Você está na página 1de 11

js.espada@gmail.

com,
miguelcruz1976@gmail.com,
tiagoantunes0@gmail.com,
jesus.lapassion@gmail.com,
bernardo.nabais@hotmail.com,
bernardo.souto@gmail.com,
carlota_marisa@hotmail.com,
joaoreixa16@msn.com,
aalves.mia@gmail.com,
roque.nidia@live.com.pt,
nunogeraldo@portugalmail.com,
ruipedrodias.dias@gmail.com,
s_abreu@hotmail.com,
katharinabecklas@yahoo.de,
cmendes@estc.ipl.pt,
l.aprea@hotmail.com,
dantunes@estc.ipl.pt,
ritacabaco@live.com,
nunosaias@gmail.com

patricia.ulbricht@gmx.de

Perguntas Frequentes (FAQs) relativas a candidaturas a bolsas


de investigação
1. Informações sobre a candidatura
Em que língua devo preencher o formulário?
O formulário pode ser preenchido em português ou, em alternativa, em
inglês.
Enganei-me a preencher os campos da página inicial do
formulário, onde tenho de declarar que preencho os critérios
exigidos no Concurso. Como devo proceder?
Pode voltar à página, usando o link disponível do lado esquerdo
“Informações sobre a candidatura”. Pode fazer as alterações que
desejar, mas para poder prosseguir no formulário terá de declarar que
se encontra nas condições exigidas.
Para apresentar candidatura a bolsa tenho de ter o ORCID ID?
Sim, é obrigatório para candidatos e orientadores. Quem não
preencher o ORCID não conseguirá lacrar a candidatura.
Caso não tenha ainda o ORCID ID poderá obtê-lo através de registo
em https://orcid.org/register

Como devo proceder para que o meu ORCID fique visível na


candidatura?
O ORCID ID deve ser introduzido no Sistema de Informação da FCT
(FCTSIG) na secção “Dados de Registo”.

Domínio Científico Principal


Existem áreas científicas prioritárias?
Não.
Não tenho a certeza sobre a área científica. O que devo fazer?
Note que o objetivo principal da indicação de uma área científica é o
de associar a sua candidatura a um painel de avaliação com os
especialistas mais adequados. Não é objetivo central da indicação da
área científica exprimir a opinião do candidato sobre como classificar
em abstrato o tema do seu projeto. Existem sempre candidaturas em
áreas de charneira em que essa indicação é discutível mesmo entre os
especialistas.

Local de realização da Bolsa


O que são bolsas mistas?
São bolsas em que o candidato desenvolve o programa de trabalhos
em Portugal e no estrangeiro em coorientação. Existem contudo,
limitações de duração do período de permanência no estrangeiro. Para
bolsas de Doutoramento ver nº 4, do Artigo 5º do Regulamento de
Bolsas de Investigação da FCT e para bolsas de Pós-Doutoramento ver
nº3 do Artigo 4º.
Existem bolsas mistas ou no estrangeiro nas BDE?
Não. As BDE só podem ser nacionais, devendo o plano de trabalhos
decorrer integralmente em instituições nacionais ou em sucursais
nacionais de instituições estrangeiras.

2. Endereço para correspondência


Em que consiste o endereço para correspondência?
Trata-se de uma morada para onde a FCT lhe enviará toda a
correspondência relativa à sua bolsa. Deverá indicar uma morada que
lhe permita ter fácil acesso à nossa correspondência. Atenção que as
moradas institucionais nem sempre são boa opção, uma vez que pode
demorar algum tempo a ter acesso à correspondência.
3. Procurador do Candidato
O que é o Procurador?
É alguém a quem pode dar poderes através de procuração para tratar
de todos os assuntos relacionados com a sua bolsa, na sua ausência.
4.1 Título do programa de trabalhos
O que devo indicar na sub área no ponto 4.1 do formulário?
Deve indicar a sub-área em que vai desenvolver o seu programa de
trabalhos e que está incluída no domínio científico principal, no início
do formulário.
Em que consiste a descrição de adequação da instituição de
acolhimento e do orientador à execução do plano de trabalhos?
Deve descrever sucintamente as condições oferecidas pela instituição
de acolhimento, destacando a sua adequabilidade para o
desenvolvimento e execução do plano de trabalhos apresentado, bem
como a experiência do orientador no tema e área propostos.
Qual a diferença entre a data de início do programa de trabalhos
e a data de início pretendida para a bolsa?
A data de início do programa de trabalhos é a data em que iniciou ou
vai iniciar o programa de trabalhos que se propõe desenvolver. A data
de início pretendida para a bolsa é a data a partir da qual vai começar
a receber o subsídio de manutenção mensal e não poderá ser anterior
à data referida no Aviso de Abertura do respetivo concurso.
4.1.1 Períodos de permanência no estrangeiro
O que devo indicar nos períodos de permanência no
estrangeiro?
Para candidaturas a bolsas mistas e no estrangeiro deve sempre indicar
o início e duração do(s) período(s) em que vai permanecer no
estrangeiro.

4.2 Sumário
O que é o Sumário?
Resumo ou síntese do programa de trabalhos do candidato.
4.3 Estado da Arte
O que é o Estado da Arte?
Corresponde à situação atual, em termos científicos, existente na área
de investigação em que o candidato pretende desenvolver a sua
pesquisa. Esta informação pretende situar o impacto que o trabalho
proposto pelo candidato poderá vir a ter em termos de contributo
científico original.
4.4. Objetivos
O que são os Objetivos?
É o que se pretende atingir em termos de investigação com o
desenvolvimento do seu programa de trabalhos.
4.5 Descrição detalhada
O que é a Descrição Detalhada?
É o desenvolvimento do programa de trabalhos com um detalhe tal que
permita a melhor avaliação pelo painel.
4.6 Cronograma/Anexo
É obrigatório a inclusão de um cronograma?
Não, mas é aconselhável a inclusão do cronograma, de modo a permitir
ao painel de avaliação analisar a exequibilidade do programa proposto.

5.1 Instituições de Acolhimento


O que são as condições de acolhimento?
Dizem respeito a:
 Instituição(ões) de Acolhimento — Instituição(ões) onde se vai
desenvolver o trabalho de investigação.
 Instituição que confere o grau — Universidade que irá atribuir o
grau de doutoramento (só aplicável a candidaturas a bolsas de
doutoramento e bolsas de doutoramento em empresas).
 Orientador — Pessoa(s) que se responsabiliza(m) pelo
acompanhamento e orientação do trabalho de investigação.
O que é(são) a(s) instituição(ções) de acolhimento?
Instituição(ões) onde se vai desenvolver o trabalho de investigação.
O que é a Unidade de I&D?
É uma unidade de investigação reconhecida pela FCT. Procure-a pelo
nome na lista que é disponibilizada no formulário. Caso o seu plano de
trabalhos seja efetuado numa instituição não reconhecida pela FCT
ignore esta escolha
5.2 Instituição que confere o grau
Existem instituições que conferem graus em todas as tipologias
de bolsa a concurso?
Não, nas BPD não existem.
O que é(são) a(s) instituição(ções) que conferem o grau?
Instituição(ões) (Universidade(s)) que concede(m) o grau de
doutoramento.
5.3 Orientadores
O que é(são) o(s) orientador(es)?
Pessoa(s) que se responsabiliza(m) pelo acompanhamento e
orientação do trabalho de investigação.
O orientador é necessariamente da instituição de acolhimento?
Sim, salvo em situações excepcionais. Normalmente o orientador está
associado à instituição de acolhimento de maneira a permitir um
trabalho contínuo e profícuo com o bolseiro. O painel de avaliação
julgará se outras situações são ou não adequadas sendo a orientação
geral dada pela FCT de que tal deve refletir-se na classificação a
atribuir às condições de acolhimento.
Tenho mais do que um orientador. Como devo proceder? (não
aplicável às BDE)
Para evitar ambiguidades deverá indicar um orientador. No caso de
haver outros orientadores poderá indicar um ou dois co-orientadores.
Os co-orientadores também têm de preencher o curriculum
vitæ e associar-se à minha candidatura?
Tal será conveniente para a apreciação da candidatura mas não é
obrigatório.
O que deve fazer o meu orientador?
O seu orientador terá de:
1. Registar-se no sistema de gestão FCTSIG se ainda não o fez;
2. Aceder ao FCTSIG usando as respectivas credenciais de acesso;
3. Indicar o ORCID ID na secção “Dados de Registo”, no topo
direito, no Sistema de Informação da FCT (FCTSIG)
4. Associar-se à candidatura na área de concursos;
5. Fornecer um curriculum vitæ de uma das seguintes maneiras:
o Completando dados curriculares interactivamente no
FCTSIG.
o upload de um documento pdf com o curriculum vitæ.
6. Lacrar a sua associação à candidatura (este último passo indica
à FCT que o orientador terminou o processo de fornecimento de
dados relativos a esta candidatura).
Para o passo 6 o candidato deverá fornecer ao orientador a referência
da sua bolsa [SFRH/Tipo de bolsa/Número/20XX], seguida da sua
chave de associação para que este possa fazer a associação.
Não serão aceites curricula vitæ de orientadores enviados por qualquer
outro processo.
Quem pode ser orientador?
Podem ser professores universitários ou investigadores desde que
sejam doutorados, salvo no caso das BDE relativamente ao orientador
empresarial.
Tenho de anexar no formulário de candidatura o parecer do
orientador e a aceitação da instituição de acolhimento?
Não, estes documentos só serão necessários em caso de concessão de
bolsa. Não são exigidos nesta fase da candidatura.

6. Cartas de recomendação
Quantas cartas de recomendação são necessárias?
As cartas de recomendação são facultativas.
Existe modelo de cartas de recomendação?
Não existe modelo definido, a redação destas fica ao critério de quem
as escreve. Estas têm que ser digitalizadas e anexadas online, no ponto
6 do formulário de candidatura.
Podem ser submetidas cartas de recomendação sem que o
candidato tenha conhecimento do respetivo conteúdo?
Sim. O candidato indica o nome e email da pessoa a quem vai pedir a
carta de recomendação e o sistema notifica-o com credenciais
necessárias para tal. A possibilidade de upload de versões digitalizadas
de cartas de recomendação pelo próprio candidato mantém-se.
7. Bolsas anteriores
Tive anteriormente uma bolsa, direta ou indiretamente,
financiada pela FCT. Pode ser-me concedida uma bolsa no
presente concurso?
Sim. Salvo se o candidato estiver em situação de incumprimento
injustificado nos deveres do bolseiro, no âmbito de anterior contrato
de bolsa financiada, direta ou indiretamente pela FCT, designadamente
quando não tenham sido entregues os relatórios finais ou intercalares
ou não tenham sido devolvidos os financiamentos cuja restituição seja
devida, nos termos da lei ou da legislação aplicável.

8. Atividade profissional
É possível ter uma atividade profissional em simultâneo com a
bolsa?
As funções do bolseiro são exercidas em regime de dedicação
exclusiva, nos termos expressos no Estatuto do Bolseiro de
Investigação aprovado pela Lei nº 40/2004, de 18 de agosto, alterada
e republicada pelo Decreto-Lei nº 202/2012, de 27 de agosto e ainda
pela Lei nº 12/2013, de 29 de janeiro e pelo Decreto-Lei nº 89/2013,
de 9 de julho, e nos termos definidos no art. 22º do Regulamento de
Bolsas de Investigação da FCT.
A minha atividade profissional é compatível com a bolsa nos
termos do artº 5º do Estatuto do Bolseiro de Investigação.
Quais os procedimentos que devo ter relativamente a esta
situação?
1. Deve indicar a atividade que pretende desenvolver em
acumulação indicando o local, natureza do vínculo, função e nº
de horas de trabalho semanal.
2. Deve fazer o upload do documento da instituição onde pretende
desenvolver a atividade profissional, com indicação da
informação referida no ponto 1.
Quando este procedimento estiver concluído, o orientador, desde que
já esteja associado à sua candidatura, recebe um email que lhe
permitirá ter acesso à informação prestada pelo candidato. Caso o
orientador não esteja ainda associado receberá o email após fazer a
associação.
O orientador deve fazer o upload de um documento sobre a
exequibilidade do plano de trabalhos apresentado na candidatura face
à acumulação da atividade profissional.
Não posso apresentar os documentos relativos à situação
profissional. Como devo proceder?
Só em casos de impossibilidade absoluta na obtenção do referido
documento poderá este ser substituído por uma declaração da sua
responsabilidade com indicação da atividade, natureza do vínculo,
função e nº de horas de trabalho semanal.

9. Graus académicos
Devo incluir as classificações das disciplinas nos certificados
académicos que transfiro para o formulário de candidatura?
Se para a obtenção do grau académico que pretende registar tiver
realizado disciplinas, no documento pdf que deve anexar no campo
"Ficheiro" é obrigatório incluir o certificado com as respectivas
classificações (ver Artigo 16º do Regulamento).
Tenho documentos pdf correspondendo a cada uma das páginas
de um certificado. Como devo proceder?
Se tiver vários documentos pdf para cada certificado, recomendamos
que utilize um software que permita combinar os vários documentos
num só.
Tenho de incluir os certificados de todos os graus académicos?
Sim, é obrigatório registar todos os graus académicos obtidos no
ensino superior (licenciatura, mestrado, doutoramento), fazendo
o upload de todas as certidões correspondentes com indicação das
classificações obtidas em todas as unidades curriculares.
O que é o suplemento ao diploma?
É um documento complementar do diploma que contém informação
mais detalhada sobre a formação realizada, resultados obtidos e
caracterização da instituição de ensino numa perspectiva de
mobilidade internacional. Em Portugal está regulamentado pela
Portaria nº 30/2008, de 10 de Janeiro.
Tenho de incluir o suplemento ao diploma?
Este documento deve ser incluído sempre que seja possível, isto é,
sempre que a instituição de ensino superior em que obteve o grau o
disponibilize.
Tenho um Grau obtido no estrangeiro. Como devo proceder?
Os candidatos com graus obtidos no estrangeiro e que possuam
equivalência do grau no sistema de ensino português, devem anexar o
respetivo documento no ponto 9 do formulário.
Os candidatos que não possuam equivalência do grau no sistema de
ensino português, deverão fazer a conversão da nota obtida numa
escala de 10 a 20 valores e devem indicar o Diploma legal ao abrigo
do qual fizeram a conversão e juntar tradução oficial caso o(s)
certificado(s) se encontrem numa língua diferente do português ou do
inglês.
O meu certificado de habilitações não está em Português. Posso
apresentar candidatura apenas com este documento?
Não. Para graus obtidos no estrangeiro é obrigatória a apresentação
de certificado de habilitações traduzido para português ou, em
alternativa, para inglês.
Deverá apresentar uma tradução devidamente certificada por entidade
competente.
A não apresentação do certificado nestes termos constitui motivo de
exclusão ao concurso.
Percentil dos graus concluídos
O que é o Percentil?
É um documento que situa a nota obtida no total de notas atribuídas
no ano em que o estudante obteve o grau (um ranking ou percentil).
Tenho de incluir o Percentil?
Este documento deve ser incluído sempre que seja possível, isto é,
sempre que a instituição de ensino superior em que obteve o grau o
disponibilize.

10. Justificação de candidatura de país terceiro

Lacrar a candidatura
No final do formulário tenho de declarar sob compromisso de
honra que todas as informações prestadas são verdadeiras?
Sim, terá de declarar caso contrário não conseguirá lacrar a
candidatura. Chama-se a atenção dos candidatos que quem prestar
falsas declarações no preenchimento do formulário ou em qualquer
momento, anterior ou posterior à candidatura, este será motivo de
exclusão do concurso.

Outras questões:
Devo lacrar o formulário antes ou depois do orientador?
Os processos de lacrar o formulário de candidatura e o(s) curriculum(a)
vitæ do orientador(es) são independentes e devem ser efectuados pelo
candidato e pelo orientador logo que estejam terminados os respetivos
processos de preenchimento O orientador não preenche nenhum
formulário, apenas preenche o curriculum vitæ e faz a associação deste
à candidatura do seu orientando. A data limite para o orientador é a
mesma que para o candidato.
É necessário o envio de documentos em suporte papel para
anexar à minha candidatura?
Não. Toda a documentação necessária para a avaliação da sua
candidatura deve ser anexada nos espaços próprios do formulário de
candidatura online (ver Artigo 16º do Regulamento).
Qual o prazo para a divulgação dos resultados?
O prazo para a divulgação dos resultados é de 90 dias úteis, após a
data limite de submissão para avaliação definida no Aviso de abertura
do concurso.

Indicadores de Produção Científica:


Arts and Humanities
i. Published papers in international peer-reviewed journals;
ii. (a) Books (including scholarly editions of oral or written texts
and translations with introduction and commentary);
(b) edited special issues of journals or collections of essays,
with substantial research input on the part of the researcher;
(c) chapters in books, including contributions to conference
proceedings, contributions to festschriften, essays in
collections;
(e) creative writing (to the extent that it embodies research);
(f) short works, including dictionary entries (to the extent that
they embody research);
(g) encyclopaedia entries (to the extent that they embody
research);
(h) audio/visual and electronic/digital materials; (i) other
categories, including web-based resources; video and audio
recordings (to the extent that they embody research)

iii. Performances and exhibitions to the extent that they


embody research.