Você está na página 1de 7

Índice

1. Introdução .............................................................................................................................. 1
2. Objectivo geral – Apresentar a relação existente entre empreendedorismo e as PMEs ........ 1
3. Relação Entre Empreendedorismo e o Desenvolvimento das PMEs..................................... 2
4. A Importância do perfil Empreendedor para a sobrevivência das PMEs .............................. 3
5. Conclusão............................................................................................................................... 5
6. Bibliografia ............................................................................................................................ 6
1. Introdução
O presente trabalho aborda a relação existente entre empreendedorismo e as PMEs: As PMEs
sofrem com as constantes adversidades advindas do ambiente em que elas estão inseridas,
estas assim como seus empreendedores precisam enfrentar grandes desafios durante a sua
vida.

2. Objectivo geral – Apresentar a relação existente entre empreendedorismo e as PMEs

1
3. Relação Entre Empreendedorismo e o Desenvolvimento das PMEs
O empreendedor tem paciência para começar pequeno pois, não se cria um negócio na
segunda, e se torna um gigante de mercado na terça, começamos como uma pequena empresa
em um processo que pode ser "rápido" se o mercado explorado for realmente inovador, ou
"lento" se o mercado explorado for um que tiver com suas gigantes estabelecidas. A primeira
coisa a se fazer é enxergar uma oportunidade de mercado em qualquer uma das situações,
explorá-la, descobrir onde as concorrentes falham, onde elas faltam com seus clientes e supri-
los, oferecer algo irresistível ao mercado; mostrar a que sua empresa veio e como ela pode
inovar crescendo e se desenvolvendo em um ambiente, mesmo que saturado.

Para Aidar (2007), mesmo as grandes organizações, com produtos diversificados e poderosos
canais de distribuição, têm dificuldades para atender a todos os públicos. Em mercados
competitivos ou semiconcentrados, sempre haverá nichos deixados por grandes empresas.

Para os empreendedores começarem novas empresas de sucesso, é necessário que eles


explorem as oportunidades que oferem mais vantagens para as novas empresas do que para as
empresas antigas e estabelecidas. Mas, devemos ficar atento que uma ideia de negócio não é
propriamente dito uma oportunidade de negócio. Uma ideia torna-se oportunidade quando
identifica uma real necessidade de mercado que possua um público em potencial.

Segundo o SEBRAE ( 2010, p.4): Uma oportunidade também tem seu tempo, isto é, seu
momento correto. Por exemplo, um produto que num primeiro momento traduz o
aproveitamento de uma grande oportunidade, um ano depois pode estar ultrapassado e não ser
mais lembrado pelos consumidores.

Por isso a pequena empresa tem de estar sempre se reciclando, e nunca parar no tempo até
inexistir, ela tem de ser competitiva. Mas, além de detectar uma oportunidade você tem de ter
competência para aproveitar e desenvolve-la.

O que dificulta para uma pequena empresa é que o tempo de vida de uma empresa
estabelecida lhe traz vantagens, depois de tanto tempo no mercado ela acaba descobrindo sua
fórmula empreendedora para ganhar mercado, tornam seus produtos mais eficientes, sabem
como vender seu produto e tem uma coisa muito preciosa, a marca, que tem o

2
reconhecimento e a confiança que tem o poder de quebrar velhos hábitos de clientes e criar
novos.

Segundo Baron e Shane (2007) de início, elas (pequenas empresas) acham difícil produzir
produtos eficientemente, porque ainda não superaram as dificuldades em seu processo
produtivo. Além disso, não descobriram qual a melhor maneira de vender o produto aos
clientes. Entretanto, á proporção que as empresas produzem mais de um certo produto elas
tendem a crescer.

Segundo o Sebrae (2005), o interesse de toda a sociedade em pequenos negócios é explicada


por seu grande potencial político e económico. Político porque as micro e pequenas empresas
funcionam como forma de equilíbrio da estrutura empresarial brasileira e coexistem com as
grandes empresas. Económico porque geram grande número de empregos, por isso, dão
grande contribuição na geração de receitas e produção de bens.

4. A Importância do perfil Empreendedor para a sobrevivência das PMEs


O empreendedor é de suma importância para uma organização e para manter o negócio
competitivo. Ele é o diferencial estratégico que atrelado a um bom plano de negócios cria
oportunidades em cenários muitas vezes inimagináveis. Podemos dizer que empreendedor é
aquele que desenvolve a arte de empreender, de mudar, de conquistar, de inovar.

A tarefa de transformar potencial mercadológico e números em negócios em uma empresa de


sucesso é de inteira responsabilidade do empreendedor. Uma empresa não nasce da geração
espontânea: é preciso um ato criador de alguém que é capaz de observar, analisar e formular
um empreendimento que dê conta de gerar bens que possam produzir sentimento de
satisfação, conforto e bem-estar nas pessoas ou em grupos de pessoas que venham a consumir
estes bens.

A pequena empresa geralmente é um reflexo da personalidade do empreendedor, suas


características e atitudes irão transparecer na empresa por ele conduzida, se as características
e atitudes que levam um empreendedor a obter sucesso transparecer no seu empreendimento
é muito provável que esta empresa não sofrera o fracasso que rodeia a maioria das pequenas
empresas.

3
Uma empresa é um organismo vivo, dinâmico e obrigatoriamente adaptativo ao meio
ambiente, para ser saudável do ponto de vista económico, financeiro e social. Os números de
uma empresa são sempre a tradução de comportamentos de pessoas, especialmente, daqueles
que criam e/ou que estão a sua frente. Desta forma é perceptível a importância do trabalho do
empreendedor em prol da diminuição dos altos índices de mortalidade das pequenas
empresas.

4
5. Conclusão
Conclui-se que a empreendedor é de grande importância para a diminuição da mortalidade
das pequenas empresas, desde que este se comporte como tal, não se revista somente de
coragem para abrir um empreendimento, mas o faça com conhecimento de seu potencial, das
necessidades de qualificações e aprimoramento, conhecimento de suas limitações, que
assuma riscos, que seja inovador e assim faça sua pequena empresa prosperar.

5
6. Bibliografia
http://www.administradores.com.br/artigos/negocios/empreendedorismo-nas-pequenas-
empresas/57023/