Você está na página 1de 4

Disciplina: Hidráulica Aplicada Professora: Lucivânia Rangel de Araújo Medeiros

Lista de Exercícios 2 (Perda de Carga contínua e localizada)

1. Uma tubulação de 400 mm de diâmetro e 2000 m de comprimento parte de um reservatório de


água cujo N.A está na cota 90 m. A velocidade média no tubo é de 1,0 m/s; a carga de pressão e a
cota final da tubulação são 30 m e 50 m, respectivamente. (Baptista e Lara, 2010)
a. Determine a perda de carga provocada pelo escoamento nessa tubulação;
b. Determine a altura da linha piezométrica a 800 m da extremidade da tubulação.

2. Uma tubulação de PVC, de 1100 m de comprimento e 100 mm de diâmetro interliga os


reservatórios R1 e R2. Os níveis de água dos reservatórios R1 e R2 estão nas cotas 620,0 e 600,0
m, respectivamente. Considerando desprezível as perdas de carga localizadas e a temperatura da
água 20°C, calcular a vazão escoada. Obs.: Resolver o problema através da fórmula universal para
perda de carga. (Baptista e Lara, 2010)

3. Na figura abaixo os pontos A e B estão conectados a um reservatório mantido em nível constante e


os pontos E e F conectados a outro reservatório também mantido em nível constante e mais baixo
que o primeiro. Se a vazão no trecho AC é igual a 10 l/s de água, determine as vazões em todas as
tubulações e o desnível H entre os reservatórios. A instalação está em plano horizontal e o
coeficiente de rugosidade da fórmula de Hazen – Willians, de todas as tubulações, vale C= 130.
Despreze as perdas localizadas e as cargas cinéticas nas tubulações. (Porto, 2006)

4. Na tubulação da figura abaixo, de diâmetro 0,15 m, a carga de pressão disponível no ponto A vale
25 mca. Qual deve ser a vazão para que a carga de pressão disponível no ponto B seja de 17 mca.
A tubulação de aço soldado novo, C=130, está no plano vertical. (Porto, 2006)
5. Determine o diâmetro de uma adutora, por gravidade, de 850 m de comprimento, ligando dois
reservatórios mantidos em nível constantes, com diferença de cotas de 17,5 m, para transportar
uma vazão de água de 30 l/s. Material da tubulação, aço galvanizado com costura novo, Ɛ = 0,15
mm. (Porto, 2006)

6. A instalação hidráulica predial da figura está em um plano vertical e é toda em aço galvanizado
novo 1’’ de diâmetro, e alimentada por uma vazão de 2,0 l/s de água. Os cotovelos são de raios
curtos e os registros de gaveta. Determine qual deve ser o comprimento x para que as vazões que
saem pelas extremidades A e B sejam iguais (Porto, 2006)

7. Em uma tubulação horizontal de diâmetro igual a 150 mm, de ferro fundido em uso com cimento
centrifugado, foi instalada em uma seção A, uma mangueira plástica (piezômetro) e o nível d’água
na mangueira alcançou a altura de 4,20m. Em uma seção B, 120m à jusante de A, o nível d’água
em outro piezômetro alcançou a altura de 2,40 m. Determine a vazão. (Porto, 2006)

8. A ligação entre dois reservatórios, mantidos em níveis constantes, é feita por duas tubulações em
paralelo. A primeira com 1500 m de comprimento, 300 mm de diâmetro, com fator de atrito f =
0,032, transporta uma vazão de 0,056 m³/s de água. Determine a vazão transportada pela segunda
tubulação, com 3000 m de comprimento, 600 mm de diâmetro, e fator de atrito f = 0,024. (Porto,
2006)

9. A instalação mostrada na figura abaixo tem diâmetro de 50 mm em ferro fundido com leve
oxidação. Os coeficientes de perda de carga localizadas são: entrada e saída da tubulação K=1,0,
cotovelo 90° K=0,9, curvas de 45° K=0,2 e registro de ângulo, aberto, K=5,0. Determine, usando a
equação da Darcy-Weisbach (Porto, 2006):
a. A vazão transportada
b. Querendo-se reduzir a vazão para 1,96 l/s, pelo fechamento parcial do registro, calcule qual
deve ser a perda de carga localizada no registro e seu comprimento equivalente.

.
10. Uma tubulação horizontal com 200 mm de diâmetro, 100 m de extensão, está ligada de um lado ao
reservatório R com 15,0 m de lâmina d’água, e do outro a um bocal de 50 mm de diâmetro na
extremidade, conforme mostrado na figura a seguir. Este bocal foi testado em laboratório e
apresentou um coeficiente de perda de carga de 0,1, quando referenciado à seção de maior
velocidade. Calcular as velocidades na tubulação e na saída do bocal. (Baptista e Lara, 2010)

11. A determinação experimental dos coeficientes e das perdas de carga localizada é feita mediante
medidas de pressão e declividades das linhas piezométricas, em trechos de escoamento
estabelecido e vazão. Calcule a perda de carga e o coeficiente de perda de carga pra o alargamento
gradual mostrado na figura a seguir, em relação à velocidade no tubo de 75 mm de diâmetro, a
partir dos dados da figura. (Porto, 2006)

.
Gabarito
1. h=10,00 m ; Zc+Pc/ = 84,0 m
2. Q=10,5 l/s
3. QBC=29,1 l/s; QCD=39,1 l/s; QDE=20,73 l/s; QDF=18,37 l/s; H=6,47 m
4. Q=28,9 l/s
5. D=0,15 m
6. 1,8 m
7. Q=26,51 l/s
8. Q=0,258 m³/s
9. a) Q=3,14x10-3 m³/s; b) h=3,27 m; Le ≈ 94 m
10. Vb=15,8 m/s; V = 1,0 m/s
11. h=0,40 m; K = 0,054