Você está na página 1de 11

COLÉGIO NOSSA SENHORA DA PIEDADE

Programa de Recuperação Paralela


2ª Etapa – 2011

DISCIPLINA: PORTUGUÊS PROFESSOR: CRISTIANE LOPES


ANO: 7º TURMAS: 7.1 e 7.2

 Caro aluno, você está recebendo o conteúdo de recuperação.


 Faça a lista de exercícios com atenção, ela norteará os seus estudos.
 Utilize o livro didático adotado pela escola como fonte de estudo.
 Se necessário, procure outras fontes como apoio (livros didáticos, exercícios além dos propostos,
etc.).
 Considere a recuperação como uma nova oportunidade de aprendizado.
 Leve o seu trabalho a sério e com disciplina. Dessa forma, com certeza obterá sucesso.
 Qualquer dúvida procure o professor responsável pela disciplina.

Conteúdo Recursos para Estudo / Atividades

Leitura e interpretação; - Gramática Reflexiva - capítulos 1 ao


Pronome; 5;
Verbo; - Livro RCE número 1;
Preposição; - Anotações no caderno;
Conjunção. - Avaliações da 2ª. etapa.
Rede de Educação Missionárias Servas do Espírito Santo
Colégio Nossa Senhora da Piedade
Av. Amaro Cavalcanti, 2591 – Encantado – Rio de Janeiro / RJ
CEP: 20735042 Tel: 2594-5043 – Fax: 2269-3409
E-mail: cnsp@terra.com.br Home Page: www.cnsp.com.br

ENSINO FUNDAMENTAL II
Área de Conhecimento: CÓDIGOS E LINGUAGENS Disciplina: PORTUGUÊS

BLOCO DE ATIVIDADES Etapa: 2° Professor: CRISTIANE

Nome do (a) aluno (a): Ano: 7° Turma: Nº

LEIA a tira a seguir e RESPONDA às questões de 1 a 4.

Calvin utiliza o futuro do pretérito em duas situações. Ele poderia empregar os


verbos no presente, mas escolheu o futuro. Compare:

Eu gosto de saber “eu gostaria de saber”


Você pode sugerir algo? “Você poderia sugerir algo?”

1) Qual dos tempos verbais demonstra mais educação para com o interlocutor?
___________________________________________________________________
___________________________________________________________________
______________________________________________________

2) No 2º balão, Calvin diz: “estou procurando por algo que possa arremessar uma
carga de 25 kilos de
neve...”. Por que ele empregou o presente do subjuntivo nessa situação?
___________________________________________________________________
___________________________________________________________________
______________________________________________________

No 2º balão, Calvin emprega duas vezes a palavra algo.

3) A que classe gramatical essa palavra pertence?


_________________________________________________________________

4) O que o uso dessa classe de palavra demonstra em relação ao objeto que Calvin
está procurando?
___________________________________________________________________

LEIA esta outra tira e RESPONDA às questões de 5 a 9:

(Laerte. Suriá, a garota do circo. São Paulo: Devir/Jacaranda, 2000. p. 63.)

A tira é construída com verbos no passado e verbos no presente.

5) Quais são os verbos que estão no pretérito perfeito? Quem realizou as ações
indicadas por eles?
___________________________________________________________________
___________________________________________________________________
6) Que verbos estão no presente? Quem realiza as ações indicadas por eles são
Suriá e Felipe ou os amigos deles?
___________________________________________________________________
___________________________________________________________________

Suriá e Felipe poderiam ter ido direto ao assunto, usando somente os verbos no
presente.VEJA como eles poderiam ter falado:

— Você gosta de mim?


— Você quer namorar comigo?
— A gente está namorando?

7) No entanto, Suriá e Felipe preferiram um caminho mais longo, citando amigos e


coisas que foram ditas. Por que você acha que eles escolheram esse caminho?
___________________________________________________________________
___________________________________________________________________

No último quadrinho, aparecem os amigos citados.


8) Que modo verbal é utilizado em “Beija! Beija! Beija!”?______________________

9) O uso desse modo verbal dá a entender que os amigos queriam ou não queriam o
namoro de Suriá e Felipe?
___________________________________________________________________
___________________________________________________________________
___________________________________________________________________

LEIA o anúncio a seguir para responder às questões de 10 a 13:

Não existe nada melhor que aproveitar o sol. Afinal, ele também é vital para sua
saúde. Agora, tomar sol, só com protetor solar, até às 10 h e depois das 16 h. Essa é
a melhor maneira de prevenir e combater o câncer de pele. Mesmo assim, a cada
ano aumentam as vítimas do câncer de vaidade, câncer de desinformação, câncer
de negligência. Procure um médico e faça os exames preventivos. Quanto antes
você tomar essa atitude, melhor.

(Folha de S. Paulo, 29/12/2000.)


No anúncio, vemos em destaque a expressão “câncer de vaidade”.
10) Qual é o valor semântico da preposição de nessa expressão?
___________________________________________________________________
___________________________________________________________________
11) Se vaidade não é um tipo de doença, então o que o anunciante quer dizer com
essa expressão?
___________________________________________________________________
___________________________________________________________________

12) Considerando essa finalidade e também o fato de que o anúncio foi publicado
num jornal de grande circulação, a expressão “câncer de vaidade” contribui para que
o anúncio atinja seu objetivo? Por quê?
___________________________________________________________________
___________________________________________________________________

LEIA a tira a seguir e RESPONDA às questões 13 a 17:

(Ziraldo. O Menino Maluquinho. 5. ed. Porto Alegre: L&PM, 1991. p. 32.

OBSERVE a fala do Menino Maluquinho no último balão.


14) Sua linguagem imita supostamente a linguagem de quem?
___________________________________________________________________
___________________________________________________________________

15) EXPLIQUE o sentido da palavra caçar no contexto.


___________________________________________________________________
___________________________________________________________________

A linguagem que o Menino Maluquinho empregou não está de acordo com a


variedade padrão da língua nem com nenhuma outra variedade.

16) Que modificações você faria nessa fala, para que ela ficasse aceitável em nossa
língua?
___________________________________________________________________
___________________________________________________________________
17) O emprego do pronome mim está adequado? Por quê?
___________________________________________________________________
___________________________________________________________________

LEIA o anúncio abaixo para responder à questão 18:

(
18) Na capa da revista anunciada aparece a frase “Tira, põe... ache o lugar”, que
possivelmente remete a uma reportagem sobre armários e estantes.

Provavelmente, que conjunção coordenativa está implícita entre as orações “Tira” e


“põe”?
___________________________________________________________________
___________________________________________________________________

E entre “Tira, põe” e “ache o lugar”?


___________________________________________________________________
___________________________________________________________________

Produção Textual
PROPOSTA DE REDAÇÃO - VINGANÇA HOJE - CONTO FANTÁSTICO

Para produzir o seu texto, você deve seguir a definição de gênero logo abaixo
descrita.

CONTO FANTÁSTICO
O tema é único e deve ser desenvolvido segundo a proposta escolhida. A fuga
do tema anula a redação. A leitura da coletânea abaixo é obrigatória. Você não deve
copiar trechos ou frases. Seu texto não deve ser assinado.
TEMA

VINGANÇA HOJE

a)

Aristóteles, filósofo das virtudes, tem na justiça um especial apreço. O homem,


em sua concepção, é um animal social dotado de logos (discurso, razão). Sua
concepção finalista do universo faz crer que tudo o que existe está engajado numa
ordem universal. Tudo serve para algo, ou seja, tem uma finalidade. Assim, a
finalidade da árvore é resfriar o solo, disponibilizar madeira e, em algumas espécies,
dar frutos. A finalidade da água é refrescar e nutrir os seres vivos. A finalidade da
minhoca é preparar o solo para as plantações. Já o sol existe para esquentar e
iluminar.

Mas e o homem? Qual a finalidade dele? Qual o seu lugar natural? O homem é
um animal complicado para os aristotélicos. Enquanto os demais seres vivos
possuem instintos aguçados, que dizem como eles devem viver em qualquer
situação, o homem não nasceu com tal capacidade. A única coisa que o diferencia
dos demais é o logos, que lhe confere a liberdade de poder agir e viver de várias
formas possíveis. Porém, o estagirita nos alerta para o fato de que seja qual for a
vida que o homem escolha, ele só viverá bem na pólis. Na cidade, com os demais
homens. Viver engajado na sociedade não basta para ser eudaimonico, feliz, é
verdade. Porém, se coloca como condição essencial para desenvolver suas
finalidades. Não é possível, em sua perspectiva, que os homens consigam conviver
manifestando todo o seu potencial em uma sociedade sem regras ou sob a
ameaçaameaça constante destas serem quebradas.

A reação colérica frente ao prejuízo deliberado de uma pessoa sobre a outra é


vista por Aristóteles como emotiva e justificável. A vingança é uma reação natural
das capacidades morais.

Aristóteles vê a ira motivada por uma injustiça como algo positivo. Essencial para
os homens virtuosos. O sábio jamais deve se aquietar frente ao ato injusto. O
sentimento de ódio que ele cultiva frente ao mal é essencial para atemorizar todo
aquele que pretende- lhe causar um dano. Em certos aspectos, este sentimento
colérico representa a marca da justiça incorporada nos homens bons.

REVISTA FILOSOFIA. Edição 46, maio de 2010.

b)
Mas se alguém agir premeditadamente contra o seu próximo, matando-o à
traição, tirá-lo-ás do meu altar, para que morra. O que ferir a seu pai, ou a sua mãe,
certamente será morto. E quem raptar um homem, e o vender, ou for achado na sua
mão, certamente será morto. (...) Mas se houver morte, então darás vida por vida.
Olho por olho, dente por dente, mão por mão, pé por pé, queimadura por
queimadura, ferida por ferida, golpe por golpe.

Êxodo, 21:14-25

c)
Dizem que a vingança é doce; à abelha custa-lhe a vida

SILVA, Carmén.

d)

Eu, porém, vos digo que não resistais ao mal; mas, se qualquer te bater na face
direita, oferece-lhe também a outra e, ao que quiser pleitear contigo, e tirar-te a
túnica, larga-lhe também a capa. Se qualquer te obrigar a caminhar uma milha, vai
com ele duas. (...) Ouvistes que foi dito: Amarás o teu próximo, e odiarás o teu
inimigo. Eu, porém, vos digo: Amai a vossos inimigos, bendizei os que vos maldizem,
fazei bem aos que vos odeiam, e orai pelos que vos maltratam e vos perseguem.

Mateus 5:39-45

f)

Mas nossa perspectiva religiosa pode ser outra. Muito parecida com o judaísmo,
mas não igual. Os cristãos, aqueles que professam sua fé em Jesus Cristo como
filho de Deus, messias, cordeiro sacrificado para redenção dos pecados do mundo,
possuem outra perspectiva da vingança. A mensagem principal do pensamento
cristão não é a busca pela justiça divina, como ocorre no judaísmo e no islã, mas a
manifestação do amor de Deus pelos homens. Pelo sofrimento e morte do Cristo,
que é a própria divindade encarnada, somos salvos dos nossos pecados e
habilitados a morar novamente no paraíso. Em seu novo testamento, Deus se
preocupa mais com a redenção do que com a punição dos nossos desvios.

Jesus Cristo, arauto da nova fé, se faz claro ao afirmar que, quem quiser alcançar
o perdão de Deus e habitar o paraíso, deve ser capaz de perdoar todo aquele que
lhe fizer mal. A lei mosaica diz que o justo deve punir o injusto, que o servo
obediente deve punir o pecador. Porém, quem teria condições morais suficientes
para levar a cabo a justiça de Deus e condenar o seu próximo? Que homem, além
do Cristo, é tão puro e correto que possa colocar em prática a justiça de Deus?
Segundo as normas bíblicas, ninguém. Todos cometemos deslizes e buscamos o
perdão. Deus é o único ser inteiramente justo capaz de se vingar. Se Ele, no alto de
sua justiça e glória, se faz humilde ao nos perdoar, porque então nós, que somos
menos perfeitos, não somos capazes de fazer o mesmo?

REVISTA FILOSOFIA. Edição 46, maio de 2010.

h)

A justiça ocidental moderna assegura que os modos punitivos legais


conteriam a finalidade de reabilitar e fazer o culpado alcançar a readaptação na
sociedade. Porém, grupos e instituições civis conclamam a sociedade a refletir se os
formatos de castigo são eficazes, se preservam os direitos humanos, questionando
se as prisões, penas de morte, castigos capitais e outras penalidades não seriam
uma vingança da sociedade para o crime que ela mesma cometeu. Isto torna o
assunto complexo o bastante, visto que a sociedade contemporânea pode se
encaminhar expressivamente para o técnico, o instantâneo, o impessoal e a queixa
por respostas objetivas, palpáveis e com solução concreta.
GIRARD, Bibiano. A sociedade da vingança. Revista Viés.

CONTO FANTÁSTICO

O conto fantástico, assim como o conto convencional, envolve elementos como


personagem, tempo, espaço, ação, conflito e mudança de estado (transformação)
que se associam na configuração de uma narrativa, mas aqui a intenção é que sua
narrativa demonstre um questionamento daquilo que pode ser entendido como
realidade. Assim, fatos insólitos e improváveis devem acontecer sem que os
personagens questionem a impossibilidade desses acontecimentos.

Escreva um conto fantástico em que o assunto central seja a vingança. Lembre-


se de que neste gênero os textos lidos anteriormente não devem ser encaixados na
fala dos personagens.

Sua redação deverá:

. ter entre 15 e 20 linhas;


. ter letra legível e não apresentar rasuras;
. ter, no mínimo, três parágrafos;
. evitar gírias;
. ter um título.

_________________________________________________

10

15
20

25

30