesse caso, há acumulação de capital. Surgem as figuras dos empregadores, empregados, lucro,
apropriação privada da terra e, consequentemente, a renda da terra. A medida do valor de troca
continua sendo o trabalho comandado (salário + lucro + renda) e o valor do trabalho (salário), o
trabalho contido. O trabalho contido, então, seria diferente do trabalho comandado. Sendo esse
maior do que aquele.

14) É possível afirmar que Smith tem duas teorias de valor ? Justifique sua resposta.
Valor de Troca
 Determinantes do valor e das suas mudanças.
 Padrão invariável que mede o valor (medida do valor)
Segundo Rubin, há úm dualismo no núcleo da Teoria do Valor de Smith:
 a investigação do que causa as mudanças no valor;
o Leva a um conceito da quantidade de trabalho despendido na produção de um
dado produto.
 busca por uma medida invariável do valor.
o Leva a um conceito da quantidade de trabalho que uma dada mercadoria pode
adquirir ou comprar por meio da troca.
O trabalho comandado é a medida do valor de Smith. Ocorre que nos tempos primitivos, o trabalho
contido era o que determinava o trabalho comandado e nos tempos civilizados, são o salário, lucro e
renda da terra que determinam esse trabalho.

15) Explique o que são os preços naturais de Smith.


Os preços naturais são preços médios naturalmente regulados e suficientes para pagar os três
componentes dos custos: salários, lucro e a renda da terra. Sendo esses também de acordo com as
suas taxas naturais. São preços de livre concorrência, o mais baixo que os vendedores em geral
aceitam para continuarem no mercado.
São diferentes do preço de mercado, pois esse é aquele efetivamente transacionado entre o ofertante
e o demandante. Os preços de mercado tendem a gravitacionar ao redor do preço natural.

16) Explique o mecanismo e o conceito de concorrência em Smith.


A concorrência em Smith é aquela em que há um balanceamento de interesses (encontro de
necessidades), que encontram um ponto natural, em torno do qual giram seus preços. Ao ofertante
não interessa que haja mais mercadorias no mercado do que há demanda efetiva para elas. Caso
algum dos fatores que compõem os custos da mercadoria exceda ao seu preço natural, a oferta desse
fator tenderá a aumentar influenciando com que seu preço volte a girar em torno do seu preço
natural. Caso algum fator desça abaixo do preço natural, a oferta desse fator tende a dimunir,
reduzindo a quantidade de mercadoria disponível no mercado e fazendo com que seu preço volte a
se aproximar do preço natural. Isso ocorreria onde houvesse liberdade plena.

17) Qual a relação entre preços naturais e preços de mercado em Smith ?


Os preços de mercado podem estar acima ou abaixo dos preços naturais. Quando a demanda efetiva
de uma determinada mercadoria é maior do que a quantidade dessa mercadoria colocada no
mercado, não haverá mercadoria suficiente para atender aqueles que estão dispostos a pagar o seu
preço integral – salários + lucro + renda da terra; dessa forma alguns estarão dispostos a pagar mais.
Iniciada a concorrência entre os demandantes, o preço de mercado tende a subir, ficando maior do
que o preço natural. Quando a demanda efetiva for insuficiente para a quantidade de mercadoria
colocada no mercado, ocorrerá o contrário, ou seja, parte dos compradores não aceitarão pagar o
preço integral das mercadorias e os vendedores iniciam uma concorrência para desembaraçar-se do
excedente, fazendo com que os preços de mercado tendam a ficar menor do que o preço natural.
Quando ocorrer de a demanda efetiva for igual à oferta, os preços de mercado serão
aproximadamente iguais aos preços naturais.

18) Como Smith explica a determinação da taxa natural de salários ? Há alguma diferença entre os
tempos primitivos e os civilizados em relação à taxa natural de salários ?
A taxa natural de salários é uma taxa comum ou média regulada naturalmente em parte pelas
circunstâncias gerais da sociedade – sua riqueza, pobreza, sua condição de progresso, estagnação ou
declínio, e em parte pela natureza específica do emprego ou setor de ocupação. É um fundo que
garante a sua subsistência.
Nos tempos primitivos não havia empregador e empregado, não havia divisão entre salario, lucro e
renda da terra. Cada um só podia receber aquilo que vendia, o equivalente ao que produziu. Quanto
maior for a produtividade, mais ele pode comprar coisas  salário real.
Com o aumento da renda e de capital, há um aumento da riqueza nacional e por causa dela o
aumento da demanda de pessoas que vivem de salário. Quando isso ocorre continuamente, sem a
contrapartida do aumento do número de trabalhadores (escassez de mão-de-obra), há um
concorrência entre os patrões, que disputa, entre si para conseguir operários, e dessa forma
voluntariamente violam o natural conluio patronal para que não se elevem os salários.
A remuneração generosa do trabalho é o efeito da riqueza crescente e a causa do aumento da
população.
Ver pagina 130.

19) Pode se afirmar que de acordo com Smith a renda da terra é um componente do custo ?
Explique porque.
No momento em que toda a terra tornou-se propriedade privada, os proprietários dessas terras
exigem uma renda pelos produtos naturais delas.O trabalhador que apanha esses produtos naturais
deve dar parte do que colhe ou produz de seu trabalho ao proprietário da terra. Essa porção constitui
a renda da terra, o que tornou-se a terceira componente do preço (=custo?), além dos salários do
trabalhador e do lucro do empresário.

20) Como se comporta a distribuição de renda em uma economia em crescimento segundo Smith ?
Em uma economia em crescimento, os salários naturais aumentam mas os seus efeitos sobre os
preços, em uma economia em crescimeno, não é relevante visto que há aumento da produtividade. A
posição dos trabalhadores melhora. Para a sociedade como um todo há um aumento de bem-estar e
justiça, da eficiência (laboriosidade) e um efeito sobre os preços. Comparando-se o aumento salarial
com o aumento dos lucros, aquele cresceria em progressão aritmética e esse em progressão
geométrica, portanto, os lucros altos tendem muito mais a aumentar o preço do trabalho do que os
altos salários.
A renda da terra aumenta em termos reais, há aumento da produção da terra (agrícola) e os preços
dos manufaturados diminuem (pois há aumento de produtividade).
Os lucros são fundamentais pois parte deles é utilizado para a acumulação de capital. Havendo
lucros, aumenta também o estoque de capital, aumentando a oferta de mercado (concorrência), o
que leva ao esgotamento dos mercados e por conseguinte a queda dos lucros. Portanto há uma
dimiuição dos lucros.

21) Como se comporta a distribuição de renda em uma economia em declínio segundo Smith ?
Em uma economia em declínio, os salários tendem a cair ao nível mínio e, eventualmente, podem
ultrapassar o nível mínimo, caso a população continue crescendo com a demanda de trabalho
diminuindo. O tamanho da população vai se adequar ao mínimo de salários. Já os lucros
aumentariam, pois dimuem a quantidade e a concorrência de capitais. Além disso, a diminuição do
custo (salários) seria outro fator que explicaria o aumento dos lucros. A renda da terra também
cairia.
A situação de crescimento, da economia em progresso, é a melhor situação para a sociedade. O
Estad

22) Explique porque para Smith lucro é diferente de salário.


O lucro é regulado por princípios totalmente diferentes do salário. Enquanto este é proporcional à
quantidade, dureza ou engenho, aquele é regulado pelo valor do capital ou patrimônio empregado.
Lucro é inversamente proporcional ao aumento do estoque de capital