Você está na página 1de 2

A insustentável impermanência do Ser!

Todos os dias somos chamados para a compreensão da vida e nos apegamos tanto a ela, que
nos esquecemos que estamos aqui de passagem. Somos viajantes nesse espaço/tempo.

Não estamos aqui para permanecermos, mas apenas e tão somente para aprendermos e
seguirmos viagem pelas estrelas.

Porém nosso amor e nosso apego ao físico, nos faz sentir dor e sofrer quando seres que estão
caminhando como irmãos companheiros nessa jornada, estão na linha divisória entre o mundo
físico e o mundo espiritual, ou seja, estão sendo chamados à passagem.

Muito difícil aceitar com o coração calmo e tranquilo que pessoas que fazem parte da nossa
história, simplesmente em um piscar de olhos, podem não mais estar em nossa história.

Claro que todos sabemos que isso é a verdade mais profunda desde que nascemos. Que
seremos chamados de volta à casa, apenas não sabemos quando nem como.

Temos todos, as passagens marcada, mas relutamos em aceitar, acolher e fluir.

Precisamos, apesar de sentirmos dor, compreender que algumas lições nos chegam para
ensinar que só temos o dia de hoje para compartilhar tudo o que pudermos de melhor, só
temos o dia de hoje para amarmos, para termos compaixão, para abraçarmos, para dizer que
amamos.

Podemos simplesmente virar a esquina e não voltarmos mais a ver as pessoas importantes,
podemos piscar os olhos e não mais ter a visão dos olhos, do sorriso, podemos nunca mais
sentir o cheiro!

Precisamos nos doar hoje.

Quais lembranças queremos levar em nosso coração das pessoas que nos são caras e quais
queremos deixar nos corações que nos acolheram!?

Será que vale a pena ficarmos guardando mágoa pela vida a fora?

Será que vale a pena não pedirmos perdão ou perdoarmos?

Será que vale a pena ficarmos com medo de dizer Eu te amo?

Será que vale a pena não abraçarmos?

Será que vale a pena deixarmos para amanhã, já que essa manhã pode não nascer?

Somos chamados à lição da impermanência o tempo todo. A natureza nos mostra nas estações
todo movimento da vida, mas nos apegamos e nos colocamos como eternos em um mundo de
coisas passageiras, inclusive NÓS!

Deixamos de ir atrás da nossa felicidade, por medo e por apego a "normalidade", por receio do
que possam "pensar" a nosso respeito, por medo de viver!

e isso nos paralisa a vida! Pensem e repensem sobre a vida! Não deixem de fazer o que puderem hoje.Na verdade. temos medo da morte. O amanhã ainda não existe e pode nunca nascer! Somos muito breves! Sejamos cada dia mais leves! Rose Kareemi Ponce .

Interesses relacionados