Você está na página 1de 5

Canto das três raças

Ninguém ouviu
Um soluçar de dor
No canto do Brasil

Um lamento triste
Sempre ecoou
Desde que o índio guerreiro
Foi pro cativeiro
E de lá cantou

Negro entoou
Um canto de revolta pelos ares
No Quilombo dos Palmares
Onde se refugiou
Fora a luta dos Inconfidentes
Pela quebra das correntes
Nada adiantou

E de guerra em paz
De paz em guerra
Todo o povo dessa terra
Quando pode cantar
Canta de dor

E ecoa noite e dia


É ensurdecedor
Ai, mas que agonia
O canto do trabalhador
Esse canto que devia
Ser um canto de alegria
Soa apenas
Como um soluçar de dor

Agradecer e abraçar

Abraçei o mar na lua cheia


Abraçei o mar
Abraçei o mar na lua cheia
Abraçei o mar
Escolhi melhor os pensamentos, pensei
Abraçei o mar
É festa no céu é lua cheia, sonhei
Abraçei o mar
E na hora marcada
Dona alvorada chegou para se banhar
E nada pediu, cantou pra o mar (e nada pediu)
Conversou com mar (e nada pediu)
E o dia sorriu...
Uma dúzia de rosas, cheiro de alfazema
Presente eu fui levar
E nada pedi, entreguei ao mar (e nada pedi)
Me molhei no mar (e nada pedi) só agradeci
Add a playlis tTamanhoAACifraImpri mirCorrigir
Oju obá

É bonito de ver
È tanto prazer
Que seu canto me dá
Vou seguir sua luz
Sua força conduz
Afoxé Ojú Obá
Afoxé Ojú Obá
Salvador vai se acender
Sua estrela vai brilhar
Meu olhar resplandescer
Reluzente Ojú Obá
Ilumine o meu viver

Chegou, Xangô Aganjú Obá chegou


Foi povo de Zambi quem chamou
Eu quero ir com você

Chegou, Xangô Aganjú Obá chegou


Foi povo de Zambi quem chamou
Eu quero ir com você
Serpente Negra

Ara Ara Eu sou Ara Ketu


Ketu Ketu Odé Obá Nixar
Ara Ara Eu sou Ara Ketu
Ketu Ketu Odé Obá Nixar

Kê kê kê leva eu
Kê kê kê Ara Ketu sou eu
Kê kê kê leva eu
Kê kê kê Ara Ketu sou eu

Daomé nação de uma serpente negra


O rei manda lhe falar
O arco-íris ao se dissipar
Orixá maior é a força da natureza
Que representa Ketu nação
De um rei olofin da atual república Benin
Que representa Ketu nação
De um rei olofin da atual república Benin

No Reino de Daomé
Serpente Negra era um Babalaô
O arco-íris que vem lá do alto
Trás a força do superior
No reino de Daomé
Serpente Negra era um Babalaô
O arco-íris que vem lá do alto
Trás a força do superior

Orá orá orá


Orá Orayê
Orá orá orá
Ketu Oxumarê ( bis)

O quadro negro
Representa uma face da Terra
Hoje não existem mais guerras
A escravidão acabou ôô
Ara Ketu retrato da tal mocidade
Representando o passado
E tudo o que aqui ficou
Derramando nossos prantos de felicidade
Por ser essa tal entidade
Nomeada a Odé Caçador

Ara Ketu força divina força maior


ôôô oh oh oh
ôôô oh oh oh (bis)

Pois o sangue desses negros derramando na terra


Para que os senhores passassem um tipo de vida melhor
Pois o sangue desses negros derramando na terra
Para que os senhores passassem um tipo de vida melhor

Orá orá orá


Orá OrayêOrá orá oráKetu Oxumarê Orá orá oráOrá OrayêOrá orá orá
Ketu Oxumarê
Negrume da noite

Odé comorodé
odé arerê
odé
comorodé odé
odé arerê

O negrume da noite
(O negrume da noite)
Reluziu o dia
O perfil azeviche
Que a negritude criou

O negrume da noite
Reluziu o dia
O perfil azeviche
Que a negritude criou
(Que a negritude criou)

Constituiu um universo de beleza


Explorado pela raça negra
Por isso o negro lutou
O negro lutou
e acabou invejado
E se consagrou

Ilê, ilê aiyê


Tu és o senhor
Dessa grande nação
(Dessa grande nação meu irmão)
E hoje os negros clamam
Abenção Abenção Abenção

Odé comorodé
odé arerê
odé
comorodé odé
odé arerê
Ketu, Ketu falará (5x)

Ô Ci, o nome desse orixá


Está gravado na história
Eu não posso mencionar
Gerado, foi criado
Está esculpido na mente
Muito além da minha consciência
Gerado, vou cantar no meu ifé
A palavra mais justa de um rei
No seu culto candomblé
Ô Ci, o nome desse orixá
Se você ainda não sabe
Agora vou te revelar

Ketu, falará, Ketu falará


Que arê, Rê Kaô
Que arê, Rê oh Deus
Do fogo da justiça
Kaô, me valha
Sou Ketu, a nação mais odara
Add a playlis tTamanhoAACifraImpri mirCorrigir