Você está na página 1de 8

Intensivo Damásio 2015

Matéria: ÉTICA e Estatuto do Advogado - OAB

Professor: Marco Antônio| @profmarcoanti

AULA 1 - 22/04/2015

ATIVIDADE DE ADVOCACIA:

Artigo 1º, Estatuto da Advocacia

ATIVIDADE PRIVATIVAS DE ADVOGADO:

OBS: Se alguém praticar atividade privativa de advogado (e não ser


advogado) comente CRIME.

Incisos:

I) Postulação órgão poder judiciário

EXCEÇÃO: Quando uma lei especifica dispensar o advogado. Só será


considerada exceção quando uma lei especifica dispensar o advogado,
são elas:

1) CLT: Artigo 791 – “jus postulandi” – na justiça do trabalho não


precisa de advogado até o fim do processo. EXCEÇÃO: Sumula
425 TST, se aplica na vara do trabalho e para o TRT, o ”jus
postulandi”. Já no TST não se aplica o “jus postulandi”, ou seja,
precisa de advogado em qualquer circunstância no TST.
2) 9099/95 JEC E JECRIM: No JEC nas causas de ate 20 salários
mínimos o advogado é facultativo (adquire o advogado se quiser).
Já de 20 a 40 salários mínimos é obrigatório, assim como no
colegiado recursal, independente do valor da causa. Já no
JECRIM não tem exceção, é regra, precisa de advogado.
3) 8906/74 – Artigo 1º, parágrafo 1: O HC pode ser impetrado por
qualquer pessoa, não é privativo do advogado. Já HD, MS, MI,
Revisão Criminal, ação popular, todos estes precisam de
advogado, a exceção é apenas para HC.
4) 10254/01 JEFederal: Artigo 10, no juizado federal especial a
parte pode fazer por qualquer pessoa ou advogado, ou seja,
qualquer pessoa pode defender a parte. A OAB entrou com uma
ADIN que foi julgada improcedente.
5) Lei de alimentos: a parte que precisa de alimentos pode ir
diretamente ao cartório solicitar os alimentos, e o próprio cartório
pode iniciar a ação, sem necessário haver advogado.
II) Consultoria, assessoria, direção jurídica
Apenas advogado poder exercer estas três atividades, com
suplementação na gerencia jurídica, que e apenas do advogado.

Contrato Social: levar a registro, órgão advogado e visado advogado, ou


seja, é necessário a assinatura do advogado, caso contrario, sob pena
de nulidade.

EXCEÇÃO: Micro empresa e Empresa de pequeno porte, não precisam


de assinatura do advogado no contrato social.

Se o advogado atua para a administração publica direta ou indireta de


um determinado Estado ele esta IMPEDIDO de assinar contrato social
que será levado a registro na Junta Comercial daquele mesmo Estado. –
Artigo 2º, parágrafo único, do regulamento geral.

ATIVIDADE DA ADVOCACIA SE COMPROVA

Artigo 5º, regulamento geral.

Participação anual mínima de cinco causas distintas.

Fazendo prova disto por certidão de cartório/juiz/serventia/oficio OU


com copia autentica dos atos privativos.

MANDATO JUDICIAL

Artigo 5ª, EA e Artigo 8 a 24 CED.

MANDATO JUDICIAL é um contrato em espécie pelo qual o cliente ou o


outorgante ao advogado ou outorgado para que este possa representá-lo
judicial ou extrajudicialmente na defesa de seus interesses.

(?) Este contrato pode ser verbal ou necessariamente deve ser escrito? A
maioria é verbal. Por exemplo: um cliente vai ao escritório de advocacia
e contrata o trabalho do advogado, basta assinar a procuração
(instrumentalização de mandato) para instrumentalizar o contrato, ou
seja, este ato é o mandato judicial. Podendo ser verbal ou escrito.

OBS: A procuração instrumentaliza o contrato do mandato.

INICIO DO MANDATO JUDICIAL:

Dois tipos de inicio:

1) Constituição: quando o cliente constitui o seu advogado, ou seja,


escolhe seu advogado. Logo, há assinatura instrumentalização de
mandato. ATENÇÃO: Assinou a procuração inicia o dever de
advocacia.
2) Nomeação: “ad hoc” (para o ato), responsabilidade limitada.
Exemplo: o juiz solicita que o advogado represente uma parte,
devido à falta de defensor público, sendo que o advogado só pode
dispensar com justo motivo. Na ata da audiência ira informar que
ele foi chamado “ad hoc”, ou seja, chamado apenas para aquele
ato, aquela audiência. Pode ser também nomeado por “apud acta”
(colocar na ata, registrar na ata) ou mandato tácito, artigo 791,
parágrafo 3, da CLT, se estendendo as outras áreas, criminal,
civil, entre outros.

(?) Qual o prazo de mandato nos autos? Artigo 5º, “caput” e


parágrafo 1, EA – No ato da postulação. EXEÇÃO: afirmando
urgência, 15 dias para juntada, prorrogado por mais 15 dias.

FORMA DE EXTINÇÃO DO MANDATO

A) Substabelecimento: é transferência de poderes, podendo ser:


Substabelecimento sem reserva de poderes: passa os poderes
para outro advogado, saindo do processo. Por exemplo: A
substabelece poderes sem reserva de poderes para B, sendo
assim B fica com o processo depois, pois A não a mais “poderes”.
(?) Para passar sem reserva precisa da anuência do cliente? É
indispensável à anuência do cliente outorgante no
substabelecimento sem reserva de poderes.
Substabelecimento com reservas de poderes: A e B tem poderes
no processo.
(?) O advogado substabelecido pode cobrar honorários? No
substabelecimento com reserva de poderes, o advogado
substabelecido (que recebeu poderes) somente poderá cobrar
honorários advocatícios do cliente outorgante com anuência
expressa do advogado substabelecente.
B) Revogação: ato unilateral do cliente, ou seja, quando o cliente não
quer mais o advogado ele vai e revoga os poderes do advogado.
C) Renúncia: ato unilateral do advogado, só quem renuncia é o
advogado, ele sai do processo.
ATENÇÃO: A renúncia não pode ser genérica, tem que ser
especifica, tem que ser especifico, ou seja, indicar cada processo
que esta renunciando. A renúncia não precisa ser motivada;
PRAZO de permanência mínima de 10 dias, SALVO se antes for
substituído.
(?) Qual instrumento faz a renúncia? Carta de aviso com
recebimento, entre outros, o que importa é a anuência do cliente.
D) Arquivamento dos autos ou extinção do processo: presume que o
mandato esta extinto. O tempo não extingue o mandato, desde
que permaneça a confiança recíproca entre as partes.

LEITURA; Artigo 18, 19, 20, CED.

O artigo 19 há abstenção brenal, alterando o texto deste artigo, criando


uma proibição. Durante dois anos o advogado não pode atuar contra ex
cliente e ex empregador (interpretação jurisprudencial). Após dois anos
aplica-se o artigo, guardando sigilo profissional.

INSCRIÇÃO NA OAB

REQUISITOS – Artigo 8º, EA:

a) Capacidade civil: maioridade; sanidade (presumida);


b) Diploma OU certidão de conclusão do curso;
OBS: Se juntar a certidão de conclusão do curso tem que
apresentar copia autentica do histórico escolar – regulamento
geral.
c) Titulo de eleitor e quitação do serviço militar;
d) Aprovação do exame de ordem;
e) Não exercer atividade incompatível com advocacia;
OBS: Incompatibilidade é a proibição total da advocacia, artigo
28º, EA.
f) Idoneidade moral; – significa não ter sido condenado pela pratica
de crime infamante, SALVO se reabilitado judicialmente.
OBS: Crime infamante é qualquer crime contrario a honra, a
dignidade e a boa fama de quem praticam. Para inscrição da
OAB, precisa-se ter transito em julgado de tal crime.
g) Compromisso perante o Conselho Seccional.
Característica do compromisso: SOLENE: carteira e cédula (uso
obrigatório, tanto para advogado como estagiário). Vale ressaltar
que a cédula pode ser utilizada como documento civil em todo
território nacional; FORMAL: Formal, cabendo juramento, entre
outros; PERSONALÍSSIMO: Só cabe ao aprovado prestar,
ninguém pode receber a carteira e fazer os atos por ela.

INSCRIÇÃO PRINCIPAL

Deve ser realizada no Conselho Seccional de seu domicilio profissional.


Por exemplo: a prova pode ser feito em um determinado Estado (sendo
obrigado a primeira e a segunda fase no mesmo local) e ao recebimento
da Certidão de Aprovação pode escolher onde quer inscrever a sua
inscrição principal.
OBS: Podendo ter apenas UMA inscrição principal.

INSCRIÇÃO SUPLEMENTAR

É obrigatória se o advogado passar atuar em Conselho Seccional


diferente da inscrição principal por mais de CINCO causas por ano (o
que a OAB chama de habitualidade).

OBS: Podendo ter QUANTAS inscrição suplementar QUISER. Sendo


necessária pagar anualmente por casa anuidade.

REQUISITOS AO ESTAGIÁRIO:

a) Capacidade civil: maioridade; sanidade (presumida);


b) Titulo de eleitor e quitação do serviço militar;
c) Não exercer atividade incompatível com advocacia;
d) Idoneidade moral;
e) Compromisso perante o Conselho Seccional.

CANCELAMENTO: É a interrupção definitiva da inscrição, ou seja,


cancelou não é mais advogado – artigo 11º, EA. Há cinco causas deste
cancelamento:

1) Pedido do advogado (tem que ser personalíssimo);


2) Quando o advogado sofrer pena de exclusão (pena mais grave do
Estatuto);
3) Falecimento;
4) Quando o advogado passar a exercer atividade incompatível com
a advocacia de forma definitiva;

INCOMPATÍVEL: Antes da inscrição: na matéria acima. | Depois da


inscrição: se for cargo definitivo: cancelamento; cargo temporário:
ocorre o licenciamento.

OBS: Cargo público é considerado cargo definitivo, ou seja, é cancelado.


Este deve haver uma nova inscrição no Conselho Seccional, não um
novo exame e sim uma solicitação de uma nova inscrição. Por exemplo:
Juiz aposentado.

5) Perda de qualquer requisito inscrição.

LICENCIAMENTO: É a interrupção temporária da inscrição, e um


beneficio.

São três as hipóteses:

1) Pedido justificado do advogado (podendo a OAB aprovar ou não;


2) Quando o advogado passar exercer atividade incompatível com a
advocacia de forma temporária;
3) Doença mental curável.
OBS: DOENÇA MENTAL INCURAVÉL é causa de cancelamento da
inscrição – artigo 11º, inciso V, EA.

SUSPENSÃO LICENCIAMENTO
É uma pena É um beneficio
Não pode advogar neste período Não pode advogar neste período
Continua pagando anuidade Não paga anuidade

SOCIEDADE DE ADVOGADOS

É a união de dois ou mais advogados para formação de uma pessoa


jurídica.

(?) Existe sociedade individual de advogados? NÃO! 2 ou +.

Se uma sociedade de advogados for reduzida a uni pessoalidade de


sócios o sócio remanescente terá 180 dias para indicar outro. Sob pena
de dissolução da sociedade.

(?) Quando essa pessoa jurídica adquire personalidade jurídica?

No registro de seus estatutos (pode cair na prova como atos


constitutivos que é a mesma coisa) no Conselho Seccional da OAB a
onde ela tenha sede. Logo, a sociedade dos advogados é registrado na
OAB, NUNCA na junta comercial ou em cartório.

NOME E RAZÃO SOCIAL

O nome é formado com o nome de um dos sócios + sociedade de


advogados (por exemplo: Jose Mendes) OU parte do nome dos sócios +
sociedade de advogados (por exemplo, Barbosa, Silva e Santos).

OBS: NOME FANTASIA É VEDADO.

NOME DO SÓCIO FALECIDO: pode ser mantido se o contrato social


autorizava. Observasse que é no passado, depois de falecido não
adianta a família autorizar, é algo que já deveria esta expresso no
contrato.

Onde estiver inscrita a sociedade TODOS os sócios devem ter inscrição


(não importa se é principal ou suplementar).

Para abrir uma FILIAL deve averbar no contrato da matriz. Logo após
pega um copia deste contrato e arquiva na filial.
Exemplo: Escritório de pessoa jurídica em SP (todos os sócios devem ter
OAB/SP) abre uma filial no RJ, todos devem ter OAB/RJ. Lembre-se:
onde houver a pessoa jurídica TODOS devem ter a suplementação ou a
principal, independente de atuar ou não no Estado da filial.

(?) Um advogado pode ser sócio em mais de um escritório? Apenas se


for a Conselhos Seccionais diferentes, sendo iguais, não pode.

CS DIFERENTE: PODE / CS IGUAIS: NÃO.

O mesmo advogado pode integrar mais de uma sociedade de advogados


com sede ou filial em Conselho Seccionais distintos, com tudo, não
poderá integrar se tiver sede ou filial no mesmo Conselho Seccional.

(?) Como é paga a unidade para OAB? Conta a quantidade de sócio e


inscrições + a pessoa jurídica (a sociedade no caso, contando cada filial
se este houver).

SÓCIOS de uma mesma sociedade. Irei puni-los de caráter permanente,


não poderão atuar em juízo para clientes com interesses opostos, sob
pena de caracterizar tergiversação (ocorre quando o advogado deixa de
patrocinar os interesses de seu cliente e sucessivamente atende aos
interesses da parte contrária).

RESPONSABILIDADE

Criminal: É objetiva e INDIVIDUAL.

Disciplinar: É objetiva e INDIVIDUAL.

Civil: SOCIDADE, se o contrato foi feito pela sociedade a


responsabilidade é dela. Primeiro busca pela sociedade e depois aos
sócios, caso não seja o suficiente para o pagamento. Logo, a
responsabilidade dos sócios é SUBSIDIARIAS e ilimitada,
complementar. Deve-se respeitar o dever de ORDEM. Entre os sócios,
ela é solidaria.

ADVOGADO EMPREGADO

SÓCIOS: Visto acima.

ASSOCIADOS: aquele que se une a sociedade para dividir os lucros nas


ações em que atuar. Não tem vinculo empregatício; tem que ter registro
do contrato de associação averbado no contrato social.

EMPREGADOS: Vinculo de emprego, tem subordinação jurídica, mas


não técnica, por exemplo: o advogado manda este advogado empregado
recorrer em uma peça, o mesmo pode negar, ou seja, ele tem autonomia
profissional, o mesmo de dizer que ele tem isenção técnica, liberdade
profissional. REGISTRO na CLT; salário mínimo definido em sentença
normativa (dois sindicatos), SALVO se houver acordo com convenção
coletiva.

(?) O advogado está obrigado a advogar em questões pessoais do


empregador? NÃO! SALVO se isso constar no contrato de trabalho.

JORNADA DE TRABALHO

4 HORAS DIÁRIAS -> 20 SEMANAIS. SALVO, se houver


claúsula/contrato de exclusividade ou acordo e convenção coletiva,
alterando a jornada do empregado no máximo para 8 horas diárias e 40
semanais, não podendo exceder este horário.

JORNADA EXTRAORDINÁRIA: A hora extra do advogado é de 100%.

JORNADA NOTURNA: Começa as 20h00min a 05h00min, tendo direito


a receber adicional noturno, diferentemente da CLT que começa a partir
das 22h00min. Sendo este adicional de 25% sendo o advogado
empregado.

MACETE: 20 + 5 = 25%.

Workshop: www.damasio.com.br/oab = 3 vídeos de como estudar para


OAB.

AULA 2 - 04/05/2015

REPOSIÇÃO DE AULA!

AULA 3 - /05/2015